Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

{Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Jonas W. Harris em Sex 16 Set 2016, 18:37


Son of... Witch?


Bruce voltava exausto de um rotineiro treino contra monstros na arena e caminhava em direção ao chalé V, porém foi interrompido por um semideus que aparentava ser uns dois anos mais jovem que Chandler. Este se identificou como filho de Hades.

-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

♈ Pontos Obrigatórios:

♈ Narre seu dia, e principalmente o treino, mesmo que de forma direta. Escolha um monstro e explique como o derrotou. Faça-o de forma simples, em um treino conjunto;
♈ Trave um diálogo com a prole de Hades, onde este dirá que Quíron deseja vê-lo. Questione-o, interrogue-o, não acredite logo de cara, mas quando decidir ir para a Casa Grande, será seguido pelo garotinho;
♈ Encontre Quíron na varanda da Casa Grande, e este não aparentará estar de bom humor. Comece uma conversa, e finalize no momento em que ele dizer que tem uma missão para você.

♈ Pontos Extras:

♈ Missão Narrada Externa Mediana para Bruce Chandler;
♈ Local: Acampamento Meio-Sangue;
♈ Horário: 15:30;
♈ Clima: Nuvens carregadas com um leve indício de chuva; 24º C;
♈ Coloque as armas levadas em code ou spoiler ao final do texto. O mesmo deverá ser feito com os poderes, separando-os em ativos e passivos;
♈ Evite usar templates com barrinhas ou muito estreito, e muito menos cores cegantes;
♈ Prazo para a postagem: 7 dias. Caso necessite de mais tempo, contate-me via MP.
♈ Dúvidas, reclamações ou afins, estou disponível via MP;
♈ Boa sorte, e surpreenda-me.
Jonas W. Harris
Filhos de Ares
Mensagens :
452

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Bruce Chandler em Seg 19 Set 2016, 17:18

Son of... Witch?
Missão Narrada Externa Média



— Vamos, Steve, seu frouxo! — Grito para meu melhor amigo enquanto tenta se levantar do chão.

O maldito cão infernal mostrava-se um oponente muito mais forte do que imaginávamos e, em alguns momentos, a arena do Acampamento Meio-Sangue parecia pequena demais para aquela batalha tão difícil. Steve, filho de Héracles, levantou-se e juntos atacamos a fera outra vez, mas o monstro ficava cada vez mais enfurecido.

Como buscávamos treinar força e agilidade, tínhamos optado por adiar ao máximo o uso de outros poderes contra o cão infernal, mas agora já não havia mais escolha. Steve e eu estávamos cansados demais e começávamos a correr riscos desnecessários. Assim, resolvi deixar-me levar pela fúria dos filhos de Ares e meu amigo fez o mesmo ao permitir-se ser tomado pela fúria dos filhos de Héracles.

Acertamos sequências rápidas e muito mais fortes no monstro, Steve deixando a clava de lado e lutando com os próprios punhos, que lhe conferiam força de bronze sagrado, e eu manejando habilidosamente a lança Wrath até conseguir, enfim, enterrá-la na lateral do pescoço do cão infernal, transformando-o em pó de monstro.

— Quando decidirmos treinar força... vamos lembrar de escolher um monstro menos tinhoso! — Steve ofegou, caindo deitado no chão da arena.

— Desse jeito me faz acreditar que está enfraquecendo, filho de Héracles — provoquei e joguei a ele o cantil, tomando do meu em seguida.

A água gelada correndo por minha garganta recuperava parte do meu fôlego e me conferia certa renovação de energia. Depois de uns longos minutos sentado num banco de madeira, consegui me levantar para poder me dirigir ao chalé V e tomar um bom banho. Steve desviou da rota para ir torrar a paciência de algumas filhas de Afrodite e acabei por seguir o caminho sozinho.

O sol estivera escaldante durante a manhã — Apolo devia estar animado, por mais que fosse outono no restante do mundo —, mas agora à tarde algumas nuvens se formavam no céu, indicando que talvez fosse chover do lado de fora da redoma mágica do refúgio. De um lado a outro que se olhasse era possível ver campistas eram vistos treinando ou indo para seus chalés depois de algum exercício exaustivo. Era o meu caso.

Infelizmente, porém, fui parado no meio do caminho. Um garoto esquisito que devia ser um pouco mais novo que eu se aproximou, trazendo consigo aquela incômoda aura de morte e desejo de suicídio que todos os filhos de Hades carregam. Sua voz era calma de um jeito um tanto sombrio quando se apresentou:

— Boa tarde, você é Bruce Chandler, certo? Eu sou filho de Hades.

— Oi, filho de Hades. Sim, sou eu. O que você quer? — Perguntei já desconfiado.

Entenda: quando se é um filho de Ares, todos desconfiam de você e querem se vingar por algo que você com certeza aprontou e nem se lembra. Filhos de Hades, pelo que eu sabia, eram calados e não falavam muito com os outros. Para um deles estar vindo atrás de mim deveria ter algum motivo bem contundente.

— Quíron pediu para chamá-lo à Casa Grande. Ele deseja vê-lo.

— E por quê? Qual motivo ele tem para me chamar? — Olhei diretamente nos olhos dele, por mais que fosse algo muito incômodo, para intimidá-lo. Se estivesse com algum plano contra mim, não conseguiria esconder.

— Não sei. Mas ele parecia preocupado — ele respondeu, sem tirar os olhos dos meus.

Pronto... Já fiz alguma besteira..., pensei comigo mesmo. Suspirei fundo e murmurei um "ok" para o filho do chalé XIII, optando por acreditar nele, e rumei direto para a sede administrativa do acampamento e morada do diretor centauro, lamentando terrivelmente que meu banho gelado precisasse ser adiado.

O garoto me seguiu durante todo o caminho e pode apostar que não é legal ter um filho da morte na sua cola enquanto você caminha até o centauro mais poderoso da História. Avistei Quíron na varanda e subi os degraus de entrada, percebendo a expressão grave do híbrido e que algo muito ruim poderia estar a caminho.

— Me chamou, diretor?

— Bruce, boa tarde. Fico feliz que tenha vindo logo.

Olhei para o filho de Hades que não saía da minha sombra e de volta para o centauro.

— Estamos com algum problema? — Arrisquei, esperando que ele não dissesse que o problema era eu ou algo que eu tenha feito.

— Na verdade estamos, sim. Preciso que saia em uma missão, Bruce Chandler. Está pronto para voltar ao mundo?

Mal consegui acreditar que ouvi aquelas palavras. Desde minha chegada ao acampamento, jamais tinha voltado ao exterior. Estava louco para mostrar-me um verdadeiro filho da guerra e provar meu valor para meus irmãos. Não pestanejei em momento algum.

— Estou pronto, senhor.

Adendos:

Poderes utilizados:

ATIVOS:
Fúria [Nível 01] -
Ares nunca foi famoso pela calma ou paciência e, quando em batalha, deixa-se levar pelo espírito de combate. O mesmo ocorre com seus filhos. Ao ativar este poder, o semideus entra em um estado parcial de fúria - ele ainda pode diferenciar amigos de inimigos, e sua mente fica focada em combate, de modo que poderes mentais contra eles são reduzidos em 10%. Contudo, isso faz com que poderes que exijam calma e concentração ou mesmo foco detalhado não possam ser ativados/ utilizados. Por outro lado, lhes fornece uma bonificação de dano de 25%, desde que em ataques corporais (seja com ou sem armas) por três rodadas (considerando apenas dano base, não proveniente de poderes, elementos e afins que a arma possua). Não modifica a chance de acerto, contudo. 1 vez por combate. [Modificado, antigo "Agressividade e selvageria]

Armas levadas:

{Wrath} / Lança de artilharia [Lança longa, de 2m de comprimento. O cabo é feito de mogno, recoberto em bronze sagrado, sendo resistente porém mais leve que uma lança comum. A ponta é de bronze sagrado. Em toda sua extensão pontos avermelhados podem ser vistos: são engastes em rubi, decorando o cabo.] {Bronze sagrado, mogno e rubi} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]

{Stunt} / Escudo [Escudo circular feito de metal com uma cabeça de javali esculpida em seu centro. Banhado em bronze, este fica em um tom avermelhado quando usado em batalha, representando sua segunda camada de bronze sagrado. Transforma-se em uma braçadeira de spikes no nível 20.] {Bronze sagrado (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bruce Chandler
Filhos de Ares
Mensagens :
24

Localização :
Acampamento Meio-Sangue - Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Jonas W. Harris em Qui 22 Set 2016, 00:11


Son of... Witch?


A prole de Ares ficou surpresa ao saber que tinha sido o escolhido para executar o resgate de um semideus. Imaginou ser uma tarefa simples, até descobrir que este se encontrava no Hawaii, e ainda deveria levar o filho de Hades como ajudante na missão. Tudo começara a desencaminhar.

-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

♈ Pontos Obrigatórios:

♈ Sinta-se livre em narrar o diálogo com Quíron, desde que contenha as informações expostas na introdução;
♈ Você deve tentar por todas as vias possíveis convencer o velho centauro que levar o Filho de Hades é um erro, mas esse não irá aceitar;
♈ Saia da Casa Grande e dirija-se para seu chalé, onde perceberá ainda estar sendo seguido. Brigue com o garoto, e mande-o arrumar as coisas dele. Faça o mesmo.
♈ Vocês se encontrarão novamente no topo da colina, onde a van do acampamento levará ambos para Nova York. Encerre o post narrando a entrada de vocês no automóvel.

♈ Pontos Extras:

♈ Missão Narrada Externa Mediana para Bruce Chandler;
♈ Local: Acampamento Meio-Sangue;
♈ Horário: 15:50;
♈ NPC’s: Filho de Hades (nível: 3 | 100/100 HP/MP)
♈ Clima: Nuvens carregadas com um leve indício de chuva; 23º C;
♈ Coloque as armas levadas em code ou spoiler ao final do texto. O mesmo deverá ser feito com os poderes, separando-os em ativos e passivos;
♈ Evite usar templates com barrinhas ou muito estreito, e muito menos cores cegantes;
♈ Prazo para a postagem: 7 dias. Caso necessite de mais tempo, contate-me via MP.
♈ Dúvidas, reclamações ou afins, estou disponível via MP;
♈ Boa sorte, e surpreenda-me.
Jonas W. Harris
Filhos de Ares
Mensagens :
452

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Bruce Chandler em Qui 22 Set 2016, 11:25

Son of... Witch?
Missão Narrada Externa Média



— Sentem-se — indicou Quíron e tomei meu assento em uma poltrona de frente para ele. Para minha completa falta de alegria, o filho de Hades veio se sentar ao meu lado.

Entenda, filhos de Hades geralmente causam esse tipo de sensação em qualquer pessoa, essa vontade de se afastar. Mas havia algo naquele moleque que me tirava do sério completamente. Não sei se era seu jeito abobalhado de ficar o tempo todo calado e querendo se misturar às sombras, mais especificamente à minha sombra, ou a petulância que ele tinha ao olhar para mim. Eu odiava gente que me encarava com petulância.

Enquanto eu destilava ódio pelo garoto que mal conhecia em uma área secundária do meu cérebro, foquei a área principal nas palavras do centauro que nos falava. Quíron apresentava para mim algo que parecia ser bastante simples de executar e que muitos semideuses idealistas e loucos pelos deuses sonhavam em fazer:

— Sua missão é resgatar um semideus, Bruce... — ele iniciou e eu, em toda a minha pressa e explosividade, estava a ponto de dar de ombros e bradar que já "estava no papo" quando o velho homem continuou: —... no Havaí.

Não é comum me deixar sem palavras. Na verdade, só existe uma pessoa no mundo que consegue me emudecer na hora que quer, mas Quíron conseguiu copiar o feito. Havaí? Eu, que nunca tinha estado fora do acampamento desde minha chegada, iria atravessar o país, passar os limites dele e aterrissar numa ilha no meio do Pacífico?

Ah, como eu adoro desafios! Um pouquinho de dificuldade não faz mal a ninguém. Seria bom ir até tão longe, dar uma olhadinha em uma cultura diferente e tão famosa, ainda que não pudesse conhecê-la de fato. Comecei a ficar curioso sobre quem seria o semideus, o nome dele, idade, estava começando a gostar do que vinha até Quíron dar a fatídica notícia:

— E seu parceiro de missão é o jovem Nathaniel, aqui — ele disse, apontando diretamente para meu stalker do chalé XIII.

— QUÊ?? Quíron... ele?! Por que ele? Eu nem sequer o conheço!

Quíron ergueu as sobrancelhas, bastante intrigado com a minha reação. Qualquer um ficaria, considerando que eu já odiava o garoto sem nem mesmo saber quem ele era. Mesmo assim, aquela sensação estranha que ele me causava já era suficiente para me fazer perder as estribeiras!

— Creio que será uma excelente oportunidade para vocês socializarem e descobrirem que podem ser grandes amigos.

Só podia ser brincadeira de mal gosto. Quíron sabia muito bem quem era meu único amigo.

— Por que não pode ser o Steve?

— Porque Nathaniel tem o direito à missão, não o Steve. Não sou eu quem faz as tramas das Parcas, Bruce, sou apenas o canal. E você está começando a ser indelicado com seu colega.

Ele sabia exatamente como dar uma bronca sem precisar ser rude, mas o tal Nathaniel simplesmente não esboçava reação! Maldito seja! Estava explodindo por dentro de tamanha agonia que aquele garoto me causava e eu não entendia a razão disso. Para ser bem honesto, eu estava torcendo para que ele se revelasse um monstro disfarçado. Adoraria trucidá-lo!

Quíron não cedeu. O filho de Hades seria realmente minha companhia e nada que eu fizesse mudaria isso. Por fim, vi-me obrigado a aceitar e, pedindo licença, deixei a varanda da Casa Grande para ir em direção aos chalés. Queria tomar um banho gelado, preparar meu espírito, arrumar minhas coisas e...

— Está me seguindo? Moleque, já basta ter de sair em missão com você! Seu chalé é pra lá! — Apontei na direção da sombria construção de número XIII. — Vá arrumar suas coisas! Está me seguindo mais que minha própria sombra! Suma da minha frente antes que lhe deixe pranchado nesse maldito pátio!

Disparei em direção ao rubro chalé de Ares, ignorando os olhos do time de vôlei do chalé de Dionísio que se encaminhava para a quadra. Rumei para o chuveiro depois de pegar qualquer combinação de roupa e deixei a água fria cair sobre meu corpo por alguns poucos minutos que ainda me sobravam de paz.

Ao fim do rápido banho, saí do banheiro trajando meu velho jeans e com os cabelos ainda pingando, mas a cabeça bem menos estressada do que estava antes. Quase tive um treco quando avistei Steve deitado em minha cama lendo um dos meus gibis de super heróis.

— Me traindo com o filho de Hades, seu canalha?

Fitei seus olhos com absoluta indignação por me fazer lembrar do capetinha que seria meu parceiro de missão.

— Você sabe muito bem que é o único em meu coração, Steve — rebati e, em menos de um segundo, desatamos a rir.

Ele se sentou e me coloquei ao seu lado, vestindo uma camisa vermelha com a figura do Hulk urrando de raiva por algum motivo. Peguei um pouco de gel e o esfreguei nos cabelos, deixando-os completamente arrepiados e rebeldes. Excelente.

— Soube que é missão externa. Vai pra onde?

— Havaí. Hula-hula! — Brinquei, suspirando fundo. — Vou resgatar um semideus. Ainda não tenho os dados dele, mas devo receber daqui a pouco, quando formos sair.

Arrumei minha mochila com a ajuda de Steve, que tagarelava sobre sua mais recente conquista no chalé de Atena. Como uma filha da deusa da sabedoria se permitia cair nas cantadas de Steve Johnson eu não fazia ideia, mas eu não duvidava do feito. Steve conseguia quem ele quisesse, nunca entendo que diabo de magia era essa.

Saímos do chalé e ele me acompanhou até a base interna da Colina Meio-Sangue, onde, para minha surpresa, Nathaniel já me esperava. Cheguei a pensar que ele estaria à porta do meu chalé à minha espera, mas acabei sendo surpreendido.

— Boa sorte, loirinho — disse Steve, enquanto me puxava para um abraço caloroso, prontamente correspondido por mim. — Salve o semideus, mas demore bastante para eu aproveitar suas meninas por aqui!

— Não engravide nenhuma, por tudo que lhe é mais sagrado! Nenhuma criança merece você como pai!

— Cala essa boca! Se manda! Vaza!

Ele me empurrou para longe e, rindo, acenei em despedida para encontrar Nathaniel no alto, ao lado do Pinheiro de Thalia. Argos já estava com a van do acampamento ligada e de porta lateral aberta, apenas esperando por nós. Conferi meus itens novamente na mochila (roupa extra, comida, gibis para ler no avião... será que iríamos de avião?) e minha fiel dupla de armas: Wrath e Stunt. Entramos na van e fechei a porta. Hora de partir!

Adendos:

Poderes utilizados:

Sem poderes neste turno.

Armas levadas:

{Wrath} / Lança de artilharia [Lança longa, de 2m de comprimento. O cabo é feito de mogno, recoberto em bronze sagrado, sendo resistente porém mais leve que uma lança comum. A ponta é de bronze sagrado. Em toda sua extensão pontos avermelhados podem ser vistos: são engastes em rubi, decorando o cabo.] {Bronze sagrado, mogno e rubi} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]

{Stunt} / Escudo [Escudo circular feito de metal com uma cabeça de javali esculpida em seu centro. Banhado em bronze, este fica em um tom avermelhado quando usado em batalha, representando sua segunda camada de bronze sagrado. Transforma-se em uma braçadeira de spikes no nível 20.] {Bronze sagrado (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bruce Chandler
Filhos de Ares
Mensagens :
24

Localização :
Acampamento Meio-Sangue - Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Jonas W. Harris em Qui 22 Set 2016, 20:01


Son of... Witch?


– Quí... Quíron me passou as informações sobre o semideus. – disse a Prole de Hades enquanto entregava um papel para Bruce.
O filho da Guerra analisou atentamente as informações, vendo que se tratava de uma garota. Dusty Rose. Ele traria aquela menina para o acampamento, custe o que custar.

-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

♈ Pontos Obrigatórios:

♈ Descreva a viagem até Nova York, e sinta-se livre em narrar alguma situação específica (uma paisagem diferente, um diálogo, ou simplesmente dormir);
♈ Argos os deixará no Central Park, onde estará tudo muito movimentado, como de costume;
♈ Após caminhar por bastante tempo sem nem ideia de como fariam para chegar no Hawaii, vocês encontrarão um caminhão frigorífico com placa de San Francisco, cogite como sendo a melhor opção encontrada até então e entre na câmara fria, que estará cheia de carnes;
♈ Narre a aceleração do caminhão, e arrume um canto limpo e seco onde tanto você quanto Nathaniel possam sentar;
♈ Você irá cochilar, e fica a seu critério qual o sonho (pode ser algo relacionado à sua trama ou não), e acordará com uma parada brusca do veículo, encerre seu post nesse ponto;
♈ Sinta-se à vontade para acrescentar diálogos com o filho de Hades, mas ainda não amoleça em relação ao seu “ódio gratuito”.

♈ Pontos Extras:

♈ Missão Narrada Externa Mediana para Bruce Chandler;
♈ Local: Baú de um caminhão frigorífico;
♈ Horário: 17:00;
♈ NPC’s: Filho de Hades (nível: 3 | 100/100 HP/MP)
♈ Clima: Sol baixo e poente; 24º C (lado externo), 12º C (câmara fria);
♈ Coloque as armas levadas em code ou spoiler ao final do texto. O mesmo deverá ser feito com os poderes, separando-os em ativos e passivos;
♈ Evite usar templates com barrinhas ou muito estreito, e muito menos cores cegantes;
♈ Prazo para a postagem: 7 dias. Caso necessite de mais tempo, contate-me via MP.
♈ Dúvidas, reclamações ou afins, estou disponível via MP;
♈ Boa sorte, e surpreenda-me.
Jonas W. Harris
Filhos de Ares
Mensagens :
452

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Bruce Chandler em Sex 23 Set 2016, 11:06

Son of... Witch?
Missão Narrada Externa Média



O caminho para sair de Long Island até chegar em Nova Iorque era um pouco longo, então aproveitei para me recostar à lateral da van e esticar as pernas preguiçosamente sobre dois assentos. Nathaniel parecia nervoso, observei, como se precisasse ou, mais provavelmente, apenas quisesse tagarelar sobre alguma coisa e estivesse sem coragem. Até que, por fim, ele resolveu abrir a boca:

— Quí... Quíron me passou as informações sobre o semideus — ele tirou um envelope da mochila e me entregou.

Tirei de dentro do envelope um papel com os dados de uma garota, Dusty Rose, e uma foto a fim de que a reconhecêssemos. Então você é a minha missão... Ótimo. Vamos trazê-la para casa. Entreguei o envelope novamente ao filho de Hades, que o guardou.

Demorei a perceber que enquanto eu tentava fechar os olhos e curtir o balanço do carro, Nathaniel me olhava com uma curiosidade incômoda. Abrir os olhos e dar de cara com um filho da morte te avaliando não é nada legal, pode apostar!

— Que é? — perguntei, seco.

— N-Nada! — Ele corou, mas, ao invés de aproveitar para ficar calado, continuou a falar: — Qual o nome da sua mãe? Onde ela mora?

Juro que quis atirar o garoto do veículo ainda em movimento. Sério, eu perguntei ao Argos se podia abrir a porta e atirá-lo para fora! Dentre todas as malditas perguntas que aquele pirralho podia fazer, duas eram tabus. Duas. E ele fez justamente uma delas.

Por fim, depois de Argos apenas rir do meu acesso de fúria e dizer apenas "Nem pense nisso!", vi-me obrigado a dizer alguma coisa. A voz de Quíron ecoando em meus ouvidos e dizendo que eu bancava o indelicado me atormentava o juízo!

— Minha mãe se chama Lily Chandler. E mora no Mundo Inferior, não sei em qual dos campos. Satisfeito? — Ele pareceu satisfeito... por cinco minutos.

Tudo bem, o garoto estava tentando formar alguma ligação, talvez tentando seguir um conselho do diretor e tentando fazer amizade comigo. Mas eu não faço amizades com ninguém! Somente Steve é meu amigo e está de bom tamanho. Não quero ter afeição por pessoas e depois vê-las morrendo graças a alguma peripécia dos deuses. Já bastava o fato de nem ter conhecido a minha mãe e o risco de perder o filho de Héracles.

— Você tem namorada?

— Não.

— É legal ter uma namorada?

— Não sei, eu não tenho.

— Mas já teve?

— Claro. O nome dela é Beyoncé!

Nathaniel riu. Simplesmente riu da minha resposta irônica e eu não conseguia acreditar naquele garoto! Quantos anos teria? 12? Não, aquela garotinha do chalé de Poseidon, Annie Murray, tem 11 e não age desse jeito. Nunca vi um sombrio filho de Hades ser tão feliz e tagarela.

Acabei decidindo por ignorar a loucura daquela situação e responder-lhe apenas em monossílabos. Quando finalmente chegamos à cidade, fomos deixados no Central Park! Isso aí, amigo, nada de viagem de avião custeada pelo acampamento.

Nathaniel e eu perambulamos por ali durante um longo, longo tempo. Hesitei em pegar comida na mochila, pois a viagem até o Havaí seria muito mais longa, então controlei minha fome tomando água e enchendo o cantil não sei quantas vezes nos bebedouros do parque.

Foi depois de caminharmos muito que o filho de Hades apontou para um caminhão frigorífico com placa indicando São Francisco. Puxando as ridículas aulas de Geografia que eu tivera nos reformatórios pela memória, lembrei-me que a cidade fica a sudoeste do país, o mais perto possível que poderíamos chegar do Havaí por enquanto e, graças às aulas obtidas no acampamento, bem pertinho da entrada do inferno!

— Bem, Nathaniel... Acho que vamos para São Francisco. Por acaso seu pai pode arrumar uma carona para o Havaí?

Ele deu de ombros e corremos para o veículo enorme. Foi necessário um pouco de tática ninja para roubar a chave da ignição enquanto o motorista assinava distraidamente uma prancheta e conversava com o dono de uma casa de carnes. Abrir as pesadas portas foi outra trabalheira e, depois que Nathaniel entrou, precisei voltar à cabine do carro e devolver a chave ao lugar onde estava. De alguma maneira mágica, conseguimos.

A câmara estava bem fria e havia peças de carne para onde se podia olhar, além de algumas caixas empilhadas. A parte ruim era o cheiro forte, a parte boa era a possibilidade de achar um cantinho escondido muito facilmente. O problema era que nem todos os cantinhos eram limpos.

Subitamente o caminhou acelerou, quase um segundo após o motorista dar partida, e perdemos ligeiramente o equilíbrio. Nada de quedas, passamos a tomar mais cuidado com as mudanças de marcha e velocidade enquanto procurávamos um lugar limpo e seco para nos sentarmos. Finalmente encontramos e nos sentamos, suspirando fundo e agora entregues à espera do nosso destino, sem saber quanto tempo a viagem duraria.

— Aquele garoto do chalé de Héracles é seu melhor amigo?

— É, sim. O nome dele é Steve.

— Uma das minhas irmãs deu um tapão na cara dele. Não sei o que ele disse, mas todo mundo riu quando ele apanhou.

A despeito de minha agonia ao garoto, que não tinha aliviado nem um pouco, acabei rindo. A ideia de Steve apanhando de garotas que não caíam na lábia dele sempre me divertia, embora talvez não devesse. Nem todas se derretiam sob as cantadas do Daddy, como ele gostava de se chamar. A lembrança me fez rir ainda mais e rolar os olhos pela situação. Um dia ele ainda iria se dar mal...

Creio que Nathaniel ficou bem satisfeito em me arrancar uma risada, pois logo se contentou em ficar calado. Aproveitei o tempo para pegar uma HQ e ler um pouco enquanto ouvia música no pequeno mp4 player. Ao menos aquele equipamento eletrônico não chamava monstros, afinal não havia emissão de sinal e ondas eletromagnéticas a partir dele.

Dormi e nem percebi. Em sonhos, ouvi gostosas risadas familiares e um par de olhos azuis me observando. Aquele era um sonho recorrente até demais e acordar dele geralmente me causava palpitações e arrepios. Não podia pensar nisso, não com a vida que eu tinha.

Naquela tarde, porém, não acordei com o corpo reagindo ao sonho e sim a uma parada brusca do caminhão, que me fez prensar o pobre Nathaniel contra a parede interna e fria da câmara. O que será que tinha causado aquela parada? No calor do momento, nem cheguei a reagir ao fato de que o filho de Hades tentava ler minha HQ e tinha roubado um lado do fone para ouvir música. Meu foco agora era como iríamos agir a seguir.

Adendos:

Poderes utilizados:

Sem poderes neste turno.

Armas levadas:

{Wrath} / Lança de artilharia [Lança longa, de 2m de comprimento. O cabo é feito de mogno, recoberto em bronze sagrado, sendo resistente porém mais leve que uma lança comum. A ponta é de bronze sagrado. Em toda sua extensão pontos avermelhados podem ser vistos: são engastes em rubi, decorando o cabo.] {Bronze sagrado, mogno e rubi} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]

{Stunt} / Escudo [Escudo circular feito de metal com uma cabeça de javali esculpida em seu centro. Banhado em bronze, este fica em um tom avermelhado quando usado em batalha, representando sua segunda camada de bronze sagrado. Transforma-se em uma braçadeira de spikes no nível 20.] {Bronze sagrado (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bruce Chandler
Filhos de Ares
Mensagens :
24

Localização :
Acampamento Meio-Sangue - Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Jonas W. Harris em Sex 23 Set 2016, 18:11


Son of... Witch?


“Barulhos na porta”. O filho de Ares teria que bolar uma estratégia muito rápido. O motorista – provavelmente – estava destrancando a porta do caminhão baú, e daria de cara com os garotos. Mas para se safarem ele teria que deixar de lado a arrogância, e deixar que a prole da Morte ajudasse dessa vez.

-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

♈ Pontos Obrigatórios:

♈ De forma coerente, dê um jeito de colocar o motorista dentro da traseira do caminhão, onde Nathaniel usará um de seus poderes ativos (Gás da Morte I), mas bole a estratégia antes;
♈ Quando o filho de Hades for usar a habilidade, você não pode estar dentro do lugar, ou será afetado também, portanto terá que confiar no garoto. Narre como se sentiu quanto a isso;
♈ Após Nathaniel desacordar o motorista, volte lá e amarre-o para que não cause mais problemas durante a viagem;
♈ Perceba que o trânsito está parado, e o motorista aproveitou a parada para ver como estava as carnes, ele nunca desconfiou que havia alguém lá atrás;
♈ Assuma o controle do veículo;
♈ Após horas, parem em algum posto de beira de estrada para o jantar. Encerre o post entrando na conveniência do local acompanhado de Nathaniel;
♈ Sinta-se à vontade para acrescentar diálogos com o filho de Hades.

♈ Pontos Extras:

♈ Missão Narrada Externa Mediana para Bruce Chandler;
♈ Local: Dirigindo um caminhão;
♈ Horário: 18:00;
♈ NPC’s: Filho de Hades (nível: 3 | 100/100 HP/MP)
♈ Clima: Sol baixo e poente; 24º C (lado externo), 12º C (câmara fria);
♈ Coloque as armas levadas em code ou spoiler ao final do texto. O mesmo deverá ser feito com os poderes, separando-os em ativos e passivos;
♈ Evite usar templates com barrinhas ou muito estreito, e muito menos cores cegantes;
♈ Prazo para a postagem: 7 dias. Caso necessite de mais tempo, contate-me via MP.
♈ Dúvidas, reclamações ou afins, estou disponível via MP;
♈ Boa sorte, e surpreenda-me.
Jonas W. Harris
Filhos de Ares
Mensagens :
452

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Bruce Chandler em Sab 24 Set 2016, 23:33

Son of... Witch?
Missão Narrada Externa Média



Não tivemos muito tempo para nos recompormos. Assim que paramos de violar aquela lei da Física que diz que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo, ouvimos a porta do motorista bater e seus dedos tamborilarem preguiçosamente pela lataria do carro enquanto ele caminhava para a parte de trás — nosso esconderijo parcamente secreto.

Imediatamente Nathaniel e eu enfiamos o gibi, o mp4 player e os fones de ouvido dentro de minha mochila e nos pusemos de pé. O motorista demorou-se o tempo suficiente para que corrêssemos para a porta.

— Vou acertá-lo com o cabo da lança assim que ele aparecer. Você me ajuda a colocá-lo pra dentro — sussurrei.

— Acerte com força e corra pra fora. Vou desmaiá-lo com um poder de Hades, mas se ficar aqui poderá desmaiar também, pode apostar.

Sair correndo? Nathaniel por acaso estava me sugerindo que confiasse cegamente nele? Meus instintos praticamente começaram a gritar em protesto! Em momento algum tinha me sentido à vontade na presença dele e agora dependia de um de seus poderes macabros para termos sucesso na missão! Que merda, Bruce... É isso ou se ferrar...

— Faremos do seu jeito. Não me decepcione, moleque, ou acabo com você!

Mal deu tempo de falar e as portas se abriram. Valendo-me do tamanho da lança, firmei os punhos ao redor de seu cabo e acertei a base no meio da testa do pobre motorista, deixando-o facilmente zonzo e bastante passível a qualquer poder de Nathaniel.

Vendo o homem cambaleante, desci da câmara fria e o empurrei para dentro, vendo-o balbuciar algo ininteligível enquanto era empurrado bruscamente para dentro da traseira de seu próprio veículo. Olhei para cordas no canto da câmara, possivelmente usadas para içar as carnes sustentadas por ganchos e as apontei para Nathaniel. Ele entendeu na mesma hora e acenou para que eu me afastasse.

Não faço ideia do que o filho de Hades aprontou com o mortal mas, quando recebi seu sinal, voltei à câmara e o encontrei totalmente desmaiado por tempo desconhecido para nós. Sem perdermos tempo, pegamos as cordas e amarramos os pés e os pulsos do homem, estes últimos atrás das costas.

Com minha experiência em amarrar pessoas mais fracas que eu graças ao meu histórico nos reformatórios, decidi que deveríamos enrolar outra corda grande em torno de seu corpo todo, para impedi-lo de se mexer e trazer as mãos para frente.

Depois de resolvermos o empecilho com nosso súbito refém, saímos da câmara e partimos para a cabine do caminhão, onde estava a boa e velha chave na ignição. Nathaniel sentou-se no banco do carona, aparentemente dando graças por ver minha segurança em tomar o volante.

Foi apenas quando conseguimos parar e respirar, já com os cintos afivelados, que percebi que o trânsito alguns metros mais à frente estava parado. Provavelmente foi por isso que o homem parou o caminhão e aproveitou para olhar a condição das carnes. Sabe-se lá o que causava o engarrafamento, mas precisaríamos enfrentá-lo para continuar em nosso caminho.

— Bruce... argh... — Nathaniel me chamou entre gemidos estranhos e, quando olhei, ele estava com as mãos apertando os olhos. — Tem remédio de dor de cabeça aí? Tentei ler essa telinha aqui e tive um ataque forte de dislexia...

Surpreendi-me preocupado e procurando remédios em minha mochila e no porta-luvas do carro. De alguma forma surgiu uma espécie de ligação entre Nathaniel e eu, um vínculo de confiança depois que aceitei deixar de lado minha resistência a ele.

Por fim, encontramos um analgésico e ele tomou com a água de seu cantil. Foi o tempo necessário para desatravancar o trânsito à nossa frente e assim retomarmos nossa viagem. Virei a tal telinha da qual o filho de Hades tinha se queixado, de modo que somente eu podia vê-la — era o GPS — e dei partida no caminhão, seguindo em frente.

— Sabe... assinar o acordo vai limitar demais o poder dos Vingadores. Não é justo! Eles são heróis!

Demorei um pouco para entender do que ele falava depois de dez minutos em absoluto silêncio, mas então percebi que era da minha HQ de Guerra Civil que ele tinha lido. Acabei dando um risada.

— Limitar o poder é uma coisa boa, no caso deles, a meu ver. Você viu aqueles garotos sem experiência nenhuma fazendo besteira no início, né? É isso que querem evitar. É necessário. Ao menos por um tempo.

Ele pensou um pouco enquanto eu fazia uma longa curva à esquerda e ligava o aparelho de som.

— Faz sentido... Posso terminar de ler?

— Hm... tá, pode pegar na minha mochila. Mas a história toda não está aí. Tem o livro, que é completo. Empresto pra você quando voltarmos.

Seu rosto se iluminou com um sorriso e estranhamente eu já não me sentia tão desconfortável em sua presença. Peguei-me pensando na conversa com ele e curioso por saber se sua dor tinha passado quando quase dei um tranco no carro.

— Como consegue ler HQ se tem dislexia?!

— Ah, depende da leitura. Luzes, telas iluminadas, néon... Isso é horrível pra mim, mas consigo ler qualquer coisa em papel com um pouquinho de esforço. As letras dançam um pouco, mas não é tão difícil.

Assenti, compreendendo. É engraçada a enorme diversidade de efeitos que ser filho de um deus pode causar. No meu caso era apenas a hiperatividade, no dele era uma dislexia condicional, no caso de Steve era uma galinhagem sem precedentes da História!

Horas depois, Nathaniel estava adormecido. Avistei um posto de beira de estrada onde provavelmente tinha uma conveniência. Precisávamos de algo mais para comer, nossos pacotes de biscoito recheado já tinham se esgotado! Encostei o caminhão no estacionamento do posto, um pouco afastado das bombas de gasolina, e cutuquei o filho de Hades para acordá-lo.

Demorou um pouco para que ele entendesse onde estávamos, mas quando citei a palavra "comida" ele rapidamente acordou. Desliguei o motor do caminhão e desci, trancando o veículo em seguida. Com Nathaniel ao meu lado, caminhei até a conveniência e lá entrei, torcendo para encontrar algo bom para comer.

Adendos:

Poderes utilizados:

Sem poderes neste turno.

Armas levadas:

{Wrath} / Lança de artilharia [Lança longa, de 2m de comprimento. O cabo é feito de mogno, recoberto em bronze sagrado, sendo resistente porém mais leve que uma lança comum. A ponta é de bronze sagrado. Em toda sua extensão pontos avermelhados podem ser vistos: são engastes em rubi, decorando o cabo.] {Bronze sagrado, mogno e rubi} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]

{Stunt} / Escudo [Escudo circular feito de metal com uma cabeça de javali esculpida em seu centro. Banhado em bronze, este fica em um tom avermelhado quando usado em batalha, representando sua segunda camada de bronze sagrado. Transforma-se em uma braçadeira de spikes no nível 20.] {Bronze sagrado (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bruce Chandler
Filhos de Ares
Mensagens :
24

Localização :
Acampamento Meio-Sangue - Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Jonas W. Harris Ontem à(s) 00:09


Son of... Witch?


Os garotos foram atendidos por uma bela balconista, bela até demais para uma mera mortal. Infelizmente, quando Bruce percebeu isso, já era tarde.

-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

♈ Pontos Obrigatórios:

♈ Descreva o quão encantado ficou com a balconista assim que adentrou o local, não reparando na ausência de outras pessoas;
♈ Peçam suas respectivas comidas e sentem-se em um banco, próximo ao beiral do balcão, de modo a poder ficar olhando para moça;
♈ Em algum momento – ficando a seu critério – ela vai jogar algumas cantadas para cima do filho de Ares. Inicialmente retribua-as, mas após algum tempo perceba algo de estranho;
♈ Termine a refeição em silêncio, e em seguida pague-a;
♈ Dirija-se à porta, e perceba que esta está trancada. Ao se virar, depare com a balconista agora em sua verdadeira forma de empousai. Se aproprie das armas necessárias e prepare-se para um duelo;
♈ Sinta-se à vontade para acrescentar diálogos com o filho de Hades.

♈ Personagens:

♈ Bruce Chandler - 95/120 HP | 105/120 MP
♈ Nathaniel - 100/100 HP | 100/100 MP
♈ Empousai - 120/120 HP | 120/120 MP

♈ Pontos Extras:

♈ Missão Narrada Externa Mediana para Bruce Chandler;
♈ Local: Posto de gasolina em algum lugar de Mississipi;
♈ Horário: 20:00;
♈ NPC’s: Filho de Hades (nível: 3 | 100/100 HP/MP)
♈ Clima: Sol baixo e poente; 24º C (lado externo), 12º C (câmara fria);
♈ Coloque as armas levadas em code ou spoiler ao final do texto. O mesmo deverá ser feito com os poderes, separando-os em ativos e passivos;
♈ Evite usar templates com barrinhas ou muito estreito, e muito menos cores cegantes;
♈ Prazo para a postagem: 7 dias. Caso necessite de mais tempo, contate-me via MP.
♈ Dúvidas, reclamações ou afins, estou disponível via MP;
♈ Boa sorte, e surpreenda-me.
Jonas W. Harris
Filhos de Ares
Mensagens :
452

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Bruce Chandler Ontem à(s) 11:10

Son of... Witch?
Missão Narrada Externa Média



O posto estava vazio enquanto atravessávamos o enorme pátio e verificávamos nossas provisões monetárias. Tínhamos o suficiente para um lanche que nos sustentasse até o fim da viagem e eu começava a imaginar o que poderíamos encontrar quando, ao abrir a porta da conveniência, meus olhos recaíram diretamente sobre a balconista.

Pelos deuses, ela era linda! Desde o modo como andava naquele espaço minúsculo atrás do balcão, à forma como seus cabelos ondulavam sem vento algum! Perdi completamente a consciência do que estava pensando antes e muito menos percebi que o local estava deserto — o que era suspeito, considerando que ainda eram oito da noite...

Tentando ser o mais estratégico possível, arrumei um lugar perfeito para nos sentarmos, ou seja, um lugar que desse visão privilegiada da bela balconista. Sabe o que é estranho? Algo parecia querer me desviar os pensamentos de cima dela, como se fosse uma ofensa a alguém o fato de a desejar tão descaradamente. O problema era achar que essa sensação era frio na barriga antes de falar com uma garota.

— Boa noite. Quero essa torta de frango e... pode ser guaraná, por favor — pedi educadamente, algo que jamais acontece, quando ela nos perguntou o que desejávamos.

— Quero o mesmo que ele, moça, obrigado — Nathaniel respondeu depois de mim e a vimos se afastar. Quando ela estava um pouco longe, ele sussurrou: — Você está bem?

— Sim... Por que? Tem algo errado no meu rosto? Estou com sujeira no dente? Remela nos olhos?

— Não, não, tá tudo certinho com você. Eu só perguntei porque... bom, você dirigiu o tempo todo enquanto eu dormia. Achei que estava cansado.

Sorri a fim de tranquilizá-lo sem perceber que não era necessário. Claramente o filho de Hades notou uma diferença drástica em meu modo de agir, de grosseiro a galante (se é que dava para chamar disso...) e não quis responder algo como "é que você nunca é tão encantador", então inventou alguma resposta esfarrapada que nem vi ser mentira.

A bela moça retornou com nossos pedidos em bandejas e aproveitei para correr os olhos por suas pernas torneadas e o decote maravilhoso que me torturava enquanto ela nos servia ligeiramente inclinada sobre a mesa.

— Desejam mais alguma coisa, rapazes? — Ela perguntou com um bater de cílios e um biquinho. Típicos sinais de uma mulher jogando charme.

— É muito se eu pedir seu número? — Rebati, com um meio sorriso sacana no rosto.

— Você não está nem perto de pedir muito. Talvez queira algo mais além do número, o que acha? — Ele se colocou praticamente colada a mim e começou a passear as mãos por meus cabelos, causando gostosos arrepios.

— Ah, eu adoraria. Tenho certeza que podemos nos divertir bastante — disse, tomando a liberdade de erguer a mão e passeá-la de baixo para cima pela perna dela até alcançar-lhe a cintura.

Provavelmente a teria puxado para o meu colo, completamente esquecido da presença de Nathaniel ali, se os gostosos arrepios não tivessem se transformado numa sensação bem estranha de formigamento que surgia a partir do ponto onde ela tocava minha cabeça. Comecei a me sentir zonzo.

— O que foi? Algum problema, gatinho?

— Só... só estou um pouco tonto. Acho que é de tanto viajar... — Nathaniel cutucou minha perna com o pé, como se quisesse me alertar de algo: eu estava começando a falar demais.

Com o olhar desconfiado, a jovem se afastou, oferecendo-se para buscar água para mim, mas o filho de Hades a interrompeu com algum discurso altamente científico sobre as vantagens energéticas do guaraná e de como a bebida que já tínhamos pedido ajudaria a resolver o problema. A explicação dele foi o suficiente para acalmar meu corpo aceso pelas provocações de outrora e me colocar para pensar um pouco.

Estávamos no meio do nada, na companhia de uma balconista muito gata que facilmente se rendeu aos meus olhares. Com certeza tinha algo errado, porque nunca fui um conquistador. Nunca soube sequer dizer a alguém o que sentia! Desconfiado, optei por terminar minha refeição em silêncio e não olhar mais na direção da bela atendente.

Nathaniel terminou de comer pouco antes de mim e, logo que também terminei, nos levantamos e lhe entregamos o pagamento da refeição. O filho de Hades parecia ligeiramente inquieto, mas não achei que fosse algo grave até nos encaminharmos para a porta e percebermos que ela estava trancada. Virei-me a fim de pedir que ela abrisse, pensando que ela teria trancado provavelmente por questões de segurança, mas o que vi não precisava de segurança alguma!

A bela e jovem balconista tinha se transformado numa vampira das trevas de olhos brilhantes, presas afiadas, garras nas mãos, uma perna de bode e outra de bronze. Que alegria! Eu estava sendo seduzido por uma maldita empousa! Pelos deuses, é o truque mais antigo dos monstros para capturar rapazes meios-sangues e eu caí feito um patinho!

Imediatamente puxei Wrath e Stunt de minhas costas, vendo Nathaniel fazer o mesmo com suas armas. Percebi que a monstra já sabia quem éramos, pois a Névoa não disfarça armas aos olhos das criaturas do submundo. Ela estava tentando me seduzir com todo o seu feitiço de charme, me hipnotizar ou sei lá o quê. Queria me fazer de presa, acabar comigo e depois fazer o mesmo com meu parceiro de missão.

Era hora de lutar. Como Nathaniel havia tão sabiamente explicado, o guaraná me deu uma intensa carga de energia para a batalha e eu estava ansioso para trucidar aquela maldita que tentara me ludibriar.

Adendos:

Poderes utilizados:

Sem poderes neste turno.

Armas levadas:

{Wrath} / Lança de artilharia [Lança longa, de 2m de comprimento. O cabo é feito de mogno, recoberto em bronze sagrado, sendo resistente porém mais leve que uma lança comum. A ponta é de bronze sagrado. Em toda sua extensão pontos avermelhados podem ser vistos: são engastes em rubi, decorando o cabo.] {Bronze sagrado, mogno e rubi} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]

{Stunt} / Escudo [Escudo circular feito de metal com uma cabeça de javali esculpida em seu centro. Banhado em bronze, este fica em um tom avermelhado quando usado em batalha, representando sua segunda camada de bronze sagrado. Transforma-se em uma braçadeira de spikes no nível 20.] {Bronze sagrado (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bruce Chandler
Filhos de Ares
Mensagens :
24

Localização :
Acampamento Meio-Sangue - Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Jonas W. Harris Hoje à(s) 00:27


Son of... Witch?


Ambos esperavam pelo ataque da empousa inicialmente sobre Bruce, já que ele havia sido a vítima não-fatal do charme do monstro, mas esta surpreendeu ambos, investindo contra Nathaniel, que estava armado unicamente com sua espada que foi presente de reclamação. Bruce teria que proteger a vida do garoto.
-  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

♈ Pontos Obrigatórios:

♈ Narre o ataque do monstro, e sua movimentação para intervir em defesa do filho de Hades que está na mira da mesma;
♈ Em seguida prossiga com um ataque utilizando a lança, do qual a empousa se desviará, e o atacará com as garras;
♈ Tente se desviar das garras do ser bizarro, seja por conta própria ou pela ajuda de Nathaniel, fica a sua escolha, desde que coerente;
♈ Termine voltando para a posição de defesa e encarando a monstra de modo amedrontador;
♈ Sinta-se à vontade para acrescentar diálogos com o filho de Hades.

♈ Personagens:

♈ Bruce Chandler - 120/120 HP | 120/120 MP
♈ Nathaniel - 100/100 HP | 100/100 MP
♈ Empousai - 120/120 HP | 120/120 MP

♈ Pontos Extras:

♈ Missão Narrada Externa Mediana para Bruce Chandler;
♈ Local: Posto de gasolina em algum lugar de Mississipi;
♈ Horário: 20:00;
♈ Clima: Noite, 20 ºC;
♈ Coloque as armas levadas em code ou spoiler ao final do texto. O mesmo deverá ser feito com os poderes, separando-os em ativos e passivos;
♈ Evite usar templates com barrinhas ou muito estreito, e muito menos cores cegantes;
♈ Prazo para a postagem: 7 dias. Caso necessite de mais tempo, contate-me via MP.
♈ Dúvidas, reclamações ou afins, estou disponível via MP;
♈ Boa sorte, e surpreenda-me.
Jonas W. Harris
Filhos de Ares
Mensagens :
452

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Bruce Chandler Hoje à(s) 01:17

Son of... Witch?
Missão Narrada Externa Média



Estava bom demais viajar sem grandes problemas. O máximo que tínhamos encarado até então foi o motorista mortal! Por que, Bruce, você tinha que começar a achar tudo tão fácil? Repreendi a mim mesmo enquanto posicionava o escudo diante de nós, esperando pelo ataque iminente da empousa, que logo veio em nossa direção.

Mas não previ seu alvo. A criatura das trevas deve ter percebido meus pensamentos e se utilizou do maldito elemento surpresa atacando Nathaniel! Fiquei furioso e um dos motivos disso me surpreendeu bastante: eu não queria ver meu jovem parceiro ferido por um descuido ridículo meu! Sem hesitar em momento algum, me coloquei na frente dele utilizando-me de minha aptidão natural com o escudo.

Nathaniel saltou por trás de mim ao mesmo tempo em que investi com ferocidade contra a empousa, brandindo a lança com firmeza e absoluta força em busca do alvo, enquanto o filho de Hades parecia se preparar para um ataque mais estratégico.

A empousa conseguiu desviar-se de meu ataque e investiu novamente com garras em riste a fim de me dilacerar, mas o escudo novamente foi erguido e o golpe da prole de Hades foi providencial ao desferir um forte golpe com sua espada Darkness na perna de bode da monstra, na intenção de abrir-lhe um talho e fazê-la cair.

Isso nos deu espaço para voltarmos à posição inicial de defesa, onde poderíamos talvez nos preparar melhor, ou não sermos pegos tão de surpresa.

— Você está bem? — Perguntei, verdadeiramente preocupado.

— Estou. E você?

— Estou ok.

A empousa nos encarava com absoluto ódio, mas minha expressão também não aliviava nem um pouco! Estava com raiva por ter sido enganado e faria de tudo para que ela visse em mim o espírito da guerra advindo de meu pai, faria questão de intimidá-la, de deixá-la com medo e, por fim, de transformá-la em pó e chutá-la de volta para o submundo!

Adendos:

Poderes utilizados:

PASSIVOS:
Perícia com Lanças [Nível 01] -
A arma preferida de Ares é a lança, e ele sempre foi retratado como indo à batalha portando uma. Por suas preferências, seus filhos herdam como característica a facilidade no aprendizado e manuseio no mesmo tipo de arma. A habilidade reflete apenas a familiaridade, e um aprendizado mais facilitado se comparado ao uso de outras armas, mas não um conhecimento automático ou uma capacidade insuperável, sendo que a habilidade reflete o nível do personagem e está em constante evolução, mas não significa que não seja passível de erros.[Modificado]

Força Aprimorada [Nível 01] - Ares é conhecido pela sua beligerância, estando sempre em treinos e exercícios constantes para exercer seus domínios. Seus filhos também herdam a mesma aptidão física, possuindo um corpo geralmente atlético e delineado, mesmo que não sejam musculosos, e uma força aprimorada se em comparação com semideuses de outra origem. Ainda perdem para filhos de Héracles, e não são páreos para semideuses treinados de nível mais alto, mas quando comparados com humanos comuns ou semideuses de outra origem não relativa à força física, suas capacidades de força são cerca de 15% maiores.[Modificado]

Manejo Defensivo [Nível 02] - Perícia em manusear um escudo, aumentando assim seu reflexo defensivo e sua capacidade de efetuar manobras medianas com o escudo em 20% se comparado a quem não possui a perícia; manobras possíveis como acertá-lo em um inimigo para desestabilizá-lo ou similares. Lembrando, contudo, que para utilizar um escudo deve empunhar uma arma de uma mão só. [Modificado, antigo ativo de mesmo nome]

Aparência Intimidante [Nível 03] - O corpo dos filhos de Ares é bastante chamativo, mesmo que o semideus não seja necessariamente musculoso ou estereotipado, o sangue de um verdadeiro guerreiro corre em suas veias. Isso, aliado ao seu comportamento sério e a determinação em combate faz com que ele se torne mais intimidador aos olhos das pessoas ao redor. Ações de intimidação passam a receber uma bonificação de 20% nas chances de sucesso quando os alvos puderem vê-lo.[Modificado]

Armas levadas:

{Wrath} / Lança de artilharia [Lança longa, de 2m de comprimento. O cabo é feito de mogno, recoberto em bronze sagrado, sendo resistente porém mais leve que uma lança comum. A ponta é de bronze sagrado. Em toda sua extensão pontos avermelhados podem ser vistos: são engastes em rubi, decorando o cabo.] {Bronze sagrado, mogno e rubi} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]

{Stunt} / Escudo [Escudo circular feito de metal com uma cabeça de javali esculpida em seu centro. Banhado em bronze, este fica em um tom avermelhado quando usado em batalha, representando sua segunda camada de bronze sagrado. Transforma-se em uma braçadeira de spikes no nível 20.] {Bronze sagrado (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Ares]


.:: narração :: falas :: pensamentos :: falas de outros ::.
Bruce Chandler
Filhos de Ares
Mensagens :
24

Localização :
Acampamento Meio-Sangue - Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Son of... Witch?} MNEM para Bruce Chandler

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 05:32

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum