[Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Zeus em Qua 03 Out 2018, 23:35




O internato



Elizabeth e Miranda, duas jovens que não se conheciam de forma alguma, mas possuíam mais em comum do que poderiam imaginar. Além de viverem sob o mesmo teto, ambas carregavam algo especial consigo mesmo - algo que, apesar de especial, era uma sentença de morte. Compartilhavam a genética divina, embora de deuses diferentes.

Cackle's Academy não era o único internato feminino no oeste do Canadá, estava rankeado entre vários outros, mas aquela noite o marcaria com exclusividade. Nos corredores frios e silenciosos do castelo, alguém estava a espreita e se as duas semideusas quisessem sobreviver mais um dia, teriam de ser ágeis.

Diretrizes e aconselhamentos

— Sobre o turno: Neste primeiro turno, não irei cobrar muito das srtªs. Desejo uma introdução sucinta e, ao mesmo tempo, que me dê mais detalhes de cada uma das duas, dessa forma poderemos enriquecer o desenvolvimento da narrada.
— Diretrizes: Fui informado de algumas ressalvas acerca da trama conjunta que vocês possuem. Dessa forma, tomei liberdade o suficiente para me aproveitar dela. Portanto:

Ponto obrigatório: Deem informações sobre a rotina de suas personagens, lembrando que vocês não se conhecem e cada uma pertence a uma classe diferente dentro do internato.
OBJETIVO: Se encontrarem. Seja por um pressentimento, sexto sentido ou poderes que possuam este tipo de efeito, ao fim do turno devem me apresentar o caminho que cada uma seguiu dentro do castelo. Não deem certeza de sucesso, o narrador sou eu.


— Acerca do ambiente e circunstâncias: Se trata de um castelo escocês, por isso a descrição do mesmo deve seguir o esteriótipo (procurem imagens no google, se necessário). O horário é noturno e por se tratar de um internato, imagino que haja regras acerca de recolhimento. Estejam cientes de que uma simples risada pode se tornar uma preocupação para as duas.
— Horário: 21:30 pm.
— Clima: Chuvoso, temporal extremo.
— Poderes e armas: Sempre citados em spoiler sem irregularidades, caso contrário serão ignorados.
— Prazo de postagem: Ambas terão até o dia 08/10, às 23:40 pm para realizar a postagem. Atrasos sem justificativas não serão tolerados.

Boa sorte.







Zeus
Zeus
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
2187

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Helena Zimmerman em Sex 05 Out 2018, 15:16


the stars, the moon
Não era fácil viver em um internato. De segunda a sexta, literalmente todas as horas do dia eram padronizadas e ditadas e até mesmo nos fins de semana, quando a grade de horários era mais libertadora, estavam sob vigilância dos professores que estavam na rotação. Elizabeth, no entanto, adorava a rotina e as regras. Saber que tinha um horário fixo para realizar as tarefas diárias era imensamente relaxante para ela. Tinha criado até mesmo sua própria rotina dentro da rotina escolar. Todos os dias, fazia a mesma coisa.

Acordava às sete da manhã, assim que a sineta tocava e ia para o banheiro de seu andar — cada grade escolar tinha um andar de dormitórios, em ordem decrescente, dividas em duas torres: uma para das grades 7-9 e outra para as grades 10-13. Depois, vestia o uniforme meticulosamente (camisa branca, colete cinza, saia cinza, meias de lã e sapatos) e checava os materiais escolares em sua mochila que havia arrumado na noite anterior.

Às oito em ponto, descia até a sala circular do refeitório. A aparência do local era um perfeito exemplo do resto de Cackle’s Academy: paredes altas e resistentes feitas de pedra e madeira, ornamentadas por metais; tetos tão acima das cabeças das garotas que parecia uma igreja; móveis antigos, mas bem conservados e iluminação elétrica em luminárias que imitavam lampiões do século passado. O refeitório também era dividido de acordo com o ano escolar e cada grupo de garotas tinha um professor designado para ficar de olho. Elizabeth então pegava uma bandeja de comida, cumprimentava o professor do dia rapidamente e sentava-se na mesma mesa de sempre, mais próxima a porta dos fundos e comia, praticamente sem desviar o olhar da bandeja à sua frente.

As aulas se iniciavam logo após o final do café da manhã e iam até o entardecer, com pausas para o almoço e descanso. As classes variavam de acordo com o dia e, todas as noites em seu horário livre, a adolescente se preparava para as aulas do dia seguinte estudando na biblioteca. Elizabeth não era sociável, muito menos achava fazer amigos uma tarefa fácil, por isso simplesmente se isolava das outras garotas e se enterrava nos livros e estudos. Pessoas eram barulhentas, sufocantes e pareciam sentir coisas demais quando ela chegava muito perto. Na maioria das classes, uma tutora particular a acompanhava, pois às vezes sentia dificuldade de se concentrar, graças ao seu transtorno de déficit de atenção. Manter suas notas altas era algo de extrema importante para os Crawley e, como não tinha muito mais o que fazer, Elizabeth dedicava-se por inteiro nisso.

Logo após as aulas, era hora das práticas esportivas escolhidas por cada estudante — um dos pontos altos do dia. Havia uma grande variedade de opções e as garotas podiam até ingressar mais de um esporte. A sino-canadense havia selecionado ginástica e atletismo, e naquele fim de tarde treinou escalada e corrida na quadra interna, pois um temporal já começara a cair e a previsão era que piorasse durante a noite.

Depois de tomar outro banho e de vestir outro par de uniforme, Elizabeth chegava no refeitório no instante que o sino tocava às 18:30. Comia da mesma forma que fazia em todas as refeições, ignorando os comentários que ouvia das suas colegas de classe sobre seu jeito distante de agir e assim que acabava de comer, ia para a biblioteca e ficava lá até próximo ao horário do toque de recolher.

A única desobediência que fazia as regras era escapulir antes que o relógio batesse às 22 horas para a torre norte, onde ficavam algumas das salas de aula teórica e um observatório astronômico para olhar as estrelas. Era fascinada pelas constelações e astros desde pequena e, por isso, sempre que podia corria para o observatório e passava o tempo que podia lá. Naquela noite, mesmo que a chuva martelasse com força as pedras do castelo, decidiu que subiria a torre para olhar o céu.

Aproximadamente 40 minutos antes do toque de recolher, a adolescente recolheu seus materiais e correu para seu dormitório, deixando suas coisas em seu quarto antes de partir pelos corredores praticamente desertos rumo à torre norte. Haviam três torres no internato: a leste, a norte e a sul. Como era da grade 11 agora, estava na torre leste, o que facilitava a caminhada até lá. As luzes da torre norte já estavam apagadas, pois a área era proibida naquele horário, exceto quando alguma aula estava marcada para o observatório, mas Elizabeth não teve problemas com a escuridão. Por alguma razão, tinha uma visão noturna muito, muito boa. Quase não notava a ausência de luz. Estava tão acostumada com isso que nem mesmo achava essa peculiaridade estranha.

Olhando seu relógio de pulso, a sino-canadense viu que faltava 30 minutos até que o sino anunciasse o toque de recolher e a monitora fosse fazer a chamada no andar de sua classe. Teria que se apressar se não quisesse arranjar uma detenção.

Coisas:
sei que ficou longo, mas juro que os outros turnos serão menores. Só quis dar uma boa contextualizada na vida diária no internato. Lembrando que a Elizabeth não sabe que é semideusa ou que é filha de Macária, mas tem uma certa noção de seus poderes passivos, já que estes são inatos na maior parte das vezes.
é isto.
Equipamento:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Poderes:
Visão no escuro - A escuridão e a noite não são problemas para esses semideuses. Como filha dos deuses do submundo a própria Macária é caracterizada como uma deusa ctônica. seus filhos então se adaptam facilmente a condições precárias de iluminação, mantendo a mesma capacidade visual do que em condições normais.

No dawn, no day, I'm always in this twilight. In the shadow of your heart
Helena Zimmerman
Helena Zimmerman
Curandeiros de Asclépio

Mensagens :
33

Localização :
Canadá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Miranda Belotto em Sex 05 Out 2018, 17:01

Internato
↬ Wild  and free ↫
Miranda Belotto era conhecida pela sua total incapacidade de seguir regras. Todas as autoridades responsáveis já haviam desistido a tempo de tentar domar a pequena fera que era a única herdeira de uma militar famosa que serviu bem ao seu país. Porém, mesmo com toda sua fama, a semideusa não era uma garota com um temperamento descontrolado. Miranda sabia de sua história e compreendia o pânico que corria em suas veias, talvez tenha puxado um pouco o avô divino e sua fúria. E isso se tornava um problema.

Durante as aulas que aconteciam desde o amanhecer até meados da tarde, a garota se mantinha concentrada nos estudos, nem mesmo dava indícios de sua real natureza. Durantes as refeições no salão circular com sua turma, o ambiente às vezes ficava tomado de tensão quando vez ou outra alguma garota decidia desafia-la, o que não era uma surpresa. Sua fama de pavio curto era tão presente quanto os murmurinhos a cerca de seu desempenho nas aulas de esgrima no final da tarde.

Quando não estava estudando as poucas coisas que conseguia prestar atenção durante as aulas, Miranda se dedicava quase completamente ao esporte que era oferecido como prática esportiva onde os alunos podiam escolher entre uma lista seleta. A semideusa era a melhor de sua turma quando com uma espada nas mãos, ganhando um aspecto quase sobrenatural que causava desconforto em seus oponentes. Ali, naquela sala especializada e vestida de modo apropriado para evitar ferimentos, a garota deixava suas habilidades virem à tona.

{...}

Miranda não conseguia conter o sorriso em seu rosto ao dobrar a carta que havia resgatado de seu esconderijo secreto entre as pedras do corredor norte, onde quase não havia movimento. O motivo? Simples, seus corredores feitos de madeira antiga e pedra acinzentada que deixavam o ambiente ainda mais assustador com as luzes apagadas e as correntes de ar gélidos da noite levavam direto para os porões do grande castelo onde a Cackle's Academy funcionava. Aquela área era restrita às alunas, porém, como de costume, a semideusa não se importava.

Suas viagens aquele lugar se deram quando havia tentado escapar do castelo no ano anterior e estava decidida de que havia alguma passagem secreta. Na ocasião havia sido pega em flagrante por uma monitora e levada direto para a detenção onde teve que fazer trabalhos extras que exigiam disciplina. Com o tempo, porém, a garota aprendeu a se esgueirar pelo castelo sem ser descoberta. Aprendeu a memorizar as grades de horários dos outros turnos e a rotina dos funcionários. Foi preciso alguns meses, além de tentativas e erros para finalmente ter o resultado final.

Guardando o papel muito bem dobrado dentro do sutiã, a semideusa ficou parada por segundos preciosos ouvindo com atenção, ainda tinha alguns minutos para voltar e não ser descoberta. Se fosse ágil estaria na sala de esgrima antes que dessem por sua falta no dormitório e seria apenas escoltada até lá por algum professor após ouvir um sermão tedioso sobre responsabilidades e compromisso com horários.

Panic!:
Explicações:
↬ Ficou um pouco grande, pois eu queria explorar um pouco como a personagem se sentia e explorar um pouco mais ela, afinal não fiz uma história na ficha de reclamação, então assim você pode ter um pouco de noção.

↬ O desconforto e a forma como ela se da bem com a espada é devido aos poderes passivos, mas como não influencia em nada no momento, achei melhor não os colocar.
Arsenal:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Miranda Belotto
Miranda Belotto
Caçadoras de Ártemis

Mensagens :
55

Localização :
With the wolves

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Zeus em Dom 07 Out 2018, 07:55




O internato



Elizabeth enxergava o escuro como estivesse andando sob a luz do dia, todos os contornos e formas eram perfeitamente avistados por ela. Com isso, a semideusa surpreendeu-se quando viu do outro lado do corredor norte uma figura se aproximando, achando se tratar de um professor ou responsável pelo internato e que logo estaria em apuros. Aliviou-se quando notou que nada mais era do que uma aluna, provavelmente perdida ou entediada, como era de costume acontecer naqueles corredores.

As duas jovens se cruzaram e seguiram cada um o próprio caminho, mas quando estavam prestes a abandonar o corredor norte, Miranda foi surpreendida pelo novo treinador de ginástica. Naquela noite, o homem estava mais alto do que o costume como se tivesse espichado três metros a mais que um adulto comum e, podia ser efeito do temporal e relâmpagos que refletiam, mas sua pele possuía um tom de cor pálido como a neve enquanto os olhos estavam azuis.

Ele pigarreou e sorriu de forma satisfatória consigo mesmo.

Sabem que é proibido andar pelo castelo a essa hora. Sigam-me as duas, por favor.

Diretrizes e aconselhamentos

— Sobre o turno: Neste segundo turno, as coisas já estão desenvolvendo. Ainda desejo uma narração sucinta que especifique os pensamentos e emoções de ambas, mas quero ver também o lado estratégico das personagens. Informações o suficiente foram dadas, use-as.  
— Diretrizes: Fui informado de algumas ressalvas acerca da trama conjunta que vocês possuem. Dessa forma, tomei liberdade o suficiente para me aproveitar dela. Portanto:

Ponto obrigatório: Reajam ao que foi proposto. Nenhuma de vocês sabem que são semideusas, tampouco se conhecem, portanto quero uma reação coerente acerca disso. Lembrando também que o treinador obviamente é um monstro e, novamente, vocês não fazem ideia disso.
OBJETIVO: Despistar ou livrar-se do treinador. Não deem certeza de sucesso, o narrador sou eu.


— Acerca do ambiente e circunstâncias: Se trata de um castelo escocês, por isso a descrição do mesmo deve seguir o esteriótipo (procurem imagens no google, se necessário). O horário é noturno e por se tratar de um internato, imagino que haja regras acerca de recolhimento. Estejam cientes de que uma simples risada pode se tornar uma preocupação para as duas.
— Horário: 21:35 pm.
— Clima: Chuvoso, temporal extremo.
— Poderes e armas: Sempre citados em spoiler sem irregularidades, caso contrário serão ignorados. *A não citação dos níveis dos poderes utilizados também acarretará anulação a partir deste turno!
— Prazo de postagem: Ambas terão até o dia 12/10, às 07:55 am para realizar a postagem. Atrasos sem justificativas não serão tolerados.

Boa sorte.

Parcial 1º turno:
Elizabeth Crawley:
Elizabeth, gostei da personagem apresentada por você neste primeiro turno, apesar de ter extrapolado a quantidade comum de uma narrada, soube montar e desenvolver perfeitamente os quesitos designados por mim. Mas devo atentá-la a alguns erros que encontrei durante a leitura, minha cara.

Elizabeth Crawley escreveu:[...] quando a grade de horários era mais libertadora, estavam sob vigilância dos professores que estavam na rotação. (-1 ponto em Fluidez)


Como pode notar, as palavras marcadas em negrito indicam uma repetição desnecessária que, se repetida em excesso, interfere na fluidez da leitura. Geralmente, em situações como essa, aconselhamos que as palavras repetidas sejam substituídas por sinônimos - no caso em questão, o verbo estar poderia ser facilmente trocado pelo verbo encontrar, que na flexão de seu uso para a frase seria mudado para encontravam-se. Veja: "estavam sob vigilância dos professores que encontravam-se na rotação".

Chamo sua atenção também para erros ortográficos de fácil correção, como por exemplo, "dividas" no lugar de "divididas" e "importante" no lugar de "importância" nos trechos a seguir.

Elizabeth Crawley escreveu:[...] cada grade escolar tinha um andar de dormitórios, em ordem decrescente, dividas em duas torres [...] (-1 ponto em Ortografia)

Manter suas notas altas era algo de extrema importante para os Crawley [...] (-1 ponto em Ortografia)

Por último, a srtª narrou que o toque de recolher aconteceria 40 min depois do momento atual onde sua personagem se encontra. Posso não ter deixado claro nas diretrizes, mas direi novamente que eu sou o narrador e tais informações serão ou não aplicadas por mim durante a missão. Seu ato foi considerado uma ação de certeza, já que interfere diretamente na dificuldade da missão. Contudo, por se tratar do primeiro turno e não ter sido um erro grave e sem conserto, não farei descontos absurdos. (-1 em Adequação à proposta)
Miranda Belotto:
Bem, Miranda, não tenho ressalvas para seu desempenho neste primeiro turno. Discorreu bem acerca do background da personagem e sua personalidade, atitudes bastante esperadas de uma filha de Deimos.








Zeus
Zeus
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
2187

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Miranda Belotto em Dom 07 Out 2018, 19:01

Internato
↬ Wild and free ↫
O som de passos vindo em sua direção despertou os sentidos da jovem rebelde. ”Me pegaram mais rápido que eu esperava” pensou com um sorriso contido de satisfação. Uma mudança de planos muito bem vinda, afinal a rotina cansativa era no mínimo entediante. Ajeitando a postura, encarou o corredor escuro, apenas esperando, porém um clarão provocado por um trovão acabou com as expectativas da semideusa. Vindo na sua direção estava apenas outra aluna com os costumeiros uniformes de tons apáticos e sem grassa que ela mesma usava também.

Com um suspiro alto, Miranda simplesmente pôs-se a caminhar para o seu destino, ignorando totalmente a outra garota que, pela sua expressão, parecia ter visto um fantasma da forma como seus olhos estavam arregalados. Claramente não estava acostumada a andar por ai sozinha depois do horário estipulado ou era o que a morena imaginava. Distraída como estava, realmente assustou-se quando outro trovão revelou outra silhueta, desta vez bem mais alta que ela, com olhos azuis que faiscaram no breve momento de claridade.

— Sabem que é proibido andar pelo castelo a essa hora. Sigam-me as duas, por favor.

A primeira reação da garota foi rir com as palavras proferidas pelo que ela imaginava ser algum professor. Não o conhecia de vista, mas talvez fosse novo e não conhecia os famosos “protocolos” que deveriam ser seguidos, como a identificação do aluno e sua classe, contudo nem ao menos se importou com isso, preferindo dar um passo para trás assim que ouviu a outra garota desconhecida que parecia tentar se explicar chegar mais perto.

— Olha, sinceramente eu não estou muito afim não — comentou na maior naturalidade ao piscar para o homem. — Preciso ir ao banheiro, belê? Depois a gente se vê por ai.

Fazendo um gesto com a mão fechada onde apenas o dedo mínimo e o polegar estavam levantados, a semideusa tentou dar outro passo para trás para se afastar do adulto ali presente e quem sabe fugir usando a outra garota como distração já que ela parecia ser a garota certinha que iria de livre e espontânea vontade.

Panic!:
Explicações:
↬ Como já mencionado, a personagem não acompanharia facilmente um professor mesmo que este lhe “pedisse”, então a intenção da Miranda foi dar, claramente, uma desculpa esfarrapada enquanto tentava tomar distância e usava da personalidade “certinha” da Elizabeth para que o professor tivesse que decidir com quem iria lidar primeiro.
Arsenal:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Miranda Belotto
Miranda Belotto
Caçadoras de Ártemis

Mensagens :
55

Localização :
With the wolves

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Helena Zimmerman em Dom 07 Out 2018, 23:23


the stars, the moon
Elizabeth sentiu seu coração parar de bater quando viu a silhueta humana no corredor. Estava certa que seria pega por uma das professoras. Que sofreria uma detenção e teria que ver a decepção nos rostos de suas tutoras preferidas. E, se fosse especialmente azarenta, uma carta de má conduta seria enviada à sua avó.

Já tinha seu corpo parcialmente virado, preparada para disparar de volta pelo caminho que viera quando percebeu que aquela não era uma professora. Pelas roupas e pela idade, era uma das alunas. E o alívio que sentira foi abafado pelo nervosismo de ser dedurada mais tarde. Ainda assim, permaneceu impassível. E quando a outra continuou o caminho dela como se nada tivesse acontecido, fez o mesmo, tentando — e falhando em — agir normalmente enquanto se cruzavam no corredor. Deu uma boa olhada na desconhecida quando passou, observando-a com atenção enquanto simultaneamente fingia desinteresse, antes de prosseguir.

Não foi longe, pois logo uma voz masculina surgiu sem aviso e, com o pulso acelerado, virou-se para a garota e para o recém-chegado, amaldiçoando sua sorte, pois dessa vez não tinha erro: era o novo técnico de ginástica. Ainda não tivera nenhuma aula completa com ele, nada mais que uma breve apresentação e introdução a sua metodologia, mas ouvira alguns comentários durante as refeições. O homem parecia ainda maior nas sombras, estranhamente pálido e com marcantes olhos azuis. Mas tudo isso escapou a atenção de Elizabeth quando ouviu seu comando.

— Sr. Florrick, eu sinto muito! Não queria ter passado do toque de recolher, eu juro. Acho que me distraí com o tempo, mas prometo que isso não voltará a acontecer. — Apelou a sino-canadense, aproximando-se levemente deles, e embora sua expressão permanecesse neutra, sua testa estava franzida em determinação e seu tom beirava o desespero. Em sua pressa em se justificar e, quem sabe, se livrar daquele incidente com apenas uma advertência, nem mesmo notou que ele fugia do protocolo. Afinal, Elizabeth nem mesmo se lembrava da última vez que algo do tipo acontecera com ela. Era certinha e furtiva demais para que isso fosse uma ocorrência frequente. — Certamente podemos conversar sobre isso e repensar minha punição.

E estava prestes a segui-lo quando a outra estudante começou a falar, inventando uma desculpa esfarrapada para sua presença nas imediações da torre norte, efetivamente parando a adolescente. "O que ela está fazendo?!", pensou numa mistura de surpresa e admiração pela ousadia. Olhando do treinador para a garota, Elizabeth esperou pela reação do homem, ainda a alguns passos de distância dos dois.

Coisas:
citei bem brevemente um conhecimento básico prévio sobre o treinador, mas deixei em aberto para que o narrador diga quais informações seriam estas. também peço uma atenção especial ao passivo Empatia tanto para Miranda quanto para o monstro.
Equipamento:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Poderes:
Passivos

Nível 1
Empatia - Macária solidarizava-se com as pessoas que ia buscar, sabendo de suas dores e emoções. Seus filhos possuem o mesmo sentido. Assim, a ocultação emocional de um personagem só funcionará caso ele seja de nível maior que o filho de Macária.

Nível 2
Visão no escuro - A escuridão e a noite não são problemas para esses semideuses. Como filha dos deuses do submundo a própria Macária é caracterizada como uma deusa ctônica. seus filhos então se adaptam facilmente a condições precárias de iluminação, mantendo a mesma capacidade visual do que em condições normais.

No dawn, no day, I'm always in this twilight. In the shadow of your heart
Helena Zimmerman
Helena Zimmerman
Curandeiros de Asclépio

Mensagens :
33

Localização :
Canadá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Zeus em Sab 13 Out 2018, 09:20




O internato



Pela descendência de Miranda, era comum a jovem agir de acordo com suas próprias vontades e pensamentos. Talvez a meio-sangue tinha notado a aparência incomum do novo professor de ginástica e, por isso, negou-se a obedecê-lo. Contudo, se separarem não seria exatamente uma boa alternativa, já que entre elas Elizabeth era a mais inocente e não teria chances de sobreviver sozinha a um ataque. A filha de Macária sentia uma única emoção provinda da outra semideusa: revolta.

Pois bem, vamos. — Disse o professor com um sorriso satisfatório, esperando que a filha de Macária seguisse o caminho na sua frente até a área de detenção, porém, ao chegar lá, ele interferiu. — Não aí. Vamos à quadra.

Sabendo que Crawley, a garota certinha e obediente, não se negaria a fazer aquilo, seguiram até à área de esportes. A semideusa estava confusa e um tanto assustada, mas manteve-se prostrada no centro da quadra esperando as ordens do falso ginasta. Naquele momento, as reais características da criatura ficaram ainda mais nítidas, revelando-no como um hiperbóreo. Ele não esperou sequer um segundo, armando-se com uma clava repleta de cravos laminados e desferindo um golpe impactante, de cima pra baixo, contra a meio-sangue.

Enquanto isso, Miranda retornava aos seus afazeres, gabando-se da estupidez do novo contratado da academia. Ela foi abordada de supetão por uma jovem totalmente encardida pela chuva do lado de fora. Tinha cabelos loiros, olhos cinzas e vestes de caçadora, além de um arco e uma aljava. Ela inspirava e expirava de forma pesada, como se tivesse corrido uma maratona, mas ainda teve foco o suficiente para chegar à filha de Deimos.

Vocês estão em perigo!

Diretrizes e aconselhamentos

— Sobre o turno: Neste terceiro turno, as coisas já estão desenvolvendo. Ainda desejo uma narração sucinta que especifique os pensamentos e emoções de ambas, mas quero ver também o lado estratégico das personagens. Informações o suficiente foram dadas, use-as.  
— Diretrizes: Fui informado de algumas ressalvas acerca da trama conjunta que vocês possuem. Dessa forma, tomei liberdade o suficiente para me aproveitar dela. Portanto:

Elizabeth Crawley: Reaja ao que foi proposto. Desejo uma reação coerente, principalmente com emoções e pensamentos, já que Elizabeth está diante de um monstro real embora não faça ideia do que seja.
OBJETIVO: Defender-se e contra-atacar. Tens direito a duas ações, sendo ela defesa, ataque ou ações livres.

Miranda Belotto: Reaja ao que foi proposto. Desejo uma reação coerente, por Miranda já saber ser uma semideusa ela está livre para identificar a NPC como Caçadora de Ártemis, mas o faça com coerência - se ela nunca esteve no Acampamento ou não possui uma justificativa para saber sobre as caçadoras, pontos serão descontados.
OBJETIVO: Localizar o monstro e Elizabeth. Lembrando que não sabe aonde foram.

Não deem certeza de sucesso, o narrador sou eu.


— Acerca do ambiente e circunstâncias: Se trata de um castelo escocês, por isso a descrição do mesmo deve seguir o esteriótipo (procurem imagens no google, se necessário). O horário é noturno e por se tratar de um internato, imagino que haja regras acerca de recolhimento. Estejam cientes de que uma simples risada pode se tornar uma preocupação para as duas.
— Horário: 21:40 pm.
— Clima: Chuvoso, temporal extremo.
— Poderes e armas: Sempre citados em spoiler sem irregularidades, caso contrário serão ignorados. *A não citação dos níveis dos poderes utilizados também acarretará anulação a partir deste turno!
— Prazo de postagem: Ambas terão até o dia 16/10, às 09:20 am para realizar a postagem. Atrasos sem justificativas não serão tolerados.

Boa sorte.

Parcial 1º turno:
Elizabeth Crawley:
Elizabeth, gostei da personagem apresentada por você neste primeiro turno, apesar de ter extrapolado a quantidade comum de uma narrada, soube montar e desenvolver perfeitamente os quesitos designados por mim. Mas devo atentá-la a alguns erros que encontrei durante a leitura, minha cara.

Elizabeth Crawley escreveu:[...] quando a grade de horários era mais libertadora, estavam sob vigilância dos professores que estavam na rotação. (-1 ponto em Fluidez)


Como pode notar, as palavras marcadas em negrito indicam uma repetição desnecessária que, se repetida em excesso, interfere na fluidez da leitura. Geralmente, em situações como essa, aconselhamos que as palavras repetidas sejam substituídas por sinônimos - no caso em questão, o verbo estar poderia ser facilmente trocado pelo verbo encontrar, que na flexão de seu uso para a frase seria mudado para encontravam-se. Veja: "estavam sob vigilância dos professores que encontravam-se na rotação".

Chamo sua atenção também para erros ortográficos de fácil correção, como por exemplo, "dividas" no lugar de "divididas" e "importante" no lugar de "importância" nos trechos a seguir.

Elizabeth Crawley escreveu:[...] cada grade escolar tinha um andar de dormitórios, em ordem decrescente, dividas em duas torres [...] (-1 ponto em Ortografia)

Manter suas notas altas era algo de extrema importante para os Crawley [...] (-1 ponto em Ortografia)

Por último, a srtª narrou que o toque de recolher aconteceria 40 min depois do momento atual onde sua personagem se encontra. Posso não ter deixado claro nas diretrizes, mas direi novamente que eu sou o narrador e tais informações serão ou não aplicadas por mim durante a missão. Seu ato foi considerado uma ação de certeza, já que interfere diretamente na dificuldade da missão. Contudo, por se tratar do primeiro turno e não ter sido um erro grave e sem conserto, não farei descontos absurdos. (-1 em Adequação à proposta)
Miranda Belotto:
Bem, Miranda, não tenho ressalvas para seu desempenho neste primeiro turno. Discorreu bem acerca do background da personagem e sua personalidade, atitudes bastante esperadas de uma filha de Deimos.
Parcial 2º turno:
Miranda Belotto:
Um bom desenvolvimento das diretrizes, seguindo a personalidade esperada da personagem. Atente-se aos erros.

@Miranda Belotto escreveu:[...] com os costumeiros uniformes de tons apáticos e sem grassa [...] (-1 em ortografia)
Elizabeth Crawley:
Assim como sua dupla, desenvolveu de forma básica e sucinta, seguindo a personalidade da personagem. Atente-se aos erros.

Elizabeth Crawley escreveu:Estava certa que seria pega por uma das professoras. Que sofreria uma detenção e teria que ver a decepção nos rostos de suas tutoras preferidas.

Neste caso, não era necessário separar os trechos em duas frases, já que também é aconselhável não começar nenhuma frase com "que". (-1 em estrutura)








Zeus
Zeus
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
2187

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Miranda Belotto em Dom 14 Out 2018, 18:54

Internato
↬ Wild  and free ↫
— Isso foi fácil — murmurou a semideusa ao virar em uma curva se afastando cada vez mais daquele local. — Fácil até demais.

Parando abruptamente, Miranda lançou um olhar por cima do ombro ponderando. Mesmo o professor sendo novo, ele ainda seria obrigado a reportar, no mínimo, a infração e não simplesmente deixa-la seguir livremente. Mais um clarão iluminou o corredor e neste lampejo a jovem recordou-se do rosto extremamente pálido do novo professor. Algo estava errado até demais.

Passos acelerados corriam em sua direção e ao olhar para o final do corredor a primeira coisa que a morena pôde notar foi o arco nas costas da garota que vinha quase que desesperada até ela. Uma semideusa. Era a única explicação para aquela desconhecida estar carregando uma arma como aquela nos corredores da Cackle's Academy aquela hora da noite. "Está na hora, será?", perguntou-se ao recordar de quando, alguns anos antes durante a sua reclamação, sua mãe havia lhe explicado sobre o sangue divino que corria no seu sangue.

— Vocês estão em perigo! — A urgência na voz da desconhecida ao agarrar seu braço fez os olhos de Miranda se arregalarem. — Onde está a outra?

— Outra?

Finalmente as coisas fizeram sentido para a semideusa. A outra garota que havia encontrado agora a pouco deveria ser a quem se referia e o professor um monstro. Xingando-se mentalmente, Miranda não diria nada e tentaria correr na direção que veio e seguir para a área de detenção – o lugar onde as meninas eram levadas quando desrespeitavam as regras.

Panic!:
Explicações:
↬ Algumas coisas deixaram Miranda desconfiada e a aparição da caçadora fez todo sentido ser um monstro. Miranda não a reconheceu como caçadora, mas como semideusa. A tentativa é de seguir para a área de detenção que é o único lugar que ela poderia procurar.
Arsenal:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Miranda Belotto
Miranda Belotto
Caçadoras de Ártemis

Mensagens :
55

Localização :
With the wolves

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Helena Zimmerman em Dom 14 Out 2018, 22:59


the stars, the moon
Uma das razões que alimentavam o desgosto de Elizabeth por estar cercada de pessoas era a forma que as emoções dos outros pareciam invadi-la. Não sabia se isso era normal ou comum, mas  estava tão acostumada com essa bizarra empatia que não mais se questionava. E naquele momento, sentia revolta emanar da outra aluna e absolutamente nada vir do treinador.

Ainda assim, o seguiu. Tinha sérios problemas em desobedecer a ordens provindas de figuras de autoridade, coisa que fora ensinada por sua avó desde nova e, sem dúvidas, era uma falha nata de sua personalidade. Tomou a dianteira na caminhada, mas franzia o tempo todo. Sempre desejou pelo silêncio dos sentimentos alheios, mas aquele vazio não era tranquilizador, era inquietante.

A sino-canadense rumou diretamente para a sala de detenção, para onde fora levada nas três vezes que sofrera punição em seu histórico escolar, mas ao chegar lá o treinador mandou que ela fosse à quadra. Isso fez com que Elizabeth hesitasse em confusão. Aquela atitude não era nada usual. Afinal, haviam certos protocolos que deviam ser seguidos. Mas como pela cara que fazia ele não parecia disposto a mudar de ideia, ela foi. A cada passo que dava, uma sensação de perigo e medo se alojava em seu peito, embora sua expressão permanecesse estranhamente neutra, com exceção do franzir entre suas sobrancelhas.

Quando chegaram a seu destino, a adolescente andou até o centro da quadra deserta e ainda desarrumada após as aulas de salto à distância da tarde e virou-se, a boca entreaberta para questionar o que estavam fazendo ali. Nesse instante, viu que algo estava muito, muito errado. Por que o treinador crescera bruscamente de altura, estava completamente cinza e monstruoso e brandia uma clava que retirara de Deus-sabe-onde em sua direção.

Automaticamente, graças aos anos que passara treinando atletismo e ginástica naquela mesma quadra, sua reação foi de tentar se jogar para o lado, atirando-se no chão em um rolamento, para sair da linha do ataque e pousar sobre um joelho na quadra. E então, fez algo que raramente se permitia fazer: gritou, alto e agudo, o olhando com os olhos arregalados.

— O QUE É VOCÊ?! O QUE ESTÁ ACONTECENDO?! — Berrou para o treinador, secretamente torcendo para que sua voz fosse alta o bastante para que ajuda viesse em sua direção.

Depois, tateando às cegas, agarraria a primeira coisa que encontrasse que parecesse ser uma arma — uma das varas de salto, adaptada para treinamentos internos, com 3m de altura e 1,2kg de peso, foi a escolhida pelo destino — e tentaria golpeá-lo na parte mais próxima de si no momento: as pernas da criatura.

Coisas:
enton, a Elizabeth basicamente gritou bastante e tentou rolar para o lado esquerdo para desviar o ataque. depois, tentou agarrar uma vara de salto para golpear o monstro nas pernas.
Equipamento:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Poderes:
Nível 1
Empatia - Macária solidarizava-se com as pessoas que ia buscar, sabendo de suas dores e emoções. Seus filhos possuem o mesmo sentido. Assim, a ocultação emocional de um personagem só funcionará caso ele seja de nível maior que o filho de Macária.

Nível 2
Visão no escuro - A escuridão e a noite não são problemas para esses semideuses. Como filha dos deuses do submundo a própria Macária é caracterizada como uma deusa ctônica. seus filhos então se adaptam facilmente a condições precárias de iluminação, mantendo a mesma capacidade visual do que em condições normais.

No dawn, no day, I'm always in this twilight. In the shadow of your heart
Helena Zimmerman
Helena Zimmerman
Curandeiros de Asclépio

Mensagens :
33

Localização :
Canadá

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Zeus em Seg 22 Out 2018, 02:59



O internato

Através de suas agilidade e reflexos divinos, Elizabeth conseguiu evitar ser atingida pela clava do professor - jogou-se para o lado enquanto a arma atingia o chão com força. Contudo, o impacto dela no chão causou um tremor de força extrema que não só resulto em rachaduras, mas no desequilíbrio da filha de Macária. Ela mal teve tempo de utilizar a vara de salto para contra-atacar, caindo de costas para o chão e sendo um alvo fácil novamente. O hiperbóreo investiu em um segundo ataque com a clava e ela teria de ser rápida novamente.

Longe dali, entre os corredores escuros e frios, Miranda corria ao lado da caçadora. Não sabia exatamente pra onde ir, já que ao chegar na sala de detenção, não viu nem o professor nem a outra aluna. A sorte foi escutar gritos da garota desconhecida e um estrondo fortíssimo que ecoou perto dali. Teria de ser inteligente ou ao menos ter uma memória rápida o suficiente dos lugares do internato.

Não podemos falhar, temos que fugir daqui o quanto antes!

Diretrizes e aconselhamentos

— Sobre o turno: Neste quarto turno, as coisas já estão desenvolvendo. Ainda desejo uma narração sucinta que especifique os pensamentos e emoções de ambas, mas quero ver também o lado estratégico das personagens. Informações o suficiente foram dadas, use-as.  
— Diretrizes: Fui informado de algumas ressalvas acerca da trama conjunta que vocês possuem. Dessa forma, tomei liberdade o suficiente para me aproveitar dela. Portanto:

Elizabeth Crawley: Reaja ao que foi proposto. Desejo uma reação coerente, principalmente com emoções e pensamentos, já que Elizabeth está diante de um monstro real embora não faça ideia do que seja.
OBJETIVO: Defender-se e contra-atacar. Tens direito a duas ações, sendo ela defesa, ataque ou ações livres.

Miranda Belotto: Reaja ao que foi proposto. Desejo uma reação coerente, por Miranda já saber ser uma semideusa ela está livre para identificar a NPC como Caçadora de Ártemis, mas o faça com coerência - se ela nunca esteve no Acampamento ou não possui uma justificativa para saber sobre as caçadoras, pontos serão descontados.
OBJETIVO: Localizar o monstro e Elizabeth. Lembrando que não sabe aonde foram. Você tem direito a utilizar uma habilidade passiva e ativa da caçadora a cada turno, mas o faça com sabedoria.

Não deem certeza de sucesso, o narrador sou eu.


— Acerca do ambiente e circunstâncias: Se trata de um castelo escocês, por isso a descrição do mesmo deve seguir o esteriótipo (procurem imagens no google, se necessário). O horário é noturno e por se tratar de um internato, imagino que haja regras acerca de recolhimento. Estejam cientes de que uma simples risada pode se tornar uma preocupação para as duas.
— Horário: 21:45 pm.
— Clima: Chuvoso, temporal extremo.
— Poderes e armas: Sempre citados em spoiler sem irregularidades, caso contrário serão ignorados. *A não citação dos níveis dos poderes utilizados também acarretará anulação a partir deste turno!
— Prazo de postagem: Ambas terão até o dia 25/10, às 02:59 am para realizar a postagem. Atrasos sem justificativas não serão tolerados.

Boa sorte.

Hiperbóreo, nível 20
HP: 290/290
MP: 270/290

Ativos:
(5) Impacto: O hiperbóreo atinge o chão com uma força tremenda. Fazendo isso, ele gera um tremor mágico que permanece no cenário em um raio de 100 metros por até 3 turnos. O tremor não causa dano, mas pode fazer com que personagens percam o equilíbrio e caiam, além de reduzir em até 50% a velocidade de movimentação de todos pegos na área. O tremor é forte o suficiente para abalar e criar rachaduras em estruturas, mas jamais desmoroná-las (a não ser que sejam extremamente frágeis). Quanto mais perto do hiperbóreo, mais os personagens poderão sentir os efeitos do poder, enquanto que no limite do raio, as penalidades são quase nulas. O narrador determina a penalidade de acordo com a distância dos personagens com relação à área de impacto. Personagens que não estejam em contato com o solo não são afetados. Ao término do efeito, o hiperbóreo pode utilizar o Impacto mais uma vez 3 turnos depois. Gasto alto.

Elizabeth Crawley, nível 2
HP: 100/110
MP: 100/110

Miranda Belotto, nível 1
HP: 100/100
MP: 100/100

Caçadora (filha de Atena), nível 17
HP: 260/260
MP: 260/260

Parcial 1º turno:
Elizabeth Crawley:
Elizabeth, gostei da personagem apresentada por você neste primeiro turno, apesar de ter extrapolado a quantidade comum de uma narrada, soube montar e desenvolver perfeitamente os quesitos designados por mim. Mas devo atentá-la a alguns erros que encontrei durante a leitura, minha cara.

Elizabeth Crawley escreveu:[...] quando a grade de horários era mais libertadora, estavam sob vigilância dos professores que estavam na rotação. (-1 ponto em Fluidez)


Como pode notar, as palavras marcadas em negrito indicam uma repetição desnecessária que, se repetida em excesso, interfere na fluidez da leitura. Geralmente, em situações como essa, aconselhamos que as palavras repetidas sejam substituídas por sinônimos - no caso em questão, o verbo estar poderia ser facilmente trocado pelo verbo encontrar, que na flexão de seu uso para a frase seria mudado para encontravam-se. Veja: "estavam sob vigilância dos professores que encontravam-se na rotação".

Chamo sua atenção também para erros ortográficos de fácil correção, como por exemplo, "dividas" no lugar de "divididas" e "importante" no lugar de "importância" nos trechos a seguir.

Elizabeth Crawley escreveu:[...] cada grade escolar tinha um andar de dormitórios, em ordem decrescente, dividas em duas torres [...] (-1 ponto em Ortografia)

Manter suas notas altas era algo de extrema importante para os Crawley [...] (-1 ponto em Ortografia)

Por último, a srtª narrou que o toque de recolher aconteceria 40 min depois do momento atual onde sua personagem se encontra. Posso não ter deixado claro nas diretrizes, mas direi novamente que eu sou o narrador e tais informações serão ou não aplicadas por mim durante a missão. Seu ato foi considerado uma ação de certeza, já que interfere diretamente na dificuldade da missão. Contudo, por se tratar do primeiro turno e não ter sido um erro grave e sem conserto, não farei descontos absurdos. (-1 em Adequação à proposta)
Miranda Belotto:
Bem, Miranda, não tenho ressalvas para seu desempenho neste primeiro turno. Discorreu bem acerca do background da personagem e sua personalidade, atitudes bastante esperadas de uma filha de Deimos.
Parcial 2º turno:
Miranda Belotto:
Um bom desenvolvimento das diretrizes, seguindo a personalidade esperada da personagem. Atente-se aos erros.

@Miranda Belotto escreveu:[...] com os costumeiros uniformes de tons apáticos e sem grassa [...] (-1 em ortografia)
Elizabeth Crawley:
Assim como sua dupla, desenvolveu de forma básica e sucinta, seguindo a personalidade da personagem. Atente-se aos erros.

Elizabeth Crawley escreveu:Estava certa que seria pega por uma das professoras. Que sofreria uma detenção e teria que ver a decepção nos rostos de suas tutoras preferidas.

Neste caso, não era necessário separar os trechos em duas frases, já que também é aconselhável não começar nenhuma frase com "que". (-1 em estrutura)
Parcial 3º turno:
Miranda Belotto:
Terei de ser franco: não foi bom. Sua personagem descobriu rápido demais, com uma única pergunta da caçadora, que Elizabeth era uma semideusa, mesmo não tendo poderes ou habilidades que facilitem tal descoberta. Acredito que tenha ficado em falta emoções humanas na garota durante a abordagem da npc, como dúvidas, temor e derivados. Mesmo se tratando de uma narrada, você poderia - e ainda pode - acrescentar tais detalhes nas próximas postagens. (-1 em Adaptação)

Atente-se também à repetição de palavras, como "professor novo" e "novo professor" - note que você apenas trocou a ordem. Novamente, aconselho que troque-as por sinônimos ou até mesmo outras palavras que possam se referir ao monstro disfarçado, como instrutor de ginástica ou ginasta. (-1 em Fluência)
Elizabeth Crawley:
Minha querida, você está seguindo o enredo e raciocínio da personagem de forma perfeita. Devo apenas parabenizá-la.








Zeus
Zeus
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
2187

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Zeus em Qua 21 Nov 2018, 03:21


ATENÇÃO

O prazo para que Miranda prossiga a missão se estende até o dia 01/12. Ao ultrapassá-lo, a missão será cancelada sem aplicação de punições, considerando suas justificativas para o atraso.

De acordo com Elizabeth Crawley, ela não pretende dar prosseguimento à missão, não apresentando justificativas para o abandono. Devido a isso, sua conta receberá as seguintes punições:

-75% de HP e MP total;
Um mês sem poder efetuar pedidos de missões e realizá-las, com exceção de Do-it-yourselfs e Story Mode. Perdura até o dia 21/12.
Zeus
Zeus
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
2187

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Zeus em Dom 02 Dez 2018, 19:35





Missão em cancelada.

Sem punições para a player.




Zeus
Zeus
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
2187

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Narrada] O internato — Elizabeth Crawley, Miranda Belotto

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
:: Topsites Zonkos - [Zks] ::