Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

Forja Greika’s

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Forja Greika’s

Mensagem por Dagliê Ladgone em Sab 08 Set 2012, 14:15

Quente. Negro. Limpo.
A forja Greika’s é feito de pedras negras bem encaixadas, uma porta de madeira entalhada e buracos sem vidros que eram chamadas de janelas, a única fonte de luminosidade passava por elas além do fogo na fornalha que fica no centro do aposento quadrado. Um armário com varias prateleiras, onde vários objetos estranhos de metal se encontram em exposição, estão presos na parede de trás. Armas e objetos de manuseio como espadas e martelos de forjar ficam pendurados nas paredes. Mesas e cadeiras estão na frente do aposento para visitantes e logo ao lado da fornalha há uma bigorna com um grande barril cheio de agua, esperando para esfriar algo quente. Há em uma janela longe de todo o calor onde um vaso esta apoiado com uma pequena flor vermelha que conseguiu sobreviver. Tudo ali era bem limpo e arejado tirando o cheiro forte de fumaça.
Um lugar de trabalho, mas também muito bom para passar o tempo inventando coisas.
Bem vindos á forja Greika’s

Materiais que uso:
- Madeira
- Aço
- Ferro
- Alumínio
- Bronze
- Bronze sagrado

Pedidos por favor contenham nome da arma e o tipo de material que será usado para faze-la.
Dagliê Ladgone
avatar
Filhos de Hefesto
Mensagens :
26

Localização :
Acampamento meio-sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Forja Greika’s

Mensagem por Dagliê Ladgone em Seg 10 Set 2012, 12:23


Eu pesquisei em livros sobre forjas e metais a semana inteira apenas para que eu pudesse fazer a arma que eu mais me sentia unida. Eu sabia muito bem como manusear um machado ou como usar todos os instrumentos de forjas, às vezes instintivamente, mas não era um machado a arma perfeita para mim. Eu sou forte, mas sou pequena, magra e ágil, a minha arma perfeita, e que eu já conhecia antes mesmo de chegar ao acampamento, era a adaga.

Eu comprei o material que mais me chamará atenção e estava instruída de como fazer qualquer forja simples, então o que eu faria agora era forjar. Entrei na minha loja de forjas onde eu sabia que encontraria tudo para o processo, coloquei o bronze sagrado que eu usaria em uma mesa de ferro, que ficava ao lado da fornalha. Também coloquei em cima da mesa duas formas de barro para o punho, as formas eram simples com poucos detalhes. Peguei o carvão e a lenha que eu tinha empilhado do lado de fora da forja e acendi o fogo na fornalha, sempre o alimentando esperei ele ficar forte e alto para que eu começasse o trabalho.

Comecei colocando luvas para me proteger do calor, eu era uma filha de Hefesto, mas não me sentia segura ainda de ficar brincando com ferro quente. Segurei uma pinça grande e peguei com ela o bronze sagrado o deixando no fogo até que estivesse com uma cor avermelhada. Tirei o bronze do fogo e rapidamente o levei para a bigorna onde o bati com um martelo de forja para dar o formato de uma adaga. Fiz o processo varias vezes deixando o bronze cada vez mais com o formato de uma adaga media, com o centro mais grosso, os lados finos, uma ponta e do outro lado uma parte fina e retangular onde ficaria o punho.

No fim do processo para o formato eu já estava suando como um cavalo, eu sentia que minhas roupas estavam grudadas em meu corpo e meu cabelo, preso num rabo de cavalo, grudava em meu pescoço. Agora que o bronze se parecia com uma arma e não com uma pedra eu deixei de lado as batidas brutas e comecei a modelar melhor o objeto e a afia-lo, quando senti que já estava ótimo coloquei o bronze quente dentro do barril cheio de água e uma fumaça se espalhou no recinto.

Sentei em uma cadeira confortável, coloquei uma lenha no meu colo e apoiei a adaga na lenha, pequei uma lima e comecei o verdadeiro processo de afiar a arma. Quando o fio da arma estava tão afiado que se eu a encostasse em minha pele já a furaria eu deixei a adaga descansar em cima da mesa de ferro. Peguei mais um pouco do bronze sagrado e comecei a esquenta-lo, desta vez até quase derreter, coloquei os moldes de barro mais perto do fogo e os preenchi com o bronze, logo que o bronze derreteu tirei os moldes dali deixando-o esfriar no seu tempo.

Demorou, mas com o bronze do punho já duro eu peguei o martelo e bati no molde de madeira até ele quebrar e se separar do bronze. O limpei com um pano, juntei o punho modelado á parte retangular da adaga e o prendi com três parafusos de cada lado, nos três pequenos buracos que apareciam por causa do molde. Logo que terminei a minha adaga a limpei e com cuidado passei o fio dela em minha palma tirando um pouco de sangue da mão direita. Segurei com o punho da adaga na mão direita deixando o sangue se juntar a ela. - Seu nome será Alfa, a primeira letra do alfabeto grego. – Eu não sabia por que eu fiz aquilo, mas simplesmente fiz. Olhei feliz para a minha nova arma vendo o dourado do bronze sagrado se sobressair entre todas as cores e coisas no recinto.

Foto da adaga:

Dagliê Ladgone
avatar
Filhos de Hefesto
Mensagens :
26

Localização :
Acampamento meio-sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Forja Greika’s

Mensagem por Eddard W. Dayne em Seg 10 Set 2012, 23:27

Jason andava calmo, depois de tomar um banho no chalé de Hermes, ee vai na direção das forjas dos filhos de Hefesto, pois sabia que ali poderia encontrar a menina que havia conversado na floresta.

Então ele entra em uma forja, o calor emanava pelo local, ele ver a menina que havia encontrado na floresta e sorri. Ele se aproxima e diz:


- Oi... Eu gostaria que você forjasse duas facas para mim Ele sorri e entrega um papel, com tudo o que ele queria

Arma a ser forjada:

Nome do Cliente: Jason Kahn
Nome das facas: Argentum e Aurum
Item a ser usado: Bronze Sagrado
Detalhes: Eu quero os nomes das facas na lâmina
Foto:http://img2.mlstatic.com/faca-madrid-pirata-full-tang_MLB-O-2795149981_062012.jpg
As duas deverão ser assim, sendo que a Aurum deverá ter a empunhadura da cor preta.
Eddard W. Dayne
avatar
Filhos de Hefesto
Mensagens :
323

Localização :
Nômade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Forja Greika’s

Mensagem por Dagliê Ladgone em Qui 13 Set 2012, 01:53


Estava organizando as coisas em minha forja, limpando um pouco ela e deixando a fornalha acesa. Ouvi passos ecoarem e olhei para trás encontrando os olhos de Jason. Ele sorriu e se aproximou. - Oi... Eu gostaria que você forjasse duas facas para mim. – Ele me entregou um papel e eu o li, não era um trabalho difícil, era um sistema muito parecido com a adaga que tinha feito, só que um pouco mais trabalhoso. - Sem problemas, vou começar agora mesmo. O processo é longo, mas se quiser pode esperar e observar das mesas ali na frente. – Apontei para as mesas e sorri, eu não sabia se aquela ocasião era boa para encontrar aquele garoto, eu estava suja de graxa e cinza até na orelha se duvidasse. Parei de pensar e fui me concentrar no pedido.

Indo até as estantes de trás do recinto peguei alguns moldes, meu martelo de forjar, minha pinça gigante, um tipo de agulha para detalhes, panos, meu kit de tintas, madeira o punho, luvas e o bronze sagrado. Coloquei tudo em cima da mesa de ferro ao lado da fornalha. Alimentei o fogo, prendi meu cabelo num rabo de cavalo, coloquei as luvas e me pus a trabalhar.

Com a pinça peguei um dos bronzes e o levei até o fogo, esperei o objeto ficar avermelhado e então o levei a bigorna onde bati no metal com o martelo de forja. Meu objetivo era fazer uma faca leve, media, com um gume e do outro lado mais grosso e forte o suficiente para que se Jason batesse em alguém com aquilo quebraria alguns ossos. Fiz o mesmo processo três vezes, também não esquecendo de deixar uma parte para o punhal, quando a faca já estava bem projetada a deixei no fogo apenas o suficiente para que deixasse avermelhado, voltei a leva-la á bigorna, só que desta vez eu peguei a agulha e delicadamente com uma letra bem desenhada escrevi ” Argentum”, o nome da primeira faca que estava fazendo. Após o nome terminado coloquei a faca na agua para que pudesse esfriar e deixar o nome bem a mostra.

Com isto terminado deixei a faca ainda não terminada em cima da mesa de ferro e peguei o outro bronze o colocando no fogo enquanto eu segurava a pinça. Fiz o mesmo processo que a faca anterior: esquentava no fogo, batia na bigorna, fogo, bigorna, fogo, bigorna... Quando a faca estava idêntica a outra era hora de dar nome a esta também. Com a agulha escrevi o nome ” Aurum” e esfriei o metal na água. Deixei esta faca junto da outra e peguei a madeira, sentei-me em uma cadeira próxima e com a minha própria faca eu comecei a entalhar a madeira para formar um punho bem equilibrado e com seu sugo fácil para o acesso e firme na hora de segurar.

Já com os dois lados da empunhadura das duas facas prontos voltei a me concentrar em Argentum. Peguei a faca, juntei as duas partes do punho e os apertei delicadamente com três parafusos de cada lado, quando terminado segurei a faca na horizontal com dois dedos testando seu equilíbrio, estava ótimo. Peguei a lima, sentei novamente na cadeira e comecei a afiar a o gume da faca sem afetar em seu nome escrito na lamina.

Quando Argentum estava muito afiada a limpei com um pano e a coloquei dentro de uma bainha de couro simples que eu tinha no estoque para as encomendas, não queria que Jason saísse se cortando com as facas. Voltei a mesa de ferro e peguei Aurum, fazendo o mesmo processo de prender o punho, verificar o equilíbrio e afiar a faca, mas antes que eu a colocasse em sua bainha peguei meu kit de cores e com um pincel pintei detalhadamente apenas a empunhadura da faca de preto, era um processo chato porque toda hora você tinha que tomar cuidado para não se cortar com a própria faca, além de ter que esperar a tinta secar depois.

Após muito tempo de espera coloquei a Aurum finalizada dentro de sua bainha e preparei para guarda-las em uma caixa para quando Jason viesse busca-las, mas logo percebi que o garoto estava sentado nas mesas que eu apontei anteriormente, não sabia a quanto tempo estava ali, só não esperava que fosse todo o tempo que eu trabalhei, pois provavelmente fiquei uma a duas horas ali dentro.

Caminhei até ele e lhe entreguei as duas adagas, eu contemplava o meu trabalho. - Infelizmente tenho que cobrar pelo serviço. Vai ficar 35 dracmas. – Sorri. Eu devia estar ridícula e parecendo um monstro de tão suja e suada que estava, mas estava feliz por ter completado um trabalho com êxito.

ATUALIZAÇÕES:
Atualizações à serem feitas em Dagliê Ladgone:
Primeiro post:
+ Adaga de bronze sagrado {Alfa};
- 01 unidade de bronze sagrado.

Segundo post:
+ 35 dracmas;
- 02 unidades de bronze sagrado;
- 02 unidades de madeira;
- 01 unidade de tintura.

Atualizações à serem feitas em Jason Kahn:
- 35 Dracmas;
+ Faca de bronze sagrado com o nome gravado {Argentum};
+ Faca de bronze sagrado com empunhadura preta e com o nome gravado {Aurum}.

Dagliê Ladgone
avatar
Filhos de Hefesto
Mensagens :
26

Localização :
Acampamento meio-sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Forja Greika’s

Mensagem por 075-ExStaff em Qui 13 Set 2012, 14:43



○ Atualizados ○

075-ExStaff
avatar
Indefinido
Mensagens :
304

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Forja Greika’s

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum