Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

Complexo de Escalada

Página 3 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Complexo de Escalada

Mensagem por ♦ Eos em Dom 20 Out 2013, 01:55

Relembrando a primeira mensagem :





- - - - - - - - - - - Complexo de Escalada


Aqui, fica a área de treinos de escalada para os semideuses, com paredes e equipamentos de diversos níveis.

O Nível 1 possui paredes simples, com todo o equipamento disponível: cadeira de escalada, cordas, mosquetões, freios. Um instrutor está sempre por perto. Aqui, não há armadilhas nem nada danoso - o objetivo é ensinar o básico apenas, começando a desenvolver as habilidades para os níveis seguintes. Tamanho do percurso: 15m, sem armadilhas, pedras soltas nem lava. Os 3 metros finais são ligeiramente inclinados, mas não de forma extrema.

O nível 2 começa a apresentar dificuldades. Aqui, agarras que se soltam servem de armadilha e pequenos pedregulhos podem cair sobre o escalador, atrapalhando a rota. Passa a 20m de escalada, mas a inclinação final é mais pronunciada que a anterior.

O nível 3 ainda é muito parecido com o anterior, mas filetes de lava são acrescentados à escalada, exigindo agilidade tanto de movimento quanto de análise, para decidir por onde seguir. As agarras soltas são mais frequentes, e os pedregulhos maiores, bem como a inclinação e o percurso, que passa a 25m, com fissuras para atrapalhar, impedindo uma escalada linear.

O nível 4 é um dos mais perigosos, com tremores pela parede e uma escala maior de obstáculos, tornando os perigos mais frequentes. As armadilhas também variam, já que além das comuns, já presentes nos níveis anteriores, outras coisas podem atingir o semideus, saindo de frestas nas paredes, geralmente pequenos animais ou tocos de madeira, que os golpeiam, empurrando-os, tentando derrubá-los. 35 m de percurso, com mais inclinações e fissuras no trajeto.

Opção: Escalada móvel - Paredes como nos níveis anteriores, mas sem agarras ou pontos artificiais de segurança. O escalador deve usar pontos naturais ou criar os seus com equipamentos. No caso de pardes duplas com esse recurso, o tempo é dobrado, pela necessidade de estar sempre criando um apoio, que torna o processo de escalada demorado.

Opção: Variações naturais - Algumas paredes foram elaboradas para simular condições naturais, como pedras limosas, que dificultam o equilíbrio, ou rajadas de vento e areia, que atrapalham a visão, e etc. É um pequeno dificultador que complementa os níveis anteriores, tornando-os mais difíceis. Abaixo, uma parede com variação expecífica:

* Parede de gelo: Encantada como uma superfície gelada, é recoberta de neve e gelo. Suas pedras, cobertas pelo elemento, são extremamente afiadas, e o equilíbrio é dificultado. Pedregulhos e pedras soltas ainda existem mas, em vez de lava, essa parede dispara estilhaçõs de gelo de tempos em tempos, que ferem como metal afiado, e em vez de poeira um pó brilhante circula o ambiente, podendo cegar o escalador. Exige equipamentos diferenciados, e não possui apoios artificiais, apenas saliências rochosas comuns.

Opção: Parede dupla - Cada um dos níveis anteriores também tem a sua versão dupla, onde uma parede de nível de dificuldade igual vai se aproximando aos poucos. O tempo de aproximação varia pelo nível de dificuldade, indo de 10 a 30 min.

Opção: Solo - escalada sem equipamento de segurança. Apenas os mais experientes fazem isso, já que uma queda pode ser fatal. Encontrada nas versões anteriores.

Túnel de escalada - Elipse de 15m de altura, o túnel é um percurso recurvado. O escalador sobe por dentro, devendo ir acompanhando a inclinação, chegando a ficar de cabeça para baixo no ponto mais alto. Requer mais técnica que a parede normal, e pode ser encontrado nos 4 níveis, mas sua altura não se modifica. obviamente, não existe um "túnel duplo".

Boulder - Diferente das versões anteriores, esse percurso não possui agarras, sendo apenas um amontoado de rochas grandes, em blocos, de difícil percurso. Aqui, cordas e equipamentos similares de apoio não são permitidos - exceto equipamentos de proteção, como capacete, joelheira e cotoveleira. O objetivo da escalada boulder é treinar a força, e não resistência ou agilidade, por isso não apresenta armadilhas. O solo ao redor é forrado de amofadas de queda, para amortecimento. Altura de 7,5m.

Percurso de Parkour - Estrutura que simula obstáculos comuns em cidades e fachadas normais, como prédios, casas, muretas, etc. Não é apenas uma construção - são várias, mas de altura não mais que mediana - no máximo 8m. Contudo, exige agilidade, não faz uso de cordas (mas capacetes, joelheiras e etc podems er utilizados) e em geral o tempo é cronometrado. É privilegiado a capacidade de saltar entre um obstáculo e outro, usando-os de apoio, do que a escalada em si. Bom para se familiarizar com ambientes que podem ser encontrados em cidades, auxiliando futuramente em situações externas, já que treina rapidez, raciocínio e capacidade de avaliação de distância e cálculo de movimentos.

- - - - - - - - - - - Observações


Sejam coerentes ao descrever seus obstáculos de acordo com seu nível e experiência, e lembrem-se que perícia em escalada, para quem possuiu, é apenas uma facilidade maior, mas não significa conhecimento instantâneo ou infalibilidade;

Os danos são puramente interpretativos - assim como a Arena, a escalada não rende ferimentos ou perda de HP/ MP;

A recompensa máxima não varia - independente do nível, o máximo ganho será de 100 xp (um nível). A divisão é apenas para fins interpretativos e de coerência, considerando que é mais do que natural que personagens de níveis diferentes desenvolvam atividades diferenciadas - lembrando que um novato que nunca viu tal coisa estaria praticamente cometendo suicídio ao tentar escalar uma parede de nível 4 sem o mínimo de noção da atividade;

A avaliação é feita de acordo com os critérios do fórum;

É permitido postar uma vez a cada avaliação.

O player deve especificar qual o tipo de parede e quais variações utilizadas.






SHINJI @ OPS!
♦ Eos
Administradores
Mensagens :
1421

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 078 - ExStaff em Ter 08 Abr 2014, 23:38

Avaliação
Raven M. Darkwood: Um bom texto para um novato, Raven, mas você deve lembrar-se que o foco do texto é a escalada, onde, no seu caso, se baseou num único parágrafo. Desenvolva mais sua escrita; coloque pensamentos e sentimentos da sua personagem e detalhe mais tudo (cenário, pessoas, você mesma), ok? Se quiser, dê uma olhada em posts de membros mais experientes para você ver como as coisas são.

— Coerência: 30/50
— Coesão, estrutura e fluidez: 20/25
— Objetividade e adequação à proposta: 10/15
— Ortografia e organização: 7/10

— Total: 67xp


long wilar: Mais ou menos, mais ou menos. Sem parágrafos nem uma pontuação decente, seu texto ficou sem sal e chatinho, por assim dizer. Preste mais atenção quando escrever para evitar erros bobos como "pequei" ao invés de "peguei". Além disso, sugiro que leia posts de membros mais experientes para ver como as coisas funcionam, pode ser? Mas uma coisa: seu nome está fora dos padrões do fórum, então vá ao tópico de mudança de nome para adequá-lo.

— Coerência: 20/50
— Coesão, estrutura e fluidez: 7/25
— Objetividade e adequação à proposta: 5/15
— Ortografia e organização: 3/10

— Total: 35xp
• Atualizado •

Edited by H.I.M.


078 - ExStaff
Deuses
Mensagens :
695

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por René Wallace em Dom 13 Abr 2014, 21:43


Escalada I

Hora: 10:00 AM
Clima: Ensolarado
Local: Complexo de Escalada


" Apenas a prática pode nos aproximar da perfeição, mas nunca atingi-la. Afinal, nem deuses são perfeitos. "

O complexo de escaladas eram vasto e cheio de geringonças disponíveis aos moradores do acampamento, seja espírito da natureza ou semideus. Parando diante a entrada da área o sátiro coçou levemente a cabeça e acariciou os chifres que já começavam crescer, não demorou para um sorriso besta de orgulho se materializar na face do jovem, até ser interrompido.

— Ultimamente sátiros não tem frequentado essa área. — perguntou aquele que foi identificado como o instrutor da área. O híbrido continuou sua caminhada explicando sua situação ao professor e também pedindo auxílio naquela atividade, que finalmente, tivera tempo e entusiasmo para realizar. — Tudo bem, começamos pelo primeiro nível só espere um pouco para colocarmos alguns aparatos para caso você caia, bem, não se machuque. — disse pausadamente, o outro deduziu que seria eufemismo para uma não possível mais provável morte por impacto afinal a muralha de escalar tinha quinze metros de altura.

— Pois bem. — respondeu formalmente seguindo o instrutor. Pararam perto da muralha e duma espécie de grande baú de madeira com parafusos de ferro e correias de couro, bela peça. De lá foram retirados cintas, cordas, joelheiras e um capacete. Não demorou mais do que cinco minutos e todo o equipamento já estava vestido, hora da diversão.

♦ ♦ ♦

Ichabod agarrou o primeiro suporte, ainda com os cascos no chão. Sentiu uma leve confiança o que causou o início definitivo da atividade. Posicionando a outra mão no suporte se ergueu para cima com o apoio dos pés, subindo alguns centímetros consideráveis. Agarrou outro suporte e nesse momento o sol atingiu-lhe os olhos em cheio e pequenas pedrinhas, provavelmente dos sapatos de outros campistas que pisaram ali, voaram contra seus globos oculares causando irritação e a sensação imediata de esfregá-los e ao fazê-lo caiu da muralha perdendo todo o território conquistado. — Droga! — exclamou socando o vento.

— Mantenha-se concentrado e calmo, agarre um suporte por vez e troque um pé por vez. Não use força demais, tente usar apenas o suficiente caso contrário seus braços vão cansar e pesar tornando a atividade penosa e até impossível. — orientou atentamente ao observar os erros do mestiço.

Agarrou novamente os suportes e conseguiu em poucos segundos atingir a posição que estivera antes, parecia que tinha "mapeado" aquela parte. Respirando fundo trocou o local da mão e do pé, um por vez, sem pressa e com a máxima concentração. Investiu uma força controlada – o máximo que conseguia, afinal era uma tarefa difícil estar entre a força total e a inércia. " Vou conseguir... " — pensou.

— Muito bem. Vá repetindo o processo até atingir o topo! Sem pressa..espere cuidado. — ensinou o instrutor. O ser da natureza agarrou novamente outra pedra e mudou o pé, segurando fez a força necessária para subir e de modo penoso, todavia, seguro atingiu seus dois metros na muralha. Comemorando mentalmente sentiu algo tocar-lhe nos cascos e quando olhou novamente para baixo observou um campista. Este o apressava para subir. — Calma.. — respondeu serenamente.

Continuando a troca de apoios recomeçou a escalada, confiante de si após ter atingindo os dois metros e já estar perto dos três de altura no entanto o campista de baixo o apressava constantemente, se isso continuasse poderia muito bem retirar a concentração de ambos e caírem no solo. Olhando para o solo não identificou o instrutor no meio de tanta gente, e só pôde deduzir que ele julgou que o jovem poderia concluir o resto sozinho.

Passou-se dez minutos, talvez mais, de escalada. O sátiro já estava com os braços pesados e cansados, o suor lutava de maneira incansável para penetrar nos olhos e o sol por fim castigava-o de maneira terrível. Já estava a sete metros do solo e a sensação de fobia de altura começava atingi-lo diminuindo cada vez mais o ritmo da escalada e irritando cada vez mais o campista ainda na cola dele, irritante como sempre. " Só pode ser filho de Hermes. " — julgou com um certo ar de raiva.

Trocou de posição novamente agarrando outra pedra e de pé, elevando-se novamente na escala fez a força necessária para subir, entretanto os músculos dos braços não reagiram de maneira satisfatória o que resultou num escorregão do suporte. Apavorou-se com a ideia de cair e ter que recomeçar tudo novamente e a fobia quanto a altura do mesmo não ajudava. Lutou e lutou poucos segundos que viraram minutos, sem conseguir se manter pendurado cedeu soltando os suportes, caindo e consequentemente atingindo o semideus de baixo derrubando-o também. " Para que ficar embaixo de mim se a muralha é tão grande? " — questionou em sua mente.

Depois de uma longa discussão e uma quase luta no local o instrutor conseguiu banir o semideus encrenqueiro que no final das contas, era prole do deus ladrão. Tsc, soou. Pedindo desculpas pelo inconveniente o da natureza reiniciou o exercício com determinação, disposto a vencer aquele mero desafio que se provou ser à altura do mestiço.




Considerações:
Meu primeiro treino de escalada.

Pretendo me especializar em Parkour e na parede sem suportes. Enjoy!

Armas utilizadas:
Nenhuma.

Poderes utilizados:
Passivos

Nível 5: Saltos e escaladas ~ Sátiros são peritos nessas atividades, dificilmente caindo e tendo sempre seu dano reduzido caso isso aconteça. Além disso, conseguem saltar mais alto que humanos e semideuses, transpondo obstáculos sem dificuldade. São resistentes a ataques que alterem seu equilíbrio em solo, como terremotos, por exemplo.[Criado por Sadie Bronwen]





Thanks Little King © CG
René Wallace
Indefinido
Mensagens :
47

Localização :
Perdido nas entrelinhas...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 078 - ExStaff em Sex 18 Abr 2014, 16:50

Avaliação
Bem legal seu post, Ichabod, mas você precisa se atentar um pouco mais na pontuação (você põe vírgula no lugar de pontos e, por vezes, a esquece) e na revisão, para evitar errinhos bobos, ok? No mais, parabéns.

— Coerência: 50/50
— Coesão, estrutura e fluidez: 25/25 
— Objetividade e adequação à proposta: 15/15
— Ortografia e organização: 08/10 

— Recompensas: 98xp 
• Atualizado •
 


Edited by H.I.M.


078 - ExStaff
Deuses
Mensagens :
695

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Camden Oberhaus em Dom 20 Abr 2014, 02:38


Escalando no nível 1

Cheguei ao complexo de escalada quando o sol rumava ao seu ângulo mais incidente sobre o acampamento, mais ou menos o meio da manhã. Trajava a alaranjada camiseta do uniforme dali, uma bermuda jeans um par de tênis que anos atrás era branco, mas, por questões óbvios, tornou-se um misto de cinza, marrom e preto. 

Recebi a orientação de que agora, como novato, deveria investir nas atividades propostas para os campistas, porque essa era a receita para um herói forte. Aquele fora o dia determinado para escalar, algo não muito recomendável para os filhos de Hefesto, cujo corpanzil e rigidez somente desajudavam a alcançar o êxito da atividade. 

Independente disso, sabia que, sendo um semideus, deveria estar pronto para tudo. E por isso fui até o complexo. 

Instruído pelo monitor, vesti os equipamentos necessários e, depois de ter um mosquetão com uma corda preso na cinta que ia ficava em minha cintura, tive o sinal verde para começar. 

Mesmo que o monitor estivesse a poucos metros de mim, segurando a outra ponta da corda que me seguraria caso caísse, ainda estava inseguro. Além disso, pude constatar que, provavelmente descendido do pai, tinha as mãos e os dedos largos; e isso, de fato, dificultava um pouco o apoio nas pedras espalhadas pelo paredão. 

Suspirei com calmaria, deixando a tranquilidade me dominar. Fechei os olhos e os abri somente depois de subir uns poucos centímetros, encontrando as pedras mais acima através do tato. 

Não parecia complicado. Vai ver era porque o nível era o mais baixo. Mas pouco importava. Prossegui na escalada, subindo de pouco em pouco enquanto recebia oralmente os incentivos do monitor. 

Em alguns momentos de hesitação, ou uma perna ou um braço escapou dos apoios na parede, mas rapidamente me prendi a ela. Quando isso acontecia, o instrutor soltava algumas onomatopeias como "Wuh!" ou "Oah!", que me faziam, mesmo que minimamente, rir. E isso era bom, pois me relaxava. 

Perdi cerca de dez minutos para escalar quase que a parede toda - os últimos metros, onde existia uma pequena inclinação, deixou a escalada complicada, e por isso não a concluí. Comemorei interiormente pela conquista adquirida enquanto descia num rapel fajuto, auxiliado pelo monitor que vagarosamente soltava a corda, que, por uma polia, me devolvia ao chão. 

Por fim, agradeci o rapaz com um aceno de cabeça junto dum sorriso e encaminhei-me de volta ao nono chalé. Ainda estava disposto para mais coisas.
Camden Oberhaus
Filhos de Hefesto
Mensagens :
42

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 085-ExStaff em Dom 20 Abr 2014, 17:08




Avaliação


Luke W. Müller — Seu post foi bem escrito e bem organizado e sem erros. Gostei dos trechos relacionado ao pai dele e a dificuldade em agarrar os suportes, todavia pecou em descrever de forma rápida e sem intensidade (emocional e física) onde também não adicionou grandes dificuldades. Atento a isto, no mais parabéns.

— Coerência 40 de 50

— Coesão, estrutura e fluidez 25 de 25

— Objetividade e adequação à proposta 15 de 15

— Ortografia e organização 10 de 10

Recompensa: 90 xp.


Atenciosamente, capiroto grego.



☤ Atualizado ☤


valeu @ carol!

085-ExStaff
Indefinido
Mensagens :
169

Localização :
Castelo do Sub-mundo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Taylor Chainless em Qui 24 Abr 2014, 15:54

Ai minha coluna

No meu segundo dia no chb, estava quente, e ensolarado, eu estava conhecendo as coisas, e vi uma coisa aparentemente estranha, me lembrei daquelas paredes de escalada dos parques de diversões, mas muitas vezes maior, fui até lá.
Tinha um cara, com uma roupa de escalagem, fui falar com ele.
-Oi, posso tentar subir nessa coisa?-perguntei para quem para quem parecia ser o instrutor
-Claro! Escolha um nível, recomendo até o 3
-Então irei nesse mesmo, o 3-me certifiquei
Ele me deu o equipamento, e eu o coloquei, ficou um pouco largo, mas não iria atrapalhar.
-Boa sorte campista!
Comecei com um pulo, e me segurei numa pedra, apoiei os pés, e continuei, achei que estava indo bem, mas uma pedra se soltou, e eu fiquei pendurado em uma só mão
-Pedra filha de uma hera- praguejei
De repente, um pouco de lava caiu, quase me acertou mas desviei, quase cai.
Apoiei meu pé em uma pedra em baixo, e continuei a escalada, uma pedra caiu na minha cabeça, me senti tonto, e vi uma coisa laranja em minha direção, não tinha como fugir, e eu sabia que era lava, então me soltei, porém, o equipamento, que estava um pouco largo, prendeu em uma pedra, ela logo iria começar a cair, então me apoiei na pedra de cima, e tentei continuar, mas coloquei a mão no lugar errado, e queimei a mão na lava, eu estava a 12 metros do chão, nem estava na metade, e cai no chão.
Doeu muito, minha coluna estava muito dolorida, mas o equipamento me protegeu um pouco.
-Você até que foi bem...-disse ele- para quem foi no nível 3 na primeira tentativa, agora, precisa ir para a enfermaria?
Tento me levantar, e consegui, doeu um pouco, mas não quebrei nada.
Não, estou bem, obrigado.
Sai andando, ou melhor, mancando.
.

Taylor Chainless
Filhos de Despina
Mensagens :
27

Localização :
Camp Half Blood

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Arizona Zweibrücken em Qui 24 Abr 2014, 16:44

Dreny Yon: Achei engraçado o título, e só. Você precisa desenvolver mais as ações do seu personagem, assim como os pensamentos, sensações e ambiente em que ele se encontra. Nesse caso, você nem narrou muito o principal, que é a escalada. Fez algo rápido e meio esquisito; era o segundo dia do seu personagem no acampamento e, logo, não possuía perícia com escalada, mas escolheu o nível 3, que já é mais difícil. Tudo bem que você se machucou e tal, mas o monitor teria senso em te indicar o primeiro nível...

- Coerência: 15 de 50
- Coesão, estrutura e fluidez: 10 de 25
- Objetividade e adequação à proposta 10 de 15
- Ortografia e organização 02 de 10

Total: 37xp
Arizona Zweibrücken
Filhos de Athena
Mensagens :
134

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Tessa Armstrong em Qui 24 Abr 2014, 18:43


a climbing day
Complexo de Escalada - Nível 1

 Insegura, caminhei até o complexo de escalada, eu precisa treinar um pouco, afinal sempre fui bastante distraída e desastrada e agora, como estava sempre correndo perigo era necessário acabar com esses adjetivos de uma vez. Eu nunca havia passado por perto das paredes de escalada, só agora pude perceber como eram extremamente altas. Chamei o instrutor para que ele me ajudasse, resolvi escalar a parede de nível um já que eu ainda não tinha nenhuma experiência com esse tipo de coisa. Vesti o equipamento e encarei a enorme parede, o garoto se posicionou ao meu lado segurando a corda de segurança para o caso de eu me desequilibrar.

 Elevei meu pé direito o apoiando em uma das rochas presas à parede enquanto segurava firme em uma pedra mais elevada, quando me senti segura o suficiente para continuar levantei meu outro pé fazendo com que eu não tivesse mais nenhum contato com o chão. Repeti os mesmos movimentos por algum tempo, tudo parecia correr bem até que "resolvi" colocar a mão aonde não devia, a rocha que havia escolhido estava um pouco escorregadia, o que me fez desequilibrar, rapidamente agarrei a pedra mais próxima, reparei que o instrutor agora segurava a corda com mais força. Fiquei alguns segundos ali agarrada a parede até que me recuperasse do susto, respirei fundo e tomei coragem para continuar, olhei para cima esperando ver o final da parede, mas é claro que eu não havia passado nem da metade da escalada, eu definitivamente não era uma garota tão ágil.

 Gotas de suor haviam começado a escorrer por minha testa devido ao esforço, mas o problema maior não era esse, minhas mãos também haviam começado a suar e isso fazia com que elas deslizassem facilmente sobre as rochas, não vou mentir, sabia que as cordas não deixariam isso acontecer mas estava com medo de cair. Podia sentir o sorriso do instrutor em minhas costas, estava rindo de minha falta de experiência, estava rindo de mim, eu realmente queria me virar e xingá-lo mas resolvi ignorá-lo e focar minha atenção na parede. Consegui chegar à metade da parede mas aquilo não era o suficiente, queria chegar ao topo, tinha certeza de que eu era capaz.

 Eu já estava ficando cansada, parecia que estava escalando aquilo há horas, fiquei frustada com minha fraqueza, eu estava enferrujada, precisava treinar mais vezes ou seria morta facilmente por qualquer monstro que aparecesse em minha frente. Continuava a subir lentamente, antes de me apoiar em alguma rocha eu a apertava, procurando saber se era ou não segura e aos poucos fui pegando velocidade. Olhei para cima, faltava pouco para chegar ao topo. Parei um pouco e me agarrei a parede para descansar, não havia nada de perigoso mas eu não estava acostumada em escalar lugares, não tinha nenhum preparo físico para isso. Respirei fundo e continuei escalando, não demorou muito até que eu conseguisse chegar ao fim da parede de escalada.

 Satisfeita por ter concluído o percurso, olhei para o instrutor e fiz sinal de positivo, logo ele começou a soltar lentamente a corda fazendo com que aos poucos eu me aproximasse do chão, quando meus pés entraram em contato com o piso gelado tive que me segurar para não cair, minha pernas haviam ficado bambas. Me sentei e comecei a me livrar do equipamento de escalada, após terminar agradeci e caminhei de volta ao meu chalé.
Tessa Armstrong
Filhos de Melinoe
Mensagens :
211

Localização :
behind you

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Arizona Zweibrücken em Sex 25 Abr 2014, 20:41

Samantha Westerfield: Um ótimo post, mas encontrei muitos erros de pontuação (uso de vírgulas no lugar de pontos finais), e deixou o texto com um entendimento bastante ruim em vários pontos. Mas, no mais, parabéns.

- Coerência: 40 de 50
- Coesão, estrutura e fluidez: 20 de 25
- Objetividade e adequação à proposta 15 de 15
- Ortografia e organização 07 de 10

Total: 82xp
Arizona Zweibrücken
Filhos de Athena
Mensagens :
134

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 078 - ExStaff em Sab 26 Abr 2014, 11:24

• Atualizado •
 
078 - ExStaff
Deuses
Mensagens :
695

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Leon F. Hoffmann em Qui 01 Maio 2014, 00:31


Climb
Levantou cedo naquele dia, antes mesmo do sol raiar. Era noite e o acampamento estava vazio, todos estavam deitados em seus chalés. Leon, no entanto, caminhava em direção à parede de escalada. Embainhada, a faca cintilava a luminosidade das lâmpadas dispostas ao caminho.  O jovem caminhou até a altura do monte, onde avistou, surpreso, um vulto colado a parede. Aparentemente, mais algum campista estava acordado.

— Por acaso você não deveria estar na cama? — indagou, elevando os olhos à criatura.
— E você também não? — respondeu a figura, com outra pergunta.

Leon deu de ombros e não respondeu. Os primeiros raios solares começaram a ficar visíveis, mas ignorou o fato e continuou a observar o treinamento do vulto. Meia hora depois, estava estressado; para subir, a criatura precisava descer.

— Eu também quero treinar — berrou, idignado.

Quando a criatura atingiu o chão, o indefino percebeu que, na verdade, era uma menina. Linda. Olhos azuis, cabelos platinados e algumas poucas sardas. Pigarreou e sorriu.

— Hmm... okay, eu sou Leon. Chalé de Hermes. Prazer em conhecê-la! — estendeu a mão, mas não obteve resposta.

— Chloe, 03. Odeio filhos de Hermes — vociferou e revirou os olhos.
— Ainda bem, sou indefinido — respondeu com um sorriso.
— Ah.
— Nível um? — perguntou a loura, fazendo Leon concordar com a cabeça. — Ok, doze metros. Pista três, escalada móvel.

Leon caminhou em direção à pista cuja placa indica o número três. Com dificuldade, prendeu os equipamentos de segurança e entregou a corda a garota. O semideus agarrou uma pedra e depois outra, fazendo impulso para cima. Prendeu o pé direito em uma protuberância e, posteriormente, fez o mesmo com o outro. Deu o impulso inicial. O indefinido subiu com facilidade os três primeiros metros, mas, quando ia chegar a marca de quatro metros, seu pé escorregou. E o braço reclamou. Fez força para voltar, mas parecia não adiantar. Fincou os dois dedos contra a pedra que o mantia na parede e fechou os olhos, com a respiração fraca, reunindo forças. Com dificuldade, ergueu-se e continuou a subir.

Leon parecia ter nascido para a escalada, pois o fazia com muita perícia — não tanta se comparada a menina loura —, é claro. O muro estava sendo escalado com habilidade por ele, mas, ao chegar na marca de oito metros, a maior dificuldade surgiu. Os bíceps começaram a reclamar e os músculos a demonstrar fraqueza; o menino, sem forças, procurava se reerguer e completar os últimos três metros. Suas mãos soavam como porcos prontos para o abate. Alcançou mais uma pedra e forçou os músculos a continuar.

— Ora, ora. Parece uma menininha, prossiga! — gritou a menina, oito metros abaixo.

Ao menos mais dois, pensou. Piscou os olhos longamente e soltou uma das mãos, desembainhando uma faca e fincando-a contra parede. Segurou-se nela e deu impulso para cima, mas atingiu o seu limite. Leon retirou a faca e soltou, agora sem forças. Enquanto caia, olhou para suas mãos e encontrou os resquícios da escalada: mãos ásperas, dedos vermelhos e nós das mãos ralados. Os pés nus do menino fincaram-se no chão e ele sorriu, observando com satisfação o instrutor.

— Sou novato — disse, antes mesmo da menina soltar algum comentário irônico.

Ela sorriu.

— Muito bem, mas poderia ter sido melhor. Amanhã, no mesmo horário? — indagou, piscando.

— Claro — concordou o menino, deixando o local.

Pode ler essa observação?:
Eu não sei escrever no passado, isso é um fato. Porém, sei no presente, mas duas pessoas já reclamaram (dois avaliadores). Portanto, estou tentando mudar e provavelmente há mudança de tempo verbal. Sorry.

Leon F. Hoffmann
Filhos de Nix
Mensagens :
52

Localização :
Hm... ali.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 085-ExStaff em Qui 01 Maio 2014, 16:41




Avaliação





Leon F. Hoffman — Coerência 40 de 50: Você narrou bem mas de maneira rápida demais, e também citou que o personagem tinha nascido para a escalada e caiu apenas duas vezes num intervalo muito grande que um novato dificilmente conseguiria. Não interpretou bem as dificuldades e foi direto demais, cuidado nisso.

Coesão, estrutura e fluidez 25 de 25: Esse ponto recebeu pontuação máxima porque mereceu, gostei do texto. Correu rapidamente, entendi tudo sem precisar reler e gostei do modo que as vírgulas foram usadas e as pausas que deu. Parabéns.

Objetividade e adequação à proposta 12 de 15: Cumpriu em parte a proposta do treino mais não concluiu o exercício, devido a isto foi retirado três neste ponto.

Ortografia e organização 8 de 10: Encontrei dois erros: idignado (indignado) e mantia (mantinha). Cuidado com erros bobos. No mais, parabéns.

Recompensa: 85 xp.

Aguardando atualização.

Atenciosamente, capiroto grego.



valeu @ carol!

085-ExStaff
Indefinido
Mensagens :
169

Localização :
Castelo do Sub-mundo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 078 - ExStaff em Qui 01 Maio 2014, 20:41

Att.
078 - ExStaff
Deuses
Mensagens :
695

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por René Wallace em Seg 05 Maio 2014, 21:48


Treino X



Hora: 11:00 AM
Clima: Nublado
Local: Complexo de Escalada


" Apenas a prática pode nos aproximar da perfeição, mas nunca atingi-la. Afinal, nem deuses são perfeitos. "

O dia estava apenas no seu começo. Estava nublado e porém o clima não era ameno, uma boa mudança de ventos, literalmente.

O sátiro decidira não se conformar com uma experiência superficial no complexo de enormes paredões espalhados pela área, pretendia ir mais além, treinar mais e desenvolver suas habilidades que seriam cruciais.

" Desenvolva-se ao máximo! Um soldado preparado é o soldado ideal. " — repetiu as palavras de seu professor em sua mente, palavras estas que quase definiam o ser em si que resumia-se a treinar e treinar sem parar.

— Como cê tá cara? To vendo que gostou de escalar a parede, huh? — disse o monitor daquela atividade, por sorte, o mesmo de antes. O mestiço foi até sua direção, explicando sua situação e o que desejava para aquele treino. Queria uma coisa mais difícil, algo que proporcionasse uma experiência rica e que contasse para seu desenvolvimento.

— Ah cara o bom pra você é o nível 2. Vamo lá, te coloco os equipamentos e tals. — retrucou o semideus com sua fala característica marcada por gírias urbanas. Concordando com a proposta o fauno foi preparado para a atividade, capacete, joelheiras e todo o resto dos equipamentos devidamente colocados e pronto para serem usados. Assim, o exercício começou.

♦ ♦ ♦

Agarrando o primeiro suporte o silvano* conseguiu uma base para se elevar para cima, avançou novamente outra agarra e trocando os cascos de local subiu alguns centímetros. Respirou fundo, não com medo ou tentando se concentrar, queria apenas "sentir" o exercício e conseguir um ritmo que se adequasse ao seu porte físico.

Continuando, conseguiu avançar dois metros, determinado e motivado usou a força de suas pernas para pegar uma pedra além do que podia e conseguiu! Declarou vitória em sua mente, porém não durou muito. A agarra em que seu casco esquerdo se apoiava estremeceu – este pensou ser apenas um defeito e julgou que não aconteceria nada de mais -, estremeceu novamente e foi quando esta cedeu dando lugar ao vácuo. Ichabod se afobou, agitou os braços, descontrolado, procurando salvação, não conseguiu e foi ao chão, todavia a corda segurada por um garoto qualquer que substituiu o monitor salvou o mestiço.

Agradeceu gentilmente respirando em alívio. Determinado a não ceder ao fracasso foi até a marcação de onde começara, agarrou os suportes com considerável força e saltou entre as pernas de bode avançando mais centímetros. Elevando a perna esquerda, trocou a mão e por fim os dois outros membros, avançando mais. Novos problemas surgiram, não pedras de pegar se soltando da parede mais sim pedras, normais, algumas chegavam a parecer farelos e lutavam contra o rosto e as esquivas esguias do silvano* para este evitar que seus olhos fossem irritados. Uma pedra atingiu-lhe o punho direito, magoando de leve, entretanto, o suficiente para fazê-lo soltar a mão do local.

♦ ♦ ♦

O suor escorria pelo seu rosto, correndo como uma gotícula de chuva no vidro de um ônibus. Já apresentava certa quantidade de suor e uma respiração ofegante. Seus pulmões logo logo começariam a arder devido ao cansaço muscular e seus braços já estavam a pesar, como se estivessem acorrentadas a bolas de canhão. Três vezes falhara em atingir o ápice da construção. Três desmotivações para o sátiro? Não! Permanecia-se se erguendo a cada tombo. Já tinha decorado as armadilhas da edificação. Pedras que caem em cima e agarras que se soltam, bem traiçoeiro.

Estava na marca dos treze metros acima do solo, parou e respirou um momento, descansando tentou não mirar o solo com suas vistas prevendo o medo irracional. Sabia que não era uma coisa tão grande, mesmo assim pareciam metros e mais metros, ainda mais se este olhasse diretamente por alguns minutos e imaginasse caindo de lá. Retomando o exercício, trocou o casco direito para um novo suporte, apertou as mãos – temendo cair com a pegadinha da muralha – e tudo se concretizou!

— Bééaaah! — baliu, sem motivos pois ficou na mesma posição e a perna retornou para o descanso que estava a poucos segundos atrás. Mais pedras desciam da muralha atingindo-o, em sua maioria eram pequenas mas incomodavam.

Continuou avançando, motivado mais do que nunca por estar já na reta final. Avançava e avançava, trocando as mãos de agarra e vacilando na hora de apoiar as pernas em novos suportes. Estava começando a desenvolver um sistema para saber se era seguro ou não avançar: quando trocava de agarras, forçava-as com força para saberem se cediam. Caso não cedessem, avançava.

Na reta final, após cair algumas vezes, ser castigado por pedras e por agarras traiçoeiras estava a menos de um metros da inclinação que marcava a chegada. Estava no encalço de um filho de Ares, apressado e também habilidoso. Até demais para o nível da parede. Abaixo do ser da natureza vinha um semideus que ousou chutar que seria filho do deus Héracles. Elevou-se com ajuda de seus braços, ignorando a experiência que adquirira avançou sem pensar, péssima decisão.

— Arghhh! Grrrrr!! Argg! — escorregou devido a agarra maldita. Descobriu que eram bem mais frequentes na reta final onde os campistas orgulhosos e arrogantes, considerando-se vitoriosos vacilavam. Não foi diferente com Ichabod, talvez um pouco. Ao escorregar-se lembrou-se de seu machado de mão preso numa amarra a cinta na cintura, puxando-o em menos de um segundo pescou o suporte mais próximo que conseguiu visualizar prendendo-se  na parede e impedindo a perda de tanto progresso na atividade.

Após ser xingado pelo filho de Héracles retomou a atividade, com esforço, suor e lições aprendidas atingiu a marca final da parede, saindo vitorioso.




Armas utilizadas:
- Machado de mão [Machado construído para usar apenas com uma mão. Afiado e se o golpe for certeiro é capaz de causar grandes danos, proporcionais ao seu tamanho. Mede 50 cm][Madeira e bronze sagrado][Sem nível mínimo, sem elemento][Loja de armas]

Poderes utilizados:
Passivos:

Nível 5: Saltos e escaladas ~ Sátiros são peritos nessas atividades, dificilmente caindo e tendo sempre seu dano reduzido caso isso aconteça. Além disso, conseguem saltar mais alto que humanos e semideuses, transpondo obstáculos sem dificuldade. São resistentes a ataques que alterem seu equilíbrio em solo, como terremotos, por exemplo.[Criado por Sadie Bronwen]

Nível 15: Determinação ~Sátiros são determinados em seus trabalhos, como achar Pã ou meio-sangues. Por conta disso, sempre que tiverem um objetivo em mente, torna-se mais difícil de desviá-los disso. Eles ganham 50% de resistência a poderes de mentais de confusão e sedução que visem tirá-los de seu caminho.

Ativos: N/A

Considerações:
Não gosto de escaladas em parede, geralmente meus treinos nessa área saem monótonos e até repetitivos mas é necessário colocar meu personagem a praticar essa atividade.

* Silvano é um sinônimo que encontrei no wikipédia e era um deus correspondente a Pã, empreguei a palavra como sinônimo de sátiro para ter variedade nas palavras. Obrigado.




Thanks Little King © CG
René Wallace
Indefinido
Mensagens :
47

Localização :
Perdido nas entrelinhas...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Leonard Woodcliff em Ter 06 Maio 2014, 19:26

• Ichabod:

Cara, o seu treino ficou muito bom. Você melhorou bastante em relação ao passado, quando eu via seus treinos na arena e dava cerca de 75% do total como recompensa. Sua coerência está ótima como sempre, assim como sua ortografia. Porém, nela eu retirei 1 ponto por alguns erros de vírgulas e acentuação que não se encaixariam como erros de coesão. No segundo quesito, porém, retirei 5 pontos porque o texto não ficou muito fluído e porque você usou o segundo "♦♦♦" para indicar uma passagem de tempo de pouco tempo, e isso atrapalhou um pouco a leitura. Tente usar esse recurso apenas quando se vai pular minutos ou horas, não um espaço de tempo curto como no seu caso, ok? De resto, meus parabéns!

Coerência: 50/50
Coesão, estrutura e fluidez: 20/25
Objetividade e adequação à proposta: 15/15
Ortografia e organização: 9/10

Total: 94xp
Leonard Woodcliff
Filhos de Dionísio
Mensagens :
464

Localização :
Acampamento

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 078 - ExStaff em Qua 07 Maio 2014, 14:09

Atualizado.
078 - ExStaff
Deuses
Mensagens :
695

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por René Wallace em Sex 23 Maio 2014, 19:51


Treino X



Hora: 11:00 AM
Clima: Nublado
Local: Complexo de Escalada


" Apenas a prática pode nos aproximar da perfeição, mas nunca atingi-la. Afinal, nem deuses são perfeitos. "

Estava em belo dia para se praticar no acampamento. O sol fornecia calor para os todos os seres, poucas nuvens davam uma beleza a vastidão azul. Nada poderia ser pior.

O mestiço já estava no complexo de escalada, pronto para uma terceira rodada e uma dose de adrenalina. Seus pensamentos focavam apenas no que ele enfrentaria a seguir, proporcionando uma dose de excitação e expectativa que o alegravam por dentro deixando-o quase que em estado de embriaguez falsa, por assim dizer.

" Quais os desafios que me aguardam? " — pensou de maneira "sonhadora". Não demorou até ser interrompido, o instrutor, o mesmo de alguns dias atrás surgiu, estendendo-lhe a mão calorosamente e abrindo um sorriso largo.

— Eae cara...como cê tá? — perguntou de maneira gentil e cordial.

— Vou bem, obrigado por perguntar. Então, posso?! — tentou ser o mais "sociável" possível. Não tardou em por os equipamentos de proteção e rapidamente, foi conduzido até a parede correspondente com sua evolução.

— Então...essa é difícil.. Tem filetes de lava, pedras que se soltam maiores, agarras traiçoeiras e vinte e cinco metros de altura. Vai encarar? — disse o instrutor dando tapinhas encorajadores nos ombros do sátiro, que por alguns segundos, engoliu um seco de receio.

" Talvez eu não esteja preparado... Mas, é meu dever tentar! " — pensou consigo mesmo. Os dois conversaram por um minuto antes do treino verdadeiro se iniciar.

♦ ♦ ♦

Aquele paredão seria um desafio para o silvano*, algo que necessitaria tanto do esforço físico quanto do mental. Determinado, se aproximou e segurou a primeira agarra, verificou se a mesma estava em condições de suportar seu peso e após julgar positivamente avançou, subindo meio metro com um salto bem executado.

" Estes filetes de lava parecem ter um tempo em que são liberados, talvez porque o mecanismo da parede exija um certo de tempo para a sucção da matéria e o lançamento ordenado de maneira que não esguiche lava como um autêntico vulcão. Os filetes mais próximos de mim parecem ter um intervalo de dez segundos para serem lançados novamente. Certo! " — comentou mentalmente, após uma análise estratégica dos pontos mais próximos do jovem que expeliam lava perto das agarras.

Segurando um suporte e o forçando com os braços para avaliar sua integridade, avançou. Ligeiramente, ousou trocar os cascos de apoio subindo rapidamente mais alguns centímetros e totalizando já dois metros do solo.

Olhando para cima observou os filetes que se aproximavam rapidamente, escorrendo, sedentos por uma queimadura e ao estarem próximos o suficiente, Ichabod trocou rapidamente de agarras num pulo bastante tímido e observou a ofensiva estratégica da parede falhar; Todavia, um pedregulho atingiu-lhe a cabeça sem causar danos devido ao capacete e no mesmo instante o suporte cedeu deixando-o em queda livre.

— N-Não! Bééeaaah. — desesperadamente retirou seu machado de mão da cintura e o lançou sobre um suporte que já tinha se apoiado anteriormente, aparando a queda, todavia, no mesmo instante um filete de lava atingiu o machado e delineou seu caminho pela mão do mestiço, terminando por ir até a omoplata causando dores excruciantes e fazendo-o ceder.

— Arrghhhh, pelos deuses! Que dor.. Grrrr. — proferiu com certo ódio no tom enquanto se contorcia no solo numa vã tentativa de interromper a dor. O semideus que segurava a corda de segurança veio ao seu socorro, inutilmente.

— Vou lhe levar a enfermaria. Vamos. — falou o semideus, tentando colocar o braço ileso em volta de seu pescoço.

— Não! Arghhh, e-eu vou terminar isto! Saia. — respondeu orgulhosamente. Ser ajudado por um semideus após ter sofrido uma simples queimadura? Isso feriu mais seu orgulho do que seu corpo, dando a raiva necessária para ele continuar o exercício.

♦ ♦ ♦

Já estava cerca de sete metros do solo, desde o ferimento estava conseguindo calcular as armadilhas, todavia, os suportes de agarra estavam se revelando cada vez mais frequentes naquele paredão e infinitamente mais irritantes do que os filetes de lava que, com uma análise estratégica rápida, poderiam ser evitados com eficácia.

O sol castigava o jovem sátiro cada vez mais. Seus braços clamavam por um pouco de descanso, assim como sua mente que trabalhava inutilmente temendo pelas armadilhas traiçoeiras da parede. Subitamente, ouviu um baque o suporte onde estava sua perna direita cedeu, agindo rapidamente usou sua perna esquerda saltando para cima e levantando-se em um metro.

Ichabod interrompeu a escalada para descansar seus braços que naquela altura já pesavam como bigornas de ferreiros. O suor tentava invadir-lhe os olhos e a preocupação contra as armadilhas o atormentavam. Logo, reiniciou o exercício agarrando outro suporte e avançando novamente, não tardou em a lava descer, pronta para queimar a pele do ser, todavia este desviou pulando para o lado e batendo num semideus que também realizava o percurso.

— Desculpe. — proferiu o silvano com certo esforço na voz.

O semideus praguejou pequenas palavras e continuou seu caminho, avançando facilmente na frente do sátiro. Foi então que uma ideia lhe surgiu! Estaria disposto a copiar a rota do meio sangue para chegar com mais facilidade até o cume da "montanha", parecia "desonesto" todavia funcionaria.

♦ ♦ ♦

O caminho foi completamente caótico e difícil. Quando evitava alguns simples filetes de lava, era surpreendido por um suporte traiçoeiro que insistia em se desalojar do paredão.

Já a centímetros do cume, agarrou uma pedra e elevando o peso do corpo subiu lentamente com o auxílio dos cascos, porém, sentiu um baque e de repente a pedra se soltou fazendo com que o sátiro caísse dois metros para baixo, reiniciando a busca pelo cume.

— Maldição! Maldição! — disse numa explosão de raiva. Então, em puro ódio pelo mecanismo avançou, sem pensar nas consequências de avançar tão subitamente e sem pensar, pedregulhos insistiram em descer contra sua cabeça e filetes voaram sobre sua mão obrigando-o a dar um poderoso salto para cima numa tentativa de agarrar o cume, caso falhasse iria se ferir e cair.

Sucesso! Agarrou o último suporte se elevando até o cume.

" F-Finalmente.. " — pensou vitorioso.




Considerações:
Devo dizer, já diz anteriormente, que meus treinos na escalada ficam monótonos para mim.

Armas utilizadas:
— Ferraduras do garanhão: Feitas de bronze sagrado são equivalentes a uma arma. Enquanto as estiver usando, a potência dos coices do sátiro é aumentada, equivalendo à força de um filho de Ares. Além disso, ela também pode ser ativada para dobrar o deslocamento do sátiro ou o alcance de seu salto, 3 vezes por missão, com duração de 3 turnos cada ativação. {Velocidade; Aumento de força}{Pessoal}[Item de sátiro]

Machado de mão [Machado construído para usar apenas com uma mão. Afiado e se o golpe for certeiro é capaz de causar grandes danos, proporcionais ao seu tamanho. Mede 50 cm][Madeira e bronze sagrado][Sem nível mínimo, sem elemento][Loja de armas]

Poderes utilizados:
Passivos

Nível 5: Saltos e escaladas ~ Sátiros são peritos nessas atividades, dificilmente caindo e tendo sempre seu dano reduzido caso isso aconteça. Além disso, conseguem saltar mais alto que humanos e semideuses, transpondo obstáculos sem dificuldade. São resistentes a ataques que alterem seu equilíbrio em solo, como terremotos, por exemplo.[Criado por Sadie Bronwen]

Nível 6: Corrida ~ Sátiros são velozes, mesmo não sendo graciosos como as dríades nem as alcançando, ainda tem vantagens contra quase qualquer outra criatura.[Criado por Sadie Bronwen]

Nível 15: Determinação ~Sátiros são determinados em seus trabalhos, como achar Pã ou meio-sangues. Por conta disso, sempre que tiverem um objetivo em mente, torna-se mais difícil de desviá-los disso. Eles ganham 50% de resistência a poderes de mentais de confusão e sedução que visem tirá-los de seu caminho.




Thanks Little King © CG
René Wallace
Indefinido
Mensagens :
47

Localização :
Perdido nas entrelinhas...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Alaric L. Carter em Sab 24 Maio 2014, 23:15

A tarde no Acampamento Meio-Sangue estava agradável. Estou aqui há três semanas, e estou procurando evoluir como um semideus. Ainda não fui reclamado, por isso, aguardo no chalé de Hermes. Nas outras vezes, eu tinha praticado hipismo. Porém, desta vez, queria praticar algo novo, para ganhar resistência física. Então, decidi ir às paredes de escalada.
Era uma área com vários muros, e cada um tinha um nível de dificuldade maior. Quando chego ao local, um sátiro vem em minha direção.
-Posso ajudá-lo? - Diz o homem-bode. Ele possuía porte médio, uma barba média castanha, com cabelo ondulado que ia até o ombro, também castanho, além de chifres com mais ou menos 10 centímetros de comprimento e olhos negros. Ele tinha uma expressão amistosa, e um sorriso meio sarcástico no rosto. Tinha uma clava pendurada na cintura, o que parecia que ele estava prestes a bater como uma bola de beisebol qualquer um que caísse dos muros.
-Na verdade, sim. Sou novo aqui. - Respondi, tentando esconder o nervosismo.
-Ah sim, um novato. Sou Drake, o instrutor. E você é...? - Perguntou o sátiro.
-Alaric Labonair Mikaelson, mas pode me chamar de Rick.
-Tudo bem, Rick. Como você é novato, deve experimentar a parede de nível 1. Nela, não há obstáculos, é só para você aprender o básico e se acostumar. Vamos, deixe-me lhe ajudar.
E então, ele me conduz ao devido local. Coloco os equipamentos de segurança, e me preparo. Então vou.
Agarro com as mãos e coloco os pés nas pedras do muro, tentando escalar. Primeiramente, admito que senti certa dificuldade. Porém, depois, comecei a pegar jeito. Pedra após pedra, vou subindo a parede. Após atravessar 12 metros, me sinto cansado, minhas mãos doendo. Me sinto fraco.
-Vamos vá! - Disse Drake. - Só faltam 3 metros!
Me esforço para não cair. Continuo subindo, utilizando as forças que me sobraram. Finalmente, consegui completar o percurso.
-Bom trabalho. - Disse o sátiro, se aproximando.
-Ah, não seja modesto. - Respondi-o. - Eu fui terrível.
-Não tão mal assim para um iniciante. Fique tranquilo, essa foi sua primeira vez. Nas próximas você se sairá melhor. Apenas precisa ganhar resistência. Isso é o de menos. Agora vamos, mais uma vez!
E então refaço o percurso. Da segunda vez foi mais fácil. Após completar o percurso novamente, fiz alguns exercícios físicos, como Drake me aconselhou.
-Então, agora podemos ir para a segunda etapa? - Perguntei.
-Calma, Rick. - O instrutor respondeu. - Por hoje é só, amanhã você volta aqui e vamos para o nível dois. Você treinou o suficiente, lembre-se que foi sua primeira vez. E não foi ruim. Apenas ganhe resistência através de alguns exercícios e isso será moleza.
-Tudo bem bem. Então, é isso. - Apertei-lhe a mão, e logo após fui ao lago, sentando-me à sua margem e pensando como é difícil ser um semideus.
Alaric L. Carter
Feiticeiros  de  Circe
Mensagens :
804

Localização :
Ravka

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 124-ExStaff em Sab 31 Maio 2014, 20:04

• Ichabod:

Ichabod, você foi muito bem. Alguns erros aqui e ali que me fizeram descontar alguns pontos, mas nada muito grave. Só pecou na ortografia, mais especificamente nas pontuações, e na parte que você caiu após ser ferido e recomeçou logo em seguida. Mesmo sendo determinado, dores ainda são dores. Trate de interpretá-las corretamente — no seu caso, o mais coerente seria esperar alguns momentos antes de voltar a subir, uma vez que a escalada seria praticamente impossível com seus ferimentos. No mais, parabéns!

Coerência: 45/50
Coesão, estrutura e fluidez: 20/25
Objetividade e adequação à proposta: 15/15
Ortografia e organização: 7/10

Total: 87xp




• Alaric L. Mikaelson:

Alaric, achei seu texto um tanto quanto rápido e levemente monótono. Além disso, retirei alguns pontos do total porque notei alguns erros em seu texto. A leve escassez de obstáculos e de emoções atrapalhou na coerência, e por isso descontei dez pontos do primeiro quesito. No segundo, descontei cinco pela falta de detalhes: isso contribuiu para a pouca fluidez para a rapidez do texto. No terceiro eu retirei apenas dois porque o texto não ficou tão objetivo assim, como dito nos dois últimos quesitos, e por isso não ficou muito adequado à proposta. Quanto ao último, houveram erros mínimos que quase não vale a pena citar, mas que provavelmente seriam notados com uma boa revisão. De modo geral, achei seu texto interessante, mas poderia ficar melhor. Parabéns!

Coerência: 40/50
Coesão, estrutura e fluidez: 20/25
Objetividade e adequação à proposta: 13/15
Ortografia e organização: 8/10

Total: 81xp



Atualizado por Héstia.
124-ExStaff
Administradores
Mensagens :
301

Localização :
Casa Grande

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Taylor Chainless em Ter 03 Jun 2014, 15:14


Parede de escalada.

Nivel um.

Calmamente, eu vou andando para o complexo de escalada, um desafio pendente a ser concluído. Havia quase um mês que eu tentei subir aquela coisa, e cai como uma pedra no chão, agora iria tentar uma parte mais fácil daquele... troço.
Ao chegar perto da parede, meu estomago começou a dar voltas, e meu coração batia rápido, mas tento ignorar e vou na direção do instrutor da parede.
-Oi... eu... eu gostaria de tentar subir a parede de escalada - digo eu ao instrutor da arena, que me olhava estranhamente- o nível um
Nível um?... tudo bem, o equipamento está naquela caixa logo adiante, e boa sorte.
Coloco o equipamento, que está mais pesado do que eu me lembrava...
Vou até a parede de nível um, não deve ser tão difícil, já que não tem armadilhas nem nada disso.
Dou um grande salto, e pairo a um metro e meio do chão, segurando em pedras, prendo meus pés, e continuo a escalada. Vejo uma corda ao meu lado, mas ignoro-a, quero terminar isso somente com minhas próprias mão e pernas. Até que eu faço o passo errado.
Olho em volta, mas não tem pedras que eu possa alcançar,  e eu estou a oito metros do chão... não tem como eu sair dali sem que eu caia e me machuque...
Ou talvez não, há dois metros de mim, tem uma pedra até que grande... eu acho que consigo alcança-la... mas seria um salto muito arriscado... quer saber? Dane-se, sendo arriscado ou não, eu vou tentar.
Me preparo, tirando a mão esquerda da parede, tomando impulso e... salto, mas não o suficiente, começo a cair, tentando agarrar qualquer coisa em volta, até que meu braço se prende em algo...
Olho para ele, que está enrolado na maldita corda, a que leva ao topo... então eu não cai muito. Seguro a corda com a outra mão, pois o meu braço está começando a doer. seguro a corda, e vou subindo ela, com os pés na parede.
Dez minutos depois eu consigo chegar ao topo, pois não foi tão difícil quanto o nível três que eu havia feito, e eu cai...
Então eu percebo que o instrutor estava me olhando o tempo todo.
-Hey! Eu fui péssimo, não fui?- Gritei para ele do alto
Ele levanta as duas mãos como um sinal de duvida.
Me viro e desço a parede, numa escada, para eu ir deitar e descansar um pouco.






Leveck @ CG
Taylor Chainless
Filhos de Despina
Mensagens :
27

Localização :
Camp Half Blood

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Janaina Lagini em Qua 04 Jun 2014, 20:24

Parede de Escalada: nível 1
Depois de tomar café, aceitei um desafio: enfrentar a parede de escalada. Nunca tinha escalado uma, nem tinha visto uma, mas a uma eu achei bom, eu queria me superar. Quando cheguei na parede de escalada,percebi que havia um monitor que era filho de Hécate ele parecia bem energizado com os “alunos”,porém meio inseguro enquanto nos entregava os equipamentos de segurança. Me aproximei dele enquanto ele falava dos perigos,por fim perguntou quem seria o primeiro a subia, já que eu sou tão orgulhosa eu me voluntariei.
-Pois bem, o seu será nível um, mas qual será o seu tipo de parede?
Pensei antes de responder, eu só ouvira falar da parede de gelo,então resolvi arriscar.
- A parede de gelo. Sem perguntas.- suspirei.
Comecei a escalar, pensei que seria fácil até que eu bati minha cabeça em uma roxa escondida. Não liguei para roxas e sim para a tempestade de neve que eu vi se aproximando de mim, tampei os meus olhos com a minha mão, me aproximei da roxa que eu tinha batido e me escondi atrás dela enquanto a tempestade passava. Usei a mesma pedra para ganhar impulso e usei a minha adaga para me afirmar, quando eu subia eu ia batendo nas pedras,porém quando bati em uma eu me vi sendo um alvo da parede de gelo, eu me desesperei fazendo com que eu escorregasse e assim não sendo atingida. Comecei a ficar perturbada, se eu falhasse eu seria motivo de piada.Enfiei novamente a minha adaga na parede e comecei de novo a subir,tentando evitar qualquer risco.
-Ok... Eu nem cheguei na metade,mas tudo bem. – falei para mim mesma.
Estreitei meus olhos e consegui enxergar melhor, vi uma outra pedra totalmente afiada bem próxima de mim resolvi usá-la como apoio, peguei a minha corda e a pendurei na pedra afiada, comecei a me balançar e quando eu fui na altura máxima eu pulei em direção da parede, para eu não cair eu segurei bem firme na minha adaga e a enfiei na parede o mais profundo que eu consegui. Percebi que eu tinha passado da metade,mas faltava uns cinco metros. Eu estava cansada, exausta, eu queria que terminasse logo. Eu sabia que eu só precisava chegar até o topo e logo estaria livre disso tudo. Re comecei a escalar,mas parecia que eu não saia do lugar, teve outra tempestade de neve,mas dessa vez não pude me esconder, foi quando me toquei : eu devo ser a barreira para a parede e não ela para mim. Mesmo com a tempestade intensa eu segui em frente, a cada dois passos eu caia um, foi assim até eu chegar ao topo. Eu não estava mais exausta e sim com adrenalina, a parede voltou ao normal e pude descer lentamente. Quando cheguei no chão o instrutor correu até mim falando de como demorei,mas valeu apena.
- Obrigada. – agradeci aos elogios do meu instrutor.
-Hãn... O seu braço, está sangrando.
Comecei a me olha de todos os lados até que vi: um arranhão profundo na lateral do meu braço direito.
- Deve ter sido quando fui atingida com aquelas lanças de gelo, não devo ter percebido por causa da minha adrenalina – disse dando pulinhos.
-Ok, vamos à enfermaria. – o meu instrutor me arrastou até lá – Mas devo falar que foi muito bem.
Eu agradeci de novo,mas quando chegamos na enfermaria ele me deitou então
Janaina Lagini
Indefinido
Mensagens :
9

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Kaine Rembrandt em Qui 05 Jun 2014, 14:03


Avaliação
Vamos ver como você se saiu!


Dreny Yon

Olha Dreny, devo confessar que fiquei bastante confuso enquanto lia seu post. Até que ele ficou bom no começo, mas no momento que você escalava a parede ficou confuso e bastante corrido. Tem que aprender a descrever melhor os acontecimentos, não deixando eles confusos e monótonos de serem lidos. Passando para a parte gramatical, seu texto também não ficou muito admirável. Você usou grande número de vírgulas para aumentar as frases, quando o correto seria um ponto final - fora que também cometeu um ou outro erro de acentuação.

Coerência: 30/50
Coesão, estrutura e fluidez: 10/25
Objetividade e adequação à proposta: 12/15
Ortografia e organização: 7/10

Total: 59xp

Janaina Lagini

Janaina, sua postagem ficou rápida e sem conseguir transmitir as emoções que sua personagem sentia. Além dos erros de português e das diversas vírgulas colocadas de forma errada, também escreveu diversas palavras erroneamente  - minha cabeça em uma roxa escondida, nesse caso o sentido da frase foi totalmente alterado. Outra coisa é que você usou a corda para se balançar numa pedra "afiada" e subir mais rápido, algo praticamente impossível, ainda mais se tratando de uma campista novata. Fora tudo o que foi dito, seu texto ainda ficou muito mal organizado, talvez porque esteja tudo junto sem nada que destaque as falas da narrativa. Mais uma coisa, tente separar a vírgula da palavra que está na frente e revise seus posts antes de postar.

Coerência: 25/50
Coesão, estrutura e fluidez: 8/25
Objetividade e adequação à proposta: 10/15
Ortografia e organização: 3/10

Total: 46



Atualizado por Héstia.
Kaine Rembrandt
Filhos de Éolo
Mensagens :
442

Localização :
Onde eu quiser

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Caitlin Sternefeld em Seg 09 Jun 2014, 16:39




Aprendendo a superar o medo de altura




Impressionante como, em dois anos, eu nunca havia ido ao complexo de escalada. Parecia-me algo... pouco receptivo.
Tudo bem, eu não sou muito fã de altura. Muito menos de lava. Ou dos tremores. Ao todo, a parede não me era atrativa, de modo algum.
E por que eu estava prestes a subir naquilo? Porque eu estava decidido a mudar velhos hábitos, tais quais como ter medo daquele complexo de escalada.
Ok, eu estava mais corajoso, mas não mais burro. Não iria começar pelo mais difícil, em hipótese alguma, por isso escolhi o nível I.
Aquilo era nada mais que uma parede de quinze metros de altura com o topo inclinado (sendo a altura e o topo as dificuldades), na qual havia pedras que serviam de apoio para quem fosse subir. Duvidava que aquelas mínimas rochas suportassem o meu peso.
Talvez eu ainda não tenha contado, mas não me custa falar mais uma vez. Diferentemente de meus irmãos, filhos de Hefesto, eu não era corpulento ou extremamente musculoso, nem sabia exatamente o porquê. Meu corpo era definido, é verdade, mas algo equiparado a filhos de Apolo um pouco mais desenvolvidos, não a filhos de Hefesto. Talvez isso me ajudasse no complexo de escalada...
Uma instrutora preparava os campistas para subirem nas diversas paredes do local, colocando neles os equipamentos necessários. Assim que chegou a minha vez, passei a rezar para que ela soubesse o modo correto de botar os equipamentos em meu corpo (o que chegava a ser um insulto à inteligência dela) para que eu não caísse sem o cabo de segurança (não sabia o nome da maioria daquelas coisas), pois, caso acontecesse, eu teria uma passagem só de ida para o Mundo Inferior, orando para que fosse parar nos Elíseos.
Devo ter parecido nervoso, pois a todo momento a instrutora ria ao mesmo tempo que prendia o protetor à minha cintura.
— Novato aqui? — Pergunta ela com uma voz doce.
— No complexo? Sim. Mas estou no Acampamento há dois anos.
— Dois anos e nunca veio ao complexo de escalada?! — Disse ela. — Nossa, por onde andou?
Era comum conhecer todos ali, ao menos de vista, até porque não era um lugar tão grande e sempre o número de pessoas diminuia, mas aquela garota em especial eu não conhecia.
— Prazer, sou a Ravanna. — Falou ela estendendo a mão para que eu a apertasse, num simples cumprimento.
— Prazer, sou o Charlie. — Disse-lhe.
A garota deu um sorriso e afastou-se um pouco, logo em seguida voltando com um cabo para conectar ao aparelho em minha cintura.
— Nível I, presumo. Por aqui, Lie. — Ela falou calmamente, mas pronunciando aquele estranho apelido com uma espécie de cuidado. Coincidência ou não, acabara de me chamar de "mentira" em outra língua.
Ela conectou o tal cabo e me puxou até a parede que eu havia escolhido e que ela, como instrutora experiente e pessoa com bom senso, presumiu.
Assim que me posicionei na base da parede, ouvi as instruções da garota.
— Vá com calma e siga com um membro por cada vez, sempre procurando uma posição segura e confortável. Cuidado com o topo, é ingrime e perigoso para novatos. Não haverá lava, tremores ou pedras falsas, mas a última parte pode complicar... Boa sorte, Lie. — Disse ela afastando-se.
Minha primeira atitude foi buscar um primeiro apoio para a mão esquerda e outro para a perna direita, assim poderia começar a subir usando os membros livres. Ao ter apoio firme nos membros ditos, passei a subir levemente e como ela tinha me informado: um membro por vez. Sempre alternava entre braço direito, perna esquerda, braço esquerdo, perna direita e assim por diante, voltando a início do ciclo vicioso.
Preferia ne olhar para baixo, apenas concentrava-me nas pedras e na subida, escutando os estímulos cada vez mais inaudíveis de Ravanna.
Quando resolvi olhar para baixo, arrependi-me amargamente. A visão dos pouco mais de oito metros — presumi que fossem oito metros — me fez ter náuseas e me deixou um pouco tonto, fazendo com que eu caísse pela primeira vez. Se ainda não caiu livremente por cerca de oito metros não sabe o que é desespero; e espero que não passe.
Cheguei a pouquíssimos metros do chão, mas a corda que me segurava me fez parar, puxando-me pela cintura e deixando-me de cabeça para baixo.
— Acho melhor tentar de novo. — Disse Ravanna entre risos. Ajudou-me a ficar na posição correta, assim como a começar a subir.
Respirei fundo, olhando para cima e vendo todo o trajeto que ainda teria que fazer. Ao menos era menos cansativo que lutar contra monstros.
— E tente não olhar para baixo, percebi que tem vertigens. — Instruiu ela.
Apenas confirmei com a cabeça tornando a subir: perna direita, mão esquerda, perna esquerda, mão direita.
Fazia assim como ela me disse, usando do tal ciclo vicioso. Não sabia se a minha habilidade com as mãos devido as forjas ajudavam, mas se sim, aquilo deveria ser mais fácil para mim. Parava a cada quatro repetições da sequência, respirava e continuava, sempre olhando para cima.
Quando dei por mim já havia subido boa parte do percurso, Ravanna ainda gritava da base da parede e agora eu via alguém subindo habilmente na parede do lado. Era uma garota que eu lembrava ter visto por ali, talvez no refeitório...
Estava parado, observando para ela. Estava perdendo o meu foco: chegar ao topo. Assim como Ravanna disse, eu não deveria olhar para o chão, aquilo me faria cair novamente.
Tornei a repetir a sequência até chegar a um ponto com as pedras mais esparsas, onde ficava mais difícil de segurar-me. Devido a isso, quando tentei pegar uma pedra mais longe com a minha mão direita, deslizei e cai no amente da parede, mas daquela vez eu havia me segurado numa das rochas do meio do percurso, batendo não muito forte o corpo contra a parede.
Nem me atrevi a olhar para baixo, procurei novamente apoio para os outros membros e segui subindo. Devia ter caído boa parte do que já havia subido, contudo, não desisti. Entendia que não era muito fácil para um "novato" subir pela primeira vez uma parede de quinze metros sustentado apenas por pequenas pedras, mas precisava cair tanto?
Já um pouco mais acostumado, subi mais rapidamente a parede, chegando novamente, com um pouco de esforço, à parte com as pedras mais esparsas. Tomei mais cuidado para não cair, mesmo que deslizando vez ou outra os pés nas pedras.
Senti uma maior dificuldade perto do topo, já vendo o finalzinho da parede. Arfei, buscando a melhor posição possível, até que passei a subir ainda mais vagarosamente os metros finais, seguindo ainda a mesma sequência viciosa.
A adrenalina estava alta, realmente estava vencendo o meu medo daquela parede e chegando ao topo, mesmo sendo num nível baixo. Ravanna gritava, mas eu não olhava, justamente por orientação dela. Faltava cerca de um metro quando parei. Peguei um apoio com minha perna direita, em seguida agarrei numa pedra com a mão esquerda, ficando cada vez mais perto do fim... E mais perto... E mais perto...
Assim que minha mão tocou na última pedra e minha perna alcançou o mais alto que pôde, toquei uma pequena sirene vermelha, informando que havia acabado. Quando o fiz, olhei para baixo e novamente tive vertigens, caindo e sendo segurado pela corda.
Novamente de cabeça para baixo e muito tonto, escutei os parabéns de Ravanna, enquanto sentia mãos me tirarem do aparelho e me colocarem no chão.


Template roubado do capiroto grego -q
valeu @ carol!

Caitlin Sternefeld
Filhos de Hefesto
Mensagens :
71

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Tisbe em Seg 09 Jun 2014, 17:20


 Avaliação




- Coerência: 50/50
- Coesão, estrutura e fluidez: 20/25
Eu não consegui me prender tanto ao texto por causa do modo que ele foi estruturado (dividido) foram poucos parágrafos que vi, em alguns momentos eram apenas frases.
- Objetividade e adequação à proposta: 15/15
Aqui está de parabéns!
- Ortografia e organização: 8/10
No total, achei seis erros seus, que poderiam ter sido concertados por uma simples revisão.

- Total: 93 xp.


Aguardando Att ---
Tisbe
Dríades
Mensagens :
294

Localização :
Floresta - Bosque - Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por 078 - ExStaff em Ter 10 Jun 2014, 14:58

Atualizado.
078 - ExStaff
Deuses
Mensagens :
695

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Complexo de Escalada

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 16:16

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum