Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

{Wolf!} — MOPIF para Grimmjow Yuikimira

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{Wolf!} — MOPIF para Grimmjow Yuikimira

Mensagem por Katherine J. Villeneuve em Qua Jan 10, 2018 4:32 pm


Wolf!
Missão One Post Interna Fácil para Grimmjow Yuikimira


O Acampamento parecia um local muito grande pra quem estava voltando depois de todo aquele tempo. Quíron fora bem claro, se ele aprontasse novamente, estaria fora. Aceitá-lo lá estava condicionado ao controle de sua personalidade insana, uma maneira de fazê-la morrer e claro, a ajuda que poderia disponibilizar.

diretrizes

➳ Faça uma introdução de um tempo (determinado por você). Adicione aqui sua trama, seus afazeres, suas pesquisas para "desativar" o Insano e tudo o que achar necessário para enriquecer a missão.

➳ Você caminha por um longo período, entre os chalés e os outros locais e vê a colheita de morangos como uma atividade que não geraria muito estresse, o que deixaria seu lado insano silenciado. Narre a atividade.

➳ Enquanto estiver realizando-a, uma garota vai aparecer, pálida e implorar por sua ajuda. Seja detalhista em suas características, e por que, sendo quem você é, decidiu ajudá-la.

➳ Lá, você se depara com um semideus todo ensanguentado e um cão infernal nível 30. Derrote-o.

➳ Assim que o fizer, leve o semideus até as enfermarias.

➳ Questione Quíron sobre a presença do monstro e invente uma desculpa plausível para sua entrada ali.

➳ Finalize a missão da forma que desejar.

Detalhes

➳ Não fuja do personagem, mesmo que isso lhe dificulte a execução dos pontos.

➳ Não se esqueça de ser coerente com toda a narrativa.

➳ Você pode adicionar quantos detalhes achar necessário, para mim, sua criatividade é a chave da narração.

➳ Para efeito de narração, leia aqui sobre o cão infernal.

Pontos Adicionais

➳ Missão one-post fácil interna para Grimmjow Yuikimira
➳ Horário de início (caminhada): 15:20 hrs;
➳ Tempo: Ameno, 23°
➳ Não utilize cores muito cegantes ou templates com barra de rolagem;
➳ Poderes (Todos com nível, separados entre ativos e passivos) e armas em spoiler;
➳ Peço para que envie uma MP ou WhatsApp (47)996590444) para mim assim que postar, agilizará todo o processo;
➳ Prazo de postagem de 40 dias com margem de erro de 24 horas;
➳ Caso necessite de um aumento, tenha dúvidas ou coisa do tipo, já sabe, certo? Só mandar uma MP

Status:

Grimmjow Yuikimira— Nível 63
HP (720/720)
MP (498/720)


Katherine J. Villeneuve
avatar
Mentalistas de Psiquê
Mensagens :
280

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Wolf!} — MOPIF para Grimmjow Yuikimira

Mensagem por Grimmjow Yuikimura em Sab Jan 13, 2018 4:59 am


 
possession?
 

 
I'm looking incredible





Iniciava-se mais um dia tedioso dentro daquele recinto infestado de pirralhos com poderes. Apesar de extremamente irritado, o clima ajudava-o a se acalmar. Algumas nuvens, vento... Desde que voltara, Grimmjow revezava sua permanência entre a enfermaria e o chalé, onde odiava permanecer com seus teoricamente irmãos de Despina. Ele obviamente não sabia o motivo pelo qual Quione havia desaparecido, mas estava disposto a permanecer dentro das barreiras mágicas do local até descobrir, principalmente após mais um sonho real do Alaska.

Sua pele sendo destroçada, seu corpo sem o mínimo de força, toda e quaisquer tentativa de se recuperar sendo completamente anulada. E enquanto tudo isso ocorria, ali estava sua mãe. A arma genocida que ela criara desde o nascimento for a finalizada. A mente perturbada naquele momento se fragmentava, dando um mínimo segundo de lucidez, de humanidade. Grimmjow pode ser humano. Até ser novamente reagrupada com a grande explosão. Talvez ali ele perdera a chance de viver normalmente. Voltar para o acampamento era um erro? Teria algum antigo conhecido que teria como ajudar Yuikimura?

Alexia, Anne Elle, Ethan... – murmurou para si. Há tempos não tinha notícias de seus antigos amigos. Porém mesmo como um monstro, ainda possuía esperanças de vê-los novamente.

— É... Grimmjow? Quirón te chama.[/color] – o filhote de Quione simplesmente movimentou a mão, mandando o bode ir passear. O velho centauro parecia querer algo, e Grimm também quer.

Colocando seu Jordan no pé, arrumou os agora cabelos negros. Bateu as mãos na regata que usava, pegou um colar novo que havia ganho meses atrás e partiu para a Casa Grande. Grimmjow não recordava se havia ido até o centauro desde que voltara, mas depois de algum tempo dentro do chalé, sua aura assassina finalmente seria notada. Será que conseguiria informações sobre Quione com o Olimpiano e seu mascote?

ATO I · BIG BLIND

Chegando ao piso de madeira da espelunca, abriu as portas fechadas e adentrou com certo desdém. Lembrava dos tempos dele como semideus atrelado ao acampamento. Também lembrava dos tempos dele matando semideuses do acampamento. Para a mente insana, com a mais absoluta certeza a segunda parte era mais divertida.

Olá, bode velho. Demorou pra me chamar, não? - riu, sabendo que provocações simples não funcionariam com o centauro, mesmo que estivesse mal-humorado. — Achei que estivesse feliz em me ver, senhor.

Grimmjow... – suspirou, buscando palavras. — Te chamei pelo simples fato de não entender o que faz por aqui. Todos são bem-vindos, você sabe bem disso, mas para ficar... – pigarreou, subindo lentamente o tom de voz. — Você precisa ser controlado para o... – Quirón sequer conseguiu terminar sua fala, quando fora interrompido pelo semideus.

Que audácia, seu reles centauro. Se não fosse pela minha aprendiz, você e toda essa espelunca estariam evaporadas. Vocês querem controlar o GENERAL? ISSO SÓ PODE SER PIADA. – riu brevemente de maneira sarcástica, retornando para a expressão séria. — Pela sua audácia, eu deveria te matar.

Nas mãos do filho de Quione, já se formavam pequenas formas pontiagudas, enquanto seu sorriso cínico e seu olhar doentio contribuíam ainda mais para que a ameaça não fosse simplesmente imprópria. Quando avançara pra cima do centauro, sentiu seus punhos travados. O cheiro de uva invadira o lugar. Dionísio estava interferindo.

Primeiro, o bode velho. Depois, o anão do pé de uva... – resmungou, como se fosse realmente uma lista de incômodos naquele local.

Olá pra você também, general. Se comporte no meu acampamento, caso contrário eu arranco seus braços e bato em você com eles. – a ironia do deus era completamente aparente. Logo, Dionísio soltou-o. — Infelizmente não posso mais controlar o seu probleminha mental, seja lá qual a ninfa colocou em você. Sendo assim – suspirou. — Ou se controla sozinho, ou será persona non grata. Você não é bem quisto por aqui em relação aos seus crimes, mas ainda existem os que acreditam em segunda chance. Ou terceira, no seu caso. – Grimmjow deu de ombros.

Posso ir ou preferem que eu fique aqui parado enchendo o saco de vocês? – disse com certo desdém, continuando — Posso contar pra vocês como foi capturar, esfolar e matar um pirralho meio-deus faz uns dois anos. O cheiro do san... – os olhares de desaprovação dos dois basicamente expulsavam-no da sala. — Mando o resto por carta. E ainda não terminamos.

ATO II · CHECK

As últimas palavras seguira-se do barulho abafado da porta batendo. O filho de Quione estava certamente interessado em entender onde diabos sua mãe foi parar, mas era melhor ir passear primeiro e tentar esfriar a cabeça. Num acaso do destino, seus pés levaram-no talvez para a parte mais “perigosa” do acampamento. Desde sempre, Yuikimura soubera que a floresta tinha lá seus problemas de defesa, mas também sabia que a barreira protetora impedia monstros muito poderosos de entrar. Pensando um pouco, raciocinara algo do tipo “Pelo visto, ainda não sou um monstro” e gargalhou.

É impossível que alguém como eu, amaldiçoado desde o primeiro segundo de vida, não seja um monstro. – sua voz fora abaixando o tom, conforme ouvia barulhos de folhas e galhos sendo pisados próximos de si. — Tô com preguiça de brincar de esconder, aparece. – nisso, jogou uma agulha fina que formou na palma da mão naquela que seria a árvore futura do trajeto. — Acho que ouvi demais.

Até onde se lembrava, o que não era nada de muito útil, sabia que o acampamento tinha uma plantação de morangos. Só que aparentemente ele tinha errado o caminho. Sua leve irritação era visível, enquanto obviamente raciocinava algo do tipo “Eu tenho quase certeza de que era por aqui, eu lembro dos mapas.”, quando aparentemente não se lembrava nem se tinha escovado os dentes. Enquanto pensava, cada vez mais se tornava irritadiço, quando no final das contas percebera que suas passadas desorientadas haviam levado o semideus ao jardim. Vendo caixas e mais caixas empilhadas, resolvera pegar um morango para comer.

Voltem a trabalhar, estou checando a qualidade. – seu tom de voz irritado fez com que os olhares mais irritantes ainda cessassem. Pareciam estar julgando Yuikimura como se ele estivesse furtando. E na prática estava. — Ótimo, ótimo. Continuem assim. – disse, rindo baixo.

Como se por uma mágica, Grimmjow estava até que relativamente calmo comendo alguns morangos e até ajudando a conservá-los frescos. Sabia que se os morangos passassem muito tempo sem irrigação poderiam murchar, mesmo que nas caixas de coleta. Logo, pegou um regador com um pouco de água limpa e jogou por cima da primeira caixa. A água passaria facilmente pelas frutas e, por estarem empilhadas como numa produção industrial, logo regariam as frutas do fim.

Pegando mais um morango, ouvira novamente passos. Assassino, o filho de Quione sabia muito bem distinguir passos de desespero de passos normais. Aqueles eram de desespero. Mentira, ele ouvira os passos junto com gritos de socorro. Mas queria se gabar um pouco por reconhecer os passos.

Uma criança pálida irrompeu dentre as árvores. As suas roupas, mesmo que escuras, tinham o delicioso cheiro de sangue fresco. Mas ela não aparentava nenhum ferimento. Suas pupilas estavam extremamente dilatadas, sabe-se lá porquê o motivo. Enquanto ela falava em desespero o que tinha acontecido, Grimmjow pegou mais um morango. Aparentemente ela e o namoradinho haviam sido atacados por um bicho grande e forte, ele tinha tentado proteger ela e se feriu, ou algo assim. Os sátiros de monitoramento das funções se entreolharam, tentando decidir quem iria, até o momento simples no qual Yuikimura resolve falar.

Calma, pirralha. Ops, mocinha. Primeiro você respira porque ninguém aqui tá entendendo o que diabos aconteceu. Vamos lá, eu te ajudo. Espera, o que...? – a garota puxou Grimm pelo braço, fazendo com que o último pedaço de morango caísse de sua mão.

Enquanto corriam pelo caminho, raciocinava o simples: “que porra deu na minha cabeça?”. Yuikimura sabia que nem no mais benevolente dos seus dias seria altruísta a tal ponto. Ajudar uma semideusa mequetrefe, dentro do acampamento, sem ganhar nada por isso? Talvez se livraria da grande punição que ganharia por roubar morangos. Três morangos, pra ser mais exato. Tentando retomar o foco de sua mente, percebera a velocidade que a garota tentava impor na corrida, o desespero, os seus pulmões desesperados por mais ar enquanto suas pernas pareciam querer parar. Percebera as lágrimas correndo na lateral do rosto dela, a real demonstração de desespero. Algo de errado estava acontecendo com Grimmjow. Com a mente de Grimmjow, de maneira bem específica. Não é só porque já aceitara que era um genocida incorrigível que havia desistido de tentar se entender. Seus surtos doentios custaram-lhe muitas coisas, ao ponto de ter que voltar ao acampamento em busca de controle. E alguém estava controlando sua mente.

ATO III · FLOP

“Lute, garoto. Busque o sangue. Destrua.”

Garota, duas coisas: você sabe que eu estava falando em te a acalmar e de quem você é... – fora interrompido, como se algo travasse a mente do filho de Quione. A sua meia maratona chegara ao fim, com uma bola de pelos gigante mordendo o braço de um pirralho moribundo deitado.

Ô au au, larga. Tem mais carne fresca aqui. – nada idiota, apontou para a garota ofegante ao seu lado. — Pode pegar, juro que não me importo. – e o bicho rosnou. Preparando-se para um ataque, uivou e partiu.

Yuikimura duvidava da capacidade mental do bicho antes mesmo da estupidez dele partir para cima em um ataque frontal. Por mais forte que fosse o cão infernal, não seria tarefa difícil. Mas estava enganado. Não era um ataque frontal, mas talvez uma simples manobra do pulguento que resolvera que a carne macia dela era mais gostosa. E talvez estivesse certo. Só que ele iria comer gelo com sabor de grama. Aproveitando a bestialidade desenfreada do animal sedento por sangue, Grimm aproveitou que a provável rota da criatura não mudaria e aguardou o momento quase exato, quando batera o pé no chão, fazendo com que, à frente da garota atônita, uma bela estaca de gelo se formasse. Por meio segundo, a besta infernal não virava espetinho pro capeta. Só que talvez nesse meio segundo, a pirralha provavelmente viraria Pedigree. Algo literalmente não estava certo com Grimmjow e, agora, o cão vinha furioso ao encontro do filho de Quione. Que tinha um belo e engraçado plano.

Aproveitando-se da ingenuidade do próprio animal, ativou um pingente azulado em seu pescoço e se concentrou minimamente, sentindo uma bola de neve em cada uma das mãos. Arremessou a bola de neve da mão direita que havia criado na direção do cão. Provavelmente conhecedor da neve, ou burro o suficiente pra achar que era petisco, mordeu-a como se fosse um pedaço de frango, porém frangos geralmente não deixam a boca dormente. Talvez percebendo que estaria em perigo se continuasse essa investida direta, o monstro tentara desviar sua rota do encontro, expondo a lateral do corpo para o semideus. Antes que ele obtivesse qualquer tempo de reação ou de fuga, Yuikimura jogou mais uma bola de neve em seu oponente, acertando a pata esquerda dianteira até que com certa maestria. O ritmo de corrida fora brutalmente interrompido, com o cão caindo de focinho no chão. Era hora de morrer. A mente do garoto pedia sangue, vingança, que torturasse o animal até o último segundo possível.

Rindo, Grimm bateu o pé no chão, fazendo com que uma estaca atravessasse o abdômen do animal, matando-o instantaneamente. Não obedeceria a pensamentos que não eram dele, apesar de se sentir relativamente confortável em fazer o que fora pedido. Parece que alguém me descobriu – uma voz feminina ecoou em seu pensamento e isso não era bom sinal. Quione? A nova mamãe Despina? Quem diabos resolvera mexer na mente de Grimmjow? Enquanto tentava pensar, a maldita da garota chorava ao lado do corpo do amado.

Não sei como, mas esse moleque ainda tá vivo. – disse, enquanto se aproximava. — Pelo menos eu acho. Espero que não se importe de namorar um picolé. – as suas palavras eram levemente ambíguas, mas seriam justificadas.

Encostando no braço estraçalhado do garoto, criou uma camada intermediária de gelo, que manteria o braço grudado no tronco corporal até que conseguissem chegar à enfermaria. Carregando o moribundo nas costas, o caminho tinha de tudo para ser lento e silencioso, extremamente agradável.

Obrigada... – e assim se foi a paz. A voz doce era relaxante, mas para alguém relativamente descontrolado, era irritante. — Eu e ele somos novos no acampamento. Ele está aqui faz uns oito meses, eu estou aqui faz apenas um.  – ela tentava achar as palavras, mas estava nervosa e talvez esperando algum incentivo.

Não ligo. – talvez, o incentivo mais sincero. O filho de Quione realmente não se importava a mínima, mas cada segundo que passava ele ficava mais irritado com o controle que havia recebido. O bode e o anão devem saber de algo.

E-eu... Me desculpa por te trazer pra confusão. – ela começou a chorar, enquanto a luz solar conseguia agora atingir a pele de Yui.

Estamos fora da floresta e a enfermaria é ali na frente. Guarde suas desculpas pra ele e a história pra alguém interessado. Me poupe. – as palavras secas e inumanas do garoto demonstravam que ele finalmente estava no controle de si.

Qual é o seu nome? – a garota perguntou, meio constrangida.

Deixando o pirralho em uma maca qualquer, descongelou o braço a ponto de deixar apenas uma fina camada de gelo e partiu. A garota resmungou algo e Yuikimura virou-se, gritando:

PERGUNTA PRA PUTA DA SUA MÃE OU O CORNO DO SEU PAI, SEJA LÁ QUAL DEUS TE COLOCOU NO MUNDO. – e riu, voltando ao seu trajeto e vendo um sinal de desaprovação bem nítido, algo como um raio caindo no horizonte para o qual olhava. Zeus não cansa?

ATO IV · ALL-IN

As pupilas azuis de Grimmjow tornavam-se cada segundo mais negros, como se sua insanidade estivesse resolvendo se manifestar num momento horrível. Adentrando na Casa Grande, interrompeu o que seria uma reunião entre o centauro, o deus e uma moça linda que provavelmente Grimmjow buscaria levar para a cama. Porém, a aura do garoto se expandiu. Seus olhos negros fitavam calmamente os três indivíduos na sala.

Eu vim perguntar quando vão arrumar a barreira furada de vocês, mas aconselho a me conterem antes que eu tente matar vocês. – os punhos do filho de Quione subitamente se cerraram, quando a sua própria aura se dissipou. — Tá, o que tá acontecendo?

Talvez fosse a nossa convidada brincando com você, ela é... – logo, Quirón foi calado por ordem da mulher, provavelmente uma deusa.

Guarde suas palavras para si, Quirón. Teremos mais oportunidades juntos, Insano. – riu, com sua mão graciosamente indo atrás de uma fruta na mesa. — E sobre esse pensamento de me levar pra cama, quando sair do acampamento, a gente conversa. – ela disse, mordendo a fruta e se dissipando.

Tá bom, a gente finge que eu não tentei matar vocês sendo influenciado por alguém e todos estamos quites, ok? Ok. – riu, saindo tranquilamente pela porta. — E arrumem a barreira. Fui controlado pra salvar um moleque, me poupem da próxima vez.

E saiu, rumando de volta ao seu chalé. Incrivelmente, não se lembrava qual era a fruta. Ou do que deveria ter perguntado.

Poderes:
Passivos

são todos os poderes passivos, se quiser ver:
Nível 1
{Perícia com armas à distância - Arcos }Esses semideuses usam bem armas à distância, em especial arcos. É uma habilidade natural, mas não indica domínio completo, apenas uma facilidade de aprendizado - tampouco interfere nos ataques de forma relevante - ainda será passível de erro, não acerta ataques de forma automática, além de estar limitado às habilidades da própria arma. É um poder evolutivo - quanto maior o treino e o nível, maior a perícia, se comparado a um irmão ou outro usuários desse tipo de arma que possua menos experiência ou mesmo a alguém de mesmo nível sem a perícia.

{Resistência ao frio} Poderes baseados em gelo sempre causam 50% do dano a menos, se forem do mesmo nível ou em níveis inferiores. Poderes de água ainda os afetam normalmente. Além disso, gelo e frio naturais não afetam o semideus normalmente - ele é 5 vezes mais resistente do que um humano comum, demorando a sentir efeitos como hipotermia, mas ainda pode sofrer privações por temperaturas extremas caso a exposição seja prolongada.

Nível 2
{Visão Sombria} Como deusa das sombras invernais, seus filhos lidam bem com a escuridão e baixa luminosidade. Nesse nível, conseguem apenas ver na penumbra - ou seja, precisam de uma iluminação mínima - uma vela, lanterna ou mesmo a luz da lua cheia, se visível, mas não verão através de escuridão completa ou mágica, e seu campo visual é padrão, não se alterando. O avanço de seus poderes permite que no nível 12 veja tão bem de noite quanto de dia - mas não através de escuridão mágica. Não amplia a capacidade visual em questão de alcance, contudo. [Novo]

Nível 3
{Presença invernal} Ataques com base vegetal e criaturas do mesmo tipo, sejam monstros ou ninfas ou até semideuses (filhos de Perséfone e Deméter) terão efeito reduzido contra os semideuses, visto sua influência sobre esse tipo de ser. Para oponentes do tipo planta e ataques com base vegetal que sejam até 10 níveis acima do semideus, haverá uma redução da eficácia em 25%. Acima disso não são alterados. Considera-se sempre o nível do inimigo, não do poder em si. [Novo]

Nível 4
{Passos silenciosos} O corpo do semideus é naturalmente programado para ambientes frios, portanto, seus passos são mais silenciosos em tais condições. Na neve ou gelo, seus passos não podem ser ouvidos a menos por ouvidos sensíveis/ treinados, e em ambientes comuns eles tem 50% de chance a menos de serem detectados pelos sons. Eles também andam com deslocamento normal sobre neve ou gelo, a menos que outros efeitos mágicos estejam presentes, influenciando isso.

Nível 5
{Climatologia} Nevascas são fenômenos imprevisíveis - exceto para esses semideuses, que podem prever a temperatura e a mudança no tempo com antecedência. Mesmo fenômenos grandes, como nevascas, são conhecidas por eles 1 dia antes de acontecer, em um raio de 100km, se sua ocorrência for natural. [Novo]

Nível 6
{Localizar elemento} Por seu elemento de domínio, além de saberem as mudanças climáticas, neste nível também passam a detectar massas de ar frio e grandes quantidades de neve, gelo ou água, que possam favorecer suas habilidades, em um raio de 100m, ampliável em igual medida a cada 10 níveis de personagem acima da aquisição do poder. Não gasta energia, mas requisita concentração (não podendo ativar poderes nem fazer isso em combate, mas ainda podem andar) de 1 turno a cada 100m. [Novo]

Nível 7
{Cura invernal} Locais frios (abaixo de 0ºC) deixam esses semideuses mais saudáveis e mais à vontade, podendo curar pequenos danos. Até 2hp por rodada, no máximo 25 HP por uma noite de sono neste local. Não se aplica a condições criadas pelo próprio semideus ou outros irmãos. [Modificado]

Nível 8
{Arrepios} A presença invernal dos filhos de Despina afeta as criaturas mais fracas ao redor. Semideuses, monstros e humanos comuns que são mais fracos que o semideus perdem a iniciativa no combate, em caso de ataques diretos. Válido apenas para o primeiro movimento na batalha. Não impede o semideus de ser atacado de surpresa nem afeta estatísticas do alvo. É um efeito de medo, e resistências se aplicam. [Novo]

Nível 9
{A voz do frio} Pela sua natureza, esses semideuses podem se comunicar com animais que vivem nesses ambientes livremente - não significa que eles os obedecerão, nem é garantia de que não serão hostis, e a compreensão depende da inteligência do animal. Válido apenas para espécies e variantes glaciais - um urso polar, por exemplo, mas não um urso marrom.

Level 10
{Fortalecimento térmico} Em locais frios (abaixo de 0ºC) esses semideuses se fortalecem, tendo mais facilidade em usar suas habilidades. Quanto mais frio e gélido for o local em que se encontra, menor será o custo de MP. De 5% de redução na temperatura mínima, aumentando a bonificação em 5% a cada 20ºC abaixo da 0, até um máximo de 25%. [Modificado]

Nível 11
{Cura sombria} Como uma deusa sombria, seus filhos também se beneficiam da escuridão, podendo curar pequenos danos em ambientes de luminosidade inexistente, seja natural ou não, desde que não provenientes de seus próprios poderes. Até 2hp por rodada, no máximo 25 HP por uma noite de sono neste local.Soma-se com cura invernal. [Novo]

Nível 12
{Vontade Glacial} Sua presença de espírito é mais inabalável do que as geleiras do Ártico. Poderes de controle emocional, como manipulação e charme sempre terão dano e efeito reduzido. Poderes que venham de personagens com até 10 lvl mais baixo que você não lhe afetam. De 10 lvl abaixo até 5 lvl acima causam apenas 50% do dano ou efeito, e poderes de personagens com mais de 5 lvl superiores te afetam normalmente - considera o nível do personagem, não do poder utilizado. O lado negativo é que a resistência também se aplica a poderes aliados.

Nível 13
{Sobrevivência} O gelo e o frio são selvagens e inclementes. Assim como toda força da natureza, é difícil lidar com eles. Aprender isso deixou esses semideuses mais aptos a lidar com a natureza em geral. Em locais com neve - desde que proveniente de uma fonte externa, eles podem detectar rastros mais facilmente, bem como as direções (se não houver nada externo que dificulte, como magia, poderes ou encantamentos) sabendo se orientar apesar do ambiente inóspito. [Novo]

Level 14
{Escalada} Escalar as coisas envolve habilidade. Pela deusa preferir viver em montanhas e locais de difícil acesso, seus filhos conseguem  subir em locais altos com mais facilidades e agilidade. Não estarão imunes a quedas, mas identificam apoios com mais facilidade e possuem mais equilíbrio, mas podem ser afetados por outros poderes ofensivos normalmente, bem como modificações do terreno. Ainda assim, recebem uma bonificação na tentativa de escalada e na resistência de equilibro enquanto nessa situação em 50%.

Nível 15
{Caçador das neves I} A visão desses semideuses não é alterada por condições adversas de temperatura, desde que naturais - fortes ventanias e nevascas em nada alteram sua capacidade de visão em termos de acuidade ou distância. Caso sejam usados poderes para isso, se eles forem de nível igual ou menor terão seus efeitos reduzidos em 50%.

Nível 16
{Predador ártico} A velocidade de movimento do semideus não é reduzida pela neve ou gelo - na verdade, ele se movimenta melhor nesses ambientes, dobrando seu deslocamento normal. Não permite ataques extras, é apenas para fins de locomoção. Não afeta outros meios, como uso de montarias ou veículos. [Modificado]

Level 17
{Respiração alvejada} Pela deusa preferir viver em locais altos e de baixa pressão, sendo estes ainda por cima frios, seus filhos tem uma respiração privilegiada, podendo respirar sem grandes problemas em locais de ar rarefeito, ou onde a pressão do ar seja mais baixa, dentro dos limites humanos, aguentando ao menos o triplo que uma pessoa comum ou semideus sem tais habilidades. Isso não se aplica a poderes ou situações de sufocamento ou afogamento, visto que são condições diferentes.

Nível 18
{Caçador das neves II} No frio o vento produz sons mais altos que o normal, sua audição porém é melhor do que isso, podendo escutar coisas a distância mais facilmente. Sua audição tem o triplo do alcance que a de um humano normal. Isso facilita - mas não garante - a percepção da aproximação de inimigos. Em caso de oponentes com passos silenciosos, pode não fazer efeito, dependendo de quem tem o nível mais alto.[Modificado]

Nível 20
{Ritmo lento} Sua temperatura é mais gelada e sua circulação mais lenta que o comum. Por causa disso, filhos de Despina não sofrem de hemorragias, exceto em casos muito graves - como poderes de uma fonte de ao menos 10 níveis superior. Danos que provocariam hemorragias - como golpes críticos - são reduzidos em 10%. [Novo]

Nível 21
{Pisando em gelo} O filho de Despina tem um equilíbrio melhor do que o normal devido à sua convivência com esse ambiente. Superfícies lisas não representam tantos perigos para eles, e mesmos situações normais de perda de equilíbrio são facilmente superadas - efeitos desse tipo são sempre reduzidos em 50%, independente do nível - eles são afetados normalmente por danos diretos, como um golpe ou habilidade que os empurre, mas o efeito de um terremoto, por exemplo, seria reduzido.[Modificado]

Nível 23
{Termostato} O semideus consegue precisar com uma pequena margem de erro a temperatura do ambiente, bem como a de substâncias com as quais entra em contato, e detectar alterações na mesma - o nível do semideus determinará o alcance do poder e a precisão, seja um copo d`água ou um lago, devendo, contudo, ter bom senso. Cada nível determina 1m³ ou 1kg de matéria. É preciso tocar/ estar no local a ser analisado. Não gasta energia, mas demanda concentração. [Novo]

Nível 25
{Aridez} Sua resistência à poderes emocionais passa a agir de forma diferente - ela não é aumentada, mas semideuses de nível menor que você não conseguem definir suas emoções, a menos que sejam auxiliados diretamente por métodos divinos. Isso faz com que empatia, os olhos dos filhos de Nyx e poderes similares dos mentalistas, vingadores e filhos de Afrodite, dentre outros, sejam prejudicados, já que seus usuários, ao tentar afetá-lo, não saberão do seu estado emocional inicial ou da variação, não tendo noção se foram bem sucedidos ou não - apesar de você sentir a mudança, eles não saberão disso a menos que você demonstre ou seja obrigado a isso por outros poderes, como telepatia e comando. Semideuses de nível igual ou maior ainda conseguem identificar isso normalmente. Note que isso implica apenas mudanças aparentes, como a expressão do personagem e tom de voz, mas ao ser afetado, ainda vai demonstrar nas ações - então, é necessário interpretar por fins de coerência. [Novo]

Nível 27
{Desvendar} Filhos de Despina dominam segredos. Por isso, possuem uma visão empática semelhante a de outros semideuses, podendo saber o estado de espírito de seus oponentes. Válido apenas para sentimentos gerais, como medo, raiva, etc, mas não pensamentos ou a motivação do sentimento. Para todos os efeitos, é uma condição mental, e pode ser bloqueada ou sofrer resistências pertinentes. [Novo]

Nível 30
{Criogenia} O semideus domina de tal forma sua temperatura corporal que entra em um estado de êxtase, semelhante a uma hibernação. Todos seus processos corporais são extremamente reduzidos, apenas mantendo-se a mínima atividade para sobreviver, sem necessidade de comida ou água. Ele ficará inconsciente, e totalmente incapaz de usar qualquer poder ativo. Contudo, essa auto indução é programada, mas tem um limite entre meia hora (mínimo) até 15 dias (máximo), mas não custa energia - podendo recuperar 5% de sua HP a cada 24h dessa forma, sem ser perturbado. Pode ser despertado por outros através de poderes, movimentação brusca ou ferimentos. [Novo]

Nível 33
{Proteção natural} A pele do semideus é adaptada para resistir às condições inóspitas do inverno, mas acaba favorecendo também em outras situações. Nesse nível, considera-se que sua defesa natural foi permanentemente incrementada em 10% pela resistência de seu organismo. [Novo]

Nível 35
{Fortalecimento sombrio} Durante o período noturno (em locais abertos) ou em locais com nenhuma ou muito pouca iluminação, o filho de Despina se sente mais forte, com um aumento de 10% nas suas habilidades. Acumula-se  com o fortalecimento pelo frio. [Novo]

Nível 37
{Hipoalgia} O frio é entorpecente. Ainda que isso possa ser prejudicial, no caso desses semideuses seu controle corporal é adaptado para fazer desta uma situação vantajosa. Assim, ainda que não percam a capacidade motora, recebem os benefícios desse entorpecimento na forma da hipoalgia - diminuição da sensibilidade à dor. Não há redução no dano provocado (portanto, eles ainda perdem HP normalmente) mas efeitos e penalidades referentes à dor constante são reduzidos em 50%. [Novo]

Nível 40
{Ver o invisível} Despina é a deusa dos segredos e sombras invernais - as coisas não escapam de seus olhos facilmente. Oponentes mais fracos que estejam sobre efeitos de ocultação, camuflagem ou invisibilidade são detectados por este semideus como se não tivessem feito uso do poder. [Novo]

Nível 43
{Fortitude aprimorada} Estes semideuses estão preparados para climas frios e suas intempéries. Seus corpos são mais resistentes, fazendo com que sofram menos efeito de cansaço. Atividades extenuantes não os afetam tanto quanto a outras pessoas, e a MP delas sempre será reduzida em 50% para atividades físicas e custo comum. Contudo, isso não se aplica a uso de poderes ou habilidades, sejam provenientes do próprio semideus ou efeito de um poder sobre eles. [Novo]

Nível 45
{Mente fria} Os filhos de Despina possuem a mente tão fria quanto o corpo, possuindo um controle mental invejável. Poderes de leitura mental têm seus efeitos reduzidos sobre eles, e oponentes com níveis mais baixos não conseguem ler suas mentes. Oponentes com até 5 níveis acima oferecem 50% de resistência, captando apenas pensamentos superficiais (a cargo do narrador/ avaliador), e acima disso os afeta normalmente.[Modificado]

Nível 50
{Zero absoluto} Ao usar o gelo para criar objetos, estes não serão destruídos normalmente (pelo clima/ temperatura natural do ambiente), apenas desfazendo-se após o tempo de ativação do poder ou vitimados por golpes e poderes de oponentes. Válido apenas para objetos criados por criocinese, e não afeta poderes de congelamento ou outros similares, nem provenientes de itens. [Modificado]

Nível 60
{Consumo energético controlado} O frio debilita os organismos que não estão acostumados, mas organismos resistentes aprendem a dosar suas energias para sobreviver à temperatura inclemente. O mesmo ocorre com esses semideuses. A partir desse nível, poderes de dreno advindos de oponentes de até 5 níveis abaixo não fazem mais efeito, e se provenientes de 5 níveis abaixo a 5 níveis acima serão reduzidos em 50%. Funciona normalmente acima disso. [Novo]

Ativos

Nível 2
{Espinhos de gelo} agulhas de gelo são formadas na mão do semideus, que pode lançá-las na direção de um inimigo. 2 agulhas iniciais mais 1 a cada 5 níveis posteriores à aquisição do poder. 1 vez a cada 2 rodadas. Não podem ser direcionadas a inimigos diferentes. Alcance de até 5m.

Nível 20
{Estacas} O filho de Despina bate o pé no chão, fazendo com que uma estalagmite de gelo irrompa do solo. Ele define a posição dela em um raio de 15m. Mesmo se não acertar, ela permanece no terreno por 3 rodadas. Nesse nível apenas 1, ganhando uma estaca e 5 m adicionais de alcance a cada 10 níveis posteriores à aquisição do poder.[Modificado]

Nível 22 {Novo}
{Snow ball} O que define o inverno senão bolas de neve? E é exatamente isso que este poder faz. Diferente dos espinhos de gelo, o poder das bolas de neve é atordoante, deixando o local em que acerta dormente, e diminuindo o poder de ataque do indivíduo acertado pelo turno seguinte em 25%. Pode criar até 2 bolas de neve por turno (ainda que apenas 1 possa ser atirada por vez), 1 vez a cada 3 turnos.

Armas:

{Winter} Espada longa [Espada de 90 cm, com a lâmina medindo cerca de 75 cm. A lâmina é prateada e seu cabo é esbranquiçado, feito de álamo e revestido de seda branca, com entalhes prata. Sobre a lâmina há um escrito "O Inverno está chegando" — significa o poderio da espada. Transforma-se em um anel com a mesma inscrição no nível 20.] {Álamo, seda e bronze sagrado} (Nível Mínimo: 1) {Não Controla Nenhum Elemento} [Recebimento: Presente de Reclamação de Despina] //// em forma de anel

{Horror} / Colar [Possuindo um cordão com pouco mais de trinta centímetros, o poder do objeto está concentrado em uma pequena pedra na tonalidade azul escuro. Quando ativada, a rocha começa a liberar uma aura da mesma cor ao redor do semideus, fazendo com que os ataques relacionados ao frio e manipulação de gelo (além de seus possíveis efeitos) sejam bonificados em 20%. Seu efeito dura três rodadas, uma vez por missão.] {Prata, Safira} (Nível Mínimo: 35) {Magia} [Recebimento: Missão The Bank - Avaliada por Éris e Atualizada por Orfeu]


 

  By Luc. - You find me here
 
Grimmjow Yuikimura
avatar
Filhos de Despina
Mensagens :
424

Localização :
Não é da tua conta, pode ter certeza disso.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum