Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

— Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

— Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Ártemis em Dom 28 Maio 2017, 18:27


Circus
MNEM PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON

Uma mobilização estranha tinha agitado o acampamento meio-sangue naquele final de semana. Quíron estava tenso. A relação dele com os centauros tinha sido abalada, por um momento, com o desaparecimento de um familiar. Centauros corriam por todo o território a uma velocidade alarmante. O membro desaparecido fazia parte de um bando de nômades, tendo pouca relação com Quíron, o que contribuía para a falta de confiança deles no acampamento após esse episódio. Em pouco tempo, o bando estava inconformado e, em partes, desesperado. Embora acreditasse que os centauros conseguiriam achar o membro em uma questão de tempo, eles não esperavam que Quíron mantivesse os braços cruzados depois de seus semideuses terem traído sua confiança. Formaria uma equipe.

A mensagem de Íris surgiu primeiro para Carylin e Franz, que estavam mais próximos do acampamento. O rosto do centauro mostrava incomum serenidade, embora fosse perceptível para os campistas notar seu semblante preocupado.

— Semideus. Preciso de sua ajuda.


OBJETIVOS
pontos obrigatórios e opcionais

— Interpretem o que estavam fazendo quando receberam a mensagem de Íris. Cada mensagem será única, porque Quíron teve um motivo para chamar cada um de vocês - sintam-se livres para interpretar o centauro e as falas dele. Ele irá dizer que os três foram escalados para uma missão de resgate, e que vocês deveriam ir para Nevada. O centauro desaparecido em questão, segundo a descrição de Quíron, pertencia à uma "etnia" diferente - ele era meio-veado e, também, possuía o corpo e cabelos brancos. Narrem a viagem até Nevada.

Franz e Carylin vão receber duas mensagens de Íris. A primeira será de Quíron, informando a situação e os instruindo sobre a missão. Durante a viagem, outra será aberta, muito mais breve - mostrando a imagem de centauros em frente ao Hotel e Cassino Lótus. Um centauro desconhecido falará para vocês que tinham localizado o membro desaparecido, e que o cheiro dele levava justamente ao Cassino. Mudem o curso da viagem para Las Vegas ao receberem essa informação.

Jun Myeon, por estar mais perto de Nevada, irá receber uma única mensagem de Íris de Quíron. Ele informará a situação, como nas outras mensagens, mas também avisará que o destino é Las Vegas, já tendo descobrido essa informação à essa altura do jogo (seguindo uma ordem temporal).

— Como previsto por Quíron, que os informará que tinha escalado mais dois semideuses junto com você, todos se encontrarão em algum momento ao chegar em Las Vegas. Pode ser no aeroporto, nas ruas ou em frente ao Cassino - vocês decidem. O post de introdução, que é importante para a avaliação da ortografia/gramática e organização, deverá ser finalizado ao encontrarem a fachada do Hotel. NÃO NARREM NADA AO CHEGAR LÁ. Informações importantes serão dadas no próximo post;


ADICIONAIS
sobre o local e as diretrizes

— Diretrizes: missão narrada externa mediana; introdução.

— Local: Hotel e Cassino Lótus (Las Vegas, Nevada).

— Horário: noite ao chegar em Las Vegas.

— Clima: frio e nublado.

— Extras off: poderes, armas e possíveis mascotes deverão ser colocados em spoiler ao final do post, para fins de organização.

— Adendos: informações não dadas poderão ser acrescentadas por vocês, porém com coerência. Qualquer coisa, contatem-me via MP, Fb, Wpp, carta, sinal de fumaça, etc.

— Instrução de postagem: Esta é uma missão narrada. Peço encarecidamente que EVITEM escrever post's muito longos ou com muitas informações. O ideal, nos turnos de narrada, é que cada post tenha de 7 a 10 linhas. Prezo a dinâmica. Por isso, ortografia será ainda menos importante do que já é, e objetividade passará a pesar muito mais. FAÇAM POSTS CURTOS.

— Introdução: O post de introdução é uma exceção à regra acima. Irei avaliar a ortografia, fluência e organização nele. Nesse, vocês podem postar do jeito que sempre postam: cheio de sentimentos, detalhes, pensamentos e ideias. Por exigir mais de vocês, o prazo também é maior - mas não testem minha paciência, bbs.

— Prazo de postagem: O post de introdução terá 120 horas de prazo (5 dias), contando a partir da postagem da missão.


STATUS
NPC's, players e condições ON-game

Carylin S. Ogtöller
Vida: 370/370;
Energia: 370/370;

Franz H. Baudelaire
Vida: 370/370;
Energia: 358/370.

Oh Jun Myeon
Vida: 250/250;
Energia: 250/250.




A little broken, a little new
We are the impact and the glue


Ártemis
avatar
Deuses
Mensagens :
52

Localização :
Nômade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Carylin S. Ogtöller em Dom 28 Maio 2017, 21:07


CIRCUS
O dia se encontrava tediosamente comum. Carylin havia passado por duas sessões de terapias seguidas com Trent e, como de costume, o tempo sucedeu rápido dentro daquela sala excessivamente branca. O namorado e terapeuta da menina fazia tudo parecer mais leve do que era, de modo que até mesmo os fantasmas de sua cabeça conseguiam ficar quietos. Por duas horas diárias, era como se Ogtöller fosse uma pessoa normal entretida em uma conversa estranha sobre vozes e monstros. De todo modo, aquilo infelizmente não durava tanto quanto ela queria. 
 
Às dezesseis horas em ponto a prole da morte abriu a porta do consultório. Assim que saiu avistou Anne no final do corredor, uma menina que conseguia ser mais perturbada do que a própria Ogtöller. Ela estava sempre acompanhada por um guarda-costas e trajava uma camisa de força em todos os momentos de sua vida, já que tinha uma obsessão incomum por talheres — a maioria das pessoas achava aquilo perigoso, embora Carylin costumasse insistir que era apenas diferente. Trent geralmente a deixava livre em alguns momentos, mas, depois que ela "acidentalmente" enfiou um garfo no braço dele, foi decidido mantê-la sempre daquele modo. 
 
Com um aceno rápido de cabeça para a menina e o homem, Ogtöller subiu as escadas que rumavam ao seu quarto. Estava no terceiro degrau quando, para sua tristeza, as vozes voltaram a perturbá-la. De início foram tantas que ela sequer conseguiu diferenciar o que falavam, mas com o tempo a maioria foi se acalmando. Quando já estava no último degrau, um único fantasma se pronunciou. 
 
Por que está subindo para o quarto, Carylin? Estamos com fome! Anda, vamos comer.
 
Ela ignorou. O suspiro que deu foi como se estivesse se esforçando para não pular do quinto andar daquele prédio. Outras vozes continuaram a surgir, mas a menina apenas se deu ao trabalho de se trancar no quarto. Estava muito cansada para ir comer e, ao contrário dos próprios fantasmas, ela não estava com a mínima fome. Tudo que queria era dormir. 
 
Porém, assim que sentou-se na cama, um centauro aflito apareceu à sua frente. Carylin demorou, no mínimo, dez segundos para perceber que 1) aquele centauro era Quíron e 2) era uma mensagem de Íris. Antes de poder dizer qualquer coisa, o homem já começou a se pronunciar. 
 
— Olá, Cary, quanto tempo! Lembro que, da última vez que nos vimos, você estava partindo em uma missão para verificar se Trent era confiável... E então vocês nunca mais saíram de perto um do outro — Carylin forçou um sorriso. Tinha sido Quíron a fazer com que ela e Trent se conhecessem, e desde então a menina mantinha uma dívida com o centauro. Como que lendo seus pensamentos, o velho disse: — acho bom lembrar que você ficou me devendo uma, porque preciso de um favor. Você e mais dois semideuses estão sendo designados para uma missão de resgate. Vocês devem ir para Nevada resgatar um centauro.... Diferente. Meio-veado e com corpo e cabelos brancos, não tem erro! Boa sorte, garota. 

Dizendo que ia ser muito divertido, Carylin jorrou ironia no seu tom de voz. Como se não tivesse escutado, Quíron apenas sorriu e desapareceu. A menina, como havia sido lembrada, realmente devia uma para o homem. Desse modo, pensou que deveria fazer o melhor que pudesse. Trocou de roupa e pegou suas armas com muitas vozes questionando suas ações. 
 
Desceu as escadas com certa preguiça de sair de casa, mas logo se lembrou de que não teria de passar a noite com o menino que ficava tentando cabecear a parede, como havia prometido para Trent. Animou-se um pouco. Por ter que desmarcar seu "compromisso", interrompeu a sessão do namorado com Anne e o chamou do lado de fora. Ele pareceu surpreso, mas concordou. A explicação foi breve, porém Rifkin compreendeu rapidamente e sequer contestou. Isso era uma das coisas que Ogtöller mais gostava nele: a compreensão.   
 
Carylin pegou o primeiro táxi que passou à sua frente e pediu para que fosse levada até o aeroporto. Era realmente longe um estado do outro e, apesar de tudo, ela ainda tinha esperanças de encontrar um avião partindo com passagens disponíveis.  
 
É impossível achar uma passagem! Continuamos com fome, sabe... Por que não desiste disso?
 
— Vai dar tudo certo... 
 
O máximo que pode dar certo é a nossa morte, Carylin!
 
Os fantasmas estavam errados, entretanto. Ao chegar ao aeroporto, a menina conseguiu uma passagem só de ida para Nevada. Era melhor do que nada. O avião já estava partindo e, com muita sorte, Carylin conseguiu embarcar. Pegou uma poltrona ao lado do banheiro, e ficou feliz em ver que não havia quase ninguém ali atrás — talvez por causa do mau cheiro. 
 
Até a metade da viagem, tudo correu bem. Ela havia até adormecido um pouco, mas sempre acordava assustada pensando que o avião estava caindo. Não tinha medo de altura, mas não era a maior fã também. Geralmente evitava aquele meio de transporte, mas aquela tinha sido uma emergência.  
 
Estava quase pegando no sono novamente quando mais uma mensagem de Íris apareceu em sua frente. Assustada, a menina arregalou os olhos e mandou que as vozes se calassem. Obviamente elas não obedeceram. As imagens que apareciam para ela eram de vários centauros em frente ao famoso Cassino Lótus; ela sempre havia tido vontade de conhecê-lo! 
 
— Olá, menina. Conseguimos localizar nosso centauro pelo cheiro, que leva exatamente ao Cassino Lótus. Sinto muito, mas você talvez terá de mudar o curso da viagem.
 
Sem nem antes ouvir uma palavra de Carylin, o centauro desconhecido que aparecera sumiu. A menina, surpresa, começou a procurar alguém por perto para perguntar em qual cidade aquele avião pousaria. Sequer havia conferido aquilo, afinal, o destino inicial era apenas Nevada. Parou a aeromoça com certa ansiedade, e sua resposta agradou a menina: pousariam justamente em Las Vegas! Ela nem teria de pegar outro veículo para chegar ao local, o que fez com que seu humor melhorasse muito. 
 
Satisfeita, nem percebeu o resto do voo passar, ou sequer prestou muita atenção nas vozes em sua cabeça. Quando desembarcou já era noite, e a escuridão misturada com a emoção de uma missão a fazia se sentir melhor do que nunca. Mais uma vez, pegou um táxi, mas dessa vez com destino ao Cassino Lótus.  
 
Parou a alguns quarteirões de distância porque viu um lugar muito bonito e queria entrar. Perguntou ao taxista se estavam longe do destino inicial e, quando ele disse que era a apenas dois quarteirões, o mandou deixá-la ali. Era um cassino muito bonito, que tinha a aparência de um castelo. Será que seria ruim se entrasse ali e se atrasasse para a missão? Poderia colocar culpa no trânsito... 
 
Vamos, por favor! Parece muito melhor do que uma missão resgatando centauros!
 
Carylin estava realmente se convencendo a entrar. Porém, quando já estava com os pés quase dentro, viu dois garotos aparentemente tensos se cumprimentando, quase como se acabassem de se conhecer. A prole da morte podia sentir algo semidivino vindo deles... Seriam eles seus companheiros? Por curiosidade, se aproximou. 
 
— Hm... Estão procurando um centauro também? — Pensou que, se estivesse errada, eles apenas pensariam que era uma menina com problema de cabeça. Estariam certos, de qualquer forma, porque Ogtöller não era completamente normal.  
 
Eles concordaram, entretanto. E a menina ficou aliviada por terem a acordado daquele "transe" momentâneo, já que com certeza teria entrado naquele cassino encantador. Depois de se apresentarem, foram andando para o Cassino Lótus.
 
E, assim que chegaram, Carylin viu que tinha razão de sempre ter tido vontade de conhecer aquele lugar. A fachada era linda! E, imaginava ela, lá dentro mais ainda.

pormenores:
A Carylin tem esquizofrenia; essas falas em negrito no centro são dos fantasmas de sua própria cabeça.
armas:
{Sullem} / Anel [Anel feito de Ferro Estígio com uma grande Safira Negra incrustada em seu centro, representando uma caveira. Quando o usuário estiver com seu status de vida pela metade, uma aura negra o envolve. Faz com que a áurea recupere 20% do HP uma vez por missão] {Ferro Estígio e Safira} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

{Spanown} Capa [Uma capa negra feita de veludo e com capuz. A capa emite uma leve aura amedrontadora, por se lembrar da capa creditada a morte. A aura possui efeito até mesmo em seus aliados e animais, não possuindo efeito apenas sobre criaturas de nível igual ou maior. O efeito faz com que a defesa do inimigo reduza em 10%, por causa de seu temor em ser morto enquanto estiver próximo do portador a até 3m de distância, mas resistências ainda devem ser aplicadas. Adicionalmente, duas vezes por missão, por um período de dois turnos, há um efeito de camuflagem que deixa o usuário furtivo, escondido, diminuindo as chances de serem encontrados.] {Veludo negro} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

❃{Panoplía} / Jaqueta [A semideusa foi presenteada com uma jaqueta pelo seu mais novo amigo, Joaquim. Tal item é quase imperceptível, se camuflando como uma simples blusa enquanto a semideusa estiver em locais que cuidem de sua saúde (visto que normalmente teria uma roupa especifica para isso, a jaqueta se "transforma" visualmente na roupa que deve ser usada, mas apenas é vista pelas outras pessoas deste jeito - ela não modifica sua forma, cor ou peso, na realidade). Além da ilusão, é 50% resistente ao fogo (caso o elemento provenha de semideuses com mais de 10 níveis abaixo do dela), 25% se estes forem de 10 até 1 nível mais fracos e apenas 10% se forem de 1 até 10 níveis mais fortes. Protege os braços e o tronco da semideusa completamente contra fogo natural por até três turnos. Por conseguir manter o controle natural dentro da jaqueta, esta não se destrói facilmente com altas temperaturas provenientes de fogo ou calor natural (assim, deixa a semideusa 20% mais aquecida em temperaturas baixas e pode se tornar 'leve' em temperaturas altas, sem necessidade de tira-la por conta do calor). Não se transforma em armadura, mas ameniza danos de ataques diretos em 10%. Possui dois bolsos normais na parte interior e pode ser destruída por qualquer elemento diferente (provenientes de adversários mais fortes) ou por semideuses de fogo com mais de 10 níveis em comparação com a semideusa.] {Couro} (Nível Mínimo: 15) {Resistência ao fogo e calor} [Recebimento: Missão "O Novo Amigo", avaliada por Athena e atualizada por Psiquê.]

• {Werewolf} Bracelete [Exatamente igual ao bracelete que fora usado para controlar e transformar o soldado companheiro do semideus dentro da história de Chapeuzinho, Werewolf possui propriedades semelhantes, mas não tão bruscas para o portador. Uma vez por evento, conforme o desejo do dono, a pedra avermelhada começa a brilhar, evidenciando a liberação do poder. Seus efeitos fazem com que o semideus assuma características lupinas não físicas, ou seja: Sentidos extremamente aguçados (visão, audição, paladar e olfato) e também um aumento de 60% na força e agilidade. Por outro lado, há uma desvantagem: Enquanto estiver sob os efeitos do bracelete, o semideus sofrerá o dobro do dano inicial caso a arma utilizada contra ele seja feita de prata. Os efeitos duram 3 rodadas.] (Couro, rubi, magia) [Recebimento: Treino OUAT - Chapeuzinho Vermelho. Avaliado por Ayla Lennox e atualizado por Asclépio]

✣ Anima Bracelet. [Um bracelete de prata com o desenho de borboleta em ouro. Esse bracelete pode ser ativado com o desejo mental do usuário e transforma-se em uma corrente que pode medir 10m. Essa corrente é feita de prata e ouro sagrado, bastante resiste a tal ponto de ser semi-indestrutível. Ela obedecerá aos comandos mentais do mentalista com perfeição, independente do nível que ele esteja.] [Materiais: Ouro Sagrado e Prata Sagrada] (Nível mínimo 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: presente por ser mentalista]

✣ Yin Yang. [Uma espada de punho prateado e com um desenho bem talhado de uma borboleta em azul. Sua lâmina é de uma beleza diferenciada, pela divisão do cume central, metade dela possui um material negro e a outra metade é feito de prata sagrada. Seu corte é duplo e sua ponta afinada, uma espada bastante resistente. Ela possui uma habilidade de ativar um segundo modo em que a espada original se divide em duas, uma de lâmina totalmente preta e outra de prata sagrada. Nesse segundo formato a sua resistência diminui um pouco, porém seu corte fica extremo, podendo cortar metais pesados e causar efeitos sobre armas sagradas. Essa espada vem em uma bainha preta com entalhes azuis em borboletas, ela se adapta ao corpo do mentalista podendo ser usada do modo que este desejar carregar a espada.] [Materiais: Prata Sagrada e Material Negro] (Nível Mínimo: 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: Presente por ser mentalista]

{Fake God} / Colar [Um colar artesanal, feito com cordão preto, no qual fica preso a ponta de um chifre de equiceph, pequeno o bastante para caber na palma da mão. O pingente incomum acumula, dentro de si, a habilidade utilizada pelo monstro para ludibriar seus seguidores. Uma vez por missão, tocando o objeto, é possível ativá-lo. As palavras do usuário serão capazes de convencer qualquer um que seja capaz de ouvi-las. Na prática, as ordens do usuário passam a ser 20% mais efetivas. É necessário, no entanto, apresentar argumentos que consigam fazer a cabeça do alvo. Cabe ao narrador decidir se a argumentação foi suficientemente boa para atingir o efeito desejado. Oponentes de nível maior que o do usuário não são afetados. O poder não é capaz de convencer seu alvo a cometer suicídio ou colocar-se intencionalmente em perigo. O efeito dura duas rodadas.] {Cordão, chifre de equiceph] (Nível Mínimo: 26) {Nenhum Elemento} [Recebimento: Missão A Fera de El Paso, avaliada por Hades e atualizada por ~Eos]
poderes:
Nível 02
Visão obscura - Essa habilidade implica que o filho de Thanatos vai poder enxergar perfeitamente em lugares escuros, considerando que seu progenitor vive no submundo. O alcance visual, contudo, não é alterado. Não é válido para escuridão mágica. [passivo]

◉ Nível 2. Memória fotográfica: Tudo o que você ver ou ler ficará gravado em sua memória por anos, serve tanto para imagens para textos. [passivo]

Nível 10
Aura opressora - A aura do semideus provoca desânimo ou inquietação nas pessoas ao redor. Não afeta de modo perceptível a pessoas comuns, mas auras de otimismo e alegria provenientes de outros semideuses são anuladas em um raio de 20m ao seu redor. Infelizmente, se aplica a auras benéficas que poderiam afetá-lo também. A partir no nível 20 pode ser "desligada" como uma ação livre, sem custos. [Novo] [passivo]

◉ Nível 10. Empatia: Você sabe exatamente o que o outro está sentindo em termos de emoções. [passivo]

Nível 12
Fleuma - Filhos de Thanatos não se abalam facilmente, sendo controlados e, por isso, resistentes a efeitos de medo - uma caracteristica natural pelos poderes e postura de seu pai. Poderes de medo não provocam efeito se provenientes de oponentes até 10 níveis mais fracos, e causam apenas metade do efeito se entre 10 níveis abaixo e 10 acima, afetando-os normalmente além disso. Note que só é válido para poderes que provoquem o sentimento em si e efeitos derivados, mas não dano direto. [Modificado, antigo "Coragem natural"] [passivo]

Nível 13
Focado - Assim como Thanatos não se distrai facilmente em seu trabalho, seus filhos também não o farão. A partir desse nível, caso sejam alvos de poderes que causem confusão ou distração, os efeitos serão reduzidos em 20%, independente do nível da fonte (exceto para fontes divinas diretas). [Novo] [passivo]

Nível 20
Visão aprimorada - Os olhos da morte devem ser totalmente apurados, pois sempre há quem acredite em enganá-la. Nesse nível, os filhos de Thanatos terão o alcance visual duplicado. [Nome modificado, antigo "Visão da morte"] [passivo]

◉ Nível 20. Telepatia Avançada: Controle total, podendo escolher a hora que vai escutar os pensamentos ou não e também se comunicando livremente através dos pensamentos. [passivo]

Nível 27
Odor diferenciado - A partir desse nível, o odor dos semideuses é modificado, ocultando sua natureza. Apenas monstros e oponentes mais fortes podem detectar que o filho de Thanatos é um semideus pelo cheiro. Rastrear pelo faro ainda é possível, pois ainda que o odor não o denuncie por sua natureza, o corpo, como ocorre com o de qualquer pessoa, ainda emitirá um cheiro específico e individual. [Novo] [passivo]
thanks maay
Carylin S. Ogtöller
avatar
Mentalistas de Psiquê
Mensagens :
64

Localização :
She's heading for something that she won't forget ♫

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Franz H. Baudelaire em Ter 30 Maio 2017, 18:07

it's circus
MISSÃO NARRADA MEDIANA
the mission
PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON
— Shh, está tudo bem — murmurou ele para a garotinha, ao passo que massageava o couro cabeludo dela, revolvendo os fios negros como ébano com a ponta dos seus dedos. Após tratá-la com algumas poções, havia decidido aplicar-lhe os melhores cuidados caseiros para sérios sintomas de medo e desesperança: palavras doces e um afago denominado "cafuné". — Eu sei que está com medo. Eu também fiquei quando... descobri isso tudo. Mas vai ficar tudo bem. Logo alguém vem buscar você, está certo?

Ela passou de chorando para fungando, parecendo acalmar sua frequência cardíaca à medida que digeria as palavras. Estas, unidas ao cafuné e ao sorriso calmo que François lhe dirigia, pareciam fazer um rápido efeito, embora não houvesse nenhuma habilidade ativa envolvida. Não demorou para que ela estivesse meneando levemente a cabeça, encolhendo-se mais na maca e continuando a fungar baixinho.

O filho de Macária levantou-se. Um tanto cansado, respirou fundo. Estralou de leve o pescoço e as costas, tomando lugar no assento logo ao lado da maca da garotinha, sua paciente mais recente, e permitiu-se relaxar um pouco.

Era a terceira vez na semana que lidava com um quadro psicológico delicado.

Enquanto era um mero estagiário no Acampamento Meio-Sangue, não foram raras as vezes em que pacientes com complicadas situações psicológicas ficaram aos seus cuidados. Certa vez, teve que tratar até mesmo de um caso de amnésia — ainda que não tenha tido êxito em fazê-lo recobrar qualquer lembrança que fosse. No entanto, esse número de casos era nada comparado aos que lhe apareciam em sua própria enfermaria, já longe do Acampamento; parecia que o local havia virado parada obrigatória para semideuses confusos, que nem sequer tinham pisado na Colina alguma vez na vida.

Não que estivesse reclamando do seu trabalho, não. Os olhos levemente cansados dirigindo-se à garotinha, pensando em quantos casos como o dela já havia tratado e em quantos mais ainda trataria, eram meramente divagantes. Aquele era apenas o seu costume de perder-se em pensamentos, adotando sua melhor cara de paisagem.

Foi preciso que o centauro falasse um punhado de palavras para que Franz Baudelaire olhasse, confuso, em sua direção, e finalmente notasse a Mensagem de Íris pairando ao seu lado.

— Oh — foi tudo o que conseguiu dizer de prontidão. — Oui? Precisa da minha ajuda? Está tudo bem, Quíron?

— Na verdade, não, Baudelaire — respondeu-lhe, embora aparentasse estar calmo demais para quem precisava de ajuda. — Estou te contatando para requisitar alguns serviços. Sei que é um dos curandeiros mais competentes que temos, e é um dos poucos que está livre, então... Realmente preciso que seja você. É uma missão de resgate, em Nevada.

Missão.

Franz engoliu em seco.

Levou distraidamente as mãos aos cabelos, endireitando-se na cadeira para ouvir melhor o que o centauro tinha para lhe dizer. Obviamente não negaria, e talvez a expressão atenta em seu rosto tenha dado passe para Quíron voltar a falar, elencando mais informações da busca.

— Um centauro desapareceu. Ele é diferente do que se imagina; pertence a outra etnia, sendo meio-veado. Presumo que entenda o que isso quer dizer, hm? Outra pelagem, outra estatura... — começou, ao que Franz meneou, afirmativamente. — Estarei mandando mais dois semideuses além de você. Considerando que irá aceitar, é claro. Só precisam encontrá-lo, salvá-lo de onde quer que esteja e deixá-lo num local seguro. O que me diz?

— Irei — concordou depois do que pareceram anos para o ser da natureza, embora o canadense sequer tenha percebido a demora. — C-como chegarei a Nevada? É do outro lado do país, Quíron.

— Quanto a isso, infelizmente não posso fazer muito. Mas tenho certeza de que resolverá — disse-lhe, pouco antes de sorrir contido e desligar, ainda fazendo uma pausa para dizer que confiava no trabalho do curandeiro e que daria tudo certo.

Ficaria tudo bem, é claro. Franz tentava se convencer disso. Volveu os olhos para a garotinha ao seu lado, repentinamente sentindo-se tão indefeso quanto ela. Parecia que todo o tempo que havia passado no Acampamento tinha sido reduzido a nada, porque, pela primeira vez em meses, ele enfim estava saindo em missão. Sua primeira missão.

•••

O avião estava lhe deixando nervoso. A cada solavanco, o semideus prendia sua respiração e segurava firme nos braços de sua poltrona, imaginando que poderia ser algum monstro lhe farejando e tentando derrubar a aeronave a todo custo.

Os olhares enviesados que recebia também não melhoravam muito a situação. Uma das aeromoças, que lhe olhava com frequência, chegou a despertar no rapaz uma séria desconfiança; bonita como era, poderia até mesmo ser uma empousa, não?

“Relaxe, François”, pensava consigo mesmo, inconscientemente fazendo-o em francês. “Quíron disse que ficará tudo bem. Então ficará tudo bem.” Entretanto, as imagens frequentes de semideuses ensanguentados, entre a vida e a morte, que tanto viu nas enfermarias pelas quais passou, pareceram atingir-lhe como mísseis. Por alguns segundos chegou a questionar suas capacidades enquanto curandeiro, não sabendo se estava seguindo mesmo o deus certo.

Isso, no entanto, foi tragado quando a mão singela segurou levemente seu pulso.

— Shh, está tudo bem — dizia Aurora, a garotinha que anteriormente havia tratado em sua enfermaria. Enquanto arrumava seus pertences, logo após a MI, tinha visto-a olhar a cena com curiosidade, e logo tratou de explicar-lhe do que se tratava. Ela comentou: morava em Nevada, e tinha perdido o voo de retorno junto a sua mãe quando foi atacada no aeroporto, sendo quase morta por uma empousa. O curandeiro logo se ofereceu para levá-la ao local, sabendo que a mãe dela provavelmente estaria descabelando-se naquele exato momento, querendo voltar o quanto antes para Manhattan.

— Está, não está? — ele disse, emitindo aquele seu tom rouco, baixo e incrivelmente agradável aos ouvidos. — Também me dirá que sabe que estou com medo, que você também ficou no seu primeiro voo e que logo vai passar? — tornou a indagar, remontando a sua fala de mais cedo, quando fez cafuné nela.

Aurora riu das palavras do curandeiro, logo antes de assentir e repetir exatamente o que ele tinha dito.

A verdade era que ele estava completamente apavorado com tudo, mas não por saber que algo poderia dar errado com o avião. Era apenas a estranha sensação de estar em missão, com a qual ainda não havia se acostumado, justamente por nunca antes ter experimentado.

Mas era certo: Aurora tinha razão. Ele respirou fundo e afundou-se confortavelmente na sua poltrona, vendo a garotinha fazer o mesmo — estando ela preparando-se para uma rápida soneca. Resolveu pensar em como tudo até ali tinha dado certo: conseguiu decidir facilmente o que levar e o que não levar para Nevada (nada além de suas adagas, suas botas, seu manto e poucos penduricalhos); conseguiu um estagiário para ficar de olho em seus pacientes, já que estava saindo em missão; conseguiu, também, dinheiro mortal para comprar a passagem de ida — emprestado, sim, mas temporariamente seu; conseguiu até mesmo um voo naquela mesma tarde, sem uma escala sequer. Se tudo até ali estava dando certo, significava que havia chances de sair tudo nos conformes, certo?

Errado.

A segunda Mensagem de Íris do dia materializou-se diante dos seus olhos, fazendo a prole de Macária dar um sobressalto. Deu graças aos deuses por ter escolhido estrategicamente assentos mais escondidos, no fundo da aeronave; assim, ninguém havia notado a anomalia presente no voo.

A cena era confusa, mas seus olhos ágeis conseguiram discernir o que viam. Parecia ser uma espécie de cassino às costas de um bando de centauros — todos muito agitados, por sinal —, enquanto o maior deles olhava diretamente para o rosto do garoto, analiticamente.

— Mudança de planos, garoto. Farejamos o centauro desaparecido. Ele está em Las Vegas, então não é preciso que vá para Nevada. O cheiro nos levou ao Hotel e Cassino Lótus. Presumo que saiba onde fica. Preciso que venha para cá o mais rápido possível, sim? Não demore! — disse a criatura logo antes de passar a mão pela mensagem e encerrá-la, deixando, do outro lado da linha, um François visivelmente embasbacado.

Teria que mudar sua rota, então? Mas como, se estava numa aeronave? “Estava demorando para algo sair errado”, pensou enquanto massageava levemente suas têmporas. Afinal, parecia que aquela não seria uma missão tão fácil assim.

•••

Quando enfim desembarcou, recuperou sua bagagem e conseguiu encontrar a mãe de Aurora, Franz saiu do aeroporto, completamente perdido. A sensação de que tudo pioraria só crescia em seu peito, embora lutasse ferrenhamente contra ela, usando seus melhores pensamentos positivos. Ocasionalmente pensava em donuts, mas isso era culpa da sua fome, apenas.

Chegou a cogitar fazer uma rápida pesquisa, procurando saber quando seria o próximo voo para Las Vegas (considerando que haveria um), mas decidiu que seria desperdício de tempo. "Não demore", lembrou de ter dito o centauro na MI. Quanto tempo levaria até encontrar um voo disponível, chegar a Las Vegas e ainda encontrar o tal Hotel e Cassino Lótus?

Foi exatamente por esses questionamentos que ele abandonou a ideia de ir voando. Teria que dar o seu próprio jeito. Talvez o manto lhe servisse, afinal; uma viagem nas sombras não seria desgastante ou difícil de se fazer, cogitando que o céu já escurecia em Nevada. Mas nunca havia ido a Las Vegas, então aquilo poderia dar muito errado caso tentasse.

Preferiu seguir o método mais tradicional, recorrendo à própria mitologia.

Lembrou dos procedimentos que usou para voltar ao Acampamento semanas antes. Procurou uma rua mais afastada e ergueu sua mão direita, murmurando em grego antigo: "Stethi, O harma diaboles!". Logo, um borbulhar intenso tomou conta do asfalto à sua frente, mostrando em instantes um perfeito táxi americano. No banco da frente, três mulheres enojantes sorriam para si.

— Para onde, docinho? — perguntaram assim que ele entrou, olhando para o semideus com suas cavidades oculares quase vazias. Uma delas tinha um olho, como ele bem podia lembrar.

— Hotel e Cassino Lótus, por favor. E o mais rápido possível.

— Seu pedido é uma ordem — falou uma delas, puxando rapidamente algum mecanismo que Franz desconhecia e partindo a toda pelas ruas de Nevada, tão rápido que o semideus mal conseguia acompanhar a paisagem pela janela do passageiro. Quando deu por si já estava entregando o pagamento às três, dando-lhes o pouco recurso que tinha. — Até a próxima!

E, então, ele estava sozinho. Em Las Vegas.

Deu um giro completo, procurando pela imagem que viu na Mensagem de Íris, mas tudo o que encontrou foi cores vivas em letreiros neon. Andou um pouco, chegando a ruas de acesso menos movimentadas, dando graças à sua ascendência, que permitia-lhe ver mesmo na penumbra. Para a sua surpresa, encontrou vagando por lá alguém que havia atendido no dia anterior.

— Hm... hey — disse, momentaneamente confuso. Era coincidência demais. E no mundo dos semideuses não havia coincidências assim. — Você... é o cara de ontem, não é? Que passou na minha enfermaria. Sou Franz. François Baudelaire, o curandeiro que te...

Mas não foi capaz de terminar. O homem olhou-o cortante, murmurando um "não" mal-educado, quase sem olhar nos olhos do Baudelaire. Aquilo o fez arquear as sobrancelhas, levemente surpreso pelo descaso do outro. Tinha plena certeza de que estava certo.

— Aish — ouviu-o praguejar, um tanto irritado. Parecia tão perdido quanto François.

Quando estava prestes a falar para quebrar aquele clima estranho e tentar, de toda forma, fazer o mais velho lembrar do dia anterior, uma terceira voz interveio. E enfim as peças do quebra-cabeça em sua mente se juntaram, vendo os outros dois ali e lembrando-se das palavras de Quíron. Aquela era uma missão em trio.

A voz era de uma garota. Franz ficou levemente desconfortável pelo que podia sentir dela, mas sua voz doce e simpática o fez sorrir levemente, concordando quando ela citou o centauro. Não foi surpresa para ele quando o outro ali afirmou estar buscando a criatura também.

Não demoraram-se a enfim sair dali, buscando o tal Hotel e Cassino Lótus. E demoraram menos ainda a chegar ao seu destino. Mas o primeiro pensamento que ocorreu-lhe, por instinto, era se sairiam dali. Realmente esperava que a resposta fosse sim.

Adendos:
1. Aurora é uma personagem da trama do Franz, que optei por inserir aqui. É uma filha de Zeus, resgatada por alguém muito importante para o curandeiro. É ela a responsável por mudar um pouco dos costumes dele (situação a ser desenvolvida mais à frente). Sorry se ficou deslocado. D;

2. Franz e Junmyeon se encontraram na enfermaria, um dia antes do ocorrido aqui. No entanto, pela personalidade do filho de Afrodite (que em breve estará passando por mudanças, também), ele preferiu ignorar a existência de Franz, fingindo que não o conhecia.

3. Não sei exatamente se tem voo de Nevada para Las Vegas, então preferi não narrar isso. Também não lembro como chamar a Carruagem da Danação, daí essa parte pode ter ficado incoerente. De qualquer modo, foi o que escolhi fazer. Superaremos se tiver algum erro. sz

4. Franz é velhin (22 anos), mas não parece. Também não sabe sua idade real. Chegou no Camp a pouco tempo, ficando pouco menos de um ano — e nunca saiu em missão. Por isso inseri também esse contexto, dizendo que Junmyeon é mais velho, etc. e tal (coisa que realmente é, já que tem 24 anos). Só isso mesmo. Grato. q

Itens:
☥ {Rest in Peace} / Adagas Gêmeas [Este par de adagas é branco prateado e, considerando cabo e lâmina, possuem no total 30cm cada. Seu gume é liso e o cabo apresenta arabescos e entalhes que mesclam ramos florais e runas. As duas adagas possuem os mesmos poderes e eles sempre são ativados/ consumidos ao mesmo tempo (assim, mesmo que só transforme uma em arma, ao ativar o poder o consumo também vale para a que está em forma de item, ainda que neste caso seja ineficaz). Transformam-se em um par de anéis no nível 20, gravados com as letrs R.I.P. na parte interna.] {Bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < em forma de anel, nos dois dedos anelares;

☥  {Shadow Walker} / Botas [As botas parecem coturnos, negras e com cadarços. Seu uso garante um aumento constante no deslocamento natural de 3m. Adicionalmente, ativando seu efeito o usuário torna-se capaz de se locomover sobre qualquer superfície que forneça um mínimo de apoio (sejam superfícies íngremes ou líquidas, mas não gases ou similares) ainda que permaneça sujeito a condições adversas (caminhar sobre lava danificaria o item, não sendo possível por muito tempo, uma vez que ainda há o contato com a superfície). Cada ativação dura 3 turnos. 3x por missão.] {Couro e borracha} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < nos pés (duh q);

☥ {Embrace} / Manto [Manto leve, de um tecido negro e fluido. Apesar de não fornecer bonificações efetivas na defesa, seu efeito permite ao usuário teleportar-se pelas sombras. A distância permitida por viagem equivale ao nível do semideus x10 em Km (no mínimo 1/ 10 desse valor por viagem). Permite até 3 usos por missão. Há uma chance de falha na localização final caso não se conheça o lugar a ser visitado. Pesquisas, imagens, fotos e similares podem reduzir isso. Não é possível atravessar barreiras mágicas com este poder.] {Tecido} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < na mochila;

☥ Ametista / [A joia foi resgatada por Tyler após aceitar o serviço imposto a ele e possui um efeito que, ao ser apontada para o inimigo, obscurece sua visão por um turno. Vale deixar claro que personagens que conseguem ver no escuro não são afetados pelo item. Mediante DIY ou pedido em forja, pode ser incrustado em forma de colar ou amuleto, facilitando assim seu uso e repouso no corpo do semideus.] {Materiais: Ametista}(Nível mínimo: 1){Elemento sombra}[Recebimento: "Caça ao mineral encantado", avaliado por Ares e atualizado por Asclépio] < num dos bolsos da mochila;

— Bolsa de Componentes Mágicos / Bolsa (Nela são guardados desde objetos para preparo de poções até bisturis e utensílios médicos [ela possui espaço infinito para tais coisas e somente para tais coisas; também aparece e desaparece, dependendo exclusivamente da necessidade do semideus]) {Couro} (Nívem mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento)[Presente de Curandeiro] < oculta, esperando as vontades do semideus para aparecer;

— Colar do Serpentário / Colar (o formato e o estilo da confecção lembram uma serpente dourada; nunca pode ser perdido, vendido ou retirado a força, pois identifica os curandeiros e, portanto, não é considerado um item nas contagens para missões, eventos e tramas, embora ainda seja preciso citá-lo) (seu efeito principal é o de, quando retirado do pescoço, se transformar em um dos itens a seguir: uma réplica quase totalmente semelhante do Bordão de Asclépio (ou seja, uma espécime de bastão rústico e fino envolvido por uma serpente de escamas feitas de prata envenenada que podem ser tão afiadas quanto uma espada, possuindo o mesmo potencial de corte de uma arma laminada; ele se adapta completamente ao tamanho e porte físico do usuário). {Prata, madeira e veneno} (Nível mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento) [Presente de Curandeiro] < no pescoço;

• Elixir da Vida (titânico): Recupera 100HP.
• Elixir da Energia (titânico): Recupera 100EP. < num dos bolsos da mochila;
Poderes:
{Macária - Passivo} Nível 2 — Visão no Escuro: A escuridão e a noite não são problemas para esses semideuses. Como filha dos deuses do submundo a própria Macária é caracterizada como uma deusa ctônica. seus filhos então se adaptam facilmente a condições precárias de iluminação, mantendo a mesma capacidade visual do que em condições normais.

{Asclépio - Passivo} Nível 2 — Conforto Restaurador: Ao realizar um exame prévio e acomodar um paciente em sua enfermaria, recepcionando-o e tratando com cuidado, no ambiente adequado e modificado com as condições especiais para isso, o paciente fica mais predisposto ao tratamento e assim as habilidades do curandeiro tornam-se mais efetivas, ampliando o valor restaurado em 20% (arredondado para baixo, mínimo de 1 ponto). Por ser necessário certo preparo anterior, somente funciona na enfermaria ou em situações de conforto. Não afeta a si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais. [Modificado de ativo para passivo, antigo "Boas vindas curadoras"]

{Asclépio - Passivo} Nível 18 — Aura Pacificadora II: Agora, sua aura se estende a todos ao seu redor. Ações hostis que visem o filho de Macária ou seus aliados que estejam em um raio de até 20m são reduzidas em 10% no primeiro turno de combate. Caso o filho de Macária ou um de seus aliados tome a iniciativa, o efeito da aura se quebra.
Franz H. Baudelaire
avatar
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
112

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Oh Jun Myeon em Sab 03 Jun 2017, 18:16


oh, it's circus
— frustrations have to wait —
— Mande os empregados irem embora — murmurou uma oitava abaixo do comum, esgueirando-se escada acima enquanto Chong Seung Hwa, mordomo de sua mansão em LA, olhava-o com uma incerteza palpável. O empregado, abrindo e fechando a própria boca na pífia tentativa de montar uma frase com nexo, mal percebeu quando Oh Jun Myeon parou, ergueu uma sobrancelha e voltou a ordenar: Agora, Chong. Quero todos fora daqui. Incluindo você.

E não esperou para ouvir uma resposta de seu subordinado.

Quando chegou ao maior cômodo do andar, bateu a porta com força desnecessária, largando seus pertences pelo chão enquanto forçava-se a respirar fundo. Passou inconscientemente as mãos pelo rosto, descabelando-se um tanto por pura exasperação. Esforçava-se, dava tudo de si para não deixar a torrente de lágrimas em seus olhos escapar minimamente sequer.

Como tudo sempre dava errado? E por quê? Ele não entendia, nunca entendeu. Parecia que a vida era uma penúria para si somente pelo fato de ter nascido, somente por ser um meio-sangue. E, céus, isso era demais para si. Não sabia por quanto tempo mais aguentaria de pé. Não sabia se suportaria outro fracasso desses, não depois de tanto tempo.

Já estava exausto de segurar a esperança em seus braços, ávido por melhorias, somente para senti-la evanescer e pouco a pouco livrar-se de seu toque possessivo. Vinha sendo assim nos últimos dois anos, afinal. E mais do que qualquer outro, Oh Jun Myeon podia afirmar com absoluta certeza: se a caminhada até ali estava sendo árdua e sem frutos, era um sinal de que a causa estava perdida. Sentia que a qualquer momento entregaria-se aos braços do desespero e abraçaria o seu próprio fim, desistindo até de si mesmo.

Ele queria desistir. Nos momentos em que nada fazia sentido e todo esforço era em vão, ele só queria desistir. Ensejava que o tempo parasse, que as vidas não fossem mais vividas e que o sentimento que lhe corroía desse uma trégua. Queria fundamentalmente, pelo menos por alguns segundos, não se importar. Era difícil demais ter que levar aquele peso sozinho e lidar com frustrações que não deveriam ser apenas suas.

Mas, apesar de toda vontade, ele jamais seria capaz de fazê-lo. Era impossível. Oh Junmyeon, afinal, nunca desistia. E tudo o que ele queria era seus amigos reunidos de novo. Quem mais o faria se ele deixasse tudo de lado? Quem mais correria aquela maratona interminável? Quem mais lutaria solitariamente para encaixar as peças do quebra-cabeça que tornou-se a vida daqueles onze?

Ninguém o faria. E se ninguém o faria, alguém tinha que fazer. No final das contas, esse alguém sempre era a prole de Afrodite.

— Você não pode desistir — era o que ele dizia para si mesmo desde que tinha se envolvido com tudo aquilo. Quando ele tomava a posição de omma perante os outros, essa realidade amarga era o que se passava por sua mente. E não podendo ser diferente, também foi o que ele disse a si próprio após voltar de mais uma busca frustrada.

Desde o dia anterior, quando tinha recebido notícia do paradeiro de Byun Jongdae — um irritante filho de Nêmesis, que feliz ou infelizmente era seu amigo —, não parou até chegar onde queria. Mas foi em vão. Novamente. Apesar de haver um Byun Jongdae ali, não era o seu Jongdae. Era frustrante o pensamento de ter partido do Acampamento à toa, sem descanso.

— Algum dia... — continuou dizendo, olhando sem ânimo para o enorme espelho que cobria uma das paredes do cômodo. — Algum dia, Junmyeon, você irá encontrá-lo. Encontrar todos eles. E tudo vai ficar bem de novo.

E só pelo reflexo do espelho foi que ele notou a névoa se agitando atrás de si. Nela, um rosto se fez, mostrando-se cada vez mais nitidamente à medida que a Mensagem de Íris tomava forma. Junmyeon já havia usado aquela forma de contato tantas vezes que poderia, em dias de bom humor, considerar-se bff da deusa do arco-íris. Talvez por isso não tenha estranhado quando viu o velho centauro olhar-lhe, curioso, do outro lado da linha.

Depois que automaticamente Quíron afirmou precisar de ajuda, um silêncio desconfortável pairou entre eles. Algo mandava Junmyeon ignorar a chamada e simplesmente passar a mão pela névoa, encerrando o contato. Ele não estava mentalmente estável para outra missão. Havia acabado de sair de fracassar em uma. Diria que era falta de educação do centauro querer meter-lhe em mais uma enrascada, não fosse o fato dele aparentemente desconhecer os motivos da saída de Junmyeon.

O que o levava a um tópico interessante da situação: se nem ao menos havia dito ao centauro onde estava, como foi encontrado?

— Como me achou aqui? — perguntou antes de conseguir dobrar sua língua, arrancando um olhar emudecido do mais velho. — Eu não te disse para onde ia. E muito menos o que vim fazer aqui. Não tinha como você me encontrar, a menos que...

— Kwangi me contou — revelou o centauro, enfim cortando Junmyeon. — Ontem mesmo ele veio me avisar sobre a sua saída, Junmyeon. Creio ter acontecido depois que deixou os limites. Não foi difícil imaginar que estaria na sua mansão, já que é onde fica quando está por essas bandas, não? Lembro bem das suas últimas andanças pela Califórnia.

Oh Junmyeon riu soprado e apoiou os cotovelos em suas pernas, olhando indecifravelmente para Quíron. Apesar de por fora parecer um tanto irritado, por dentro tudo o que sabia fazer era agitar-se; não conseguiu conter o pensamento de que Kwangi, o filho de Despina que anos atrás poderia considerar seu amigo, esteve preocupado consigo. Ou com Jongdae. Em seu lugar, tendo os mesmos sentimentos que Kwangi tinha, Junmyeon jamais se daria o trabalho de avisar uma saída qualquer, a menos que se importasse o suficiente para superar mágoas.

Quando ele riu, Quíron ergueu uma sobrancelha, visivelmente confuso. Não fazia a menor ideia do que aquele ato significava — e, acredite, o filho de Afrodite sabia tanto quanto o outro ali.

— Presumo que ainda não queira me dizer o que foi fazer em Los Angeles — arriscou Quíron, recebendo nada mais do que um dar de ombros do homem. Meneando afirmativamente a cabeça, não demorou a voltar a falar: — Você sempre foi o que cuidava dos outros, Junmyeon. Não me surpreendo que ainda faça isso por seus amigos, apesar de vocês não mais se considerarem assim. É por isso que estou recorrendo a você; sei que não hesita em ajudar quem precisa, e eu realmente preciso. Um centauro precisa, para ser mais específico.

E foi nesse momento que Junmyeon lembrou-se do quão tagarela Quíron poderia ser. O centauro passou a falar incessantemente sobre a etnia do desaparecido, sobre suas características físicas e sobre o rumo que aquela busca deveria tomar. Estaria indo para o Hotel e Cassino Lótus, em Las Vegas. O cheiro do tal meio-veado — como o centauro mesmo disse — havia sido localizado na cidade dos cassinos. Tudo o que Jun Myeon precisaria fazer era ir até lá, resgatar o ser e só, já estaria livre.

Ele anotou mentalmente que deveria fazer isso em grupo, já que mais dois semideuses estavam sendo deslocados para Vegas naquele exato momento. Torceu o nariz, lembrando da última vez que trabalhou com outrem; não foi uma das melhores experiências, definitivamente.

— Eu não hesito quando vejo alguém que precisa de ajuda. Mas, aparentemente, o meio-veado já vai ter dois semideuses para ajudá-lo, não? Sou totalmente desnecessário nessa missão. Fica para a próxima, Quíron — concluiu, levantando-se e dando as costas para a Mensagem de Íris.

Ele sentiu uma leve fisgada em seu âmago quando virou as costas para a situação, sabendo que estava indo contra os seus princípios. No entanto, não pôde culpar-se ou voltar atrás de prontidão; sua frustração pelo que havia acabado de passar ainda era clara demais, forte demais. Ele não estava em plenas condições de assumir outra responsabilidade naquele exato momento.

Isso, porém, era algo que Quíron parecia não perceber.

— Eu entendo que esteja frustrado — disse, atraindo o olhar curioso de Junmyeon. — Sei que não é fácil lidar com desaparecimentos assim. Acredite, isso aconteceu comigo mais vezes do que gostaria de lembrar. Mas se aceita uma dica, meu jovem, diria para não desistir agora. E não abaixar a cabeça. O Acampamento precisa de você. O centauro precisa de você. Os outros semideuses da missão precisam de você. Realmente gostaria que fosse, não foi à toa que escolhi vocês três para essa empreitada.

Oh Jun Myeon suspirou. Levou as mãos ao rosto e, olhando cansado para a Mensagem de Íris uma última vez, meneou afirmativamente a cabeça. Estava ouvindo de Quíron o que mais dizia para se mesmo: não desistir. E ele não iria. Não poderia.

Jogou-se na cama assim que o contato se desfez, encarando sem o menor interesse o teto abobadado. Levou sorrateiramente a mão ao criado-mudo à sua esquerda e segurou o botão que permitia-lhe comunicar-se com quem quer que estivesse na cozinha.

— Chong, suba aqui, por favor — pediu. Mas não houve resposta. Quase socou-se quando lembrou ter dispensado toda a criadagem ao chegar à mansão, incluindo o mordomo. No entanto, não teve tempo de fazê-lo; Chong Seung Hwa apareceu à porta, murmurando um "sim, senhor?". Junmyeon agradeceu mentalmente a teimosia de seu mordomo antes de continuar: — Prepare o helicóptero. Estou indo para Vegas.

•••

O barulho intenso das pás já havia tornado-se costume para ele. Foi dessa forma que voou de Manhattan para Los Angeles ainda no dia anterior. E era dessa forma que estava deslocando-se para Vegas naquele exato momento.

No banco dianteiro, o piloto — que permanecia de plantão para atender as vontades de Junmyeon — ia o mais rápido que podia, como a prole de Afrodite bem havia ordenado. Às vezes, quando não sentia-se desconfortável com sua fortuna, o herdeiro dos Oh até agradecia por ter tanto poder aquisitivo. Era prático poder fazer o que bem entendia, como atravessar o país unicamente para procurar um amigo desaparecido.

Suspirou ao lembrar-se disso. Estava tão fresco em sua memória... Talvez realmente não devesse ter aceitado a tal missão. Foi precipitação sua simplesmente menear a cabeça quando ouviu Quíron dar seu golpe mais baixo: usar a obstinação de Junmyeon contra ele mesmo. Se tivesse parado para pensar por mais alguns segundos, não tinha certeza de que estaria voando para Las Vegas, à procura de um meio-veado.

— Aperte o passo, Joshua. Quero terminar isso o quanto antes — afirmou para o piloto, que acelerou ainda mais a aeronave. E antes mesmo que pudesse suspeitar, já podia ver as luzes neon da cidade logo abaixo de si.

Pousaram no heliporto de um prédio qualquer. Junmyeon rapidamente saltou da aeronave e passou a correr dali, dizendo para o piloto esperar exatamente onde estava. Não passou-lhe pela cabeça que poderia demorar demais, e, aos ouvidos do emprego, chegou a soar desumano. Ele estava acostumado a esperar horas e horas pelo filho de Afrodite, mas nunca perdia o costume de praguejar quando era obrigado a faze-lo.

Não tendo dado-se conta disso — como de costume —, entrou às pressas na construção, chamando o elevador logo em seguida. Depois do que lhe pareceram horas, enfim saiu pelo térreo, deparando-se com a forte iluminação da cidade à sua frente.

Era tudo movimentado demais. Por instinto, apertou as armas em seu corpo, certo de que as teria em casos mais graves. A aljava estava bem presa ao seu corpo, levando o arco do homem entre as flechas; Beauté permanecia presa em sua cintura e, além dela ali, a faca que ganhou dez anos antes também mantinha-se segura. Além disso, as penas também estavam consigo: Act, o broche, atado ao peitoral de sua camisa; Feather, a pena negra, guardada em seu bolso dianteiro.

Não era exatamente um arsenal inteiro, mas Junmyeon sentia-se protegido com seus itens de costume.

Andou a esmo pela cidade, buscando na memória as informações dadas por Quíron. Hotel e Cassino Lótus, ele disse. Junmyeon já tinha ido lá uma vez, não muito tempo atrás; naturalmente, buscava pelos amigos desaparecidos, e por Jongdae, em especial. Não preciso dizer que foi uma busca em vão, também.

Lembrar-se do caminho estava difícil. Ele julgou que isso era por estar de cabeça cheia, negando a todo custo estar perdendo seu tato de semideus. Sabia que ficava na direção em que estava indo — já que lembrava-se de um ou outro estabelecimento —, mas não podia dizer ao certo onde ficava.

"Frustrante. Pela milionésima vez no dia, frustrante", pensou consigo mesmo, ao passo que decidia pegar uma rua de acesso, indo para outra avenida da cidade. Não demorou muito para estar cruzando as avenidas, à procura de seu destino.

Se quer saber, outra coisa que não demorou a dar as caras foi a perturbação natural dos semideuses. Junmyeon sentia-se agitado, percebendo por seus dedos trêmulos o quão presente estava a sua hiperatividade. E quando ainda resolveram que deixá-lo a sós com os próprios problemas não era o bastante, tudo o que pôde fazer foi revirar os olhos, exausto.

Um rapaz o chamava, falando tanto quanto Quíron no contato de horas antes. Junmyeon ouvia-o com o cenho levemente franzido, sabendo que já havia ouvido aquela voz anteriormente, mas não lembrando-se exatamente de onde. E foi então que, virando-se para ele quando o jovem afirmou ser curandeiro, sentiu a ficha cair: era o curandeiro de Asclépio do dia anterior, o responsável por um dos ambulatórios no Hospital Geral de NY.

Embora houvesse reconhecido-o de prontidão, Oh negou. Sabia que dizer "sim" seria iniciar uma conversa, e conversar era realmente algo que não estava disposto a fazer. Não se deu o trabalho nem mesmo de olhar nos olhos do jovem, praguejando por ainda não ter conseguido encontrar o Cassino — e, adicionalmente, por ter que lidar com alguém que fazia-se de amigável.

Tornou a olhá-lo desconfortavelmente, estando prestes a dizer que preferia ficar sozinho. No entanto, uma segunda aparição se fez, intrometendo-se na já precária interação e, ainda, citando a busca. Busca de Junmyeon.

Olhou de François para a moça, e então de volta para o rapaz. Respirou fundo. Ele não era burro; sabia que eram seus companheiros de missão, algo que apenas se confirmou quando o tal curandeiro fez que sim.

— Ah. Sim. Estou nessa busca também. Sou Oh Jun Myeon, filho de Afrodite. Mas podem chamar apenas de Junmyeon — disse-lhes, não lhe restando muita opção senão afirmar que também buscava pelo meio-veado e apresentar-se minimamente aos dois. Só após trocarem poucas palavras, citando nomes e progenitores, é que deixaram-se levar pela maré que carregava o grupo, indo na direção do Lótus.

Não pergunte a Junmyeon como acharam. Não pergunte nem se ele realmente procurou. Apenas se deu conta de que estava no seu destino final quando viu Franz e Carylin estacarem, fazendo-o repetir a ação dos dois e olhar o entorno, enfim notando a extravagante fachada.

"Que os deuses nos protejam", foi tudo o que permitiu-se pensar enquanto voltava a andar, certo de que aquilo não caminhava para uma boa situação.

Adendos:
1. Para fins de entendimento: possuo uma trama grupal com diversas contas (24, para ser mais exato), dividida em dois núcleos. Um dos núcleos é o de Junmyeon (em que uso PPs do EXO). Nele, a situação foi de amizade por um longo tempo; os onze (doze com o Franz, mas que não entra na conta por ser inserido apenas mais à frente) conheceram-se jovens, por volta dos treze, quatorze anos, e ficaram amigos desde então. Passaram por muita coisa juntos, sempre apoiando-se. Consideravam-se irmãos. Mas a situação foi ficando precária com o número de problemas que passaram a surgir, e embora o grupo fosse basicamente de amizade, havia casais — que se desfizeram e geraram inimizades, aliás. Depois de um período problemático, quase todos se afastaram, mas mesmo os que ficaram juntos não podiam contar muito com o resto. Enquanto isso, Junmyeon tentava inutilmente juntar seus amigos de novo, algo que continua fazendo, mesmo depois de intensas brigas e misteriosos desaparecimentos. Ainda hoje ele tenta, buscando com mais afinco aquele que mais lhe importa: Byun Jongdae, um filho de Nêmesis.

2. Naturalmente, levando em conta o que acabei de contar no ponto 1, os personagens aqui citados são contas minhas (Kwangi e Jongdae, mais especificamente). O outro personagem "importante" da narrativa é Chong Seung Hwa, mordomo de Junmyeon e pai de uma semideusa que em breve será importantíssima na trama do filho de Afrodite: Chong Ji Soo. Ela também é uma conta minha.

3. Ficou um pouco grande, desculpe. Gostaria de ter feito algo mais enxuto — mesmo com a observação nas notas do seu post —, mas me empolguei e liberei aqui muito do que será relevante para a trama do Junmyeon (e é a primeira vez que narro com ele, então...). Ainda achei que ficou meio vago, mas perdoa se alguma informação ficou mesmo à deriva. Foi um teco complicado costurar as informações justinho nessa correria que tive, e ainda lutando para o post não ficar (ainda mais) quilométrico.

4. Junmyeon é ryko. Seus pais já estão mortos (pai e madrasta, aliás), então ele herdou toda a fortuna. O avô dele fez fortuna com negócios em Vegas, sendo Lotto — um famoso cassino rs — seu carro-chefe. À essa altura Junmyeon não se importa muito com os negócios, há quem tome conta para ele; também tenta não utilizar a fortuna, não sendo tão ligado aos bens que possui. No entanto, a usa quando realmente precisa.

Itens:
♦ Faca [Sua lâmina bronzeada mede cerca de 24 cm, e seu cabo tem o mesmo comprimento padrão. É bastante afiada e é perfeita para ataque ágeis e rápidos. O bom desta arma é sua eficiência tanto para mãos hábeis quanto para manuseios mais inexperientes, pois é uma arma curta, fácil de esconder e ao mesmo tempo fácil de manusear. Seu punho é feito de aço, mas uma camada de couro escuro cobre o aço para que o usuário possa segurá-la firmemente. Na parte inferior da lâmina, próxima ao cabo, há entalhado as siglas do Acampamento "CHB"; uma propriedade que só os meio-sangues e criaturas místicas podem ter e usar (ajuda um pouco na destreza)] {Bronze, aço e couro} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Administração; item inscrição padrão do fórum] < no cós da calça, próximo a Beauté;

{Beauté} / Chicote  [É um chicote, todo trabalhado a mão, com 2,5m. Ele é feito de couro, e nesse couro, pode se perceber detalhes em renda, bordada manualmente. Ele também reluz alguns fios acobreados, deixando entrever o bronze sagrado, que ajuda em ataques mais precisos, e pode cortar a pele do atingido.]{Couro e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1 ) [Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < atado à cintura;

{Arche de l'Amour} / Arco longo [De cores dourada e prata, este arco de bronze sagrado possui um desenho elegante e chamativo, mas não vulgar. Para todos os efeitos, age como um arco longo comum. No nível 20 transforma-se em um anel que faz par com Enchantè.] {Bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1 ) [Destreza/ Ataque/ Poder de precisão][Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < dentro da aljava, também nas costas;

{Enchantè} / Aljava de Flechas Infinitas [As flechas reluzem claramente, dado o acabamento mais elegante se comparado à armas de outra origem. Porém, são apenas flechas de bronze sagrado. O compartimento é feito de couro, decorado com filigramas metálicas. No nível 20 transforma-se em um anel que faz par com o Arche de l'Amour.] {Couro e bronze sagrado; Madeira de freixo e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < nas costas;

♦ {Act} / Broche [Possuindo o formato de uma pena dourada, o broche é um pouco menor do que um polegar e é totalmente feito de ouro. Ao ser utilizado pelo semideus, aumenta em 15% a eficiência em ações que envolvam charme, lábia ou persuasão - quase assemelhando-se a um ator profissional. O efeito dura até 4 rodadas e pode ser usado apenas uma vez por evento/missão.] (Nível mínimo: 8) {Ouro} {Não controla ennhum elemento} [Recebimento: Missão Ensaio Molhado - Avaliada por Éris e Atualizada por Asclépio] < preso no peitoral da roupa;

❖ {Feather} / Pena [Esta é uma pena negra e macia, conseguida por Ygren em um combate no Acampamento. Originária de um abutre, um dos símbolos de Ares, pode auxiliar o seu portador durante uma batalha por até dois turnos por evento/missão. A ativação se dá quando o semideus aperta com força o item em uma de suas mãos livres, fazendo com que seus reflexos e força corporal aumentem em 20% no tempo estipulado. O efeito é cortado quando, querendo ou não, ele solte o objeto (dentro do limite de dois turnos).] {Pena Mágica} (Nível Mínimo:  20) {Não controla nenhum elemento} [Recompensa pela missão "O descuido de Norma", avaliada e atualizada por Psiquê.] < no bolso;
Poderes:
Nenhum passivo relevante. Nenhum ativo utilizado.
Oh Jun Myeon
avatar
Filhos de Afrodite
Mensagens :
45

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Ártemis em Dom 04 Jun 2017, 18:30


Circus
MNEM PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON

O Hotel e Cassino Lótus era extremamente bonito. A fachada, desnecessariamente chamativa. Com um letreiro ao redor de um ícone de lótus sob o nome do estabelecimento, como um logo, acima da entrada principal, era visivelmente o prédio mais rico daquela rua. O hotel em si era um edifício gigantesco; parecia ter até 25 andares, mas por se tratar de um lugar mágico, poderia ser muito maior do que apenas aparentava.

Era de se esperar que tivessem seguranças em um lugar como aquele, mas através das portas duplas de vidro, não era possível ver nada; exceto que as portas em questão estavam quebradas. Alguém ou alguma coisa parecia ter invadido o local e deixado um nítido rastro de destruição - o arrombo naquela porta dava margem para parecer que tinha sido aberta por um ônibus. Ou, ao julgar pelo que Franz e Carylin haviam visto na mensagem de íris, um bando de centauros.


OBJETIVOS
pontos obrigatórios e opcionais

— Reajam à narração acima. Bolem estratégias, procurem entradas alternativas para o Cassino. Sejam criativos para alcançar o objetivo principal e lembrem-se de fazer posts curtos.

— OBJETIVO PRINCIPAL: localizar e resgatar o centauro. A missão só será finalizada quando este objetivo for cumprido;

ADICIONAIS
sobre o local e as diretrizes

— Diretrizes: missão narrada externa mediana; introdução.

— Local: Hotel e Cassino Lótus (Las Vegas, Nevada).

— Horário: noite ao chegar em Las Vegas.

— Clima: frio e nublado.

— Extras off: poderes, armas e possíveis mascotes deverão ser colocados em spoiler ao final do post, para fins de organização.

— Adendos: informações não dadas poderão ser acrescentadas por vocês, porém com coerência. Qualquer coisa, contatem-me via MP, Fb, Wpp, carta, sinal de fumaça, etc.

— Instrução de postagem: Esta é uma missão narrada. Peço encarecidamente que EVITEM escrever post's muito longos ou com muitas informações. O ideal, nos turnos de narrada, é que cada post tenha de 7 a 10 linhas. Prezo a dinâmica. Por isso, ortografia será ainda menos importante do que já é, e objetividade passará a pesar muito mais. FAÇAM POSTS CURTOS.

— Prazo de postagem: 3 dias (72 horas) contando a partir da última postagem.


STATUS
NPC's, players e condições ON-game

Carylin S. Ogtöller
Vida: 370/370;
Energia: 370/370;

Franz H. Baudelaire
Vida: 370/370;
Energia: 358/370.

Oh Jun Myeon
Vida: 250/250;
Energia: 250/250.




A little broken, a little new
We are the impact and the glue


Ártemis
avatar
Deuses
Mensagens :
52

Localização :
Nômade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Oh Jun Myeon em Qua 07 Jun 2017, 15:08


oh, it's circus
— frustrations have to wait —
— Isso não está me cheirando bem — foi a primeira sentença que ele disparou, parando abruptamente às portas do Cassino. Encantar-se com a visão que tinha não foi algo que realmente lhe interessou; estava mais preocupado com o escancarar grotesco da entrada, que em outra ocasião esteve intacta e lotada de seguranças. Sua mente paranoica apitou, dizendo que aquele definitivamente não era um bom sinal. — Precisamos contornar, achar alguma entrada alternativa. Deve haver algumas nas laterais ou nos fundos.

Ele não sabia o que realmente tinha causado aquilo, mas o fato de Quíron dizer que o meio-veado foi farejado surgiu de maneira repentina em sua mente, fazendo-o concluir que não eram os únicos buscando pelo desaparecido. Também por isso passou a andar silenciosamente, já com o arco em mãos, olhando por cima do ombro para saber se seus companheiros de missão estavam seguindo-o. Confirmando que sim, ele passou a procurar atentamente uma passagem, deixando seus olhos felinos vasculharem a extensão do prédio à medida que o rondava. Esperava não demorar a encontrar o que procurava.

Adendos:
Itens:
♦ Faca [Sua lâmina bronzeada mede cerca de 24 cm, e seu cabo tem o mesmo comprimento padrão. É bastante afiada e é perfeita para ataque ágeis e rápidos. O bom desta arma é sua eficiência tanto para mãos hábeis quanto para manuseios mais inexperientes, pois é uma arma curta, fácil de esconder e ao mesmo tempo fácil de manusear. Seu punho é feito de aço, mas uma camada de couro escuro cobre o aço para que o usuário possa segurá-la firmemente. Na parte inferior da lâmina, próxima ao cabo, há entalhado as siglas do Acampamento "CHB"; uma propriedade que só os meio-sangues e criaturas místicas podem ter e usar (ajuda um pouco na destreza)] {Bronze, aço e couro} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Administração; item inscrição padrão do fórum] < no cós da calça, próximo a Beauté;

{Beauté} / Chicote  [É um chicote, todo trabalhado a mão, com 2,5m. Ele é feito de couro, e nesse couro, pode se perceber detalhes em renda, bordada manualmente. Ele também reluz alguns fios acobreados, deixando entrever o bronze sagrado, que ajuda em ataques mais precisos, e pode cortar a pele do atingido.]{Couro e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1 ) [Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < atado à cintura;

{Arche de l'Amour} / Arco longo [De cores dourada e prata, este arco de bronze sagrado possui um desenho elegante e chamativo, mas não vulgar. Para todos os efeitos, age como um arco longo comum. No nível 20 transforma-se em um anel que faz par com Enchantè.] {Bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1 ) [Destreza/ Ataque/ Poder de precisão][Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < em mãos;

{Enchantè} / Aljava de Flechas Infinitas [As flechas reluzem claramente, dado o acabamento mais elegante se comparado à armas de outra origem. Porém, são apenas flechas de bronze sagrado. O compartimento é feito de couro, decorado com filigramas metálicas. No nível 20 transforma-se em um anel que faz par com o Arche de l'Amour.] {Couro e bronze sagrado; Madeira de freixo e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < nas costas;

♦ {Act} / Broche [Possuindo o formato de uma pena dourada, o broche é um pouco menor do que um polegar e é totalmente feito de ouro. Ao ser utilizado pelo semideus, aumenta em 15% a eficiência em ações que envolvam charme, lábia ou persuasão - quase assemelhando-se a um ator profissional. O efeito dura até 4 rodadas e pode ser usado apenas uma vez por evento/missão.] (Nível mínimo: 8) {Ouro} {Não controla ennhum elemento} [Recebimento: Missão Ensaio Molhado - Avaliada por Éris e Atualizada por Asclépio] < preso no peitoral da roupa;

❖ {Feather} / Pena [Esta é uma pena negra e macia, conseguida por Ygren em um combate no Acampamento. Originária de um abutre, um dos símbolos de Ares, pode auxiliar o seu portador durante uma batalha por até dois turnos por evento/missão. A ativação se dá quando o semideus aperta com força o item em uma de suas mãos livres, fazendo com que seus reflexos e força corporal aumentem em 20% no tempo estipulado. O efeito é cortado quando, querendo ou não, ele solte o objeto (dentro do limite de dois turnos).] {Pena Mágica} (Nível Mínimo:  20) {Não controla nenhum elemento} [Recompensa pela missão "O descuido de Norma", avaliada e atualizada por Psiquê.] < no bolso;
Poderes:
Nenhum passivo relevante. Nenhum ativo utilizado.
Oh Jun Myeon
avatar
Filhos de Afrodite
Mensagens :
45

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Franz H. Baudelaire em Qua 07 Jun 2017, 15:11

it's circus
MISSÃO NARRADA MEDIANA
the mission
PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON
Ante às palavras de Junmyeon, François se viu obrigado a parar. O filho de Macária estava realmente considerando entrar pelo acesso principal, apesar dos seus olhos não conseguirem desgrudar da bagunça que ela estava. Parecia o mais óbvio a se fazer, não? Afinal, nem mesmo indícios de segurança havia ali, então não seria um problema entrar. Mas como o filho de Afrodite não parecia nem um pouco propenso a ouvir aquilo, já andando na direção que queria, Franz não permitiu que suas considerações fossem de sua mente para sua boca. Apenas andou quieto atrás do homem, vendo-o sacar seu arco à medida que andava.

Respirou fundo, volvendo seu olhar para a única garota ali. Não sabia bem o que esperar do fugaz envolvimento com os dois, mas esperava sinceramente que todos permanecessem vivos, sobretudo que ele próprio escapasse com vida. Estar em missão ainda revirava seu estômago.

Mesmo sabendo que foi provavelmente o bando de centauros a arrombar as portas do cassino e ainda tendo vontade de entrar pela porta principal, ignorou esses e quaisquer outros pensamentos ao passar a vasculhar os arredores com suas orbes atentas, esperando a qualquer momento o início do chiado característico, que sempre aparecia quando, ainda no Canadá, ele precisava encontrar passagens escondidas em seus furtos de comida. Queria entrar ali e encerrar aquilo o quanto antes.

Adendos:
Itens:
☥ {Rest in Peace} / Adagas Gêmeas [Este par de adagas é branco prateado e, considerando cabo e lâmina, possuem no total 30cm cada. Seu gume é liso e o cabo apresenta arabescos e entalhes que mesclam ramos florais e runas. As duas adagas possuem os mesmos poderes e eles sempre são ativados/ consumidos ao mesmo tempo (assim, mesmo que só transforme uma em arma, ao ativar o poder o consumo também vale para a que está em forma de item, ainda que neste caso seja ineficaz). Transformam-se em um par de anéis no nível 20, gravados com as letrs R.I.P. na parte interna.] {Bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < em forma de anel, nos dois dedos anelares;

☥  {Shadow Walker} / Botas [As botas parecem coturnos, negras e com cadarços. Seu uso garante um aumento constante no deslocamento natural de 3m. Adicionalmente, ativando seu efeito o usuário torna-se capaz de se locomover sobre qualquer superfície que forneça um mínimo de apoio (sejam superfícies íngremes ou líquidas, mas não gases ou similares) ainda que permaneça sujeito a condições adversas (caminhar sobre lava danificaria o item, não sendo possível por muito tempo, uma vez que ainda há o contato com a superfície). Cada ativação dura 3 turnos. 3x por missão.] {Couro e borracha} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < nos pés (duh q);

☥ {Embrace} / Manto [Manto leve, de um tecido negro e fluido. Apesar de não fornecer bonificações efetivas na defesa, seu efeito permite ao usuário teleportar-se pelas sombras. A distância permitida por viagem equivale ao nível do semideus x10 em Km (no mínimo 1/ 10 desse valor por viagem). Permite até 3 usos por missão. Há uma chance de falha na localização final caso não se conheça o lugar a ser visitado. Pesquisas, imagens, fotos e similares podem reduzir isso. Não é possível atravessar barreiras mágicas com este poder.] {Tecido} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < na mochila;

☥ Ametista / [A joia foi resgatada por Tyler após aceitar o serviço imposto a ele e possui um efeito que, ao ser apontada para o inimigo, obscurece sua visão por um turno. Vale deixar claro que personagens que conseguem ver no escuro não são afetados pelo item. Mediante DIY ou pedido em forja, pode ser incrustado em forma de colar ou amuleto, facilitando assim seu uso e repouso no corpo do semideus.] {Materiais: Ametista}(Nível mínimo: 1){Elemento sombra}[Recebimento: "Caça ao mineral encantado", avaliado por Ares e atualizado por Asclépio] < num dos bolsos da mochila;

— Bolsa de Componentes Mágicos / Bolsa (Nela são guardados desde objetos para preparo de poções até bisturis e utensílios médicos [ela possui espaço infinito para tais coisas e somente para tais coisas; também aparece e desaparece, dependendo exclusivamente da necessidade do semideus]) {Couro} (Nívem mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento)[Presente de Curandeiro] < oculta, esperando as vontades do semideus para aparecer;

— Colar do Serpentário / Colar (o formato e o estilo da confecção lembram uma serpente dourada; nunca pode ser perdido, vendido ou retirado a força, pois identifica os curandeiros e, portanto, não é considerado um item nas contagens para missões, eventos e tramas, embora ainda seja preciso citá-lo) (seu efeito principal é o de, quando retirado do pescoço, se transformar em um dos itens a seguir: uma réplica quase totalmente semelhante do Bordão de Asclépio (ou seja, uma espécime de bastão rústico e fino envolvido por uma serpente de escamas feitas de prata envenenada que podem ser tão afiadas quanto uma espada, possuindo o mesmo potencial de corte de uma arma laminada; ele se adapta completamente ao tamanho e porte físico do usuário). {Prata, madeira e veneno} (Nível mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento) [Presente de Curandeiro] < no pescoço;

• Elixir da Vida (titânico): Recupera 100HP.
• Elixir da Energia (titânico): Recupera 100EP. < num dos bolsos da mochila;
Poderes:
{Macária - Passivo} Nível 2 — Visão no Escuro: A escuridão e a noite não são problemas para esses semideuses. Como filha dos deuses do submundo a própria Macária é caracterizada como uma deusa ctônica. seus filhos então se adaptam facilmente a condições precárias de iluminação, mantendo a mesma capacidade visual do que em condições normais. < auxiliando por ser noite, apesar das luzes neon;

{Macária - Passivo} Nível 19 — Encontrar passagens: Macária conseguia entrar em qualquer lugar, independente de qual fosse. Seus filhos adquirem, por isso, a percepção de passagens secretas, caso existam, em um raio de 10m ao seu redor. Eles apenas sentem uma intuição, que torna-se mais forte à medida que se aproximam do local, mas só encontrarão se procurarem ativamente por ela. Perceber a passagem contudo é diferente de saber ativá-la, e para isso ainda precisam de ações normais. < auxiliando na busca pela entrada;
Franz H. Baudelaire
avatar
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
112

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Carylin S. Ogtöller em Qua 07 Jun 2017, 18:10


CIRCUS
Carylin ficou certo tempo admirando a fachada do Cassino, sem saber como reagir; era ainda mais lindo do que ela tinha imaginado. Provavelmente teria ficado ali por muito tempo se o filho de Afrodite não tivesse se pronunciado, convocando-os para procurar outra entrada. Assim que ouviu isso, encarou ele por alguns segundos. Aquilo fazia sentido, já que uma missão nunca poderia ser tão simples daquele jeito. Começando a andar atrás de Oh Jun Myeon, a prole da morte olhou de relance para a entrada principal.
 
— Vocês acham que depois a gente pode jogar aqui? Parece ser bem bonito lá dentro — sua voz soou animada, e isso foi levemente estranho. Carylin raramente demonstrava tanto interesse em alguma coisa, mas a beleza do local a estava deixando fascinada. Ao perceber a expressão focada de ambos os semideuses, sentiu-se culpada por estar sendo tão fútil, então calou-se e começou a procurar uma entrada alternativa também. — Isso vai ser divertido… 

A ironia era visível em sua voz.

pormenores:
A Carylin tem esquizofrenia; essas falas em negrito no centro são dos fantasmas de sua própria cabeça.
armas:
{Sullem} / Anel [Anel feito de Ferro Estígio com uma grande Safira Negra incrustada em seu centro, representando uma caveira. Quando o usuário estiver com seu status de vida pela metade, uma aura negra o envolve. Faz com que a áurea recupere 20% do HP uma vez por missão] {Ferro Estígio e Safira} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

{Spanown} Capa [Uma capa negra feita de veludo e com capuz. A capa emite uma leve aura amedrontadora, por se lembrar da capa creditada a morte. A aura possui efeito até mesmo em seus aliados e animais, não possuindo efeito apenas sobre criaturas de nível igual ou maior. O efeito faz com que a defesa do inimigo reduza em 10%, por causa de seu temor em ser morto enquanto estiver próximo do portador a até 3m de distância, mas resistências ainda devem ser aplicadas. Adicionalmente, duas vezes por missão, por um período de dois turnos, há um efeito de camuflagem que deixa o usuário furtivo, escondido, diminuindo as chances de serem encontrados.] {Veludo negro} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

❃{Panoplía} / Jaqueta [A semideusa foi presenteada com uma jaqueta pelo seu mais novo amigo, Joaquim. Tal item é quase imperceptível, se camuflando como uma simples blusa enquanto a semideusa estiver em locais que cuidem de sua saúde (visto que normalmente teria uma roupa especifica para isso, a jaqueta se "transforma" visualmente na roupa que deve ser usada, mas apenas é vista pelas outras pessoas deste jeito - ela não modifica sua forma, cor ou peso, na realidade). Além da ilusão, é 50% resistente ao fogo (caso o elemento provenha de semideuses com mais de 10 níveis abaixo do dela), 25% se estes forem de 10 até 1 nível mais fracos e apenas 10% se forem de 1 até 10 níveis mais fortes. Protege os braços e o tronco da semideusa completamente contra fogo natural por até três turnos. Por conseguir manter o controle natural dentro da jaqueta, esta não se destrói facilmente com altas temperaturas provenientes de fogo ou calor natural (assim, deixa a semideusa 20% mais aquecida em temperaturas baixas e pode se tornar 'leve' em temperaturas altas, sem necessidade de tira-la por conta do calor). Não se transforma em armadura, mas ameniza danos de ataques diretos em 10%. Possui dois bolsos normais na parte interior e pode ser destruída por qualquer elemento diferente (provenientes de adversários mais fortes) ou por semideuses de fogo com mais de 10 níveis em comparação com a semideusa.] {Couro} (Nível Mínimo: 15) {Resistência ao fogo e calor} [Recebimento: Missão "O Novo Amigo", avaliada por Athena e atualizada por Psiquê.]

• {Werewolf} Bracelete [Exatamente igual ao bracelete que fora usado para controlar e transformar o soldado companheiro do semideus dentro da história de Chapeuzinho, Werewolf possui propriedades semelhantes, mas não tão bruscas para o portador. Uma vez por evento, conforme o desejo do dono, a pedra avermelhada começa a brilhar, evidenciando a liberação do poder. Seus efeitos fazem com que o semideus assuma características lupinas não físicas, ou seja: Sentidos extremamente aguçados (visão, audição, paladar e olfato) e também um aumento de 60% na força e agilidade. Por outro lado, há uma desvantagem: Enquanto estiver sob os efeitos do bracelete, o semideus sofrerá o dobro do dano inicial caso a arma utilizada contra ele seja feita de prata. Os efeitos duram 3 rodadas.] (Couro, rubi, magia) [Recebimento: Treino OUAT - Chapeuzinho Vermelho. Avaliado por Ayla Lennox e atualizado por Asclépio]

✣ Anima Bracelet. [Um bracelete de prata com o desenho de borboleta em ouro. Esse bracelete pode ser ativado com o desejo mental do usuário e transforma-se em uma corrente que pode medir 10m. Essa corrente é feita de prata e ouro sagrado, bastante resiste a tal ponto de ser semi-indestrutível. Ela obedecerá aos comandos mentais do mentalista com perfeição, independente do nível que ele esteja.] [Materiais: Ouro Sagrado e Prata Sagrada] (Nível mínimo 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: presente por ser mentalista]

✣ Yin Yang. [Uma espada de punho prateado e com um desenho bem talhado de uma borboleta em azul. Sua lâmina é de uma beleza diferenciada, pela divisão do cume central, metade dela possui um material negro e a outra metade é feito de prata sagrada. Seu corte é duplo e sua ponta afinada, uma espada bastante resistente. Ela possui uma habilidade de ativar um segundo modo em que a espada original se divide em duas, uma de lâmina totalmente preta e outra de prata sagrada. Nesse segundo formato a sua resistência diminui um pouco, porém seu corte fica extremo, podendo cortar metais pesados e causar efeitos sobre armas sagradas. Essa espada vem em uma bainha preta com entalhes azuis em borboletas, ela se adapta ao corpo do mentalista podendo ser usada do modo que este desejar carregar a espada.] [Materiais: Prata Sagrada e Material Negro] (Nível Mínimo: 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: Presente por ser mentalista]

{Fake God} / Colar [Um colar artesanal, feito com cordão preto, no qual fica preso a ponta de um chifre de equiceph, pequeno o bastante para caber na palma da mão. O pingente incomum acumula, dentro de si, a habilidade utilizada pelo monstro para ludibriar seus seguidores. Uma vez por missão, tocando o objeto, é possível ativá-lo. As palavras do usuário serão capazes de convencer qualquer um que seja capaz de ouvi-las. Na prática, as ordens do usuário passam a ser 20% mais efetivas. É necessário, no entanto, apresentar argumentos que consigam fazer a cabeça do alvo. Cabe ao narrador decidir se a argumentação foi suficientemente boa para atingir o efeito desejado. Oponentes de nível maior que o do usuário não são afetados. O poder não é capaz de convencer seu alvo a cometer suicídio ou colocar-se intencionalmente em perigo. O efeito dura duas rodadas.] {Cordão, chifre de equiceph] (Nível Mínimo: 26) {Nenhum Elemento} [Recebimento: Missão A Fera de El Paso, avaliada por Hades e atualizada por ~Eos]
poderes:
Nível 02
Visão obscura - Essa habilidade implica que o filho de Thanatos vai poder enxergar perfeitamente em lugares escuros, considerando que seu progenitor vive no submundo. O alcance visual, contudo, não é alterado. Não é válido para escuridão mágica. [passivo]

◉ Nível 2. Memória fotográfica: Tudo o que você ver ou ler ficará gravado em sua memória por anos, serve tanto para imagens para textos. [passivo]

Nível 10
Aura opressora - A aura do semideus provoca desânimo ou inquietação nas pessoas ao redor. Não afeta de modo perceptível a pessoas comuns, mas auras de otimismo e alegria provenientes de outros semideuses são anuladas em um raio de 20m ao seu redor. Infelizmente, se aplica a auras benéficas que poderiam afetá-lo também. A partir no nível 20 pode ser "desligada" como uma ação livre, sem custos. [Novo] [passivo]

◉ Nível 10. Empatia: Você sabe exatamente o que o outro está sentindo em termos de emoções. [passivo]

Nível 12
Fleuma - Filhos de Thanatos não se abalam facilmente, sendo controlados e, por isso, resistentes a efeitos de medo - uma caracteristica natural pelos poderes e postura de seu pai. Poderes de medo não provocam efeito se provenientes de oponentes até 10 níveis mais fracos, e causam apenas metade do efeito se entre 10 níveis abaixo e 10 acima, afetando-os normalmente além disso. Note que só é válido para poderes que provoquem o sentimento em si e efeitos derivados, mas não dano direto. [Modificado, antigo "Coragem natural"] [passivo]

Nível 13
Focado - Assim como Thanatos não se distrai facilmente em seu trabalho, seus filhos também não o farão. A partir desse nível, caso sejam alvos de poderes que causem confusão ou distração, os efeitos serão reduzidos em 20%, independente do nível da fonte (exceto para fontes divinas diretas). [Novo] [passivo]

Nível 20
Visão aprimorada - Os olhos da morte devem ser totalmente apurados, pois sempre há quem acredite em enganá-la. Nesse nível, os filhos de Thanatos terão o alcance visual duplicado. [Nome modificado, antigo "Visão da morte"] [passivo]

◉ Nível 20. Telepatia Avançada: Controle total, podendo escolher a hora que vai escutar os pensamentos ou não e também se comunicando livremente através dos pensamentos. [passivo]

Nível 27
Odor diferenciado - A partir desse nível, o odor dos semideuses é modificado, ocultando sua natureza. Apenas monstros e oponentes mais fortes podem detectar que o filho de Thanatos é um semideus pelo cheiro. Rastrear pelo faro ainda é possível, pois ainda que o odor não o denuncie por sua natureza, o corpo, como ocorre com o de qualquer pessoa, ainda emitirá um cheiro específico e individual. [Novo] [passivo]

Nível 28
Sentir passagem - Thanatos é o guardião das passagens do submundo, mesmo as mais ocultas. Seus filhos também conseguem sentir a proximidade de passagens, mas não apenas para o mundo inferior: passagens secretas e caminhos ocultos também são captados, exceto se alterados magicamente por uma fonte de nível superior. Note que é apenas o sentido de que há algo no local, mas não revela mecanismos de abertura e afins. Por exemplo: ao passar por uma estante que oculta uma passagem, o semideus sente um calafrio que indica que algo está oculto. Contudo, ainda assim ele não sabe em que local exato do espaço ou como fazer a passagem se abrir, necessitando interagir e descobrir em on de forma comum. É um sentido sempre ativo, e o semideus deve lembrar ao narrador de seu poder quando achar que pode descobrir algo no cenário.[Novo] [passivo]
thanks maay
Carylin S. Ogtöller
avatar
Mentalistas de Psiquê
Mensagens :
64

Localização :
She's heading for something that she won't forget ♫

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Ártemis em Seg 12 Jun 2017, 01:12


Circus
MNEM PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON

Não foi difícil para Carylin e Franz, que eram sensíveis a passagens secretas, guiarem-se até a lateral do prédio e perceber uma entrada para funcionários ou algo parecido. Era uma pista em caracol que que levava à um estacionamento subterrâneo no interior do próprio cassino. Dois homens, postos na lateral da pista, conversavam distraidamente. Ambos vestiam ternos e possuíam aparelhos de comunicação — claramente, seguranças.

Pelos sentidos que Franz e Carylin tinham, aquela era a única passagem disponível além da entrada principal.


OBJETIVOS
pontos obrigatórios e opcionais

— Clique aqui para uma melhor visualização do lugar onde estão. Os seguranças estarão na parte inferior da pista, conversando, sem notar vocês.

— OBJETIVO PRINCIPAL: localizar e resgatar o centauro. A missão só será finalizada quando este objetivo for cumprido;

ADICIONAIS
sobre o local e as diretrizes

— Diretrizes: missão narrada externa mediana; introdução.

— Local: Hotel e Cassino Lótus (Las Vegas, Nevada).

— Horário: noite ao chegar em Las Vegas.

— Clima: frio e nublado.

— Extras off: poderes, armas e possíveis mascotes deverão ser colocados em spoiler ao final do post, para fins de organização.

— Adendos: informações não dadas poderão ser acrescentadas por vocês, porém com coerência. Qualquer coisa, contatem-me via MP, Fb, Wpp, carta, sinal de fumaça, etc.

— Instrução de postagem: Esta é uma missão narrada. Peço encarecidamente que EVITEM escrever post's muito longos ou com muitas informações. O ideal, nos turnos de narrada, é que cada post tenha de 7 a 10 linhas. Prezo a dinâmica. Por isso, ortografia será ainda menos importante do que já é, e objetividade passará a pesar muito mais. FAÇAM POSTS CURTOS.

— Prazo de postagem: 3 dias (72 horas) contando a partir da última postagem.


STATUS
NPC's, players e condições ON-game

Carylin S. Ogtöller
Vida: 370/370;
Energia: 370/370;

Franz H. Baudelaire
Vida: 370/370;
Energia: 358/370.

Oh Jun Myeon
Vida: 250/250;
Energia: 250/250.




A little broken, a little new
We are the impact and the glue


Ártemis
avatar
Deuses
Mensagens :
52

Localização :
Nômade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Carylin S. Ogtöller em Qui 15 Jun 2017, 17:04


CIRCUS
— Eu posso sentir uma entrada na lateral — disse para ninguém em especial, mas com um tom que ambos os companheiros conseguiram ouvir. Talvez algum deles também fossem sensíveis a passagens, coisa que ela ficou curiosa para descobrir. — Algum de vocês também conseguem?

Passando na frente de ambos os semideuses, a única garota do grupo começou a se dirigir para onde dissera, e logo viu uma pista em caracol levando a um estacionamento. Para sua decepção, dois homens grandes estavam por perto e, embora devessem proteger a entrada, conversavam como se estivessem desocupados. A distração de ambos deixou Carylin satisfeita.

"Podemos tentar passar sem sermos vistos, eles parecem bem distraídos" disse na mente dos semideuses. Ativando poderes de silêncio e tentando ser o mais discreta possível, começou a andar do lado oposto aos que os seguranças estavam, sendo seguida de perto pelos meninos. Ela só esperava que desse certo, porque não queria lutar.

Enquanto pensava isso, começou a usar poderes para tentar localizar o centauro perdido, tais como sua sensibilidade à morte e empatia. Se conseguissem entrar no estacionamento sem serem vistos, teriam grandes vantagens na hora da busca.

pormenores:
A Carylin tem esquizofrenia; essas falas em negrito no centro são dos fantasmas de sua própria cabeça.
armas:
{Sullem} / Anel [Anel feito de Ferro Estígio com uma grande Safira Negra incrustada em seu centro, representando uma caveira. Quando o usuário estiver com seu status de vida pela metade, uma aura negra o envolve. Faz com que a áurea recupere 20% do HP uma vez por missão] {Ferro Estígio e Safira} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

{Spanown} Capa [Uma capa negra feita de veludo e com capuz. A capa emite uma leve aura amedrontadora, por se lembrar da capa creditada a morte. A aura possui efeito até mesmo em seus aliados e animais, não possuindo efeito apenas sobre criaturas de nível igual ou maior. O efeito faz com que a defesa do inimigo reduza em 10%, por causa de seu temor em ser morto enquanto estiver próximo do portador a até 3m de distância, mas resistências ainda devem ser aplicadas. Adicionalmente, duas vezes por missão, por um período de dois turnos, há um efeito de camuflagem que deixa o usuário furtivo, escondido, diminuindo as chances de serem encontrados.] {Veludo negro} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

❃{Panoplía} / Jaqueta [A semideusa foi presenteada com uma jaqueta pelo seu mais novo amigo, Joaquim. Tal item é quase imperceptível, se camuflando como uma simples blusa enquanto a semideusa estiver em locais que cuidem de sua saúde (visto que normalmente teria uma roupa especifica para isso, a jaqueta se "transforma" visualmente na roupa que deve ser usada, mas apenas é vista pelas outras pessoas deste jeito - ela não modifica sua forma, cor ou peso, na realidade). Além da ilusão, é 50% resistente ao fogo (caso o elemento provenha de semideuses com mais de 10 níveis abaixo do dela), 25% se estes forem de 10 até 1 nível mais fracos e apenas 10% se forem de 1 até 10 níveis mais fortes. Protege os braços e o tronco da semideusa completamente contra fogo natural por até três turnos. Por conseguir manter o controle natural dentro da jaqueta, esta não se destrói facilmente com altas temperaturas provenientes de fogo ou calor natural (assim, deixa a semideusa 20% mais aquecida em temperaturas baixas e pode se tornar 'leve' em temperaturas altas, sem necessidade de tira-la por conta do calor). Não se transforma em armadura, mas ameniza danos de ataques diretos em 10%. Possui dois bolsos normais na parte interior e pode ser destruída por qualquer elemento diferente (provenientes de adversários mais fortes) ou por semideuses de fogo com mais de 10 níveis em comparação com a semideusa.] {Couro} (Nível Mínimo: 15) {Resistência ao fogo e calor} [Recebimento: Missão "O Novo Amigo", avaliada por Athena e atualizada por Psiquê.]

• {Werewolf} Bracelete [Exatamente igual ao bracelete que fora usado para controlar e transformar o soldado companheiro do semideus dentro da história de Chapeuzinho, Werewolf possui propriedades semelhantes, mas não tão bruscas para o portador. Uma vez por evento, conforme o desejo do dono, a pedra avermelhada começa a brilhar, evidenciando a liberação do poder. Seus efeitos fazem com que o semideus assuma características lupinas não físicas, ou seja: Sentidos extremamente aguçados (visão, audição, paladar e olfato) e também um aumento de 60% na força e agilidade. Por outro lado, há uma desvantagem: Enquanto estiver sob os efeitos do bracelete, o semideus sofrerá o dobro do dano inicial caso a arma utilizada contra ele seja feita de prata. Os efeitos duram 3 rodadas.] (Couro, rubi, magia) [Recebimento: Treino OUAT - Chapeuzinho Vermelho. Avaliado por Ayla Lennox e atualizado por Asclépio]

✣ Anima Bracelet. [Um bracelete de prata com o desenho de borboleta em ouro. Esse bracelete pode ser ativado com o desejo mental do usuário e transforma-se em uma corrente que pode medir 10m. Essa corrente é feita de prata e ouro sagrado, bastante resiste a tal ponto de ser semi-indestrutível. Ela obedecerá aos comandos mentais do mentalista com perfeição, independente do nível que ele esteja.] [Materiais: Ouro Sagrado e Prata Sagrada] (Nível mínimo 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: presente por ser mentalista]

✣ Yin Yang. [Uma espada de punho prateado e com um desenho bem talhado de uma borboleta em azul. Sua lâmina é de uma beleza diferenciada, pela divisão do cume central, metade dela possui um material negro e a outra metade é feito de prata sagrada. Seu corte é duplo e sua ponta afinada, uma espada bastante resistente. Ela possui uma habilidade de ativar um segundo modo em que a espada original se divide em duas, uma de lâmina totalmente preta e outra de prata sagrada. Nesse segundo formato a sua resistência diminui um pouco, porém seu corte fica extremo, podendo cortar metais pesados e causar efeitos sobre armas sagradas. Essa espada vem em uma bainha preta com entalhes azuis em borboletas, ela se adapta ao corpo do mentalista podendo ser usada do modo que este desejar carregar a espada.] [Materiais: Prata Sagrada e Material Negro] (Nível Mínimo: 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: Presente por ser mentalista]

{Fake God} / Colar [Um colar artesanal, feito com cordão preto, no qual fica preso a ponta de um chifre de equiceph, pequeno o bastante para caber na palma da mão. O pingente incomum acumula, dentro de si, a habilidade utilizada pelo monstro para ludibriar seus seguidores. Uma vez por missão, tocando o objeto, é possível ativá-lo. As palavras do usuário serão capazes de convencer qualquer um que seja capaz de ouvi-las. Na prática, as ordens do usuário passam a ser 20% mais efetivas. É necessário, no entanto, apresentar argumentos que consigam fazer a cabeça do alvo. Cabe ao narrador decidir se a argumentação foi suficientemente boa para atingir o efeito desejado. Oponentes de nível maior que o do usuário não são afetados. O poder não é capaz de convencer seu alvo a cometer suicídio ou colocar-se intencionalmente em perigo. O efeito dura duas rodadas.] {Cordão, chifre de equiceph] (Nível Mínimo: 26) {Nenhum Elemento} [Recebimento: Missão A Fera de El Paso, avaliada por Hades e atualizada por ~Eos]
poderes:
Nível 02
Visão obscura - Essa habilidade implica que o filho de Thanatos vai poder enxergar perfeitamente em lugares escuros, considerando que seu progenitor vive no submundo. O alcance visual, contudo, não é alterado. Não é válido para escuridão mágica. [passivo]

◉ Nível 2. Memória fotográfica: Tudo o que você ver ou ler ficará gravado em sua memória por anos, serve tanto para imagens para textos. [passivo]

Nível 07
Sensibilidade de morte - Não importa quando ou onde, mas o filho de Thanatos sentirá quando alguém morrer ou estiver a beira da morte em um raio de até 100m - ainda que não identifique quem morreu ou a causa da morte. Não prevê movimentos em batalha, mas se alguém for ferido mortalmente em uma, ele sentirá. [passivo]

Nível 10
Aura opressora - A aura do semideus provoca desânimo ou inquietação nas pessoas ao redor. Não afeta de modo perceptível a pessoas comuns, mas auras de otimismo e alegria provenientes de outros semideuses são anuladas em um raio de 20m ao seu redor. Infelizmente, se aplica a auras benéficas que poderiam afetá-lo também. A partir no nível 20 pode ser "desligada" como uma ação livre, sem custos. [Novo] [passivo]

◉ Nível 10. Empatia: Você sabe exatamente o que o outro está sentindo em termos de emoções. [passivo]

Nível 12
Fleuma - Filhos de Thanatos não se abalam facilmente, sendo controlados e, por isso, resistentes a efeitos de medo - uma caracteristica natural pelos poderes e postura de seu pai. Poderes de medo não provocam efeito se provenientes de oponentes até 10 níveis mais fracos, e causam apenas metade do efeito se entre 10 níveis abaixo e 10 acima, afetando-os normalmente além disso. Note que só é válido para poderes que provoquem o sentimento em si e efeitos derivados, mas não dano direto. [Modificado, antigo "Coragem natural"] [passivo]

Nível 13
Focado - Assim como Thanatos não se distrai facilmente em seu trabalho, seus filhos também não o farão. A partir desse nível, caso sejam alvos de poderes que causem confusão ou distração, os efeitos serão reduzidos em 20%, independente do nível da fonte (exceto para fontes divinas diretas). [Novo] [passivo]

Nível 20
Visão aprimorada - Os olhos da morte devem ser totalmente apurados, pois sempre há quem acredite em enganá-la. Nesse nível, os filhos de Thanatos terão o alcance visual duplicado. [Nome modificado, antigo "Visão da morte"] [passivo]

◉ Nível 20. Telepatia Avançada: Controle total, podendo escolher a hora que vai escutar os pensamentos ou não e também se comunicando livremente através dos pensamentos. [passivo]

Nível 25
Silêncio sepulcral - Santúarios, túmulos e sepulcros em geral são locais silenciosos e que não devem ser perturbados. Um filho de Thanatos tem esse sentido instintivamente, e seus passos tornaram-se mais silenciosos com o tempo. Apenas criaturas muito atentas, com audição apurada ou outros sentidos conseguirão notar facilmente sua aproximação, tornando mais fácil um ataque surpresa ou aproximação cautelosa. Ele ainda provoca sons naturalmente caso não haja cautela no andar ou caso seja intencional. [Novo] [passivo]

Nível 27
Odor diferenciado - A partir desse nível, o odor dos semideuses é modificado, ocultando sua natureza. Apenas monstros e oponentes mais fortes podem detectar que o filho de Thanatos é um semideus pelo cheiro. Rastrear pelo faro ainda é possível, pois ainda que o odor não o denuncie por sua natureza, o corpo, como ocorre com o de qualquer pessoa, ainda emitirá um cheiro específico e individual. [Novo] [passivo]

Nível 28
Sentir passagem - Thanatos é o guardião das passagens do submundo, mesmo as mais ocultas. Seus filhos também conseguem sentir a proximidade de passagens, mas não apenas para o mundo inferior: passagens secretas e caminhos ocultos também são captados, exceto se alterados magicamente por uma fonte de nível superior. Note que é apenas o sentido de que há algo no local, mas não revela mecanismos de abertura e afins. Por exemplo: ao passar por uma estante que oculta uma passagem, o semideus sente um calafrio que indica que algo está oculto. Contudo, ainda assim ele não sabe em que local exato do espaço ou como fazer a passagem se abrir, necessitando interagir e descobrir em on de forma comum. É um sentido sempre ativo, e o semideus deve lembrar ao narrador de seu poder quando achar que pode descobrir algo no cenário.[Novo] [passivo]
thanks maay
Carylin S. Ogtöller
avatar
Mentalistas de Psiquê
Mensagens :
64

Localização :
She's heading for something that she won't forget ♫

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Oh Jun Myeon em Qui 15 Jun 2017, 22:52


oh, it's circus
— frustrations have to wait —
Junmyeon, na verdade, não sentia nada. Não havia como. Mesmo com dezenas de habilidades que poderia alegar possuir, intuições estranhas como a que Carylin mencionou não faziam parte do seu repertório. O que ela era? Uma servente de Jano? Não entendia como uma prole de Thanatos poderia encontrar portas — exceto as da morte, obviamente. E como se já não fosse o bastante, François também anuiu com a cabeça, como se dissesse silenciosamente: "eu também sinto".

Para Oh Junmyeon, soltar um riso soprado foi praticamente inevitável.

Caminharam furtivamente pela entrada, deparando-se com uma estrutura circular que levava para um nível mais baixo da construção, aparentemente. De prontidão, os olhos felinos do Oh fincaram-se numa dupla de homens trajados elegantemente, embora sua localidade denunciasse o óbvio: eram seguranças.

Ante à cena, estacou de imediato.

Tendo também percebido isso, Carylin falou mentalmente com Junmyeon — e aparentemente com o Baudelaire também, a julgar pela brusca virada de pescoço que deu na direção da garota, visivelmente pego de surpresa. "Além de encontrar portas, ainda é uma telepata. O que vai vir depois? Pirotecnia?", pensou. A prole de Afrodite até teria respondido verbalmente, mas sabia que palavras ali seriam como um sinalizador para a atenção dos homens; somente por isso seguiu a garota o mais silenciosamente que pôde, agradecendo mentalmente pela graciosidade natural herdada da Olimpiana que o pariu.

Sabia que poderia lidar bem com os homens, caso fossem realmente humanos e ele conseguisse articular novamente seu velho (e nunca falho) charme. Mas, por hora, preferia o mais rápido. Seria mais rentável andar sem ser percebido do que enrolar dois idiotas com um par de palavras doces, tentando forçar passagem.

Adendos:
Itens:
♦ Faca [Sua lâmina bronzeada mede cerca de 24 cm, e seu cabo tem o mesmo comprimento padrão. É bastante afiada e é perfeita para ataque ágeis e rápidos. O bom desta arma é sua eficiência tanto para mãos hábeis quanto para manuseios mais inexperientes, pois é uma arma curta, fácil de esconder e ao mesmo tempo fácil de manusear. Seu punho é feito de aço, mas uma camada de couro escuro cobre o aço para que o usuário possa segurá-la firmemente. Na parte inferior da lâmina, próxima ao cabo, há entalhado as siglas do Acampamento "CHB"; uma propriedade que só os meio-sangues e criaturas místicas podem ter e usar (ajuda um pouco na destreza)] {Bronze, aço e couro} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Administração; item inscrição padrão do fórum] < no cós da calça, próximo a Beauté;

{Beauté} / Chicote  [É um chicote, todo trabalhado a mão, com 2,5m. Ele é feito de couro, e nesse couro, pode se perceber detalhes em renda, bordada manualmente. Ele também reluz alguns fios acobreados, deixando entrever o bronze sagrado, que ajuda em ataques mais precisos, e pode cortar a pele do atingido.]{Couro e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1 ) [Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < atado à cintura;

{Arche de l'Amour} / Arco longo [De cores dourada e prata, este arco de bronze sagrado possui um desenho elegante e chamativo, mas não vulgar. Para todos os efeitos, age como um arco longo comum. No nível 20 transforma-se em um anel que faz par com Enchantè.] {Bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1 ) [Destreza/ Ataque/ Poder de precisão][Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < em mãos;

{Enchantè} / Aljava de Flechas Infinitas [As flechas reluzem claramente, dado o acabamento mais elegante se comparado à armas de outra origem. Porém, são apenas flechas de bronze sagrado. O compartimento é feito de couro, decorado com filigramas metálicas. No nível 20 transforma-se em um anel que faz par com o Arche de l'Amour.] {Couro e bronze sagrado; Madeira de freixo e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1) {Não controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Afrodite] < nas costas;

♦ {Act} / Broche [Possuindo o formato de uma pena dourada, o broche é um pouco menor do que um polegar e é totalmente feito de ouro. Ao ser utilizado pelo semideus, aumenta em 15% a eficiência em ações que envolvam charme, lábia ou persuasão - quase assemelhando-se a um ator profissional. O efeito dura até 4 rodadas e pode ser usado apenas uma vez por evento/missão.] (Nível mínimo: 8) {Ouro} {Não controla ennhum elemento} [Recebimento: Missão Ensaio Molhado - Avaliada por Éris e Atualizada por Asclépio] < preso no peitoral da roupa;

❖ {Feather} / Pena [Esta é uma pena negra e macia, conseguida por Ygren em um combate no Acampamento. Originária de um abutre, um dos símbolos de Ares, pode auxiliar o seu portador durante uma batalha por até dois turnos por evento/missão. A ativação se dá quando o semideus aperta com força o item em uma de suas mãos livres, fazendo com que seus reflexos e força corporal aumentem em 20% no tempo estipulado. O efeito é cortado quando, querendo ou não, ele solte o objeto (dentro do limite de dois turnos).] {Pena Mágica} (Nível Mínimo:  20) {Não controla nenhum elemento} [Recompensa pela missão "O descuido de Norma", avaliada e atualizada por Psiquê.] < no bolso;
Poderes:
{Afrodite - Passivo} Nível 6 — Delicadeza: assim como pombos ou cisnes, seus passos são suaves e delicados, dificilmente sendo percebidos pelo inimigo em uma aproximação sutil. Note que sentidos aguçados ainda podem captar sua presença, assim como uma aproximação descuidada podem lhe denunciar. O silêncio não é completo.
Oh Jun Myeon
avatar
Filhos de Afrodite
Mensagens :
45

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Franz H. Baudelaire em Qui 15 Jun 2017, 23:18

it's circus
MISSÃO NARRADA MEDIANA
the mission
PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON
François Baudelaire estava certo: havia uma entrada, e por mais que seus sentidos tivessem gritado por isso, ela não era tão oculta assim. A seus olhos, parecia um simples acesso para funcionários. Até havia aberto a boca para avisar, mas a filha de Thanatos foi mais rápida; apontando a entrada e perguntando quem mais sentia, tudo o que Franz achou poder fazer foi menear afirmativamente, concordando em silêncio com aquele sentido paranormal que ambos pareciam dividir.

Quando entraram, inexplicavelmente mantendo a pose furtiva, depararam-se com outra dificuldade: dois seguranças parados no caracol que os colocaria para dentro do cassino. Praguejou baixinho, soltando um xingamento em um francês carregado de sotaque, embora ninguém pareça ter ouvido. Como Junmyeon alegou sentir na entrada, aquilo não lhe cheirava bem. Era quase certo que não conseguiriam passar sem serem percebidos e consequentemente impedidos.

Realmente não queria ter que se livrar de seguranças... pela milionésima vez.

Considerou retroceder, notando que a parada do filho de Afrodite indicava o mesmo. Mas para o desgosto de ambos, Carylin não parecia muito disposta àquilo; continuou prosseguindo, até dizendo-lhes mentalmente que conseguiriam passar (algo que assustou Franz por um rápido momento, devo acrescentar). Era um incentivo, certamente, mas — pela segunda vez naquela noite — não deixava de parecer-lhe a decisão errada. Visivelmente não estavam trabalhando bem em equipe.

Decidindo que opor-se não era o mais propício, acompanhou a "líder" daquela "etapa", esforçando-se ao máximo para não produzir barulho algum. Cogitou deixar seus aliados invisíveis, mas não sabia se tinha força suficiente para tal; até o momento, só tinha usado a habilidade em si mesmo. Preferiu seguir o plano da filha de Thanatos e tentar escapar dos olhos dos seguranças, àquela altura alheios ao que acontecia ao seu redor.

Adendos:
Itens:
☥ {Rest in Peace} / Adagas Gêmeas [Este par de adagas é branco prateado e, considerando cabo e lâmina, possuem no total 30cm cada. Seu gume é liso e o cabo apresenta arabescos e entalhes que mesclam ramos florais e runas. As duas adagas possuem os mesmos poderes e eles sempre são ativados/ consumidos ao mesmo tempo (assim, mesmo que só transforme uma em arma, ao ativar o poder o consumo também vale para a que está em forma de item, ainda que neste caso seja ineficaz). Transformam-se em um par de anéis no nível 20, gravados com as letrs R.I.P. na parte interna.] {Bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < em forma de anel, nos dois dedos anelares;

☥  {Shadow Walker} / Botas [As botas parecem coturnos, negras e com cadarços. Seu uso garante um aumento constante no deslocamento natural de 3m. Adicionalmente, ativando seu efeito o usuário torna-se capaz de se locomover sobre qualquer superfície que forneça um mínimo de apoio (sejam superfícies íngremes ou líquidas, mas não gases ou similares) ainda que permaneça sujeito a condições adversas (caminhar sobre lava danificaria o item, não sendo possível por muito tempo, uma vez que ainda há o contato com a superfície). Cada ativação dura 3 turnos. 3x por missão.] {Couro e borracha} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < nos pés (duh q);

☥ {Embrace} / Manto [Manto leve, de um tecido negro e fluido. Apesar de não fornecer bonificações efetivas na defesa, seu efeito permite ao usuário teleportar-se pelas sombras. A distância permitida por viagem equivale ao nível do semideus x10 em Km (no mínimo 1/ 10 desse valor por viagem). Permite até 3 usos por missão. Há uma chance de falha na localização final caso não se conheça o lugar a ser visitado. Pesquisas, imagens, fotos e similares podem reduzir isso. Não é possível atravessar barreiras mágicas com este poder.] {Tecido} (Nível mínimo: 1) {Nenhum elemento} [Recebimento: Presente de reclamação de Macária] < na mochila;

☥ Ametista / [A joia foi resgatada por Tyler após aceitar o serviço imposto a ele e possui um efeito que, ao ser apontada para o inimigo, obscurece sua visão por um turno. Vale deixar claro que personagens que conseguem ver no escuro não são afetados pelo item. Mediante DIY ou pedido em forja, pode ser incrustado em forma de colar ou amuleto, facilitando assim seu uso e repouso no corpo do semideus.] {Materiais: Ametista}(Nível mínimo: 1){Elemento sombra}[Recebimento: "Caça ao mineral encantado", avaliado por Ares e atualizado por Asclépio] < num dos bolsos da mochila;

— Bolsa de Componentes Mágicos / Bolsa (Nela são guardados desde objetos para preparo de poções até bisturis e utensílios médicos [ela possui espaço infinito para tais coisas e somente para tais coisas; também aparece e desaparece, dependendo exclusivamente da necessidade do semideus]) {Couro} (Nívem mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento)[Presente de Curandeiro] < oculta, esperando as vontades do semideus para aparecer;

— Colar do Serpentário / Colar (o formato e o estilo da confecção lembram uma serpente dourada; nunca pode ser perdido, vendido ou retirado a força, pois identifica os curandeiros e, portanto, não é considerado um item nas contagens para missões, eventos e tramas, embora ainda seja preciso citá-lo) (seu efeito principal é o de, quando retirado do pescoço, se transformar em um dos itens a seguir: uma réplica quase totalmente semelhante do Bordão de Asclépio (ou seja, uma espécime de bastão rústico e fino envolvido por uma serpente de escamas feitas de prata envenenada que podem ser tão afiadas quanto uma espada, possuindo o mesmo potencial de corte de uma arma laminada; ele se adapta completamente ao tamanho e porte físico do usuário). {Prata, madeira e veneno} (Nível mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento) [Presente de Curandeiro] < no pescoço;

• Elixir da Vida (titânico): Recupera 100HP.
• Elixir da Energia (titânico): Recupera 100EP. < num dos bolsos da mochila;
Poderes:
{Macária - Passivo} Nível 9 — Passagem suave: Macária é silenciosa, de gestos e movimentos suaves. Seus filhos herdam este dom, e costumam ser mais difíceis de detectar pelos sons, ainda que se não forem cuidadosos ou se for intencional podem agir normalmente. Ainda assim, não é um silêncio absoluto, e sentidos apurados ou condições adversas (um terreno com folhas secas, por exemplo) podem permitir sua detecção. < auxiliando na busca pela entrada;
Franz H. Baudelaire
avatar
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
112

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Ártemis em Sex 16 Jun 2017, 06:39


Circus
MNEM PARA CARYLIN, FRANZ E JUNMYEON

Carylin e Jun Myeon pareciam ser muito menos barulhentos do que Franz, que teve de fazer um esforço a mais para passar despercebido. Ainda assim, conseguiram manter-se indetectáveis sobre os olhares distraídos dos mortais, que apenas conversaram durante o silencioso trajeto percorrido pelos três. Quando atingiram o ponto mais próximo dos seguranças, no entanto, um deles reclamou.

— Você sentiu isso? — Inquiriu, lançando um olhar irrequieto para os arredores. O outro segurança ergueu uma sobrancelha. — Um calafrio.

Eles se entreolharam, ficando apreensivos conforme o grupo passava por eles. Por não identificarem a origem da sensação, apenas deixaram para lá. Carylin talvez reconhecesse essa reação, uma vez que deveria ter passado boa parte de sua vida instigando desconforto ao se aproximar das pessoas. Uma presença perturbadora que sempre pareceu ter.

Finalmente, ignorando o acontecido, chegaram ao estacionamento subterrâneo. Carros ocupavam praticamente todas as vagas, mas não havia ninguém ali. Uma única e óbvia escadaria atravessava a pista, levando ao interior do hotel. Conforme chegavam mais perto, mais era colocado em evidência o fato de que algum tipo de zona estava acontecendo no andar superior, dada a balbúrdia infernal que os três eram capazes de ouvir. Apesar disso, o barulho não parecia se estender por todo o hotel, e aquela passagem parecia não levar ao cômodo onde o caos estava acontecendo.

Ao chegar ali, a sensibilidade à morte de Carylin explodiu. Embora ninguém tivesse morrido ainda, a sensação de que diversas pessoas/seres estavam à beira da morte a alertaram. Esse sentido parecia estar majoritariamente virado para o som do caos, embora também apontasse, em uma intensidade MUITO menor, para algum lugar ainda mais subterrâneo do que o estacionamento.


OBJETIVOS
pontos obrigatórios e opcionais

— Reajam às informações dadas acima. Lembrem-se: estou considerando todos os poderes passivos e auras de vocês.

— Obs: Apenas Carylin teve acesso às informações do último parágrafo. Sejam coerentes nas ações levando isso em conta. Além disso, apesar de ela ter sentido que alguém está à beira da morte em algum lugar no subterrâneo, nenhum dos três foi capaz de ver/sentir a passagem que leva para lá. Terão de explorar o hotel para encontrar, caso queiram.

— OBJETIVO PRINCIPAL: localizar e resgatar o centauro. A missão só será finalizada quando este objetivo for cumprido;

ADICIONAIS
sobre o local e as diretrizes

— Diretrizes: missão narrada externa mediana; quarto post.

— Local: Hotel e Cassino Lótus (Las Vegas, Nevada).

— Horário: noite ao chegar em Las Vegas.

— Clima: frio e nublado.

— Extras off: poderes, armas e possíveis mascotes deverão ser colocados em spoiler ao final do post, para fins de organização.

— Adendos: informações não dadas poderão ser acrescentadas por vocês, porém com coerência. Qualquer coisa, contatem-me via MP, Fb, Wpp, carta, sinal de fumaça, etc.

— Instrução de postagem: Esta é uma missão narrada. Peço encarecidamente que EVITEM escrever post's muito longos ou com muitas informações. O ideal, nos turnos de narrada, é que cada post tenha de 7 a 10 linhas. Prezo a dinâmica. Por isso, ortografia será ainda menos importante do que já é, e objetividade passará a pesar muito mais. FAÇAM POSTS CURTOS.

— Prazo de postagem: 3 dias (72 horas) contando a partir da última postagem.


STATUS
NPC's, players e condições ON-game

Carylin S. Ogtöller
Vida: 370/370;
Energia: 370/370;

Franz H. Baudelaire
Vida: 370/370;
Energia: 358/370.

Oh Jun Myeon
Vida: 250/250;
Energia: 250/250.




A little broken, a little new
We are the impact and the glue


Ártemis
avatar
Deuses
Mensagens :
52

Localização :
Nômade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Carylin S. Ogtöller em Seg 19 Jun 2017, 21:23


CIRCUS
"Eu também posso ler seus pensamentos, Oh Jun Myeon. Mas pirotecnia não está entre meus domínios, fique tranquilo", disse só para a prole de Afrodite ouvir, contendo um tom de risada na voz. Enquanto desciam a rampa, Carylin suou frio ao perceber que os seguranças haviam sentido sua presença. Aquela perturbação que causava nos outros sempre a havia causado problemas. Felizmente não foram notados, crédito que ela dava inteiramente aos empregados incompetentes.

De repente, ao chegar ao estacionamento, muitas coisas aconteceram ao mesmo tempo, tirando-a de seus devaneios. Primeiramente, um barulho que vinha de cima a assustou, fazendo com que desse um pulo e olhasse assustada para os lados; com esse último ato, percebeu uma escada ali, mas ela não parecia que iria levá-los ao local da bagunça. Instantes depois, a sensibilidade de Carylin explodiu. Ela podia sentir a morte de todos os lugares. A presença no hotel parecia ser bem grande, mas havia algum cômodo no subterrâneo que a proporcionava certa inquietude. Colocando as mãos na cabeça, arquejou.

— Eu consigo sentir a morte! Tem uma grande parte vindo do hotel lá em cima, mas o subterrâneo... Tem alguma coisa lá embaixo também, embora em menor intensidade — informou com certo desespero. Ela odiava aquele sentimento.

Os garotos pareceram confusos, mas logo recuperaram as poses. Começaram a discutir estratégias que Carylin não conseguia prestar atenção de modo algum. Captou algumas coisas que faziam sentido para ela, mas estava inquieta em excesso para participar de alguma coisa. Somente concordava.

No final, se deu conta de que estavam procurando uma passagem para baixo. Ficou um pouco confusa de início, mas logo entendeu. Estavam procurando apenas um centauro, e ele provavelmente não estava no meio de grandes confusões.

pormenores:
A Carylin tem esquizofrenia; essas falas em negrito no centro são dos fantasmas de sua própria cabeça.

2. caio a gente te ama tá, não mata a gente
armas:
{Sullem} / Anel [Anel feito de Ferro Estígio com uma grande Safira Negra incrustada em seu centro, representando uma caveira. Quando o usuário estiver com seu status de vida pela metade, uma aura negra o envolve. Faz com que a áurea recupere 20% do HP uma vez por missão] {Ferro Estígio e Safira} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

{Spanown} Capa [Uma capa negra feita de veludo e com capuz. A capa emite uma leve aura amedrontadora, por se lembrar da capa creditada a morte. A aura possui efeito até mesmo em seus aliados e animais, não possuindo efeito apenas sobre criaturas de nível igual ou maior. O efeito faz com que a defesa do inimigo reduza em 10%, por causa de seu temor em ser morto enquanto estiver próximo do portador a até 3m de distância, mas resistências ainda devem ser aplicadas. Adicionalmente, duas vezes por missão, por um período de dois turnos, há um efeito de camuflagem que deixa o usuário furtivo, escondido, diminuindo as chances de serem encontrados.] {Veludo negro} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Presente de Reclamação de Thanatos]

❃{Panoplía} / Jaqueta [A semideusa foi presenteada com uma jaqueta pelo seu mais novo amigo, Joaquim. Tal item é quase imperceptível, se camuflando como uma simples blusa enquanto a semideusa estiver em locais que cuidem de sua saúde (visto que normalmente teria uma roupa especifica para isso, a jaqueta se "transforma" visualmente na roupa que deve ser usada, mas apenas é vista pelas outras pessoas deste jeito - ela não modifica sua forma, cor ou peso, na realidade). Além da ilusão, é 50% resistente ao fogo (caso o elemento provenha de semideuses com mais de 10 níveis abaixo do dela), 25% se estes forem de 10 até 1 nível mais fracos e apenas 10% se forem de 1 até 10 níveis mais fortes. Protege os braços e o tronco da semideusa completamente contra fogo natural por até três turnos. Por conseguir manter o controle natural dentro da jaqueta, esta não se destrói facilmente com altas temperaturas provenientes de fogo ou calor natural (assim, deixa a semideusa 20% mais aquecida em temperaturas baixas e pode se tornar 'leve' em temperaturas altas, sem necessidade de tira-la por conta do calor). Não se transforma em armadura, mas ameniza danos de ataques diretos em 10%. Possui dois bolsos normais na parte interior e pode ser destruída por qualquer elemento diferente (provenientes de adversários mais fortes) ou por semideuses de fogo com mais de 10 níveis em comparação com a semideusa.] {Couro} (Nível Mínimo: 15) {Resistência ao fogo e calor} [Recebimento: Missão "O Novo Amigo", avaliada por Athena e atualizada por Psiquê.]

• {Werewolf} Bracelete [Exatamente igual ao bracelete que fora usado para controlar e transformar o soldado companheiro do semideus dentro da história de Chapeuzinho, Werewolf possui propriedades semelhantes, mas não tão bruscas para o portador. Uma vez por evento, conforme o desejo do dono, a pedra avermelhada começa a brilhar, evidenciando a liberação do poder. Seus efeitos fazem com que o semideus assuma características lupinas não físicas, ou seja: Sentidos extremamente aguçados (visão, audição, paladar e olfato) e também um aumento de 60% na força e agilidade. Por outro lado, há uma desvantagem: Enquanto estiver sob os efeitos do bracelete, o semideus sofrerá o dobro do dano inicial caso a arma utilizada contra ele seja feita de prata. Os efeitos duram 3 rodadas.] (Couro, rubi, magia) [Recebimento: Treino OUAT - Chapeuzinho Vermelho. Avaliado por Ayla Lennox e atualizado por Asclépio]

✣ Anima Bracelet. [Um bracelete de prata com o desenho de borboleta em ouro. Esse bracelete pode ser ativado com o desejo mental do usuário e transforma-se em uma corrente que pode medir 10m. Essa corrente é feita de prata e ouro sagrado, bastante resiste a tal ponto de ser semi-indestrutível. Ela obedecerá aos comandos mentais do mentalista com perfeição, independente do nível que ele esteja.] [Materiais: Ouro Sagrado e Prata Sagrada] (Nível mínimo 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: presente por ser mentalista]

✣ Yin Yang. [Uma espada de punho prateado e com um desenho bem talhado de uma borboleta em azul. Sua lâmina é de uma beleza diferenciada, pela divisão do cume central, metade dela possui um material negro e a outra metade é feito de prata sagrada. Seu corte é duplo e sua ponta afinada, uma espada bastante resistente. Ela possui uma habilidade de ativar um segundo modo em que a espada original se divide em duas, uma de lâmina totalmente preta e outra de prata sagrada. Nesse segundo formato a sua resistência diminui um pouco, porém seu corte fica extremo, podendo cortar metais pesados e causar efeitos sobre armas sagradas. Essa espada vem em uma bainha preta com entalhes azuis em borboletas, ela se adapta ao corpo do mentalista podendo ser usada do modo que este desejar carregar a espada.] [Materiais: Prata Sagrada e Material Negro] (Nível Mínimo: 1) {Elemento: Psíquico} [Recebimento: Presente por ser mentalista]

{Fake God} / Colar [Um colar artesanal, feito com cordão preto, no qual fica preso a ponta de um chifre de equiceph, pequeno o bastante para caber na palma da mão. O pingente incomum acumula, dentro de si, a habilidade utilizada pelo monstro para ludibriar seus seguidores. Uma vez por missão, tocando o objeto, é possível ativá-lo. As palavras do usuário serão capazes de convencer qualquer um que seja capaz de ouvi-las. Na prática, as ordens do usuário passam a ser 20% mais efetivas. É necessário, no entanto, apresentar argumentos que consigam fazer a cabeça do alvo. Cabe ao narrador decidir se a argumentação foi suficientemente boa para atingir o efeito desejado. Oponentes de nível maior que o do usuário não são afetados. O poder não é capaz de convencer seu alvo a cometer suicídio ou colocar-se intencionalmente em perigo. O efeito dura duas rodadas.] {Cordão, chifre de equiceph] (Nível Mínimo: 26) {Nenhum Elemento} [Recebimento: Missão A Fera de El Paso, avaliada por Hades e atualizada por ~Eos]
poderes:
Nível 02
Visão obscura - Essa habilidade implica que o filho de Thanatos vai poder enxergar perfeitamente em lugares escuros, considerando que seu progenitor vive no submundo. O alcance visual, contudo, não é alterado. Não é válido para escuridão mágica. [passivo]

◉ Nível 2. Memória fotográfica: Tudo o que você ver ou ler ficará gravado em sua memória por anos, serve tanto para imagens para textos. [passivo]

Nível 07
Sensibilidade de morte - Não importa quando ou onde, mas o filho de Thanatos sentirá quando alguém morrer ou estiver a beira da morte em um raio de até 100m - ainda que não identifique quem morreu ou a causa da morte. Não prevê movimentos em batalha, mas se alguém for ferido mortalmente em uma, ele sentirá. [passivo]

Nível 10
Aura opressora - A aura do semideus provoca desânimo ou inquietação nas pessoas ao redor. Não afeta de modo perceptível a pessoas comuns, mas auras de otimismo e alegria provenientes de outros semideuses são anuladas em um raio de 20m ao seu redor. Infelizmente, se aplica a auras benéficas que poderiam afetá-lo também. A partir no nível 20 pode ser "desligada" como uma ação livre, sem custos. [Novo] [passivo]

◉ Nível 10. Empatia: Você sabe exatamente o que o outro está sentindo em termos de emoções. [passivo]

Nível 12
Fleuma - Filhos de Thanatos não se abalam facilmente, sendo controlados e, por isso, resistentes a efeitos de medo - uma caracteristica natural pelos poderes e postura de seu pai. Poderes de medo não provocam efeito se provenientes de oponentes até 10 níveis mais fracos, e causam apenas metade do efeito se entre 10 níveis abaixo e 10 acima, afetando-os normalmente além disso. Note que só é válido para poderes que provoquem o sentimento em si e efeitos derivados, mas não dano direto. [Modificado, antigo "Coragem natural"] [passivo]

Nível 13
Focado - Assim como Thanatos não se distrai facilmente em seu trabalho, seus filhos também não o farão. A partir desse nível, caso sejam alvos de poderes que causem confusão ou distração, os efeitos serão reduzidos em 20%, independente do nível da fonte (exceto para fontes divinas diretas). [Novo] [passivo]

Nível 20
Visão aprimorada - Os olhos da morte devem ser totalmente apurados, pois sempre há quem acredite em enganá-la. Nesse nível, os filhos de Thanatos terão o alcance visual duplicado. [Nome modificado, antigo "Visão da morte"] [passivo]

◉ Nível 20. Telepatia Avançada: Controle total, podendo escolher a hora que vai escutar os pensamentos ou não e também se comunicando livremente através dos pensamentos. [passivo]

Nível 25
Silêncio sepulcral - Santúarios, túmulos e sepulcros em geral são locais silenciosos e que não devem ser perturbados. Um filho de Thanatos tem esse sentido instintivamente, e seus passos tornaram-se mais silenciosos com o tempo. Apenas criaturas muito atentas, com audição apurada ou outros sentidos conseguirão notar facilmente sua aproximação, tornando mais fácil um ataque surpresa ou aproximação cautelosa. Ele ainda provoca sons naturalmente caso não haja cautela no andar ou caso seja intencional. [Novo] [passivo]

Nível 27
Odor diferenciado - A partir desse nível, o odor dos semideuses é modificado, ocultando sua natureza. Apenas monstros e oponentes mais fortes podem detectar que o filho de Thanatos é um semideus pelo cheiro. Rastrear pelo faro ainda é possível, pois ainda que o odor não o denuncie por sua natureza, o corpo, como ocorre com o de qualquer pessoa, ainda emitirá um cheiro específico e individual. [Novo] [passivo]

Nível 28
Sentir passagem - Thanatos é o guardião das passagens do submundo, mesmo as mais ocultas. Seus filhos também conseguem sentir a proximidade de passagens, mas não apenas para o mundo inferior: passagens secretas e caminhos ocultos também são captados, exceto se alterados magicamente por uma fonte de nível superior. Note que é apenas o sentido de que há algo no local, mas não revela mecanismos de abertura e afins. Por exemplo: ao passar por uma estante que oculta uma passagem, o semideus sente um calafrio que indica que algo está oculto. Contudo, ainda assim ele não sabe em que local exato do espaço ou como fazer a passagem se abrir, necessitando interagir e descobrir em on de forma comum. É um sentido sempre ativo, e o semideus deve lembrar ao narrador de seu poder quando achar que pode descobrir algo no cenário.[Novo] [passivo]
thanks maay
Carylin S. Ogtöller
avatar
Mentalistas de Psiquê
Mensagens :
64

Localização :
She's heading for something that she won't forget ♫

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Circus {MNEM para Carylin S. Ogtöller, Franz H. Baudelaire e Oh Jun Myeon}

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum