Percy Jackson e os Olimpianos RPG BR
Bem vindo ao maior fórum de RPG de Percy Jackson do Brasil.

Já possui conta? Faça o LOGIN.
Não possui ainda? Registre-se e experimente a vida de meio-sangue.

Teste para filho de Poseidon

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Teste para filho de Poseidon

Mensagem por 112-Ex-Staff em Seg 01 Set 2014, 00:10

Teste para filhos de Poseidon


Aqui devem ser postados todos os testes para os concorrentes a filhos de Poseidon deste mês. As postagens podem ser realizadas até as 23h59min do dia 21 do mês corrente. Postagens após o prazo serão desconsideradas. Resultado no primeiro dia do mês seguinte.

Vejam as regras completas aqui [clique]

Boa sorte, campistas!


Thanks, Dricca - Terra de Ninguém
112-Ex-Staff
Indefinido
Mensagens :
1873

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Christine M. Caudermoon em Dom 18 Jan 2015, 01:10

Teste
para Filha de Poseidon





Aparência física: Christine possui cabelos castanhos escuro e pele cor de caramelo levemente bronzeada. Tem carinha de anjo, o que é um tanto enganador.

Caracteristicas : Tem um senso de humor sarcástico e é madura demais para sua idade, duas qualidades que raramente são vistas juntas.Por muitas pessoas — inclusive por sua psicologa — é considerada anti-social, mas francamente quem consegue ser social quando á todo ano se muda de cidade, basicamente sua vida social se resume nela, sua mãe e sua gata de estimação. Nunca sentiu falta paterna, para ela sua mãe já era o suficiente.




A grande maioria os semideuses que eu conheci só tiveram contato com a mitologia grega só depois que descobriram que eram semideuses. Eu me considero uma exceção.

Eu não sou boa em apresentações então desconsidere a falta de cortesia. Me chamo Christine Maureen Caudermoon, tenho doze anos e até pouco tempo eu tinha uma vida quase normal. Quase, tirando aparecimentos de monstros, quedas de raios próximos á mim e a constante mudança de casa, eu era normal.

Ok, confesso, eu nuca fui normal  Segundo as minhas psicologas em que passei durante minha vida inteira. Agora você se pergunta como uma garotinha com carinha de anjo passa com psicologas. Simples, minha mãe me achava anti-social.

É absolutamente diferente. Eu sou uma antena atrativa para encrencas, não importa onde eu esteja e acontece algo, também temos relevar que eu não tenho um gênio fácil.

Só com doze anos eu perdi a conta das escolas em que fiquei. Nunca fui expulsa, sempre fui uma aluna inteligente, a que tirava as melhores notas, e ao contrário da maioria dos semideuses não tenho dislexia, mas em compensação tenho  hiperatividade e defict de atenção, o que não é muito apreciado por minha mãe, na verdade ela odeia quando eu estou lavando louça e me distraio e quebro seus pratos . Mas nas escolas, nunca tive problemas graves, só as encrenquinhas básicas, sempre sai das escolas por que minha mãe me tirava de lá.

Aí chegamos em outro ponto da minha história: A mudança de casas.

Cada vez que acontecia uma encrenca  — A coisa que mais acontece comigo  —, minha mãe vendia o apartamento e comprava outro em outro estado, as vezes eu pensava seriamente que em qualquer momento ela iria comprar uma casa na china.

Se tudo continuasse assim estaria bom para mim. Eu poderia me acostumar com todas essas mudanças repentina, já que minha vida social se resumia em minha mãe e minha gata de estimação.

Mas teve um dia que tudo mudou.

Eu estava de férias, era segunda-feira e eu não tinha que aturar as pragas da minha escola. Naquela época tínhamos um apartamento em Nova York.

Estava deitada na minha cama lendo os livros de mitologia grega. Talvez eu não tenha mencionado. Eu sou obcecada por mitologia grega. Essa obsessão começou quando eu tinha oito anos e um livro de mitologia grega apareceu na minha estante. Eu li ele, gostei e desde então comecei a gastar minha mesada em comprar livros de mitologia grega. Além disso comecei aprender a linguagem grega pela internet. Minha mãe detestava minha obsessão pela Grécia.

De repente comecei a ouvir vozes na sala. Eram vozes da minha mãe e uma voz masculina.

Na hora levantei da cama e fui lá ver. Eu posso reclamar das chatices da minha mãe, mas ninguém mexe com ela.

Abria porta. Só tinha minha mãe sentada no sofá chorando. Minha mãe é uma mulher bonita, loira  de olhos cinzas, é uma excelente médica, mas sempre foi sentimental e chorava muito. As vezes tanto chororo me irrita.

— Quem estava aí?

Ela me encarou.

— Ninguém. O que você está fazendo?

— Estou lendo meus livros de mitologia.

Eu não devia ter falado isso ou mencionado os livros. Na hora ela ficou louca de raiva e correu para o meu quarto. Derrubou com um chute a minha estante de livros. Eu fiquei em estado de choque. Claro que ela não vai fazer o que estou pensando cada livro desse foi mais de cinquenta reais, pensei.

Infelizmente ela abriu a janela e começou a jogar os livros no asfalto.

Eu tentei impedir ela, tentei segurar a mão dela, mas ela me deu uma bofetada que caí no chão com o rosto vermelho.

— Mãe você não pode fazer isso! Esses livros são caros pra caramba, e são pesados se caírem na cabeça de alguém  vai machucar feio.

Ela nem se importou com a cabeça do povo lá embaixo. Não parou até a estante estar vazia e estilhaçada no chão. De repente ela parou e respirou fundo. Finalmente pareceu que ela tinha reparado no que estava fazendo.

Ela me encarou ainda soluçando.

— E-eu vou no mercado... fazer algumas compras.

E ela saiu do meu quarto rapidamente.



Fiquei parada encarando a estante. Milhares de mitos... jogados pela janela. Me levantei e olhei na janela para ver se tive sorte e algum livro caiu na calçada, mas aparentemente minha mãe tinha uma boa mira, estavam todos no asfalto sendo estilhaçados por rodas de carros.

Só então que percebi que meu rosto estava sangrando. O anel da minha mãe provocou um pequeno corte na minha bochecha.

Fui correndo para a cozinha para pegar alcool, vai que esse anel de latão me passa tétano...

Estava fechando a mão na garrafa de alcool quando ouvi a janela estilhaçar. Inferno, vai ser muita sacanagem se ela estiver jogando os livros de volta, pensei.

Virei na direção da janela já falando:

— Mãe você fala que eu que preciso de psiquiatra, mas estou reparando que  quem está preci...

Parei de falar na hora que percebi que não era minha mãe. Á principio pensei que um leão tinha fugido do zoologico e pulado a minha janela, mas aí lembrei que meu apartamento está á 18 metros do chão e que leões não pulam essa altura.

Ai, meus deuses gregos, egípcios e romanos, vou virar almoço de leão... tchauzinho para vocês, pensei

Sou obrigada a admitir que o leão era bonito. Tinha o dobro do tamanho de um leão normal —Acredite eu sei o tamanho de um leão — e lindos pelos dourados que pareciam ouro.

Eu sou linda e inteligente demais para morrer. Preciso fazer algo...

Idia, minha gata, se pôs na minha frente e miou para o leão. Na hora o leão rugiu, um rugido que fizeram meus ossos tremerem.

Idia se escondeu debaixo da pia... Gata covarde.

Pia... Até que isso me deu uma ideia. Corri na direção da pia e peguei dois copos. Começei a atirar os copos, colheres, panelas e tudo que eu podia no leão. Infelizmente não teve nenhum efeito. O pelo dele parecia uma armadura.

Pelo que parecia uma armadura.

Isso me lembrava um mito grego. O leão de Nemeia. Um leão que assombrava a cidade de Nemeia que foi morto por Hercules. No mito Hercules o estrangulou.

Não tinha força para estrangular o leão. Se eu me aproximasse dele mais um centimetro ele ia me morder com aqueles dentes enormes.

Tive uma ideia louca. Saiba que eu tenho muitas ideias loucas.

Peguei uma faca afiada de cozinha e joguei no olho direito do leão. Se era o pelo que o protegia, eu iria acerta-lo onde não tinha pelo.

Foi uma estratégia inteligente. Mas o animal fechou os olhos.

Aquilo foi a gota d'água. O leão pulou na minha direção com a boca escancarada rugindo. Agi por impulso, peguei uma faca grande de cortar carne e enfinquei na garganta dele.

Na ora o animal se afastou de mim, se engasgando e soltando sangue pela boca. Ele caiu no chão e começou a se dissolver ate ser um simples monte de areia com um casaco dourado encima.

Peguei o casaco e coloquei em mim.

— E aí Idia, acha que casaco de couro de leão combina  comigo?

A gata soltou um miado debaixo da pia.




Agora você pergunta o que eu fiz depois de matar um leão de Nemeia. Bom, eu fugi.

Entenda, não foi total covardia. A casa estava uma bagunça... O leão psicopata destruiu minha janela, e eu destruí a cozinha... Minha mãe iria surtar. Mas seria preferivel ver ela surtar do que ela ser morta por um monstro. Sei que essas coisas estranhas estão atrás de mim... Vai ser bem melhor para minha mãe ficar longe.

Eu fui para a praia mais deserta que conheço. Minha preferida na verdade, uma praia de Long Island perto dos campos de morango, fui ali de taxi.

Eu sempre gostei dessa praia por que ela tinha uma caverna no meio de rocha, e seria difícil para um monstro entrar ali.

Me sentei dentro da caverna, ali embaixo eu tinha uma visão do mar batendo nas rochas. Qualquer coisa estranha, ou monstros me seguindo, eu me jogava lá embaixo e nadaria com toda força, assim escaparia das rochas e os monstros que me perseguiam iria se chocar nas rochas.

Era o lugar mais seguro no momento.

Encostei a cabeça na rocha. Ah, eu estava bem cansada. Nos meus livros eu sempre tive inveja dos heróis que derrotavam monstros e viviam aventuras. Agora eu tenho pena deles, isso é muito desgastante.

Acho que cochilei, afinal, matar leões psicopatas cansam.

Eu sonhei, raramente eu sonho.

Eu estava num palácio, construído com marfin, seria um sonho normal, mas o palácio estava debaixo da água, e vários corais e conchas o rodeavam. O mais bonito eram os animais que nadavam na água.

No sonho eu respirava debaixo da água. Vários peixinhos passaram ao meu redor... E até um tubarão passou ao meu lado.

Estava sentada numa rocha incrustada de corais. Tinha várias algas atrás de mim. Eu sei a maior parte das especies de algas, por que sou fascinada por ciências, mas essas algas eu não conhecia. Devia ser uma espécie rara.

Um golfinho se aproximou de mim. Não resisti a tentação, agradei o focinho dele.

Ele estava fazendo barulho e tentando me carregar para dentro do palácio. Senti que tinha algo muito importante lá dentro, por isso agarrei a crina do golfinho e deixei ele me levar para dentro do lugar.

Dentro o lugar era mais bonito do que fora.

As paredes eram de marfin com corais e ouro incrustadas. O chão brilhava como madrepérola. O teto era quase feito de um material quase transparente, como vários cristais unidos.

Era um paraíso de tão bonito que era.

Na minha frente tinha um trono. O trono era grande, quase de cinco metros, feito de corais e conchas. Sentado nele tinha um homem de três metros. Era um homem moreno de olhos verdes, embora vestido simplóriamente parecia majestoso. Ele carregava um tridente de bronze imenso, maior do que ele.

A semelhança fisica era impressionante, eu de um jeito estranho sabia que ele era meu pai. Nunca tive dramas para descobrir quem era meu pai, sempre pensei nele como o cafajeste que largou minha mãe, mas perante ele agora eu não falaria isso.

Eu tenho cabelos e olhos castanhos e pele morena. A única diferença minha e do meu pai era que ele tinha olhos verdes.

— Poseidon?  — Arrisquei falar. Eu já tinha lido mitos suficientes para indentificar o rei dos mares.

Ele me olhou calmamente.

—Sim, filha. Vá para a colina meio-sangue. Eu te guiarei até lá.

Depois disso nem tive como falar nada. Pois minha visão ficou enevoada e eu acordei.




Acordei sobressaltada. Sabia que estavam me seguindo.

Saí da caverna correndo. Colina meio-sangue. Eu sabia que tinha que ir para lá. No caminho peguei um taxi qualquer. E mandei me levar para a area que tinha as colinas. De um jeito intuitivo eu sabia que a colina tinha que estar em Long Island.

O carro me deixou perto da plantação de morango. Na minha frente tinha uma colina enorme com um pinheiro grande.

Corri até o pinheiro. Iria dar mais um passo que me levaria para dentro do acampamento, mas fui interceptada.

Algo segurou minhas mãos acima da cabeça e me encostou no tronco do pinheiro. Quando olhei quase morri do coração.

Era um ciclope. Tinha a mesma descrição dos que eu  lia nos meus mitos. E eu sabia que eles adoravam carne, especialmente carne de filhos de deuses.

Eu não podia soca-lo, e nem tinha um arma. E ele estava aproximando a cara para perto do meu rosto. Eu seria devorada perto da minha liberdade... Isso era injusto.

Como vocês já sabem, eu tenho idéias loucas. Chutei o olho dele e enfie minha bota na retina do único olho imenso.

Eca! Minha bota ficou melada de liquido de retina de ciclope.

Ele me soltou na hora. Caí de bunda no chão. Me levantei na hora e corri para dentro do acampamento.

Estava chegando até a casa grande até que tropecei numa pedra imensa e bati a cabeça numa pedra ainda maior.

Isso é bem tipíco de mim. Cego um ciclope, mato um Leão de Nemeia, e uma simples pedra me derrota.

Depois que acordei explicaram que eu era uma semideusa e que monstros me perseguiam e etc.

Não precisaram explicar muito, afinal sou perita em mitologia grega. Para mim os mitos só saíram do papel.




Christine M. Caudermoon
Indefinido
Mensagens :
2

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Luana de Araujo em Dom 18 Jan 2015, 11:49

A história é ótima, mas se esqueceu de uma das caracteristicas de ser filho(a) de Poseidon, a rebeldia, a hiperatividade... por ser filha do deus do mar, tem que ser um pouco mas agitada.
Luana de Araujo
Indefinido
Mensagens :
1

Localização :
JB

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por 102-ExStaff em Seg 02 Fev 2015, 14:29


AVALIAÇÃO
Teste de Reclamação


Christine M. Caudermoon - Reprovada.

Hey, Chris, vamos começar pelas regras do teste:

Para concorrerem, vocês deverão escrever um texto contendo:

Separadamente, vocês deverão expor as características físicas e psicológicas do player que concorrerá - lembre-se que você está fazendo o teste para filhos dos 3 grandes, portanto seja criativo e lógico!
- Obs.: Por favor, separem este tópico do outro! Não postem duas vezes, apenas deixem claro o que é o que.

A história do personagem, relatando como descobriu sua origem e como chegou ao Acampamento Meio-Sangue;

Uma narração de trama livre que deve conter ao menos 1 combate e uma visita ao local de poder de seu pai [Olimpo para Zeus, Mundo Inferior para Hades e Atlântis para Poseidon]
- Obs.: Vocês estão livres para fazer a trama, mas deve haver uma - motivos, objetivos, etc. Não é uma simples visita.
Pontos obrigatórios da parte narrativa:


O concorrente deverá postar como se já fosse reclamado pelo deus em questão, e, portanto, deverá comportar-se como tal;

O concorrente poderá fazer uso - ou não - de poderes, passivos e/ou ativos, e presente de reclamação, mas apenas de nível inicial;

O concorrente deverá postar todos os pedidos no teste em apenas um post, porém, com separação clara e fácil de ser percebida; pode ser em spoiler, code, com um título acima... Enfim, apenas separem claramente os dois tópicos.

Note que a parte que está em negrito e itálico fala sobre a separação que deve haver entre as duas narrações:
A história do personagem, relatando como descobriu sua origem e como chegou ao Acampamento Meio-Sangue;

Uma narração de trama livre que deve conter ao menos 1 combate e uma visita ao local de poder de seu pai [Olimpo para Zeus, Mundo Inferior para Hades e Atlântis para Poseidon]
- Obs.: Vocês estão livres para fazer a trama, mas deve haver uma - motivos, objetivos, etc. Não é uma simples visita.

No entanto, Chris, você mesclou as duas histórias (lembrando que a ida ao reino do deus escolhido deve ser real, não apenas um sonho), descumprindo as regras do teste.

Devo alertá-la, também, que há - na sua narração - vários erros gramaticais (repetições de palavras na mesma oração, crase, ausência de pronomes/artigos - o que tornou algumas frases incoesas, oscilação verbal e pontuação) e de incoerência (como o trecho em que um Leão da Nemeia entra no seu apartamento e depois você o mata com uma faca de cozinha).

Alguns exemplos dos erros:


  • "Ok, confesso, eu nuca fui normal  Segundo as minhas psicologas em que passei durante minha vida inteira. Agora você se pergunta como uma garotinha com carinha de anjo passa com psicologas. Simples, minha mãe me achava anti-social." - Ausência de pontuação após "normal" e antes de "Segundo". A frase sublinhada ficou vaga e levemente sem sentindo. A garotinha passou o quê com as psicólogas? A vida?

  • "Só com doze anos eu perdi a conta das escolas em que fiquei. Nunca fui expulsa, sempre fui uma aluna inteligente, a que tirava as melhores notas, e ao contrário da maioria dos semideuses não tenho dislexia, mas em compensação tenho  hiperatividade e defict de atenção, o que não é muito apreciado por minha mãe, na verdade ela odeia quando eu estou lavando louça e me distraio e quebro seus pratos . Mas nas escolas, nunca tive problemas graves, só as encrenquinhas básicas, sempre sai das escolas por que minha mãe me tirava de lá." - Muitas vírgulas, criando um longo período; repetição de palavras.

  • "Estava deitada na minha cama lendo os livros de mitologia grega. Talvez eu não tenha mencionado. Eu sou obcecada por mitologia grega. Essa obsessão começou quando eu tinha oito anos e um livro de mitologia grega apareceu na minha estante. Eu li ele, gostei e desde então comecei a gastar minha mesada em comprar livros de mitologia grega. Além disso comecei aprender a linguagem grega pela internet. Minha mãe detestava minha obsessão pela Grécia." - A repetição de palavra afeta a fluidez, deixa a leitura cansativa.

  • "Parei de falar na hora que percebi que não era minha mãe. Á principio pensei que um leão tinha fugido do zoologico e pulado a minha janela, mas aí lembrei que meu apartamento está á 18 metros do chão e que leões não pulam essa altura." - Problemas com acentos. Em ambos os casos, o "a" sem acento deveria ter sido utilizado; incoerência: como o leão adentrou o seu apartamento?

  • "Aquilo foi a gota d'água. O leão pulou na minha direção com a boca escancarada rugindo. Agi por impulso, peguei uma faca grande de cortar carne e enfinquei na garganta dele.

    Na ora o animal se afastou de mim, se engasgando e soltando sangue pela boca. Ele caiu no chão e começou a se dissolver ate ser um simples monte de areia com um casaco dourado encima." - Outra incoerência que foi citada anteriormente: como você, uma semideusa de nível 1 - até então, segundo a narração, indefinida - conseguiu matar um Leão da Nemeia com uma faca?

Esses foram apenas alguns exemplos dos erros que há no seu teste, Chris. Aconselho você a refazer as duas histórias (separadas), revisar atentamente o texto e só depois postar o teste (seguindo todas as regras e mantendo coerência na narração).

Boa sorte na próxima tentativa!


PS: Avaliação feita por mim, Poseidon, qualquer reclamação ou dúvida me envie uma MP.

102-ExStaff
Administradores
Mensagens :
357

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por America Karinne James em Dom 08 Fev 2015, 22:11

(Características Físicas) Me chamo America, mais alguns me chamam de Meri (apenas os mais conhecido). Sou loira, tenho os olhos claros, da cor do oceano, pele alva como as nuvens, e os lábios que mal se fecham, são vermelho e sensíveis. Meus cabelos claros são finos e ondulados, traços não tão perfeitos de uma garota sonhadora. (Características Psicológicas) Me considero alguém muito protetora, sou capaz de lutar até morte pelas pessoas que eu amo, tenho um pouco de rebeldia e doçura misturadas em minha personalidade, sou louca por aventuras, quando surge uma, minha coragem vai pra cima. Posso dizer que sou como o oceano, posso ser calma e pacifica, mais as vezes fico agitada como as ondas do mar. Sou bastante persistente naquilo que eu acredito, por isso não sou de desistir de sonhos, nunca.
* Como conheci o acampamento meio sangue:
Nasci no Canadá-Toronto em 2000, morava com minha mãe Amy K. James, estudava na escola perto da minha casa e minha mãe era enfermeira em um hospital, meio que longe da nossa casa então, eu a via de manhãzinha, quando ela me acordava pra ir a escola e a noite quando ela chegava do trabalho. Meu pai ? eu não conheço, não sei nem como ele é. Minha mãe disse que assim que eu nasci, ele teve que ir em uma viagem a negócios e um ouvi acidente, não procuro perguntar muito, toda vez que pergunto minha mãe cai no choro. Como fico sozinha o dia todo, não volto assim que termina a aula. Eu paro na praia pra ver o mar, é o que me acalma todos os dias. Ou quando estar muito frio eu fico na piscina da escola. O surpreendente , é que fico em baixo da água mas tempo do que qualquer um, por que simplesmente esqueço tudo, toda a minha vida eu deixo, quando entro na água.
- Filha acorda, vc está atrasada e eu também disse mamãe ao me acordar
- me desculpa te fazer se atrasar, pode ir eu vou ficar bem
Ela deu um beijo leve na minha testa e me abraçou. Deu um sorriso e saiu apressada. Me levantei, fui até a cozinha e fiquei pensando. Por que será que um pai abandonaria uma filha assim, eu não tinha nem noção de como ele era, nada, nenhuma feição do seu rosto. NADA!
-Meu Deus eu estou atrasada, tenho que ir
Joguei a xícara na pia e fui me vestir. Na rua tava um gelo, a neve ia aos pouco congelando minhas pernas, tinha que chegar rápido, senão não assistiria a aula.
Logo cheguei e me sentei. Não me sentia bem em ir a escola, mas tudo o que eu tinha que fazer era, ficar sentada ouvindo o professor falar e ouvir. nada mais. Fazendo isso a aula terminou rápido, e como de costume, fui pra piscina do colégio, já que estava frio e não dava pra ir a praia , mesmo assim a água da piscina estava congelando, então fiquei sentada olhando meu reflexo borrado na água da piscina. Então alguém chegou.
- America ? disse alguém vindo na minha direção
Era Mary a unica amiga, que eu tinha naquela escola. Ela e eu tínhamos algo em comum, ela nunca havia conhecido seu pai.
- Oi
- Tudo bem ? perguntou ela
- tudo
Respondi mais estranhei, a presença dela na escola
- O que esta fazendo aqui ? pensei que já tinha ido embora perguntei
- cumprindo detenção
- por que ? perguntei, percebendo que eu estava perguntando de mais
- Lendo livros de romance durante a aula, vc não viu ? tudo mundo viu
- eu não ando prestando muita atenção nas aulas.
Mary e eu conversamos muito, eu não queria conversar tanto assim, queria olhar pra água e sentir o fortalecimento que ela me trazia. Mais eu não era capaz de dizer a Mary que não queria conversar com ela justo quando ela me trouxe uma noticia boa. Mary havia achado seu pai, e mesmo que seu pai tivesse lhe abandonado ela o abraçou fortemente esquecendo tudo, sua mãe brigou muito com ele. Bom eu não tive essa sorte !
Depois da conversa com Mary, eu voltei pra casa, alguma coisa estava estranho, a luz de casa estava acesa, então minha mãe já havia chegado. Mais por que ela já estaria em casa. Fui correndo até em casa e quando cheguei algo me assustou
- Mãe ? gritei
Minha mãe estava no chão chorando, com as mãos machucadas. Eu não sabia o que fazer, eu me tremia e olhava pra minha mãe com lagrimas nos olhos. Ela tava encostada na parede e tremia muito, olhava pra me com medo e com incompreensão no rosto.
- mãe o que aconteceu ? perguntei chorando ajudando minha mãe a levantar
- precisamos entrar no carro e sair daqui agora, te explico tudo depois eu juro disse minha mãe
Ajudei minha mãe a descer as escadas e entrei no carro. Eu não sabia dirigir muito mais naquela situação não pudia deixar ela dirigir. Quando entramos no carro que passou uns 2 minutos em silencio profundo, eu realmente tive a necessidade de falar.
- mãe o que está acontecendo ?
- filha preciso que vá pela estrada da floresta disse minha mãe
- Floresta ? mãe precisamos voltar pra casa e vc precisa me dizer o que estar acontecendo
- Por favor cofia em me e vá pela estrada da floresta agora America disse minha mãe ainda chorando.
- tudo bem disse eu indo pra estrada da floresta
Ficamos em silencio de novo, mais me lembrei que eu precisava saber o que estava acontecendo.
- Mãe me conta o que ta acontecendo por favor
- Eu não sei exatamente como te contar isso, mais um dia vc precisaria ouvir, quando eu conheci seu pai ainda eramos bem jovens, eu mal sabia o que ele era, mais ele me contou, ele era um Deus, America
Eu gelei naquele exato momento, eu não consegui falar nada, então deixei que minha mãe falasse.
- E quando Deuses e Humanos tem filhos, esses filhos são semideuses, ou seja metade deus e metade humano
- o que ? isso não é possível
- seu pai esperou vc nascer e foi embora pro olimpo, ele disse que seria perigoso ficar aqui. Mas ele disse que iria ter muitos sabendo que havia uma semideusa filha de Poseidon, então tinha que te levar pro único lugar seguro pra semideuses, o acampamento meio-sangue.
- isso é impossível, mãe vc bateu a cabeça ?
- não, é tudo verdade, essa habilidade que vc tem de ficar horas debaixo d´água, ele também tinha filha, essa sua conexão com a água, o bem que ela te trás quando vc tá com raiva, tudo é por que você é filha de Poseidon.
- Meu Deus.
Logo chegamos na floresta. Eu vi então a entrada de algum lugar, e minha mãe chegou perto de me assustada.
- Você tem que ir, rápido, vc corre perigo aqui fora.
- Mãe e você, eu não quero te deixar eu disse chorando
- Eu não corro perigo aqui, a minha preocupação é com vc, preciso que não saia daqui, que fique aqui como o seu pai queria que ficasse disse minha mãe chorando e me abraçando.
- Eu ainda vou ver-lo ? ainda vou ver meu pai ? eu disse chorando
- Não sei, mais saiba que o maior sofrimento da vida dele foi te deixar, ele te ama.
Eu me abracei com ele, e ela fez um gesto pra me seguir em frente.
Eu dei um passo, e me senti um pouco diferente, parecia uma barreira ou um campo de força transparente. Fui entrando, era enorme e tinha muito gente olhando pra me, então veio um homem metade cavalo e metade homem, eu me assustei ao ver-lo, mais respondi sua pergunta, assim que ele a fez.
- Quem é vc ?
- Filha de Poseidon



-Trama livre que conte alguma batalha, e visita a Atlantis          



Estava no acampamento meio-sangue, alguns minutos depois eu ia lutar contra o filho de Atena, eu gostava de lutar contra os filhos de Atena. As estrategias deles são muito bem pensada, e pram me soa como um treinamento. Fui até o lago, queria colocar as mãos na água e sentir ela me fortalecer, como sempre. A minha conexão com a água sempre tão forte,de tudo ela me curava, até dos pensamentos ruins . Cheguei bem perto, coloquei o pulso na água e senti algo úmido subindo em minha pele, parecia minha mãe quando me acariciava, bem pequena antes de dormir! Me dava simplesmente forças pra continuar sem minha mãe e meu pai do meu lado. Já fazia 6 meses!
- Pai eu preciso de vc aqui. Fala comigo...
nada aconteceu
- Você nunca fala comigo né ? Claro vc é um Deus, muita coisa pra fazer né ?
Eu sai e fui pra arena, das 5 lutas que já tive com os filhos de Atena havia ganhado 3 e estava confiante que eu poderia ganhar. Quem lutaria comigo, seria Joy Finn, ele tinha um aspecto triste, mais ninguém nunca passou dele, nada podia abate-lo. Nas aulas de arco e flecha, batalha e captura da bandeira. Ninguém passava de suas estrategias. Porém o que estragava sua personalidade, era ele se achar muito. Antes de começar a luta, ele até piscou pra me  :hiehie: Mais ele se achava de mais, isso estragou totalmente a beleza dele.
Olhei bem pro meu oponente e respirei fundo, o pessoal do acampamento gritava bastante, a maioria pra ele , um pouquinho da torcida pra me. Mas eu não prestei atenção. Então olhei pro lago e então vi algo. Algo diferente do que costumava ver
- Um hipocampo
- E ai bonitinha ? Ta demorando de mais.
Isso me irritou profundamente. O que ele achava, que só por que eu era uma garota, não podia ganhar dele ? Seria uma luta bastante difícil, mais não impossível.
Então começou a luta, mas eu não conseguia parar de pensar naquele hipocampo, o que será que ele estava fazendo ? , dentro do acampamento? ....
Os golpes de espadas eram algo que dava medo, mais não deixei que ele soubesse disso. Afinal de tanto lutar com filhos de Atena, uma de suas estrategias são descobrir seus medos, pra lhe atingir. Eu estava quase, a ponto de perder, mas já que ali era uma batalha e valia de tudo, pensei em me divertir um pouco. Havia ali perto, um bebedouro, apontei a mão pro bebedouro. E pensei: ``Por favor, por favor, não me decepcione, no me faça passar vergonha, me mostre meus poderes agora ``.
- Bonitinha, eu acho que tenho pena de vc, pode ser que assim que vc perder, as vaias façam vc chorar...
- e quem disse que eu vou perder ?
Ele me olhou confuso, mais na mesma hora, um jato de água super forte o derrubou, e com um golpe de espada, consegui mandar sua espada pra longe. Ao invés de vaia, muitos gritos foram dados, e muito da equipe de Joy, gritaram por me. Me senti vitoriosa, e dei a mão pra ajudar ele a se levantar, mais parece que ele não quis. Ele não gostou nada da ideia de ser derrotado por uma garota. Não liguei, assim que terminou a luta, falei com algumas pessoas que vinheram me dar os parabéns, e logo depois fui até o lago, pois tinha alguns arranhões no meu braço e na minha perna, pois antes do jato de água não posso esquecer que tava perdendo.Então vi o hipocampo de novo, era uma criatura linda.
-vem cá eu disse chegando mais perto e consegui alisar ele
ele era simpático. mais com certeza não sabiam que ele estava ali, ele nao era muito visto nos acampamentos.
Fui dormir naquela noite pensando se ele estaria bem ou tudo, mais com certeza ele estava bem. Mais algo aconteceu, eu tive um pesadelo enorme:
Era um castelo, um castelo de baixo da água, com muitas criaturas marinhas. Será que realmente poderia ser, ser Atlantis. Se fosse, eu poderia encontrar meu pai, mais nunca soube o caminho correto até lá. Então nesse mundo submarino, Cronos matia todos em refém, pelas histórias soube que Cronos, era pai do meu pai, e ele foi derrotado, por meu pai e dois de seus irmãos. Além das criaturas marinhas mantidas em refém, em uma sala especifica, tinha meu pai. Que mesmo sendo um Deus, não podia com Cronos, um titã.
- Paiii gritei

Fiquei agitada, não era apenas um sonho, era um aviso, precisa ir a Atlântis ver se estava tudo bem. E sabia que tinha um hipocampo do outro lado do lago, tinha que ir até lá. Vesti uma capa de frio, o vento tava gélido, e consegui ver no escuro a criaturo meio cavalo e meio peixe no lago. Eu estava sentindo um sentimento de contrariedade dentro de me. Algo que me dizia que não era pra fazer isso de jeito nenhum. Mais eu fiz, e se meu pai estivesse prestes a morrer ?
- Ei, eu preciso de sua ajuda, eu não conheço esse lugar, mais vc é uma criatura marinha, vc conheçe certo ? perguntei a criatura.
A criatura ainda me olhava sem nada fazer, e gostava do carinho.
- Por favor, meu pai, corre perigo.
E nada aconteceu
- Poseidon, Poseidon corre perigo.
A criatura logo deu um gemido e eu subi nela.
Logo passamos por caminhos estranhos.Demorou um pouco mais finalmente consegui chegar, algumas criaturas marinhas me pararam, poderia ser de cronos que estariam barrando as pessoas de entrar lá. Mas eu focei a barra e alguém de longe disse
- Deixem ela entrar
Eu não acreditei no que estava vendo. Era meu pai ?
- Ela é minha filha
- Pai ?
Eu o abracei e logo disse
- Você corre perigo eu tive que vim pra lhe avisar.
- Como assim ?
- Cronos, eu sonhei que ele te matava
- Cronos está morto, ele não pode ressuscitar
- Quer dizer que o que eu vi ... é só um sonho
- Você pode ter sonhado algo que vai acontecer, mais acho bem difícil acontecer, você não deveria estar aqui, teque voltar pro acampamento agora
- Eu não aguento ficar sem vc! Por favor não me deixe de novo.
E ele me deu um abraço.
- Eu to sozinha no acampamento, não tive noticias da mamãe, não sei se ela ta bem.
- Vc não ta sozinha, vc ta segura. E sua mãe ta bem, sei disso. Agora vc precisa voltar.
America Karinne James
Indefinido
Mensagens :
1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Amelie Fields em Sex 13 Fev 2015, 13:06

Teste para Filha de Poseidon:

- Características físicas:
Olhando no espelho, tenho cabelos escuros lisos com as pontas cacheadas. Pele com um mínimo de bronze, mesmo eu visitando a praia sempre que posso. Tenho olhos azuis esverdeados, e me considero sortuda em tê-los. Em meu rosto, quase sempre um sorriso está. Uso minha aparência angelical para enganar quem devo. De certo modo, sou alta.
- Características psicológicas:
Tenho uma hiperatividade que me impede de ficar quieta, de ser comportada, de reprimir a rebeldia. Sou muito agitada,  minha mãe me diz que eu sou um oceano: calmo em um segundo, rebelde em outro. Não gosto de receber ordens e ninguém tenta me dar, pois sabem que eu farei o contrário. Não sou muito de pensar antes de agir, embora eu tente muito o fazer. Não gosto muito de estudos, por causa da hiperatividade.

História

Muitos semideuses só começaram a ter contato com a mitologia depois que descobriram seu parentesco divino. Eu me considero uma exceção.
Sou Amelie Fields, mais conhecida como Amy, e desde pequena conheço os Deuses Primordiais, Deuses Olimpianos e Deuses Menores  - minhas histórias da hora de dormir eram as batalhas contra Grécia e Roma e contos sobre eles. Tenho dezessete, quase dezoito anos, e minha vida era quase normal até uns meses atrás. Quase, tirando a aparição de monstros no meio de uma praia cheia de gente, descobrindo que posso respirar em baixo d’água - sou uma sereia, wow – e constante mudança de escolas, eu era tão normal quanto qualquer outra garota.
Ok, talvez eu não tivesse reparado que garotas normais não mudavam tanto de escolas. Talvez elas também não pensassem algo como “Filho de Zeus! “ ao ver um líder nato. Talvez eu não fosse tão normal quanto pensava.
Eu ainda era ingênua – não tinha a mente aberta. Foi quando fiquei embaixo d’água por cinco minutos que descobri que não era comum. Eu pensava em ser uma mutante, ou um Jovem Titã ou. . . Tudo bem, vocês entenderam meu ponto de vista.
Só com quinze, eu já tinha perdido a conta das escolas em que tinha estudado. A hiperatividade estava contra mim, mas os diretores não pareciam querer saber disso.
Em uma das minhas escapadas para a praia – conversar com diretores cansa --, o monstro que eu citei antes apareceu. Eu estava sentada na prancha, ainda na areia, quando ele meio que brotou do mar. Ele pareceu caminhar até mim, mas uma adaga o atingiu na nuca e ele desmaiou. Fiquei cansada de repente, então simplesmente deitei e dormi.
E também sonhei.
No cenário, eu estava de frente para um bonito e grandioso castelo de marfim. Percebi que estávamos debaixo d’água, porque vários corais, algumas conchas e criaturas submarinas o rondavam. Eles pareciam me ver, mas falavam em outra língua, que eu entendi.
Os ignorei por um tempo, fazendo uma varredura do local. Lembrei-me de que não podia respirar na água, por isso fiquei abrindo a boca e ver se eu conseguia me afogar. Não, eu ainda estava ilesa.
Os peixes passavam por minhas pernas, o que me provocava cócegas. Um tubarão passou por mim rápido, como se estivesse correndo, mas não deu indícios de que iria me machucar.
Um golfinho se aproximou e me empurrou para mais perto do palácio. Considerei, então entrei lá.
Era o lugar mais lindo que eu já vi.
As paredes eram de marfim, com corais incrustados. O chão brilhava, como se pérolas o enfeitassem. Eu sabia que tinha teto, mas não o via.
Na minha frente, um trono de quase cinco metros repousava. Feito de corais e conchas, como quase tudo naquele lugar, estava nele sentado um homem a que eu atribuía três metros. Era um homem com cabelo negro como o meu, e com os meus mesmos olhos. Sem pensar, o chamei de pai.
-- Poseidon – afirmei em voz alta.
-- Olá, filha – ele sorriu.  – Nos encontramos novamente, no momento em que as Parcas previram. Apenas feche os olhos e confie em mim. Eu te guiarei.
Sua oz tinha um tom paternal, como se eu a última vez que eu o visse fosse há duas horas. Além disso, ele me chamou de filha.
Não tive muito tempo para pensar, apenas fechei os olhos e relaxei.

Abri os olhos, espantada, olhando para tudo ao meu redor. Na areia, estava escrito Colina Meio-Sangue, Long Island.
Era para lá que eu devia ir, se queria saber mais sobre mim. Me vesti rapidamente e expliquei tudo para mim, que não morava muito longe da praia. Peguei um táxi parado na rua, e pedi para o motorista me levar até Long Island.
Ele me deixou perto de uma plantação enorme de morangos, que estava bem cheirosa. Sorri, sem motivo nenhum.
Corri para perto de uma árvore. Iria dar mais um passo para entrar no apartamento, mas o chão meio que tremeu e eu esbarrei no nada, caindo. Olhei para trás e não acreditei no que vi.
Ciclope. Meu Deus.
Ele estava se aproximando, enquanto eu procurava algo para lutar com ele. Sabia que ciclopes adoravam carne – especialmente carne de filhos de deuses.
Pisei em um graveto. Tive uma ideia genial: peguei o grande pedaço de pau e joguei no olho dele, seguindo o exemplo de alguns heróis da mitologia.
Funcionou. Ele caiu na hora. Corri para o acampamento mais rápido ainda, correndo até uma casa. Mas, no meio do caminho, o cansaço me derrota e todos parecem me notar.
Vejo um símbolo em cima da minha cabeça, e penso que vou desmaiar.
-- Poseidon – eles exclamam surpreendidos, e eu fecho os olhos e deixo a consciência me abandonar.
Amelie Fields
Indefinido
Mensagens :
2

Localização :
New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Wave Hudson em Dom 08 Mar 2015, 17:21



Dezessete invernos superei,.
Dos mares sou filho do rei.
De arpão e broquel em mãos
Se vacilares, tomarei pra mim
Seu pobre coração.


Características:

“Os cabelos castanhos, curtos e ondulados, tendo algum apreço por qualquer tipo de brisa, se mexendo ao vento como se esse fosse uma carícia. Seus olhos verdes claros, como o próprio mar e com o mudar de suas expressões se tornam agitados ou calmos. Os lábios vermelhos, claros e finos. A pele é bronzeada, resultado de seu seu apreço ao oceano, que observa diariamente. Seu temperamento dependente de seus pensamentos, se alterando como a maré submissa aos ventos; se mostrando ás vezes confuso ou até mesmo aparentando um tanto ignorante, mas sempre gentil e amigável. É perspicaz e tem uma mente aguçada que constantemente é desafiada com enigmas, leituras e outros passatempos que só são deixados de lado quando o jovem está perto da água, animais marinhos ou cavalos. Wave é um rapaz quase tão normal quanto qualquer outro, e teria levado uma vida tranquila não fossem os caminhos que o destino havia lhe traçado.”


Historia:


Não saber quem era fora sempre uma questão de duplo sentido para Wave, que, na realidade, não se recordava sequer de ter alguma ligação com esse mundo. Sua última lembrança era um apartamento sujo e pequeno, localizado numa parte pobre da pequena cidade rural aonde, supunha, estava passando algum tempo, pois tudo ali era provisório. A sua frente havia uma parede branca suja e com a tinta desgastada, seus olhos estavam vidrados e sem expressão alguma. Seus passos se tornavam pesados sobre a escada que estremecia e rangia por todo o apartamento, que estava prestes a desabar. Alguns meses depois de seu nascimento, sua mãe faleceu, acabara de descobrir que tinha passado a sua infância em um pequeno orfanato cristão que, ironicamente, ficava a cinquenta quilômetros do apartamento em que acordou sem memória alguma. O seu nome, segundo os arquivos que encontrou sobre uma mesa ao canto da sala do apartamento, era “Wave Hudson”, o sobrenome de uma família que o garoto desconhecia origem, o que era triste. A sua mãe, segundo diziam, enlouquecera ao espalhar sobre a cidade que o fruto, ou melhor, seu filho, havia sido concebido com um amor de um deus. Algo que ela deixara para ele, depois de sua morte ou desaparecimento, não se sabia ao certo, fora uma quantia em dinheiro enrolado em um envelope sobre a mesa que guardava em um local seguro. Sobre suas loucuras, ela achou que encontraria o deus e o mesmo lançou-se ao mar no auge de seu desespero. Quando Wave descobriu isso imediatamente achou que era filho de um estupro, no entanto, algo em seu íntimo dizia que não parecia ser assim. De qualquer forma, com o dinheiro deixado pela mãe, mudou para Nova Iorque e foi naquela cidade que a sua vida mudou. Sentia saudade do mar que sua cidade propunha, por mais que não se recordasse de tê-lo visto. Passava suas tardes no Central Park, em especial, perto dos lagos e foi naquele ambiente calmo que encontrou alguma paz em seus pensamentos.

Após poucos meses na cidade, conseguia alguns bicos como passeador de cachorros e cuidando de crianças pequenas no parquinho onde, antes, ficava lendo, quando não estava trabalhando na lanchonete ou então no albergue que dormia a noite. Em uma dessas noites, enquanto estava no parque, notou uma babá com sua protegida, mas uma ligação no celular acabou distraindo-o e deu as costas. A criança, que foi ver o lago mais de perto, acabou caindo nele, enquanto a adulta gritava no aparelho móvel. O moreno não conseguiu se conter e mesmo nunca tendo entrado na água, embora possuísse uma paixão por esta, pulou no lago para salvar a criança, só que essa se mexia tanto que salvá-la se tornou sendo uma tarefa difícil. Quando achou que não conseguia mais respirar, acabou inspirando água e surpreendeu-se ao notar que não sufocava e a calma acabou ajudando-o emergir ao som dos berros da babá. Babá essa que mal notou a presença de Wave que tomou o seu próprio caminho abraçando-se para não sentir frio ainda pensando no que teria realmente acontecido debaixo da água. Passou as mãos pelos cabelos secos e foi quando ficou estarrecido na rua. Estava completamente seco, não havia uma gota de água na superfície de sua pele que não fosse uma de suor frio que lhe escorria pela testa. De repente o seu caminho foi interpelado por um estranho homem metade humano e metade bode que revelou a ele a identidade como filho de um deus com uma mortal. Talvez isso explicasse alguma coisa. Wave havia lido sobre mitologia e o torpor em sua mente não foi anuviado nem mesmo quando, após dias e noites de uma viagem que não parecia ter fim, cruzou o portal de algo cuja placa dizia “Acampamento Meio-Sangue".

Narração:


“ Os passos pesados eram rápidos no asfalto de uma rodovia pouco movimentada. Seus olhos cortavam para todos os lados a procura de uma salvação e uma brecha para sair de um pesadelo que havia se tornado realidade. Sua mão deslizava em uma arma esquecida em um canto, um arpão longo e enferrujado enquanto a mão oposta segurava um broquel erguido na altura de seu peito e colado ao seu antebraço. O suor estava há espalhar em seu corpo e sua visão fora tomada por uma colina, com a grama opaca e um tanto sem cor abaixo do céu nublado e tempestuoso. Seus cabelos remexiam-se com os ventos que com força também farfalhavam a grama molhada por uma chuva pesada que caía dos céus. Wave entrava em meio desespero sua capacidade e seu compreendimento estava baixa. Nos céus um pequeno ponto surgia, voando com uma sede de sangue feroz, suas asas abertas e planando ao ar, seus olhos vermelhos brilhantes irradiando uma fúria desconhecida para o semideus até então. Os movimentos ágeis no céu, proporcionavam um desespero jamais visto em suas feições, o rosto cheio de expressões. Ele não entendia, ele não sabia o que estava a enfrentar e sentia um alarme que ecoava em todos os nervos do seu corpo, explicando, ou melhor, mostrando que a ameaça que estava por vir estava a procura de sua cabeça, algo que ele já sabia mas não queria admitir para si mesmo.

A visão do semideus se virou para a placa larga, escrita em uma língua desconhecida que o garoto demorou a perceber que compreendia: “Acampamento meio-sangue”. Seus pés corriam e o guiavam na direção da placa, sabendo que ao ultrapassar a barreira poderia estar a salvo. Mas não aconteceu o que Wave esperava ou queria, como sempre e tudo se tornou uma confusão com o primeiro arranhar de garras em sua barriga, rasgando sua pele e o sangue escorrendo em suas roupas com um branco desgastado se tornando um vermelho vinho e escuro. As asas da Harpia batiam apressadamente com a vontade de se levantar aos céus. Conseguindo com o insistir e forçar dos movimentos, levando o garoto consigo cada vez mais para cima e soltando um pio estridente.

A cabeça de Wave tornava a se remexer, a ânsia de vomito atormentando seu estômago e seus olhos entrando em uma distorção com tamanha altura, um medo que de certa maneira o tornava um covarde, mesmo com um orgulho e insistência admiradoras que insistia em mostrar a todos. O monstro interrompia o movimentar de sua arma, assim como o escudo que prendia ao antebraço, que caiu de tantos metros, diminuindo seu tamanho enquanto subiam. Os reflexos e a vontade feroz de sair das garras do animal pareciam inúteis, proporcionando uma movimentação involuntária do semideus em sua gana de escapar. Desesperado, Wave partiu para a última ideia que tivera, algo que não queria de maneira nenhuma tentar. Virando o rosto, o garoto mordeu com força a perna da ave, encravando os dentes e fazendo com que as garras o apertassem com força antes de o soltar. Cair daquela altura deixava seus olhos perdidos entre a densa nevoa que parecia cobrir todo o céu. Seu corpo perdia as forças ao pouco e sua respiração se tornava pesada. Ele sentia que seu fim estava ali: caindo dos céus, derrubado por uma galinha gigante. Seus olhos fecharam enquanto ele tentava não se preocupar, o frio em sua barriga aumentando ainda mais enquanto esperava o seu fim. Um grito de desespero era tirado da garganta do garoto - ALGUÉM ME AJUDA. ALGUÉEEEM. Gritou. E sobre suas palavras o inesperado aconteceu..

Um susto o ergueu, seus olhos abertos junto ao impulso de seu corpo para erguer, uma cidade esquecida por todos... Atlântida. A água dominava o lugar e sua respiração se tornou presa, ele tentava resistir, mas a respiração era essencial para que ele se mantivesse vivo, que quando o mancebo não aguentou e respirou, sentiu o oxigênio entrar sobre seu corpo, ele respirou mais fundo, não acreditando que não poderia ser verdade, e o oxigênio fluiu ao seu corpo novamente, impressionado com o acontecimento um sorriso veio aos seus lábios - Como isso é possível? - Disse. Uma mão áspera colocada a seu ombro e uma voz grossa e aveludada pronunciando em meio vazio - Isso é possível porque você é especial - Disse a voz desconhecida. Os olhos de Wave se viraram para a voz pronunciada e sobre ela poderia se ver um homem, sua pele era bronzeada, seus cabelos castanhos claros, olhos verdes cintilantes como o mar e feições simpáticas e pacificas, se vestia de uma forma humilde, uma camiseta em flores amarelas e uma bermuda branca, junto a um boné de praia, suas palavras se tornaram amargas sobre aos ouvidos do jovem. - Eu te esperava Wave - Disse o homem. As palavras do garoto falharam e um sorriso aos lábios do homem surgiu. - Isso pode ser estranho para você, mas eu não tenho tanto tempo para explicar. - Falou, dando uma pausa. As palavras do jovem se tornam falhas e ele mantinha seus olhos fixos aos do desconhecido. Uma força maior subia ao peito de Wave e a coragem subia, até que sua voz se tornou maior e saia de sua boca em forma de desentendida:

- Posso saber quem é você? - Disse o garoto, assustado e se afastando cada vez mais em passos rápidos, até tropeçar e se ver sentado ao chão. O homem aproximou e sobre ele um olhar gentil se fez. - Posso tentar explicar, mas só basta você aceitar. Sou Poseidon, o rei dos mares. Seu destino foi traçado filho e sobre ele você surgira e mostrara aos deuses o que é capaz. Você é o príncipe dos mares, Wave... Meu herdeiro e filho. - Falou. As palavras se repetiam várias vezes na cabeça do garoto, elas não eram aceitas pelo jovem, que ficava insistir de que aquilo não era verdade e sem reação o homem o surpreendeu. Em suas mãos erguia um tridente com a cor acinzentada. - Wave tome cuidado, use a água ao seu favor, só ela pode te salvar em tempos de dificuldade. - Disse o desconhecido. Os olhos esverdeados do garoto ficavam arregalados e as palavras ecoavam por toda cidade, um sorriso surgiu aos lábios de Wave. - Pode deixar - Disse. Quando sua visão foi tomada pelos céus e sua caída. Englobado por algo molhado, Wave abriu os olhos ao mesmo tempo em que prendia a respiração, não sabendo de onde teria vindo aquela água que praticamente o absorvia, o acolchoando do fim certo que seria sua queda ao solo, amortecendo a sua queda. Suas mãos se fecharam ao redor do arpão, o segurando com força afim de não o perder.


Do alto dos céus a harpia descia em espiral, e procurando emergir da água, Wave respirou fundo ao voltar para o ar, imaginando como teria conseguido segurar a respiração por tanto tempo. Abaixo de seus pés havia um riacho que seguia seu curso, indiferente ao que havia acabado de acontecer ainda a pouco. O garoto estava confuso, mas não tinha muito tempo para pensar. Erguendo o arpão, Wave esperou com toda a calma, um sorriso confiante em seus lábios. Por algum motivo, se banhar naquela água havia lhe dado novas forças para continuar a lutar por sua vida. Naquele momento ele era mais forte, com a capacidade de mover montanhas mesmo sabendo que aquilo era impossível, com um orgulho e calma elevados o rapaz olhava para suas mãos secas ainda sem compreender enquanto a Harpia se aproximava para lhe atacar - Agora é minha vez - Falou, com um sorriso ambicioso em seu rosto. A harpia investiu contra o semideus em sua descida, e com sua agilidade fez com que as garras cortassem o vento com um zunido próximo um dos ouvidos do semideus que desviara do ataque que passou veloz ao seu lado. Se virando para ver a Harpia de costas, Wave apontou arpão para o animal que se virava, se sentindo triunfante e entoando de maneira teatral - Morte! Esse é seu julgamento - Com toda a sua força, Wave alavancou o braço e atravessou a Harpia no meio, a fazendo gritar de dor ao mesmo tempo em que se transformava em pó aos olhos do semideus. - Wave: 1! Harpia: 0! - Gritou, erguendo o arpão no ar em uma comemoração solitária. Ele havia finalmente chegado ao tal acampamento, depois de tanto tempo e tantas coisas e finalmente poderia encontrar todas as respostas pelas quais procurava. Estava tão empolgado que nem ao menos percebeu a dança aquática que o riacho fazia em sua comemoração.


Se não vê o fundo do mar, não veras minha alma.
Wave Hudson
Indefinido
Mensagens :
1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Beatriz Dias em Sab 21 Mar 2015, 23:42

Características Físicas

Cabelo comprido,preto e liso.Pele clara e lisinha.Olhos verde marinhos e boca avermelhada.Mesmo assim,coloca um batom com um vermelho vivo sempre.Ela sempre usa um short ou uma bermuda jeans e blusa regata,ou um vestidinho até os joelhos com estampa florida,como se fosse de praia.

Características Psicológica

Beatriz é mais animada,não consegue ficar quieta,gosta de esportes de praia.Ela é muito rebelde,quando coloca uma coisa na cabeça não para até conseguir o que quer,enfrenta aquele que vier.Por isso já foi expulsa de muitas escolas.

História

O pai de Beatriz,a deixou sem a menor cerimônia.Sem uma carta para explicar o acontecimento,sem um adeus rápido.Nada.
Quando isso aconteceu a mãe de Beatriz,chamada Carmem,ficou arrasada.Ela culpou a filha pelo acontecimento,pois seu amor só foi embora quando ela nasceu.
Logo a tristeza de Carmem,foi virando ódio.Carmem era uma cantora famosa,um dos motivos do pai de Beatriz ter se apaixonado por ela.O pai de Beatriz,foi o único homem que Carmem amou,e ele a deixou sozinha.
Carmem começou a desprezar os homens.Estava começando a frequentar festas badaladas.Deixava a filha com uma babá,chamada Lurdes e ia para as festas.A cada festa ela ficava com um homem,e depois de uns dias o abandonava.
Beatriz não gostava daquela atitude da mãe,alguns homens que ela ficava eram pessoas boas que gostava de Beatriz,brincava,dava presentes e cuidava.Mas a mãe os dispensava ainda mais rápido.
Carmem fazia aquilo,pois sabia que em algum lugar o homem que um dia amou,estava observando ela.
E assim foi indo,por anos.Beatriz não tinha muito contato com a mãe,por isso Lurdes,sua babá,havia se transformado em sua segunda mãe,Lurdes gostava dela assim como Beatriz gostava de Lurdes.
Aos 10 anos de idade,Beatriz teve uma notícia horrível.Sua mãe morrera.Estava dirigindo um carro bêbada no meio da noite.Carmem dormiu no volante e um caminhão bateu em seu carro.
Beatriz,ficou enfurecida de raiva,mas raiva,de seu pai,que nem conhecia,mas sabia que a mãe fazia aquilo tudo por causa de seu pai.
O "ficante" de Carmem daquele dia estava com o carro junto com ela,estava dormindo assim não viu Carmem adormecer.
O namorado de Carmem naquela noite se chamava Johnny,e ele sobreviveu.Ficou responsável por Beatriz.
Mas infelizmente Johnny,era igual a Carmem,irresponsável,então fez a pior coisa que já poderia ter acontecido a Beatriz,ele a separou de Lurdes.Depois de perder a mãe,não seria nada reconfortante tirar a única amiga que tivera,não precisava se separar da única amiga.Mas o pior,foi saber,que ela também iria para um internato em Washington D.C.
Mas Beatriz não podia fazer nada,nem Lurdes.
Acabou fazendo a vontade de Johnny.

Depois de 5 anos em um internato,aconteceu uma coisa muito estranha com Beatriz.

Logo após a aula.Beatriz estava, em seu quarto que dividia com duas meninas que odiava,elas só falavam sobre maquiagem,beleza,moda e garotos.Beatriz ficava numa cama no fundo do quarto,lendo livros,mexendo no celular,ou fazendo desenhos de sonhos que tinha.
Na maioria das vezes seus sonhos era a mesma coisa.Ela estava de baixo da água,e conseguia respirar,havia um palácio enorme,com sereias,tritões e dríades.Ela via um homem,diferente dos outros tinha pernas,um sorriso caloroso,e tinha um tridente na mão.Ele sorria para Beatriz,seus olhos era como os dela,verdes marinhos.
Beatriz dormiu mais uma vez com o som das garotas,chamadas Clarita e Fani,falando sobre seus assuntos.
Beatriz acordou com o barulho da voz irritante de Fani.Ela se virou para ver do que elas tanto riam e quase surtou!
-Fani!Me devolva agora!Essa coisas são minhas!
Fani estava com seus desenhos,mostrando para Clarita rindo histericamente.
-Oh,não,não,não.Fale a palavrinha mágica baranga.-Disse Fani virando-se para Beatriz.

Fani e Clarita sempre chamava Beatriz de Baranga,pois dizia que suas roupas eram fora de moda.
-Me devolva agora sua rapariga!-Gritou Beatriz avançando contra Fani,mas Fani foi rápida e desviou,mas Beatriz foi mais rápida ainda e virou no momento em que Fani se desviou,a empurrando.
Fani caiu e deu um grito,como se alguém estivesse enfiado ma faca nela."Que dramática..."Pensou Beatriz.
Mas Clarita gritou mais ainda e chamou a diretora.

Minutos mais tarde estava na sala da diretora.
-Bia,essa é a sua quarta reclamação essa semana,você tem que se controlar-Dizia a Diretora Camila-Se continuar assim,terei que ligar para seu pai novamente.
-Johnny não é meu pai.-Disse Beatriz
-Mas é seu responsável mesmo assim,por favor Beatriz!Eu sei que você pode se tornar uma grande aluna aqui na Calm School,é só tentar.Mas dessa vez você passou dos limites.Precisava empurrar a Estefâni?-Disse a diretora Camila,citando o nome verdadeiro de Fani
-Diretora...-Começou Beatriz-Ela havia pegado meus desenhos,a senhora sabe que eu não gosto que pegue minhas coisas...aqueles desenhos...são especiais.
-Eu sei,por isso,consegui,pegar isto para você-Disse a diretora Camila estendendo os desenhos de Beatriz.
Beatriz pulou da cadeira ao ver seus desenhos,pegou imediatamente com um grande sorriso no rosto seus desenhos.Ficou examinando,para ver se estava tudo lá.E por incrível que pareça estava!
-Diretora Camila,oh Céus!A senhora conseguiu, pegar meus desenhos!-Disse Beatriz.
-Sim,tome cuidado da próxima vez.Agora pode sair,tem que ir para as aulas.

Beatriz saiu imediatamente,guardou seus desenhos e foi em direção a sala de aula,no meio do caminho,ela encontrou Carl ,seu único amigo na escola,usava sempre uma calça jeans e jaqueta.
-E então?-Perguntou Carl
-Você sabe como é a diretora,ela é legal,e conseguiu pegar meus desenhos!Estou tão feliz!-Disse Beatriz.
-Que bom,me fala,alguma coisa de diferente nos sonhos hoje?-Perguntou Carl,ele era o único que sabia dos meus sonhos.
-Sim!Ia te falar,hoje,o car bronzeado parecia sério,e pela primeira vez pude ouvir sua voz,ela era grave,ele disse "Prepare-se".
No mesmo instante Carl parou,seu rosto pareceu sério.Perguntei o que houve.Mas ele estava pálido,puxei ele para o bebedouro para beber um pouco de água,aquilo sempre me ajudava,mas não ajudou,ele,ainda estava pálido.
Ele disse que precisávamos ir para a aula,concordei e fui sem entender direito o que aconteceu.
Depois da aula fui ao banheiro para molhar o rosto,rapidamente me senti bem mais calma,a água fazia aquilo comigo.
Então percebi uma coisa diferente.na pia do banheiro tinha um chaveirinho.Levei um susto,ao perceber que o chaveiro era na forma de um tridente,idêntico ao meu.
Peguei aquele chaveiro que começou a se iluminar rapidamente,o brilho era muito forte,desviei os olhos rapidamente e quando percebi,não era um chaveiro,eu estava segurando um tridente verde que parecia estar molhado e ainda brilhava um pouco.
Só faltou ter um infarto Beatiz,rapidamente,molhou seu rosto,a sensação foi bem melhor.Será que estava ficando louca?
Na hora Carl entrou e olhou para o tridente.Depois para Beatriz e disse com o rosto assustado:
-O que é isto?
-Eu...Eu não sei...Ele...Se transformou nisso.

Carl olhou para o lado,viu que tinha um garoto se aproximando,com a cara nada feliz.Carl pegou a mão de Beatriz rapidamente e a levando para longe dali.
Mas quando percebeu o garoto estava na sua frente.Beatriz nunca tinha visto ele.O garoto estava olhando de uma forma assustadora para Beatriz.
Rapidamente o garoto foi se afastando,e seu rosto foi mudando também os olhos ficaram completamente negro,com a pupila cor de fogo,a pele branca parecia ser feita de gelo,e seu corpo,não era mas seu corpo,era pura fumaça,uma fumaça negra,e tinha asas que parecia de um corvo.
-Um venti!Corre Bia!-Gritou Carl.
Carl não precisou ter dito duas vezes Beatriz pôs-se a correr,mas percebeu uma coisa,Carl não estava com ela.Olhou em direção ao Venti e viu, que ele havia ficado lá,estava lutando com o monstro!
-Carl!-Gritou Beatriz.
-Corre Bia!-Gritou Carl enquanto balançava um bastão no ar para impedir que o venti passasse.
-Não vou deixar você aqui!-Gritou de volta Beatriz
-Então ajuda.-E assim pegou um cinto cheio de adagas e jogou pra Beatriz.Beatriz segurou sem nem ligar para as pontas das facas que havia arranhado a mão de Beatriz.
Ela amarrou em sua cintura e começou a jugar adagas,era boa de mira,mas as facas passavam pelo corpo do Venti sem fazer nada,por causa de seu corpo de fumaça,nem na cabeça adiantava.
Carl lutava com o venti mas não fazia nenhum dano,ao contrário o venti causava danos nele,arranhava Carl toda hora,fazendo grandes ferimento.
Beatriz estava imóvel,sem saber o que fazer,estava assustada demais,ao seu redor,todos já haviam fugido do venti.Ela voltou ao mundo real,quando o venti deu um tapa em Carl que caiu do outro lado do pátio.Ao perceber que o venti ainda não havia acabado com Carl.Percebeu que sua pele não pareci mais fumaça,estava mais definida.Tentou um golpe de sorte,pegou uma adaga,mirou em direção ao peito do monstro.E por incrível que pareça,deu certo,o venti se desintegrou.Mais tarde,entendeu,que aquilo só aconteceu,porque o venti não esperava aquela jogada.
Carl se levantou com vários ferimentos.Beatriz foi em direção a ele rapidamente,já perguntando o que era aquilo.
-Um venti,mas não dá tempo para explicar,você tem que vim comigo.
Depois do que aconteceu,depois de Carl quase morrer para salvar Beatriz,ela nunca mais desconfio de Carl,foi logo para um carro que os esperava lá fora.Ao entrar,Beatriz deu um grito,o motorista tinha olhos por todo o corpo,ele pareceu ficar tímido por isso.
-Esse é Argos,Argos nos leve para o rio de Long Island.
_Long Island!Você tá doido?Nós temos aulas!
-Bia,eu vou te explicar,não tem aquelas histórias sobre deuses do olimpo,heróis e monstros?Elas são reais.E as vezes,ele tem filhos com mortais,chamado meio-sangue,vou ser direto,você é um deles.
Beatriz olhou para Carl e disse:
-Ai caramba,você está doido!
-Então como você explica Argos,ou o venti que nos atacou?Eles são seres mitológicos.
Ele parecia bastante sério,e Carl nunca foi de brincar.
-Oh,céus!-Depois de pensar um pouco,disse:-Eu sou filha de Poseidon!
-É rápida,mas você não devia ser proclamada,não a essa idade,eles deviam proclamar vocês aos 13,mas você já tem 15!Isso só acontece,quando nosso pai olimpiano precisa de nossa ajuda!
-Nós...Você...Também é um meio-sangue?
-Filho de Hefesto,mas isso não vem ao caso,nós já sabemos o que está acontecendo,o mar está sendo atacado!O palácio de seu pai está sendo atacado!Você precisa ajudá-lo!Não dá tempo de ir para o acampamento,você tem que ir imediatamente!
-Que acampamento.
-O acampamento onde nós somos treinados,mas a luta está em nosso sangue!Você tem que ir!
-Ok,mas...Isso não vai demorar?
-Não,se você ir pelos rios.
Nesse momento o carro parou em frente a um rio.
-É só seguir para o norte,peça para a correnteza te levar.
-Espera!Você quer que eu salve o mar inteiro agora?!Você tá doido?
-é nossa única chance.
Carl parecia realmente preocupado.
-Pegue isto-Ele deu uma espada de 60 centímetros leve,para Beatriz-Vai lhe ajudar.
-Ok.
Eles não perderam tempo Beatriz pulou no rio,e estava respirando debaixo da água.
As correntes realmente ajudaram em duas horas estava no palácio,as dríades também ajudaram.
O palácio era igual no seu sonho.Mas estava um pouco diferente,estava em ruínas,nadou até o palácio e viu...Vários monstros marinhos atacavam o palácio.
Beatriz gritou e as correntezas as levaram para o ataque,ela entrou na luta sem nem pedir permissão.Quando sentiu uma mão forte segurar se braço se esperneou para sair de perto da pessoa que a segurava,mas não adiantava as correntes não a ajudavam,levantou a cabeça para ver quem era e levou m susto.Era o homem bronzeado de seu sonho estava numa carruagem mas estava vestindo uma armadura.
-Oi filha,sempre entrando sem permissão.-Disse o homem
-Pa...Pai?-Disse Beatriz nervosa
O homem sorriu e a levou para sua carruagem.
-Olá,podia conversar mais se não estivesse no mei de uma guerra.Venha.

Eles começaram lutar,Beatriz estava indo bem.Logo todo o inimigo foi derrotado.
Ela estava sendo aclamada por todos,perguntavam quem ela era,de onde veio onde havia aprendido a lutar.
Mas teve um momento que toda sua atenção foi roubada,e seu pai chegou. e disse:
-Poderíamos ficar sozinhos por favor?
Todos se retiraram,de repente,Beatriz sentiu aquela raiva do pai,por ter abandonado ela e sua mãe.Como se lesse os pensamentos de Bia,Poseidon disse:
-Sei qu está,brava,mas você tem que enteder,se ficasse com vocês,estariam correndo perigo,nunca faria isso com vocês.
-Mas...Pai,eu fiquei sozinha,por todo esse tempo,sofrendo.Porque você não mandou nem um sinal.
-Não podia,Zeus faria dissouma guerra,seu tio é muito dramático.Não podemos ficar muito tempo aqui,quero que saiba,que sempre estarei com você,pois a eu sou a água,e você tem,o espírito da água em seu sangue,sempre estarei per to de você.
Beatriz queria abraçar o pai e dizer que o perdoa,mas ele era um deus,não podia ter todo esse dirreito.Então apenas disse que o perdoava.
Ao voltar para cima viu uma cois que não entendeu esta em frente a um tipo de entrada e havia garotos e garotas mais ou menos da mesma idade que ela,se surpreendeu,a ver Carl.Chamou ele que pareceu tão assustado quanto ela.
-Bia!Onde você esteve!
-Ué eu só sai por umas horas e apareci aqui.
-Algumas horas!Você passou 3 dias desaperida.
Bia resolveu não discutir,e percebeu que estava no acampamento meio-sangue.Lá descobriu novas amizades.
E novas aventuras

FIM...

-



Beatriz Dias
Indefinido
Mensagens :
1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por 112-Ex-Staff em Qua 01 Abr 2015, 00:12


Avaliação

America Karinne James  - Reprovada

Vamos a sua avaliação America. Seu teste está um tanto quanto bagunçado, com uma separação um tanto quanto feia em relação as características e histórias. Aparentemente seu teste realmente está muito ruim. Ainda assim lendo, notei muitos erros principalmente com relação a pontuação, os quais já seriam o suficiente para que não fosse aprovada. Sua narração ainda é baseada práticamente em diálogos, sendo que fica pobre em relação a detalhes, sentimentos e até mesmo desenvolvimento. Uma história é um tanto quanto cliché, sendo que sinceramente não vi o quaõ você seria merecedora de ser filha de Poseidon. Não reclamada como filha do deus dos mares e oceânos.

Amelie Fields - Reprovada

Então Amelie, vamos aos comentários sobre seu teste. Você aparentemente não se preocupou tanto assim com a aparência de seu teste, caso contrário não teria cometido erros e no mínimo separaria os parágrafos. Seu texto está repleto de erros gramáticas e ortográficos, principalmente com relação a pontuação, tendo inúmeros erros de confusão no momento em que deve utilizar vírgula ou ponto final. Sua história é um tanto quanto corrida e incoerênte, sendo que em muitos pontos fica confusa e desgastante de se ler. Você cita um monstro aparecendo do nada, sendo atingido do nada por uma adaga, adormecendo e etc; além de parecer não ter se preocupado muito com um detalhamento maior em relação a narração. Aparentemente você teve preguiça de desenvolver uma história bem elaborada, pegando idéias e as misturando de modo a criar algo um tanto quanto bagunçado e confuso. Recomendo que releia seus posts antes de os postar, leia fichas e testes aceitos e jogue como campista não reclamada, buscando fazer treinos e aos poucos melhorar a sua escrita. Não reclamada por Poseidon.

Wave Hudson - Reprovado

Então cara, sinceramente o que dizer de seu teste. Você escreve bem, possui um bom domínio linguístico, entretanto algumas situações me levaram a não reclamar você como filho de Poseidon. Encontrei um número considerável de erros referentes a pontuação e digitação equivocada; certamente poderia ter conseguido corrigir a maioria deles se tivesse relido seu teste antes de postá-lo. O saber escrever não é tudo. Sua reclamação foi muito forçada, sendo que do nada um sátiro apareceu lhe dizendo que era um semideus, assim como não entendi aonde estava sua mãe em meio a toda sua história (Você cita que ela enlouqueceu, mas ela estaria vagando o mundo? Teria deixado você a mercê do destino? Poseidon mesmo estando chateado com ela iria fazer com que ela o abandonasse sem nenhuma proteção?). Ainda não entendi quem pulou em meio ao mar, sua mãe ou seu pai (Se foi seu pai, como soube desse detalhe?). Sua visita á Atlântida fora ainda mais forçada. Como assim do nada ter sido transportado pelas águas de um rio, em meio a uma queda até o reino de Poseidon? Sinceramente aparenta que você ficou com preguiça de criar algo mais elaborado. Ainda friso uma regra ao qual lhe daria a eliminação do concurso "- Obs.: Vocês estão livres para fazer a trama, mas deve haver uma - motivos, objetivos, etc. Não é uma simples visita.", me pergunto qual foi o motivo, objetivo ou razão desse teletransporte até o local que POUCOS visitaram. Poseidon não levaria você até lá do nada, não mostraria seu reino para um simples filho que fora reclamado por agora, nem mesmo faria isso levando você em meio a um teletransporte utilizando a água de um rio para isso. Se foi apenas uma visão ou sonho, pior ainda. O tempo não para quando um semideus sonha ou quando seu progenitor fala algo para si em sua mente, sendo que no mínimo iria morrer esmagado; fora que os deuses não podem interferir diretamente sobre a vida dos semideuses, quem teria o salvado da queda? O rio não agiria sozinho, não poderia ser algo feito por Poseidon e vocÊ nem mesmo tem poderes para fazer algo do tipo. Sinceramente creio que faltou um pouquinho mais de empenho, você com toda a sua qualidade poderia ter criado algo mais bem elaborado e envolvente. Recomendo que leia alguns testes aprovados, sempre revise seus posts antes de postá-los e que elabore uma história um pouco mais bem elaborada. Não reclamado por Poseidon.

Beatriz Dias - Reprovada

Estou a alguns minutos tentando encontrar uma maneira de começar sua avaliação, vamos lá garota. Suas descrições psicológicas e físicas são um tanto quanto fracas, sendo que poderia ter as feito com mais esmero e criatividade; além de conter inúmeros erros gramáticais e ortográficos. Sendo sincero, tais erros se estendem por todo seu teste, tendo cerca de 90$ do texto com erros graves. Como se não bastasse os motivos apontados que já seriam o suficiente para sua reprovação, sua história é um tanto quanto cliché, além de conter erros de incoerência muito graves. Um ventus não é derrotado da maneira que narrou. Como assim Argos estava esperando você e o outro semideus? Como ele sabia que vocês seriam atacados naquele dia? Não acha que ele é alguém muito ocupado para ficar um dia inteiro esperando por um semideus? Sua atitude ao receber a "notícia" sobre ser uma semideusa foi um tanto quanto estranha, por qual motivo aceitou tal fato com tanta facilidade? Ainda falou quem era seu progenitor divino, como poderia ter tanta certeza? Em relação ao "mar" estar em guerra, acredita mesmo que sendo uma semideusa que acabara de ser reclamada iria salva-lo? Por qual motivo Poseidon iria deixar uma de suas filhas que acabou de ser reclamada a ir até Atlântida? Principalmente em meio a uma guerra, não acha que se fosse o caso iria convocar um de seus filhos mais poderosos? São muitos erros. Sugiro que refaça toda a sua história com calma, pensando em relação aos pontos levantados, além de a escrever no word; irá conseguir corrigir pelo menos grande parte de seus erros ortográficos. Acredito qeu o melhor seria você jogar como uma semideusa não reclamada, buscando treinar e aos poucos melhorar sua capacidade narrativa e ai sim tentar novamente o teste. Qualquer dúvida me envie uma MP. Não reclamada por Poseidon.

Qualquer dúvida ou reclamação  que tiverem, gentileza me enviarem uma MP.

Atualizado

Tks Maay from TPO
112-Ex-Staff
Indefinido
Mensagens :
1873

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Jeck Jackson em Sex 17 Abr 2015, 09:06

- Nome: Jeck
- Idade: 17
- Progenitor divino: Poseidon
- Personalidade: Hiperativo e infantil
- Sexo:Masculino
- Gosta: Correr, Treinar Bastante e conhecer o mundo
- Não gosta:Ficar parado por muito tempo e Receber Ordens
Habilidades/Passivas
Comunicação: O Filho de Poseidon poderá se comunicar com qualquer pessoa, quando no Mar.
Proteção da Água: Quando o Filho de Poseidon estiver perto de ser atacado, a água instantaneamente ira ajuda-lo.
Clima: O Filho de Poseidon poderá mudar o Clima de Frio para Quente.
Imune ao Fogo Supremus: O Filho de Poseidon será 100% Imune ao Fogo.
Hidrofavorecimento: Filhos de Poseidon não se molham mesmo depois de entrar em contato com a água, e podem fazer também com que outros seres ou objetos também não se molhem, simplesmente de acordo com a vontade do mesmo. Além disso, ao cair de grandes altitudes sobre a água a mesma ficará tão macia quanto um colchão de plumas e amortecerá confortavelmente sua queda
Water Runner: Além de ficar em pé, conseguirá maior estabilidade e conseguirá correr velozmente, usando as correntes marinhas e ondas para dar impulso, pular. A mente conflita e pensativa, fará a cria afundar.
Evolução Aquática: Quando encontrarem-se submersos na água, seu poder aumentará consideravelmente, se aprimorando nós mais diversos quesitos como força e agilidade, você se sentirá totalmente confortável para realizar movimentos complexos e utilizar habilidades com grande precisão e poderio
Respiração Aquática: Você respira debaixo d'água normalmente, pelo tempo que você quiser; Essa é uma habilidade natural dos meus filhos; Você respira pelo tempo que bem entender; O local também não é determinado. O Filho de Poseidon pode respirar tanto dentro de água salgada, quanto doce. As águas poluídas também, mas o Filho de Poseidon, caso permaneça muito tempo submergido sobre elas, acaba perdendo a força e pode vir até a adoecer. E também torna-se imune a temperatura da água, seja fervente ou congelante, não será queimado nem terá hipotermia. Poderá fazer com que outras pessoas respirem em baixo da água.
Pressão: Você não é afetado pela pressão da água, ao contrário de pessoas normais; A profundidade é indefinida, e você não sente nenhum desconforto
Comunicação Equina: Você consegue ouvir os pensamentos de cavalo, e projetar os seus pensamentos no cérebro de um; Vocês são meio que ligados; Já que Poseidon criou os cavalos, você, na maioria das vezes, terá o respeito de todos os Equineos
Molhar: Você não se molha na água, a menos que queira. Você pode transferir essa habilidade para um amigo seu rapidamente, durando apenas 5 segundos.
Cura: Ao entrar em contato com a água podera se curar totalmente como se nada tivese acontecido, voluntaria ou involuntariamente. Além disso, recuperará 100% de sua energia total.
Hidroterapia: Ao manter contato com a água, a cria de Poseidon permanece calmo, com as ideias assentadas
Movimentação Aquática: Você se movimenta melhor na água, do que em terra; Você nadando, é semelhante aos movimentos de um tritão, então você possui muito agilidade e velocidade em baixo d'água
Andar sobre as águas: Você anda sobre as águas como se andasse pelo chão; Dependendo do seu nível de concentração, e dá intensidade de seu desempenho, você chega fazer movimentos abusados, como dar cambalhotas, mortais, entre outros
Correntezas: Você anda sobre as correntezas d'água normalmente, nada te puxa; É como se uma leve brisa batesse em seu corpo, você sente, mas não se deixa levar
Náuticocinese: Com o uso de sua mente você consegue manipular os itens de um navio, podendo preparar uma embarcação para navegar sozinho somente com comandos mentais.
Ligação Subaquática: Quando encontrar-se submerso poderá se comunicar telepaticamente com seus irmão da parte paterna, não somente os semideuses, mas como também os ciclopes.
Localização: Quando você estiver na água, saberá exatamente o local onde você está e para onde ir; Como Percy Jackson demonstra no Mar de Monstros, dizendo exatamente a localização da Ilha de Polifemo
Imperador: Nenhum equídeo ou criatura marinha ousará atacá-lo. Eles lhe obedecerão cegamente (exceção para monstros, como centauros, hipogrifos ou o leviatã).
Mestre de Tempestades: O filho de Poseidon não pode ser ferido, atingido, levado ou prejudicado de qualquer forma por tempestades (como furacões e terremotos)
Hidro-thermocinese: Consegue manipular a temperatura da água e deixa-la quente a cem graus Celsius, ou mesmo fria perto de zero.
Resistência ao Fogo: Sua natureza marítima lhe dá vantagem sobre o fogo, o que garante que você não se queime na presença de fogo comum.
Torrente: Quando o usuário está com menos que a metade do HP total, seus golpes baseados em água, tornam-se eficazes e poderosos. 50% a mais de acurácia e o triplo de dano que poderia causar, caso usasse ataques de água
Comunicação Marinha: Você pode falar com animais marinhos normalmente; É o mesmo critério dos equineos; Você ouve os pensamentos deles em sua cabeça, e pode projetar os seus nas deles; Os animais marinhos tem obedecem melhor que os equineos
Fala Aquática: Você fala debaixo d'água como se estivesse em terra; Geralmente quando os humanos falam debaixo d'água, é possível ouvir apenas ruídos e bolhas saindo de sua boca; Já você sai o som concreto e perfeito
Príncipe de Atlântida: O filho de Poseidon é reconhecido e cumprimentado por todos os seres marinhos e da corte de Poseidon.Lá ele se sentirá em casa e será tratado como um príncipe
Resistência ao Fogo[Verde]: Nesse nível o filho de Poseidon tem uma resistência ao fogo podendo até resistir ao fogo verde original do submundo.
Escama Maravilhosa: Habilidade que permite o filho de Poseidon resistir a um golpe fulminante de eletricidade, a maior fraqueza de um filho dos mares. Escamas resistentes brotam pela pele do usuário, refletindo o trovão de volta.
Habilidades/Ativa
Sonar: Encontrando-se submerso, o filho de Poseidon consegue produzir um som que reage como um sonar, permitindo ao semideus captar coisas à sua volta em um raio de 60 metros.
The Equitor: Habilidade concedida por Poseidon a sua prole. Essa habilidade permite ao meio-sangue transformar-se em um cavalo baio, que tem a habilidade de fundir-se ao ambiente. O portador da benção tem os sentidos de um cavalo, como olfato apurado e visão também. O cavalo em sí é especial, pois sua velocidade pode chegar a 120 KM/H. Os cascos do cavalo são dourados, e possuem ferraduras azul-mar. Os cavalos podem criar asas e transformarem-se em pégasus. Sendo assim, quem possui a benção pode também criar, a partir do mar, cavalos de névoa que não podem ser tocados, mias podem tocar.
The Converter: O portador de tal habilidade possui o dom de converter a água em qualquer tipo de substância que contenha o líquido em questão. Obviamente, deverá possuir o líquido para convertê-lo. Possuindo essa habilidade, o meio-sangue pode converter a água em até 40m²; Pode-se também converter a água do corpo de um ser vivo, tanto monstros quanto seres normais.
Steps Tremor: Quem possui essa habilidade, pode causar terremotos de escala média com passos. Cada passo causa um tremor de 5.5 na escala normal, em um intervalo de 4.5 segundos. Caso o meio-sangue pule de uma certa altura, o terremoto pode chegar a um nível maior.
The Delfin: Poseidon por vezes continha como simbolo um golfinho, devido a isso os filhos portadores desta Habilidade terão a capacidade de se metamorfosear em metade humano metade golfinho, suas pernas se unirão e se tornaram uma grande cauda de coloração esverdeada que reluz o arco-íris sobre a luz solar, o mesmo tambem tera musculos forte na estatura da cauda, proporcionando saltos explendidos e bem equilibrados, basta um simples contado de suas pernas com a água e sua calda aparecera, alem disso o possuidor desta Habilidade, poderá usar artimanhas usadas pelos golfinhos, caso deseje podera liberar pela boca um turbilhão de bolhas que prenderão seu oponente como como uma rede, impedindo o mesmo de fugir por um determinado tempo, alem disso poderá porduzir estalitos com a lingua que servirão como ecolocalização, sendo esta habilidade usada fora ou dentro da água, mas tendo melhor desempenho dentro da mesma.
The Minotaur: Poseidon pode se dizer, foi o "criador" do minotauro, pois foi atraves do mesmo que o touro brando de Midas cruzou com sua esposa, nascendo assim o proprio monstro, então devido a isso o redentor desta Habilidade será, digamos assim o senhor dos Minotauros, fazendo com que os mesmos não o ataquem, mas alem disso esta Habilidade permite ao usuario transmutar-se em um homem touro ou seja um minotauro, mas este seria diferente, seus chifres são feitos de ouro puro, e suas feições lembraram o semideus que é, alem disso seras dotado de fala, mas uma fala normal, conseguindo sair ate com o tom de voz do semideus mesmo, sendo meio touro conseguira falar com qualquer tipo de animais que sejam da mesma "especie" que você ou seja os bovinos.
Plasmatic: Esta habilidade consiste em fazer do portador o manipulador da água, no que isso iria ajudar em um filho de Poseidon ? é simples, existem quatro estados da água, liquida, gasosa, solida e a ultima não muito conhecida a Plasmatica, os estado plasmatico nada mais é do que transformar um estagio em outro rapidamente usando o fator velocidade, exemplo transformar a água liquida em estado gasoso passando por uma velocidade rapida fazendo com que a água vire como se fosse um gás queimante, mas o mesmo pode ser revertido para qualquer um dos três estados.
Fúria de Poseidon: Seu personagem é capaz de gerar terremotos e erupçôes vulcânicas até maremotos e ciclones
Hidro-Eletricidade: O utilizador pode gerar e manipular a água carregada por transportadores de corrente eléctrica. Em outras palavras, água potencialmente elétrica. Isso permite que o filho de Poseidon cause danos Elétricos e Aquáticos num determinado usuário, além de ajuda-lo a sofrer menos dano quando golpeado por eletricidade.
Absorção de Umidade: Capacidade de tirar a umidade de seres biologicamente vivos (pessoas, animais, monstros, vegetais...), com a finalidade de desidrata-los. Isso causa sede no oponente, além de deixa-lo ilusoriamente com um único objetivo: se hidratar a qualquer custo. Só é permitido tirar toda a umidade (matar), plantas e animais. Essa habilidade também serve para que o filho de Poseidon possa obter uma fonte de água para seus golpes
Thyellacinese: O filho de Poseidon poderá manipular as gotículas suspensas do ar para criar nuvens de tempestades carregadas com chuvas densas. Além disso, poderá usar as cargas negativas dessas nuvens para criar raios. Não há controle sobre os mesmos, mas pelo simples fato de poder criar uma relâmpago potente, já é uma vitória para o filho de Poseidon. As nuvens negras podem servir de distração para fuga, golpe direto, defesa, ou o que desejar. Além de criar as tempestades, também poderão manipula-las como bem entender.
Teletransporte: Neste Nível,o Filho de Poseidon poderá se teletransportar para qualquer lugar,quando no mar
Maresia: São gotículas salgadas em suspensão ao ar, que forma um aerossol pesado e neblinoso. Tem gosto salgado, deixa a pele curtida e com sedimentos, e dá aquela sensação de desconforto. Causa irritação e pode oxidar (corroer) materiais feitos de ferro comum. O filho dos mares, agora pode controlar a maresia da forma que desejar, formando uma nuvem densa salgada ou uma brisa suave e irritante
Jato de Bolhas: Consegue soprar a água e transforma-la num jato de bolhas rápidas que quando estouram, assustam, causam um leve dano e ainda há chances de deixar o oponente com perda leve de velocidade.
Hidrocinese Avançada: Neste avançado estágio de domínio sobre a água, você poderá expandir partículas de água, podendo aumentar a quantia de água para que possa dominar, podendo, por exemplo, tornar poça grandes fontes. Agora não a mais limites na quantia, podendo dominar com a mesma precisão gigantesca ou pequeninas quantidades.
Nado Rápido: Toda vez que chover, a velocidade do filho de Poseidon sobe. Até o limite da velocidade do som, acima disso, a cria do deus dos mares
Lapiscinese II: Além de se manterem de pé no lodo, barro, areias movediças e pântanos, os filhos de Poseidon poderão controlar massas de barrosas e lamaçais, formando ondas, jatos e metralhadoras de barro. A terra molhada pode ser uma grande aliada
Vórtice D'água: Quando estiver no meio d'água, conseguirá move-la circularmente e de forma rápida, criando um vórtice subaquático. Da mesma forma que Caríbdis, porém numa versão menor
Hidrocinese Gasosa: Agora que seu domínio sobre água em seu estado líquido é extremamente avançado você consegue dominar o vapor d'água presentes no ar. Podendo uni-lo formando uma densa névoa para se camuflar, ou podendo condensar o vapor d'água, formando poças ou novas fontes de água líquida.
Hidrocura: Ao entrar em contato com a água poderá cicatrizar ferimentos muintos graves, voluntaria ou involuntariamente. Além disso, recuperará 100% de sua energia totalmas poderá também curar um amigo 50%..
Hidroterapia: Ao manter contato com a água, a cria de Poseidon permanece calmo com as ideias assentadas
Criação da Água: Neste Nível o Filho de Poseidon poderá criar Água o Suficiente para Afundar uma Vila.
Absorção d'Água: Consegue absorver parte de algum golpe e converte-lo em poder para seu ataque seguinte. Entretanto, somente se o golpe usado pelo oponente for do elemento água e, o contra-golpe usado pela cria de Poseidon, também
Cachoeira Circulante: Consegue evocar um grande poder aquático de dentro de si, e fazer subir um rio poderoso em torto do corpo até uma altura máxima de sete metros de altura. A água, ou melhor, o fluxo forte da correnteza emanada do filho de Poseidon, age como defesa de futuros ataques, e como um golpe violento para quem estiver perto do usuário na hora da aplicação. A cachoeira Viciante toma forma de algum animal que queira, e depois de escolhido, não poderá mais trocar
Fio de Corrente: O filho de Poseidon consegue manipular a água para deixa-la com mais sais minerais, deixando-a densa. Dessa maneira, criar lâminas de água cortantes com capacidade de romper ferro, rachar armaduras e cortes profundos. É preciso estar na água para usar as lâminas, lembrando que as águas se tornam negra quando a técnica é usada. Cada lâmina atinge uma velocidade de 50 km/h.
Impacto de Corrente: Envolve o corpo com uma película trovejante de água. Essa técnica serve somente quando se precisa alcançar o oponente com velocidade, causar muito dano e ainda o lançar pra longe. O Impacto, trombada com outro corpo, faz a película ao redor do corpo do filho de Poseidon, correr contra o alvo o arrastando longe
Auge Hydor: Consegue suspender várias gotículas de água. Cada uma delas detém parte de sua energia e chovem no oponente como uma brilhante chuva. Mal sabem que cada gota tem o potencial de penetrar na pele do oponente e sugar suas forças vitais. Após entrarem, quando o filho de Poseidon desejar
Poseidon: O Filho de Poseidon poderá criar uma Réplica perfeita do Deus Poseidon para lhe ajudar em combate, Feita de Água ou Gelo
Ciclone: Consegue evocar uma grande quantidade de ar e faze-lo girar numa velocidade incrível. Consome muita energia, mas os resultados são gratificantes. O dano produzido é igual ou maior à energia usada para criar o ciclone
Sismocinese Final: Agora, com um bater de pés no chão, É possível controlar a intensidade do abalo, até ruir o terreno e levantar crateras. A instabilidade do solo fica altamente instável se assim desejar
Mensagem Oceânica: Invoca uma nereida que irá ajudar você com informações, mas somente funciona em contato com o mar; Dependendo do seu nível de energia, você pode convocá-lá em rios, como a que aparece para Percy no rio Mississipi
Ressecamento: O filho de Poseidon é capaz de retirar toda a '' água '' que o inimigo possui, no próprio corpo, convertendo em água salgada. O inimigo, ao sentir tal efeito, é ressecado, e possui difícil movimentação.
Expulsão: Manipulando a pressão da água, você pode arremessar algo que esteja na água, com a força de um míssil; Dependendo do peso e do formato do objeto, ele pode ir com mais ou menos força
Lâminas de Gelo: Agora você poderá criar três lâminas de gelo e lançar contra o inimigo. As lâminas são tão afiadas quanto uma de metal, ou seja, causa dano considerável
Servos do Mar: Poderá invocar animais marinhos para te ajudarem, pode parecer inútil, mas você já imaginou uma baleia no campo de batalha? Todos eles respiraram em terra, andaram como seres humanos, verdadeiros soldados
Míssil Aquático II: O filho de Poseidon pode dar um soco no mar, criando um míssil de água que se movimenta rapidamente em longas distâncias e com muita pressão, causando um grande dano no alvo, podendo até matar, dependendo da fragilidade do corpo
Transformação: Os filhos de Poseidon poderão transformar o seu corpo em um dos estados físicos da água: sólido, líquido ou gasoso. Gastará no mínimo 20 MP para fazer tal transformação e irá durar duas rodas. Lembrando que a forma que escolher irá ampliar os poderes do mesmo estado físico, irá duplicar o dano que o poder faz.
Furacões II: Seu poder sobre os furacões está maior, você poderá criar até três furacões
Invocação do Kraken: Apesar do Kraken ser filho de Hades, ele se encontra em meu território; Quando precisar, chame-o; Ele irá simplesmente aparecer, e lutar com você; Não irá te fazer mal, por ordem minha
Exército de Poseidon: Você irá invocar o exército de Poseidon, para que destrua os seus inimigos; Ciclopes, animais marinhos, entre outros; Todos saíram do mar em posto de batalha, pronto para te servir; Assim que você atingir esse nível, irá ganhar um apito em forma de cavalo-marinho; Esse apito irá convocar meu exército; Cada integrante do exército irá possuir uma arma própria do seu corpo, por exemplo: Um tubarão-martelo realmente ganhará uma grande marreta no local de seu formato. Os animais que tem nadadeira ganharão pernas, para que possam servir ao filho de Poseidon livremente e livre de qualquer tipo de problema que possam vir a atrapalhar a batalha
Tsunami: Você irá criar uma tsunami, tão alta e tão devastadora, que nada resistirá a você; Gasta praticamente toda sua energia, e deixa-o desmaiado; É parecida com a tsunami do filme 2012; Poderá cobrir montanhas; Mas essa tsunami destruirá apenas inimigos; Humanos nem perceberão que ela está acontecendo; Para eles, ela é invisível; Você será teleportado para ilha de Calypso, pois ficará esgotado; Os inimigos podem chegar a interpretar a onda como final do mundo, pois jamais foi visto algo de tamanha magnitude. Do ponto de vistas dos monstros, tudo é devastado e destruído, por isso há um maior toque de medo e desesperança na habilidade
Terremoto: Seus terremotos estão maiores e mais poderosos, atingindo um raio de 60 km; Dependendo da cidade, ela poderá ser destruída por completo; É uma habilidade perigosa, que se não for realizada com cuidado e destreza, poderá causar consequências desastrosas.
Ilusionismo: É a habilidade de manipular como as pessoas percebem a realidade. Afeta diretamente os sentidos da pessoa, portanto apesar de não ser real naquele momento é real para a mente dela
Presença imponente: Sua aura mágica estará mais desenvolvida. Ela se manifestará em você impondo sua presença aos outros, isso os levará a hesitar a te atacar. Levando-o a ganhar algum tempo.
- Armas: Luvas
- História: Nascido de Do Deus Poseidon e Sua mãe Marry Allen, Jet Foi criado como uma pessoa normal, em sua Infância sentia algo estranho quando ficava perto de Líquidos como se ele consegui-se uma concentração entre ele e o Liquido, ele era bem quieto difícil de se ver divertindo, não tinha muitos amigos, quando cresceu, fazia muito natação, e sua escola foi invadida por bandidos não houve muitos feridos, quando chegou em sua casa, sua mãe lhe contou sobre Poseidon, e as outras coisas, e o levou até o acampamento, guiado por um senhor de capa, que disse que garantia sua segurança, então Jeck foi para o acampamento e segue sua vida como um Semi - Deus
Jeck Jackson
Indefinido
Mensagens :
2

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Jeck Jackson em Sex 17 Abr 2015, 09:15

- Nome: Jeck
- Idade: 17
- Progenitor divino: Poseidon
- Personalidade: Hiperativo e infantil
- Sexo:Masculino
- Gosta: Correr, Treinar Bastante e conhecer o mundo
- Não gosta:Ficar parado por muito tempo e Receber Ordens
Habilidades/Passivas
Comunicação: O Filho de Poseidon poderá se comunicar com qualquer pessoa, quando no Mar.
Proteção da Água: Quando o Filho de Poseidon estiver perto de ser atacado, a água instantaneamente ira ajuda-lo.
Clima: O Filho de Poseidon poderá mudar o Clima de Frio para Quente.
Imune ao Fogo Supremus: O Filho de Poseidon será 100% Imune ao Fogo.
Hidrofavorecimento: Filhos de Poseidon não se molham mesmo depois de entrar em contato com a água, e podem fazer também com que outros seres ou objetos também não se molhem, simplesmente de acordo com a vontade do mesmo. Além disso, ao cair de grandes altitudes sobre a água a mesma ficará tão macia quanto um colchão de plumas e amortecerá confortavelmente sua queda
Water Runner: Além de ficar em pé, conseguirá maior estabilidade e conseguirá correr velozmente, usando as correntes marinhas e ondas para dar impulso, pular. A mente conflita e pensativa, fará a cria afundar.
Evolução Aquática: Quando encontrarem-se submersos na água, seu poder aumentará consideravelmente, se aprimorando nós mais diversos quesitos como força e agilidade, você se sentirá totalmente confortável para realizar movimentos complexos e utilizar habilidades com grande precisão e poderio
Respiração Aquática: Você respira debaixo d'água normalmente, pelo tempo que você quiser; Essa é uma habilidade natural dos meus filhos; Você respira pelo tempo que bem entender; O local também não é determinado. O Filho de Poseidon pode respirar tanto dentro de água salgada, quanto doce. As águas poluídas também, mas o Filho de Poseidon, caso permaneça muito tempo submergido sobre elas, acaba perdendo a força e pode vir até a adoecer. E também torna-se imune a temperatura da água, seja fervente ou congelante, não será queimado nem terá hipotermia. Poderá fazer com que outras pessoas respirem em baixo da água.
Pressão: Você não é afetado pela pressão da água, ao contrário de pessoas normais; A profundidade é indefinida, e você não sente nenhum desconforto
Comunicação Equina: Você consegue ouvir os pensamentos de cavalo, e projetar os seus pensamentos no cérebro de um; Vocês são meio que ligados; Já que Poseidon criou os cavalos, você, na maioria das vezes, terá o respeito de todos os Equineos
Molhar: Você não se molha na água, a menos que queira. Você pode transferir essa habilidade para um amigo seu rapidamente, durando apenas 5 segundos.
Cura: Ao entrar em contato com a água podera se curar totalmente como se nada tivese acontecido, voluntaria ou involuntariamente. Além disso, recuperará 100% de sua energia total.
Hidroterapia: Ao manter contato com a água, a cria de Poseidon permanece calmo, com as ideias assentadas
Movimentação Aquática: Você se movimenta melhor na água, do que em terra; Você nadando, é semelhante aos movimentos de um tritão, então você possui muito agilidade e velocidade em baixo d'água
Andar sobre as águas: Você anda sobre as águas como se andasse pelo chão; Dependendo do seu nível de concentração, e dá intensidade de seu desempenho, você chega fazer movimentos abusados, como dar cambalhotas, mortais, entre outros
Correntezas: Você anda sobre as correntezas d'água normalmente, nada te puxa; É como se uma leve brisa batesse em seu corpo, você sente, mas não se deixa levar
Náuticocinese: Com o uso de sua mente você consegue manipular os itens de um navio, podendo preparar uma embarcação para navegar sozinho somente com comandos mentais.
Ligação Subaquática: Quando encontrar-se submerso poderá se comunicar telepaticamente com seus irmão da parte paterna, não somente os semideuses, mas como também os ciclopes.
Localização: Quando você estiver na água, saberá exatamente o local onde você está e para onde ir; Como Percy Jackson demonstra no Mar de Monstros, dizendo exatamente a localização da Ilha de Polifemo
Imperador: Nenhum equídeo ou criatura marinha ousará atacá-lo. Eles lhe obedecerão cegamente (exceção para monstros, como CENTAUROS, hipogrifos ou o leviatã).
Mestre de Tempestades: O filho de Poseidon não pode ser ferido, atingido, levado ou prejudicado de qualquer forma por tempestades (como furacões e terremotos)
Hidro-thermocinese: Consegue manipular a temperatura da água e deixa-la quente a cem graus Celsius, ou mesmo fria perto de zero.
Resistência ao Fogo: Sua natureza marítima lhe dá vantagem sobre o fogo, o que garante que você não se queime na presença de fogo comum.
Torrente: Quando o usuário está com menos que a metade do HP total, seus golpes baseados em água, tornam-se eficazes e poderosos. 50% a mais de acurácia e o triplo de dano que poderia causar, caso usasse ataques de água
Comunicação Marinha: Você pode falar com animais marinhos normalmente; É o mesmo critério dos equineos; Você ouve os pensamentos deles em sua cabeça, e pode projetar os seus nas deles; Os animais marinhos tem obedecem melhor que os equineos
Fala Aquática: Você fala debaixo d'água como se estivesse em terra; Geralmente quando os humanos falam debaixo d'água, é possível ouvir apenas ruídos e bolhas saindo de sua boca; Já você sai o som concreto e perfeito
Príncipe de Atlântida: O filho de Poseidon é reconhecido e cumprimentado por todos os seres marinhos e da corte de Poseidon.Lá ele se sentirá em casa e será tratado como um príncipe
Resistência ao Fogo[Verde]: Nesse nível o filho de Poseidon tem uma resistência ao fogo podendo até resistir ao fogo verde original do submundo.
Escama Maravilhosa: Habilidade que permite o filho de Poseidon resistir a um golpe fulminante de eletricidade, a maior fraqueza de um filho dos mares. Escamas resistentes brotam pela pele do usuário, refletindo o trovão de volta.
Habilidades/Ativa
Sonar: Encontrando-se submerso, o filho de Poseidon consegue produzir um som que reage como um sonar, permitindo ao semideus captar coisas à sua volta em um raio de 60 metros.
The Equitor: Habilidade concedida por Poseidon a sua prole. Essa habilidade permite ao meio-sangue transformar-se em um cavalo baio, que tem a habilidade de fundir-se ao ambiente. O portador da benção tem os sentidos de um cavalo, como olfato apurado e visão também. O cavalo em sí é especial, pois sua velocidade pode chegar a 120 KM/H. Os cascos do cavalo são dourados, e possuem ferraduras azul-mar. Os cavalos podem criar asas e transformarem-se em pégasus. Sendo assim, quem possui a benção pode também criar, a partir do mar, cavalos de névoa que não podem ser tocados, mias podem tocar.
The Converter: O portador de tal habilidade possui o dom de converter a água em qualquer tipo de substância que contenha o líquido em questão. Obviamente, deverá possuir o líquido para convertê-lo. Possuindo essa habilidade, o meio-sangue pode converter a água em até 40m²; Pode-se também converter a água do corpo de um ser vivo, tanto monstros quanto seres normais.
Steps Tremor: Quem possui essa habilidade, pode causar terremotos de escala média com passos. Cada passo causa um tremor de 5.5 na escala normal, em um intervalo de 4.5 segundos. Caso o meio-sangue pule de uma certa altura, o terremoto pode chegar a um nível maior.
The Delfin: Poseidon por vezes continha como simbolo um golfinho, devido a isso os filhos portadores desta Habilidade terão a capacidade de se metamorfosear em metade humano metade golfinho, suas pernas se unirão e se tornaram uma grande cauda de coloração esverdeada que reluz o arco-íris sobre a luz solar, o mesmo tambem tera musculos forte na estatura da cauda, proporcionando saltos explendidos e bem equilibrados, basta um simples contado de suas pernas com a água e sua calda aparecera, alem disso o possuidor desta Habilidade, poderá usar artimanhas usadas pelos golfinhos, caso deseje podera liberar pela boca um turbilhão de bolhas que prenderão seu oponente como como uma rede, impedindo o mesmo de fugir por um determinado tempo, alem disso poderá porduzir estalitos com a lingua que servirão como ecolocalização, sendo esta habilidade usada fora ou dentro da água, mas tendo melhor desempenho dentro da mesma.
The Minotaur: Poseidon pode se dizer, foi o "criador" do minotauro, pois foi atraves do mesmo que o touro brando de Midas cruzou com sua esposa, nascendo assim o proprio monstro, então devido a isso o redentor desta Habilidade será, digamos assim o senhor dos Minotauros, fazendo com que os mesmos não o ataquem, mas alem disso esta Habilidade permite ao usuario transmutar-se em um homem touro ou seja um minotauro, mas este seria diferente, seus chifres são feitos de ouro puro, e suas feições lembraram o semideus que é, alem disso seras dotado de fala, mas uma fala normal, conseguindo sair ate com o tom de voz do semideus mesmo, sendo meio touro conseguira falar com qualquer tipo de animais que sejam da mesma "especie" que você ou seja os bovinos.
Plasmatic: Esta habilidade consiste em fazer do portador o manipulador da água, no que isso iria ajudar em um filho de Poseidon ? é simples, existem quatro estados da água, liquida, gasosa, solida e a ultima não muito conhecida a Plasmatica, os estado plasmatico nada mais é do que transformar um estagio em outro rapidamente usando o fator velocidade, exemplo transformar a água liquida em estado gasoso passando por uma velocidade rapida fazendo com que a água vire como se fosse um gás queimante, mas o mesmo pode ser revertido para qualquer um dos três estados.
Fúria de Poseidon: Seu personagem é capaz de gerar terremotos e erupçôes vulcânicas até maremotos e ciclones
Hidro-Eletricidade: O utilizador pode gerar e manipular a água carregada por transportadores de corrente eléctrica. Em outras palavras, água potencialmente elétrica. Isso permite que o filho de Poseidon cause danos Elétricos e Aquáticos num determinado usuário, além de ajuda-lo a sofrer menos dano quando golpeado por eletricidade.
Absorção de Umidade: Capacidade de tirar a umidade de seres biologicamente vivos (pessoas, animais, monstros, vegetais...), com a finalidade de desidrata-los. Isso causa sede no oponente, além de deixa-lo ilusoriamente com um único objetivo: se hidratar a qualquer custo. Só é permitido tirar toda a umidade (matar), plantas e animais. Essa habilidade também serve para que o filho de Poseidon possa obter uma fonte de água para seus golpes
Thyellacinese: O filho de Poseidon poderá manipular as gotículas suspensas do ar para criar nuvens de tempestades carregadas com chuvas densas. Além disso, poderá usar as cargas negativas dessas nuvens para criar raios. Não há controle sobre os mesmos, mas pelo simples fato de poder criar uma relâmpago potente, já é uma vitória para o filho de Poseidon. As nuvens negras podem servir de distração para fuga, golpe direto, defesa, ou o que desejar. Além de criar as tempestades, também poderão manipula-las como bem entender.
Teletransporte: Neste Nível,o Filho de Poseidon poderá se teletransportar para qualquer lugar,quando no mar
Maresia: São gotículas salgadas em suspensão ao ar, que forma um aerossol pesado e neblinoso. Tem gosto salgado, deixa a pele curtida e com sedimentos, e dá aquela sensação de desconforto. Causa irritação e pode oxidar (corroer) materiais feitos de ferro comum. O filho dos mares, agora pode controlar a maresia da forma que desejar, formando uma nuvem densa salgada ou uma brisa suave e irritante
Jato de Bolhas: Consegue soprar a água e transforma-la num jato de bolhas rápidas que quando estouram, assustam, causam um leve dano e ainda há chances de deixar o oponente com perda leve de velocidade.
Hidrocinese Avançada: Neste avançado estágio de domínio sobre a água, você poderá expandir partículas de água, podendo aumentar a quantia de água para que possa dominar, podendo, por exemplo, tornar poça grandes fontes. Agora não a mais limites na quantia, podendo dominar com a mesma precisão gigantesca ou pequeninas quantidades.
Nado Rápido: Toda vez que chover, a velocidade do filho de Poseidon sobe. Até o limite da velocidade do som, acima disso, a cria do deus dos mares
Lapiscinese II: Além de se manterem de pé no lodo, barro, areias movediças e pântanos, os filhos de Poseidon poderão controlar massas de barrosas e lamaçais, formando ondas, jatos e metralhadoras de barro. A terra molhada pode ser uma grande aliada
Vórtice D'água: Quando estiver no meio d'água, conseguirá move-la circularmente e de forma rápida, criando um vórtice subaquático. Da mesma forma que Caríbdis, porém numa versão menor
Hidrocinese Gasosa: Agora que seu domínio sobre água em seu estado líquido é extremamente avançado você consegue dominar o vapor d'água presentes no ar. Podendo uni-lo formando uma densa névoa para se camuflar, ou podendo condensar o vapor d'água, formando poças ou novas fontes de água líquida.
Hidrocura: Ao entrar em contato com a água poderá cicatrizar ferimentos muintos graves, voluntaria ou involuntariamente. Além disso, recuperará 100% de sua energia totalmas poderá também curar um amigo 50%..
Hidroterapia: Ao manter contato com a água, a cria de Poseidon permanece calmo com as ideias assentadas
Criação da Água: Neste Nível o Filho de Poseidon poderá criar Água o Suficiente para Afundar uma Vila.
Absorção d'Água: Consegue absorver parte de algum golpe e converte-lo em poder para seu ataque seguinte. Entretanto, somente se o golpe usado pelo oponente for do elemento água e, o contra-golpe usado pela cria de Poseidon, também
Cachoeira Circulante: Consegue evocar um grande poder aquático de dentro de si, e fazer subir um rio poderoso em torto do corpo até uma altura máxima de sete metros de altura. A água, ou melhor, o fluxo forte da correnteza emanada do filho de Poseidon, age como defesa de futuros ataques, e como um golpe violento para quem estiver perto do usuário na hora da aplicação. A cachoeira Viciante toma forma de algum animal que queira, e depois de escolhido, não poderá mais trocar
Fio de Corrente: O filho de Poseidon consegue manipular a água para deixa-la com mais sais minerais, deixando-a densa. Dessa maneira, criar lâminas de água cortantes com capacidade de romper ferro, rachar armaduras e cortes profundos. É preciso estar na água para usar as lâminas, lembrando que as águas se tornam negra quando a técnica é usada. Cada lâmina atinge uma velocidade de 50 km/h.
Impacto de Corrente: Envolve o corpo com uma película trovejante de água. Essa técnica serve somente quando se precisa alcançar o oponente com velocidade, causar muito dano e ainda o lançar pra longe. O Impacto, trombada com outro corpo, faz a película ao redor do corpo do filho de Poseidon, correr contra o alvo o arrastando longe
Auge Hydor: Consegue suspender várias gotículas de água. Cada uma delas detém parte de sua energia e chovem no oponente como uma brilhante chuva. Mal sabem que cada gota tem o potencial de penetrar na pele do oponente e sugar suas forças vitais. Após entrarem, quando o filho de Poseidon desejar
Poseidon: O Filho de Poseidon poderá criar uma Réplica perfeita do Deus Poseidon para lhe ajudar em combate, Feita de Água ou Gelo
Ciclone: Consegue evocar uma grande quantidade de ar e faze-lo girar numa velocidade incrível. Consome muita energia, mas os resultados são gratificantes. O dano produzido é igual ou maior à energia usada para criar o ciclone
Sismocinese Final: Agora, com um bater de pés no chão, É possível controlar a intensidade do abalo, até ruir o terreno e levantar crateras. A instabilidade do solo fica altamente instável se assim desejar
Mensagem Oceânica: Invoca uma nereida que irá ajudar você com informações, mas somente funciona em contato com o mar; Dependendo do seu nível de energia, você pode convocá-lá em rios, como a que aparece para Percy no rio Mississipi
Ressecamento: O filho de Poseidon é capaz de retirar toda a '' água '' que o inimigo possui, no próprio corpo, convertendo em água salgada. O inimigo, ao sentir tal efeito, é ressecado, e possui difícil movimentação.
Expulsão: Manipulando a pressão da água, você pode arremessar algo que esteja na água, com a força de um míssil; Dependendo do peso e do formato do objeto, ele pode ir com mais ou menos força
Lâminas de Gelo: Agora você poderá criar três lâminas de gelo e lançar contra o inimigo. As lâminas são tão afiadas quanto uma de metal, ou seja, causa dano considerável
Servos do Mar: Poderá invocar animais marinhos para te ajudarem, pode parecer inútil, mas você já imaginou uma baleia no campo de batalha? Todos eles respiraram em terra, andaram como seres humanos, verdadeiros soldados
Míssil Aquático II: O filho de Poseidon pode dar um soco no mar, criando um míssil de água que se movimenta rapidamente em longas distâncias e com muita pressão, causando um grande dano no alvo, podendo até matar, dependendo da fragilidade do corpo
Transformação: Os filhos de Poseidon poderão transformar o seu corpo em um dos estados físicos da água: sólido, líquido ou gasoso. Gastará no mínimo 20 MP para fazer tal transformação e irá durar duas rodas. Lembrando que a forma que escolher irá ampliar os poderes do mesmo estado físico, irá duplicar o dano que o poder faz.
Furacões II: Seu poder sobre os furacões está maior, você poderá criar até três furacões
Invocação do Kraken: Apesar do Kraken ser filho de Hades, ele se encontra em meu território; Quando precisar, chame-o; Ele irá simplesmente aparecer, e lutar com você; Não irá te fazer mal, por ordem minha
Exército de Poseidon: Você irá invocar o exército de Poseidon, para que destrua os seus inimigos; Ciclopes, animais marinhos, entre outros; Todos saíram do mar em posto de batalha, pronto para te servir; Assim que você atingir esse nível, irá GANHAR um apito em forma de cavalo-marinho; Esse apito irá convocar meu exército; Cada integrante do exército irá possuir uma arma própria do seu corpo, por exemplo: Um tubarão-martelo realmente ganhará uma grande marreta no local de seu formato. Os animais que tem nadadeira ganharão pernas, para que possam servir ao filho de Poseidon livremente e livre de qualquer tipo de problema que possam vir a atrapalhar a batalha
Tsunami: Você irá criar uma tsunami, tão alta e tão devastadora, que nada resistirá a você; Gasta praticamente toda sua energia, e deixa-o desmaiado; É parecida com a tsunami do filme 2012; Poderá cobrir montanhas; Mas essa tsunami destruirá apenas inimigos; Humanos nem perceberão que ela está acontecendo; Para eles, ela é invisível; Você será teleportado para ilha de Calypso, pois ficará esgotado; Os inimigos podem chegar a interpretar a onda como final do mundo, pois jamais foi visto algo de tamanha magnitude. Do ponto de vistas dos monstros, tudo é devastado e destruído, por isso há um maior toque de medo e desesperança na habilidade
Terremoto: Seus terremotos estão maiores e mais poderosos, atingindo um raio de 60 km; Dependendo da cidade, ela poderá ser destruída por completo; É uma habilidade perigosa, que se não for realizada com cuidado e destreza, poderá causar consequências desastrosas.
Ilusionismo: É a habilidade de manipular como as pessoas percebem a realidade. Afeta diretamente os sentidos da pessoa, portanto apesar de não ser real naquele momento é real para a mente dela
Presença imponente: Sua aura mágica estará mais desenvolvida. Ela se manifestará em você impondo sua presença aos outros, isso os levará a hesitar a te atacar. Levando-o a ganhar algum tempo.
- Armas: Luvas
- História: Nascido de Do Deus Poseidon e Sua mãe Marry Allen, Jet Foi criado como uma pessoa normal, em sua Infância sentia algo estranho quando ficava perto de Líquidos como se ele consegui-se uma concentração entre ele e o Liquido, ele era bem quieto difícil de se ver divertindo, não tinha muitos amigos, quando cresceu, fazia muito natação, e sua escola foi invadida por bandidos não houve muitos feridos, quando chegou em sua casa, sua mãe lhe contou sobre Poseidon, e as outras coisas, e o levou até o acampamento, guiado por um senhor de capa, que disse que garantia sua segurança, então Jeck foi para o acampamento e segue sua vida como um Semi - Deus.
Jeck Jackson
Indefinido
Mensagens :
2

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Percy Wayne em Sab 16 Maio 2015, 12:47

Aparência:

Os filhos de Poseidon são bonitos e charmosos. Com a pele bronzeada como a de um pescador, possuem olhos azuis como o mar, que puxaram de seu pai. Possuem corpos definidos e emanam um cheiro característico do mar, que pode acalmar e passar boas sensações nas pessoas a sua volta.



Habilidades:


Perícia com Tridente
O filho de Poseidon possui um manejo elevado com um tridente. Além disso, é totalmente hábil em fazer manobras incríveis e incomuns com o mesmo, podendo até mesmo arremessá-lo contra seus oponentes.

0-2 contas: Mesmo sendo novato no acampamento, o semideus possui uma perícia elevada que faz com que o mesmo saiba o uso básico de um tridente, diferente de outros campistas.

3-4 contas: Agora o filho de Poseidon consegue fazer movimentos mais difíceis com a adapitação da bruscalidade já com o tridente, mesmo que ainda sejam iniciais.
5-7 contas: O seu personagem consegue arremessar o tridente contra o oponente com certa perícia, além de obter o controle elevado com a tridente, podendo realizar todos os movimentos precisos sem gastar parte de sua energia.

8-10 contas: Agora o semideus descobriu todos os truques e privilégios exercidos pela perícia com o tridente, podendo controlá-lo com perfeição, além de possuir a habilidade de fazer movimentos impossíveis com o mesmo.

Supremacia Aquática
Seu personagem herdou de seu pai autoridade divina sobre falar (normalmente e telepaticamente) para eqüinos e criaturas do mar, principalmente de tratá-los com deferência e respeito senhorial. O mesmo se aplica aos seus meio-irmãos ciclopes.

0-2 contas: O filho de Poseidon consegue conversar com os animais marinhos de pequeno porte, não podendo exercer ordem alguma; o mesmo para ciclopes.

3-6 contas: Atingiu um estágio mais avançado. Agora já é capaz de ordenar aos seres marinhos e invocar peixes de porte médio para o combate.

7-10 contas: O herdeira dos mares é capaz de impor seus desejos sobre os seres marinhos em geral, desde o menor peixinho ao maior monstro aquático existente nos Sete Mares.

Recuperação Marinha
Quando em contato com o mar, o semideus poderá amplificar sua capacidade de cura, fazendo com quê regenere-se mais rápido em junção com o seu fôlego.

0-2 contas: O filho de Poseidon poderá diminuir parte de suas dores, independente de seus estados ao ser interior ou exterior. Além disso, recupera arranhões simples, inchaços, e o fôlego, após o contato do semideus com a água.

3-6 contas: A recuperação passará para cortes e perfurações mais profundas, ao contato do filho de Poseidon com qualquer tipo de água. Além disso, poderá amenizar resfriados, alergias e doenças mais simples.

7-10 contas: Poderá restaurar sua energia, além de ossos quebrados e ferimentos de grande estado em si. Irradia um feixe azulado em volta do corpo, podendo curar doenças mais graves.

Anfíbio
O semideus passará a nadar mais rápido que a maioria das pessoas ou campistas, além de poder respirar de baixo d’água. Sendo assim, pode cair de grandes alturas, desde que caia na água não sofrerá nenhum dano; o mesmo também pode entrar na água e sair sem se molhar, a não ser que deseje. É capaz de criar pequenas bolhas ao difundir o oxigênio da água que servem como máscaras de respiração para amigos.

0-10 contas: O filho de Poseidon poderá nadar mais rápido do que todos que tentem o mesmo, além de poder respirar debaixo d'água por um tempo indeterminado.

Poderes Ativos:

Fúria de Poseidon
Seu personagem é capaz de gerar terremotos e erupçôes vulcânicas até maremotos e ciclones.

1-2 contas: Seu personagem é capaz de criar tremores na terra ao bater o pé, apenas tremendo o que estiver na vertical a chão. Na água é capaz de criar pequenas ondas.

3-4 contas: Seu personagem agora já é capaz de derrubar pessoas e animais de porte pequeno ao chocar os punhos ou os pés na terra. Na água é capaz de fazer uma onda capaz de virar uma canoa.

5-6 contas: Capaz de abrir pequenas fissuras na terra (não com tanta precisão como os filhos de Hades) e derrubar pequenas estruturas como barracas. Na água é capaz de criar um turbilhão ou uma explosão como a de um gêiser, mas em menos intensidade.

7-8 contas: Já é capaz de derrubar uma fileira de cinco pessoas em linha reta (5 quadrados) e derrubar árvores de porte médio. Na água é capaz de criar um redemoinho com extrema velocidade.

9-10 contas: Chegou ao seu ápice! O filho de Poseidon é capaz de criar desde grandes terremotos a instigar erupções vulcânicas com um estalar de dedos.
Podério Hidrocinético
Seu personagem é capaz de criar água através de conchas petrificadas ou conjurar água de seu próprio corpo após passar um longo tempo se concentrando, também podendo endurecer a água em um nível quase sólido, podendo usá-la como proteção. Consegue movimentar a água em movimentos simples ao entrar em contato com ela em grande quantidade.

1-3 contas: Seu personagem é capaz de extrair apenas gotículas de água das conchas; nesse estágio consegue criar apenas um ou dois cubos de gelo.

4-7 contas: Pode endurecer a água mas em pouca quantidade, utilizando-a como a lâmina de uma faca. Já é capaz de enxer uma jarra com a água extraida das conchas, e também já é capaz de conjurar água pelas mãos, em pequenas quantidades.

8-10 contas: É capaz de invocar a água de seu corpo pelas mãos em grandes quantidades, o que lhe exige muito esforço e gasta muita energia. Das conchas à água, já pode transformar qualquer tipo em qualquer quantidade. É capaz de endurecer a água para utilizá-la como proteção ou transformar sua matéria diluída em uma matéria 90% sólida, podendo utilizá-la como passagem.

Discos Aquáticos
Seu personagem é capaz de disparar discos de água ao estar em contato com a água. [Obs: Para obter este poder é necessário que tenha antes Poderio Hidrocinético.]
1-3 contas: Em contato com a água o filho de Poseidon é capaz de erguer quatro discos de água ou um pequeno arpão, podendo manuseá-lo ou arremessá-lo.

4-7 contas: Já é capaz de disparar os discos aquáticos através das palmas de suas mãos - 2 por cada punho - ou criar um tridente resistente como uma feita de aço.

8-10 contas: O filho de Poseidon já é capaz de alvejar seu oponente caso esteja na água com inúmeros discos, e fora dela é capaz de criar qualquer tipo de arma de contato.

Tridente Fulminante:

Seu personagem pode fazer um golpe certeiro e poderoso com o tridente, envolvendo-o com água.

1-3 contas: Seu tridente é envolvido por uma fina camada de água, o deixando mais leve e ágil.

4-6 contas: A camada aumenta, deixando o tridente mais resistente.

7-8 contas: A camada de água só aumenta, deixando o tridente muito forte, podendo impactar muitas coisas facilmente.

9-10 contas: A força de impacto do tridente é somada a da água, quando o dano é causado.[Obs: Os filhos de Poseidon tem uma perícia com tridente elevada a qualquer humano.]

Tridente supremo [Nível ???]:Você poderá conjurar a réplica perfeita do Tridente de Poseidon, atirando-o diretamente no alvo, quando tocar em alguma superfície sólida, explodirá em um raio de calor.

>>personalidade:

Costumam se relacionar muito bem com quaisquer criaturas marinhas, assim como com a água propriamente dita. Sentem-se extremamente aconchegados na presença deste solvente universal, uma vez que revitaliza suas energias e os torna aptos para novas aventuras. Em sua maioria, têm uma paixão enorme por cavalos, e sentem-se enciumados quando vêm alguém montando em um destes alado.


Historia:

Percy sempre levou sua vida como uma pessoa normal, mais quando chegava perto de água, ele sempre sentia algo estranho, como se ele tive - se atrasves de si uma conexão com a água, até que um dia, ele estava na escola. sua escola foi invadida por bandidos, dizendo pelos humanos seriam bandidos, mais não se sabe pois tinham uma vós muito grossa para um humano, gritavam e colocavam panico, não teve muitos feridos, só levaram dinheiro, logo após isso eles levaram todos em segurança para suas casas, quando chegou em casa sua mão o chamou. vendo que no mundo ele não teria proteção, ela o conta sobre tudo, de Poseidon e todo o resto, então ela o leva de carro para o acampamento, era 23:43 da noite, quando de repente aparece uma fera correndo atrás do carro.
Percy: - Mãe!! acelera...

Marry/Mãe: Oquê?.. por quê...

Então marry olhava para trás e ver a tal fera, mais seria tarde de mais, a fera pegou o carro assim o aremessando - o, eles cairam em cima de uma arvore, depois de algumas segundos, eles agem, tirando os cintos de si, os dois descem do carro assim correndo, então percy consegiu passar, mais quando olhou para sua mãe ela não estava passando, como se uma camada ou algo assim a impedisse de passar.

Marry/Mãe: Percy... vá eu não posso ii...

Percy: Não!... mãee eu não vou te deixar...

então no mesmo estante no local chegou novamente a fera, na qual derrepente segurou a mãe de percy.

Marry/Mãe: Váaa, eu vou está beeem!!!

Percy: Nãooo!!!

o minotauro sumiu na floresta, percy vai atrás dele, mais seus esforços não adianta muito, ele corre muito atrás da fera e não espera para ver por onde anda, então cai em um rio, assim se machuca muito, saindo do rio, ele olha para todos os lados, ao car novamente no chão, ele avista o acampamento, se arrastando ele consegue entrar, mais logo em seguida desmaia, como estava no acampamento ele estava seguro.

5 Dias depois: Assim que passou cinco dias, ele acorda com os raios de sol que entrava pela janela e iria a seu rosto, assim acordando ele olha para todos os lados e ver as pessoas feridas que la estava na enfermaria. ele se levanta mais logo percebe que seu braço estava enfaixado, ele sai da enfermaria e olha para todos tudo presente no local.

Percy: Onde eu Estou?...

Após alguns segundos chega la onde estava um Homem meio cavalo e responde sua pergunta.

Home - Cavalo - Percy.. você está no Acampamento meio - sangue...

Percy ficou surpreso assim lembrando das cenas com sua mãe e o minotauro.

Percy: - então.. minha mãe está morta...

Percy: - Preciso pensar um pouco... com licença..

Então logo Percy fica um pouco triste, e sai caminhando para perto de um pequeno riacho, ao sentar em uma pedra ele olhava para o lago que refletia seu rosto o céu, pássaros,nuvens etç. depois de algumas horas ele aceita tudo isso, mais fica confuso ele volta novamente ao´homem - cavalo. e conversa com ele.

- Minha mãe me falou algo como.. ser filho de Poseidon

- Bem Percy... ela quiz te dizer que você é um meio - sangue, isso significa que você nasceu do Deus Poseidon e da Humana Marry sua mãe.. agora vem, você precisa treinar para a batalha

eles treinaram bastante e no dia seguinte.



Trama da Batalha:

Percy Iria Lutar contra um Filho de Ares, ele entra na Arena, quando o filho de Ares entra todos vibram e gritam seu nome que seria Jhony Kage, , ele levanta suas mãos para dizer que gritem mais alto. Então Percy entrou, mais nada aconteceu eles continuaram a gritar o nome de Jhony e Gritavam também:

- Jhony você vai esmagar elee!!!

Então Jhony Tirou de suas costas um escudo e de sua bainha uma espada, o mesmo fez Percy, eles dois começaram a Andar em circulos avaçando ele salta no ar com a espada, foi o movimento do filho de Ares contra Percy ao bater sua espada com o escudo de Percy, ele jogava o escudo de percy para uma grande destância pois o impacto não foi adquado a força de Percy, mais ao cair no chão, o filho de Ares, tentos enfiar a espada no pescoço de Percy, ele sai girando no chão, então da um chute atrás do joelho de filho de Ares, faria com que seu joelho permanecer - se dobrado ao o filho de Ares cair de Joelho no chão, percy ja com vários cortes do corpo se arrastou para perto de um pequeno riacho e então repetiu as mesmas falas

- Se O Senhor.. Podeison é meu pai.. por favor estou precisando de sua ajuda...

percy estende seu braço a água e sentiria correr sobre todo seu corpo a mesma água, então olharia seu corpo, e nenhuma ferida era encontrada, ele vai correndo em direção ao filho de ares que ali estava de joelhos, e dava um chute na sua cabeça, assim fazendo - o, desmaiar, assim como o silenciar os gritos vibrantes da torcida ao os surpreenderem, percy estende seu braço assim fazendo um corte do braço do filho de Ares.

- Nossa... Eu fui tão bem... a água me deu forças para prosseguir com isso..

depois de três dias: percy estava arrumando sua mochila e saiu, caminhando, o motivo de sair do acampamento e de sua proteção, ele queria conhecer seu pai, e falar sobre sua mãe e assim conhecer toda a historia dele mesmo. assim saiu caminhando do acampamento, depois de algumas horas ele chega em uma cidade, vai perto de uma ponte e fica perto do mar onde se encontrava a praia, ele estende sua mão ao tocar na água, e falava com ela

- Pai.. se o senhor está me escutando, peço que me leve de algumas forma para você...

então um tubarão chega ao local, o garoto se assustava, mais o tubarão não o feriu, e deu um pequeno gemido, e percy sobe nele.

- você vai me levar até meu pai?.. que bom..

o Tubarão saiu pelas águas e percy dava alguns gritos como: Uhuuu, então o tubarão mergulha e percy prende a respiração, mais não demora muito, o tubarão vai em direção a algum reino que la se avistava era Atlântis, Poseidon se comunicava com os animais marinhos que não deixavam o semi - deus passar.

- Deixe - o passar... é meu filho

Assim ele entra no palaço, e havistava poseidon ele corre e o abraça, depois de algumas horas conversando com poseidon, ele fica sabendo de tudo, então ele ses despede novamente com um abraço, e o mesmo tubarão levou percy até a ponte novamente.

- obrigado pai.. obrigado tubarão...

Percy sairia caminhando e novamente chega no acampamento, la ele começa a fazer novos amigos, e faz as pazes com o filho de Ares e muitos outros, ao voltar no acampamento, ele se agitaria bastante, treinava diariamente e assim sonhava em melhorar bastante para se tornar um dos melhores do acampamento.
Percy Wayne
Indefinido
Mensagens :
1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para filho de Poseidon

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 02:56

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum