< diário de bordo >

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

< diário de bordo >

Mensagem por Raul Gutierrez em Qua 17 Out 2018, 05:28

Raul Gutierrez
avatar
Filhos de Hades
Mensagens :
5

Localização :
méxico

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: < diário de bordo >

Mensagem por Raul Gutierrez em Qua 17 Out 2018, 05:29



(la perra infernal)
el libro de los perros, capítulo dos, página uno.


No dia em que conheci Raul, ele era bem menos notável que agora. Às vezes, sinto que ele ganhou um brilho diferente no olhar de uns tempos para cá, sabe? Talvez alguém tenha polido o seu cristal, ou sua flor, desabrochado. Era bonito e necessário vê-lo mais independente, autoconfiante; como suas engrenagens foram engraxadas, e sua ferrugem fora limpa. A sujeira que havia em si fora expurgada de seu corpo banhado em águas puras. Eu poderia seguir com as metáforas para falar dessa transcendência espiritual dele, mas estaria a perder meu tempo; todo este esforço já é em vão.

Pois Raul, meu menino, não está mais tão reluzente. De novo, sua chama interna apagou.

[actualización de bitácora de viaje. empezar transmisión. entrada trés. estoy por el bosque, montado en una rama cualquiera. mackenzie, creo, está abajo, pero no la veo ahorita. pronto bajo. acima de mí, hay un techo de árboles y, después, el cielo estrellado. necesito respirar, pero no tengo aire. encerrar transmisión.]


Desde que saíra do Lótus, as memórias de Raul também são suas armadilhas. Normalmente, nós nos apoiamos no que já sabemos do mundo para criar nosso futuro. Por isso, sua situação era tão complicada: ele não tinha nenhuma evidência concreta; apenas vestígios. Como uma nuvem carregada de raios, suas recordações eram moléculas esparsas de água, às vezes agitadas e ligadas por dois átomos mais excitados.

Era com essas dúvidas que visitava a floresta, dia sim, dia também. Passeava por entre as árvores, treinando sua camuflagem, suas habilidades e caçando um ou outro monstro. Tinha muito talento, embora o escondesse; talvez fosse previsível, por ser filho de um dos três grandes deuses, que as expectativas sobre si fossem mais altas, mas Hades nem tinha um chalé no Acampamento, então ele ainda conseguia passar desapercebido. Enfim, depois da mesma rotina, naquele dia, descansava sob um galho mais alto e robusto, dando-lhe uma bonita vista às estrelas que pontilhavam o manto escuro.

Três pedrinhas dançavam entre seus dedos.

Três também foi o número de segundos que o delay de Raul fê-lo demorar mais que um canino necessitava para detectar a presença alheia. É importante salientar que tal tempo não era exatamente mais lento, uma vez que os sentidos de animais são muito mais desenvolvidos que os presenteados aos semideuses. Embora tenham sua parte imortal, são essencialmente mortais; suas características divinas, ainda que melhorem suas capacidades gerais de batalha, não aumentavam o mundo ao seu redor — e, bem, basicamente, a percepção dele era impressionante.

Como um caçador, ele notou o quebrar de galhos mais recorrente. Sempre que algum esquilo saltitava por entre as folhas secas, também machucava a vegetação morta, mas nada comparado aos passos descompassados que denunciavam um monstro. Buscou, mexendo um ramo próximo a si, à cadela sempre próxima a si, mas não a encontrou.

Latido para pô-lo alerta.

Sua mão desceu imediatamente à bainha da adaga, tateando-a até encontrar o cabo. A concentração dispersa fizera o controle sobre as pedrinhas vacilar, mas elas seguiam girando em eixo circular, como elétrons ao redor de um núcleo atômico; orbitavam acima de seu ombro.

De entre a copa das árvores, encontrou a forma monstruosa: qualquer semideus identificaria as híbridas aves humanoides que auxiliavam no serviço geral do Acampamento Meio-Sangue, como nas cozinhas. Alguns deles apenas esqueciam que elas também eram responsáveis por encontrar meio-sangues fora da cama após o toque de recolher.

Essa era a situação de Raul.

Foi com algum nervosismo que notou que se tratava de uma das avícolas: era um bando, em verdade, de três "galinhas" mais encorpadas, talvez do tamanho de um pavão gordo, com cabeças meio humanas (embora uma delas possuísse bico). Irracionais, não eram das que ajudavam no Acampamento, mas sim das que atrapalhavam os semideuses. A preocupação do filho de Hades, entretanto, não estava no perigo que representariam a si; pensava, porém, no latido que escutara há pouco.

Como resposta, rosnado para iniciar tímida taquicardia em suas veias de sangue latino.

Observou as aves mudarem de direção drasticamente e saírem dos buracos entre as folhas que o permitia mirá-las. Seus dentes atacaram timidamente a carne dos lábios em breve nervosismo.

Novo latido para descê-lo.

Empoleirado de onde estava, não poderia fazer muito. Entretanto, do piso, agora deparando-se com a situação de três harpias atacantes, era de maior serventia. Aqui entre nós, segredo-lhes: seus olhos, pelo medo de perder, quase se abrilhantavam, ainda que escuros seguissem.

De atenção divida, as monstruosidades — tal termo parecia um exagero para as pobres galináceas — também dividiram-se em dois grupos. Duas delas partiram para cima de Raul: uma com cabeça irritantemente ruiva, e outra com um perigoso e afiado bico. Aqueles rostos femininos eram estranhos o suficiente para causarem certo nojo em si quando lutava, mas não impediram-no de afastá-las num primeiro momento com um chute na folhagem secamente amarelada, espalhando-as no ar.

Infelizmente para si, ainda que uma tivesse meio caído para trás, a outra alçou voo e atacou-o com uma bicada no antebraço. Não estava sangrando; sentira como um beliscão; era, todavia, uma dor irritante. Em reflexo, as pedras em levitação voaram contra o rosto bronzeado — seriam harpias vaidosas o suficiente para tomarem sol? Chocando-se contra sua bochecha, causaram uma vermelhidão suficiente para distanciá-la momentaneamente, deixando-a tonta.

Latidos e choramingadas no fundo.

Distraído da outra ameaça, envergou as costas quando o ombro reclamou dos cortes causados pelas garras da harpia ruiva. Culpou-se por não ter desembainhado a faca antes, já que só fora capaz de golpeá-la com a parte chata da lâmina para impedir que o ataque continuasse. Sem desferir um corte, porém, não seria capaz de matá-la; o bronze sagrado era conhecido por acabar rapidamente com as vidas dos arquétiposcriaturas que se vão momentaneamente, mas regressam do Tártaro para terminar suas funções (no caso de monstros, normalmente, tais funções envolvem basicamente desgraçar a vida alheia).

Não poderia usá-lo tão bem se não ganhasse uma brecha.

Pareceria patético que Raul estivesse tendo tanta dificuldade com duas aves, mas eram feras mitológicas chatas. Ele tampouco gostava de machucar animais, em geral, por sua ligação com Mackenzie, mas teve que fazê-lo quando, por sorte, em nova investida da ruiva, cutilou-a abaixo das asas. O ponto, além de desprotegido no voo, era mais macio e, assim, propício para ser alvo; riu um pouco com a explosão dourada que se seguiu, mas sofreu mais com o ataque em sua panturrilha.

Como se tivesse revestido aquele bico infernal com metal, a harpia bronzeada rasgou sua calça e perfurou um ponto bem doloroso, excitando os nervos de dor para enviarem mensagens contínuas de "cuidado!" a seu cérebro. Em milissegundos, o córtex central ativou seu reflexo natural de golpeá-la com o calcanhar, patinando de certa forma contra as folhas secas e derrapando nelas.

Caiu numa cama natural, com galhos espinhosos quase ferindo-lhe o rosto, mas apenas pinicando seus braços. Ele girou rapidamente para ficar de pé, sentando-se com alguma urgência, e apontou a faca para a fera, que se recompunha de seu chute. Mexendo-se para a esquerda e direita antes de investir contra ele, a criatura também se tornou pó dourado: ele puxou uma pedra atrás dela contra a ponta de seu punhal, apanhando um tanto devido ao peso da rocha.

Felizmente, já jogara de goleiro algumas vezes em sua cidade natal, então recebeu o impacto com algum instinto treinado. Tossindo pelo baque, tirou a rocha de cima de si, esperando ter que lidar com outra galinha odiosa, mas não escutava mais nada.

O mistério da outra harpia avícola?

Investida com os dentes, mordendo o ar. Aves nervosas foram abertas, sem assustar a ninguém, apenas incitando mais raiva. Latido para afugentá-la, fracassadamente. Então foi preciso atacá-la com mais vigor: pata esquerda sobre um galho, pata direita como um cruzado. Derrubada, a harpia foi alvo fácil de arranhões, mordidas, e consequentemente pisoteamento até que suas penas estivessem piores que um espanador após a limpeza mensal do quarto de Raul.

Raul, por sinal, sorriu. Abriu os braços para receber lambidas e fechou-os para sentir os pelos já tão conhecidos por si. Dessa amizade, as histórias estavam apenas começando.

APÊNDICE:
Recompensa almejada da DIY é Mackenzie, uma cadela infernal, nível 1. Ela já está presente na trama do Raul, como presente nas narrações de seu treino na arena e sua ficha de reclamação (além, bem, do avatar e ícone do perfil, logo ao lado). Entendo que possa ser feita redução da recompensa para isso. Segue a descrição desejada conforme o padrão:

{Mackenzie} / Cão Infernal [Possui a forma de um espécime de husky siberiano, embora com olhos claros, ainda que respeitem a tonalidade avermelhada típica da espécie, além de conseguirem enxergar na mais completa escuridão. Como outros de sua espécie, pode detectar espíritos devido à ligação com o Submundo.] (Nível Monstruoso: 1) (Experiência: 0/100)

poderes:
(ATIVO - Nível 3) Geocinese I - Pode mover pequenos pedaços de rocha e formações minerais, arrancando-os do chão, levitando-os, desintegrando-os ou unindo-os. Só afeta matéria bruta e que esteja solta no ambiente, e até 5kg por vez. Caso movimente o material afetado, pode fazê-lo a até 10m por turno. Não afeta material a mais de 50m de distância, e exige gasto constante no caso de movimentação. Essa quantia não faz mais do que provocar uma leve distração, mas ainda não é grande ou forte o suficiente para provocar danos. Rochas sagradas ou abençoadas não podem ser manipuladas. Custo constante. [Modificado]
equipamento:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]
Raul Gutierrez
avatar
Filhos de Hades
Mensagens :
5

Localização :
méxico

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: < diário de bordo >

Mensagem por 147-ExStaff em Qui 18 Out 2018, 11:29


Raul Gutierrez



É uma narração boa. Nada excepcional, nada que me traga vontade de ler mais e mais. Talvez eu não tenha compreendido seu estilo narrativo, talvez ele seja só confuso mesmo. Mas essa é uma crítica extremamente pessoal. Vamos ao que interessa.
    Seu texto contém vários erros de colocação pronomial, facilmente corrigidos pelo Google. Não vi grandes erros ortográficos, mas vi repetições, por exemplo, de latido. Achei o texto curto, visto a recompensa almejada e - embora eu defenda que qualidade e quantidade são conceitos divergentes, um melhor desenvolvimento de trama teria sido essencial para ser uma narrativa que me interessasse. Do contrário, se tornou apenas um eventual ataque - embora muito bem narrado.
      O que eu recomendo é que, em uma próxima narração, aprofunde-se melhor em seu personagem, em seu estilo narrativo. Vai conseguir uma estrutura melhor e mais densa e eu acho que você vai conseguir se sair melhor. No mais, parabéns!

Resultado


— Coerência: 45 de 50 possíveis
— Coesão, estrutura e fluidez: 20 de 25 possíveis
— Objetividade e adequação à proposta 10 de 15 possíveis
— Organização e ortografia 8 de 10 possíveis

Total: 83 pontos (multiplicador = 4): 332 pontos de experiência + 33 dracmas.

Descontos


10 hp/mp



Atualizado




147-ExStaff
avatar
Deuses
Mensagens :
77

Localização :
Olimpo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: < diário de bordo >

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum