Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

Ficha de Reclamação

Página 15 de 15 Anterior  1 ... 9 ... 13, 14, 15

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de Reclamação

Mensagem por Psiquê em Sex 07 Out 2016, 12:41

Relembrando a primeira mensagem :




Fichas de Reclamação


Este tópico foi criado para que o player possa ingressar na sua vida como semideus ou criatura mitológica. Esta ficha não é válida sob nenhuma hipótese para os 3 grandes (Hades, Poseidon e Zeus) devendo os interessados para estas filiações fazerem um teste específico, como consta aqui [link]. Para os demais semideuses, a avaliação é comum - o que não quer dizer que ao postar será aceito. Avaliamos na ficha os mesmos critérios que no restante do fórum, mas fichas comuns exigem uma margem menor de qualidade, mas ainda será observada a coesão, coerência, organização, ortografia e objetividade. Abaixo, a lista de deuses e criaturas disponíveis em ordem alfabética, com as devidas observações.









































































































































Deuses / Criaturas Avaliação
Afrodite Comum
Apolo Comum
Atena Rigorosa
Ares Comum
Centauros(as) Comum
Deimos Comum
Deméter Comum
Despina Rigorosa
Dionísio Comum
Dríades (apenas sexo feminino) Comum
Éolo Comum
Eos Comum
Espíritos da Água (Naiádes, Nereidas e Tritões) Comum
Hades Especial (clique aqui)
Hécate Rigorosa
Héracles Comum
Hefesto Comum
Hermes Comum
Héstia Comum
Hipnos Comum
Íris Comum
Macária Rigorosa
Melinoe Rigorosa
Nêmesis Rigorosa
Nyx Rigorosa
Perséfone Rigorosa
Phobos Comum
Poseidon Especial (clique aqui)
Sátiros (apenas sexo masculino) Comum
Selene Comum
Tânatos Comum
Zeus Especial (clique aqui)



A Ficha


A ficha é composta de algumas perguntas e o campo para o perfil físico e psicológico e a história do personagem e é a mesma seja para semideuses seja para criaturas. O personagem não é obrigado a ir para o Acampamento, mas DEVE narrar na história a descoberta de que é um semideus e sua reclamação.

Plágio não será tolerado e, ao ser detectado, acarretará um ban inicial de 3 dias + aviso, e reincidência acarretará em ban permanente. Plágio acarreta banimento por IP.

Aceitamos apenas histórias originais - então, ao usar um personagem criado para outro fórum não só não será reclamado como corre o risco de ser punido por plágio, caso não comprove autoria em 24h. Mesmo com a comprovação, a ficha não será aceita.

Fichas com nomes inadequados não serão avaliadas a menos que avisem já ter realizado o pedido de mudança através de uma observação na ficha. As regras de nickname constam nas regras gerais no fórum.

Lembrando que o único propósito da ficha é a reclamação do personagem. Qualquer item desejado, além da faca inicial ganha no momento de inscrição do fórum e dos presentes de reclamação (adquiridos caso a ficha seja efetivada) devem ser conseguidos in game, através de forjas, mercado, missões e/ou DIY.



TEMPLATE PADRÃO:
Não serão aceitas fichas fora desde modelo

Código:
<center>
<a href="goo.gl/6qY3Sg"><div class="frankt1">FICHA DE RECLAMAÇÃO</div></a><div class="frank1"></div><div class="franktextim">[b]— Por qual deus deseja ser reclamado/ qual criatura deseja ser e por quê?[/b]

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur facilisis lacus eu urna varius, quis tempus neque tincidunt. Nulla ex nisl, ornare et maximus nec, auctor quis nisi. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus.

[b]— Perfil do Personagem (Características Físicas e Características Psicológicas - preferencialmente separadas):[/b]

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur facilisis lacus eu urna varius, quis tempus neque tincidunt. Nulla ex nisl, ornare et maximus nec, auctor quis nisi. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus.

[b]— História do Personagem:[/b]

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur facilisis lacus eu urna varius, quis tempus neque tincidunt. Nulla ex nisl, ornare et maximus nec, auctor quis nisi. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. Mauris ut luctus lorem, at malesuada neque. Integer eget consectetur mi, sit amet efficitur magna. Maecenas tincidunt euismod orci non pretium. Suspendisse potenti. Donec non enim et est fringilla faucibus quis at elit.

Maecenas a augue odio. Pellentesque faucibus vehicula sollicitudin. Curabitur tincidunt purus ante, ut ultricies dui congue non. Ut volutpat convallis gravida. In interdum, mi id lacinia dignissim, mauris nulla maximus sem, fermentum luctus sapien velit sed felis. Nullam fermentum, lectus in eleifend iaculis, magna ex bibendum mi, nec dignissim felis urna tincidunt ex. Nunc vitae elementum diam. Nullam ac leo cursus, porta magna vitae, tempor purus. Nunc dictum, purus non malesuada auctor, turpis felis tristique turpis, ac volutpat dolor mi eget eros. Donec a neque a augue tincidunt hendrerit eu et sapien.

Maecenas vel est vulputate, suscipit enim a, vehicula mauris. Curabitur ac molestie dui. Sed vel venenatis lacus. Sed at purus interdum, venenatis metus viverra, sodales metus. Sed aliquet eleifend nisl, id placerat urna sagittis sit amet. Aliquam vitae scelerisque lectus. Maecenas ligula massa, luctus eget commodo sit amet, dignissim eu quam. Curabitur interdum vitae lectus ut congue.

Nulla mollis ornare magna in suscipit. Quisque pretium libero at sem condimentum, dignissim pretium turpis rhoncus. Ut mattis posuere nibh sit amet fringilla. Nulla feugiat imperdiet fermentum. Aenean in diam urna. Interdum et malesuada fames ac ante ipsum primis in faucibus. In pharetra convallis neque fringilla gravida. Donec ullamcorper, eros et pharetra facilisis, lectus turpis sollicitudin justo, vitae lobortis quam lorem quis tellus.
</div><div class="frank2"></div> <div class="frankt2">Percy Jackson RPG BR</div></center>


<style type="text/css">.frank1 {margin-left:-320px; width:300px; height:200px; padding:20px; background:transparent; border-left:1px solid #000; border-top:1px solid #000;} .frank2 {margin-right:-320px; width:300px; height:200px; padding:20px; background:transparent; border-right:1px solid #000; border-bottom:1px solid #000;margin-top:-210px;} .frankt1 {margin-left:-320px; width:300px; text-align:center; font-family:'Slabo 27px'; font-size:30px; color:#000; padding:10px;font-weight: bold; line-height:25px;letter-spacing:-1px;} .frankt2 {margin-right:-220px; width:210px; font-family: VT323; font-size:12px; text-transform:uppercase; letter-spacing:2px; text-align:center; color: #000; line-height:9px;padding:10px;} .franktextim {width:550px; padding:30px; font-family:calibri; font-size: 13px; color:black; background: #fff; display: relative; margin-top:-230px;text-align:justify;} .franktextim b {font-size:13;color:#4D4C4C; font-family:'Slabo 27px'; font-weight:700;} .franktextim i {color:#9A9999;} .franktextim f {font-weight: bold; font-size:13; color:#777;font-family:'Slabo 27px'}</style><link rel="stylesheet" href="path/to/font-awesome/css/font-awesome.min.css"><link href="https://fonts.googleapis.com/css?family=VT323" rel="stylesheet"><link href="https://fonts.googleapis.com/css?family=Slabo+27px" rel="stylesheet">



Tks Maay from TPO
Psiquê
avatar
Administradores
Mensagens :
970

Localização :
Castelo maravilhoso do Eros

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Ares em Qua 06 Dez 2017, 14:03

Avaliação

Primeiramente, pedimos desculpas pela demora da avaliação. Esperamos que isso não prejudique o entusiasmo com o RPG.

Jodi Dominey, aprovada como filha de Macária:

Começando pela sua justificativa. Achei aceitável, principalmente porque, nessa questão, geralmente não há muito o que acrescentar além do gosto pelo deus escolhido e seus poderes. No entanto, atente-se ao uso descartável de palavras. Perceba no trecho a seguir, como as três primeiras palavras podem se descartadas.

@Jodi Dominey escreveu:[..] que é uma muito ligada ao lado ‘obscuro’, mas ainda assim tendo algo positivo para mostrar [...]

Além disso, algo que notei que poderia ser melhorado foi logo na história da personagem. No segundo e terceiro parágrafo você repetiu o fato da adoção, sendo que isso poderia ser consertado da seguinte forma: no segundo parágrafo, a história e morte repentina do pai biológico e, no terceiro, o que aconteceu após isso — no caso, Jodi sendo colocada na adoção aos 7 meses de idade. Veja:

Segundo parágrafo:
@Jodi Dominey escreveu:A garota ainda era um bebê de pouco mais de sete meses de idade quando foi posta para adoção.

Terceiro parágrafo:
@Jodi Dominey escreveu:Sem nenhum parente vivo, foi posta para adoção, mas não ficou no orfanato por muito tempo. Para ela, uma bebezinha de poucos meses e bochechas gorduchas e rosadas, foi fácil encontrar uma nova família.

Ou seja, a informação repetida poderia ser colocada em um parágrafo só — no caso, o terceiro.

Jodi, você tem uma escrita agradável e a sua personagem tem todas as características das proles de Macária, a forma como ela foi reclamada pela deusa escapou dos métodos já usados por outros players aqui no fórum, encaixando-se perfeitamente com ela. Meus parabéns e seja bem-vinda.

Miranda Belotto, aprovada como filha de Deimos:

Uma justificativa repetida, um tanto clichê, embora seja a mais sincera. O detalhamento das características da personagem foram vagos, geralmente esperamos por um estudo mais aprofundado para que possamos compreender se realmente há uma ligação entre a personagem e o progenitor escolhido. Peço que se atente a erros como "atraia", onde no correto há o uso do acento agudo no i. Além disso, o uso do plural indevido, como no trecho a seguir:

@Miranda Belotto escreveu:Virando minha cabeça, consigo ver vovó se aproximar com certa dificuldade devido a idade já avançada mas que não a impedia nunca de sorrir de forma tão ampla que até mesmo a fazia parecer anos mais jovens.

Onde você usa a palavra jovem no plural, mesmo se referindo a um único sujeito, a avó. Enfim, erros que não atrapalharam a aprovação. Uma história curta e simplória, porém interessante, preenchendo os requisitos. Meus parabéns e bem-vinda.

Theodosia Sunsteel, reprovada:

Sobre suas justificativas, tenho a mesma declaração logo acima: esperamos por um detalhamento aprofundado, informações que realmente nos faça perceber uma ligação personagem-progenitor, por mais mínima que seja. Já na história, algo que notei foi o uso excessivo de nomes próprios em parágrafos que se seguem, enquanto poderiam ser substituídos facilmente por pronomes pessoais. Digo isso pois, de fato, ler os nomes das personagens (Eva, Theodosia) em cada início de parágrafo tornou-se um tanto repetitivo.

Um erro pequeno e bobo, mas que ainda assim precisa ser citado, está no trecho a seguir:

@Theodosia Sunsteel escreveu:Theodosia apareceu no corredor assim que ouviu a voz da mãe, disposta a finalmente conseguiu as respostas de todas suas perguntas hoje.

Embora seja um erro que muitos deixam passar, por se tratar de sua ficha de reclamação, acho justificável ressaltá-lo para que você evite-o em excesso nas futuras narrações.

Theodosia, o motivo pela reprovação foi por não ter narrado a reclamação da personagem (no caso, o símbolo de Thanatos em cima da cabeça da menina, não importa o momento — mesmo que fosse no passado, em qualquer idade de Theo). Eu gostei da história simplória, da personalidade de Theo e da própria mãe, mas infelizmente terei que reprová-la pelo não cumprimento do requisito. A sua história está perfeita, apenas refaça-a acrescentando o momento de reclamação.




Edited by H.I.M. and stolen by me
Ares
avatar
Deuses
Mensagens :
1875

Localização :
Na guerra mais próxima de você

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Hefesto em Qua 06 Dez 2017, 14:13

Atualizado
Hefesto
avatar
Administradores
Mensagens :
171

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Angus em Qua 06 Dez 2017, 15:39


FICHA DE RECLAMAÇÃO
— Por qual deus deseja ser reclamado/ qual criatura deseja ser e por quê?

Centauro, porque não existem outros aqui no fórum e eu gosto de exclusividade.

— Perfil do Personagem (Características Físicas e Características Psicológicas - preferencialmente separadas):

Físicas: a pelagem equina é preta como o petróleo acompanhando a tonalidade do cabelo e a cor dos olhos. Angus tem 2,38 metros de altura e 2,16 metros de comprimento. Seu peso está por volta dos 700 Kg embora ele nunca tenha se pesado de fato. Sua metade cavalo é bem musculosa e preta enquanto sua metade humana é esguia (apesar de bem torneada) e a pele é branca.

Psicológicas: Angus é solitário e rude. Suas habilidades sociais não são desenvolvidas e por isso seu convívio com outras pessoas é difícil. Ele só confia em si mesmo e só ama a si mesmo, é rabugento e seu humor é tão negro quanto sua pelagem. Isso é um mecanismo de defesa que criou para se isolar do mundo, já que o convívio com outros de sua espécie lhe foi negado e as outras espécies com que se envolveu mostraram-se traiçoeiras.

Angus é um centauro pessimista que vaga em busca de reconhecimento. Ele não possui vínculo com ninguém e nem possui um lugar para chamar de casa desde a infância. Ele odeia monstros, especialmente ciclopes, e também não nutre nenhum tipo de apreço pelos semideuses. De fato, Angus é uma criatura difícil de lidar e mais difícil ainda de domar.

— História do Personagem:

Em algum momento do passado, não sei se fazem dez, cem ou mil anos, o jovem Angus viveu com um grupo de Centauros no noroeste do Oregon.

O grupo era pequeno, todos com algum grau de parentesco, cerca de seis machos e quatro fêmeas que cuidavam alternadamente de três potros. O próprio Angus era um desses três, e passava seus dias brincando e aprendendo coisas novas, como é costume dos centauros.

O pai de Angus era o líder do grupo, seu nome era Quavo e era o maior centauro que Angus já vira, apesar do espaço amostral não ser tão grande assim. Quavo era autoritário e arrogante, como todo bom guerreiro, e não sustentava nenhum tipo de laço emocional com o filho porque acreditava na incapacidade de Angus de ser um bom centauro.
Esse era um pensamento coletivo. Somente Afeny, fêmea mais fraca e excluída do grupo parecia transmitir algum tipo de carinho ao potro, atitude esperada de uma mãe. Quavo possuiu Afeny numa noite de festa e bebedeira no solstício de verão e aquele encontro único gerou a vida do centauro pessimista.

Angus ganhou esse título na época, porque de tão acostumado a ver as coisas darem errado começou a se tornar pessimista sobre a vida. Quem lhe deu o apelido não pertencia ao grupo: Gareth Lovecraft, filho de Afrodite, que se refugiou entre os centauros durante uma missão que prestava para o Acampamento Meio Sangue. Quando se encontraram, Angus ficou muito curioso porque nunca havia conhecido um semideus, só ouvido histórias e fofocas sobre Quíron e o acampamento, por isso se tornou muito próximo de Gareth no curto período que o rapaz teve no acampamento.

A história de Gareth era sensacional porque tinha aventura, combates, mortes trágicas e um amor perdido. Angus decorou cada palavra como se escutasse sobre Teseu e o Minotauro, fazendo questão de escutar a história novamente sempre que tinha oportunidade. Gareth também parecia se interessar por Angus, que lhe era de longe o mais amigável dos centauros, e nas duas semanas que abrigou-se entre tais criaturas deu ao potro carinho e amor.

Como bem sabemos Angus não estava acostumado a receber carinho e amor, por isso criou um forte elo com seu novo amigo. Aconteceu então o trágico evento:

— Angus, acorde!
— Hã?
— Filho, são ciclopes! — os sussurros de Afeny pareciam um lamento choroso.
— Ciclopes aqui?
— Avise seu pai, eu vou tentar segurá-los.
— Mãe?

O potro ainda não havia conseguido ver mas sabia que sua mãe não mentiria nunca. Galopou pela pradaria por quinhentos metros antes de chegar no restante do grupo. Seu pai havia ordenado há anos que ele a mãe dormissem longe do restante do bando. Ao norte viu Gareth que acenava com uma faca de bronze luminoso na mão. Deveria ter ido até o pai, mas o instinto de proteger o amigo foi mais poderoso e Angus trotou até ele.

— Gareth, temos que avisar os outros.
— Eu sei, cliclopes, um monte deles.
— Eles devem ter seguido você até aqui... Temos que lutar. E chamar os outros.
— Não, Angus, você não acha melhor irmos embora? — Angus era um potro e nunca tinha conhecido o Charme.
— É, talvez seja melhor ir embora.
— Ninguém liga pra você aqui. Eles te fazem dormir longe!
— Ninguém liga pra mim aqui. Esses idiotas!
— Eu sou seu amigo de verdade, né?
— Você é meu amigo de verdade. Você é tão bonito e gosta de alguém como eu! — a voz de Angus estava abafada com a emoção da gratidão que sentia por Gareth.
— Vamos embora, amigo! Vamos ficar juntos para sempre.

Gareth através do Charme convenceu Angus a fugir. Ele galopou o máximo que pôde antes da exaustão e levou Gareth Lovecraft montado nele.

Dois dias depois Gareth abandonou Angus e seguiu viagem de volta ao Acampamento. O potro retornou ao campo dos centauros apenas para encontrar os resquícios de um massacre. Todos os parentes haviam sido mortos e alguns foram devorados. Equipando-se com os itens que encontrou, Angus passou a vagar condenando-se ao isolamento.



Percy Jackson RPG BR



Angus
avatar
Centauros
Mensagens :
47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Ares em Qui 07 Dez 2017, 18:46

Avaliação

Angus, aprovado como Centauro:

Bem, Angus, não há muito o que dizer sobre sua ficha. Excelente, cumpriu os requisitos mínimos para uma aprovação e, como esperado, sua narração é agradavelmente aceitável. Uma história única e atraente de se ler, a forma como ele foi criado em meio ao grupo, as relações, os motivos que carregam seu título de pessimista. Creio que você fará um ótimo personagem na ambientação do fórum. Portanto, não vejo erros grotescos ou motivos para não aceitá-lo no grupo dos centauros, será uma boa adição e talvez a única em muito tempo. Meus parabéns e boa sorte narrando a vida desse homem-equino.

Atualizado





Edited by H.I.M. and stolen by me
Ares
avatar
Deuses
Mensagens :
1875

Localização :
Na guerra mais próxima de você

Voltar ao Topo Ir em baixo

Corey Flint

Mensagem por Corey Flint em Sex 08 Dez 2017, 00:28


   
FICHA DE RECLAMAÇÃO
— Por qual deus deseja ser reclamado/ qual criatura deseja ser e por quê?

   Desejo ser um filho de Hécate porque a magia e as crenças são presentes na vida de Corey. Sobreviver de dia e fugir a noite tornaram a vida do garoto de sete anos um inferno. Hoje, aos dezessete, a noite tornou-se parte dele, e sua principal fonte de paz.

   — Perfil do Personagem (Características Físicas e Características Psicológicas - preferencialmente separadas):

   ~ Físicas: Corey Flint é baixo, esguio e relaxado. Seus cabelos são compridos e suas roupas largas e surradas, como um skatista rebelde. Ele tem dezessete anos mas parece que já atingiu sua forma adulta (com apenas 1,65 metros de altura). Seu peso provavelmente é o ideal mas ele é despreocupado demais para conferir. Inclusive, esse estilo desleixado é seu charme pessoal.

~ Psicológicas: Corey vive no acampamento desde os sete anos. Há dez anos ele foi dado como desaparecido, mas por mais que tenha saudades da madrasta carinhosa e do pai protetor, ele se mantém longe de Atlanta. Seu receio de reencontrar a família é a religiosidade do Reverendo Phil (seu pai ex-mágico de circo), que pode considerar o filho um "usado do demônio". Essa dor seria maior ao seu pai que a dor de um filho perdido.

O filho de Hécate já experimentou de tudo, inclusive a perda de entes queridos, de forma que se tornou um exímio bon vivant. Aproveita sua vida despreocupado com as obrigações (sem negligenciá-las), vendo sempre o lado bom das coisas e curtindo no processo.

Seu estilo descontraído é sua marca registrada: sua voz é calma e audível, como são os cantores de surfmusic, e seu olhar emana as mesmas mensagens claras o tempo todo. Sim, Corey Flint tem olhares fixos que são facilmente lidos, e dependem da situação.
Por exemplo, se ele sente ódio é um "e daí?!" raivoso e arrogante, duvidando que alguém o contradiga. Quando está calmo é um "qual o problema, cara?" compreensivo e carinhoso. Nas outras ocasiões seu olhar diz "você duvida?", desafiando amigavelmente os observadores, como fazia o Maravilhoso Phil na época do circo.

No geral: Corey Flint é um cara bondoso e goodvibes, curte skate e tocar violão à noite. Não se estressa com nada, quase nunca, mas quando se estressa isso é notável. O problema maior, talvez, seja nunca saber o que estressa esse cara.

   — História do Personagem:

    Corey cresceu em Atlanta, onde o pai pastoreava uma pequena igrejinha no centro. A igreja era comprida e estreita - como se pegassem um pequeno quarto e o esticassem - porque na verdade era metade do imóvel real. A outra metade era ocupada pela Loja de Truques Mágicos do Maravilhoso Phil (nome autoexplicativo).
Phil Flint fora um veterano de guerra que encontrou no circo a função de mágico. Viveu disso por anos até conhecer no Texas uma mulher que se mostrou mais interessada em suas mágicas do que normalmente são as mulheres de trinta anos. Phil viveu um romance curtíssimo de quatro noites com ela - e o fato de só vê-la a noite lhe era normal, - antes de partir para a próxima cidade da turnê.

Nove meses mais tarde, em Miami, Phil recebeu novamente em seu trailer a paixão de quatro noites. Sob o pseudônimo de Harriet, a jovem do Texas, Hécate entregou aos cuidados do pai o semideus recém nascido.

— Por Deus, mulher! — a voz de Phillip soava abafada, como se tentasse falar enquanto sufocava. — Vou te transformar em mulher honesta. Nós podemos casar e criar isso juntos... Não. Ele. Nós podemos criar ele... Meu Deus todo poderoso.  

— Uma mulher honesta?! — a gargalhada não soava verdadeira, mas ainda assim Phil sofreu com a troça. — Tem tanta coisa errada aí... Você presume que eu seja uma mulher, por exemplo. Não, não fique confuso, querido, eu sou mulher, mas sou tanto mais. Sou o quanto eu quiser.

— Você não fala coisa com coisa, isso é coisa do diabo! O tinhoso tá me testando! Eu não tenho como criar uma criança e você sabe! O circo não é lugar para bebês! Nem os filhotes dos animais tem vida fácil aqui... — o mágico Maravilhoso Phil gritava e agitava os braços para ilustrar seu ponto de vista. Ele parecia um grande morango de cabelo ralo e bigode por fazer.

— Phillip, não seja um imbecil. Abandone o circo e monte uma igreja, já que é tão "crente" assim. Eu não ligo. — a névoa fez parecer aos olhos mortais de Phil que Hécate havia atirado o filho nele, que milagrosamente pegou-o num reflexo de soldado. Na verdade Hécate enviou cuidadosamente o bebê aos braços do pai numa nuvem roxa fofinha.

 Os eventos da noite fizeram de Phil Flint um cristão fervoroso, afinal estava convencido que havia encontrado uma mulher possuída por Satanás. A doce Harriet, ávida por conhecer os melhores truques do Maravilhoso Phil se transformou em nove meses numa megera que atira o próprio filho num ataque de fúria.
Decerto Phil deveria chamar a polícia ou prender a mulher, mas ela abandonou o trailer imediatamente ignorando os gritos do amante.

Registrar a criança foi um verdadeiro pesadelo burocrático, por isso vamos ignorar essa parte e pular para Atlanta.
O motivo que levou pai e filho para a aconchegante cidade de Atlanta foi a madrasta calorosa: Edina Gonzalez. Todos amavam Edina porque ela cozinhava bem, era atenciosa e não ligava para o que os homens da família faziam desde que eles não deixassem roupa espalhada pela casa. Essa simpática senhora porto-riquenha tinha família espalhada por todas as Américas e após algumas conversas no telefone em espanhol conseguiu convencer Phil a abandonar tudo e construir vida nova como comerciante.

Corey passou a frequentar a escola mais próxima e a manter o péssimo desempenho de sempre; Edina tornou-se garçonete no Barney's Restaurant fazendo turnos diários das dez às dezoito horas; Phillip comprou uma locadora decadente e transformou-a numa pequena loja de mágica / numa pequena igrejinha com pouco mais de vinte membros (eu não disse que Phil havia virado um verdadeiro crente?).
Aos sete anos as coisas começaram a acontecer. Os monstros começaram a dar as caras, apenas os mais fracos, e normalmente por acaso. Corey não sabia, mas a pequena igreja era um grande entorpecente para o olfato dos montros. Bem, não é tão difícil de assimilar o conceito: você junta vinte senhorinhas às quartas e domingos as vezes mais de uma vez ao dia. O cheiro delas acaba ficando entranhado em você e no lugar, apagando o rastro de semideus. Ainda assim os monstros apareciam, e quando isso acontecia Corey fugia (as vezes por dias).

Numa dessas noites em que ele se abrigou nos becos de Atlanta para se esconder de algum monstrinho acabou sendo encontrado por Forrest Woods, um sátiro de meia idade que parecia os nerdões que compravam na loja de truques.

— Aí está você, garoto. — a voz insegura do sátiro fez algo na memória de Corey apitar.
— Eu já te vi na igreja...
— Não, não... Quer dizer... Nada contra...
— Não é da igreja? No restaurante?
— Oh! Eu até gostaria, mas fui uma vez e me baniram por comer os talheres...
— Da loja de mágica então?
— Hã? Loja de mágica? Oh, sim, de fato! Eu compro muitas coisas lá. Adoro comer as varinhas que se tornam flores.... Huuuum..... Aquela caneta que espirra água quando você tira a tampa é refrescante e saborosa, eu queria saber como seu pai consegue aperitivos de tanta qualidade.


Na entrada do beco surgiu uma górgona enraivecida ávida por sangue de semideuses. Forrest em trinta segundos desfez seu disfarce e explicou sobre a realidade da situação (tudo isso da forma mais atrapalhada possível).
Forrest saltou e puxou a escada de incêndio do prédio; Corey subiu enquanto o sátiro atirava latões de lixo contra a górgona. Os latões atrasaram o monstro por dois minutos e nesse tempo o semideus conseguiu chegar no terraço, por onde correu até o do prédio seguinte (que era colado parede com parede). Essa aventura Parkour terminou após Corey atravessar seis terraços e descer pela escada de incêndio do último prédio.

Milagrosamente lá embaixo estava Forrest Woods segurando a porta traseira de um táxi. A górgona finalmente havia chegado na escada de incêndio e pôde observar enquanto Corey e seu sátiro protetor partiam. O semideus pegou no sono e horas mais tarde acordou no Acampamento Meio Sangue.

 Durante o jantar todos pareciam prestar atenção em Corey por se consolidarem com a situação (não é todo mundo que vai para o AMS aos sete anos). Enquanto se lambuzava com seu McColosso de sobremesa a criança estranhou os murmúrios que retornaram bem mais fortes do que antes. Alguém começou a aplaudir como se algo solene estivesse acontecendo e então Forrest tocou no ombro de Corey.

— Meu garoto, você é um filho de Hécate... Quem diria, né? — a orgulho protetor nos olhos de Forrest e o tom afável de sua voz fizeram Corey lembrar da família e naquela noite ele chorou até dormir.

   
Percy Jackson RPG BR



   
Corey Flint
avatar
Indefinido
Mensagens :
2

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Raphael Jauregui em Sex 08 Dez 2017, 21:13


AVALIAÇÃO


Corey Flint: E aí, tudo bem?
Antes de dizer minha posição, preciso comentar algumas coisas. Você escreve bem. Muito bem por sinal. Tua forma de postagem é diferente, e eu gostei bastante do que li. Mas é uma narração um pouquinho falha.

Ela não te passa interesse. Ela é corrida, quase tão relaxada quanto o seu personagem. Eu consegui sentir o personagem, consegui entender ele, mas foi tudo tão rápido que não pude aproveitar. Falta emoção, falta o que seu personagem está sentindo.

Acredito que se não fosse para um Deus o qual exige uma ficha mais trabalhada, você teria passado. Mas não é o caso. Por fim, por favor, não desista!

Corey Flint, reprovado como filho de Hécate
Raphael Jauregui
avatar
Monitor de Zeus
Mensagens :
420

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Ivan Magritte Hoje à(s) 01:00


FICHA DE RECLAMAÇÃO
— Por qual deus deseja ser reclamado/ qual criatura deseja ser e por quê?

Perséfone: A deusa é sinônimo de sedução, luxúria e vingança. Como filho de Perséfone, Iv é um belo garoto problema, que gosta de fazer suas próprias regras, usar da sedução para conseguir o que quer, e pisar em quem estiver em seu caminho.

— Perfil do Personagem (Características Físicas e Características Psicológicas - preferencialmente separadas):

Físico: Ivan é descende de Belgas, portanto possui uma pele clara, é alto e esguio. Seus cabelos naturalmente loiros são escondidos com tintura negra. Os fios dourados passam a ele a impressão de ser angelical demais. Ele se move de forma pretensiosa, usando sempre roupas que são uma mistura de choque e sedução. Brinca entre o feminino e masculino. As vezes pinta as unhas, os lábios e as pálpebras, um por vez ou tudo de cada vez. Num dia nebuloso pode ser confundido com uma jovem garota. A influência das ruas Nova Yorkinas lhe deram trejeitos, girias e cicatrizes. Uma tatto bem escondida no meio da espinha: uma flor de papoula-ópio. E outra na lateral do dedo-do-meio da mão direita: "ven y verás".

Mente: Todos que olham Ivan nunca sabem o que esperar. Um beijo ou um cuspe no meio do rosto. E tudo isto seguido de seu sorriso misterioso. Ele é atraente, não por ser bonito, mas pelo seu mistério. Isso também faz com que ninguém confie nele devido a seu espírito volátil. Pode fazer amigos e inimigos em segundos com sua lábia, e depois inverter a situação com um estalo. Ele é curioso, com seus olhos ele penetra seu ser buscando te entender, mas logo se cansa e te esquece por completo. Porém, não apenas externamente que Ivan é dúbio. Seu próprio ser caminha duas estradas. Ele se ama de manhã e se odeia a tarde. Deseja alguém de dia e quer matar a noite. As palavras de um médico disseram: "Transtorno Bipolar". Mas o que ele ouvia em sua cabeça era: "Você é mais do que podem ver".

— História do Personagem:

Eu sou filho da traição. Da luxúria. Sou filho largado de uma mãe que não me quis. Sou sofrimento. Sou fruto de uma mãe seca. Uma mãe fria, enterrada numa tera infértil. Sou filho de uma mãe que apenas gera para ferir seu marido. Eu sou filho de...

- Tem certeza que ele virá? - Um garoto nerd parecia apreensivo. Ele se escondia da chuva em baixo da marquise de um prédio. Seus óculos embaçados escondiam o temor em seus olhos.

- Da para largar de ser medroso. - O garoto usando o moletom do time socou seu braço. - Quem me deu isso é de confiança.

Ele mostrou um cartão ao outro garoto. Uma carta de baralho negra. Em um dos versos podia se ver uma gravura. Um número "IV" em algarismo romano, sob uma flor de papoula. O símbolo dele. Daquele que tinha audácia e meios de se infiltrar na escola, e vender as ilícitas mercadorias. Drogas, armas, equipamentos. O que sua mente suja, pervertida e cheias de hormônios desejasse ele poderia conseguir. Porém, a seu preço.

Ele. IV, The Poppy.

O prédio em que os dois estavam era a antiga quadra da escola. Não era mais usada, sendo destino de encontros secretos, drogados anônimos e um dos pontos de troca de IV. Uma sombra se projetou em uma das janelas. O nerd saltou de medo, se segurando para não despejar suas fezes na calça. Uma pessoa encapuzada abriu a janela e fitou os dois do lado de fora. Um casaco escondia seu rosto e corpo. Poderia ser qualquer um. Ele se debruçou sobre o parapeito como uma senhora fofoqueira a observar a rua. Ergueu uma das mãos. O jogador lhe entregou a carta e junto um bolo de notas enrolado numa tira de elástico. O encapuzado levou o dinheiro até o rosto e pareceu cheirar. Ele enfiou a mão dentro do capuz de onde tirou um saquinhos plásticos contendo pequenas pastilhas e as jogou no chão. Os dois se abaixaram para pegar e quando se levantaram a figura estranha já havia sumido. O garoto por baixo do capuz já estava longe, andando por aí displicente enquanto contava o valor de sua transação.

Ivan Magritte era IV, The Poppy. Um descendente de imigrantes Belgas. Filho bastardo de um músico bêbado, que chegou em casa um dia trazendo um bebê no colo. Logo depois sumiu deixando dúvidas e uma criança para sua esposa criar. Eva Magritte, uma secretária pobre que teve que criar um filho de outra mulher. E criou, com muito amor e como pode. Teve ajuda de seu sogro. Um velho senhor, que possuía uma pequena barbearia no Brooklyn. Local que anos depois Ivan descobriu ser apenas uma fachada. Soren Magritte, líder de uma pequena gangue Belga local. Ensinava o pequeno Iv sobre a vida enquanto barbeava seus clientes. Depois ensinava no porão como sobreviver ao mundo, onde escondia armas, drogas e artimanhas. Seu neto cresceu como um belo jovem. Tinha a lábia da família, como Soren dizia. E como ninguém, parecia ter nascido com o dom de lidar com as plantas que abasteciam o estoque da "cozinha" de drogas. Suas palavras eram doces quando chegavam aos ouvidos dos "clientes", trazendo muito lucro a seu avô. Logo Eva percebeu a aproximação perigosa de seu sogro com seu filho.

Com coração na mão Iv negou o avô, mas apenas na frente dos olhares de Eva. Passou a construir seu pequeno império, sob tutela de Soren. Engava e comerciava com seus colegas, garotos dos bairros vizinhos, e turistas obtusos. Para seu nome não correr por aí e chegar aos ouvidos de sua mãe, Ivan adotou um codinome. Papoula sempre foi sua flor favorita, aquela que trazia a essência entorpecente. Assim IV, The Poppy nasceu.

Ivan por sua vez não era alguém que prestasse. Sua família era a única que algum dia escapavou de sua personalidade volátil. Seu hobby era estragar a vida dos outros. Ele era perfumado, mas o aroma so escondia o podre de seu ser. Uma alma selvagem, com olhos penetrantes que seduziam tudo e a todos. Limites nunca foram para ele. Seu nome corria por aí como um safado amante e perigosa companhia. Tão parecido com seu pai.

No corredores da escola preferia ser invisível, mas algumas cabeças viravam com seu andar. Inclusive de Isabela Loren. A garota mais popular da escola. A garota que ele fez questão de beijar. Não escondido, mas no corredor principal logo após o sinal tocar. Todos presenciaram. Inclusive Frank Gallo, namorado de Isabela.

Ele o achou na frente do prédio da escola. Uma multidão presenciava Frank indo em direção de Ivan. Uma formação de músculos contra o magro garoto. Socos, chutes e empurrões o detonaram, mas há quem dissesse que aquilo não tirava o sorriso dos lábios de Ivan, nem seu charme. Ele levantava e Frank continuava a derruba-lo. Ele não se importava com aquilo. Seu felicidade era ver a dor do outro. A dor que ele sentia em si, projetava naqueles que ele mais desprezava. Frank Gallo. Um idiota popular que se achava rei da escola.

Ivan viu seu sangue sujar o asfalto da calçada. Poças vermelhas e intensas como a flor de Papoula. Quando viu não acreditou em seus olhos. Seu sangue correu e se juntou. Depois se espalhou criando forma, desenhando o chão. Uma flor se formou, intensa brilhante e bela. Parecia que só ele via aquilo. Ele sentia que não era alucinação. Era algo poderoso, um chamado, uma força que o levantou. Ele não sentia dores ou remorço. Ele sentia um calor, uma vontade de se aproximar de Frank. Ele caminhou até seu oponente. Olhos nos olhos. Uma aúrea intensa saia dele. Um aroma luxuriante. Frank começou a tremer, sentia seu corpo vascilando e o coração batendo. Ivan estava bem a sua frente e ele não conseguia bater nele, ou ofende-lo.

- Frank Gallo. - Falou Ivan. - Porco sujo, boneco de plástico. O rei coroado por esta massa uniforme de rostos todos iguais. Sem história, sem individualidade e sem futuro. Você anda por estes corredores exalando confiança, fazendo todos de temerem e amarem, mas você é tão fraco quanto eles. Um pobre garoto com músculos que não tem coragem de verdade. - Ivan se aproximou mais ainda. - Que finge ser aquilo que querem de você. Você so me bate porque quer seu "eu". - Ivan envolve seus braço no pescoço de Frank. - Porque você quer... a... mim...

E foi assim que Ivan Magritte abandonou sua vida antiga. Com um beijo. Um ato que destruiu a fama de Frank Gallo. Um ato que fez todos admirarem e se assustarem ainda mais com ele. Ele nunca mais retornou a sua escola. Pegou suas coisas, despediu de sua mãe com um abraço, e se foi.

Um simples beijo fez com que Ivan entendesse a fragilidade e mediocridade daqueles a sua volta. Que ele pode sentir que era diferente, e mesmo não sabendo como ainda, logo estaria trilhando um destino maior.

O destino de um semi-deus.
Percy Jackson RPG BR
Ivan Magritte
avatar
Indefinido
Mensagens :
3

Localização :
Inferno (Brooklyn)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Reclamação

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 15 de 15 Anterior  1 ... 9 ... 13, 14, 15

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum