{Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Eos em Seg 01 Jul 2019, 22:24

Relembrando a primeira mensagem :


CAÇA A BANDEIRA

— Bem vindos ao caça bandeira! Fico feliz pela participação de todos. Serei muito breve. Todos sabem o que fazer. — Quíron sorri conforme fala, esperando que todos se aproximem para continuar a falar. Nas mãos dos representantes, Jeff e Bianca, são entregues as bandeiras da cor de seu time. — Vocês tem trinta minutos para posicionar a bandeira de vocês e se posicionarem em campo. Ao tocar o berrante está liberado a caça. Como sempre, não tentem matar o coleguinha de vocês!

Com um polegar levantado, Quíron se posiciona mais próximo ao riacho, e acena com a cabeça.

— Boa sorte.

Diretrizes


— Introduza um pouquinho da sua trama. Os campistas, como tem sido os últimos dias; os que moram fora do acampamento, o porquê de estarem lá.

— Formem os grupos de vocês, junto à estratégia. Informações que comprometam a estratégia de vocês devem ser enviadas por MP/WhatsApp ao narrador.

— Decidam, em on game, quem ficará em cada lugar. Ataque, meio de campo e defesa.

— Como nós – narradores – já sabemos a posição da bandeira, vocês só precisam narrar que ela foi colocada lá. Sem posição. Descrição genérica de quem se responsabilizou por isso.

— Aguardem o sinal de Quíron.

Status


Bianca H. Somerhalder — Nível 44
HP: 530/530
MP: 530/530

Christopher Mason — Nível 34
HP: 430/430
MP: 430/430

Vitor S. Magnus — Nível  34
HP: 430/430
MP: 430/430

Ayla Lennox — Nível 33
HP: 410/420
MP: 410/420

Peter Lost — Nível 33
HP: 410/420
MP: 410/420

Lavinia S. Larousse — Nível 30
HP: 390/390
MP: 390;390

Lilith Doutzen — Nível 30
HP: 390/390
MP: 390/390

Heron Devereaux — Nível 18
HP: 270/270
MP:  270/270

Murtagh S. Leclerc — Nível 6
HP: 125/150
MP: 119/150

Lyanna MacMahon — Nível 4
HP: 110/130
MP: 90/130

Leonard Crawford — Nível 3
HP:  120/120
MP: 120/120

Zoë Ophelia Greengrass — Nível 2
HP: 110/110
MP: 110/110

August Budreau — Nível 2
HP: 110/110
MP: 110/110

Dan Baizen — Nível 1
HP: 100/100
MP: 100/100

Rhydian Schwab — Nível 1
HP: 100/100
MP: 100/100


Informações adicionais


— Evento: Caça a bandeira

— Condições climáticas: Primavera, 23º.

— Local: Acampamento Meio-Sangue.

— Data e hora: 4 de julho, 10:00

Regras


— Não utilize cores cegantes e/ou templates com menos de 500px de largura.

— Poderes (com nível, separados por ativo e passivo) e armas em spoiler no final do texto.

— Prazo de postagem até 23h59, segundo o horário de Brasília, do dia 03/07/2019

— Qualquer dúvida, consulte seu narrador.

— Boa sorte.



Eos
Eos
DeusesPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
147

Localização :
Highway To Twilight

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Lyanna MacMahon em Sex 12 Jul 2019, 00:13


Caça Bandeira
" Se o azul fosse o melhor, porque o líder dos rangers é sempre o vermelho”
― Alguém


O vento assoprava através dos galhos, criando um som calmo entre as folhagens. Nada além do som habitual da floresta era ouvido pela semideusa. Seus olhos verdes corram por todas as direções em busca de algo fora do padrão. Lyanna já estava um bom tempo parada, apenas esperando algo acontecer. Em silêncio usava todos os seus sentidos em busca de um invasor, mas absolutamente nada foi encontrado. A Menina estava cansada de esperar com um pouco de raiva, a situação com a armadilha ainda a incomodava. Todos seus sentimentos se intensificaram quando um pensamento chegou a ela.

”Estou parada aqui, sem fazer nada. Os outros estão lutando. A única coisa que eu fiz foi cair na armadilha", sua face assumiu uma careta de indignação, ”Talvez o problema seja justamente esse, ficar parada”

Um adversário não iria simplesmente chegar até ali, provavelmente ele tentaria passar de outros modos. Ter um ponto de patrulha estático gera um problema, caso o invasor desviasse alguns metros poderia simplesmente passar despercebido. Decidida a menina se afastou da arvore, que antes era sua forma de defesa.

Mantendo a corrente em mãos, caminhou na direção contraria aos companheiros. Eles eram capazes de defender e cuidar daquele espaço. Os passos eram lentos e cuidadosos, a última coisa que ela desejava era cair novamente em uma arapuca. Mesmo tentando não gerar muitos ruídos, a movimentação era seguida pelos sons de folhas e galhos sendo pisoteados A feiticeira mantinha sua atenção dividida entre o solo, os arredores e seu sentido magico.

Após um tempo em sua ronda a menina chegou a um ponto mais escuro da floresta. As arvores eram maiores e suas copas se uniam, ocultando uma boa parcela da luz do sol. Atravessando aquele local uma sensação estranha apoderou-se dela. Era como se alguma coisa a observasse, mas ela não enxergava nada. Diminuindo a velocidade, tentou aguçar os sentidos em busca de uma pista. Quando estava prestes a desistir o som de folhas foi ouvido, o som foi seguido por uma investida surpresa.

Como se surgisse das sombras, um menino de cabelos negros avançou contra a filha de Melinoe. Na mão esquerda ele carregava um escudo, enquanto na direita uma esfera feita de sombras, que logo foi disparada. Agindo rapidamente a garota saltou em diagonal para trás. Uma das esferas raspou em seu braço esquerdo, mas a dor foi ignorada. A luta que a semideusa esperava estava realmente acontecendo. A chance de se provar forte finalmente chegou e ela não a desperdiçaria.

O oponente sacou sua espera e tentou aproximar-se aa menina, mas foi afastado pela corrente. Os elos cortaram o ar em direção ao rosto do menino, que impediu com o escudo e tentou uma estocada. Lyanna desviou girando para esquerda, usando o impulso do giro em um golpe em arco. Os espinhos mais uma vez apenas arranharam o escudo. O moreno tentava se aproximar mas os arcos efetuados pelos elos o mantinham em uma certa distância.

Em uma tentativa afobada, o filho de Nyx se aproximou demais. Essa aproximação foi a brecha para a ruiva utilizar seu sopro congelante no braço do inimigo. Aproveitando a fraqueza repentina a filha de Melinoe usou a corrente para desarmar o outro. Sem espada o menino tentou pegar distância, mas Lyn foi mais rápida. Os elos foram lançados e se enroscaram na perna dele e com um puxão ela o derrubou. Antes que ele conseguisse se levantar a menina se aproximou e colocou um dos pés sobre o peito do adversário.

– Calminha aí, se não esses espinhos vão parar no seu rosto – falou na tentativa de intimidar o menino – Desista e você não se machuca – ordenou com a voz firme.

Erguendo uma das mãos o moreno desistiu, segundo ele não valia a pena lutar pela bandeira. Logo que o semideus se afastou, Lyn retornou ao seu posto. O combate havia finalmente acontecido e ela ganhou. Não era nada muito grande, afinal seu inimigo assim como ela não era um dos semideuses mais fortes. Mesmo sendo rápida a vitória a deixou empolgada, talvez eles realmente ganhassem.


.
Adendos:
Abracadraba:
O adversário foi um filho de Nyx Lvl 5
Aconteceu um problema com a internet da minha casa e para postar eu tive que ir na minha irmã. Sei que o horário passou alguns minutos mas o texto já estava pronto, então postei do mesmo jeito
Ficou bem mais ou menos, mas é o que temos pra hoje.
Poderes Lyn:
Ativos:
Hálito Congelado [Nível 1]
O filho de Melinoe possui o hálito espectral. Isso faz com que, ao utilizar tal habilidade, consiga espelir uma névoa de capacidades congelantes. O alcance limita-se a apenas 1,5m, afetando apenas um alvo. Pode congelar um objeto ou congelar um membro do oponente, inutilizando o uso da parte corporal afetada por 3 turnos. Isso provoca dano (baixo e não contínuo) por congelamento, além de uma penalidade de 25% em ações que utilizem/ dependam da parte corporal afetada, mas não provoca dano interno nos órgãos. O congelamento dura 3 rodadas. Pode ser utilizado 1 vez a cada 5 rodadas.
Passivos:
Perícia com correntes [nível 1]
De todos os itens, este é um dos mais associados à fantasmas - mas não é um mero acessório: correntes podem ser armas poderosas se empunhadas pelas mãos certas. E os filhos de Melinoe sabem bem disso. Eles ganham a perícia natural para lidar com este tipo de arma, manejando-a com mais facilidade do que outros sem tal habilidade. Não implica conhecimento imediato nem infalibilidade - é algo evolutivo, e requer treino, mas sempre terão mais chances de se darem bem empunhando as correntes do que outro tipo de item.
Malogro [Nível 2]
A aura dos filhos de Melinoe tende a ser controversa, dada sua ligação com o submundo e os fantasmas. Assim, apesar de nesse nível não provocar medo, afeta o emocional daqueles que estiverem por perto, provocando tristeza e desânimo. Isso faz com que os ataques de todos que estiverem corpo-a-corpo (a até 3m de distância do semideus), sejam oponentes ou aliados, seja reduzido em 10%. Aumenta em 20% quando na forma etérea. Pode ser "desligado" a partir do nível 30. A área aumenta para 10m no nível 40. Resistência a medo se aplica.
Poderes Filho de Nyx:
Ativos:
Nível 1
Manipulação da energia negra - Você consegue criar pouca quantidade de energia negra, podendo lançar até duas bolas escuras contra o inimigo, causando o mesmo impacto de uma flecha. Contudo, não é capaz de controlar a trajetória ou mantê-las ativas - após criadas elas explodem imediatamente e se não forem lançadas contra o inimigo podem causar dano ao próprio semideus. Podem ser atiradas a até 5m de distância, mas O dano é reduzido proporcionalmente, caso sejam direcionadas a inimigos diferentes.
Nível 3
Invisibilidade - O filho de Nyx / Nox manipula as sombras e a penumbra do local, conseguindo ficar invisível desde que longe da iluminação direta, seja natural ou artificial. Dura 2 turnos, não podendo ser utilizado em combate. A partir do nível 37, poderá ser utilizado em lutas, com o dobro do gasto comum. A locomoção fora de combate é permitida se não for brusca (metade do deslocamento comum). Locais claros (mesmo que o semideus esteja à sombra - como a sombra de uma árvore ao meio dia) podem impossibilitar o uso do poder. A sombra deve permitir que o semideus se oculte, devendo para isso ter o tamanho aproximado ou suficiente para tal.
Passivos:
Nenhum pertinente a situação. [Novo]
Armas:

¥ {Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação](embainhada no coturno direito)

¥ {Elo Dentado} / Corrente com cravos [Corrente metálica com 4m de comprimento, possui cravos em toda sua extensão. Exige certa perícia para seu uso, mas um combatente habilidoso possui enormes vantagens, já que ela privilegia tanto a força quanto a destreza. É uma arma pesada, que requer o uso de ambas as mãos para o manuseio adequado, mas seu dano é tanto contusivo quanto perfurante, e é versátil devido à grande quantidade de manobras e alcance, que varia de corpo a corpo a médio, de acordo com o movimento.] {Bronze sagrado}(Nível mínimo: 3 para filhos de Héracles, Ares e Centauros; 2 para filhos de Nyx e Melinoe; 5 para os demais) {Não controla nenhum elemento}(Em mãos)

¥ {Olho do Corvo} / Cajado [Feito em madeira-ferro reforçada com ouro negro, contém em seu topo um ônix, sua gema mágica, circulada por adornos de metal na forma de asas. O cajado é leve e resistente à magia, podendo ser utilizado como canalizador para realizar qualquer magia que dependa de mira, que seja lançada pelas mãos do semideus ou que necesite de um objeto sobre o qual fazer efeito. Transforma-se em um anel no nível 20] (Nível Mínimo: 1) {Magia} [Recebimento pelo ingresso no grupo Feiticeiras de Circe] (Preso ao cinto do lado esquerdo)

¥ {Caldeirão de bruxa} / Cantil [Cantil mágico, pode produzir um tipo de líquido mágico com certas propriedades, a escolha da Feiticeira, de acordo com a lista. Pode ser utilizado apenas 1 vez por evento, criando uma única dose do líquido escolhido. Não é possível armazenar o líquido que, se tirado do objeto, transforma-se em água comum.] (Nível Mínimo: 1) {Magia} [Recebimento pelo ingresso no grupo Feiticeiras de Circe] (No bolso traseiro direito)



{Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho - Página 3 WoKzvtP
Lyanna MacMahon
Lyanna MacMahon
Feiticeiros de Circe

Mensagens :
21

Localização :
New Orleans, French Quarter

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Christopher Mason em Sex 12 Jul 2019, 19:54


radioactive
in the dark
Christopher conferiu uma última vez se a dríade tinha, de fato, obedecido suas ordens, sorrindo com satisfação ao vê-la se afastando com o rapaz antes que prejudicassem o jogo de seu grupo. Ele prosseguiu calmamente com a filha de Selene, disposto a defender o estandarte vermelho a qualquer custo e torcendo para que os alfas no avanço roubassem a bandeira inimiga o quanto antes.

Tudo parecia seguir de acordo com o planejado, entretanto, o filho de Ares sentiu um calafrio percorrer toda sua espinha, o alertando para um ataque inesperado. Sua reação foi instântanea e, por não saber de onde viria, agachou-se a tempo de escapar da trajetória de um chakram extremamente afiado. A lâmina atingiu e se prendeu ao tronco atrás dele e, então, seu oponente se revelou a alguns metros de distância, em cima de um galho grosso de um pinheiro.

— Mason... eu sempre pensei como seria enfrentar um de vocês — O garoto tirou o capuz do rosto, revelando sua etnia coreana em meio a mechas de cabelos loiros e olhos castanhos. Poderia facilmente ser confundindo com um dos filhos de Zeus, mas o par de tênis-alado em seus pés eram inconfundíveis. — Os tanques do chalé cinco.

Mason dedicou os primeiros segundos para analisar o ladino, dando pouca atenção para o que o loiro tinha dito e, então, voltou o olhar para sua companheira de grupo, movendo a cabeça para que ela seguisse em frente sem preocupação. Seu oponente estendeu a mão e o chakram fincado na árvore atrás do guerreiro se moveu sozinho, retornando ao dono sem nem mesmo ferí-lo. O herói levantou a máscara acoplada ao elmo, revelando o próprio rosto recém-cicatrizado e os olhos azuis penetrantes junto de um sorriso egocêntrico.

— Você tem coragem, Wheeler, mas não se vence jogos com coragem. Esse jogo é meu.

Christopher fincou Balerion no chão ao abandonar a arma enquanto estendia a outra no ar, fechando os olhos e usando sua herança genética para convocar um de seus vários truques. Um abutre de grande porte apareceu repentinamente, sendo um dos animais do deus da guerra, com suas penas variando entre as cores preta e vermelha. Não foi preciso ordens, pois a ave logo partiu em um rasante para cima do inimigo azul, usando as garras afiadas contra suas costas e o bico para puxar seu cabelo.

O coreano, ao se desvencilhar dos ataques, saltou do galho perfeitamente como um acrobata. O grande detalhe foi que, assim que tocou o chão, seus passos tornaram-se cada vez mais rápidos em movimentos serpentinos e seu contra-ataque imprevisível. Já o tatuado manteve-se parado, não por não saber o que fazer, mas na tentativa de olhar detalhadamente a couraça que cobria o peito de seu inimigo, o analisando para descobrir falhas. Curiosamente, ele viu que a perna direita do filho de Hermes estava enfaixada com gaze coberta de sangue, um ponto fraco que poderia ser usado.

— Olhos abertos! — Gritou Wheeler ao desferir um ataque, revelando na mão uma adaga outrora invisível. Era um maldito cheio de truques.

Contudo, o moreno também tinha lá seus segredos, um deles a ótima memória combativa, já que treinava lutas desde pequeno. Não apenas Quíron e os antigos monitores tinham lhe ensinado os melhores golpes, ele mesmo adquiriu a capacidade de aprendê-los sozinho. Christopher jogou o corpo para o lado contrário para fugir da trajetória da lâmina e agarrou o braço do outro campista, segurando seu pulso para impedir uma segunda investida surpresa. Em seguida, ele acertou um soco concentrado na perna ferida do loiro, visando atordoá-lo e deixar seus movimentos cada vez mais fracos.

Era como arrancar as asas de um pássaro.

Wheeler logo sentiu a dor, cambaleando para trás e dando espaço para o próximo ataque do filho da guerra que, sem demora, tomou posse do machado novamente e atingiu a lâmina superficialmente no ombro do coreano. O corte não foi fundo, mas o suficiente para assustá-lo e impedi-lo de ver o que viria depois: um chute contra o peito, derrubando-o no chão. Christopher imediatamente jogou o peso do corpo sobre o do inimigo, forçando o cabo de Balerion contra o pescoço do loiro e, com a mão livre, agarrando a própria adaga na cintura e encaixando a lâmina dentro da boca do outro.

— Seus irmãos demorariam quanto tempo pra notar sua ausência? — Questionou o herdeiro da guerra com um sorriso perverso estampado no rosto. Então, ele tocou o rosto do ladino, transmitindo para ele a sensação de pânico e o impedindo de se mover.

Mason, obviamente, não faria nada que machucasse o oponente de forma grave, sabia das regras do jogo e, apesar de ser quem era, nunca tinha tirado a vida de alguém. Mas era como uma força maior que a dele, o meio-sangue enxergava a adaga entre os dentes de Wheeler e imaginava como seria perfurar sua garganta, imaginava o sangue carmesim se acumulando em meio a cuspes de desespero.

— Não... — Murmurou consigo mesmo, desferindo um soco forte contra o rosto do coreano a fim de tirá-lo de circulação por alguns minutos.

Com o inimigo inconsciente, Christopher tomou posse das armas novamente e se afastou em direção a bandeira vermelha.

Ativos:
◊ Abutre [Nível 02]
A prole de Ares invoca um grande abutre, que o auxiliará por três turnos no duelo (ou menos, caso seja morto ou dispenado). Essa ave é um dos símbolos de Ares, e, por isso a ligação. Seu status é de 50/50 e não possui nenhum dom especial. Apenas uma invocação pode ficar ativa por vez. O pássaro pode ser invocado apenas uma vez por combate, abandonando a luta ao término da duração. [Modificado]

◊ Covardia enregelante [Nível 12]
Alguns se provam em combate, enquanto outros demonstram suas fraquezas, não sabendo como reagir diante da luta. Esse poder instila tal sentimento no alvo tocado que, tomado por seus temores, é paralisado por 1 turno, a menos que seja atacado em seguida, quebrando-se assim o efeito. Essa habilidade pode ser usada duas vezes por missão, sendo que não poderá ser usada duas vezes consecutivas no mesmo alvo. Caso o oponente seja resistente a poderes referentes ao medo ou paralisia, esse poder fará com que eles apenas tenham as ações reduzidas em 50% de efetividade durante o próximo turno, reduzindo sua movimentação na mesma medida, mas não será nulo.[Modificado, antigo "Olhos do pânico"]
Passivos:
◊ Aparência Intimidante [Nível 03]
O corpo dos filhos de Ares é bastante chamativo, mesmo que o semideus não seja necessariamente musculoso ou estereotipado, o sangue de um verdadeiro guerreiro corre em suas veias. Isso, aliado ao seu comportamento sério e a determinação em combate faz com que ele se torne mais intimidador aos olhos das pessoas ao redor. Ações de intimidação passam a receber uma bonificação de 20% nas chances de sucesso quando os alvos puderem vê-lo.[Modificado]

◊ Guerreiro atento [Nível 09]
Filhos de Ares possuem experiência elevada em lutas, conseguindo com isso perceber brechas nos golpes e intuindo a movimentação do inimigo. Isso faz com que as defesas dos oponentes não sejam tão efetivas, reduzindo a esquiva dos adversários em 10%. Afeta apenas um adversário por vez e que esteja em combate corporal contra o filho de Ares, independente de quantos estejam lutando contra o semideus. O alvo deve ser definido no primeiro turno de combate, e só pode ser alterado caso morra ou deixe de lutar contra o semideus de alguma forma. Apesar de ser uma passiva, a delimitação do número de alvos se deve pela necessidade de concentração em luta - fator reduzido contra uma quantidade grande de alvos. Contudo, aumenta com a experiência, afetando 1 alvo a mais no nível 30, + 1 adicional a cada 20 níveis posteriores ao 30, representando a experiência do semideus.[Novo]

◊ Estado de alerta [Nível 21]
Quando os filhos de Ares estão correndo algum risco de serem atacados ou mortos de surpresa, eles têm uma premonição, um sentimento de perigo. Este sentimento os alerta para que fiquem em guarda, e apenas se eles forem o alvo original e intencional - um acidente ou desvio não seria alertado, como uma bala perdida, por exemplo, por não fazer deles o foco (da mesma forma, algo que afete uma área não seria notado) - e não revela a localização do inimigo ou o tipo de ataque. Não funciona se estiver dormindo ou inconsciente de alguma forma. Abrange apenas os efeitos em um raio de 50m. [Modificado, antigo "Percepção instintiva"]

◊ Memória de Golpes [Nível 23]
Pela habilidade anormal de Ares guerrear, seus filhos conseguem copiar a movimentação de um golpe de seu oponente atual, desde que o mesmo seja puramente físico e não seja fruto de um poder. Com isso, as proles de Ares saberão se defender caso o inimigo use o mesmo golpe mais uma vez, e saberão efetua-lo em outras ocasiões. Quando um oponente tenta repetir a mesma manobra em um mesmo combate contra o semideus, a defesa da prole de Ares é ampliada em 50% (note que é específico - se no primeiro turno o oponente usa um golpe ascendente com a espada, só valeria para o mesmo tipo de golpe, e não necessariamente para qualquer ataque com a espada - dessa forma, a análise da descrição do golpe é importante para determinar a coerência e validade do poder. A última palavra será do avaliador). [Modificado]
Armas:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação] (Bainha na cintura)

{Balerion} / Machado Duplo [Machado feito com duas lâminas posicionadas na extremidade de uma haste longa. É uma arma de difícil manuseio, mas extremamente destrutiva. Requer ambas as mãos para usar, e grande força, o que faz com que seja preferida por aqueles que preferem ataques diretos e força bruta.] {Madeira e bronze sagrado} (Nível mínimo: 3 para filhos de Ares, Héracles, Hefesto e Centauros; 5 para os demais) {Não controla nenhum elemento} (Mão esquerda)

✞ {Panic's Mask} / Máscara [Um elmo de ferro estígio, com um desenho de caveira nele. A mandíbula fica na parte em que é possível levantar para mostrar o rosto,parecendo que a caveira está rindo. Porém, conectada a essa parte está uma máscara aterrorizante feita de magnésio sagrado, na mesma tonalidade do elmo. Quando o usuário desejar, o elmo emite pânico no oponente por duas rodadas, mas depende de seu nível (semideus) ou força (monstro). A máscara possui função telescópica, devido a uma lente que fica no olho esquerdo da mesma, permitindo seu usuário ver objetos distantes, e inimigos a longa distância. A lente alcança até quatrocentos metros.] {Magnésio Sagrado} (17) {Não controla nenhum elemento} [Forjado por Harry S. Sieghart (Máscara)/ Presente(Elmo); comprado de Aleksander Frey e atualizado por Phobos] (Rosto)

{Dust} / Pingente [Pingente de prata com formato em espiral que uma vez por missão cria uma ventania em volta do semideus forte o suficiente para aparar ataques físicos a distância. Dura dois turnos. Ataques mágicos ainda funcionam.] {Prata. Vento.} (Nível Mínimo: 30) [Recebimento: Breeze, avaliado por Maisie De Noire e atualizado por Zeus] (Pescoço)

Armadura de couro [A mais leve, feita de couro reforçado, não interfere em poderes que dependem de agilidade, equilíbrio ou furtividade, porém tem eficácia reduzida se comparada às outras. Melhor contra ataques de impacto do que de corte. Acompanha luvas de couro do mesmo tipo, mas não elmo.] {Couro e tecido} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} (Peitoral e abdome)
Christopher Mason
Christopher Mason
Filhos de AresAcampamento Meio-Sangue

Mensagens :
1526

Localização :
Chalé Cinco

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Eos em Sab 13 Jul 2019, 22:11




CAÇA A BANDEIRA — GRUPO VERMELHO


 O ataque estava eficiente na conquista à bandeira. Quando haviam derrotado a defesa e se aproximavam da bandeira, foram alertados por um grito desesperador seguido pelo som do berrante de Quíron.

DIRETRIZES GERAIS


— Último turno.

— Os que estão em ataque: Após reagirem à introdução, um semideus do time vermelho correrá até vocês e avisará que o acampamento está sob ataque. Vocês devem seguí-lo até o riacho, onde enfrentarão o oponente indicado abaixo.

— Os que estão em Meio-campo: Vocês serão telespectadores do ataque. Aproximem-se do riacho, onde enfrentarão o oponente indicado abaixo.

— Aos que estão em defesa: Após reagirem à introdução, um semideus do seu time correrá até vocês e avisará que o acampamento está sob ataque. Vocês devem seguí-lo até o riacho, onde enfrentarão o oponente indicado abaixo.

— Conforme finalizarem o oponente, Vocês irão ao encontro de Quíron, que está derrotando a Equídna. É de vossa escolha a derrota do seu oponente, já que Quíron, ao matar o monstro, fará com que os outros desapareçam também.

— Quíron dirá para todos se encaminharem para seus chalés, refeitório ou enfermaria, mas que ninguém deve abandonar o Acampamento se não quiser sofrer punições cabíveis.

— Portanto, sim, vocês estarão presos no acampamento até segunda ordem. Novas diretrizes serão encaminhadas ao fim do prazo deste post.

Oponente


— O oponente a ser enfrentado deverá ser um monstro que possui metade do nível de vocês. Fica a critério de vocês quem será o escolhido.

— Caso estejam em dupla, trio, quarteto ou boyband, o monstro terá a metade da soma do nível de vocês.

Informações adicionais


— Evento: Caça a bandeira

— Condições climáticas: Primavera, 23º.

— Local: Acampamento Meio-Sangue.

— Data e hora: 4 de julho, 12:00

Regras gerais


— Não utilize cores cegantes e/ou templates com menos de 500px de largura.

USO DE ITENS COMPRADOS OU RECUPERAÇÕES EFETUADAS APÓS 01 DE JULHO, 22:22 SERÃO INVALIDADOS.

— Poderes (com nível, separados por ativo e passivo) e armas em spoiler no final do texto.

— Prazo de postagem até 23h59, segundo o horário de Brasília, do dia 17/07/2019

— Mapa utilizado aqui

— Qualquer dúvida, consulte seu narrador.

— Aos players que não postaram no primeiro turno: Sua justificativa deve ser enviada por MP em até 24 horas ao seu narrador para que não sofra as punições cabíveis.

— Boa sorte.

STATUS



Bianca H. Somerhalder —Nível 44
HP: 530/530
MP: 472/530

Ayla Lennox— Nível 33
HP: 410/420
MP: 362/420 [-48]

Peter Lost — Nível 33
HP: 410/420
MP: 358/420

Lavinia S. Larousse — Nível 30
HP: 390/390
MP: 333/390 [-30]

Lilith Doutzen — Nível 30
HP: 390/390
MP: 327/390 [-3]

Heron Devereaux — Nível 18
HP: 270/270
MP: 249/270

Murtagh S. Leclerc — Nível 6
HP: 125/150
MP: 116/150


JUSTIFICADA A NÃO POSTAGEM

Christopher Mason — Nível 34
HP: 430/430
MP: 430/430

Vitor S. Magnus — Nível  34
HP: 430/430
MP: 430/430

Lyanna MacMahon — Nível 4
HP: 110/130
MP: 90/130

Rhydian Schwab — Nível 1
HP: 100/100
MP: 100/100


É DE VOSSA RESPONSABILIDADE POSTAR O PRÓXIMO TURNO CUMPRINDO TODAS AS DIRETRIZES DO TURNO PERDIDO.

PASSÍVEIS DE PUNIÇÃO POR ABANDONO


Aurora R. Bailey — Nível 30
HP: 390/390
MP: 372/390

Zoë Ophelia Greengrass — Nível 2
HP: 110/110
MP: 110/110


PUNIDOS POR ABANDONO


August Budreau — Nível 2
HP: 55/110
MP: 55/110

Leonard Crawford — Nível 3
HP: 60/120
MP: 60/120

Anthony Marxen — Nível 1
HP: 50/100
MP: 50/100



Eos
Eos
DeusesPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
147

Localização :
Highway To Twilight

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Christopher Mason em Seg 15 Jul 2019, 08:39


radioactive
in the dark
O filho de Ares estava eufórico, sentado sobre a raiz de uma árvore a alguns metros da bandeira, pouco preocupado que o grupo azul chegasse até ali. Sua perna esquerda movia-se incontrolavelmente, a mão apertava o cabo do machado, a todo segundo desejando mais ação e, em seu rosto, havia um sorriso visivelmente estampado. Desde adolescente o rapaz vinha demonstrando sinais claros de um ego inabalável e, depois daquele jogo, tornou-se ainda pior. Ele usava a função telescópica do elmo para enxergar cinquenta metros a frente e ver, de camarote, as inúteis tentativas do time oponente em ultrapassar a formação de grupos pensada por ele.

— Desistam... — Mumurou enquanto enfiava um chiclete de menta na boca.

Até que sua atenção foi tomada por uma fraca movimentação detrás de uma árvore. Era Wheeler, o filho de Hermes com quem tinha lutado, ele mancava devido ao ferimento na perna, tinha sangue fresco cobrindo a boca e usava os troncos como apoio para andar. Christopher gargalhou, o que ele mais gostava na vitória era ver a luta de um inimigo já abatido, indo na direção do outro.

— Não, não seja idiota — Disse ao se aproximar do campista, erguendo parte do machado contra o peito do mesmo e obstruindo seu caminho. O tatuado notou que o garoto, a todo momento, evitava encará-lo e tentava alcançar a bandeira vermelha não muito longe dali. — Ok, eu vou te dar só uma chance.

Sem escrúpulos, Mason manteve-se ao lado do ladino, encarando seu esforço como uma comédia a ser assistida. Era, talvez, quem mais representava o deus da guerra dentro do acampamento, ao menos ele gostava de pensar ser igual ao pai. Assim que Wheeler se aproximou o bastante do estandarte, o moreno usou um lado da lâmina para puxar a perna ferida do mesmo e forçá-lo a cair, não uma mas repetidas vezes até que o visse despencar no chão.

— Mas que merda de jogo! — Gargalhou o guerreiro.

Dando fim a alegria doentia dele, o chão tremeu por alguns segundos, fazendo até mesmo o estandarte se mover. Não tinha sido nada tão fora do comum a ponto de alertar os campistas, entretanto, o que veio a seguir foi: um grito de desespero, abafado pelos inúmeros quilômetros de floresta, mas ainda assim escutado. O terceiro sinal foi claro, Quíron tocou seu berrante de onde estava, dando início a uma correria desenfreada de todos os participantes do caça. Um dos membros do grupo vermelho passou por ele, o alertando para uma invasão surpresa.

— Estamos sendo atacados! Vamos ao riacho!

Christopher, outrora ocupado em sua brincadeira de gato e rato, segurou Balerion com força e não poupou tempo em seguir o fluxo de semideuses. A distância era grande, mas não o suficiente para cansá-lo, já que tinha a postura e organismo de um atleta em boa forma. Como esperado, o local estava repleto de campistas e, por mais improvável que fosse, monstros, batalhando entre si com verocidade. A primeira coisa que tentou fazer foi olhar em busca de uma luta acessível, mas antes mesmo de ter a chance, sentiu algo sobre os pés. Era uma serpente se rastejando e, logo em seguida, outra fez o mesmo até que várias estivessem se movendo ao redor, algumas até mesmo saindo do riacho.

Ele recuava em meio a chutes e golpes de machado contra a cabeça das cobras, até que sentiu o pescoço arrepiar como um calafrio repentino. Era fácil reconhecer aquela sensação de perigo, forçando-o a virar o corpo antes que fosse atingido por um ataque surpresa. Foi o que aconteceu: uma cauda longa e reptiliana veio em sua direção e só não o acertou pois o filho de Ares agachou-se rapidamente devido ao reflexo apurado.

— Sem chances... — Disse consigo mesmo ao ver a fera descomunal que o atacou.

Era uma serpente medindo seis metros de altura com um corpo espesso e longo, olhos cavernosos com órbitas amarelas e pequenos chifres no topo da cabeça. O monstro abriu a boca de forma descomunal e Christopher logo reconheceu que seria alvo de mais uma ofensiva, principalmente após ver as labaredas se formando na garganta da criatura. Ele não tinha escudo, tampouco algo que pudesse usar para obstruir o ataque, então pensou na solução com maiores chances. Ao invés de gastar tempo e energia se desvencilhando de forma arriscada, concentrou-se em convocar para o campo dois Ornithes Areioi, pássaros leais ao deus da guerra e, consequentemente, aos herdeiros.

— Formem uma barreira! — Ordenou, apenas o tempo para que as aves fizessem um rasante rápido ao se enfiarem na frente do semideus, com as asas abertas.

Enquanto o cuspe de fogo se aproximava cada vez mais, ele apenas manteve-se agachado e com o rosto virado, torcendo para que a defesa improvisada desse certo ou, ao menos, que não fosse totalmente queimado. O calor nas costas foi inevitável, mas também graças a couraça que vestia, não chegou a arder a pele, apenas passou a suar como se tivesse terminado uma maratona. Ao se virar, viu que um dos pássaros tinha sido totalmente carbonizado e o outro estava caído no chão, parcialmente ferido. Teria de lutar com o que tinha disponível.

Mason tampou o rosto com a máscara do elmo e o tocou na lateral, desejando que o mesmo instaurasse uma aura de pânico ao redor para impedir que fosse atacado novamente, ao menos por algum tempo. O basilisco sibilou de forma ameaçadora, mas não investiu em outra ofensiva, optando por se rastejar pelo ambiente. O campista o seguiu com o olhar e viu que suas escamas, ao tocarem em qualquer tipo de lugar e material, os desintegravam lentamente. Se quisesse sair inteiro, soube que não poderia realizar ataques diretos, um grande desafio.

— Ao meu sinal, ataque o basilisco e tente cegá-lo. — Deu uma segunda ordem ao pássaro sobrevivente, torcendo para que o mesmo tivesse forças para uma última ação. Já ele verificou se a lâmina dupla de Balerion estava afiada o bastante e se o material conseguiria resistir ao toque desintegrador da fera. O moreno viu também, que perto de onde a cobra se rastejava, havia uma rocha formando um sobressalto de quase dois metros. — Agora!

A ave, mesmo ferida, juntou as forças em um esforço para sobrevoar o basilisco, acertando na serpente inúmeras penas de bronze e ferindo seu rosto com as garras e bicadas. Chris não poupou tempo, pois seu plano não era de fato cegar a criatura, mas distraí-la para um ataque enquanto corria com o machado em mãos e usava a rocha como impulso para um pulo. No salto, empunhou a arma com toda a força que tinha, desferindo um golpe frontal e profundo próximo à cabeça da serpente. Um lado de Balerion, perfurando a carne da criatura, transformava-se lentamente em pó. O basilisco, enfurecido, abocanhou o pássaro leal ao filho de Ares e o desintegrou enquanto usou a cauda para lançar o meio-sangue para longe.

O impacto no chão foi forte, causando inúmeros ferimentos pelo rosto, braços e pernas, mas o pior deles foi na coxa esquerda por ter tido contato direto com a pele escamosa do monstro. A calça jeans se desmanchou com rapidez e logo o toque ácido alcançou a pele do rapaz, o deixando em um estado atordoante de dor. Durante a queda, o machado e elmo rolaram pelo chão, o deixando apenas com a couraça e uma adaga de bronze. Ferido, ele teve pouco tempo para se rastejar até um tronco de árvore caído e se encostar enquanto olhava a fera se rastejando até ele, já com a visão enturvecendo.

— Ah... bela merda — Murmurou enquanto colocava um cigarro entre os lábios e o acendia, queria sentir a nicotina uma última vez, se fosse realmente sua hora.

Mas como todo herdeiro do deus da guerra, ele não morreria desarmado. A serpente logo o alcançou e abriu a boca, deixando as presas a mostra, mas Christopher Mason não tinha medo. Seu olhar encontrou os inúmeros campistas que travavam as próprias batalhas, alguns membros do grupo vermelho, outros do azul, mas todos se esforçando como ele. Ele riu de forma abafada, sabia que era um completo doente com a maioria deles, mas faria algo por todos. Sentiu a adrenalina percorrer o corpo, as veias saltarem, o rosto queimar de raiva e gritou, gritou como um verdadeiro guerreiro, tão alto que poderia ser ouvido por todos ao redor, enfurecido.

Então, o basilisco atacou outra vez. Ele estava pronto para os portões do Hades mas, em questão de segundos, tudo mudou, a criatura recuou um tanto quanto atordoada. Sua cauda transformou-se em pó, até que todo seu corpo o fizesse também, acumulando-se no chão próximo ao riacho. O herdeiro da guerra abriu um sorriso e pegou o cigarro caído no peito novamente, sabendo que sobreviveria mais uma vez. Logo, Quíron se aproximou extremamente preocupado, alertando para que todos os feridos fossem para a enfermaria. Christopher tentou se erguer sozinho, mas qualquer esforço pioraria seu estado, a sorte foi que no meio de todo o pós-tumulto, dois de seus irmãos o reconheceram e o carregaram com urgência até a enfermaria.

— Não saiam da fronteira de forma alguma, é uma ordem! — A voz do centauro ecoou por todo o riacho.

Ativos:
◊ Grito de Guerra [Nível 05]
Ao gritar em incentivo, os filhos de Ares transmitem autoconfiança, que com certeza é um fator importante e decisivo em uma batalha. Essa habilidade faz com que toda a equipe fique mais focada no objetivo, aumentando sua concentração e seu empenho, fazendo com que todos tenham um aumento nos atributos gerais em 10% por três rodadas. Os alvos precisam ser capaz de ouvir o grito e estar a até 25m de distância do semideus. Uma vez por cada combate.[Modificado]

◊ Ornithes Areioi [Nível 19]
Como o nome sugere, os pássaros de Ares eram um bando de pássaros que lançavam penas em forma de dardos, que guardaram o templo das Amazonas do deus em uma ilha costeira no Mar Negro. Uma vez por missão, o(a) semideus(a) poderá invocar 2 desses pássaros para ajudar em batalha. As aves funcionarão como se fossem pets, sendo responsabilidade do semideus narrar seus movimentos. Elas lutarão junto do semideus até serem derrotadas ou por até 5 turnos. Esse poder pode ser usado uma vez por missão. Não pode ser usado junto com outros poderes de invocação. Para fins de status, considerar as aves de estinfália de NP 10. [Modificado]
Passivos:
◊ Aparência Intimidante [Nível 03]
O corpo dos filhos de Ares é bastante chamativo, mesmo que o semideus não seja necessariamente musculoso ou estereotipado, o sangue de um verdadeiro guerreiro corre em suas veias. Isso, aliado ao seu comportamento sério e a determinação em combate faz com que ele se torne mais intimidador aos olhos das pessoas ao redor. Ações de intimidação passam a receber uma bonificação de 20% nas chances de sucesso quando os alvos puderem vê-lo.[Modificado]

◊ Marcha forçada [Nível 08]
Filhos de Ares se acostumaram com o desgaste físico e o treino árduo. Isso faz com que ações físicas comuns, que não envolvam poderes, como correr, escalar e etc, representem um gasto menor de energia para eles. Ao se considerar tais atividades, desde que em condições normais e sem influências mágicas/ divinas/ etc, seu cansaço sempre será 50% menor do que o de um semideus de outra origem. [Novo]

◊ Guerreiro atento [Nível 09]
Filhos de Ares possuem experiência elevada em lutas, conseguindo com isso perceber brechas nos golpes e intuindo a movimentação do inimigo. Isso faz com que as defesas dos oponentes não sejam tão efetivas, reduzindo a esquiva dos adversários em 10%. Afeta apenas um adversário por vez e que esteja em combate corporal contra o filho de Ares, independente de quantos estejam lutando contra o semideus. O alvo deve ser definido no primeiro turno de combate, e só pode ser alterado caso morra ou deixe de lutar contra o semideus de alguma forma. Apesar de ser uma passiva, a delimitação do número de alvos se deve pela necessidade de concentração em luta - fator reduzido contra uma quantidade grande de alvos. Contudo, aumenta com a experiência, afetando 1 alvo a mais no nível 30, + 1 adicional a cada 20 níveis posteriores ao 30, representando a experiência do semideus.[Novo]

◊ Resistência Aprimorada [nível 18]
Os filhos de Ares são acostumados a treinar faça chuva ou faça sol, consequentemente aumentando sua resistência corpórea contra modificações climáticas. Caso o semideus se encontre em uma situação climática de frio, calor ou umidade fora do normal, ele terá os efeitos danosos reduzidos, como insolação, hipotermia, etc. Ele ainda sofre tais sintomas e condições, mas demora 5x mais se comparado a um humano comum ou outro semideus sem tais habilidades. Válido apenas para ambiente naturais, mas não afeta golpes elementais e similares. [Modificado, antigo "Resistência aprimorada & pele calejada", agora separados em dois efeitos.]

◊ Adrenalina [Nível 19]
Mesmo que tente contrariar sua natureza, até o mais calmo filho de Ares sente-se mais vivo em uma batalha - eles não necessariamente se comprazem com seus atos, mas a guerra de um modo ou de outro instila energia em suas veias. Durante um combate, após receber o primeiro ferimento (contanto que não seja intencional ou autoinfligido), a cada ato que o filho de Ares fizer contra seu inimigo (apenas o que provocou o ferimento), desde que o adversário tente se defender,o faz ganhar 2% de HP e MP. Por ato, considera-se a ação do turno que provoque dano no oponente intencionalmente. O valor adquirido nunca o fará ultrapassar seu limite máximo de vida e energia. Oponentes que tentem fugir, se render ou não revidar não provocam este efeito, bem como inimigos abaixo de 10 níveis - desde que em um combate individual (caso seja atacado por mais de um oponente ao mesmo tempo, mesmo que mais fracos, o poder ainda fará efeito, exceto nesse caso se a margem dos níveis somados seja menor que 10) ;uma vez que apenas um verdadeiro combate pode afetar um guerreiro. O valor aumenta para 5% no lvl 30, 7% no nível 60 até o máximo de 10% no nível 80. [Modificado, com base nos antigos "Regeneração Sanguinária" unindo os níveis I e II e "Sadismo"]

◊ Pele Calejada [Nível 20]
Os semideuses de Ares treinam frequentemente se pondo à prova de diversas maneiras, o que resulta em poderem ampliar sua capacidade física, aumentando a consistência de seus músculos e desenvolvendo seu corpo para suportar golpes. Sua pele calejada é a prova de seu trabalho duro, o que na certa, fica mais fortalecida a ataques de natureza física. Quanto mais fortes forem (níveis), sofrerão uma redução de danos 5% a cada vinte níveis a partir do ganho do poder, sendo o máximo de resistência possível a ser adquirida 20% (no nível 80), ao receberem golpes com componentes físicos.[Modificado, antigo "Resistência aprimorada & pele calejada", agora separados em dois efeitos.]

◊ Estado de alerta [Nível 21]
Quando os filhos de Ares estão correndo algum risco de serem atacados ou mortos de surpresa, eles têm uma premonição, um sentimento de perigo. Este sentimento os alerta para que fiquem em guarda, e apenas se eles forem o alvo original e intencional - um acidente ou desvio não seria alertado, como uma bala perdida, por exemplo, por não fazer deles o foco (da mesma forma, algo que afete uma área não seria notado) - e não revela a localização do inimigo ou o tipo de ataque. Não funciona se estiver dormindo ou inconsciente de alguma forma. Abrange apenas os efeitos em um raio de 50m. [Modificado, antigo "Percepção instintiva"]

◊ Habilidade com armas I [Nível 24]
Como Ares, os filhos do deus possuem grande facilidade em manusear armas, conseguindo empunhar com certa familiaridade mesmo as que não conhece. Nesse nível as proles de Ares adquirem uma perícia inicial com qualquer arma não exótica que utilize (entende-se por arma exótica aquelas classificadas no arsenal como tal, e armas personalizadas em termos de formato/ empunhadura - mas não estético - bem como armas adaptadas para criaturas específicas ou originárias de um raça ou cultura específica). Não é ativo por representar uma habilidade sempre em uso, adquirida com treinamento - ele não modifica as habilidades da arma, apenas possui conhecimento para explorá-las melhor. Além disso, em termos comparativos, a empunhadura do filho de Ares será mais baixa do que de alguém que treine com aquele tipo de arma desde níveis inferiores (considerando assim o nível em que adquirem tal habilidade) sendo sempre inicial. [Modificado, separado de "conhecimento Bélico"]

◊ Resistência a impactos [Nível 28]
Seu porte e força dificultam que você seja movido. Quando alvo de um poder de carga ou que o faça se deslocar contra a sua vontade, você só se moverá metade do deslocamento requerido, caso a fonte do poder seja de até 10 níveis acima do seu. O mesmo vale para outros efeitos impactantes que possam deslocá-lo, caso esteja ciente de sua ocorrência (uma explosão, por exemplo, que você perceba antes de ocorrer efetivamente) mas não reduz os danos provocados, independente da origem.[Novo]

◊ Aptidão Estratégica [Nível 29]
Ainda que Ares não seja um estrategista tão eficiente quanto Atena, optando por abordagens mais agressivas e perigosas, os filhos do deus da guerra poderão criar estratégias rapidamente, mesmo em meio a uma luta. Isso faz com que suas estratégias de batalha tenham uma chance adicional de dar certo de 10%, desde que coerentes (considera-se como batalha apenas o combate em si e o planejamento dentro dele, não o planejamento anterior).[Modificado]

◊ Devoção [Nível 33]
Ares sempre foi um deus respeitado por toda a Esparta, os filhos do deus da guerra também terão uma aura que faça seus inimigos mais fracos sentirem respeito por eles, de forma que terão o desejo de não atacar seu oponente momentaneamente; fazendo com que o primeiro golpes de natureza física, que a pessoa for desferir no filho de Ares tenha uma chance de erro acrescentada em 20%. Resistência a medo pode ser aplicada. {idealizado por Tony Scipriano} [Novo]
Armas:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação] (Bainha na cintura)

{Balerion} / Machado Duplo [Machado feito com duas lâminas posicionadas na extremidade de uma haste longa. É uma arma de difícil manuseio, mas extremamente destrutiva. Requer ambas as mãos para usar, e grande força, o que faz com que seja preferida por aqueles que preferem ataques diretos e força bruta.] {Madeira e bronze sagrado} (Nível mínimo: 3 para filhos de Ares, Héracles, Hefesto e Centauros; 5 para os demais) {Não controla nenhum elemento} (Mão esquerda)

✞ {Panic's Mask} / Máscara [Um elmo de ferro estígio, com um desenho de caveira nele. A mandíbula fica na parte em que é possível levantar para mostrar o rosto,parecendo que a caveira está rindo. Porém, conectada a essa parte está uma máscara aterrorizante feita de magnésio sagrado, na mesma tonalidade do elmo. Quando o usuário desejar, o elmo emite pânico no oponente por duas rodadas, mas depende de seu nível (semideus) ou força (monstro). A máscara possui função telescópica, devido a uma lente que fica no olho esquerdo da mesma, permitindo seu usuário ver objetos distantes, e inimigos a longa distância. A lente alcança até quatrocentos metros.] {Magnésio Sagrado} (17) {Não controla nenhum elemento} [Forjado por Harry S. Sieghart (Máscara)/ Presente(Elmo); comprado de Aleksander Frey e atualizado por Phobos] (Rosto)

{Dust} / Pingente [Pingente de prata com formato em espiral que uma vez por missão cria uma ventania em volta do semideus forte o suficiente para aparar ataques físicos a distância. Dura dois turnos. Ataques mágicos ainda funcionam.] {Prata. Vento.} (Nível Mínimo: 30) [Recebimento: Breeze, avaliado por Maisie De Noire e atualizado por Zeus] (Pescoço)

Armadura de couro [A mais leve, feita de couro reforçado, não interfere em poderes que dependem de agilidade, equilíbrio ou furtividade, porém tem eficácia reduzida se comparada às outras. Melhor contra ataques de impacto do que de corte. Acompanha luvas de couro do mesmo tipo, mas não elmo.] {Couro e tecido} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} (Peitoral e abdome)
Christopher Mason
Christopher Mason
Filhos de AresAcampamento Meio-Sangue

Mensagens :
1526

Localização :
Chalé Cinco

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Bianca H. Somerhalder Ontem à(s) 14:33

I FEEL SO ALIVE

Ainda irritada com a situação pela qual passara, chegou à clareira em que havia combinado de se encontrar com Peter, e apenas alguns segundos depois o semideus também despontava em meio as árvores. Parecia bem, felizmente, mas Bianca já não estava mais com o humor propício para fazer piadas sobre os problemas do percurso. Sobretudo, a única coisa que queria era ir embora do Acampamento; fora uma tola de pensar que poderia se sentir bem ali.

Contudo, como o filho de Zeus não tinha culpa alguma de sua burrice e falta de animação, sorriu e ajeitou a postura, fingindo que estava tudo bem. Ele parecia cansado, embora tranquilo, de modo que a lupina tentou pensar em alguma coisa que os animasse. Não conseguiu. E, de todo modo, não teria tempo para tal, pois passos apressados se aproximaram dos dois semideuses. Em alerta, Bianca ensaiou empunhar o Sai, mas percebeu que não era necessária a agressividade.

— Estamos sob ataque! Sigam-me até o riacho, por favor.

Confusa, Somerhalder demorou apenas mais do que dois segundos para reagir à informação que acabara de receber. Ataque? Aquilo não era possível, era? Lembrou-se de um episódio anterior em que a mesma coisa havia acontecido, e os pelos de todo o corpo se eriçaram. Precisava encontrar Ayla. Com Peter logo ao seu lado, saiu correndo atrás do semideus que lhes dera a notícia, mas acabou perdendo o amigo em meio a toda aquela confusão. Os monstros tinham invadido em peso o Acampamento.

Ao dar passos acelerados e rítmicos em direção ao riacho, os olhos de Bianca instantaneamente começaram a procurar pela lupina mais velha. Sabia que ela provavelmente estaria ali também, avisada sobre a invasão inesperada que atingira o Acampamento, e não imaginava lutar sem saber o que estava se passando com Ayla. Havia acabado de recuperar a irmã, afinal; não estava disposta a perdê-la tão cedo.

Desse modo, com o isqueiro ornamental já em sua mão esquerda, manteve os olhos atentos enquanto caminhava entre campistas desconhecidos. Estava pronta para ativar sua katana a qualquer movimentação suspeita, ansiosa para finalmente poder matar. O controle que exercera sobre suas emoções durante o caça a bandeiras já havia escapado de suas mãos, indo para algum lugar distante e inalcançável. Naquele momento, quando podia sentir o caos e o desespero despertar por todo o Acampamento, a vontade de deixar emergir sua verdadeira personalidade se tornava maior do que tudo. Em meio à destruição encontrava sua casa. Seu conforto.

Ironicamente, o Acampamento Meio-Sangue era o último lugar do mundo no qual Somerhalder imaginara encontrar conforto. Mesmo que fosse por apenas alguns minutos com término certo; no momento em que a situação fosse resolvida e tudo voltasse à monotonia de sempre, Bianca imediatamente recuperaria sua vontade de sair dali, voltar ao mundo real. Com aqueles pensamentos em mente, parou de correr para que pudesse analisar com maior cuidado as pessoas que voltavam da defesa do time vermelho.

Ayla deve estar entre eles.

Pouco deu atenção ao velho centauro, que combatia uma Equidna. Tampouco ligava se Quíron viveria ou morreria, ou se os semideuses ao seu redor conseguiriam salvar o Acampamento. Dava importância somente ao próprio divertimento e, acima de tudo, à sobrevivência dela e de algumas poucas pessoas com quem se importava.

Repentinamente, seu olhar se encontrou com outro em meio a multidão. E reconhecia a pessoa, que levantava o braço para chamar sua atenção. Com alívio, encontrou Ayla na extremidade da floresta, ansiosa para que finalmente voltassem a ficar juntas. Sem pensar por mais nenhum segundo, voltou a correr, daquela vez com um destino certo. Entretanto, antes que chegasse até a irmã, notou algo que não parecia correto: um vulto espreitava por trás de Lennox e, desconfiada do jeito que era, Bianca não considerava aquilo como um bom sinal; fosse um monstro ou um semideus, não deveria estar ali. Mas não conseguiria atacar daquela distância.

— Ayla! Atrás de você! — Gritou, torcendo para que a outra lhe escutasse. A katana já estava em mãos quando observou Ayla arremessar sua faca em direção ao suposto inimigo. Assim, ao chegar do lado da irmã e colocar a mão no ombro dela, viu o monstro que teriam de enfrentar. Era feio e repugnante, e a faca de Lennox sequer havia o atingido, uma vez que seu abdome havia se transformado numa névoa escura.

Sem esperar muito, Bianca girou a katana na mão esquerda e, logo em seguida, a segurou com ambas as palmas. Prendeu a respiração ao ouvir o aviso da irmã, observando-a enquanto ela jogava para cima uma moeda dourada. Uma fumaça esverdeada subiu pelo ambiente e, embora Somerhalder não soubesse de fato seus efeitos, imaginou que não queria descobrir.

Levantou a espada oriental sem muito esforço e, correndo uma pequena distância em direção ao seu oponente, abaixou-se com a intenção de dar uma rasteira nele. Quando o fez, levantou Lunar Shard para atingi-lo, desferindo um golpe em seu braço direito. Enquanto isso, pôde perceber que Ayla recuperava sua faca, anteriormente cravada no tronco da árvore. No momento em que Bianca se levantou, então, a lupina mais velha já estava projetando no ar dois golpes luminosos, que machucariam o monstro mais do que suas armas comuns.

Somerhalder sorriu; iriam ganhar facilmente. Entretanto, por causa dos ferimentos que Lennox infligiu ao inimigo, este ficou mais irritado, virando-se e atacando a garota com mais agressividade. Por causa disso, a feiticeira levantou a espada e gritou para a irmã se abaixar rapidamente.

— Cortem-lhe a cabeça!

E, no segundo seguinte, desferiu um golpe limpo e preciso na altura do pescoço do monstro, visando cortá-lo totalmente do resto do tronco. A cabeça, desse modo, caiu no chão com um baque seco, indicando a vitória das duas filhas de Selene. Com a respiração ainda acelerada, Bianca encarou Ayla com seriedade. Não sabia o que estava acontecendo, ou por qual motivo monstros haviam atacado o Acampamento, mas precisavam sair. A diversão não era tanta quanto a lupina imaginava e, sobretudo, aquilo não poderia resultar em nada bom.

— Não saiam da fronteira de forma alguma, é uma ordem! — Gritou o velho centauro, no momento em que todos os monstros ao redor viraram pó, e trouxe à tona os piores pesadelos de Bianca.

Estava presa. E nada de bom acontecia quando lhe forçavam a fazer coisas que não queria.

pormenores:
armas:
Δ {Olho do Corvo} / Cajado [Feito em madeira-ferro reforçada com ouro negro, contém em seu topo um ônix, sua gema mágica, circulada por adornos de metal na forma de asas. O cajado é leve e resistente à magia, podendo ser utilizado como canalizador para realizar qualquer magia que dependa de mira, que seja lançada pelas mãos do semideus ou que necessite de um objeto sobre o qual fazer efeito. Transforma-se em um anel no nível 20] (Nível Mínimo: 1) {Magia} [Recebimento pelo ingresso no grupo Feiticeiras de Circe] [como anel, no dedo anelar direito]

Δ {Caldeirão de bruxa} / Cantil [Cantil mágico, pode produzir um tipo de líquido mágico com certas propriedades, a escolha da Feiticeira, de acordo com a lista. Pode ser utilizado apenas 1 vez por evento, criando uma única dose do líquido escolhido. Não é possível armazenar o líquido que, se tirado do objeto, transforma-se em água comum.] (Nível Mínimo: 1) {Magia} [Recebimento pelo ingresso no grupo Feiticeiras de Circe] [bolso traseiro direito da calça]

Δ {Nightstar} / Sai [Maior do que o Main-gauche e com 3 pontos, sendo a central maior. Do tamanho de um punhal, sem guarda para a mão e geralmente usado em pares. Não tem corte ou gumes laterais, mas a ponta é perfurante e seu desenho acaba provocando danos graves nos oponentes, se bem utilizados. Por ser uma arma incomum, requer maior treinamento para o uso, mas é versátil, auxiliando também na defesa e em manobras de desarme. O cabo é totalmente metálico.] {Bronze sagrado} (Nível mínimo: 3) {Não controla nenhum elemento} [embainhado na cintura]

Δ {Sunlight} / Colar [Colar, fino, de ouro com pingente de sol. Permite que, durante um turno por missão, filhos de deuses noturnos usem poderes restritos à noite.] {Ouro} (Nível mínimo: 31) {Luz} [Recebimento: Inside The Maze, avaliado e atualizado por Éolo] [pescoço]

Δ {JC} / Anel [Anel feito de ouro rosa, com a cor acobreada acentuada pela magia própria do item. Duas vezes por missão, o portador do anel pode usá-lo para provocar uma ilusão num alvo escolhido: o atingido se verá num lugar escuro onde somente ele se sobressai em meio as sombras, com uma coroa de espinhos crescendo em sua cabeça e suas roupas mudando para apenas o necessário para cobrir as partes íntimas. Então, soldados em estilo romano se aproximarão e a pessoa se verá deitada numa cruz de madeira, sendo crucificada a moda da Roma Antiga. A crucificação e a coroa de espinhos causarão dor, mas não há dano real — ou seja, não há desconto de HP e MP. A ilusão dura 2 turnos, e tem efeito atordoador; impedindo que o alvo ataque enquanto ela estiver ativa. O uso de poderes ainda é possível, mas com poucas chances de acerto uma vez que estará preso dentro de uma ilusão.] {Ouro e cobre} (Nível mínimo: 27) {Psíquico} [Recebimento: missão Her Trust, avaliada e atualizada por Phobos.] [dedo anelar esquerdo]

Δ {Luck} / Ficha de Cassino [É uma ficha de cassino comum, aparentemente. Tendo a cor vermelha e os números escritos em branco, só dá para se notar o brasão do cassino pelo toque. Sua habilidade especial é que, uma vez a cada missão e em somente uma rodada, quando ativa enquanto segura pela semideusa, ela permite que a portadora escape de somente um golpe vindo de um oponente ao teleportar-se o mínimo de distância possível para desviar-se do ataque. Caso venha mais de um golpe, o amuleto só pode ser usado em um deles, tendo que defender o outro normalmente, caso o teleporte ainda a deixe na linha de ataque - definido pelo narrador, a ficha só leva para o espaço livre próximo, mas a semideusa não define o local. Caso seja um golpe em área, aplica-se o máximo de cinco metros de raio para teleporte, se o ataque pegar mais do que a área de teleporte, os danos serão calculados normalmente. Para ativá-lo, a usuária precisa ficar rodando a ficha entre os dedos de sua mão.][Material: Plástico.] [Nível mínimo: 65] [Recebimento: Missão \"Money Lies\", avaliada por Poseidon e atualizada por ~Eos] [bolso da frente esquerdo da calça]

Δ {Lunar Shard} / Katana [Uma Katana elegante com a lâmina de prata sagrada, com uma coloração sutilmente azulada conforme o reflexo da luz. Sua lâmina é tão fina que pode perfurar a área entre duas costelas. Sua guarda de mão é de cerejeira com uma runa desenhada. Uma vez por batalha, durante dois turnos, aumenta em 10% a efetividade dos poderes relacionados à Circe. Transforma-se em isqueiro ornamental.] {Bronze Sagrado. Madeira. Magia.} (Nível Mínimo: 40) [Recebimento: Insane, avaliado e atualizado por Psiquê] [como isqueiro, no bolso da frente direito da calça]

Energético [Um pequeno e portátil tubo de ensaio cilíndrico com capacidade de 100ml contendo um líquido ciano neon. Ao ser ingerido, recupera 20 de MP. Consumido ao ser utilizado. Não aumenta a capacidade de armazenamento total do MP.] {Quantidade: 1} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Evento Off Caça Bandeira Junina] [bolso da frente esquerdo da calça]

Xarope [Um pequeno e portátil tubo de ensaio cilíndrico com capacidade de 100ml contendo um líquido carmesim brilhante. Ao ser ingerido, recupera 30 de HP. Consumido ao ser utilizado. Não aumenta a capacidade de armazenamento total do HP.] {Quantidade: 1} (Nível Mínimo: 1) [Recebimento: Evento Off Caça Bandeira Junina] [bolso da frente esquerdo da calça]
poderes:

PASSIVOS

Nível 7: Passo Etéreo
A prole de Selene / Luna consegue se mover em silêncio, como se andasse disfarçadamente. Isso não a impede de ser localizada - ela ainda pode cometer gafes e provocar sons, bem como ser detectada pelo odor ou por possuidores de outros meios, como sentidos aguçados, mas em geral lhe dá oportunidades melhores, caso o filho de Selene / Luna esteja sendo cauteloso. [filhos de selene]
Bianca H. Somerhalder
Bianca H. Somerhalder
Feiticeiros de Circe

Mensagens :
737

Localização :
Los Angeles, Califórnia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Ayla Lennox Ontem à(s) 18:16


Atalaia
Seja extremamente sutil, tão sutil que ninguém possa achar qualquer rastro. Seja extremamente misterioso, tão misterioso que ninguém possa ouvir qualquer informação. Se um general puder agir assim, então, poderá celebrar o destino do inimigo em suas próprias mãos.

[sun tzu]

Fossem as circunstâncias outras – fosse ela outra –, uma onda de alívio percorreria seu corpo assim que finalizasse o oponente. A filha de Selene, entretanto, não havia se permitido reduzir o estado de alerta por um instante sequer, afinal de contas, sabia que uma luta acabada, mesmo que dentro das regras e distante da seriedade, nunca significava o final de suas preocupações.

Aqueles desfechos costumavam ser a anunciação de algo pior.

E daquela vez não foi diferente.

O som do berrante, assim que alcançou os ouvidos da semideusa em uma única e longa nota, foi como o prelúdio de uma cena catastrófica. O instrumento de Quíron deu a Ayla a certeza de que más notícias viriam junto ao campista de seu time que corria, exasperado, em sua direção. Parou aos tropeços e pôs-se a falar antes mesmo que recuperasse o fôlego.

— Estamos sob ataque. — Disse ele, presumindo que aquelas três palavras eram toda a explicação necessária. — Riacho.

— Estão todos lá? — Questionou ela, já com alguns nomes familiares percorrendo sua mente.

O rapaz apenas acenou positivamente com a cabeça. Lennox pôs-se a correr, dando pouca ou nenhuma atenção ao restante do time ou da bandeira largada em algum ponto da floresta. Em cada passo ágil, sentia-se mais nauseada sem saber ao certo o porquê, mas tinha a impressão de que os fatos brincavam com suas memórias e faziam do tempo não uma linha, mas um peão que dava voltas e mais voltas ao redor de si mesmo.

O Acampamento estava sendo invadido mais uma vez. Ainda que não fosse – não podia ser – a única vendo um flashback de três ou quatro anos atrás ganhar vida, talvez fosse uma das poucas que não se desse o trabalho de render-se às preces naquele momento. Sabia que aos deuses pouco interessava o destino de suas crias.

Que se foda. Pensou.

Precisava sair dali. Precisava tirar Bianca dali.

Saltando por cima de raízes superficiais e troncos caídos, não demorou a alcançar o que parecia ser a última fileira de árvores que separava a mata densa do gramado que margeava o riacho. Parou sob a sombra de um pinheiro e, começou a perscrutar os arredores em busca da irmã em meio à entropia que se espalhava pelo Acampamento.

Quíron, com os cascos firmes e fundos em meio ao cascalho que dava trilha até as águas claras do Zéfiro, guiava seus movimentos enferrujados e defensivos contra a Equidna. Líderes e monitores gritavam para guiar os mais novos até pavilhões seguros ou chalés enquanto curandeiros e crias de Apolo davam o suporte necessário aos mais feridos enquanto batiam em retirada.

Finalmente, por puro impulso, empunhou a adaga que trazia consigo. Não haviam fios de saudosismo guiando seus movimentos, tampouco uma aura de pertencimento ou dever para com o Acampamento.

Aquela luta não era sua há muito tempo, mas que escolha tinha?

O rosto de Hale finalmente ganhou clareza em meio aos vultos da multidão que provavelmente estava recuando do grupo Alfa. Parecia estar bem. Ainda fazia sentido estar onde estava.

Percebeu que seus olhares se encontraram e limitou-se a erguer o braço apenas para que fosse mais fácil ver onde estava. Ao ver a mais nova correndo em sua direção, percebeu que algo parecia estar errado. Com o cenho franzido e em tom de urgência, Bianca deu apenas um único aviso:

— Ayla! Atrás de você!

Não via ou sentia nada, tampouco teria tempo para averiguar o que estava acontecendo. A palavra da irmã bastava. Girou o tronco e, aproveitando a postura e o impulso, arremessou a lâmina que segurava na direção do que quer que estivesse à sua espreita.

— Puta merda. — Praguejou em resposta a tudo que via.

De aparência esguia e pútrida, uma criatura com pele acinzentada e tufos de pelo grosso mal espalhado pela nuca e crânio fitava a garota. As presas protuberantes uniam-se a presas que saltavam de dedos longos e finos, combinando perfeitamente com um corpo curvo e esquelético. Em seu abdome, um buraco permitia que visse o cabo da arma cuja ponta repousava no tronco mais próximo. Dentro de um piscar de olhos, uma névoa escura e densa começou a preencher o local até que estivesse em perfeito estado novamente.

Lennox deu alguns passos para trás, sentindo o brilho do sol contra sua pele e então a mão de Bianca em seu ombro. O adversário avançou na direção das duas lentamente, emitindo um silvo agudo ao ser atingido pelos raios do astro.

— Seja o que for, não parece se dar bem com luz. — Falou a lupina. — Prenda a respiração, vou te dar uma brecha e atacamos juntas.

Dito isso, tirou do bolso uma moeda dourada e a lançou de maneira que pôde vê-la cair perfeitamente no chão entre os pés da criatura. Uma cortina de fumaça esverdeada de de aroma forte ergueu-se, dando às duas crias da Lua o espaço e vulnerabilidade do alvo que precisavam para agir.

Ao perceber a investida direta que Bianca faria, tomou lugar à retaguarda do oponente, aproveitando para impedir qualquer tentativa de fuga rumo à sombra, oportunamente, recuperar sua arma. O golpe da irmã havia sido um sucesso, mas enquanto a katana permanecia transpassada no membro direito, o esquerdo se erguia para atingir a garota.

Com a adaga em mãos, projetou no ar dois golpes luminosos em formato de meia-lua, que cruzaram as costas do inimigo como um grande X, fazendo com que a criatura assumisse uma curvatura grotesca em virtude da dor que a havia marcado. Em um piscar de olhos, havia se virado e encarava Ayla com as presas à mostra, pronto para um ataque certeiro.

Mais uma vez, a voz da irmã ofereceu toda a instrução que necessitava. Abaixou-se, erguendo os olhos apenas para ver uma cabeça cinzenta e sem vida ir ao chão enquanto o resto do corpo cedia à gravidade ao mesmo tempo que desfazia-se em pó.

Encontrou o olhar sério da irmã e respondeu-a apenas com uma expressão serena e um aceno que logo misturaram-se a um suspiro aliviado. Estavam vivas e, apesar de muitos pesares, ainda encontravam o caminho de volta e se entendiam nos poucos encontros que tinham.

O horizonte ganhou uma linha escura que seguia o rumo ditado pelo vento. Outros monstros nas redondezas também encontravam seu destino rumo ao Tártaro mais uma vez e, precisaram de poucos segundos para deduzir que aquele evento estava relacionado à luta de Quíron, que então permanecia de pé frente a um corpo reptiliano desfalecido e evanescente.

O centauro, logo em seguida, bradou que todos os presentes estavam proibidos de deixar o Acampamento até segunda ordem. Ayla grunhiu, cerrando os punhos dentro dos bolsos da jaqueta. Não pretendia passar um segundo além do necessário naquele lugar, mas eventos como aquele geralmente traziam segurança reforçada e reuniões severas.

— Acho que vamos ter que ficar e ouvir algumas mentiras antes de sumir de novo. Nada novo debaixo do sol. — Disse a Bianca, não muito interessada no que estava por vir. — Foi bom lutarmos no mesmo lado outra vez.

— E vencer outra vez. — A mais nova ofereceu um sorriso presunçoso.

— O quão perto estavam da bandeira? — Questionou.

— Perto o suficiente.

Hale apontou com o queixo para os outros integrantes do time que estavam um pouco mais à frente. Lennox riu. Tivessem eles a flâmula azul em mãos, poderiam sentir-se tentados a ponto de ceder e gastar o resto da noite como se fossem campistas novamente, embriagando-se em vinho em um copo que não se esvazia, tropeçando entre uma rima e outra sem muito sentido que, ao redor da fogueira, anunciava a derrota alheia. Contudo, não carregavam muita coisa além da crônica de uma vitória anunciada. Depois do anúncio do centauro, também não teriam um motivo sequer para considerar a permanência ali.

Talvez fosse melhor assim.
MÁQUINAS DE VENCER:

ado ado ado quem olha item do outro time eh arrombado:
{Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação]

♦ {Resistance} / Jaqueta [Feita externamente de couro negro batido(o que já dá à vestimenta a resistência de uma armadura de couro), aparentando ser uma jaqueta comum, Resistance oculta suas verdadeiras propriedades de proteção em batalha. Internamente revestida por mitral, fornece grande resistência à semideusa, além da leveza característica do material, de modo que o peso não a prejudica quase nada. Além disso, o item recebeu o encantamento defensivo contra fogo, tornando-se completamente imune ao elemento – não dá imunidade à usuária, apenas à jaqueta.] {Couro e mitral} (nível mínimo: 27) {Controle sobre o Fogo} [Recebimento: The Dragon's Flame - Forja de Harry S. Sieghart]

♠ {Toxic}/ Moeda [É uma antiga moeda americana feita de ouro, que quando a semideusa desejar soltará um aroma doce e enjoativo, que fará todos que estiverem a até 3 metros ao redor se sentirem cansados e doentes. Pode ser usada uma vez por missão, dura dois turnos.] {Ouro} (Nível mínimo: 30) {Nenhum elemento} [Recebimento: Missão "Ringue de Luta", avaliada por Selene e att por Asclépio.]
me garantindo no soco e nos poderes:
passivos

Nível 1: Perícia com adagas e armas laminadas pequenas
O filho de Selene / Luna se habitua mais fácil a este tipo de arma, apresentando um aprendizado mais veloz e um manejo mais natural. Apenas para adagas, facas e punhais, armas com estruturas e alcance semelhantes, exigindo técnicas parecidas. Note que a perícia apenas implica uma dificuldade menor no manejo e aprendizado, bem como certa facilidade em utilizar as técnicas conhecidas, mas não implica em conhecimento instantâneo ou precisão absoluta.

Nível 10: Fases da lua I - Lua Nova I
Esta fase Lunar representa um ótimo momento para dar inicio as coisas diferentes ou tomar atitudes. Isso faz com que não se atrapalhem tanto ao lidar com situações e coisas inesperadas: mesmo pegos de surpresa, eles conseguirão raciocinar e planejar, fazendo com que suas estratégias tenham chances melhores de acerto, mesmo que em menor nível se comparados com filhos de Atena, por exemplo. Contudo, a estratégia tem que ter sentido e ser plausível, e o semideus precisa ter meios de realizá-la - a última palavra é do narrador.

Nível 23: Gravidade alterada
Todos sabem que na lua a gravidade é mínima. Os filhos de Selene / Luna terão seu impacto reduzido, diminuindo seus danos por quedas em 50% - mas uma queda muito alta ainda pode ser potencialmente perigosa ou até fatal.

ativos

Nível 3: Lua cortante
Um movimento da arma projeta uma meia lua luminosa capaz de cortes afiados. Pode ser usado corpo a corpo ou à distância, alcançando até 10m por golpe. Cada ativação equivale a um uso. Apesar do efeito estético se manifestar como luz, é um ataque cortante e resistências ao elemento não se aplicam. Pode ser usado apenas com armas laminadas.
poderes do corno monstruoso:
passivos
(-) Semi Imortalidade: Além de ostentarem uma longevidade sobrenatural, vrykolakas não morrem como as outras criaturas. Além de morte por fogo e luz solar, as únicas maneiras de se livrar definitivamente de um vrykolakas é decapitando-o ou estacando madeira em seu coração. Se possuir HP zerado por qualquer outro método, o vrykolakas ressuscitará em até 5 turnos (com 20% do HP/ MP).

(-) Vulnerabilidades: Vrykolakas recebem o dobro de dano de golpes provindos de luz e fogo. Adicionalmente, são extremamente sensíveis à luz do dia, e em contato com ela perdem 5%  do total do HP a cada turno exposto, morrendo definitivamente se tiver o HP zerado à luz do sol. Um vrykolakas que não se alimenta frequentemente de sangue humano começa a ter a pele ressecada e a carne definhada, enfraquecendo até um ponto onde não consegue mais se movimentar, perdendo a função metabólica e ficando em coma até ser morto ou novamente alimentado. Nesse estado, ele pode ser facilmente confundido com um cadáver.

(5) Fisionomia Avançada: Vrykolakas são dotados de agilidade, força e velocidade duas vezes maior do que de mortais comuns. Além disso, possuem dentes caninos afiados e garras retráteis, que podem ser utilizadas em combate quando necessário.

ativo

(40) Transformação Nebulosa: Capacidade de transformar as células do corpo em neblina, tornando-se intangível. Nesse estado, o vrykolakas pode atravessar paredes e matéria sólida, ficando invulnerável a invasões mentais e ataques físicos. Em contrapartida, é incapaz de realizar ataques, sendo uma habilidade utilizada para fugas ou tentativas de esquiva. Dura até 3 turnos, uma vez por combate/ ocasião.

Ayla Lennox
Ayla Lennox
Filhos de SeleneAcampamento Meio-Sangue

Mensagens :
1030

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Murtagh S. Leclerc Hoje à(s) 00:58




It disturbs me so; Everybody tried to put me; Try to put me down; All messed up, hey everyone; I've already had all my fun; More troubles are gonna come; I'm an outsider; Outside of everything
Outsider






"Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível."
— Sun Tzu

Um grito esganiçado cortou a floresta, logo tendo o ribombar do som nos tímpanos do Murta acompanhados por um som grave de alerta.
“A merda da trombeta do clone paraguaio do Firenze.”
O pensamento o fez andar mais rápido por entre a grama alta, ainda que ele não tivesse muita noção de para onde deveria ir. Avançando por entre os arbustos e pulando pelas raízes, o moreno achou ter determinado o lugar de onde viera o ruído.
“O riacho!”
Xingando a si mesmo e a sua sorte, afinal ele passara a maior parte do tempo tentando chegar nesse mesmo maldito lugar, o Leclerc quase voou por entre algumas outras árvores antes de pousar na margem da porção de água.

O espaço, por onde antes apenas campistas e ninfas tinham acesso, estava sendo literalmente invadido por monstros, uma enorme horda deles. Quase em câmera lenta, o burguês assistiu enquanto os vários novos monstros que agora habitavam as margens do rio buscavam parceiros para uma luta, e acima de todos, Quíron já parecia ter achado a sua parceira. Olhando os arredores, o menino procurou imediatamente por sua irmã, ainda que ele não soubesse qual a sua reação se a encontrasse. Amaldiçoando Murphy, o filho de Zeus se sentia não só frustrado como também traído por não ter conseguido achar a gêmea ali.
“Talvez vá ser mais fácil achar-lá assim que essa balbúrdia acabar.”
Tentando se controlar para não sair correndo atrás dela, o bastardo desviou os olhos para poder focar no problema mais urgente em mãos: os monstros.

Piscando, Sal captou pelo canto dos olhos sombras que pareciam muito familiares. Se virando na direção dos guinchos que logo chegaram ao seu ouvido ele avistou as malditas aves com penas de metal, que estragaram sua noite de farra não muito tempo atrás em Nova Iorque, atacando duas garotas. Estreitando as pupilas na direção dos monstros, o rapazote torceu seus lábios em uma careta e, com uma disposição incomum para ajudar, concentrou o poder em suas mãos e evocou duas esferas elétricas, logo as lançando nas galinhas de ferro. As bolas de estática atingiram duas das aves, atraindo a atenção das mesmas. Sem esperar que elas mergulhassem em ataque, a criança do rei do Olimpo estendeu as ainda desarmadas mãos e se concentrou para tentar controlar uma pequena corrente de ar de forma a desestabilizar todo o grupo penoso.

Voltando a se equipar com o escudo e a maça, o moço viu algumas das aves se transformaram em areia sob a mira das flechas de uma das garotas. Com um sorriso no rosto, o gêmeo Leclerc levantou sua arma e avançou para a batalha ao lado da lança da outra menina. No entanto ele foi excluído da diversão quando um grito agudo soou às suas costas, fazendo com que todas as criaturas ao redor do rio explodissem em pó dourado. — Quero esse poder também. — A frase foi dita em um tom sarcástico enquanto ele girava na direção do guincho, bem a tempo de ver Quíron sair vitorioso na sua luta com a figura feminina. — Não saiam da fronteira de forma alguma, é uma ordem! — A voz ecoou na cabeça do Salem, ele não era do tipo de sentar o rabinho na grama e aceitar uma coleira em seu pescoço, ao menos não pacientemente.


Pika, pika, pikachuuu!:
Read Me:
- O oponente foi algumas Aves da Estinfália (me clique).

- Eu sei que a Noel não está mais do caça, porém é parte da trama do Murta. Não pretendo por agora usar ela como npc, entrarei em contato antes com os adms

- Ruim e curto, mas é o meu standart.
Zeuza:
Poderes Ativos:

[1] Eletrocinese Iniciante — Você controla um pouco da eletricidade ambiente. Não é letal, mas pode ser útil. Em um ataque, você pode concentrar a eletricidade na palma de sua mão, na forma de uma pequena esfera. Pode ser usada em ataques corpo a corpo ou atiradas no inimigo, a uma distância curta, de até 5 m, mas não causa impacto no oponente. 1 esfera a cada 10 níveis, até o máximo de 3.

[5] Aerocinese Iniciante — O filho de Zeus / Júpiter consegue manipular pequenas quantidades de ventos podendo influenciar objetos de pequeno porte e direcionar pequenas rajadas de ar contra o oponente, porém nada que prejudique seriamente - apenas uma pequena distração no próximo turno, o suficiente para reduzir o ataque do alvo em 20%.
Poderes Passivos:

[1] Bússola Humana — Filhos de Zeus / Júpiter sentem os campos magnéticos da Terra. Isso influencia de duas formas: eles sempre saberão o norte, e também conseguirão sentir lugares com concentração de energia, sejam correntes elétricas naturais, geradas por uma tempestade, por exemplo, ou artificiais, geradas por instrumentos humanos. O raio de alcance inicial é de 100m, aumentando 5m a cada nível.

[2] Sentidos de Rapina — Os filhos de Zeus / Júpiter têm ligação com as águias, animais reconhecidos pela acuidade visual. Sendo assim, a visão do semideus têm alcance 50% maior se comparado com um humano comum.

OfTD:
— {Half Blood} / Adaga Comum [Adaga simples feita de bronze sagrado, curta e de duplo corte. A lâmina possui 8cm de largura, afinando-se ligeiramente até o comprimento, que chega a 20cm. Não possui guarda de mão e o cabo é de madeira revestido com couro, para uma empunhadura mais confortável; acompanha bainha de couro simples.] {Madeira, couro e bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} [Recebimento: Item de Reclamação] — (No Coturno)

— {Pichu} / Maça Leve [Arma com cabo de madeira e uma extremidade maciça de metal, causa dano por impacto e esmagamento. Em tese, é uma versão sofisticada das rústicas clavas. Empunhada com apenas uma mão.] {Bronze sagrado e madeira} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} — (Na Mão Direita)

— {Magnemite} / Escudo Pequeno com Cravos [Barato e leve, este escudo permite que a mão no qual é usado ainda carregue pequenos objetos, mas não armas. A proteção é um pouco maior do que a de um broquel, mas ainda não muito efetiva.] {Bronze sagrado} (Nível mínimo: 1) {Não controla nenhum elemento} — (No Braço Esquerdo)
Aves da Estinfália:
Ativos:
— Nenhum. —
Passivos:
[0] Armas naturais afiadas — Os apêndices dessas aves são afiados. Seus bicos, garras e penas cortam como bronze sagrado com a modificação "afiado" a 25%, extremamente perigoso.






with whole lotta ppl | Listening to Green Day | At the Forest
Murtagh S. Leclerc
Murtagh S. Leclerc
Filhos de ZeusAcampamento Meio-Sangue

Mensagens :
97

Localização :
Salvando o mundo, bb

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: {Caça a Bandeira} — Grupo Vermelho

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
:: Topsites Zonkos - [Zks] ::