Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

.:: Enfermaria da Silvia ::.

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

.:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Qua 16 Dez 2015, 17:12



Enfermaria da Silvia
Come get your healing


Localizada atrás da Enfermaria Principal, a nova enfermaria, da curandeira Silvia Kawasaki, era mais um lugar onde semideuses machucados poderiam buscar por socorro e recuperação. O lugar contava com uma decoração interna em um verde característico dos filhos de Íris, um tom suave que se confundia com o azul visando um relaxamento dos pacientes que ali entrassem. Uma música suave de harpa tocava ao fundo em looping, graças a uma engenhoca mágica projetada por um filho de Hefesto e um de Apolo.

Além da decoração e da música, o local contava com equipamentos recém-adquiridos, macas/leitos confortáveis, poltronas para acompanhante e espaço para até cinco pacientes, por ser ainda um local pequeno. A mesa da curandeira, com sua bolsa, livros e armário, ficam ao fundo da enfermaria e num tablado firme mais elevado, de onde a jovem moça tem visão de todo o local e da entrada, podendo facilmente ver quem estaria precisando de ajuda e como, para rapidamente atender.

Regrinhas e Etc.

1) Sejam bem-vindos! Sou a nova curandeira do Acampamento Meio-Sangue, Silvia Kawasaki. Pra começar, peço que ao fazerem seus posts expliquem a chegada, contextualizem, me digam o que aconteceu, para que eu possa tratá-los devidamente. Posts com menos de 5 linhas serão considerados floods;

2) Enfermaria gratuita. Não precisarão me pagar nada, mas se quiserem me trazer um chocotone da Cacau Show, é super aceito -q

3) Estou sempre no chatbox, com essa ou outra conta, então se quiserem me avisar lá que postaram aqui, sintam-se à vontade. Também podem mandar mps.

don't be shy, bring colors to your life!

Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por John W. Macquorn em Sab 26 Dez 2015, 22:11


enfermaria
noite difícil...
Eu já havia visitado o complexo de enfermarias do Acampamento algumas vezes. Não é incomum que um campista saia da arena com alguns cortes ou arranhões, após uma sessão rotineira de treinos de combate. Especialmente quando o campista em questão sou eu. No entanto, em nenhuma dessas vezes eu me encontrava em um estado tão deplorável quanto agora.

Há arranhões ao longo de meus dois braços, mas nada de aparente muita gravidade. O problema maior é o corte em minhas costas. Três rasgos paralelos, causados por um único golpe de garras extremamente afiadas. Eu não consigo enxergar a gravidade da ferida, mas posso senti-la em cada centímetro de sua extensão. Bastou apenas que a adrenalina baixasse e meu sangue esfriasse.

A situação não era das melhores, definitivamente. Rachel teve que me aparar umas cinco vezes no percurso da gruta às enfermarias. Cada tropeço reforçava a impressão de que o ferimento não seria o maior dos meus problemas. Meus músculos ardem a cada passo. Mesmo com tantos fatos permeando minha mente, mal consigo manter um pensamento por mais do que alguns instantes sem que minha cabeça comece a doer. Provavelmente eu desmaiaria se tentasse criar algo maior que um cubo de gelo.

Tudo bem, talvez eu esteja exagerando um pouco. Como eu disse, minha cabeça não está funcionando muito bem. Ao menos, consegui chegar ao lugar sem precisar ser carregado. Exceto pelas vezes em que eu quase caí de cara no chão, mas isso não vem ao caso. Rachel dirige-se à Enfermaria Central. Até mesmo àquela hora da noite, ainda era a construção com maior movimento. Sigo na direção de outra enfermaria, logo atrás da principal. Essa, claramente, encontra-se menos disputada, mas não a ponto de aparentar abandono.

O local tem uma  decoração em um tom incomum de verde, como o de uma piscina. No geral, parece ser como qualquer outra enfermaria: equipamentos, macas, poltronas... Havia ainda uma música ambiente, um som constante e suave. Resisto ao impulso de simplesmente cair sobre um leito qualquer e tirar um cochilo - o que imagino que não seria uma ideia muito saudável. Percebo uma mesa, bem no fundo da enfermaria, com alguns objetos. Parece haver alguém lá, mas não consigo diferenciar bem seu rosto. Parece que meus olhos ainda não se acostumaram muito bem à claridade do lugar...

- Com licença... Tive um probleminha com umas harpias, e... -
fecho os olhos um instante. Minha cabeça parece querer explodir. Espero que o chão não seja tão desconfortável quanto parece, pois provavelmente é onde vou parar se tentar dar mais um passo. Aquela maldita névoa verde deve ter alguma culpa nisso - Preciso de ajuda - aponto minhas costas com o polegar direito, enquanto seguro a lateral da cabeça com a outra mão - Por favor...
John W. Macquorn
Filhos de Despina
Mensagens :
6

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Qua 17 Fev 2016, 22:40

Enfermaria da Silvia
Heal the world, make it a better place



Havia chegado de missão havia apenas dois dias e, graças aos deuses, não houve tanta estagnação a ponto de me fazer pensar no que me foi proposto em Nashville. Lendo alguns livros sobre métodos de cura de Asclépio, ouvi o som de passos arrastados pelo corredor. Ao erguer o olhar, deparei-me com um semideus bastante enfraquecido.

Balbuciando um pedido de ajuda, o rapaz mostrou-se a ponto de beijar o chão da minha enfermaria. Rapidamente me levantei e segurei o rapaz pelos ombros. Seus braços tinham arranhões feios, mas o grande problema estava nas costas, onde três cortes profundos o marcavam.

— Certo, primeiro vou te colocar numa maca e limpar esses ferimentos, ok? Vai ficar tudo bem — garanti, tranquilizando-o com minhas palavras enquanto o guiava para a sala de tratamento.

De modo breve, lavei minhas mãos e realizei uma prece a Asclépio, pedindo que as abençoasse para que eu pudesse trazer a cura àquele meio-sangue. Imediatamente, elas adquiriram um brilho prateado. Coloquei as luvas, tirei meu jaleco branco e vesti o verde para procedimentos médicos e iniciei o atendimento.

Com uma tesoura esterilizada, cortei-lhe a camiseta para melhorar o acesso aos cortes. Em seguida, toquei as costas e braços do rapaz, anestesiando seus ferimentos, e os lavei de maneira detalhada, afim de retirar prováveis bactérias e evitar infecções. Toquei os cortes novamente e realizei a cicatrização.

Retirei então as luvas usadas neste procedimento, lavei as mãos mais uma vez, e peguei minha bolsa de componentes mágicos e a balança para preparar duas poções.

Fiz mais uma prece a Asclépio e comecei os trabalhos. Primeiro, pesei vinte gramas de amora em pó, despejei o conteúdo de dois saquinhos de suco de maçã num copo. Misturei a amora até a cor ficar arroxeada e acrescentei cuidadosamente o açúcar. Por fim, coloquei duas folhinhas de hortelã na mistura e uma na boca do rapaz e dei a ele a poção, a fim de recuperar-lhe a energia.

Logo comecei o preparo da segunda poção — a Vitalícia Média —, pesando as tiras de limão siciliano até atingir dez gramas. Depois misturei o leite de cabra com os trinta gomos de laranja por um minuto e salpiquei as tiras, mexendo suavemente até a poção adquirir um tom de verde pálido. Coloquei duas sementes de pimenta do reino na boca do semideus e servi-lhe a poção.

— Prontinho. Vou te colocar em repouso por meia hora antes de te liberar ok? Só o tempo do seu corpo descansar dos esforços, você precisa.

Levei-o até uma das alas individuais e marquei o horário em minha agenda. Dado o tempo, avaliei o quadro do rapaz (que depois eu soube se chamar John, do chalé de Despina) e, como o esperado, pude dar-lhe alta. Ele estava recuperado.

~*~

Adendos:

Poderes Utilizados:

PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2)

Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas-vindas curadoras"]

ATIVOS:
Toque Energético (Nível 3)

Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Anestesia (Nível 11)
A dor causada por machucados pode, agora, ser aliviada pelos curandeiros de forma mística. Tocando os músculos feridos, consegue retirar quaisquer dores do paciente, o que pode ajudar até mesmo na concentração e na calma deste. Não afeta o HP, apenas dores que podem ser debilitantes. Pode ser usado em si mesmo. O alivio dura por 3 rodadas.

Cicatrização II (Nível 15)
Agora o dom de cicatrizar cortes e ferimentos já está mais forte nos seguidores de Asclépio. Ao tocar as feridas abertas, estas se fecharão em uma rodada, impedindo hemorragias e sangramentos, anulando tais penalidades em casos de efeitos de nível igual ou menor que o curandeiro, ou reduzindo-as a apenas 25% se maior. Adicionalmente, recupera 5% da HP e MP do alvo, quando em outra pessoa, ou 5% da HP quando em si mesmo (sempre arredondando para baixo). A cicatriz ficará no local, mas será discreta, independente do tipo de ferimento. Este poder só pode ser usado em si mesmo se conseguir tocar o ferimento. 1 utilização por batalha. [Novo]

Poções fabricadas:

Nível 12
Poção Vitalícia Média:
Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

Nível 15
Poção Energética Média:
Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações do player John W. Macquorn:

HP: Full (160/160)
MP: Full (160/160)


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Samantha Johnson em Dom 28 Fev 2016, 15:02

A Cura
Se eu tivesse a força que você pensa que eu tenho...
Dores e mais dores...
Temores e mais amores
A ruiva caminhou até a enfermaria com cuidado. Ela sentia fortes dores por todo o corpo, suas pernas pareciam querer sair de seu corpo e seus braços estavam cheios de hematomas, um corte em sua mão direita sangrava.

A garota notou que uma nova enfermaria se encontrava ali próximo, resolveu conferir o atendimento do local. Uma música tocava acalmando seus ânimos, ela olhou para todos os lados em busca do curandeiro, sua visão estava borrada e o máximo que conseguiu encontrar foi um lugar para se deitar... Mas na verdade ela queria deitar em sua quente e macia cama. Foi quando ela sentiu alguém se aproximando, e para sua surpresa era uma garota. Tentou levantar a cabeça e sorrir para ela.

— Olá. Desculpe incomodar, mas é que andei brincando com umas árvores não muito simpáticas.— começou a sorrir como uma bobona olhando para a garota. — Sou Sam, filha de Athena... Acho que não nos conhecíamos.
A semideusa, pequenina, queria se curar
All Rights Reserved for Belladona
Samantha Johnson
Filhos de Athena
Mensagens :
138

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Cinty Ghret em Dom 28 Fev 2016, 16:19



A semideusa tinha o braço machucado, que droga!

"Não devia ter ajudado aquela garota...", pensava enquanto sentia dores e cambaleava até a enfermaria.

Andou, andou... Por fim começou a correr. O braço sangrava e ela não conseguia movimenta-lo. O que diabos tinha acontecido?

Chegou em uma enfermaria nova que encontrara, o local parecia bem confortável e aconchegante, mas no momento a filha do deus do mar não notou nada disso.

— Senhora, senhora! Por favor, meu braço —
resmungou com lágrimas nos olhos.

Obs:

Da uma olhada no meu poder especial:
{Ombro esquerdo inutilizado, deve ir até uma enfermaria com urgência para que recupere seus movimentos}
Cinty Ghret
Filhos de Poseidon
Mensagens :
75

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Seg 29 Fev 2016, 13:01

Enfermaria da Silvia
Heal the world, make it a better place



Samantha Johnson

Sentada à minha mesa, lendo um dos meus livros de poções e curas naturais, ouço o som de passos à entrada da enfermaria. Levantei os olhos a fim de ver de quem se tratava, mas a pessoa tinha subitamente desaparecido de minhas vistas.

O som das rodas de uma maca denunciou a presença do paciente misterioso e imediatamente deixei o livro sobre a mesa, caminhando em sua direção. Ao chegar ao local de onde viera o som, notei uma garota com cabelos ligeiramente bagunçados e expressão de dor no rosto.

Uma escaneada rápida em seu corpo me fez notar diversos hematomas por seus braços, sangramento na mão e exaustão nas pernas. Pelos deuses, esses meios-sangues estão se machucando cada vez mais...

— Olá. Desculpe incomodar, mas é que andei brincando com umas árvores não muito simpáticas — a garota disse, fazendo-me sorrir junto a ela. — Sou Sam, filha de Athena... Acho que não nos conhecíamos.

— É, acho que não. Mas muito prazer, Sam. Me chamo Silvia, sou filha de Íris. Vamos cuidar de você, sim? — Me apresentei e levei-a na maca até a sala de tratamentos.

Troquei o jaleco branco pelo traje verde para procedimentos, mais uma vez, coloquei a máscara, a touca e as luvas, e fiz uma breve prece a Asclépio, pedindo-lhe a bênção para realizar aquele atendimento. Minhas mãos imediatamente adquiriram um brilho prateado e pude começar os procedimentos.

Anestesiei os braços, as pernas e a mão machucada de Samantha. Em seguida, lavei o corte detalhadamente a fim de evitar possíveis infecções, verificando se havia farpas perdidas da batalha contra a tal árvore. Ferimento lavado, era hora de fechá-lo, cicatrizando-o perfeitamente.

Em seguida, amassei algumas ervas analgésicas e coloquei sobre os hematomas nos braços, antes de começar o preparo das poções Vitalícia Simples e Energética Média.

Dadas as poções da maneira correta (uma esverdeada-pálida e a outra arroxeada), limpei as ervas analgésicas do corpo de Sam, retirei as luvas e descartei-as juntamente com o traje verde, vesti novamente meu jaleco branco e levei a semideusa para um dos quartos.

— Muito bem. Agora repouse um pouco, descanse. Em meia hora, tome este analgésico e as dores dos braços e pernas vão passar. Virei aqui novamente para te avaliar e te dar alta, ok?

Dito isto, ouvi alguém me chamar com voz de choro e carregada de dor e preocupação. Deixei Sam e fui atender à próxima paciente.

Morgan A. Halliwell

E a garota estava sangrando. Seu braço esquerdo estava empapado pelo líquido escarlate e o rosto estava lívido e empalidecido de dor. Rapidamente deitei a loira em uma das macas e a levei para a sala de procedimentos. Calcei novas luvas e coloquei uma máscara e um novo traje verde para iniciar o tratamento.

Repetindo o processo de oração a Asclépio e adquirindo novamente o brilho prateado em minhas mãos, iniciei o tratamento com anestesia. Tranquilizei-a, dizendo que tudo ficaria bem, e comecei a lavar o ferimento, a fim de estancar o sangramento.

Não parecia ser ferida de batalha. Era provavelmente alguma maldição que a havia acometido. Devidamente lavado e higienizado, livre de qualquer infecção, comecei a fechar o ferimento com a cicatrização.

Feito isto, preparei a poção Vitalícia Média, em cor esverdeada-pálida, e novamente a Energética Média, em cor arroxeada. Ministrei ambas à paciente conforme o indicado nos livros de Asclépio e dei a ela um calmante, de modo a fazê-la dormir. Levei a jovem a um dos quartos e deixei-a em recuperação.

Epílogo

Dado o devido tempo, fui avaliar as duas pacientes, Samantha e Morgan. Tendo verificado que ambas estavam bem, dei alta às duas, recomendando que repousassem ainda pelo restante do dia, apenas por segurança, e que depois já poderiam retornar às atividades normais.

~*~

Adendos:

Poderes Utilizados:

PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2)

Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas-vindas curadoras"]

Olhar Clínico (Nível 13)
Há uma espécie de lenda urbana que diz “grandes médicos sabem o que o paciente sente apenas de olho”. Pois bem, isso se aplica aos aprendizes, mas de uma forma diferente: ao avistar alguém, consegue “ver” as informações de saúde deste indivíduo (por exemplo, possíveis fraturas, doenças, batimentos cardíacos, oxigenação, vida, energia e situações psicológicas e sociais naturais). Estas informações aparecem em forma de dados e gráficos para o aprendiz, como na tela de um monitor de hospital. Algumas informações, como situações psicológicas e sociais só se aplicam a pessoas que deixarem o curandeiro ter esse conhecimento, o que resume a, normalmente, aliados. Isso faz com que seus diagnósticos agora sejam mais precisos, mas podem ser enganados por meios mágicos e poderes que alterem sua percepção.

ATIVOS:
Toque Energético (Nível 3)

Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Anestesia (Nível 11)
A dor causada por machucados pode, agora, ser aliviada pelos curandeiros de forma mística. Tocando os músculos feridos, consegue retirar quaisquer dores do paciente, o que pode ajudar até mesmo na concentração e na calma deste. Não afeta o HP, apenas dores que podem ser debilitantes. Pode ser usado em si mesmo. O alivio dura por 3 rodadas.

Cicatrização II (Nível 15)
Agora o dom de cicatrizar cortes e ferimentos já está mais forte nos seguidores de Asclépio. Ao tocar as feridas abertas, estas se fecharão em uma rodada, impedindo hemorragias e sangramentos, anulando tais penalidades em casos de efeitos de nível igual ou menor que o curandeiro, ou reduzindo-as a apenas 25% se maior. Adicionalmente, recupera 5% da HP e MP do alvo, quando em outra pessoa, ou 5% da HP quando em si mesmo (sempre arredondando para baixo). A cicatriz ficará no local, mas será discreta, independente do tipo de ferimento. Este poder só pode ser usado em si mesmo se conseguir tocar o ferimento. 1 utilização por batalha. [Novo]

Poções fabricadas:

Nível 6
Poção Vitalícia Simples:
Uma poção de coloração esverdeada-pálida, caso tenha sido formulada do jeito correto, e de gosto ligeiramente azedo; é particularmente básica e, portanto, não necessita da especialização ‘Alquimista’. Seu principal efeito é o de, após ingerida pela boca como um líquido, recuperar a vida do paciente. Por questões de segurança, só pode ser consumida uma dose a cada turno.

Nível 12
Poção Vitalícia Média:
Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

Nível 15
Poção Energética Média:
Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações da player Samantha Johnson:

HP: (336/340)
MP: (315/340)

Atualizações da player Morgan A. Halliwell:

HP: (164/230)
MP: FULL (230/230)


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Psiquê em Ter 01 Mar 2016, 14:04

Atualizados.

Curandeira recompensada em 75 dracmas.



How fickle my heart and how woozy my eyes, I struggle to find any truth in your lies. And now my heart stumbles on things I don't know, my weakness I feel I must finally show. Lend me your hand and we'll conquer them all but lend me your heart and I'll just let you fall, lend me your eyes I can change what you see, but your soul you must keep totally free
Psiquê
Administradores
Mensagens :
865

Localização :
Castelo maravilhoso do Eros

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Annie I. Murray em Qua 09 Mar 2016, 11:28

Enfermaria
Getting strong again



Já tinha um tempo que eu me sentia mal. Subitamente ficava sem forças e tinha a impressão de que o mundo estava bêbado, cambaleando diante dos meus olhos. Mesmo assim, eu insistia em treinar e me esforçar como se estivesse tudo bem. Até que o bom senso me deu um tapa na cara e me fez cair com tudo de volta na cama quando tentei me levantar para ir tomar um copo d'água. Se não fosse o Nate, teria ido parar no chão. Assim, tive que me render aos cuidados médicos.

O ambiente era completamente diferente de todo o resto do acampamento. As paredes eram esverdeadas em um tom suave, o que facilmente já me fez relaxar um pouco. Uma música suave tocava e um pouco mais ao longe, uma jovem moça de olhos multicoloridos se levantava olhando para mim. Sem mais demoras, dirijo-me a ela e detalho da melhor maneira o que estava sentindo:

— Eu venho tendo umas crises de fraqueza, por assim dizer. Do nada sinto minhas pernas fraquejarem e minha visão meio que se mexe, como se as coisas estivessem cambaleando. Desde duas semanas atrás, vinha acontecendo uma vez ou outra, mas nos últimos três dias senti isso o tempo todo. Ainda há pouco quase caí no chão do chalé, então decidi vir aqui.

Como se meu organismo quisesse provar minhas palavras, senti novamente novamente a estranha vertigem e minhas pernas pareceram geleia. Precisei concentrar toda a minha força para me segurar na parede ao meu lado e não levar uma queda. Lentamente senti minha visão retomar o foco e a força voltar aos meus membros inferiores. Céus, aquilo precisava parar!

~*~


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Annie I. Murray
Filhos de Poseidon
Mensagens :
32

Localização :
Chalé de Poseidon

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Arlen Weizsäcker em Qua 09 Mar 2016, 12:27

Luz e Sombras
PvP off de Kylie e Charllote
entre flechas e lanças, o sangue é inevitável

Eu estava quase revigorado. Depois de ter estado num rápido coma e despertado para receber algumas bombas, além de uma fisioterapia na Enfermaria Central, eu havia sido mandado para a Enfermaria da Silvia com o intuito de receber os cuidados finais. Só então eu estaria pronto para ficar cara a cara com meu destino; ou melhor, com minha profecia.

Entrei na enfermaria sem timidez alguma e sentei-me em uma das macas, observando outra garota que por ali estava. Pela ordem, a tal Silvia — que deveria ser uma novata, porque eu não me lembrava dela se levasse em conta a minha última estadia no Acampamento — atenderia a garota primeiro. Só depois viria checar meus ferimentos, que eram mínimos, mas ainda um pouco significativos.

Escoriações simples, mas que ainda incomodavam, e alguns hematomas nas costas — além de uma costela que ainda protestava com dor, ainda que não estivesse quebrada. Eu também precisava de energia e, quem sabe, algumas poções. Aí sim eu estaria definitivamente pronto.


Thanks Tess
Arlen Weizsäcker
Filhos de Nêmesis
Mensagens :
483

Localização :
Los Angeles

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Qua 09 Mar 2016, 15:29

Enfermaria da Silvia
Heal the world, make it a better place



Annie I. Murray

Eu estava feliz. Feliz como havia muito tempo eu não me sentia. Meu melhor amigo tinha voltado ao acampamento depois de quatro anos longe e finalmente eu tinha alguém da minha época para surtar e sorrir novamente.

Estava revendo fotos antigas, nas quais há muito tempo eu não mexia, quando um movimento à porta me fez erguer a cabeça. Facilmente reconheci que era a pequena semideusa indefinida do chalé XI, Annie. Aquela garotinha guardava algo especial, qualquer um podia ver, e o fato de ela ter nascido no acampamento a tornava quase lendária. A filha de um deus com uma semideusa. Raríssimo de acontecer.

Me levantei e fui na direção dela. Notei que um outro semideus, Enzo, se bem me lembrava, tinha chegado e estava cheio de arranhões, mas aparentava estar melhor de disposição do que a garota. Ela está sem forças, concluí clinicamente só de olhar, percebendo logo a expressão abatida de Annie, por isso precisei atendê-la primeiro. Ela deu alguns passos fracos em minha direção e fizemos contato:

— Oi, pequena. O que houve? O que te traz aqui comigo?

— Eu venho tendo umas crises de fraqueza, por assim dizer. Do nada sinto minhas pernas fraquejarem e minha visão meio que se mexe, como se as coisas estivessem cambaleando. Desde duas semanas atrás, vinha acontecendo uma vez ou outra, mas nos últimos três dias senti isso o tempo todo. Ainda há pouco quase caí no chão do chalé, então decidi vir aqui.

Ela quase caiu assim que terminou de falar. Segurei-a pelos ombros enquanto ela própria se apoiava na parede e, quando seus sentidos voltaram, comecei a guiá-la até a sala de medicação.

— Não deveria ter demorado tanto para vir. Eu soube que andou vencendo torneios no chalé de Hermes e domando aquele cavalo temperamental, não foi? E que você o chama de Tártaro! Que nome apropriado! — Brinquei, fazendo-a relaxar para que as poções fizessem efeito mais rapidamente.

Após recostar a jovem indefinida na maca, lavei as mãos, peguei uma máscara na gaveta e coloquei as luvas. Fiz então uma breve prece a Asclépio, fazendo minhas mãos adquirirem um brilho prateado, e toquei suavemente a testa de Annie para dar-lhe uma primeira injeção de energia. Em seguida comecei a selecionar os ingredientes das poções.

A primeira era a chamada Energética Média, para a qual pesei vinte gramas de amora em pó e despejei o conteúdo de dois saquinhos de suco de maçã num copo. Depois foi só misturar os dois ingredientes e por fim acrescentar cuidadosamente o açúcar. O último passo era servir corretamente, colocando duas folhinhas de hortelã na solução e uma na boca da semideusa.

Tomada a primeira poção, parti rapidamente para o preparo da segunda, a chamada Vitalícia Média. Comecei pesando as tiras de limão siciliano até atingir dez gramas e depois misturei o leite de cabra juntamente com os trinta gomos de laranja. Marquei um minuto nesse processo e então salpiquei as tiras, mexendo devagar até a poção adquirir seu tom de verde pálido. Novamente havia uma maneira especial de administrá-la, então coloquei duas sementes de pimenta do reino na boca da garota e servi-lhe a poção.

Agora era só levar Annie para um quarto e deixá-la em repouso por 30 minutos, o tempo que me dava certeza absoluta de que estava tudo bem com o paciente em questão. Feito isso, saí do quarto e voltei à área principal da Enfermaria para atender o filho de Nêmesis.

Enzo Deanwoody

O garoto estava realmente mais tranquilo enquanto me esperava sentado sobre uma maca. Seu corpo tinha alguns arranhões e ele fazia uma pequena careta de dor quando se mexia. Costela contundida, nada grave... Olhando para ele, também percebi que tinha passado por outros procedimentos médicos (bem mais fortes do que eu faria ali) e que sua disposição provavelmente contrastava com o estado em que estivera havia pouco tempo.

— Muito bem, hm... Enzo, de Nêmesis, estou certa? Vamos pra sala de medicação. Darei um jeito nos machucados.

Novamente executei o processo de lavar as mãos, colocar luvas e máscara, e fazer a prece a Asclépio. Vendo minhas mãos já em seu brilho prateado, toquei a testa do semideus suavemente, como fizera com Annie, já transferindo uma quantidade de energia ao garoto.

Parti então para os ferimentos. Pedi que Enzo retirasse sua camiseta, a fim de me permitir avaliar seus hematomas. Não seriam difíceis de curar, considerando que ele já havia passado por alguns procedimentos médicos antes que suavizaram os machucados.

Mas a questão da costela contundida ainda era o mais urgente, então comecei o processo de cicatrizações por ali, pressionando levemente o local e restabelecendo a integridade da área. Toquei, então, as escoriações, fechando-as e deixando apenas suaves cicatrizes nos locais. Algumas nem deixaram marca. E, por último, toquei as marcas arroxeadas nas costas, logo fazendo-as reduzirem em tamanho e em dor.

Terminado este processo, peguei minha bolsa de componentes mágicos mais uma vez e selecionei os ingredientes das mesmas poções que fiz anteriormente para Annie. Primeiro a Energética Média, com seu sabor adocicado de amora e hortelã, e depois a Vitalícia Média, com as tiras de limão siciliano, gomos de laranja e sementes de pimenta do reino.

Administradas as poções, retirei a máscara e as luvas descartáveis e levei Enzo ao quarto, pedindo que ele esperasse o tempo de meia hora para que eu pudesse avaliá-lo antes de dar-lhe alta.

Epílogo

Passei alguns minutos fabricando uma pomada com ervas para Enzo. Dado o devido tempo, fui avaliar os dois pacientes, Annie e Enzo. Tendo verificado que ambos estavam bem, dei alta aos dois, recomendando que repousassem ainda pelo restante do dia, apenas por segurança, e que depois já poderiam retornar às atividades normais.

Passei a pomada nas costas de Enzo uma vez e pedi que ele repetisse o processo por mais duas vezes naquele dia, somente sobre as áreas afetadas com os hematomas. Liberei-o em seguida e voltei à minha mesa e ao silêncio na enfermaria.

~*~

Adendos:

Poderes Utilizados:

PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2)

Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas-vindas curadoras"]

Conhecimento Herbológico (Nível 4)
Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais naturais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”}

Olhar Clínico (Nível 13)
Há uma espécie de lenda urbana que diz “grandes médicos sabem o que o paciente sente apenas de olho”. Pois bem, isso se aplica aos aprendizes, mas de uma forma diferente: ao avistar alguém, consegue “ver” as informações de saúde deste indivíduo (por exemplo, possíveis fraturas, doenças, batimentos cardíacos, oxigenação, vida, energia e situações psicológicas e sociais naturais). Estas informações aparecem em forma de dados e gráficos para o aprendiz, como na tela de um monitor de hospital. Algumas informações, como situações psicológicas e sociais só se aplicam a pessoas que deixarem o curandeiro ter esse conhecimento, o que resume a, normalmente, aliados. Isso faz com que seus diagnósticos agora sejam mais precisos, mas podem ser enganados por meios mágicos e poderes que alterem sua percepção.

ATIVOS:
Toque Energético (Nível 3)

Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Cicatrização II (Nível 15)
Agora o dom de cicatrizar cortes e ferimentos já está mais forte nos seguidores de Asclépio. Ao tocar as feridas abertas, estas se fecharão em uma rodada, impedindo hemorragias e sangramentos, anulando tais penalidades em casos de efeitos de nível igual ou menor que o curandeiro, ou reduzindo-as a apenas 25% se maior. Adicionalmente, recupera 5% da HP e MP do alvo, quando em outra pessoa, ou 5% da HP quando em si mesmo (sempre arredondando para baixo). A cicatriz ficará no local, mas será discreta, independente do tipo de ferimento. Este poder só pode ser usado em si mesmo se conseguir tocar o ferimento. 1 utilização por batalha. [Novo]

Poções fabricadas:

Nível 12
Poção Vitalícia Média:
Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

Nível 15
Poção Energética Média:
Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações da player Annie I. Murray:

HP: (112/160)
MP: FULL (160/160)

Atualizações do player Enzo Deanwoody:

HP: FULL (740/740)
MP: FULL (740/740)


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Psiquê em Sab 12 Mar 2016, 14:52




Atualizado!




How fickle my heart and how woozy my eyes, I struggle to find any truth in your lies. And now my heart stumbles on things I don't know, my weakness I feel I must finally show. Lend me your hand and we'll conquer them all but lend me your heart and I'll just let you fall, lend me your eyes I can change what you see, but your soul you must keep totally free
Psiquê
Administradores
Mensagens :
865

Localização :
Castelo maravilhoso do Eros

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Riley Martinez em Sab 12 Mar 2016, 16:30




Enfermaria

Minha primeira experiência numa forja teria sido incrível, se não fosse por uns pequenos probleminhas: fiz tudo o que Rayna pediu e ainda aprendi mais sobre todos os processos necessários para a criação de uma arma. Realmente tudo estava dando certo, até o ex-namorado dela chegar, Ray desmaiar, eu bater nele por achar que ele fosse o culpado, ele passar a culpa para uma filha de Hécate e eu bater nela também. Enfim, tinha sido um dia bem cansativo.

No dia seguinte, logo que acordo sinto os presentes deixado pelas situações um tanto quanto confusas em que tinha me metido: dores nos braços, no tronco, cansaço extremo e uma vontade gigante de ficar fazendo vários nadas. O último sintoma eu sinto todo dia e estou aprendendo a conviver com ele, mas os outros indicam que uma visita a uma enfermaria não é má ideia.

E, assim, deixando para trás toda a minha indisposição, sento-me na cama. Respiro fundo algumas vezes, juntando forças para ir até o banheiro tomar um banho e acordar de verdade. Pentear o cabelo também é algo que estou precisando.

[...]

Quando finalmente estou parecendo gente, sinto-me um pouco mais animado. Não aquela animação de sair pulando, apenas animado o suficiente para ir até a enfermaria que me foi recomendada cantando uma música consideravelmente antiga.

A enfermaria parece um tanto quanto pequena, o que é bom, já que não deve estar muito cheia. Menos gente para saber que eu finalmente rendi meu orgulho e vim procurar ajuda. Menos gente para eu ser obrigado a fingir que sou gentil e que estou gostando dessa minha nova vida.

Vejo a suposta curandeira assim que entro no estabelecimento e vou em direção a ela. Não pretendo ter um diálogo muito longo, apenas uma curta explicação do meu cansaço que parece infinito e da dor em meus membros superiores e em meu abdômen.


Thanks for @Lovatic, on Cupcake Graphics


Riley Martinez
Filhos de Hefesto
Mensagens :
44

Localização :
Acampamento Meio-Sangue (?)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Jake T. Nermys em Sab 12 Mar 2016, 22:38




Lições Amigáveis
Ser devoto de Hera é algo que eu realmente gosto. Apesar de tudo pelo que a deusa passou e continua passando, ela continua sendo a rainha do Olimpo, majestosa como sempre. O que também serve como um jeito de ensinar que nunca devemos desistir. O que não significa que não podemos passar numa enfermaria de vez em quando.

E o motivo de eu precisar tanto de uma enfermaria é justamente por eu ser um devoto. Como tal, preciso estar sempre treinando e melhorando minhas habilidades, então a deusa pediu para que um de seus seguidores mais experiente me treinasse numa luta onde eu não pude usar os poderes de Selene. Tive que me concentrar como nunca antes e me esforçar para conseguir usar habilidades concebidas por Hera, de modo que gastei toda a minha energia. Cortes, arranhões, algumas áreas roxas pelo braço e um cansaço indescritivelmente grande ficaram como lembrança.

Então entro em uma das menores enfermarias que noto, logo depois de terminar de beber o conteúdo do frasco em minha mão*. Por ser pequena, imagino que tenha sido aberta há pouco e por isso seja desconhecida, logo estando vazia — eu mesmo não conheço o curandeiro ou a curandeira que trabalha aqui, apenas segui a recomendação de um amigo.

Meu braço direito e minhas costas são os piores, mas tô com dor pelo corpo — comento sem tentar disfarçar o cansaço por cada uma das palavras — E minha animação não está lá muito grande. A propósito, me chamo Jake.

Enquanto espero por uma provável semideusa, fico observando o lugar, tentando aprender mais sobre os processos de cura que ela sabe fazer.

Coisas:
Itens:
† Leite Sagrado (Leite da própria vaca sagrada de Hera, ao beber você se sente mais ativo, mais forte, ao beber recupera 30 de vida e energia, só pode ser usado duas vezes por missão, somente os devotos podem usufruir de seus poderes. Está contido em um frasco de cristal. Se quebrado, não poderá ser reutilizado até a próxima missão, quando sempre irá se restaurar e terá o conteúdo preenchido. Caso seja perdido ou roubado, sempre volta ao devoto após 3 rodadas, exceto se quebrado - quando voltará ao chalé número II.) [Infinito] [Frasco de cristal com leite mágico][Nível mínimo: 7. Uso pessoal](Presente de Hera)[by:Hera]*
Poderes:
Apenas Passivos:

Nível 20: Fase da Lua III - Lua Cheia
Representando a fase da plenitude. Agora, filhos de Selene recebem pontos de vida adicionais quando uma magia ou efeito de cura de terceiros age sobre eles. Nesse nível, poções, néctar, ambrósia,comida ou poderes de cura além do valor normal têm uma bonificação de 25%. Só afeta o que é usado sobre ele, mas não é válido para seus poderes próprios.

♦ The White Swan ♦ @ CG
Jake T. Nermys
Devotos de Hera
Mensagens :
134

Localização :
Por aí

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Michael F. Chase em Sex 29 Jul 2016, 12:38

Enfermaria da Silvia
Give me back my health



— Alguém me ajuda, por favor!

Sim, foi nesse estado que cheguei à enfermaria da filha de Íris naquela manhã. Eu realmente não estava bem e começava a ficar preocupado com o nível de energia em meu organismo. O que começou como uma moleza pós-missão tinha virado uma constante perda de equilíbrio e noção de espaço. Era como se eu estivesse a ponto de desmaiar o tempo todo.

Quando acordei naquela manhã de verão, não tive forças sequer para ir tomar o café da manhã no refeitório. Me sentar na cama para me espreguiçar revirou meu estômago e meus olhos, ficar de pé fez minha vista escurecer, dar mais de um passo me fez cair de cara no chão do chalé. Uma irmã, Darya, foi quem me ajudou a levantar e me auxiliou para chegar à enfermaria.

Aí você pergunta: "Por que diabos você demorou tanto para procurar ajuda, Michael Chase?" A resposta é simples, jovem padawan, eu odeio ir ao médico. Mesmo na época em que eu vivia com minha mãe relapsa, meu padrasto infernal e os capetinhas filhos deles, aquela época em que eu podia morrer e ninguém dava falta, desde sempre eu odiava aquele cheiro antisséptico de álcool e sei lá mais o quê.

Agora, onde estava eu? Numa bendita enfermaria! Ao menos aquela tocava música e tinha as paredes pintadas daquele verdinho das camisas do chalé de Íris. Paredes brancas costumavam me dar dor de cabeça, então agradeci mentalmente à mãe da curandeira por, bem, ser mãe daquela jovem de bom senso.

Mas eu continuava tonto. À minha frente na fila de espera havia dois outros semideuses, parecendo tão indispostos quanto eu. É, eu sei, não justificava chegar lá pedindo socorro como se eu estivesse sangrando, mas nenhum dos outros dois iria me julgar, pelo visto.

Sentei-me numa das cadeiras um tanto confortáveis do lugar e esperei a minha vez enquanto tirava um cochilo. Meus deuses, eu realmente não estava parecendo comigo mesmo. Quando fui atendido, tratei de explicar absolutamente tudo o que estava se passando comigo, talvez até exagerando um pouco, porque eu simplesmente não queria mais voltar ali, por mais acolhedor que fosse. Agora era só esperar o tratamento.


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Michael F. Chase
Filhos de Deimos
Mensagens :
23

Localização :
Chalé de Deimos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Dom 31 Jul 2016, 00:38

Enfermaria da Silvia
Heal the world, make it a better place



Will Martins

Tinha chegado cedo à enfermaria naquele dia. Acreditando que nenhum semideus àquela hora apareceria com algum machucado, resolvi me apressar no café da manhã e correr para ler alguns livros muito interessantes que eu havia adquirido. Portanto, de lá do fundo da minha sala, fui pega de surpresa quando ouvi o som da campainha da porta.

Antes que o semideus entrasse, tratei de fechar os livros e caminhei até a soleira da porta, de onde eu podia ver a movimentação no corredor e na entrada. O garoto claramente estava sofrendo de uma estafa física potencializada pelo que, comumente, se conhece por... corpo mole. É, pois é. Mas ele realmente estava com exaustão, deu para perceber sem problemas.

Como mandava o protocolo, o jovem filho de Hefesto se apresentou e relatou seus sintomas de modo bastante sucinto, mas muito claro. Era um exemplo clássico de fadiga após o primeiro dia de atividades como semideus. Sempre acontecia.

— Muito bem, Will, as dores abdominais e nos braços que você está sentindo são provenientes da produção de ácido lático. Seu primeiro dia nas forjas provavelmente já exigiria muito e você também teve... essas outras atividades que me citou. Quanto à fadiga, também é normal. Venha comigo. Te passarei algumas poções e pomadas analgésicas, logo você estará bem.

Quando terminei de anotar os dados na ficha de Will Martins, notei a chegara de um outro rapaz, que logo se assentou e esperou sua vez, e pouco depois mais um outro. O tratamento do filho de Hefesto não demoraria muito, então logo eu poderia vê-los. Era bom ver movimentação novamente na enfermaria.

— Certo, Will. Vamos começar.

Lavei minhas mãos para poder começar os procedimentos e fiz uma breve prece a Asclépio, invocando o poder do Toque Energético. Minhas mãos logo assumiram um brilho prateado e toquei as laterais da cabeça de Will, restaurando logo de início uma parte de sua energia. Depois, ela hora de cuidar das dores, então preparei uma infusão de ervas e deixei em redução até virar uma pasta grosa antes de passar nas áreas afetadas pela dor do ácido lático.

Comecei, então, a fabricação da poção vitalícia média com as tiras de limão siciliano raladas, o leite de cabra e os gomos de laranja, mexendo rapidamente para ela adquirir a tonalidade esverdeada pálida característica. Dei duas sementes de pimenta do reino para Will pôr na boca e dei a ele a poção. Por fim, fabriquei a poção energética média, feita de suco de maçã, amoras em pó e açúcar. Quando esta adquiriu sua cor arroxeada, dei uma das folhinhas de hortelã para Will pôr na boca e coloquei outras duas na poção e a administrei. Cinco minutos depois, o garoto já estava recuperado e pude dispensá-lo.

* * *

Jake T. Nermys

— Próximo, por favor. Por aqui. — Chamei e sorri educadamente, já de modo a tranquilizar o garoto da lua.

Logo que entrou em minha sala, o garoto, que reconheci do chalé de Selene, apresentou seus problemas. Visivelmente, seu braço direito estava com sérios incômodos e também suas costas. O garoto tinha cortes e escoriações, marcas arroxeadas pelo corpo, obviamente muita dor. Novamente, eu precisaria de pomadas analgésicas e anti-inflamatórias, além de preparar poções para recuperar a energia e a vitalidade do jovem Jake Nermys. Além disso, mais um caso de fadiga se apresentava diante mim, sendo assim, comecei logo a trabalhar.

Amassei num pilão algumas ervas com efeito anestesiante juntamente com as analgésicas, misturando-as nas devidas proporções para então aplicá-las sobre hematomas do corpo do rapaz. Em seguida, fiz uma prece a Asclépio, a mesma feita para tratar Will, e toquei-lhe a testa para recuperar parte da energia. Comecei então o preparo da poção energética média, a fim de fazê-lo recuperar o ânimo o máximo possível.

Fiz uma prece ao meu deus patrono e misturei vinte gramas de amora em pó numa medida de duas xícaras de suco de maçã. Quando adquiriu a coloração roxa correta, dei uma folhinha de hortelã para que Jake a pusesse na boca e coloquei as outras duas necessárias na própria poção, para que ele a bebesse. Logo em seguida, ralei dez gramas de casca de limão siciliano e misturei trinta gomos de laranja em um copo de leite de cabra por um minuto. Misturei rapidamente para dar o tom esverdeado e dei a Jake duas sementes de pimenta do reino para então ministrar a poção. Novamente, o resultado foi rápido e ele logo recebeu alta.

* * *

Michael F. Chase

Por fim, era a hora de atender um dos campistas mais bonitos do Acampamento Meio-Sangue. Controle-se, Silvia! O garoto é uns cinco anos mais novo que você! Eu ficava repetindo isso como um mantra, mas aquele jovem filho de Deimos atraía alguns olhares muito merecidamente, pena que eu poderia fazer mais do que olhar ou ele me acharia uma tarada. É difícil ser uma semideusa de quase 21 anos.

Enfim, por que eu estou falando disso? O garoto estava doente e eu pensando em como ele era bonito. Recebendo, do meu bom senso, um belo tapa na cara de profissionalismo, chamei o rapaz e ouvi-lhe os relatos, e, meus deuses, era mais um caso de fadiga extrema.

No caso de Michael, tratava-se de algo entrando em estado grave. Ele relatou, um tanto exageradamente, pude perceber graças à bênção do olhar clínico de Asclépio, tudo o que vinha sentindo, como desmaios no chalé, tonturas ao levantar e vertigens ao caminhar. Os detalhes exagerados claramente eram devidos ao fato de ele obviamente odiar estar em clínicas médicas. Sua expressão facial denotava isso claramente.

— Tudo bem, Michael, vamos cuidar de você bem rápido e logo poderá voltar às suas atividades normais. Só me prometa que não vai mais demorar a vir à enfermaria quando tiver missões e treinos desgastantes, ok?

Tendo feito com que ele prometesse, conduzi-o com cuidado até a área de procedimentos e comecei novamente os trabalhos. Ele não precisaria de pomadas herbológicas analgésicas, então bastou que eu fabricasse novamente as poções vitalícia e energética médias e as ministrasse da devida maneira ao garoto, que se mostrava ligeiramente mais aliviado por ver seu tempo na enfermaria terminando.

Esperei o tempo para que as poções fizessem o devido efeito e pude notar a melhora assim que ele se levantou. Avaliado, Michael recebeu alta e logo deixou minha enfermaria para retomar suas atividades. Quando ele saiu, voltei à minha sala e me sentei em minha cadeira, suspirando fundo e sorrindo. Aquela fora uma meia manhã de bastante trabalho, eu estava com saudades disso.

~*~

Adendos:

Poderes utilizados:

DOS CURANDEIROS:
PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2) - Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas vindas curadoras"]

Conhecimento Herbológico (Nível 4) - Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais naturais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”}

Olhar Clínico (Nível 13) - Há uma espécie de lenda urbana que diz “grandes médicos sabem o que o paciente sente apenas de olho”. Pois bem, isso se aplica aos aprendizes, mas de uma forma diferente: ao avistar alguém, consegue “ver” as informações de saúde deste indivíduo (por exemplo, possíveis fraturas, doenças, batimentos cardíacos, oxigenação, vida, energia e situações psicológicas e sociais naturais). Estas informações aparecem em forma de dados e gráficos para o aprendiz, como na tela de um monitor de hospital. Algumas informações, como situações psicológicas e sociais só se aplicam a pessoas que deixarem o curandeiro ter esse conhecimento, o que resume a, normalmente, aliados. Isso faz com que seus diagnósticos agora sejam mais precisos, mas podem ser enganados por meios mágicos e poderes que alterem sua percepção.

ATIVOS:
Toque Energético (Nível 3) - Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Poções Administradas:

Poção Vitalícia Média (Nível 12) - Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

Poção Energética Média (Nível 15) - Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações nos perfis:

Will Martins: HP/MP Full
Jake T. Nermys: HP Full; MP: 335/400
Michael F. Chase: HP/MP Full


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Bryan T. Stewart em Ter 02 Ago 2016, 22:12

Enfermaria da Silvia
I gotta be healthy again



Eu estava com trauma de lobos. Sim, o lobo é o animal símbolo de minha mãe, mas experimenta enfrentar a missão que eu enfrentei e ser atacado por licantropos malucos e ladrões de essência de fogo de filhos de Héstia pra você ver. Só experimenta!

Se o trauma de lobos fosse meu único problema, estaria tudo bem. A questão era que eu tinha levando uma boa pancada na cabeça, me esforçado demais em batalha, recebido ferimentos nem um pouco sutis e em troca recebera a informação de que minha parceira de missão era uma traidora. Tudo isso coroado com uma péssima noite de sono.

No dia seguinte eu corri para a enfermaria. Bom, não necessariamente corri, já que eu não tinha forças para isso, mas fui o mais rápido possível depois de comer algo no café da manhã. Optei pela enfermaria verdinha, da filha de Íris que parecia a Mulher Invisível do Quarteto Fantástico, pois era uma das menos movimentadas e, portanto, de mais rápido atendimento.

Não havia nenhum outro paciente no local, então me apressei em chamar a curandeira e explicar o que estava sentindo, apresentando meu nome, filiação, informações sobre a última missão... Teria até dado meu número do cartão do Sistema Único de Saúde Meio-Sangue*, se eu tivesse um.

Agora era só esperar para ver o que ela faria para me recuperar. Tinha ouvido falar que ela era boa no que fazia e que era uma semideusa já com certa experiência, então confiei cegamente. Eu precisava ficar bem novamente tão logo quando possível.

Código:
*Créditos do nome do SUSMS (Sistema Único de Saúde Meio-Sangue) à player Ana M. Thernadier. Vi isso num post dela e não resisti, tive de usar! :)


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bryan T. Stewart
Filhos de Selene
Mensagens :
63

Localização :
Chalé de Selene

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Sex 05 Ago 2016, 12:13

Enfermaria da Silvia
Heal the world, make it a better place



Bryan T. Stewart

De manhã cedo, por incrível que possa parecer, havia uma pessoa disposta: eu! É algo que faz parte da vida dos curandeiros, estar sempre alerta para qualquer eventualidade. Em outras palavras, enquanto todos estão curtindo aquela preguicinha no café da manhã no refeitório, nós, curandeiros, estamos mais agitados do que filhos de Hermes com bênção elétrica de Zeus — se é que isso existe.

Correndo os olhos pelo salão, percebi que havia alguns semideuses precisando de ajuda. Alguns, inclusive, recém-saídos de missões. Sacudi a cabeça, tentando enxergar o mundo na normalidade, sem ter que ver a condição de saúde de todos a todo momento, mas era algo natural para mim desde que recebera a bênção de Asclépio.

Ao término do meu café da manhã, passei no chalé para ver se estava tudo certo com os irmãos que ainda estavam por lá e rumei diretamente para a enfermaria. Não demorou muito para que o primeiro paciente aparecesse, e era um dos que eu havia analisado com o olhar clínico do deus da cura no refeitório, salvo engano, um filho de Selene.

O garoto se apresentou como Bryan Stewart e confirmou a filiação que eu suspeitava antes de começar um relato detalhado de tudo o que havia acontecido com ele. Ah, como eu adoro esses pacientes! Deixam tudo tão claro que facilita demais o nosso trabalho, pois mesmo com o olhar clínico, é muito importante ouvir do paciente o que ele sente e como ele sente.

Bryan tinha desenvolvido um certo trauma de lobos. Provavelmente não era um medo, mas mais uma lembrança nada boa de ter enfrentado seres da esfera de domínio de sua mãe agindo como inimigos, era de se esperar que isso fundisse sua cabeça. Sem que ele sequer notasse, porém, eu já estava trabalhando em confortar a mente dele e, consequentemente, deixá-lo até mais predisposto aos tratamentos que viriam.

O corpo do filho de Selene estava cheio de hematomas e curativos rápidos feitos, provavelmente, por ele mesmo. Colocando-o de pé para analisá-lo por completo, percebi um pequeno inchaço na parte de trás de sua cabeça, onde ele teria levado a tal pancada que o deixara desacordado e ligeiramente desmemoriado por um tempo. Em seus braços havia cortes e seu tronco apresentava marcas arroxeadas, em decorrência dos ataques e defesas em sua missão.

— Ok, Bryan. Sente-se aqui na maca e vamos começar.

Na pia ao lado de minha mesa, lavei as mãos para poder começar os procedimentos e fiz uma breve prece a Asclépio, invocando o poder do Toque Energético. Um brilho prateado surgiu e toquei a testa do jovem semideus, restaurando logo de início uma parte de sua energia. Como sempre fazia, agora era hora de cuidar das dores, ao que preparei uma infusão de ervas e deixei virar uma pasta grossa antes de aplicar nas áreas arroxeadas e no inchaço atrás da cabeça.

— Esta pasta vai anular a dor dos hematomas, ok? Agora, farei algo pra você beber. — Deixei-o informado e comecei o preparo da primeira poção.

Era a poção vitalícia média, a qual era feita com leite de cabra e gomos de laranja, acrescentando depois tiras de limão siciliano raladas para então mexer rapidamente para ela adquirir a tonalidade esverdeada pálida característica. Para administrar, dei duas sementes de pimenta do reino para Bryan pôr na boca e só então ele pôde tomar a poção.

Verifiquei se ele estava bem e logo pude notar o princípio da recuperação. Sorrindo com o resultado, comecei a fabricar a poção energética média, feita de suco de maçã, amoras em pó e açúcar. Quando esta adquiriu a devida cor arroxeada, dei uma das folhinhas de hortelã para Bryan pôr na boca e coloquei as outras duas na poção. Ele a bebeu e então o levei para os leitos.

Meia hora de descanso depois, período no qual a pomada agia profundamente em seu corpo, verifiquei a saúde do filho de Selene e pude felizmente dar-lhe alta. Pedi que tomasse cuidado nas missões e que sempre viesse à enfermaria assim que voltasse, para que logo estivesse bem de novo. Despedi-me dele e o vi recuperar seu ritmo de atividades logo que deixou a enfermaria. Voltei para dentro e esperei o próximo paciente.

~*~

Adendos:

Poderes utilizados:

DOS CURANDEIROS:
PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2) - Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas vindas curadoras"]

Conhecimento Herbológico (Nível 4) - Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais naturais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”}

Olhar Clínico (Nível 13) - Há uma espécie de lenda urbana que diz “grandes médicos sabem o que o paciente sente apenas de olho”. Pois bem, isso se aplica aos aprendizes, mas de uma forma diferente: ao avistar alguém, consegue “ver” as informações de saúde deste indivíduo (por exemplo, possíveis fraturas, doenças, batimentos cardíacos, oxigenação, vida, energia e situações psicológicas e sociais naturais). Estas informações aparecem em forma de dados e gráficos para o aprendiz, como na tela de um monitor de hospital. Algumas informações, como situações psicológicas e sociais só se aplicam a pessoas que deixarem o curandeiro ter esse conhecimento, o que resume a, normalmente, aliados. Isso faz com que seus diagnósticos agora sejam mais precisos, mas podem ser enganados por meios mágicos e poderes que alterem sua percepção.

ATIVOS:
Toque Energético (Nível 3) - Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Poções Administradas:

Poção Vitalícia Média (Nível 12) - Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

Poção Energética Média (Nível 15) - Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações no perfil:

Bryan T. Stewart: HP/MP Full


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Psiquê em Ter 09 Ago 2016, 09:45




Atualizado!




How fickle my heart and how woozy my eyes, I struggle to find any truth in your lies. And now my heart stumbles on things I don't know, my weakness I feel I must finally show. Lend me your hand and we'll conquer them all but lend me your heart and I'll just let you fall, lend me your eyes I can change what you see, but your soul you must keep totally free
Psiquê
Administradores
Mensagens :
865

Localização :
Castelo maravilhoso do Eros

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Annie I. Murray em Qui 11 Ago 2016, 14:17

Enfermaria
Here i am, one more time



Muita coisa tinha acontecido desde a última vez em que eu estivera ali naquela enfermaria. Treinos pesados, investigações na biblioteca, uma missão secreta que resultou em punição (afinal, saí do acampamento sem permissão), um encontro muito misterioso com um príncipe enigmático e, por fim, a tão esperada reclamação como filha de Poseidon.

Tudo isso tinha me deixado um tanto sem energia. Apesar da extrema vontade de ficar cada vez mais forte, faltavam-me forças para executar simples treinos na arena. Sendo assim, naquele início de tarde logo após o almoço no refeitório, rumei para a área de enfermarias para me consultar com a gentil filha de Íris.

— Sil! Já está por aqui? Preciso de tratamento!

Adentrei o local e, como não vi a curandeira ali pela frente, resolvi esperar até que ela viesse ao meu encontro, já que talvez estivesse atendendo alguém. Quando ela chegou, contei-lhe as coisas mais importantes que me tinham acontecido e que eram responsável pela terrível estafa física que eu vinha sentindo — confesso que mostrei certa euforia ao falar da reclamação e da missão em Atlantis.

Logo eu estava sendo atendida e tratada devidamente. Mal podia esperar para ficar cem por cento outra vez.

~*~


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Annie I. Murray
Filhos de Poseidon
Mensagens :
32

Localização :
Chalé de Poseidon

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Hailey R. Lightwood em Sex 12 Ago 2016, 17:45


Enfermaria
Hmm... Heal?
Hailey praguejou pela centésima vez quando tentou mexer o pulso, enquanto se dirigia até uma enfermaria qualquer. Com certeza estava quebrado, depois de ter sido coagida por aquele estranho homem no seu voo.

A filha de Despina odiava ceder, mas nunca deveria ter saído nessa viagem. Só ganhara um pulso fraturado e muita dor de cabeça, por tê-la batido, apesar de não haver corte. Isto é, além do cansaço que lhe causara. Ela se sentia exaurida e dolorida demais até para ir ao seu próprio chalé.

Logo, a semideusa se viu de frente para uma nova enfermaria que nunca tinha ido. Dando de ombros, entrou no ambiente esverdeado e cheio de música calma. Suspirando pesadamente, se deixou cair em uma cadeira qualquer, esperando o atendimento, já que não tinha outra escolha. Se tinha algo que Roth odiava mais do que ceder era esperar. Felizmente estava praticamente vazio e não demorou para que ouvisse a curandeira chamá-la.

Assim, tratou de explicar tudo para ela nos mínimos detalhes o que sentia.  


?
Hailey R. Lightwood
Filhos de Despina
Mensagens :
58

Localização :
Desconhecida

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Seg 15 Ago 2016, 18:57

Enfermaria da Silvia
Heal the world, make it a better place



Annie I. Murray:

O horário era logo depois do almoço e eu tinha acabado de entrar na enfermaria. Estava organizando algumas fichas de pacientes, analisando prontuários e verificando alguns avanços realizados por meu cultivo de ervas medicinais quando uma conhecida voz chamou por mim de lá da entrada.

—  Sil! Já está por aqui? Preciso de tratamento!

Sempre animada e muito esperta, era fácil saber que era Annie Murray quem me chamava. Foi com um sorriso no rosto que ouvi de outro campista a notícia sobre a tardia reclamação da pequena e desde então eu queria vê-la e parabenizá-la.

— Annie! — Respondi pouco depois, tendo-me demorado alguns minutos apenas para cortar uma amostra de uma das ervas. — Olá, querida! Vem cá!

Não era o protocolo com os pacientes que ali chegavam, mas Annie era-me uma espécie de protegida. Conhecendo-a havia tanto tempo, minha reação ao vê-la ali não podia ser diferente. Finalmente o pai dela tinha uma identidade e simplesmente não podia fazer mais sentido.

Em minha sala, ela me contou tudo o que lhe tinha acontecido nos últimos tempos, claramente vibrante ao contar do reconhecimento de Poseidon, e eu fazia uma avaliação completa com o olhar clínico abençoado de Asclépio. Notei, antes mesmo que ela dissesse, que sua quantidade de energia estava muito abaixo do ideal, principalmente considerando que ela tinha evoluído ainda mais como semideusa.

A primeira coisa que fiz foi uma oração a Asclépio, fazendo minhas mãos adquirirem um brilho prateado, e toquei as laterais da cabeça da pequena semideusa a fim de fazê-la recuperar logo de início uma parte de sua energia histamínica. Depois era hora de mais uma prece ao patrono, mas agora o brilho em minhas mãos era dourado, e o toque serviu para recuperar parte de sua energia vital.

Comecei, então, a fabricação da poção vitalícia média com as tiras de limão siciliano raladas, o leite de cabra e os gomos de laranja, mexendo rapidamente para ela adquirir a tonalidade esverdeada pálida característica. Dei duas sementes de pimenta do reino para Annie pôr na boca e dei a ela a poção. Por fim, fabriquei a poção energética média, feita de suco de maçã, amoras em pó e açúcar. Quando esta adquiriu sua cor arroxeada, dei uma das folhinhas de hortelã para a pequena semideusa pôr na boca e coloquei outras duas na poção e a administrei.

Cinco minutos depois, ela já estava recuperada e pude dispensá-la, mas não a deixei ir de mãos abanando. Por seu aniversário ter sido na sexta-feira, assim como o meu, dei-lhe um lírio na cor verde que vinha cultivando. Era o menor, mas o mais forte, e a cor era clássica de seu pai. Assim, com o presente, vi-a sair e então chamei a próxima paciente, que já aguardava por ali.

* * *

Hailey R. Lightwood:

— Próxima, por favor. Por aqui. — Chamei e sorri educadamente, fazendo com que Hailey Lightwood já se sentisse mais aberta ao tratamento.

Logo que ela entrou em minha sala pude notar que seu maior incômodo era o pulso, machucado a ponto de não conseguir mexer, também apresentava um grande cansaço e sua cabeça basicamente gritava para que eu socorresse. Assim, ouvi atentamente ao que a semideusa me relatava ao mesmo tempo em que já começava a triturar algumas ervas no pilão para fazer um bálsamo analgésico. Apliquei uma boa parte em seu pulso e o restante lugar onde ela tinha batido com a cabeça, então parti para a outra parte do tratamento.

Preparei as mesmas poções que administrei à Annie momentos antes. Para a primeira, misturei vinte gramas de amora em pó numa medida de duas xícaras de suco de maçã e, quando adquiriu a coloração roxa correta, dei uma folhinha de hortelã para que Hailey pusesse na boca e coloquei as outras duas necessárias na própria poção, para que ela a bebesse.

Logo em seguida comecei a segunda poção. Ralei dez gramas de casca de limão siciliano e misturei trinta gomos de laranja em um copo de leite de cabra por um minuto, misturei rapidamente para dar o tom esverdeado e dei à garota duas sementes de pimenta do reino para então ministrar a poção.

O resultado para ela demorou um pouco mais, devido ao pulso estar sendo ainda curado pelo bálsamo de propriedades curativas mágicas. Pedi que ela ficasse em um dos quartos de observação por cerca de meia hora e pude dar-lhe alta assim que verifiquei a completa recuperação dos ossos fraturados. Recomendei-lhe que o mantivesse em repouso durante o restante daquele dia apenas por cuidado, nada de treinos ou esforços, mas que no dia seguinte estaria cem por cento novamente. Despedi-me dela e vi-a deixar a enfermaria curada.

~*~

Adendos:

Poderes utilizados:

DOS CURANDEIROS:
PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2) - Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas vindas curadoras"]

Conhecimento Herbológico (Nível 4) - Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais naturais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”}

Olhar Clínico (Nível 13) - Há uma espécie de lenda urbana que diz “grandes médicos sabem o que o paciente sente apenas de olho”. Pois bem, isso se aplica aos aprendizes, mas de uma forma diferente: ao avistar alguém, consegue “ver” as informações de saúde deste indivíduo (por exemplo, possíveis fraturas, doenças, batimentos cardíacos, oxigenação, vida, energia e situações psicológicas e sociais naturais). Estas informações aparecem em forma de dados e gráficos para o aprendiz, como na tela de um monitor de hospital. Algumas informações, como situações psicológicas e sociais só se aplicam a pessoas que deixarem o curandeiro ter esse conhecimento, o que resume a, normalmente, aliados. Isso faz com que seus diagnósticos agora sejam mais precisos, mas podem ser enganados por meios mágicos e poderes que alterem sua percepção.

ATIVOS:
Curar ferimentos (Nível 1)
Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração dourada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do HP do alvo com o toque direto. A cura será equivalente ao custo de Mp deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo de cura = 4). Pode ser utilizado sobre si mesmo. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Toque Energético (Nível 3) - Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Poções Administradas:

Poção Vitalícia Média (Nível 12) - Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

Poção Energética Média (Nível 15) - Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações nos perfis:

Annie I. Murray: Full HP/MP
Hailey R. Lightwood: Full HP/MP


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Psiquê em Sab 20 Ago 2016, 23:05




Atualizado!




How fickle my heart and how woozy my eyes, I struggle to find any truth in your lies. And now my heart stumbles on things I don't know, my weakness I feel I must finally show. Lend me your hand and we'll conquer them all but lend me your heart and I'll just let you fall, lend me your eyes I can change what you see, but your soul you must keep totally free
Psiquê
Administradores
Mensagens :
865

Localização :
Castelo maravilhoso do Eros

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Isobel em Sab 17 Set 2016, 01:28



Adormecida



Jake estava pronto para pegar seu cavalo e ir embora para Ohio buscar mais um dos muitos semideuses que ele era famoso por resgatar. Jake é um sátiro alto, moreno e forte. Mas apesar disso tudo tem uma sensibilidade impressionante quando o assunto é arte. Seja ela qual for. Por ter a personalidade sensível, aliada a fama e aparência atraentes ele chamava atenção de muitas dríades que disputavam arduamente por sua atenção e afeto. Mas para a infelicidade delas ele não ligava para essas coisas.

Não, até ele ver Isobel, adormecida sobre a grama em um ponto próximo ao estábulo. Aquela criatura era tão encantadora aos olhos de Jake que pra ele nada mais importava se não admirar mesmo que por alguns instantes a beleza jovial e atemporal da dríade.

Ele se aproximou e logo percebeu que alguma coisa não estava bem. Apesar de bela, a expressão da jovem adormecida não era de calma, era como se ela estivesse em um eterno pesadelo. E a expressão no rosto dela era tão vivida, que imediatamente ele pode sentir todo o desespero que ela sentia em seu sonho. Numa tentativa de salvá-la de todo esse sofrimento, Jake com toda a delicadeza toca em seu ombro. Vendo que a jovem ainda assim não acordou, ele a aperta com mais firmeza, depois de novo. Até perceber que ele nada poderia fazer.

Como se flechado por Eros neste momento, Jake percebeu que ele estava diante do grande amor de sua vida, e num ato mais que desesperado começou a chorar de nervosismo, sem saber o que fazer. Ele não queria que tudo acontecesse assim, não queria terminar uma história que nem ao menos tinha começado. Mas ele tinha que ser forte, tinha que ser frio neste momento e pensar no que seria melhor fazer agora. Ele recordou de que conhecia uma curandeira que também era filha de Íris. Talvez ela fosse a melhor pessoa para poder acordar a tão doce e bela dríade, que neste momento já estava em seus braços.

Correndo o máximo que ele podia e mantendo o cuidado com criatura tão frágil, ele foi para a ala das enfermarias procurar a salvadora, não só da vida da dríade, mas também da sua. A paixão era tão avassaladora e tão forte, que Afrodite daria forças para que esse amor acontecesse. Ele tinha certeza de que ela o amaria assim que  visse.

Ele chegou tão nervoso a enfermaria, que sentia seus braços tremerem. Sua voz saia também trêmula, e um fundo de medo e angústia saia dessa voz. Lágrimas corriam livremente do rosto dele, e de tão nervoso só pode dizer:

— Ela não acorda...


thanks juuub's @ cp!  
Isobel
Dríades
Mensagens :
67

Localização :
Floresta

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Silvia Kawasaki em Seg 19 Set 2016, 19:04

Rehab For a Friend
When your mission is to heal



Não imaginava que aquele dia me traria tamanha surpresa. Enquanto eu fazia anotações no prontuário do tratamento de Will Traynor, meu paciente do chalé de Hefesto, um casal diferente de todos os pacientes que já tinham passado por ali se aproximava.

Levantei a cabeça ao ouvir a voz trêmula, claramente misturada a lágrimas, que pedia por socorro para alguém ao mesmo tempo em que me contava qual era o principal problema:

— Ela não acorda...

Guardei a ficha de Will Traynor na gaveta e saltei de minha poltrona rapidamente até o jovem e elegante sátiro que carregava uma linda dríade em seus braços. As lágrimas que corriam por seu rosto facilmente me mostraram que ela era importante para ele, embora eu não pudesse saber exatamente de que forma.

Abri passagem para que ele se dirigisse com ela para o consultório e o ajudei a deitá-la confortavelmente na maca. Após alguns exames de reflexo, constatei o que já suspeitava: a jovem estava em um coma energético, totalmente apagada. Seus batimentos estavam normais, mas seus sentidos a haviam abandonado.

Iniciei no mesmo momento uma oração ao meu patrono e a fabricação de uma poção energética média para dar a ela assim que a acordasse. Separei a dosagem de suco de maçã, as amoras em pó e o açúcar, misturando-os conforme a receita já tão conhecida orientava. Quando a poção adquiriu sua cor arroxeada, reservei uma das folhinhas de hortelã para a dríade pôr na boca e coloquei outras duas na poção.

Era necessário acordá-la primeiro, contudo, e para isso precisei de uma nova prece, fazendo com que minhas mãos tomassem a forma e a coloração da eletricidade. Respirei fundo e pedi para que o sátiro aflito se afastasse antes de pousar as mãos sobre o tórax da jovem e realizar a desfibrilação energética.

A dríade acordou com um mínimo de energia e, portanto, realizei uma nova prece antes de tocar-lhe as têmporas e conferir mais uma parcela de energia a ela. Seu olhar era confuso, como se estivesse acordando de um sono de séculos sem saber, obviamente, onde estava.

— Acalme-se. Eu sou Silvia, sou curandeira do Acampamento Meio-Sangue. Este jovem sátiro a trouxe para cá e está bastante preocupado com você. Mas fique tranquila, vai ficar tudo bem. Aqui, beba.

Dei a ela a folhinha de hortelã e a poção roxa, auxiliando-a para se sentar e beber. Com a possibilidade de que ela sentisse dor de cabeça devido ao súbito despertar, deixei pronta uma infusão analgésica e a levei para a ala de leitos, onde a deixei descansando e sob os olhares cuidadosos do sátiro preocupado.

Logo ela estaria bem, eu sabia. Silenciosamente dei graças a Asclépio por me capacitar, jamais tinha cuidado de uma dríade antes, mas sua fisiologia diferia pouco da fisiologia humana. Pelo menos no que diz respeito às reações às poções.

Acabei por saber que os nomes de meus curiosos visitantes eram Jake e Isobel e percebi que eles tinham muitos assuntos a conversar. A dríade foi liberada cerca de 45 minutos depois de ser levada para o leito. Estava bem melhor e poderia chegar bem à sua árvore. Recomendei a Jake que cuidasse muito bem dela e não permitisse que ela se esforçasse durante o restante daquele dia. Despedi-me deles com um sorriso satisfeito.

~*~

Adendos:

Ao avaliador:

A DIY foi feita após autorização da adm Psiquê, que aceitou o formato como forma de exercitar minhas habilidades como curandeira.

Poderes utilizados:

PASSIVOS:
Conforto Restaurador (Nível 2)
- Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas vindas curadoras"]

Conhecimento Herbológico (Nível 4) - Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais naturais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”}

Conhecimento anatômico (Humanoides)(Nível 9) - Qualquer curandeiro tem grande conhecimento sobre a anatomia do corpo humano e por isso, eles sabem com perfeição qual é o melhor local para inserir uma injeção ou medicamento para que haja mais efeito no mesmo, como também sabe os locais exatos para acertar durante um golpe para causar mais dano. Isso faz com que seus golpes tenham um dano adicional de 10% em um ataque planejado - um contra-golpe instintivo não se beneficiaria pois não teria a intenção de atingir um ponto específico. Válido para humanos e seres com anatomia semelhante. [Modificado]

ATIVOS:
Toque Energético (Nível 3) -
Após fazer uma pequena e rápida oração ao seu mestre Asclépio, as mãos do Curandeiro serão tomadas por uma luminosidade de fraca coloração prateada, permitindo com que o usuário recupere uma parte do MP do alvo com o toque direto. A restauração será equivalente ao custo de MP deste poder x 1/2 do nível do curandeiro, arredondado para baixo (mínimo 1). Não pode ser utilizado sobre si mesmo. Para fins de gasto de MP e cálculo de recuperação, é considerado um poder nível 1. Uso livre na enfermaria, mas limitado a 1 uso por aliado a cada combate enfrentado. Custo base a ser multiplicado pelo nível = 4 de MP.[Modificado]

Desfibrilador Energético (Nível 13) - As mãos do aprendiz de Asclépio são envolvidas por uma energia com o formato e cor semelhante ao da eletricidade, desferindo essa energia diretamente contra o peito do alvo, podendo reacordar o mesmo se ele estiver desmaiado. Coma ocasionado por perda total de EP pode ser revertida, mas o alvo acordará como se tivesse apenas 1% de sua EP (aumenta para 5% no nível 33). Pode ser usada uma vez por alvo em cada ocasião, e apenas em alvos em coma por perda de energia. Não provoca danos. Não restaura HP, nem revive alguém morto. Gasto grande de energia. [Novo]

Poções administradas:

Poção Energética Média (Nível 15) - Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.

Atualizações nos perfis:

Isobel - MP Full (HP já estava completo)


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Silvia Kawasaki
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
324

Localização :
Chalé de Íris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Samantha Johnson em Qua 28 Set 2016, 18:16

A Cura
Se eu tivesse a força que você pensa que eu tenho...
Dores e mais dores...
Temores e mais amores
Sam (ou Sammy para os amigos) pensava que estava visitando a enfermaria muito frequentemente para quem quase não saia do acampamento.

- Sil! - chegou nas intimidades com a curandeira - Você não vai acreditar no que eu sei fazer. Olha, olha!

Pressionando as têmporas, a garota tempo erguer algum objeto próximo, parecia colocar todas suas forças naquilo, mas não deu em nada.

- Juro que consigo, é que precisa de concentração. E andei treinando muito, fiquei com enxaqueca. Além disso, meu pé bugou. Fui chutar uma pedra e ele 'tá' doendo até agora.

Com um sorriso amarelo na boca finalizou a explicação.
A semideusa, pequenina, queria se curar
All Rights Reserved for Belladona
Samantha Johnson
Filhos de Athena
Mensagens :
138

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: .:: Enfermaria da Silvia ::.

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 00:22

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum