Enfermaria da Grandine

Página 1 de 15 1, 2, 3 ... 8 ... 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Dom 03 Nov 2013, 21:20






Tenda da Grandine

Ambientação

A tenda se localiza em uma área onde se vê diversos estabelecimentos semelhantes, porém em posição de destaque: Ao lado da Enfermaria Central, é o local reservado à líder dos Curandeiros de Asclépio. Possui uma simples abertura ao invés de uma porta, e um tapete de boas vindas com o símbolo dos curandeiros é postado na entrada.
É um local bem iluminado, arejado e amplo e ainda conta com janelas e climatizadores portáteis que garantem ao ambiente uma temperatura sempre amena. Logo na entrada, do lado esquerdo da porta, os pacientes se deparam com uma espécie de hall, com confortáveis sofás brancos, puffs da mesma cor e algumas mesinhas de centro repletas de revistas e jornais.
Já do lado direito, encontra-se um balcão de trabalho onde a curandeira e sua estagiária costumam preparar poções e fazer pequenos procedimentos. Há também uma estante que serve como viveiro para variadas espécies de plantas medicinais e dois armários com equipamentos e aparatos médicos comuns para o caso de se fazerem necessários. O restante do lugar é ocupado por macas, cada a qual possuindo uma escadinha e uma mesinha ao lado. Há também um banquinho extra, reservado especialmente para situações em que a baixa estatura da curandeira seja um empecilho no tratamento de seus pacientes.
Entrando naquele lugar, poderia ser recebido e tratado tanto pela própria Kristy quanto por sua estagiária, Ana M. Thernadier.




Pontos importantes

1º – As enfermarias não são um lugar off, portanto poste sua entrada. Digam o que estão sentindo, pois Kristy e Ana são Curandeiras e não videntes, especificando o melhor possível – se está apenas cansado, ou ferido, aonde esta ferido, se está morrendo, se perdeu um braço, ou se nasceu um terceiro braço... Coisas do gênero.
2º – Todas as consultas e curas realizadas aqui são gratuitas, ou seja, você não precisará pagar nada para as Curandeiras.
3º – Não venha pedindo via MP ou chatbox para postar aqui. Tentaremos não atrasar com nada, mas temos vida em off, então tenha isso em mente.
4º – Tente fazer um post com mais de cinco linhas para que ele não seja considerado flood.
5º - A depender da disponibilidade, os atendimentos poderão ser realizados pela própria Kristy, ou por sua estagiária, Ana M. Thernadier em casos mais simples. Há também a possibilidade de posts em conjunto, afim de diminuir o tempo de espera em casos delicados ou extraordinários.





© Creado por Theta Sigma

Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Jake T. Nermys em Sab 09 Nov 2013, 18:30

-Tem um ótima enfermaria naquele corredor cheio de estabelecimentos. Você poderá reconhecê-la pois tem o símbolo dos curandeiros na porta. - disse o meu melhor amigo/irmão, após ver meu estado depois da minha missão.
-Vou ir correndo, preciso mesmo me cuidar!
Sai andando na direção daquele corredor que eu já havia visto várias vezes.

Quando entrei, vi várias enfermarias. Cada vez que eu via uma, me dava vontade de entrar. Mais se meu melhor amigo e irmão me recomendou uma, eu iria nela.

Depois de andar mais uns minutinhos, achei a tal enfermaria.
Pensei em bater na porta, mais pensei que a enfermeira poderia levar um susto e fazer algo errado. Apenas abri a porta e entrei.
Era uma sala bonita e, aparentemente, confortável.
Tinha pufs e sofás brancos em vários lugares. O chão era de mármore, da mesma cor.
A enfermaria, para minha sorte, estava vazia.
Fui despertado quando vi uma linda moça.
-Olá, como você pode perceber, eu acabei de cumprir uma batalha. Estou com alguns ferimentos no braço e na perda esquerda, e também tem um na nuca. Além do cansaço que eu estou sentindo. Preciso muito da sua ajuda.
Jake T. Nermys
avatar
Indefinido
Mensagens :
129

Localização :
Por aí

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Elizabeth Walker em Ter 12 Nov 2013, 17:55

   Sequestrada por fadas. Fadas! Dá para acreditar? Eu ainda nem acredito nisso. Segurei a lateral de meu corpo, onde havia um corte feito pelo gelo. Meu corpo estava cheio de pequenos cortes. Mas não era isso que me doía. Era a alma. Fora uma coisa muito difícil. Minha batalha em Arcádia havia me desgastado de uma forma dolorosa. 
   Suspirei enquanto adentrava a enfermaria de minha amiga, Kristy. Olhei-a atentamente. Ficara bem fofinha e aconchegante e, ao entrar, senti-me aquecida. Talvez pelo fato de eu estar no acampamento, não sei. Caminhei até uma das macas e sentei-me.
   - Kris? - chamei-a e, enquanto esperava, girava o anel que ganhara de Morgana.  
Elizabeth Walker
avatar
Filhos de Afrodite
Mensagens :
1148

Localização :
Paris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Qui 14 Nov 2013, 18:33

Curando

Eu achei que demoraria séculos até meu primeiro paciente aparecer, o que, graças a Hermes, não aconteceu. Mas não pense que é como se eu estivesse agradecendo por ter doentes e feridos o suficiente no mundo para um acabar parando em minha simplória enfermaria. Ah, por favor, eu não sou tão cruel e egoísta assim. Apenas estava ansiosa para experimentar meu novo local de trabalho.
Suspirei fundo e fechei os olhos assim que vi o semideus – também conhecido como o primeiríssimo paciente de minha enfermaria – passar pela porta, voltei a abrir os olhos e caminhei em sua direção. Retribui sua saudação com um sorriso de orelha de orelha e o conduzi até uma das macas após ele me dizer do que precisava.
Após concluir seu diagnostico deixei que uma aura luminosa se espalhasse por minhas mãos e a pus sobre os ferimentos que estavam espalhados por seu corpo. Pedi que aguardasse um instante e voltei até minha bancada de trabalho pra poder preparar algumas poções. Comecei fazendo uma rápida oração a meu patrono e depois retirei de minha bolsa os ingredientes que seriam utilizados: alguns sacos de leite de cabra, algumas porções de gomos de laranja, diversas tiras de casca de limão siciliano, sacos de sementes de pimenta-do-reino, porções de amora em pó, açúcar, ramos de hortelã e sacos de suco de maçã.
Com isso concluído, passei as tiras no ralador e as pesei depois na balança até alcançar a medida exata de dez gramas. Depois despejei em um copo o leite com os gomos de laranja e misturei durante um minuto, findo este processo, salpiquei as tiras raladas na bebida e voltei a mexer, desta vez, até que o liquido adquirisse sua tonalidade esverdeada.
Com a poção vitalícia média concluída, separei as duas doses produzidas em recipientes separados e deixei junto a cada uma duas sementes de pimenta do reino que seriam postas na boca de quem as bebesse.
Voltei a orar para Lorde Asclépio antes de iniciar o preparo da segunda poção, e após isso, e como os ingredientes que eu utilizaria já estavam separados, foi direto pondo a mão na massa. Comecei pesando a amora em pó até ter exatas vinte gramas, depois despejei o suco de maçã em um copo e pus a amora junto, mexendo a bebida até que esta adquirisse sua cor arroxeada. Logo em seguida adicionei a açúcar e duas folhinhas de hortelã, e como na primeira poção criada, separei as doses em diferentes recipientes, mas desta vez deixei com cada um uma folha de hortelã.
Com tudo pronto, levei ao semideus que aguardava uma dose de cada poção para que ele ingerisse. Enquanto o observava, ouvi alguém me chamar, e assim que me virei deparei-me com Zoey Montequemere – ou seja lá qual for o sobrenome estranho de minha cara amiga – sentada em uma maca, aguardando Zeus sabe há quanto tempo por atendimento.
Sorri calorosamente para a prole de Apolo, e após acabar com meu primeiro paciente fui atendê-la. Findo seu diagnostico, e vendo que não era nada grave, busquei em minha mesa as outras duas doses já prontas das poções e entreguei para que ela as bebesse.

Atualizações:
Jake L. Robert | 40 HP e 10 MP
Zoey Montgomery | 135 HP [Parcial] e 145 MP [Parcial]
Observações:
•A habilidade "Alquimista" não está na minha lista de Poderes Especiais, mas Asclépio me deu a permissão de utiliza-la até que ele se lembre de pedir a um ADM de atualizar.
Habilidades utilizadas:
Passivas

{Nível 2}

  ― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”, antigo poder passivo de nível dez; créditos a Renan Xavier}

{Nível 5}

― Aprendiz Especializado I: Há vários e diversos ramos na medicina, explorados conforme a necessidade ou a particularidade do médico em questão, sendo ele livre para escolher qual delas estudar. Agora, conforme decisão do Aprendiz (este deverá mandar uma Mensagem Privada unicamente a Asclépio com o ramo que quiser; por favor, narradores, não considerar se o seguidor ainda não possuir a habilidade especificada em seu campo de “poderes especiais”), este poderá escolher uma das especializações a seguir (listadas, também, no final dos poderes passivos).

― Alquimista: Quando um seguidor do deus da medicina estuda a alquimia, ficará pronto para preparar poções, venenos, pomadas e outros tipos desses objetos (a lista completa se encontra abaixo dos poderes ativos). As “bebidas” criadas pelos alquimistas só poderão ser usadas na situação atual; na prática, não poderão ficar com as doses extras após a missão, evento, treino ou trama (isto é, caso prepare uma poção e não utilize todas as suas doses, ele as perderá – a exceção é a enfermaria, pois se um curandeiro formular uma poção, esta poderá ser utilizada por ele em outro paciente; não ocorrerá de ser adicionada ao seu arsenal). Mesmo assim, o curandeiro pode postar, na enfermaria, criando uma poção para si e a guardando para uma ocasião futura (neste caso, seria como um filho de Hefesto produzir uma arma para si; portanto, o curandeiro ficará com a poção se o post foi gratificante); e há pacientes que pagam por líquidos produzidos pelo alquimista – neste caso, o cliente necessitará postar on-game na enfermaria, explicando o seu pedido; o curandeiro postará em seguida, dizendo se aceita ou não e quanto será o preço; após confirmação do primeiro, o Aprendiz fará o serviço. {Idealizado por Sadie Bronwen}

{Nível 7}

― Aprendiz Experiente: O auge da medicina está mais próximo do dito cujo, sendo este o objetivo máximo de eficiência. Os Aprendizes, agora, se deparam com um quadro novo de realidade; próteses, cirurgias simples, erros quase nulos – os ensinamentos médicos convencionais de Asclépio estão praticamente no fim. Os seguidores do deus da cura também poderão reconhecer quase que de imediato a doença que o paciente possui, sabendo também o que fazer nesse caso. Além disto, sua memória desenvolver-se-á como a de poucos, pois deve se recordar mais facilmente dos conceitos básicos; na prática, poderá relembrar vagamente de qualquer coisa que esteja relacionada aos cinco sentidos básicos.

Ativas

{Nível 1}

   ― Boas-vindas Curadoras: Ao realizar um exame prévio e acomodar certo paciente em sua enfermaria, recepcionando-o, o curandeiro conseguirá curá-lo em vinte de vida; por ser necessário certo preparo anterior, é recomendado que seu uso seja somente na enfermaria ou em situações de conforto. Seu uso é limitado a uma vez por post – não pode ser usado em si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais.

{Nível 2}

― Toque Curativo: Poder de efeito rápido e instantâneo; com uma aura luminosa a envolver a mão do Aprendiz, este poderá restaurar a vitalidade de alguém que não seja si mesmo em quinze pontos. Pode ser usado até duas vezes na ocasião inteira; uma vez por post, quando se está na enfermaria. O custo é de cinco de energia a cada uso.
Poções criadas:
{Nível 5}

― Poção Vitalícia Média: Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

{Nível 7}

― Poção Energética Média: Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.
♦ The White Swan ♦ @CG
Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por 128-ExStaff em Sex 15 Nov 2013, 01:21






Atualização
Atualizado por ♦ Zeus

128-ExStaff
avatar
Indefinido
Mensagens :
2022

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Joe Bullock em Seg 16 Dez 2013, 16:26

Eu estava cansado e ainda sentia dores pela ultima missão. Procurava um lugar onde eu pudesse me recuperar, me dirigi para a área das enfermarias. Sabia que uma amiga minha, Kristy Grandine, tinha uma enfermaria e então me fui até ela. assim que entrei me deparei com um grande hall onde haviam alguns sofás. me sentei em um deles sentindo aquela dor incomoda nas costas. quando a Curandeira apareceu dei um sorriso.

- Hey Kris, tudo bem? to precisando de uma mãozinha...

Fui até uma das macas e expliquei que estava me sentindo cansado e sobre a ferimento que incomodava as minhas costas.
Joe Bullock
avatar
Indefinido
Mensagens :
288

Localização :
Acampamento Meio Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Seg 16 Dez 2013, 17:39


Curando

Suspirei quando finalmente vi que acabara de organizar tudo em minha bancada e passei a mão na testa, retirando a franja cortada à navalha, que precisava novamente de uma pequena “poda”, dos olhos.
Levantei-me de meu banquinho e percebi a presença de Victor na enfermaria, que aguardava sentado em um dos sofás. Suspirei fundo e me dirigi até ele, pronta para poder atendê-lo. Ele me recebeu com um sorriso, que retribui com igual entusiasmo.
­O conduzi até uma das macas e dei inicio ao seu diagnostico. Não era nada muito grave. Pedi para que retirasse a camisa, para que assim, eu pudesse cuidar do ferimento que ele disse ter nas costas. Quando ele a tirou, eu pousei minha mãe na ferida e deixei que uma aura luminosa a cobrisse, tratando assim do machucado. Após isso, devolvi sua camisa e pedi para que esperasse eu preparar uma poção energética.
Voltei para minha bancada, onde após me sentar, fiz uma rápida oração para Lorde Asclépio ­e passei a tirar os ingredientes que utilizaria de minha bolsa: 2 sacos de suco de maçã, amora em pó e um ramo de hortelã.
Feito isso, pesei a amora na balança até ter exatas vinte gramas. Depois despeje o suco de maçã em um copo e, neste mesmo recipiente, adicionei também as gramas de amora e misturei a solução final até que a poção adquirisse sua tonalidade arroxeada. Com esse passo pronto, destaquei do ramo de hortelã três folhinhas, duas delas foram direto para o copo onde a poção estava e a outra ficou em minhas mãos.
Voltei para onde prole de Hefesto me aguardava, levando comigo a poção energética simples em mãos.
Coloque essa folhinha na boca e depois beba a poção por cima. ­― pedi a Victor assim que me aproximei, indicando-lhe o que eu tinha nas mãos.
Ele obedeceu rapidamente, e em poucos goles, todo o líquido arroxeado sumiu.
Atualizações:
Victor Buonacera | 20 HP/MP
Observações:
Habilidades Passivas

{Nível 2}

  ― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”, antigo poder passivo de nível dez; créditos a Renan Xavier}


{Nível 7}

― Aprendiz Experiente: O auge da medicina está mais próximo do dito cujo, sendo este o objetivo máximo de eficiência. Os Aprendizes, agora, se deparam com um quadro novo de realidade; próteses, cirurgias simples, erros quase nulos – os ensinamentos médicos convencionais de Asclépio estão praticamente no fim. Os seguidores do deus da cura também poderão reconhecer quase que de imediato a doença que o paciente possui, sabendo também o que fazer nesse caso. Além disto, sua memória desenvolver-se-á como a de poucos, pois deve se recordar mais facilmente dos conceitos básicos; na prática, poderá relembrar vagamente de qualquer coisa que esteja relacionada aos cinco sentidos básicos.

Habilidades Ativas

{Nível 1}

   ― Boas-vindas Curadoras: Ao realizar um exame prévio e acomodar certo paciente em sua enfermaria, recepcionando-o, o curandeiro conseguirá curá-lo em vinte de vida; por ser necessário certo preparo anterior, é recomendado que seu uso seja somente na enfermaria ou em situações de conforto. Seu uso é limitado a uma vez por post – não pode ser usado em si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais.

{Nível 2}

― Toque Curativo: Poder de efeito rápido e instantâneo; com uma aura luminosa a envolver a mão do Aprendiz, este poderá restaurar a vitalidade de alguém que não seja si mesmo em quinze pontos. Pode ser usado até duas vezes na ocasião inteira; uma vez por post, quando se está na enfermaria. O custo é de cinco de energia a cada uso.


Poções Criadas

{Nível 3}

― Poção Energética Simples: Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada e um gosto frutífero refrescante e adocicado; comum e imprescindível para os curandeiros, ela não precisa da especialização ‘Alquimista’ para ser feita. O efeito dela é, quando sorvida para dentro dos lábios, restaurar a energia do cliente. É óbvio e claro que ela não pode ser ingerida em excesso e, portanto, seu uso só é liberado uma vez a cada turno.
Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por 128-ExStaff em Qui 19 Dez 2013, 11:02






Atualização
Atualizado por ♦ Zeus


+ 60 dracmas a Kristy por esse post e pelos outros que esqueci da recompensa. Peço-lhe desculpas pelo ocorrido.
128-ExStaff
avatar
Indefinido
Mensagens :
2022

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Sean Scarevich em Qua 25 Dez 2013, 14:51

Eu acabara de fazer uma missão.Lutei contra um fantasma esquisito a noite inteira e estava exausto.A única coisa que precisava era que alguém me curasse.Resolvi ir á enfermaria.Ignorei os enfeites que tinham na entrada,eu não gosto de enfeites.Sentei em um dos sofás e esperei a curandeira aparecer.Quando ela apareceu,me levantei lentamente e expliquei o que estava sentindo:Um cansaço enorme e eu tinha um corte no braço.
Sean Scarevich
avatar
Indefinido
Mensagens :
33

Localização :
Não é da sua conta,idiota!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Sex 27 Dez 2013, 12:37


Curando

Os raios solares entravam no ambiente através das frestas da persiana. Os climatizadores cuidavam para que a Enfermaria não ficasse um forno como eu tinha certeza de que estava lá fora. Aquele era um dia calmo, mas tedioso.
Virei-me rapidamente ao ouvir a porta se fechar com um baque. Em um dos sofás brancos do hall, um possível paciente aguardava sentado. Suspirei e me levantei pronta para poder atendê-lo.
Ao me aproximar, o cumprimentei com um sorriso caloroso.  Ele me explicou seu caso, então o conduzi até uma das macas, onde após o instalar, o examinei e diagnostiquei. Não era nada muito sério.
Voltei até minha bancada para poder produzir umas poções, das quais eu também utilizaria, já que desde minha última missão nada eu havia feito contra o cansaço causado e as dores musculares.
Sentei-me no banquinho de madeira e fechei os olhos, fazendo uma rápida oração à Lorde Asclépio antes de começar. Após isso retirei de minha bolsa os ingredientes que utilizaria no preparo das poções: leite de cabra, algumas porções de gomos de laranja, diversas tiras de casca de limão siciliano, um saco de sementes de pimenta-do-reino, sacos de suco de maçã, amora em pó, um ramo de folhas de hortelã e um saco de açúcar.
Feito isso, peguei as tiras de casca de limão e as passei no ralador e depois de raladas a pesei na balança até obter a medida exata de dez gramas. Logo após, despejei em um copo o leite de cabra juntamente com trinta gomos de laranja e misturei por mais ou menos um minuto. Em seguida, salpiquei as tiras raladas na bebida e remexi novamente, mas desta vez até que a poção adquirisse sua tonalidade esverdeada.
Com a poção vitalícia média pronta, separei as duas doses criadas, deixando uma delas com duas sementes de pimenta-do-reino ao lado para depois poder levar a meu paciente. A outra dose eu a tomei logo após colocar em minha boca outras duas sementes.
Depois disso, fechei novamente as pálpebras e refiz minha oração a meu patrono para começar o preparo da poção energética média. A seguir, pesei a amora em pó até ter vinte gramas. Assim que obtive o peso certo, despejei em um copo limpo dois sacos de suco de maçã e a amora em pó pesada e misturei a bebida até que ela ficasse com sua cor arroxeada.
Feito isso, coloquei cuidadosamente a açúcar, e pra finalizar, adicionei duas folhas de hortelã. Com a segunda poção pronta, separei novamente as doses produzidas, deixando com uma delas uma terceira folhinha para quando fosse servi-la a meu paciente e bebi a segunda dose por cima de uma folha de hortelã que eu havia posto na boca.
Levantei-me e pus em uma bandeja as poções para o semideus que me aguardava. Sorri novamente ao me aproximar e lhe expliquei o que deveria fazer: primeiramente por as duas sementes de pimenta-do-reino na boca e depois beber o líquido esverdeado por cima; depois de beber a primeira poção, por uma folha de hortelã na boca e finalizar bebendo o líquido arroxeado.
O garoto obedeceu rapidamente, e em questão de segundos, as poções haviam sido todas ingeridas.
Atualizações:
Mattew Laurence | 10 HP/MP
Kristy Grandine| 55 HP e 70 MP [Parcial]
Observações:
•A habilidade "Alquimista" não está na minha lista de Poderes Especiais, mas Asclépio me deu a permissão de utiliza-la até que ele se lembre de pedir a um ADM de atualizar.
Poderes usados:
Passivas

{Nível 2}

  ― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”, antigo poder passivo de nível dez; créditos a Renan Xavier}

{Nível 5}

― Aprendiz Especializado I: Há vários e diversos ramos na medicina, explorados conforme a necessidade ou a particularidade do médico em questão, sendo ele livre para escolher qual delas estudar. Agora, conforme decisão do Aprendiz (este deverá mandar uma Mensagem Privada unicamente a Asclépio com o ramo que quiser; por favor, narradores, não considerar se o seguidor ainda não possuir a habilidade especificada em seu campo de “poderes especiais”), este poderá escolher uma das especializações a seguir (listadas, também, no final dos poderes passivos).

― Alquimista: Quando um seguidor do deus da medicina estuda a alquimia, ficará pronto para preparar poções, venenos, pomadas e outros tipos desses objetos (a lista completa se encontra abaixo dos poderes ativos). As “bebidas” criadas pelos alquimistas só poderão ser usadas na situação atual; na prática, não poderão ficar com as doses extras após a missão, evento, treino ou trama (isto é, caso prepare uma poção e não utilize todas as suas doses, ele as perderá – a exceção é a enfermaria, pois se um curandeiro formular uma poção, esta poderá ser utilizada por ele em outro paciente; não ocorrerá de ser adicionada ao seu arsenal). Mesmo assim, o curandeiro pode postar, na enfermaria, criando uma poção para si e a guardando para uma ocasião futura (neste caso, seria como um filho de Hefesto produzir uma arma para si; portanto, o curandeiro ficará com a poção se o post foi gratificante); e há pacientes que pagam por líquidos produzidos pelo alquimista – neste caso, o cliente necessitará postar on-game na enfermaria, explicando o seu pedido; o curandeiro postará em seguida, dizendo se aceita ou não e quanto será o preço; após confirmação do primeiro, o Aprendiz fará o serviço. {Idealizado por Sadie Bronwen}

{Nível 7}

― Aprendiz Experiente: O auge da medicina está mais próximo do dito cujo, sendo este o objetivo máximo de eficiência. Os Aprendizes, agora, se deparam com um quadro novo de realidade; próteses, cirurgias simples, erros quase nulos – os ensinamentos médicos convencionais de Asclépio estão praticamente no fim. Os seguidores do deus da cura também poderão reconhecer quase que de imediato a doença que o paciente possui, sabendo também o que fazer nesse caso. Além disto, sua memória desenvolver-se-á como a de poucos, pois deve se recordar mais facilmente dos conceitos básicos; na prática, poderá relembrar vagamente de qualquer coisa que esteja relacionada aos cinco sentidos básicos.

Ativas

{Nível 1}

   ― Boas-vindas Curadoras: Ao realizar um exame prévio e acomodar certo paciente em sua enfermaria, recepcionando-o, o curandeiro conseguirá curá-lo em vinte de vida; por ser necessário certo preparo anterior, é recomendado que seu uso seja somente na enfermaria ou em situações de conforto. Seu uso é limitado a uma vez por post – não pode ser usado em si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais.
Poções criadas:
{Nível 5}

― Poção Vitalícia Média: Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.

{Nível 7}

― Poção Energética Média: Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.
Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por 072-ExStaff em Sex 03 Jan 2014, 00:39


Atualização{  }
 

+ 15 dracmas para Kristy
072-ExStaff
avatar
Indefinido
Mensagens :
1075

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Elizabeth Walker em Sex 03 Jan 2014, 04:06

   Ri sem humor. Eu adorava fugir dos lugares. Na verdade, este tem sido meu hobby por agora. Não que eu ligasse muito. Era bem divertido, até. E, em uma das fugas, fui direto para o acampamento. Direto para a enfermaria de minha amiga Kristy.
   Não me sentia muito bem, e ela poderia me ajudar, uma vez que era curandeira (e uma boa, por sinal!). 
   Adentrei sua enfermaria, enquanto a nostalgia me invadia. Sentei em uma das macas. Eu não estava tão ferida assim: alguns arranhões superficiais ao longo de meus corpo, e eu me sentia um pouco cansada... Mas nada mais que isso.
   - Kris? - chamei por ela. - Poderia me ajudar, por favor?
Elizabeth Walker
avatar
Filhos de Afrodite
Mensagens :
1148

Localização :
Paris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Chaz Metzen em Sex 03 Jan 2014, 21:59



Quando eu pensei que como semideus eu poderia suportar qualquer coisa, não tinha a plena noção do verdadeiro significado de quase morte. Estava a poucos centímetros de cruzar a linha entre a vida e a morte e ainda assim, acreditava que era poderoso o suficiente para ir andando até a enfermaria. Um erro terrível, eu nunca deveria ter subestimado aquela besta mortífera e o que ela me causara. Minha cabeça estava dolorida, e nada parecia fazer sentido naquela vida que em primeiro momento, eu nunca pedi para participar, mas isso era um exemplo que há coisas que não se escolhe. Algo superior apenas manda que você exista sem te questionar se quer existir, como quer ser e se tem preferência de destino. Eu tentava me pôr de pé sem ficar com as pernas bambas, mas era impossível aquela altura do campeonato, eu estava muito machucado e mal podia pensar direito no que fazer. Enquanto eu tentava me dirigir a uma enfermaria mais próxima, mais eu maltratava o meu corpo que já estava em seu limite.

O sol quente e árduo fazia minhas queimaduras que deixavam expostas algum pedaço da carne ardesse como se estivessem pingando álcool nela, o que me fez soltar um grito. Mas não era um grito qualquer, na verdade era de pura agonia que me aterrorizaria dali em diante nos meus mais profundos pesadelos, juntamente de uma expressão de terror que se formava em meu rosto, era como se a personificação da morte estivesse ali para me buscar, e eu já me sentia com a mente distante, e incapacitado de bolar alguma estratégia. Mas infelizmente, isso era o significado de ser semideus, um dia você está intacto, outro está machucado e quando acha que não podia piorar, aparece algum ser bizarro para te dar uma lição, e se você conseguir derrotar ele, o mandante coloca um prêmio por sua cabeça decepada. Sem mais forças para sustentar, meus passos fracos cessaram e foi como se um tanque de guerra em miniatura, porém de peso andasse por minhas costas, caindo de joelhos ao chão e para não acabar com a cara estraçalhada no asfalto coloquei minhas mãos ali. Minha palma extremamente sensível pela batalha que ocorrera ardeu ao sentir o chão extremamente quente do acampamento, ajudando ainda mais a alimentar um pensamento distante meu de ultima hora, mas seria usado apenas em caso de desistência total.

Silêncio. Pingos de sangue caíram contra o chão que eu tinha expelido da minha boca, minha visão embaçada deixava aquilo tudo mais horrível e insuportável do que estava, e novamente o pensamento de suicídio me veio à cabeça para acabar com aquela dor de uma vez por todas, afinal eu possuía uma adaga que estava na minha cintura, e sua lâmina parecia pesar cada vez mais em que eu me focava nela. Sem poder resistir à tentação, fui tomado por um impulso a levar minha mão até lá, porém antes de fazê-lo escutei passos de duas pessoas ecoarem distantes em minha cabeça, que a fez latejar mais ainda e parecia que iria explodir a qualquer minuto, tendo uma enorme vontade de pôr as mãos nos ouvidos para fazer parar, porém se fizesse isso acabaria com meu lindo rostinho no chão. Levantei minha cabeça já com as ultimas forças que eu havia guardado para o ato de tirar a vida e fixei meu olhar ao horizonte, observando dois borrões laranja se aproximando rapidamente até mim em um socorro, figuras de rostos indistinguíveis de longe, e eu já concluí que estava pior que um míope em um dos estágios mais avançados da doença. Ao chegarem mais perto, cheguei à conclusão. Definitivamente eu não os conhecia, mas dava para ver pânico no rosto de ambos provocados pelo estado em que eu me encontrava. Os dois se abaixam e cada um pegou um braço meu e passou em volta de seus pescoços, fazendo manchar a pele deles de sangue que escorriam de pequenos e grandes ferimentos e queimaduras estampadas em minha pele impecável até o dia anterior. Não era possível ver os traços dos campistas, mas era o bastante para concluir o sexo de ambos: masculinos. Eles passaram as mãos em volta do meu torso e juntos me ergueram de pé novamente, me fazendo ter um rápido ataque de tosse e vomitando uma quantia considerável de sangue, melando sem querer os calçados deles. Os meninos tiveram pressa em me levar, e eu deixei meu corpo leve para ajudar os mesmos a me carregar. Percebendo o baixo peso de meu corpo, eles me suspenderam alguns centímetros do solo e aceleraram os passos até a enfermaria em que eu estava me dirigindo antes de despencar. Já beirando a morte, fechei os olhos e me neguei a observar todo o percurso que eu seguia.

As dores se tornavam intoleráveis de se portar a cada metro que eu me aproximava das enfermarias, e não demorou muito para eu sentir eles me deitarem em alguma coisa. Abri os olhos lentamente e me vi deitado em uma maca hospitalar no meio de um corredor com portas semelhantes aonde quer que você olhe. Meu peito subia e descia lentamente a cada respiração que aos poucos iam se extinguindo, buscando ar com mais dificuldade a cada segundo. Fui levado deitado até dentro de uma sala aleatória, e após totalmente lá dentro me senti como um peixe fora d’água. O chão de mármore branco fazia reflexo de qualquer coisa acima do mesmo, com paredes brancas e algumas cortinas sobre as janelas. Eu era algum tipo de contraste ali, camisa laranja chamuscada e rasgada, uma calça jeans que agora era um trapo que só servia para cobrir as partes íntimas e uma sandália grega de couro branco com manchas recentes de sangue, frutos dos vômitos e feridas sofridas no pé. A enfermeira que até então estava de costas, se virou para mim em um movimento repentino, e eu logo vi a súbita expressão horrorizada que se espalhava lentamente pela face dela. Seu queixo caía lentamente e deixava a boca como um perfeito “O”. Talvez ela estivesse se perguntando o que havia me levado a tal ponto. Os olhos dela percorreram todo meu corpo e se encontrou ao meu olhar. O brilho alegre e convencido de antes já havia se extinguido e agora só emitia um sentimento de súplica para lhe salvar. E sem mais demoras, ela pegou algumas agulhas para anestesia e me fez se perguntar o porquê daquilo, se eu já estava completamente a mercê da morte e nenhuma dor a mais ou a menos já não faria diferença naquele estado repugnante em que eu me encontrava.

Chaz Metzen
avatar
Indefinido
Mensagens :
76

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Dom 05 Jan 2014, 14:42


Curando

O dia estava calmo. Fresco. E tedioso. Eu estava sentada no banquinho de madeira em frente a minha bancada de trabalho. Os cotovelos apoiados sobre a madeira, minha cabeça entre as palmas das mãos. Os olhos pensavam devido à outra noite sem sono. Eu tentava não cochilar. Tentava.
Despertei bruscamente de um sonho com jujubas gigantes e carnívoras por uma voz familiar que me chamava. Esfreguei os olhos com as costas das mãos e busquei pela Enfermaria sua dona. Dei um sorriso que logo foi transformado em um bocejo ao avistar Zoey sentada em uma das macas. Era apenas uma simples coincidência, ou sempre que a prole de Apolo vinha a minha Enfermaria, eu estava desligada, no mundo da lua?
Levantei-me e fui até ela, refazendo o sorriso acolhedor e mantendo-me desperta.
Com todo o prazer, senhorita. ─ respondi, começando a examina-la logo em seguida.
Cuidei de alguns poucos arranhões superficiais que estavam espalhados pelo corpo e depois pedi para que ela aguardasse enquanto eu preparava umas poções que poderiam cuidar de todo o resto.
Voltei a me sentar no banquinho de madeira e retirei de dentro de minha bolsa os ingredientes que usaria no preparo das poções: leite de cabra, algumas porções de gomos de laranja, diversas tiras de casca de limão siciliano, um saco de sementes de pimenta-do-reino, sacos de suco de maçã, amora em pó, um ramo de folhas de hortelã e um saco de açúcar.
Fechei os olhos e fiz uma rápida e simples oração para Lorde Asclépio. Feito isso, peguei as tiras de limão e as ralei, depois as pesei já raladas na balança, até ter exatas dez gramas. Depois peguei um copo limpo, onde despejei um saco de leite de cabra juntamente com trinta gomos de laranja. Misturei usando uma colher o conteúdo do copo por mais ou menos um minuto. Logo após, salpiquei as tiras raladas na bebida e voltei a mexer, mas desta vez até que a poção adquirir sua coloração esverdeada.
Separei as doses criadas da poção, deixando com cada uma, duas sementes de pimenta-do-reino, que iriam para a boca de quem as ingerissem.
Voltei a fechar os olhos, refazendo a oração ao meu patrono. Assim que abri as pálpebras, já fui pegando os dois sacos de amora em pó para pesa-los na balança até ter vinte gramas. Após isso, despejei o suco de maçã em um copo limpo juntamente com a amora em pó pesada, mexendo-os até que o líquido adquirisse sua cor arroxeada. Com isto feito, adicionei a solução a açúcar e duas folhinhas de hortelã.
Novamente, separei as duas doses da poção, mas desta vez deixando do lado de cada, uma terceira folha.
Pus uma dose da poção vitalícia média e uma da poção energética média em uma bandeja, levantei-me novamente e voltei para junto de Zoey.
Mostrei-lhe o que tinha que fazer antes de beber as poções, coisa que não era desconhecida para ela ─ apenas fiz isso para que não ocorresse erros. Enquanto ela bebia, deixei a bandeja em cima da mesinha ao lado de sua maca.
Pode ficar por aqui para descansar mais um pouco, se quiser. ─ eu disse, recolhendo os copos vazios.
Antes que ela pudesse responder, um alto e violento baque chegou aos meus ouvidos. Virei-me e vi dois semideuses entrando na Enfermaria, entre eles vinha em “modo reboque” um terceiro semideus, este último bem ferido.
Posso ver a urgência do caso, cavalheiros, mas acho que era desnecessário tentar arrancar minha porta das dobradiças. ─ comentei calmamente enquanto indicava a eles uma maca mais afastada das demais.
Eles o puseram sobre a maca com delicadeza, então se viraram para mim.
Estava caído lá fora, no chão. Não sabemos o que aconteceu. ─ comentou um deles.
E não estávamos tentando arrancar a sua porta das dobradiças. ─ completou o outro.
Assenti com a cabeça freneticamente enquanto higienizava ás mãos com álcool em gel.
Obrigada.
Eles se viraram e saíram enquanto eu me voltava para meu paciente. Minha reação inicial foi de choque e surpresa, seguida por um básico horror pela condição física em que o semideus se encontrava. Queimaduras e cortes estavam espalhados por seu corpo, manchas de sangue também. Algumas secas, outras mais recentes. Eu só me dei conta de que estava com a boca aberta quando me recompus e a obriguei a se fechar, adotando um semblante indiferente e profissional.
Pus minhas mãos sobre seu peito, anestesiando assim todas as dores que eu sabia que ele estava sentindo. Depois retirei a adaga que o semideus levava na cintura, antes de depositá-la na mesinha ao lado, utilizei sua lâmina para terminar de rasgar a blusa laranja que já podia ser considerada inutilizável. Joguei os trapos de tecido no chão e deixei a arma do jovem na mesa ao lado de sua maca.
A partir daí, passei a cuidar de suas queimaduras e cortes, pousando a mão sobre casa um dos ferimentos e vendo uma aura luminosa a cobrindo e tratando das feridas magicamente.  Assim que me assegurei de não haver mais nenhuma ferida externa, retirei as sandálias de seus pés e as larguei junto da coisa laranja no chão, que outrora fora uma blusa.
Tratei de uns cortes superficiais que existiam em seus pés, e como já havia exterminado as feridas de suas pernas, caminhei apressadamente até os armários existentes ao lado de minha bancada de trabalho, onde peguei um pacote de gazes e uma vasilha, está última enchi de água morna.
Pus tudo em uma bandeja e aproveitei para por sobre a mesma as últimas doses das poções que eu havia preparado anteriormente e que ainda não haviam sido consumidas. Voltei até meu paciente, coloquei a bandeja em cima da mesinha e recomecei a trabalhar.
Abri o pacote das gazes e passei a molha-la na água e logo em seguida as utilizando para poder limpar o semideus de qualquer vestígio de sangue. Quando terminei, pude reparar em algo que era evidente: ele era incrivelmente belo. Se não fosse um filho de Afrodite, com certeza seria de Perséfone.
Voltei a utilizar provisoriamente sua adaga, desta vez para retirar as partes imundas de sua calça que também estavam inutilizáveis.
Consegue se mover? ─ eu perguntei, em resposta ele se remexeu e tentou se levantar, mas estava entorpecido por minha anestesia mágica. ─ Não, tudo bem, fique quieto. Apenas peço para que abra a boca. Consegue fazer isso?
Ele afastou os lábios um do outro e eu sorri. Pus as duas sementes de pimenta-do-reino que havia trago na bandeja dentro de sua boca.
São poções. ─ eu expliquei enquanto levava o copo com o líquido esverdeado a sua boca. ─ Elas iram lhe ajudar, e muito. Então, por favor, às beba.
Ele obedeceu prontamente e obedientemente. Levei depois uma folhinha de hortelã à sua boca e o copo onde estava a poção energética média, que em segundos também já havia sido ingerida.
Descanse um pouco, herói. Quando acordar, vai estar novinho em folha. ─ eu disse enquanto o cobria com um lençol branco.
Atualizações:
Zoey  Montgomery | 160 HP [Parcial] e 110 MP [Parcial]
Thomas J. Parker | 110 HP [Parcial] e 90 MP [Parcial]
Observações:
•A habilidade "Alquimista" não está na minha lista de Poderes Especiais, mas Asclépio me deu a permissão de utiliza-la até que ele se lembre de pedir a um ADM de atualizar.
Habilidades utilizadas:
Passivas
 
{Nível 2}
 
   ― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”, antigo poder passivo de nível dez; créditos a Renan Xavier}
 
{Nível 5}
 
― Aprendiz Especializado I: Há vários e diversos ramos na medicina, explorados conforme a necessidade ou a particularidade do médico em questão, sendo ele livre para escolher qual delas estudar. Agora, conforme decisão do Aprendiz (este deverá mandar uma Mensagem Privada unicamente a Asclépio com o ramo que quiser; por favor, narradores, não considerar se o seguidor ainda não possuir a habilidade especificada em seu campo de “poderes especiais”), este poderá escolher uma das especializações a seguir (listadas, também, no final dos poderes passivos).
 
― Alquimista: Quando um seguidor do deus da medicina estuda a alquimia, ficará pronto para preparar poções, venenos, pomadas e outros tipos desses objetos (a lista completa se encontra abaixo dos poderes ativos). As “bebidas” criadas pelos alquimistas só poderão ser usadas na situação atual; na prática, não poderão ficar com as doses extras após a missão, evento, treino ou trama (isto é, caso prepare uma poção e não utilize todas as suas doses, ele as perderá – a exceção é a enfermaria, pois se um curandeiro formular uma poção, esta poderá ser utilizada por ele em outro paciente; não ocorrerá de ser adicionada ao seu arsenal). Mesmo assim, o curandeiro pode postar, na enfermaria, criando uma poção para si e a guardando para uma ocasião futura (neste caso, seria como um filho de Hefesto produzir uma arma para si; portanto, o curandeiro ficará com a poção se o post foi gratificante); e há pacientes que pagam por líquidos produzidos pelo alquimista – neste caso, o cliente necessitará postar on-game na enfermaria, explicando o seu pedido; o curandeiro postará em seguida, dizendo se aceita ou não e quanto será o preço; após confirmação do primeiro, o Aprendiz fará o serviço. {Idealizado por Sadie Bronwen}
 
{Nível 7}
 
― Aprendiz Experiente: O auge da medicina está mais próximo do dito cujo, sendo este o objetivo máximo de eficiência. Os Aprendizes, agora, se deparam com um quadro novo de realidade; próteses, cirurgias simples, erros quase nulos – os ensinamentos médicos convencionais de Asclépio estão praticamente no fim. Os seguidores do deus da cura também poderão reconhecer quase que de imediato a doença que o paciente possui, sabendo também o que fazer nesse caso. Além disto, sua memória desenvolver-se-á como a de poucos, pois deve se recordar mais facilmente dos conceitos básicos; na prática, poderá relembrar vagamente de qualquer coisa que esteja relacionada aos cinco sentidos básicos.
 
Ativas
 
{Nível 1}
 
— Boas-vindas Curadoras: Ao realizar um exame prévio e acomodar certo paciente em sua enfermaria, recepcionando-o, o curandeiro conseguirá curá-lo em vinte de vida; por ser necessário certo preparo anterior, é recomendado que seu uso seja somente na enfermaria ou em situações de conforto. Seu uso é limitado a uma vez por post, e não pode ser usado em si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais.
 
{Nível 2}
 
 — Toque Curativo: Poder de efeito rápido e instantâneo. Com uma aura luminosa a envolver a mão do aprendiz, este poderá restaurar a vitalidade de alguém que não seja si mesmo em quinze pontos. Pode ser usado até duas vezes na ocasião inteira; uma vez por post, quando se está na enfermaria. O custo é de cinco de energia a cada uso.
 
{Nível 6}
 
— Anestesia I: A dor causada por machucados pode, agora, ser aliviada pelos curandeiros de forma mística. Tocando os músculos feridos, consegue retirar quaisquer dores do paciente, o que pode ajudar até mesmo na concentração e na calma deste.
Poções criadas:
{Nível 5}
 
― Poção Vitalícia Média: Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.
 
{Nível 7}
 
― Poção Energética Média: Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.
Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Zeth Foehrein em Qua 08 Jan 2014, 05:06

Já fazia um bom tempo dês de minha última missão mesmo assim partes de meu corpo continuavam extremamente doloridas e as cicatrizes estavam inchadas provavelmente infeccioso, eu realmente acho que deveriam dar uma manutenção na parede de escalada, por isso resolvi vir à enfermaria. Entrei, cumprimentei e pedi que me examina-se.
Zeth Foehrein
avatar
Indefinido
Mensagens :
107

Localização :
Nenhum lugar em especial.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Nathanael Wermblock em Qua 08 Jan 2014, 14:37


Curando Pela Primeira Vez
Emily estava radiante naquele dia. Não esperava muito por seu primeiro paciente, tinha um pouco de medo de errar em sua primeira vez e acabar não se saindo bem. Achava que seu primeiro paciente ia demorar a chegar, mas não foi o caso, um garoto de cicatrizes inchadas e infeccionadas entrou no lugar pedindo ajuda. Fawcett o cumprimentou com um simples aperto de mãos e o levou até uma das macas, onde o colocou sentado. Olhou para suas cicatrizes, não haviam cicatrizado de fato e por algum caso não conhecido haviam se infeccionado.

─ Vejo que a batalha te rendeu algumas lembrancinhas, né? ─ disse a curandeira seguido de um sorriso tranquilizador.

Na mesa de trabalho retirou todos os ingredientes precisos para criação da poção vitalícia: um copo de leite de cabra, trinta gomos de laranja e dez gramas de tiras de casca de limão siciliano. Para começar a criação da primeira poção fez uma oração simples e rápida a Asclépio, depois disto pegou as tiras de casca de limão siciliano e ralou tira por tira com um ralador que se encontrava na enfermaria. Então pesou as cascas de limão ralado e foi diminuindo o peso das cascas raladas até ficar o peso ideal. Logo então pegou um copo no armário da enfermaria e despejou o leite que estava em um tipo de saco e alguns gomos de laranja no copo, e em seguida mexeu tudo com uma colher por aproximadamente um minuto. Depois de mexer o líquido tomou uma cor meio alaranjada, então por fim salpicou as tiras de casca de limão sicilianas raladas junto do líquido e voltou a mexer a poção até tomar uma cor um pouco esverdeada e sem mais delongas a poção estava pronta. Deu a poção ao paciente, que bebeu o líquido sem hesitar mas com uma expressão de que dizia que o gosto não era dos melhores, a curandeira riu.

Agora só faltava uma poção a ser feita, a poção energética, por sorte ela era simples e fácil de ser feita assim como a vitalícia. Retirou da bolsa de componentes mágicos os ingredientes que eram necessários: dois saquinhos que tinham a medida exata de uma xícara de suco de maça, vinte gramas de amora em pó que vinham também em um saco e três folhas de hortelã. Repetiu solenemente a oração a Asclépio e então começou o preparo da poção, pesou os dois saquinhos de amora em pó e os viu pesar exatamente o que precisava, despejou os sacos com os sucos de maças em outro copo que pegou no armário da enfermaria e adicionou as amoras em pó. Começou a mexer o líquido com uma colher até adquirir uma coloração recheada, por fim adicionou duas folhas de hortelã na bebida e solicitou que o paciente colocasse uma em sua língua, para então beber. O garoto bebeu o líquido, dessa vez mais calmo e parecia gostar mais do gosto. Emily sorriu vendo o copo ficar vazio.

Atualizações:
Zeth Foehrein - Full HP/MP

Obs: Não atualizaram o registro de mestre-aprendiz, porém podem ver lá o post da Kris, também tive permissão dela para postar na enfermaria. Foi meu primeiro post na enfermaria, fiquei nervosa assim como a personagem.
Poderes Utilizados:
{Ativos}

{Nível 3}

― Cicatrização I: Agora o dom de cicatrizar cortes e ferimentos inicia o seu desenvolvimento nos seguidores de Asclépio. Ao tocar as feridas abertas, estas se fecharão em uma rodada, impedindo hemorragias e sangramentos. Este poder ainda não pode ser usado em si mesmo e não restaura nada, servindo apenas para cicatrizar lesões. A cicatriz ficará no local, ainda que as contusões sejam pequenas.

{Passivos}

{Nível 1}

― Aprendiz Universitário: Os Aprendizes de Asclépio são especialistas em artes da medicina (inclusive suas ramificações e especialidades), possuindo um conhecimento sobre tal setor excelente e equivalente a de um médico formado em uma faculdade de ensino relevante. Assim, eles são os únicos que podem abrir enfermarias no Acampamento Meio-Sangue; são, também, os mais indicados a passarem prescrições médicas, a interpretarem receitas de efeito curativo e a diagnosticaram algum problema. É necessário ressaltar que, como um recém-formado, ele apenas possui um amplo conhecimento; isto é, ainda necessita de prática e poderá errar inicialmente.

{Nível 2}

― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais.

{Nível 3}

― Aprendiz Pós-Graduado: A partir do momento que se busca uma pós-graduação, interpreta-se que o indivíduo em questão está realmente interessado em sua função e gostaria de se aprofundar em seu ramo profissional. Portanto, os Aprendizes de Asclépio, ao atingirem este nível e consequentemente liberarem este poder, já possuirão um conhecimento maior da medicina em geral e contarão com uma maior prática; sendo assim, é de se imaginar que os equívocos iniciais já se tornarão mais raros (embora operações complexas exijam mais vivência e ainda não possam ser alcançadas). Este dom inclui o conhecimento sobre a aplicação de remédios no momento oportuno e de talas quando necessário.

{Nível 5}

― Perícia com Equipamentos Médicos: Desde um estetoscópio até um bisturi – qualquer que seja o instrumento médico, o Aprendiz de Asclépio saberá utilizá-lo com perfeição e, em casos extremos, pode invoca-los sem gasto de energia para – e somente apenas – intervenções cirúrgicas ou hospitalares, ou seja, sem fins ofensivos; a utilização dos instrumentos deve-se ser interpretada e ignorada, se for usada de forma errônea.

― Aprendiz Especializado I: Há vários e diversos ramos na medicina, explorados conforme a necessidade ou a particularidade do médico em questão, sendo ele livre para escolher qual delas estudar. Agora, conforme decisão do Aprendiz (este deverá mandar uma Mensagem Privada unicamente a Asclépio com o ramo que quiser; por favor, narradores, não considerar se o seguidor ainda não possuir a habilidade especificada em seu campo de “poderes especiais”), este poderá escolher uma das especializações a seguir (listadas, também, no final dos poderes passivos). Alquimista, já mandei uma MP ao líder dos curandeiros solicitando tal especialização.

{Nível 8}

― Tranquilidade: Médicos necessitam, constantemente, de tranquilidade e calma para realizar uma operação; afinal, o que menos poderiam querer seria cometerem um erro por nervosismo. Lógico que isto passa a ser uma das habilidades dos curandeiros, podendo resistir a efeitos de medo, pânico e paranoia – a resistência é fraca, contudo, e só retira metade do efeito, por enquanto; arredondam-se valores “quebrados” para baixo.
Itens Utilizados:
— Bolsa de Componentes Mágicos / Bolsa (Nela são guardados desde objetos para preparo de poções até bisturis e utensílios médicos [ela possui espaço infinito para tais coisas e somente para tais coisas; também aparece e desaparece, dependendo exclusivamente da necessidade do semideus]) {Couro} (Nívem mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento)[Presente de Curandeiro]

— Colar do Serpentário / Colar (o formato e o estilo da confecção lembram uma serpente dourada; nunca pode ser perdido, vendido ou retirado a força, pois identifica os curandeiros e, portanto, não é considerado um item nas contagens para missões, eventos e tramas, embora ainda seja preciso citá-lo) (seu efeito principal é o de, quando retirado do pescoço, se transformar em um dos itens a seguir: uma réplica quase totalmente semelhante do Bordão de Asclépio (ou seja, uma espécime de bastão rústico e fino envolvido por uma serpente de escamas feitas de prata envenenada que podem ser tão afiadas quanto uma espada, possuindo o mesmo potencial de corte de uma arma laminada; ele se adapta completamente ao tamanho e porte físico do usuário). {Prata, madeira e veneno} (Nível mínimo: 1) (Controle sobre nenhum elemento) [Presente de Curandeiro]


Nathanael Wermblock
avatar
Indefinido
Mensagens :
74

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Cain Feather em Qua 08 Jan 2014, 16:09

.


☼ First Visit ☼


Helping Hands



Já fazia um tempo desde que tinha sido atacado, e finalmente começava a sentir o desgaste físico causado pelo veneno paralisante dos myrmekos e açoites vegetais venenosos. Alguns indicaram as enfermarias, e no estado em que ele estava era melhor passar a frequentá-las antes que caísse morto nos arredores do camp. Elijah escolheu a tenda da Grandine por acaso, pois do ângulo em que ele estava aquela era a enfermaria mais próxima. Não conhecia nenhum enfermeiro, pois isso chutara a Grandine e esperava que ela fosse uma pessoa bem receptiva.

Balthazar adentrou o estabelecimento com um sorriso no rosto. Não procurou avaliar muito o local, apenas chamou de forma alta o nome da dona da enfermaria e se sentou em um dos sofás na lateral do ambiente para aguardar o atendimento. Os olhos dourados de Solarium vagaram pelo local até que a primeira curandeira chegasse, e desse modo ele passou a explicar a situação. — Olá! Eu sou Elijah Solarium — cumprimenta antes de levantar a aba da camisa, onde estão expostas à infecções algumas feridas superficiais e outras um tanto quanto profundas. A maior atingia as costas e terminava no pescoço, e outras eram cortes de adagas ou açoites. O segundo maior ferimento se encontrava no braço destro, do qual atingia o pulso e se estendia até o ombro em uma ferida profunda. O esquerdo tinha várias perfurações envolta todo o pulso, indicando que aquele lugar fora o atingido pelo açoite venenoso.

— Eu fui atacado por umas dríades e myrmekos. Preciso de ajuda para curar todas essas feridas... E eu tenho um conhecimento avançado de medicina, então já cuidei das infecções e alguns outros ferimentos superficiais... — falou, mostrando o corpo coberto por talos e as cicatrizes que abrangiam todo o peito. — Já desinfeccionei as feridas com um banho, também. Mas não sou um curandeiro, e não sei como remover o veneno de meu corpo. Então preciso de vossa ajuda — finaliza ao morder o lábio inferior, observando a responsável por seu atendimento nos olhos.



Equipamento:
• Nenhum equipamento levado

Poderes:

Passivos

• Beleza (Nível 1): Não só Afrodite e Perséfone são dotadas de beleza, Apolo é considerado o Deus masculino mais belo. Seus filhos são lindos por natureza, com um bronzeamento natural (mesmo que jamais tenha tomado Sol) e forma física bem definida.

• Avançado (Nível 21): O conhecimento avançado em poções e medicamentos. O filho de Apolo neste nível já consegue captar o que deve ser ingerido ou não, em se tratando de substâncias não mágicas. Ao estar preso em uma floresta, ele tem conhecimento do que pode lhe fazer mal, caso encontre pelo caminho frutas venenosas. Ao mesmo tempo que tem consciência do que serve ou não para criação de algum remédio. Isso lhe dá certas vantagens.


Ativos

• Nenhum poder ativo utilizado

Observações:
O Elijah não se curou, claro. As informações de que ele é especialista e tudo o mais foi colocada ali apenas por meios interpretativos, e não foi usado nenhum meio de cura que recuperasse seus pontos de vida ou energia. Então, no caso, ele ainda precisará receber de cura 295 de MP e 245 de HP.

# Post 001;
# Enfermarias - Enfermaria da Grandine;
# Interagindo: Ninguém;
Cain Feather
avatar
Indefinido
Mensagens :
596

Localização :
Acampamento Meio-Sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Sex 10 Jan 2014, 11:05


Curando

Eu observava de longe e em silêncio Emily ─ minha nova aprendiza ─ curar. Não me pergunte o porquê de alguém querer que eu seja seu mestre. Com certeza a pessoa devia ter uns parafusos a menos, mas mesmo assim não deixava de ser uma honra para mim.
Quando ouvi meu nome sendo chamado despertei-me de meus devaneios. Eu definitivamente deveria parar de ficar boiando em minha própria Enfermaria. Levantei-me, sorrindo, da maca onde estava passando o tempo, e fui em direção ao jovem que aguardava em um dos sofás. Ele também sorria, e quando me aproximei se apresentou ─ o que me deu a obrigação de também o fazer.
Kristy Grandine.
Mal acabei de falar e ele levantou a camisa, mostrando vários ferimentos, alguns bem “cabeludos” e outros menores. Logo em seguida desatou a falar, explicando seu caso e mostrando não ser um completo ignorante nas artes da medicina.
E a minha ajuda terás, meu bom senhor. ─ eu disse assim que tive a certeza de que ele tinha acabado.
O conduzi até uma das macas, onde o instalei e pedi para que retirasse a camisa. Comecei, então, a cuidar dos vários cortes e ferimentos. Pousei minha mão em um ferimento de cada vez, com uma aura esverdeada a cobrindo e tratando das feridas magicamente. Alguns demoravam mais tempo para curar, outros mais superficiais eram instantâneos.
 Quando acabei, pedi para que aguardasse enquanto preparava umas poções que ajudariam. Fui até minha bancada de trabalho e comecei retirando de minha bolsa os ingredientes que eu utilizaria: leite de cabra, algumas porções de gomos de laranja, diversas tiras de casca de limão siciliano, um saco de sementes de pimenta-do-reino, sacos de suco de maçã, amora em pó, um ramo de folhas de hortelã e um saco de açúcar.
Fechei meus olhos e fiz uma rápida oração a Lorde Asclépio. Assim que acabei, voltei a abri-los e pus a mão na massa. Comecei ralando as tiras no ralador e depois as pesando na balança até ter as exatas dez gramas necessárias. Depois despejei o leite de cabra juntamente com os trinta gomos de laranja em um copo e os misturei por mais ou menos um minuto. Logo após, salpiquei na bebida as tiras raladas e mexi até que a poção adquirisse sua tonalidade esverdeada.
Separei as duas doses criadas da poção vitalícia média e deixei com cada uma duas sementes de pimenta-do-reino. Peguei uma dessas doses e a bebi logo depois de por as sementes dentro da boca. Assim que bebi todo o líquido contido no copo, voltei a fechar meus olhos e refiz a oração a meu patrono.
Reabri minhas pálpebras e peguei dois sacos de amora em pó, os pesei na balança até ter dez gramas exatas. Depois disso, pus em um copo limpo dois sacos de suco de maçã e a amora pesada. Remexi a bebida até que esta adquirisse sua cor arroxeada, assim que isso aconteceu despejei no copo a açúcar e duas folhas de hortelã.
Voltei a separar as doses criadas em recipientes distintos, mas desta vez deixei com cada dose uma folhinha de hortelã. Pus uma dessas folhinhas na boca e bebi uma das doses da poção energética média por cima.
Assim que todo o líquido com gosto frutífero adocicado foi bebido, coloquei as doses restantes da poção em uma bandeja e voltei para perto de Elijah.
Coloque essa semente na boca, ─ o instrui, dando-lhe o que era necessário. ─ e beba essa poção aqui por cima... Ótimo! Agora ponha essas duas folhinhas na boca e... Beba essa daqui...
O semideus obedeceu rapidamente, e em pouco tempo todas as poções já haviam sido bebidas.
Atualizações:
Elijah B. Solarium | 245 HP [Parcial] e 295 MP [Parcial]
Kristy Grandine | 45 HP e 55 MP

OBS.: Falta atualizar o post da Emily e, antes do dela tem um outro meu que ainda também não foi atualizado. Não se esqueçam deles, por favor.
Observações:
•A habilidade "Alquimista" não está na minha lista de Poderes Especiais, mas Asclépio me deu a permissão de utiliza-la até que ele se lembre de pedir a um ADM de atualizar.
Habilidades utilizadas:
Passivas
 
{Nível 2}
 
   ― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”, antigo poder passivo de nível dez; créditos a Renan Xavier}
 
{Nível 5}
 
― Aprendiz Especializado I: Há vários e diversos ramos na medicina, explorados conforme a necessidade ou a particularidade do médico em questão, sendo ele livre para escolher qual delas estudar. Agora, conforme decisão do Aprendiz (este deverá mandar uma Mensagem Privada unicamente a Asclépio com o ramo que quiser; por favor, narradores, não considerar se o seguidor ainda não possuir a habilidade especificada em seu campo de “poderes especiais”), este poderá escolher uma das especializações a seguir (listadas, também, no final dos poderes passivos).
 
― Alquimista: Quando um seguidor do deus da medicina estuda a alquimia, ficará pronto para preparar poções, venenos, pomadas e outros tipos desses objetos (a lista completa se encontra abaixo dos poderes ativos). As “bebidas” criadas pelos alquimistas só poderão ser usadas na situação atual; na prática, não poderão ficar com as doses extras após a missão, evento, treino ou trama (isto é, caso prepare uma poção e não utilize todas as suas doses, ele as perderá – a exceção é a enfermaria, pois se um curandeiro formular uma poção, esta poderá ser utilizada por ele em outro paciente; não ocorrerá de ser adicionada ao seu arsenal). Mesmo assim, o curandeiro pode postar, na enfermaria, criando uma poção para si e a guardando para uma ocasião futura (neste caso, seria como um filho de Hefesto produzir uma arma para si; portanto, o curandeiro ficará com a poção se o post foi gratificante); e há pacientes que pagam por líquidos produzidos pelo alquimista – neste caso, o cliente necessitará postar on-game na enfermaria, explicando o seu pedido; o curandeiro postará em seguida, dizendo se aceita ou não e quanto será o preço; após confirmação do primeiro, o Aprendiz fará o serviço. {Idealizado por Sadie Bronwen}
 
{Nível 7}
 
― Aprendiz Experiente: O auge da medicina está mais próximo do dito cujo, sendo este o objetivo máximo de eficiência. Os Aprendizes, agora, se deparam com um quadro novo de realidade; próteses, cirurgias simples, erros quase nulos – os ensinamentos médicos convencionais de Asclépio estão praticamente no fim. Os seguidores do deus da cura também poderão reconhecer quase que de imediato a doença que o paciente possui, sabendo também o que fazer nesse caso. Além disto, sua memória desenvolver-se-á como a de poucos, pois deve se recordar mais facilmente dos conceitos básicos; na prática, poderá relembrar vagamente de qualquer coisa que esteja relacionada aos cinco sentidos básicos.
 
Ativas
 
{Nível 1}
 
— Boas-vindas Curadoras: Ao realizar um exame prévio e acomodar certo paciente em sua enfermaria, recepcionando-o, o curandeiro conseguirá curá-lo em vinte de vida; por ser necessário certo preparo anterior, é recomendado que seu uso seja somente na enfermaria ou em situações de conforto. Seu uso é limitado a uma vez por post, e não pode ser usado em si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais.
 
{Nível 2}
 
 — Toque Curativo: Poder de efeito rápido e instantâneo. Com uma aura luminosa a envolver a mão do aprendiz, este poderá restaurar a vitalidade de alguém que não seja si mesmo em quinze pontos. Pode ser usado até duas vezes na ocasião inteira; uma vez por post, quando se está na enfermaria. O custo é de cinco de energia a cada uso.  
Poções criadas:
{Nível 5}
 
― Poção Vitalícia Média: Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.
 
{Nível 7}
 
― Poção Energética Média: Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.
Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Vicka L. Danniels em Sex 10 Jan 2014, 13:07

My head hurts



Desde que levei aquele golpe de tirso na cabeça, não consigo dormir em paz. De uma hora para a outra, ele começa a doer e sempre nos momentos mais inoportunos. Não aguentando mais as dores, comecei a procurar uma enfermaria ou qualquer coisa do tipo para me tratar. Preciso estar bem para completar meus objetivos.

Ouvi falar de uma tal "Enfermaria da Grandine" e, cansada de procurar um lugar para me curar, decidir ir no local. Caminhei até achá-la e, quando entrei, vi que era um lugar confortável, até. Procurei não avaliar muito o local, uma vez que a minha incrível falta de educação poderia fazer a minha boca grande e inconveniente desatar em críticas e reclamações, acabando, assim, com as minhas chances de ficar bem.

Colocando minha falta de educação inoportuna em prática de outra forma, deitei em um dos sofás. Logo em seguida, falei em um tom mais alto, o nome da dona da enfermaria, procurando chamar a atenção da mesma. Quando alguém veio me atender, sentei direito e respirei fundo, tentando me lembrar melhor do que aconteceu comigo.

— Me chamo Vicka. — Falei, rapidamente. — Levei um golpe de tirso de um filho de Dionísio em minha cabeça faz um tempo, e, desde então, ele começa a doer em momentos bastante inoportunos, parando depois de um tempo. Gostaria de saber se a senhorita poderia fazer alguma coisa. — Para a falta de educação não pender muito na balança, coloquei os bons modos que tenho em prática ali, tendo em vista que gostaria de ser curada logo.



Vicka L. Danniels
avatar
Indefinido
Mensagens :
492

Localização :
the sin was shown to me, so a sinner i became

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Étoiles de Médici em Sab 11 Jan 2014, 20:24


Curando

A procura pela minha Enfermaria crescia. Pouco, mas crescia. E, apesar disso me gerar mais trabalho, significava que eu não fizera uma burrada ao me tornar curandeira e que meu trabalho estava sendo bem visto aos olhos alheios. Não que eu me importasse com a opinião dos outros, mas simplesmente não se dá para ter uma enfermaria sem pacientes, certo?
Levantei de meu banquinho de madeira ao ouvir meu nome ser chamado do “mini hall”, um sorriso já estampada na cara. A garota que estava ocupando um dos sofás se apresentou e explicou sua situação. A conduzi até uma das macas e fiz um rápido diagnostico, como de praxe.
Pedi para que aguardasse e voltei a meu banquinho, onde prepararia as poções para a semideusa. Primeiro, retirei de dentro de minha bolsa os ingredientes que utilizaria: leite de cabra, algumas porções de gomos de laranja, diversas tiras de casca de limão siciliano, um saco de sementes de pimenta-do-reino, sacos de suco de maçã, amora em pó, um ramo de folhas de hortelã e um saco de açúcar.
Em seguida, fiz uma oração a meu patrono. Assim que acabei, ralei as tiras de casca de limão siciliano no ralador e depois as peseis ─ já raladas ─ em uma balança até ter as gramas necessárias. Peguei um copo limpo e coloquei nele o leite de cabra e os trinta gomos de laranja, e então, mexi o conteúdo final por mais ou menos um minuto.
Feito isso, salpiquei as tiras raladas na bebida e voltei a misturar, mas desta vez até que a poção adquirisse sua cor esverdeada. Por fim, pus uma das duas doses criadas em uma bandeja, juntamente com duas sementes de pimenta-do-reino. A segunda dose eu guardei para o próximo paciente que necessitasse dela.
Voltei a rezar para Lorde Asclépio, quando acabei, pesei dois sacos de amora em pó na balança até conseguir o peso necessário. Em seguida, despejei em um copo novo dois sacos de suco de maçã e também a amora pesada. Misturei o conteúdo do copo até que o líquido ficasse com sua tonalidade arroxeada, após isso, adicionei o açúcar com cuidado e mais duas folhas de hortelã. Novamente, coloquei uma das doses criadas na bandeja, mas desta vez com uma terceira folhinha, e guardei a dose restante.
Levantei-me e voltei para perto de Vicka ─ como a semideusa se apresentara. Expliquei a ela o que tinha que fazer antes de mandar as poções pra dentro, o que ela fez rapidamente, e em segundos, tudo já havia sido consumido.
Atualizações:
Vicka L. Danniels| 55 HP/MP
Observações:
•A habilidade "Alquimista" não está na minha lista de Poderes Especiais, mas Asclépio me deu a permissão de utiliza-la até que ele se lembre de pedir a um ADM de atualizar.
• Falta atualizar o meu post de cima e o post da Emily e, antes do dela tem um outro meu que ainda também não foi atualizado. Não se esqueçam deles, por favor.
Habilidades utilizadas:
Passivas
 
{Nível 2}
 
   ― Conhecimento Herbológico: Muitas plantas são utilizadas na fabricação de remédios, pomadas e outros tipos de meios que buscam a proteção; além disto, não são poucas as vezes que o curandeiro necessitará de um conhecimento prévio sobre algum tipo específico de erva para fabricar determinada poção. Portanto, todos os seguidores de Asclépio serão peritos em identificar plantas e ervas medicinais. {Inspirado em “Conhecimento Avançado sobre Ervas”, antigo poder passivo de nível dez; créditos a Renan Xavier}
 
{Nível 5}
 
― Aprendiz Especializado I: Há vários e diversos ramos na medicina, explorados conforme a necessidade ou a particularidade do médico em questão, sendo ele livre para escolher qual delas estudar. Agora, conforme decisão do Aprendiz (este deverá mandar uma Mensagem Privada unicamente a Asclépio com o ramo que quiser; por favor, narradores, não considerar se o seguidor ainda não possuir a habilidade especificada em seu campo de “poderes especiais”), este poderá escolher uma das especializações a seguir (listadas, também, no final dos poderes passivos).
 
― Alquimista: Quando um seguidor do deus da medicina estuda a alquimia, ficará pronto para preparar poções, venenos, pomadas e outros tipos desses objetos (a lista completa se encontra abaixo dos poderes ativos). As “bebidas” criadas pelos alquimistas só poderão ser usadas na situação atual; na prática, não poderão ficar com as doses extras após a missão, evento, treino ou trama (isto é, caso prepare uma poção e não utilize todas as suas doses, ele as perderá – a exceção é a enfermaria, pois se um curandeiro formular uma poção, esta poderá ser utilizada por ele em outro paciente; não ocorrerá de ser adicionada ao seu arsenal). Mesmo assim, o curandeiro pode postar, na enfermaria, criando uma poção para si e a guardando para uma ocasião futura (neste caso, seria como um filho de Hefesto produzir uma arma para si; portanto, o curandeiro ficará com a poção se o post foi gratificante); e há pacientes que pagam por líquidos produzidos pelo alquimista – neste caso, o cliente necessitará postar on-game na enfermaria, explicando o seu pedido; o curandeiro postará em seguida, dizendo se aceita ou não e quanto será o preço; após confirmação do primeiro, o Aprendiz fará o serviço. {Idealizado por Sadie Bronwen}
 
{Nível 7}
 
― Aprendiz Experiente: O auge da medicina está mais próximo do dito cujo, sendo este o objetivo máximo de eficiência. Os Aprendizes, agora, se deparam com um quadro novo de realidade; próteses, cirurgias simples, erros quase nulos – os ensinamentos médicos convencionais de Asclépio estão praticamente no fim. Os seguidores do deus da cura também poderão reconhecer quase que de imediato a doença que o paciente possui, sabendo também o que fazer nesse caso. Além disto, sua memória desenvolver-se-á como a de poucos, pois deve se recordar mais facilmente dos conceitos básicos; na prática, poderá relembrar vagamente de qualquer coisa que esteja relacionada aos cinco sentidos básicos.
 
Ativas
 
{Nível 1}
 
— Boas-vindas Curadoras: Ao realizar um exame prévio e acomodar certo paciente em sua enfermaria, recepcionando-o, o curandeiro conseguirá curá-lo em vinte de vida; por ser necessário certo preparo anterior, é recomendado que seu uso seja somente na enfermaria ou em situações de conforto. Seu uso é limitado a uma vez por post, e não pode ser usado em si próprio, obviamente. Não serve para cicatrizar ou quaisquer outros efeitos, apenas a recuperação de vida; para obter tais efeitos, deve-se, ao menos por enquanto, utilizar de métodos convencionais.
Poções criadas:
{Nível 5}
 
― Poção Vitalícia Média: Se criada corretamente, a poção irá adquirir uma coloração semelhante à Poção Vitalícia Simples, porém desta vez será um pouco mais brilhante do que a anterior e será um pouco mais escura. O gosto da poção, a princípio, é azedo, contudo vai se tornando refrescante conforme é ingerida. Este tipo de poção só poderá ser criados por Alquimistas, uma vez que ela é mais avançada que a sua antecedente. Por questões de segurança, só uma dose pode ser ingerida uma vez por turno.
 
{Nível 7}
 
― Poção Energética Média: Ao ser produzida da forma apropriada, a poção adquirirá uma tonalidade arroxeada, levemente brilhante e um gosto frutífero de refrescante e adocicado; também como a poção vitalícia média, esta só pode ser criada por aqueles curandeiros que decidiram tornar-se Alquimistas. Por questões de segurança, ela só pode ser ingerida uma vez por turno.
Étoiles de Médici
avatar
Indefinido
Mensagens :
428

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enfermaria da Grandine

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 15 1, 2, 3 ... 8 ... 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum