Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

Campo de Morangos

Página 2 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Campo de Morangos

Mensagem por ♦ Eos em Dom 20 Out 2013, 04:10

Relembrando a primeira mensagem :





- - - - - - - - - - - Campos de Morango


Morangos em geral necessitam de clima ameno para crescer, sendo plantados no final do verão para serem colhidos no final do outono. Contudo, a magia do Acampamento e a habilidade dos sátiros, dríades e semideuses ligados às plantas faz com que seu cultivo seja praticamente perene no local. Os campos são, então, divididos em áreas com diversos tipos de desenvolvimento:

Área 1: Terreno com a terra a ser preparada para as novas mudas. Aqui, o trabalho é mais braçal, com limpeza do solo a ser utilizado, retirando ervas daninhas, mistura de substrato e a separação da área em trincheiras para o plantio.

Área 2: Terreno para a plantação de mudas. Aqui, as mudas trazidas da estufa são transplantadas. É um trabalho delicado, que requer cuidado e atenção, além de condições adequadas de umidade do solo.

Área 3: Manutenção. Aqui, apesar de ainda não estarem no ponto são plantas mais desenvolvidas. Requerem cuidados com a poda e irrigação, além de controle de pragas.

Área 4: Morangos maduros: Os campos onde os pés estão prontos para a colheita. Deve-se ter cuidado com as frutas, que são frágeis, para não ocasionar perdas na produção.

Além dessas áreas, há outros pontos de interesse:

Estufas: Local onde são criadas as mudas até o estágio adequado para o transplante na terra. O controle de condições aqui é mais rígido, para que não haja perdas.

Campo de adubo: Essa área afastada é utilizada para a fabricação de adubo para os campos, utilizando o esterco de pégasos e cavalos e restos orgânicos, provenientes de sobras do refeitório. O cheiro é terrível, mas está longe o suficiente para não interferir nos campos.

Galpão: Próximo às estufas, o galpão guarda os itens necessários para o trabalho no local. Pás, sacos de substrato, carrinhos de mão, mangueiras. O controle do sistema de irrigação também fica ali. Uma áres específica é destinada ao armazenamento dos morangos colhidos. As embalagens ficam guardadas aqui também, e há um refrigerador na temperatura adequada para manter os morangos recém colhidos frescos, enquanto não são enviados para a cidade para a venda - trabalho realizado por Argos na van, geralmente na companhia de um ou dois sátiros ou outro campista.

Controle de irrigação: Presente em todo o campo. O controle central fica próximo ao galpão. Cada área tem controles específicos que regulam a quantia de água e regularidade em que são irrigadas.

Além disso, existem vários sátiros e campistas auxiliando e controlando tudo, para evitar que novatos cometam qualquer besteira.

- - - - - - - - - - - Observações


A descrição aqui visa dar uma base interpretativa na hora de descrever a realização do trabalho;

NPCs podem ser utilizados livremente - sátiros, dríades e filhos de deuses ligados à natureza são bem presentes aqui;

A postagem aqui pode ser realizada semanalmente. Desrespeitar isso causa anulação da postagem na primeira tentativa. Reincidências podem ter punições mais graves.

A postagem nos campos não rende xp, apenas dracmas. O valor é de no máximo 10 dracmas para as melhores postagens.

Flood não é permitido. Só serão consideradas postagens com mais de 5 linhas em fonte arial ou times tamanho 12 com margem normal, no Word. Templates e tables são aceitos, mas o tamanho da postagem será verificado para ver se o conteúdo se adequa ao disposto.





SHINJI @ OPS!
♦ Eos
avatar
Administradores
Mensagens :
1393

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Campo de Morangos

Mensagem por Violette I. M. de Liz em Qua 04 Dez 2013, 19:02

Quando saí dos estábulos fui almoçar no refeitório. Peguei dois sanduíches de atum e presunto e joguei um na fogueira para minha mãe. Na verdade, não estava com fome. Eu queria fazer mais alguma atividade. Me levantei da mesa sem nem ao menos ter tocado na comida e sai andando, pensando no que fazer. Lembrei dos campos de morango. Era uma boa ideia. Sorrindo me dirigi para os campos e quando cheguei lá vi o perfeito contraste entre o vermelho e o verde. Parece uma árvore de natal gigante. Ri internamente com o pensamento idiota e caminhei até a plantação. O aroma doce invadiu minhas narinas e eu suspirei prazerosamente. Detalhe: Eu era louca por morango. E aquelas coisinhas redondinhas e vermelhinhas quase gritavam para irem pro meu estômago. Olhei para os lados desconfiada e me abaixei, pegando o maior morango e colocando na boca. O gosto adocicado invadiu minha língua que dançava saboreando a fruta.
- Ei! Isso não é permitido sabia? – Falou uma ninfa raivosa que estava de pé do meu lado. Percebi que devia estar parecendo um esquilo, já tinha, pelo menos, uns três morangos na minha boca. Mastiguei e engoli rapidamente, quase engasgando.
- Desculpe, não resisi. – Disse sorrindo e tossindo. Ela bufou e saiu andando. Sorri e comecei o trabalho. Peguei uma cesta no galpão e comecei a caça aos maiores e mais maduros morangos, puxando o talo com cuidado para não machucar a fruta. Quando percebi, minhas mãos já estavam cheias de terra e a cesta, cheia de morangos. Dei de ombros, peguei outra cesta e sentei no chão de pernas cruzadas enchendo a segunda cesta. E é claro que eu comia um ou outro que colocava na cesta, mas, ei, eu estava ‘‘checando a qualidade do produto’’. Comecei a cantar alto Nothing Left to Say Now do Imagine Dragons e This Is War do 30 Seconds To Mars com a mão esquerda em círculo fingindo segurar um microfone e balançando a direita, fazendo os outros campistas me olharem como se eu fosse louca. Talvez eu fosse, não me importava. Quando vi, o sol, ou melhor, Apolo, já estava alto no céu e a segunda cesta, cheia. Peguei as duas cestas e entreguei a ninfa que havia ralhado comigo mais cedo.

- Eu deveria lhe dar menos, já que você comeu bem metade da plantação, mas aqui está. – Disse ela estendendo a mão com um sorriso. Sorri de volta, peguei os Dracmas de ouro que ela me dera, guardei no bolso e fui para o chalé tirar o suor do corpo.
Violette I. M. de Liz
avatar
Filhos de Perséfone
Mensagens :
27

Localização :
Pergunte as flores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Niklaus C. Schaefer em Qui 05 Dez 2013, 04:56

Hora da colheita!
"Bela tarde!" Pensei comigo mesmo enquanto saio do meu dormitório, está mesmo um dia lindo lá fora. Eu estou bastante animado sobre cuidar da plantação de morangos, espero obter bastante dracmas para comprar minhas armas.
Ao chegar na plantação de morangos e vejo que há muitas tarefas a serem feitas. decido que vou preparar a terra para o plantio já com a intenção de deixar meus braços mais fortes para essa minha nova vida de semideus. Pego uma pá e começo a tirar as ervas daninhas do solo, tendo o cuidado de arranca-las pela raiz para que não cresçam mais tão facilmente. Assim que término de limpar começo a cavar as trincheiras onde serão postas as mudas dos pés de morango, vou cavando por todo o campo que limpei anteriormente, botando bastante substrato e até tirando as pedras grandes para que depois não atrapalhem no desenvolvimento das raízes das plantas.
Depois de pronto eu estava exausto, mas não achava que era o suficiente, afinal, queria muitos preciosos dracmas, então resolvi continuar com meu plantio partindo para a próxima tarefa. Dessa vez não é um trabalho que exige muita força física, e sim cuidado. Eu pego uma mangueira e vou deixando o solo um pouco úmido para o plantio mas não muito para que as mudas não "afogassem", depois colocava muda ao lado de muda cobrindo-as com bastante terra e deixando, é claro, um pedacinho de seu pequeno tronco para fora. Por fim dei uma ultima umidificada no solo.
Após ter enterrado todas as mudas. E fui receber meus dracmas, fiquei feliz com o pagamento e voltei ao meu dormitório para descansar do longo dia de trabalho.
Niklaus C. Schaefer
avatar
Filhos de Eos
Mensagens :
1305

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Zeus em Qui 05 Dez 2013, 10:46






Atualização
Atualizado por ♦️ Zeus

Carrie Williams + 9 dracmas - Tente deixar o texto com um ritmo legal de ser lido, sem deixá-lo corrido, sabe? Fora isso, ótimo post!

Ícaro Newerland + 8 dracmas - Um bom post, mas lembre-se de sempre iniciar uma frase com letra maiúscula. Só não entendi muito bem como você arrancou as ervas daninhas com a pá, mas tirando isso foi um bom post.

herp
Zeus
avatar
Deuses
Mensagens :
2026

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Edwin Barton em Sex 06 Dez 2013, 18:37

P { margin-bottom: 0.21cm; }
Acordava cedo com o sol entrando pela janela do chalé 11(pois até então, eu sou indefinido), e me dava conta de que pela primeira vez não tinha tido nenhum sonho. Me levantava, pegava minha toalha, roupas limpas e aescova de dentes, e me dirigia aos chuveiros, uma construção de blocos de concreto na área comum entre os chalés, para um fresco e relaxante banho antes de proseguir com as atividades do acampamento.
Os chuveiros estavam vazios, o que era de se esperar de manhã logo cedo, entrava num dos boxes do banheiro e abria o chuveiro, a água estava fria o que era bom para fazer com que os campistas despertassem, me lavava e escovava os dentes, enxugava-me e colocava minhas roupas. Ao sair via que alguns campistas também já haviam acordado, os garotos do chalé de Apolo jogavam basquete, arremessando as bolas do outro lado da quadra e fazendo cestas sem sequer deixar que elas encostassem no aro, filhos de Ares amedrontavam campistas novatos e os filhos de Hérmes se preparavam para mais uma de suas pegadinhas.
Voltava para o chalé, guardava minhas coisas e verificava se meus dracmas ainda estavam no lugar,felizmente estavam, me sentava na cama, olhava para a janela e via os campos de morango; verdes e vermelhos, grandes e pequenos.Já tomei minha decisão.
- Campos de morangos aqui vou eu- dizia empolgado enquanto me levantava e saia do chalé.
Quanto mais perto eu estava dos campos mais forte ficava o cheiro dos morangos.Lá eu via sátiros tocando flautas de bambu, filhos de Deméter e de Dionísio cuidavam das plantas em desenvoltimento, mas havia uma área onde não tinha ninguém, uma área sem plantas só terra, me aproximei de um sátiro e disse:
- Por que não tem ninguém trabalhando ali? - Apontei para a parte vazia do campo.
O sátiro olhou para mim assustado, talvez porque ninguém preferisse falar com ele à falar com os semideuses.
- Porque ali exige um trabalho mais pesado:Preparo da terra, adubação, carregar sacos e carrinhos de mão de um lado para o outro... Geralmente os garotos do chalé 5 fazem isso. Mas se quiser se aventurar ali poder ir. - Respondeu ele de bom grado.
- Você poderia me ajudar? Pode ser que eu faça algo errado, e mesmo que não faça... Seria legal ter alguma companhia pra varia um pouco. - O sátiro parecia pasmo com meu convite, mas o aceitou e me acompanhou até o galpão para pegar os materiais.
- Então do que vamos precisa eer... hããn... desculpe, acabei de me tocar de que não perguntei o seu nome... - Disse meio constrangido pela minha falta de modos.
- Cornélio - disse ele de modo que eu quase não ouvi - Vamos precisar de: um carrinho de mão, uma pá, uma enxada e um arado. - Ele estava anima enquanto me indicava onde estava cada material.
- Prazer Cornélio, sou Brasileiro. - disse estendendo a mão, Cornélio parecia desencorajado a aperta-la mas o fez.
- Ah, então você é brasileiro mas... Qual o seu nome? - Disse ele inocentemente.
- Meu nome é Brasileiro, na verdade é meu sobrenome mas acho mais exótico que meu nome de verdade, Gabriel, então me apresento como Brasileiro. - Respondi um pouco desanimado e com a frase feita que tenha já há alguns anos, pois aquela não era a primeira vez que alguem não entendiam meu nome.
Recolhia os materiais e os levava para fora do galpão, a pá e a enxada dentro do carrinho de mão e segui até a área de preparo com Cornélio ao meu lado.
Chegando lá vi que a área era maior do que eu tinha imaginado, levariamos o dia todo para preparar toda aquele espaço e eu pretendia fazer alguma outra atividade como um treino ou algo parecido.
- E ai... qual a primeira coisa que tenho que fazer?- Perguntei olhando para ele.
- Você tem que ir até o campo de adubo e encher o carrinho, leve a pá ela vai te ajudar, vai precisar de mais ou menos dois carrinhos cheios para cobrir uma boa área dessa parte do campo e se quer uma dica, tente não respirar com tanta frequência, o cheiro é quase insuportavel.- Entregou-me a pá e se apoiou no enxada deixando o arado no chão, me olhando como se se perguntasse porque ainda estava lá parado.
Peguei a pá e me virei para os campos de adubo, a visão que tive me deu náusea, conseguia ser mais repugnante que os estábulos dos Pégasos, animais evitavam aquele lugar – era melhor procurar comida em outro lugar – mas o trabalho precisava ser feito, me comecei a caminhar até lá, com passos pesados e nem um pouco animados. Olhava ao meu redor procurando algo que pudesse me ajudar a amenizar o mau cheiro e então vi um cano do sistema de irrigação, ele gotejava, uma ideia me surgiu, fui em sua direção e tirei a camisa, coloquei-a junto ao cano bem abaixo do gotejamento; em pouco tempo ela estava completamente molhada, amarrei-a atrás da cabeça e no pescoço fazendo com que cobrisse meu nariz e minha boca.
Finalmente cheguei aos campos de adubo, ele era ainda pior de perto minhocas andavam para todos os lados, ratos e algumas baratas também, o cheiro deveria estar mais ameno mas não siguifica que não fedia, conseguia sentir o cheiro de ovo podre junto com o cheiro do pum dos velhinhos do asilo que visitei com o orfanato um ano atrás.
Criava coragem e fincava a pá no adubo e o colocava no carrinho, depois de repetir esse movimento umas quatro vezes parava, pois o cheiro tinha ficado mais forte, me afastava alguns metros para poder respirar ar puro depois dessa breve parada voltava ao trabalho, mais algumas pás de adubo e enchia o carrinho mas então olhava para onde Cornélio estava me esperando, olhava para o adubo aos meus pés e decidia encher o carrinho mais ainda.
- Prefiro carregar mais peso agora à ter que fazer uma segunda viagem- dizia a mim mesmo enquanto colocava mais adubo até achar que tinha uma quantidade razoavel.
Apoiava a pá nos braços do carrinho e o levantava empurrando-o de volta para os campos de preparo.
-Podia jurar que estaria mais pesado.- disse surpreso com a certa leveza do carrinho enquanto começava a assoviar a música tema de Harry Potter. A volta pareceu bem mais rápida que a ida, e o sol agora estava mais forte por isso coloquei minha camisa nas costas, diminuindo a ardencia.
Cornélio me esperava tocando uma música em sua flauta, provavelmente uma música de sátiros, porque não consegui reconhecer a melodia. Não fez nenhum comentário sobre minha possível demora apenas estendeu a mão e a abriu e fechou rapidamente entendi o seu recado: Me dê. Entreguei-lhe a pá e o carrinho, ele e os pegou e seguiu até o começo dos campos, tentei protestar e ele me mandou ficar em silêncio, obedeci. Observei-o espalhar o adubo pelo campo até a área onde eu estáva, deixou os instrumentos que estava usando de lado enquanto falava:
- Agora é a hora de trabalharmos juntos, você vai primeiro misturando a terra ao adubo com a enxada e eu vou depois afofando-a com o arado.- Peguei as ferramentas e enteguei a ele o arado. Virei-me de frente para ele e finquei a enxada e a movi para frente e para trás, um passo para trás e o mesmo movimento, quando estava um pouco mais longe Cornélio começou a passar o arrado na terra bem devaga, quando terminamos ouvimos o som da concha indicando que era hora do almoço, nos olhamos e ele disse:
- Pode ir, já terminamos por aqui, eu guardo tudo.- Disse ele sorrindo gentilmente.
- Obrigado.- Respondi retribuindo o sorriso e indo em direção à área comum onde todos os chalés se reuniam.
E assim foi meu primeiro dia trabalho nos campos de morango.
Edwin Barton
avatar
Filhos de Apolo
Mensagens :
33

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Nymeria em Dom 08 Dez 2013, 18:07

Campos de Morango


O dia está nublado e Alison está parada em sua árvore, fazendo nada. Olha ao seu redor, entediada e o olhar de Tormenta pousa nos Campos de Morango. A garota não está com muita vontade de ficar perambulando Campos afora, mas como não tem nada melhor para fazer, decide dar uma ajuda aos poucos que ali estão. Alison caminha bem devagar até as fileiras e mais fileiras de morangos, o perfume doce das frutas fazendo-a se sentir um pouco melhor. A garota finalmente chega ao seu destino, e uma fraca chuva começa a cair. Ela suspira, pois não é muito apaixonada com chuvas. Olha ao seu redor novamente, e avista algumas cestas ali perto. A mesma vai até os objetos e pega uma grande. Depois começa a enchê-la com os morangos maduros e fortes. Após encher a primeira cesta, Alison enche mais quatro, e nesse meio tempo, de gotas finas de chuva passaram para fortes. Tormenta está toda ensopada, mas não liga, ela até gosta. A mesma pega algumas sementes de morango e as planta, não precisa regá-las por causa do tempo. Não é para estar chovendo assim, afinal as barreiras do Acampamento não deixam isso acontecer. Mas mesmo assim Alison decide não comentar nada, pois pela primeira vez está gostando. Assim que termina seu trabalho, Tormenta vê que é a única nos campos e decide sair rápido. Toda ensopada, abandona os Campos de Morango, e se vê feliz, afinal até que o dia não tinha sido assim tão ruim.
Nymeria
avatar
Dríades
Mensagens :
138

Localização :
Floresta Negra

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Olivia Hävgaard-Løeg em Seg 09 Dez 2013, 21:15



Campo de morangos.
Huuuuuuuuuuuuuuuum :9



Perambulando pelo acampamento não pude deixar de parar para fitar o tão belo e extenso campo de morangos. Olhei para o céu, em poucos minutos seria definitivamente noite, mas havia tempo para uma atividade extra. E para mais dracmas, claro. Dirigi-me para o galpão onde pegaria os itens que ajudariam-me na colheita das pequenas e deliciosas frutas. Sai do local e senti uma leve brisa afagar meus cabelos, de fato o clima estava agradável para a oque eu iria fazer. Com a cesta em mãos rumei para a área dos morangos maduros. Fiquei tentada com a imagem que via, com fileiras extensas cheias de moranguinhos vermelhos, suculentos e... Crystal, você veio aqui para trabalhar! - murmurei. Aproximei-me da primeira planta, estava carregada de frutos. Peguei um por um delicadamente e colocava-os na cesta devagarinho para não causar nenhum dano, várias vezes eu tivera de usar a adaga para retirar aqueles que estavam mais presos, um trabalho delicado, nem um pouco cansativo. Passara vários minutos fazendo isto, a cesta encheu e lentamente eu voltei ao galpão. Avistei um refrigerador e pensando que de fato seria o certo á fazer coloquei os morangos recém colhidos junto aos outros. Uma garota adentrou o local, estava suada.

Quer ajuda? — Perguntei á ela. Eu estava completamente disposta.
Seria ótimo. Quero plantar mais alguns esta noite. — E dizendo isso eu e ela fomos para a estufa pegar as mudas.

(...)

Com o maior cuidado do mundo e certificando-nos de ser o terreno certo nós começamos a atividade. Com uma pequena pá eu abri um pequeno buraco no solo, com o maior cuidado possível eu coloquei uma mudinha no local e depois tapei as beiradas para que a planta se mantivesse firme. Fiz esse mesmo processo durante minutos, e quando dera por mim já suava igualmente á garota. Levantei-me e fitei a pequena plantação que fizemos, estava completamente alinhada, afinal, era de meu feitio ser caprichosa com as coisas. Certificando-me de que ela não precisava de mais alguma coisa, fui á procura de alguém para receber os dracmas.



Olivia Hävgaard-Løeg
avatar
Filhos de Poseidon
Mensagens :
103

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Zeus em Qua 11 Dez 2013, 09:12






Atualização
Atualizado por ♦ Zeus


Gabriel + 8 dracmas. - Um bom post, apesar de que você prolongou demais a introdução, o que acabou afetando um pouco na hora da avaliação. Você cometeu alguns erros, como a falta de acentuação em algumas palavras e sentenças muito longas. Encontrei algumas palavras soltas na narração também, mas fora isso, foi um bom post. Bem vindo ao fórum, Gabriel! [Ao te atualizar a página deu erro inúmeras vezes, por isso tentarei atualizar novamente mais tarde]

Alison + 7 dracmas. - O seu post foi bom, Alison, mas você poderia tê-lo desenvolvido muito mais! Ficou um tanto quanto resumido e rápido demais, então tente fazer com mais calma e detalhes na próxima!

Crystal + 10 dracmas. - Post muito bem feito. A leitura passou ao leitor que a semideusa de fato estava sendo cuidadosa, o que deixou o post mais real, por assim dizer. Sua introdução não ficou muito longa e a atividade foi muito bem efetuada. Meus parabéns!
Zeus
avatar
Deuses
Mensagens :
2026

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Melanie J. Sapphire em Sex 13 Dez 2013, 15:41

]Morangos



Estava me acostumando com a idéia que eu devia fazer pelo menos uma atividade extra por dia,enfiava todas as opções de atividades em um saco(Canoagem,hipismo,colher morangos,lavar estábulos...) colocava a mão dentro do saco e puxava uma opção ,graças ao céus hoje seria dia de colher morangos minha segunda atividade preferida,e claro depois de hipismo.Dei um sorriso enorme ao saber que não lavaria estábulos hoje,na minha jaqueta de couro eu guardava o meu punhal no bolso para cortar os morangos,por experiência própria eu descobri que se você não usar um objeto cortante para dissipar um morango e acabace usando as mãos, com certeza nos próximos dias elas estariam coçando e ardendo.
 Saio de meu chalé com muito entusiasma,cada vez que chegava mais perto do campo sentia a doce brisa dos morangos mágicos,os sátiros e as ninfas corriam de um lado para o outro fazendo os frutos amadurecerem e olhando se os voluntários estavam fazendo seu trabalho direito.Bom,se você nuca provou um morango do acampamento você não viveu,eles são os melhores do mundo !
 Me agachei e peguei dois pequenos baldes que o acampamento sedia para a colheita e comecei a cantar uma musica de ninar,os morangos estavam tentadores e vermelhos como sempre comecei a encher o primeiro balde cortando os cabinhos com o punhal,aqueles dacmas estavam no papo....Como dizem mesmo?!Ah!Fichinha.
 Depois de algum tempo minha canção de ninar acaba e percebo que o balde esta transbordando e algum morangos caem no chão.

-Bolas!-Digo tentando não dizer palavrões.

Colho todos aqueles morangos que caíram do primeiro balde ,eles deram metade do segundo ,ótimo agora só faltava  encher ½ .

Volto a cortar os cabos com a arma inventando outras notas musicais em minha mente ,ao perceber que o segundo recipiente estava cheio entrego os baldes para um dríade qualquer e estendo a mão para ela,a ninfa pega do bolso algumas moedas douradas(dracmas)e coloca a quantia na minha mão.




   

Armas utilizadas...:
- Punhal de bronze sagrado [Possui a lâmina estreita e sem corte feita de bronze sagrado, tem uma ponta fina e afiada para permitir melhor perfuração. O cabo é metálico, revestido em couro para maior conforto no manuseio. Acompanha bainha simples.][Bronze sagrado e couro][Sem nível mínimo, sem elemento]
13.12.2013
[/color]
Melanie J. Sapphire
avatar
Filhos de Melinoe
Mensagens :
373

Localização :
CHB

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por 073-ExStaff em Sex 13 Dez 2013, 19:13


Atualização

Sue Smith + 5 dracmas – Você poderia desenvolver o post com maior esmero, Sue. Use um corretor ortográfico para evitar erros gritantes como os presentes no seu texto.
073-ExStaff
avatar
Indefinido
Mensagens :
327

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Niklaus C. Schaefer em Seg 16 Dez 2013, 02:03

Colheita feliz


Eram sete da manha e estava eu deitado no meu quarto. Pensando no que faria no dia seguinte. Eu já estava exausto de tanto treinar com armas. Hoje eu estava decidido a fazer algo mais "light". Então me lembrei daquela espada que vi na loja outro dia e de como a queria. Decidi assim que devia conseguir mais algumas dracmas. Mas como?
Plantar me parecia uma ideia tentadora. Eu adorava ver as plantinhas crescerem aos meus cuidados. Entretanto quando estava seguindo para pegar as ferramentas para plantar, eu me deparei com o lugar no qual eu havia enterrado algumas mudas anteriormente. Elas estavam grandes e cheias de frutos maduros. Aparentemente alguém tinha cuidado bem delas após de eu tê-las plantado. Não resisti, dei meia volta e fui pegar cestos para colher aqueles frutos maravilhosos. As minhas pequenas plantinhas tinham dado frutos grades e muito suculentos. Eu ficava meio besta com essas coisas, era pra mim meio que emocionante plantar e ver o sucesso de minha plantação. "Que ridículo eu sou" pensava rindo de mim mesmo. Sai colhendo somente os morangos bem vermelhinhos com cuidados para que não se machucassem. Os morangos eram bastante delicados. Tanto que, mesmo com bastante cuidado que tive, alguns deles sempre saiam machucados. Então, para não perde-los (é claro) eu comi aqueles que mais se machucaram.
Quando terminei tinha quatro cestos cheios e outro pela metade. Levei-os para entregar ao meu pagador, eram cerca de onze horas, recebi meus dracmas e como estava todo suado então fui pro meu dormitório tomar um banho.
spoiler:
desculpem a atividade feita as pressas
Niklaus C. Schaefer
avatar
Filhos de Eos
Mensagens :
1305

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Tony Scipriano em Seg 16 Dez 2013, 18:47


Trabalho por castigo

Esse Quíron ainda me paga, centauro velhote
 
O dia estava ensolarado, todos os campistas estavam aproveitando aquela maravilhosa tarde de verão com divertidos momentos de lazer. Jogavam vôlei, passeavam pela praia, namoravam e aproveitavam cada minuto daquele sagrado descanso, todos menos eu. por inadimplência em um de meus treinos em que acabei ferindo gravemente um dos semideuses, Quíron tinha me passado a humilhante tarefa de trabalhar nos campos de morango por toda aquela tarde.
O discurso do centauro tinha sido como sempre chato e recheado de tentativas para passar lições de vida, pelo menos ele tinha sugerido que eu poderia ganhar alguns dracmas por cumprir a atividade. Estava com vestido com a camisa laranja do acampamento e uma velha e rasgada calça jeans e uma ridícula bota, infelizmente caminhava para a direção contraria a da diversão, diretamente para os malditos campos de morango.
Ao chegar no local, poucos semideuses estavam por ali trabalhando e eu rezava aos deuses para que aquilo pudesse acabar logo. Não tinha ideia do que deveria fazer, chutei um pouco de terra e recitei alguns raivosos palavrões ao ar. Eu estava me odiando por estar ali, antes que eu pudesse continuar meus manifestos particulares de repudio, ouvi uma baixa e doce risadinha seguida de uma suave voz:
- Acalmasse jovem, ficar irritado não vai te ajudar em nada.
Com toda a minha raiva no coração, estava pronto para xingar e brigar com qualquer pessoa que fosse. Ao ver quem era, antes que pudesse descarregar toda a minha ira na pessoa, vi uma bela garota de cabelos castanhos e olhos multicoloridos, vestida com um belo vestido com rosas desenhadas e um chapéu antigo de mesma tonalidade. Olhando atentamente soube que a conhecia, era May a minha melhor amiga, tentando conter minha tensão suspirei pesadamente e com um sorrisinho sem graça falei:
- May?! É você mesma? Que ótima que te encontrei aqui, pelo menos agora não estarei sozinho nessa chata tarefa.
A garota me encarava sorrindo, enquanto ainda agachada segurava uma tesoura de poda:
- Bem, estou satisfeita de vê-lo, mas o que te trouxe até aqui Tonyzinho?
Contei para ela sobre o castigo e a tarefa que deveria cumprir,o meu repudio por aquilo tudo e meus problemas de não saber o que fazer. A garota diminuiu um pouco a intensidade do sorriso, tentou me olhar com uma cara mais seria e um pouco zangada, o que não deu muito certo pois sua beleza a fazia sempre parecer doce, apontou a tesoura para mim e disse:
- Que bonito em rapazinho, causando confusão nos treinamentos. Como sua sua linda e graciosa amiga irei te dar uma ajudinha, pegue algumas cestas no galpão e traga para mim, você vai apenas colhe-los enquanto termino de cuidar desse excesso de folhagem.
Com um sorriso de agradecimento em meu rosto, fui caminhando até o galpão menos estressado e com a certeza de que aquele castigo poderia não ser tão ruim. A não muito grande mas incrível construção de madeira estava abarrotada de instrumentos e materiais para o cultivo de morangos, alguns morangos já se encontravam nas cestas prontos para serem vendidos e o ar ali dentro estava uma delicia de refrescante. Peguei três sextas vazias que encontrei e voltei para perto da filha de Afrodite, mostrei para ela os objetos e esperei por novas instruções:
- Ótimo, agora você ira se agachar e colher o maximo de morangos que conseguir colocar nessas cestas.
Ajoelhei ao lado da garota e analisei os pés da fruta, elas estavam realmente prontas para colher, só de olha-las minha boca começava a espumar de vontade de come-los. Em minhas primeiras tentativas acabei destruindo os morangos com as minhas mãos, a garota parecia se divertir com toda aquela cena e não parava de sorrir e balançar a cabeça, se aproximou e falou que eu deveria tratar com mais carinho os morangos, ser gentil e educado ao toca-los. Achei tudo aquilo uma viadagem sem fim, mas segui suas recomendações e aos poucos peguei o jeito de como colher os morangos.
A tarde aos poucos foram passando enquanto eu suava de calor e pelo trabalho, por mais que o serviço fosse chato eu estava me divertindo com minha amiga. Depois que consegui com muito esforço encher as três cestas, as levei para dentro do galpão e coloquei junto com as demais, voltei e me despedi com um abraço em agradecimento de May, eu estava imundo e louco para tomar um banho. Minhas costas doíam um pouco por causa do tempo que tinha ficado agachado, pelo menos tinha cumprido meu castigo enfim e estava livre para descansar e relaxar, fui diretamente em direção a casa grande para informar a Quíron o meu êxito e pegar o meu pagamento.


Tony Scipriano
avatar
Filhos de Ares
Mensagens :
335

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por daughterofAr3s em Seg 16 Dez 2013, 20:25

Meu Primeiro dia no acampamento
faço um amigo no campo de morango.
Bom estava rodeando o acampamento quando resolvi dar uma olhada nos campos de morango e ficava maravilhada de tão lindo que era, era meu segundo lugar favorito, o primeiro era a Arena onde eu poderia soltar toda a minha fúria e mostrar que era boa com espadas ou lanças mas não vem ao caso.
Sentei-me no chão e fiquei observando um pouco o campo de morango, depois me levantei e fui ver se alguém precisava de ajuda pra irrigar os morangos, uma tarefa extra é sempre bom e como eu sou nova no acampamento era minha chance de conhecer novas pessoas sem ser exatamente só em treino de batalha. Então me aproximei e fui perto de um filho de Deméter que parecia bastante cansado, não sei muito bem o que ele estava fazendo mas ofereci ajuda, então ele falou pra eu pegar um pouco de água pra que ele pudesse fazer a irrigação. Então ele olhou pra mim e perguntou
— Foi Quíron que mandou você vir fazer essa tarefa extra.
e então respondi rapidamente
— Não, as vezes venho aqui para pensar um pouco, é estranho porque costumo me expressar melhor na Arena, gosto de luta sabe, ainda não sei que é meu progenitor mas já me deram quase a certeza que sou filha de Ares e bom, eu amaria muito ser filha do deus da guerra.
ele olhou pra mim e disse
— Realmente você tem os traços fortes de Ares, você é grande e parece ser bastante forte.
Olhei pra ele e disse
— Bom vamos continuar. De alguma maneira fiquei sem graça. Então seu pai é Deméter?
Ele olhou pra mim e disse
— Sim.
lhe lancei outra pergunta
— A quanto tempo está aqui?
e ele respondeu
— Bom é o segundo verão que passo aqui. E você está aqui desde quando?
respondi
— Pareço estar faz uma semana aqui mas cheguei hoje pela manhã mas já fiz amizade com os filhos de Ares, eles dizem que eu luto bem e seria uma honra se eu fosse filha de Ares.
— Ah sim, disse ele, realmente parece que você já esta aqui faz um tempo. Então já estamos terminando aqui, foi bom em conhece-lá.
Dei um sorriso meio forçado pois não gostava muito de sorrir
— Obrigada por ter conversado comigo, foi minha primeira conversa longa com alguém, espero que Quíron não brigue comigo, só quis ajudar.
— Tudo bem, ele não vai brigar não, falo para ele que você está só me ajudando.

daughterofAr3s
avatar
Indefinido
Mensagens :
2

Localização :
Chalé de Ares

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Katherine Silver em Seg 16 Dez 2013, 22:11

Campo de Morangos
Never was a girl with a wicked mind, but everything looks better when the sun goes down


Era noite, entre nove á dez horas, um horário perfeito para um filho de Nyx. No espírito da noite, eu sai de meu chalé para dar uma caminhada, conhecer o Acampamento Meio-Sangue. Eu acabara de conhecer um mundo novo, um muito diferente do qual estava acostumada. Era difícil se acostumar a isso, e a única coisa que eu trouxe para o Acampamento foi dinheiro, que descobri ser inútil aqui. Eles utilizavam... dracons. Não, não. Dracmas. Enfim, eu não tenho esses dracmas, e tenho a vaga impressão que para mandar as famosas "Mensagens de Íris" para meu pai, precisava daquela coisa. Mas onde eu iria achar isso? Eu tentei me lembrar do que Quíron disse.. Ah, claro! O Campo de Morangos! Eu corri até o local, e, apesar do horário, lá haviam dois sátiros. Um deles, de cabelos loiros encaracolados, se aproximou e disse:
-Posso ajudar?
-Hã, na verdade, eu deveria perguntar isso. Eu quero ajudar a fazer... seja lá o que vocês fazem aqui. - eu dei de ombros e mordi o lábio inferior, uma mania que eu não consigo largar. O sátiro soltou um risinho.
-Bem, você pode colher os morangos com a gente. Os mais vermelhos são os mais maduros. Só... tome cuidado, okay? Eu vou pegar um balde. - o sátiro disse, e logo voltou com balde de madeira.
Ele me entregou o balde, e eu comecei a colher os morangos. Eu estraguei os primeiros 2, por falta de técnica, mas o sátiro me mostrou o quanto eu deveria ser cuidadosa.
-Nova no Acampamento? - ele perguntou.
-Pois é. Sou filha de Nyx, meu nome é Katherine Silver. Mas pode me chamar de Kath. - eu falei.
-Eu sou Jeremy, o sátiro. Então, como estão indo seus primeiros dias aqui?- Jeremy piscou um olho para mim.
Nós ficamos falando e colhendo morangos até não sei que hora. Eu decidi voltar ao chalé quando já estava morta de sono. Pelo menos, eu fiz um amigo.
[#color]
post: 000notes: no notesclothes: Camisa do Acampamento e jeans escuros.
tks, ~math@cg!
Katherine Silver
avatar
Filhos de Nix
Mensagens :
3

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Sméagol Gollum em Ter 17 Dez 2013, 08:15

Era uma manhã de outono, onde uma brecha que havia na janela fazia a luz entrar no meu quarto indo diretamente aos meus olhos, acordei meio zangado por não dormir o quanto queria. Olhei pela a janela que havia em meu chalé e lá estava o fim de outono, todas as arvores sem folhas, tudo estava sem cor, tudo parecia triste. Eu estava muito exausto e confuso com a vida no acampamento, queria estar minha toca quente com peixes para comer.
        Morrendo de frio fui procurar algum agasalho para vestir, encontrei mais parecia muito isso pensei: “como vou comprar um casaco, não tenho nenhum Dólar (não sabia que o dinheiro se chamava dracma) o que vou fazer para conseguir algum dinheiro:". Sem pensar duas vezes grande e velho, pensei: “preciso de um casaco novo, bonito e que seja do meu tamanho". Só que logo após abri a porta de meu chalé e fui em busca de trabalho.
Morrendo de frio o tempo ia se passando e não encontrava nenhum trabalho, quando de repente dei de cara com uma placa com os dizeres: “Campos de Morando (oferecemos recompensa). Eu sem pensar duas vezes fui indo ligeiramente até encontrar um senhor com pernas de bode e corpo de humano, disse a ele:
-Olá criatura esquisita, eu e o precioso precisamos de trabalho “sssim noss” precisamos (eu não sei falar direito)
Então a criatura respondeu:
-Colha morangos e te darei uma recompensa                                                                              
Eu peguei um morango que havia em um arbusto atrás de mim e disse:
-“Asssssim” está bom ?
A Criatura zangada respondeu bravamente de morango para conseguir
-Não!! Você precisa encher baldes e baldes cheios até a boca de morangos para conseguir sua recompensa e ainda....
Quando o interrompi
-Já entendi esta “relaxxxa” a criaturinha está nervosa?
Virando a cara e seguindo a trilha. Eu precisava muito de dinheiro, então cada morango que via colocava no balde, indo e indo. No momento estava tudo bem até que começou a ficar cansativo e os baldes ficavam cada vez mais pesados mas não desisti pois necessitava muito de dinheiro, quando olhei para minha esquerda havia uma menina colhendo morangos ao meu lado eu olhei para ela e não disse nada ficou um silêncio constrangedor quando ela virou para pegar um morango e se esticou, sem pensar duas vezes peguei os baldes dela e sai correndo pelos campos em busca da criatura que iria me dar recompensa.



Sméagol Gollum
avatar
Filhos de Herácles
Mensagens :
10

Localização :
Ilha de baixo da caverna dos Orcs nojentosss Golum!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Zeus em Qui 19 Dez 2013, 12:26






Atualização
Atualizado por ♦ Zeus


Ícaro + 8 dracmas. - Melhorou a descrição da atividade e caprichou um pouco mais, mas ainda pode melhorar para obter a recompensa máxima. Cuidado para não esquecer os acentos e a pontuação!

Tony + 9 dracmas. - Não sei se foi erro de digitação rápida, mas nunca comece uma frase com letra minúscula, ok? E cuidado com erros ortográficos.

daughterofAr3s - Nickname inválido, portanto não receberá dracmas. Sobre o seu post: Não esqueça de pontuar suas sentenças para que elas não fiquem incoerentes. Inicie suas frases com letra maiúscula e use cores nas falas para diferenciar as personagens. Atente-se em fazer a atividade, e não só em conversar com os npcs. Para efetuar a mudança de nickname, acesse esse link: http://percyjacksonrpgbr.forumeiros.com/t6749-mudanca-de-nome

Katherine Silver + 8 dracmas. - A atividade poderia ter sido detalhada melhor, atente-se a isso. E tome cuidado com erros de ortografia e coerência.

Sméagol + 7 dracmas. - Alguns erros afetaram o entendimento do seu post, tome cuidado com isso, ok? E seu post ficou um tanto quanto confuso. Cuidado na hora de interpretar a personagem, use os recursos a seu favor na hora de postar.
Zeus
avatar
Deuses
Mensagens :
2026

Voltar ao Topo Ir em baixo

Campos de morango

Mensagem por Jhonn Stark em Qui 19 Dez 2013, 19:27

Naquela tarde, eu estava pensativo. Eu estava no acampamento a quase uma semana e não havia encontrado nada bom pra fazer além dos treinos, que eram muito perigosos. Felizmente, um dos campistas de Hermes havia comentado algo sobre alguém que roubara seus dracmas, que porventura foram conseguidos nos campos de morango.
Chego à conclusão de que se eu quiser fazer algo e ganhar alguns dracmas, esse deveria ser o meio mais fácil.
- Campos de morango, lá vou eu - digo sorrindo.
Ao chegar no lugar, quase me arrependo de ter ido: uma dríade começa a tagarelar sobre o que eu posso fazer, jogando uma torrente de opções para mim.
- Acho que você não entendeu - digo com calma. - sou novo por aqui e...
- Pelo visto você não tem condições de limpar o solo. - ela diz muito rápido. - parece muito desajeitado, e não é o semideus mais forte que passou por aqui...
- Calma Leah. - diz uma garota de cabelos negros e lisos que se aproxima de nós. - Por que você não me deixa levá-lo para colher os morangos na área 4?
A dríade suspira e assente.
- Está bem, mas não destrua nossos morangos!
- Ele não destruirá, eu garanto. - diz a garota sorrindo e pegando dois baldes. - Você está esperando o quê?
Pego dois baldes, assim como ela e a sigo para a área 4.
- agora você vai pegar sua faca e cortar os ramos que prendem os morangos. - ela diz, enquanto me mostra como se faz. - entendeu?
- Claro. - digo, me abaixando e fazendo como ela disse. - mas... como você conseguiu fazer aquela dríade calar a boca?
Ela dá uma gargalhada.
- Não fique incomodado com isso. Leah é meio obsessiva quando se trata dos morangos, mas ela confia em mim por causa de minha mãe.
Eu olho para ela com um ar de interrogação. Ela suspira.
- Deméter. Deusa da agricultura.
- Que legal... - digo sorrindo.
Passamos as horas seguintes enchendo os baldes enquanto conversávamos, enchendo os quatro rapidamente. Estávamos tão dispostos que pegamos mais dois baldes, para poder acelerar a colheita do acampamento.
- Foi bom trabalhar com você Jhonn. - ela diz quando terminamos o serviço.
- Foi bom trabalhar com você também... - minha voz falha quando percebo que não havia perguntado seu nome.
- Esther. - ela diz rindo.
- Foi bom trabalhar com você Esther. - Sorrio, enquanto ela vai para o chalé.
De longe, avisto a dríade, e vou em sua direção. ela diz que eu fiz "no geral, um bom trabalho" e me entrega alguns dracmas. Sorrio e vou em direção ao meu chalé.
Jhonn Stark
avatar
Curandeiros de Asclépio
Mensagens :
696

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por 078 - ExStaff em Dom 22 Dez 2013, 17:35

Avaliação
— Johnn Stark: 5 dracmas. - Novamente, Jhonn, tome cuidado com a mudança do tempo verbal em seu texto. Você começou no passado e finalizou no presente. Preste bastante atenção nisso! Outra coisa que eu preciso dizer que é você precisa focar principalmente nas ações, porque são elas que contam aqui. Não digo que não deve ter falas, mas que não dê preferência à elas. Como dito na outra avaliação, descreva mais, sinta mais, detalhe mais!






Atualização
Atualizado por ♦ Zeus


Edited by H.I.M.


078 - ExStaff
avatar
Deuses
Mensagens :
686

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Piotr Abramovich em Qui 26 Dez 2013, 16:22


 
Campo de Morangos

Um fato relevante para Calvin era sua pobreza. Depois de gastar praticamente todos os seus dracmas com a reforma da biga, restaram apenas uns pouquíssimos trocados. Seus meios para conseguir dinheiro, então, eram simples: missões, campo de morangos ou estábulo. A primeira opção era a que dava maior quantidade, mas Calvin não estava disposto o suficiente para se meter em alguma aventura. Limpar bosta de cavalo? Não mesmo. Ele já vira recentemente o estado do estábulo, porque fazia uma visita diária de interação com Europa. O que lhe restava, então, era colher morangos, uma atividade simples e sem empecilhos.

Apenas uma coisa o incomodava. Ele era filho de Héstia, portanto seu elemento era fogo. Estava indo, àquela manhã, para uma plantação, e poderia acabar com tudo se quisesse... Afastou o pensamento idiota com um tabefe na própria cabeça, numa forma de repressão, embora soubesse que fosse verdade. Também sabia que os responsáveis pelo campo deviam repudiar sua presença ali, mas os compreendia. 

A verdade verdadeira era que ele não ligava. Só queria dracmas. Não queria queimar morangos nem agradar algum semideus, sátiro ou ninfa. — Vamos lá... — Disse, sem ânimo algum, ao aproximar-se do galpão. Em sua grande e escancarada porta, havia um sátiro com chifres inexistentes. Ele conferia alguma coisa em morangos encestados, e por isso demorou a perceber Calvin.

Ah, bom dia. — Cumprimentou, enfim, o semideus, que sorriu singelamente. — Bom dia, senhor sátiro. Sabe, eu... — Antes que pudesse finalizar a frase, o sátiro precipitado interrompeu Calvin e deu a conclusão à sua fala. — ... queria uns dracmas. É sempre assim. Eu entendo. — Um descontentamento era notório na fala do homem-bode, mas Calvin preferiu ignorá-lo. — Ali dentro tem algumas cestas. Pegue uma e vá até a quarta área. — De fato, o filho de Héstia estranhou. O sátiro o mandou para a parte que, segundo um papel na parede do galpão, dizia ser a de colheita. Compreensível e simples, já que Calvin não descendia de Deméter ou Dionísio, então suas habilidades com manuseio das mudas e solo não eram nada boas.

Sem hesitar, Calvin pôs-se para dentro do armazém, buscando pela cesta. Em poucos segundos, avistou várias delas, uma dentro da outra, e trotou para alcançá-las. Com um único puxão muniu-se com uma, e, assim, rumou à área quatro. 

Calvin matutava a reação do sátiro. Aparentemente, não tinha tantos morangos naquele canto em que o bode estava. Talvez uma má época? Deu de ombros, já, que, de fato, ele não ligava para o porquê. Vagarosamente, o rapaz chegou ao seu destino, e, lá, escolheu uma fileira de morangueiros que estavam relativamente fartos. 

Iniciou a colheita com calma, retirando os morangos mais avermelhados do pé. Um assobio contínuo saía dos lábios crispados de Calvin, num solfejo suave. A cesta de vime estava abraçada apenas pelo braço esquerdo do semideus, e, portanto, apoiada em seu flanco respectivo. Sua mão destra ocupava-se de apanhar os frutos. 

Eram necessários uns dois minutos para cada pé. Não somente por conta da lentidão que Calvin tinha, mas porque analisava cuidadosamente cada morango, avaliando se estava bom ou não para ser levado ao galpão, e, posteriormente, vendido. Claro, ele não era especialista nem nada, mas sabia ver a madureza de uma fruta. 

Em quase uma hora, a fileira de pés estava quase no fim. Nisso, Calvin deu uma pausa e repousou o cesto na grama, estranhamente exaurido. O sol estava rumo ao ápice, e gotas de suor desciam ligeiras pelas têmporas do campista, rumo ao solo. Olhando ao redor, Calvin constatou a presença de outras pessoas na colheita, o que diminuía seu trabalho. Além disso, o sátiro que o recebera saía da estufa, uma estrutura envidraçada que localizava-se próxima do galpão de armazenamento. Em suas mãos, ele carregava uma planta dentro de um vaso de cerâmica. Julgando pelo óbvio, devia ser um pé de morango pronto para unir-se aos demais na plantação. Calvin sorriu. 

Então, lembrou-se do que fazia. Flexionou os joelhos e, mantendo a coluna reta, agachou para tomar em seus braços a cesta de morango parcialmente cheia. Faltavam poucos morangueiros, que nem quinze minutos foram essenciais para trabalhá-los. No fim, Calvin tinha um cesto quase lotado de morangos. E, satisfeito como estava, retornou ao armazém, repousando os frutos no canto em que o sátiro estava outra hora. 

Excelente! — Exclamou, assustando Calvin. Quando virou-se, o rapaz viu uma nova expressão no rosto do sátiro, e, por isso, sorriu de novo. — Aqui está sua recompensa, campista. Obrigado pela ajuda e volte sempre. — Falou o homem bode, entregando para Calvin uma pequena sacolinha de seda com uns poucos dracmas em seu interior. Ele, por sua vez, despediu-se com um renovado sorriso jovial, pondo-se de volta em direção ao chalé. 


Leveck @ CG | Edited
Piotr Abramovich
avatar
Filhos de Héstia
Mensagens :
1352

Localização :
Nômade

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Sean Scarevich em Sab 28 Dez 2013, 09:59

Acordei e meus olhos avistaram o teto do chalé de Hermes. Eu estava com muita vontade de fazer alguma coisa, mas não sabia o quê. Depois do café fiquei desorientado andando pelo acampamento. Não tinha nada pra fazer o dia inteiro, só dormir e praticar com a minha espada. Resolvi ir até os campos de morangos para sei lá, colher morangos. Tinha praticamente um zilhão de Dríades e Sátiros espalhados pelos campos fazendo tarefas diferentes. Todos eles eram rápidos e tinham um jeito com as plantas que só quem viu um deles fazendo isso pode entender. Resolvi interromper o trabalho de um sátiro:

-Oi, Sr.Sátiro. Quero ajudar nos campos. O que eu posso fazer?
-Temos 4 áreas diferentes.Cada uma cuida de uma coisa.

Aquele sátiro esclareceu muito a minha cabeça. Para não dizer o contrário. Resolvi escolher a área 3 aleatoriamente, e me ferrei.Eu me molhei todo. Dríades passavam com mangueiras para lá e pra cá regando as plantas.Elas não paravam um segundo. Fiquei encarregado do controle de pragas. Eu jogava tanto veneno nas plantas que o local ficavam branco de fumaça.Sim,eu não levava jeito para estufa.Eu tinha que fazer outra coisa...
Sean Scarevich
avatar
Indefinido
Mensagens :
36

Localização :
Não é da sua conta,idiota!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por 101-ExStaff em Qui 09 Jan 2014, 19:14


Campos de Morangos

♦ Calvin: +10 Dracmas. Post muito detalhado e envolvente, parabéns.
♦ Mattew: +2 Dracmas. Faltou o detalhamento do seu trabalho, além do comprometimento. Você simplesmente disse que não se dava bem com a área e jogou veneno no local. Incremente sua postagem com mais coisas, como a poda da plantação, por exemplo. Comprometa-se com o que está fazendo, ok?

Aguardando Atualização

♦ the white swan turned in black ♦ @ cg
101-ExStaff
avatar
Indefinido
Mensagens :
387

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por ♦ Eos em Sex 10 Jan 2014, 01:27


☀ Atualização ☀
♦ Eos
avatar
Administradores
Mensagens :
1393

Voltar ao Topo Ir em baixo

Trabalho no Campo de Morangos

Mensagem por Mirelle Fay em Sab 11 Jan 2014, 18:38

Levantei de onde estava deitada na grama. Minha mente estava uma turbulência por conta de toda a história que envolvia minha chegada no acampamento mas não ia me deixar abater. Tinha que fazer alguma coisa, me pôr em movimento.
Já que ia fazer algo, resolvi fazer algo que pelo menos desse algum dinheiro. Minha escolha era limpar os estábulos ou trabalhar no campo de morangos e como não estava nada afim de mexer com estrume de cavalos logo no meu primeiro dia, optei por trabalhar nos campos.
Chegando lá, não sabia muito bem o que fazer, mas logo fui instruída das minhas opções por um sátiro que estava no local. Decidi-me por preparar o terreno para o plantio, um trabalho mais braçal, já que estava precisando de aliviar meus pensamentos e desconcentrada demais pra fazer algo que necessitasse de mais cuidado.
Guiada pelo sátiro, fui até o galpão e peguei 1 enxada e 2 baldes e me dirigi para o trabalho.
Comecei limpando o terreno com a enxada, retirando as ervas doninhas da terra e colocando nos baldes. Era um trabalho cansativo, mas me distraia das minhas preocupações.
Ao deixar o terreno limpo, voltei para o galpão e esvaziei os baldes, os guardando nos locais corretos depois de limpos. Peguei uma garrafa de água e me sentei para descansar do trabalho pesado uns 15 minutos.
Descanso terminado, enchi um carrinho de mão de substrato e retornei ao trabalho. Já era fim de tarde, mas como filha de Nyx, sempre preferi trabalhar durante a noite.
Já com os pensamentos em ordem, mais tranquilos, misturei o substrato à terra. Agora só faltava uma etapa.
Embora cansada, não iria deixar meu trabalho pela metade nem malfeito, tratei de pegar a enxada e cavar as trincheiras.
A lua já estava alta no céu quando terminei meu trabalho e guardei os materiais utilizados, morta de cansaço e totalmente suja de terra, mas estava com uma sensação agradável de trabalho bem feito que era bem melhor que a turbulência que antes tomava meus pensamentos. Para terminar a noite bem, só precisava de mais três coisas: Um bom banho, comida e minha cama.
Mirelle Fay
avatar
Mentalistas de Psiquê
Mensagens :
875

Localização :
Inside Your Mind...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Abraham Hanson em Qua 15 Jan 2014, 18:38

Perambulando pelo acampamento não pude deixar de fitar o extenso campo de morangos. Ainda eram 3 horas da tarde e como estava sem fazer nada achei que trabalhar poderia ser bom para mim (ou quase tão bom quanto ganhar algumas dracmas.)
Dirijo-me para o galpão onde ficam armazenados todos os equipamentos. Dei uma olhada na tabela de trabalhos necessários e escolhi a colheita. Peguei dois cestos no interior da construção e fui para as plantações.
A colheita de morangos era o trabalho mais escolhido pelos campistas, por ser mais fácil que arar a terra, mais simples que plantar as mudas e precisar de menos cuidado do que as estufas, com certeza era a escolha dos que vinham atrás somente do dinheiro.
Fui para as plantações e iniciei o trabalho. Colher morangos pode ser mais fácil que arar a terra para o plantio, mas tem suas dificuldades. Debaixo do sol forte eu estava começando a suar e minhas costas doíam de tanto agachar e levantar para alcançar os frutos. Era um trabalho repetitivo, cortar os talos dos morangos com a faca, levantar, andar, abaixar e fazer tudo de novo.
Algum tempo depois comecei a ficar tentado em comer um daqueles lindos e saborosos morangos, porém havia semideuses e ninfas por todo lado eu não poderia correr o risco de ser pego e perder o dinheiro que esperava conseguir com aquele trabalho. Conforme o tempo passava as cestas ficavam mais pesadas e o esforço para carregá-las aumentava.
Finalmente quando já passava um pouco das cinco da tarde eu enchi completamente os recipientes e já que meus pensamentos estavam começando a centrar-se em tomar banho e no jantar a noite, achei que era hora de parar.
Fui ate o galpão onde havia uma área refrigerada destinada ao armazenamento das colheitas, neste local depositei o conteúdo das cestas e saí para tomar um banho e depois relaxar a beira do lago.
Abraham Hanson
avatar
Indefinido
Mensagens :
18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Zeus em Qui 16 Jan 2014, 10:13






Atualização
Atualizado por ♦ Zeus


Mirelle + 9 dracmas. - Lembre-se: ervas daninhas, não doninhas.

abraham hansom - O seu post ficou ótimo, ganharia os dez dracmas facilmente, mas o nickname não esta de acordo com as regras do fórum, portanto o post não é válido. Para efetuar a mudança de nome, basta acessar esse link e seguir as orientações no primeiro post: http://percyjacksonrpgbr.forumeiros.com/t6749p930-mudanca-de-nome
Zeus
avatar
Deuses
Mensagens :
2026

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Abraham Hanson em Sab 18 Jan 2014, 16:43

Perambulando pelo acampamento não pude deixar de fitar o extenso campo de morangos. Ainda eram 3 horas da tarde e como estava sem fazer nada achei que trabalhar poderia ser bom para mim (ou quase tão bom quanto ganhar algumas dracmas.)
Dirijo-me para o galpão onde ficam armazenados todos os equipamentos. Dei uma olhada na tabela de trabalhos necessários e escolhi a colheita. Peguei dois cestos no interior da construção e fui para as plantações.
A colheita de morangos era o trabalho mais escolhido pelos campistas, por ser mais fácil que arar a terra, mais simples que plantar as mudas e precisar de menos cuidado do que as estufas, com certeza era a escolha dos que vinham atrás somente do dinheiro.
Fui para as plantações e iniciei o trabalho. Colher morangos pode ser mais fácil que arar a terra para o plantio, mas tem suas dificuldades. Debaixo do sol forte eu estava começando a suar e minhas costas doíam de tanto agachar e levantar para alcançar os frutos. Era um trabalho repetitivo, cortar os talos dos morangos com a faca, levantar, andar, abaixar e fazer tudo de novo.
Algum tempo depois comecei a ficar tentado em comer um daqueles lindos e saborosos morangos, porém havia semideuses e ninfas por todo lado eu não poderia correr o risco de ser pego e perder o dinheiro que esperava conseguir com aquele trabalho. Conforme o tempo passava as cestas ficavam mais pesadas e o esforço para carregá-las aumentava.
Finalmente quando já passava um pouco das cinco da tarde eu enchi completamente os recipientes e já que meus pensamentos estavam começando a centrar-se em tomar banho e no jantar a noite, achei que era hora de parar.
Fui ate o galpão onde havia uma área refrigerada destinada ao armazenamento das colheitas, neste local depositei o conteúdo das cestas e saí para tomar um banho e depois relaxar a beira do lago.


observação:
estou repostando por conta da regularização de meu nome.
Abraham Hanson
avatar
Indefinido
Mensagens :
18

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campo de Morangos

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum