MIOP — A suspeita número 1! // MISSÃO ABERTA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

MIOP — A suspeita número 1! // MISSÃO ABERTA

Mensagem por Dionísio em Seg 15 Out 2018, 13:11


Sob suspeita



Todos se divertiam no acampamento, o dia já havia muito tinha ido embora, as fontes de luzes eram a grande fogueira e as lâmpadas de neon multicoloridas. Menestréis se uniam aos filhos de Apolo na música, filhos de Ares faziam demonstrações de lutas, a prole de Afrodite encantava os semideuses com o charme, além de fazer pinturas corporais. E na organização da festa, também responsáveis pela comida e bebida, estavam os filhos de Dionísio. Dentre eles estava Charlie Mutt, uma das mais recentes reclamadas no acampamento.

Estava indo tudo muito bem e as risadas ecoavam em todo o acampamento, era uma daquelas noites em que os semideuses podiam relaxar e esquecer um pouco dos problemas em que estavam metidos. Após horas de festejo, quando alguns já havia retornado para seus chalés e a festa parecia se encaminhar para seu final, um grito ecoou próximo da fogueira. Quem gritara fora Angela, uma filha de Afrodite. Horrorizada, olhava para um corpo caído ao lado da fogueira, inconsciente e com uma taça de vinho derramado sobre o peito e o solo.



Diretrizes

— Introduza brevemente sua personagem na noite da festa, o que ela fazia, quais seus sentimentos como semideusa.
— O garoto caído não morreu, mas parece ter sofrido de um envenenamento. Charlie foi a responsável pela organização das bebidas da festa e, devido as circunstâncias, imediatamente suspeitam dela. Narre como sua personagem reage sob essa suspeita.
— Diante dessa situação, ela precisa provar a própria inocência, procurar entender o que aconteceu ao semideus. Este foi levado à enfermaria, mas os curandeiros não lhe darão nenhuma informação útil, eles também suspeitam da jovem filha de Dionísio.
— Apesar de tudo, Quíron acredita que Charlie não seja a culpada. Os outros campistas, contudo, cobram uma explicação do ocorrido e todos estão razoavelmente preocupados com uma tentativa de homicídio dentro das barreiras do acampamento.
— Sua missão consiste, portanto, em esclarecer o ocorrido. Tem total liberdade em decidir se há um outro culpado ou se foi algo acidental. Neste caso, narre o que aconteceu e como descobriu o culpado ou o acidente. Lembre-se que precisa enfrentar certa dificuldade na missão e todos suspeitam da garota, portanto informações que sejam conquistadas muito facilmente gerarão descontos de coerência.
— Depois de esclarecer a situação, Charlie precisa provar sua inocência ao acampamento. Pode fazer um pronunciamento na fogueira, no refeitório ou mesmo explicar tudo a Quíron e deixar com que este explique a situação aos demais. Narre a motivação da personagem em tomar uma destas opções (se ela se sentiu insegura para falar a todos, se ela quer mostrar que é segura aos demais, se ela quer se mostrar digna de confiança).
— Seja criativa e coerente!
— Prazo de entrega 01/11/2018, 13:15, horário de Brasília.
— Poderes e armas em spoiler no final da narração, sem irregularidades.
— Quaisquer dúvidas pode me contatar via MP, chatbox ou Discord;
— Boa sorte.





Dionísio
Dionísio
DeusesPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
51

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: MIOP — A suspeita número 1! // MISSÃO ABERTA

Mensagem por George Dickinson em Sex 17 Jan 2020, 17:03

Minha!
George Dickinson
George Dickinson
Filhos de DionísioAcampamento Meio-Sangue

Mensagens :
101

Localização :
Acampamento Meio Sangue para jovens desajustados

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MIOP — A suspeita número 1! // MISSÃO ABERTA

Mensagem por George Dickinson em Sex 17 Jan 2020, 17:03


ser filho de Dionísio significa caminhar entre a sanidade e a loucura enquanto aprecia um bom vinho.  -----------------

Uma festa de grande proporção requer uma equipe polivalente para dar conta. Não dá pra gerenciar tudo o tempo todo e por isso me detive para não dar palpites. Cada Chalé faria sua contribuição para o sucesso do evento e o 12 cuidaria da organização geral. Típico. Somos os reis das festas.

Atendendo ao apelo popular assumi a chefia do bar, embora soubesse que no acampamento inteiro eu sou a pessoa certa para o cargo de Diretor Geral (cargo que eu inventei para a pessoa que mandaria nas outras). Não reclamei. Tratei de organizar meu posto para os trabalhos da noite e cuidei de alocar as garrafas e descartáveis na melhor posição para confecção dos meus famosos drinks temáticos.

Aos poucos a festa foi começando e o responsável pelos petiscos pediu pra expor pratos de Nachos com queijo na bancada do meu bar, criando um ambiente confortável pra galera conversar e aproveitar a as iguarias proporcionadas pelos filhos de Dio. Comecei devagar, com meus drinks temáticos personalizados. Eros Coke, uma mistura de Coca Cola, suco de groselha, sal e bala Mentos era o preferido da galera. Era uma batida afrodisíaca. Todos os drinks eram sem álcool, mas se o semideus insistisse ou fosse visivelmente experiente  também podia ganhar um vinho dos bons.

Fui entretido pelas conversas no bar e conforme ia preparando os drinks o tempo passou. Logo o cansaço bateu e a atividade foi diminuindo. Um grito feminino preencheu o ambiente e calou a música imediatamente. Os semideuses se reuniram como abutres em volta da moça. E da posição em que eu estava não pude acompanhar a situação.

Pares de olhos começaram a se voltar para o meu bar, onde eu estava só, portanto concluí que havia alguma relação entre eu e a moça. Abandonei meu posto como responsável pelo bar e fui até a moça. Conforme me aproximei a multidão aglomerada foi se abrindo e permitindo minha passagem. O foco de toda aquela atenção era a moça aterrorizada encarando um corpo juvenil estirado, inconsciente, com manchas de vinho na roupa.

Os comentários aconteciam ao redor do corpo.
Foi veneno. Caindo duro desse jeito ou foi veneno ou foi enfarte.
Steve?!

"E agora? Quem será que fez isso?", pensei enquanto me agachava ao lado do garoto. Coloquei os dedos médio e indicador em sua jugular para medir o pulso e descobri que ele estava vivo.

Só eu que percebi que ele tá vivo?
Melhor você sair de perto dele, cara.
Por que? — Questionei.
Porque você é o principal suspeito.

Os filhos de Ares me afastaram do enfermo contra minha vontade, me contendo enquanto filhos de Apolo começaram o atendimento. Acho que demoraram para prestar socorro porque estavam enrolados com seus instrumentos musicais. Fui conduzido para a Casa Grande enquanto a vítima seguira para tratamento na enfermaria.

...


Bicho, você tem que se acalmar. — Não havia serenidade no olhar de Quíron e o tom de voz indicava resignação.
Como vou me acalmar, tão achando que fui eu! — Eu estava cheio de ódio e meu rosto vermelho indicava exatamente isso. — São loucos, todos eles!
Respira! Não comece com essa besteira! Eles só estão nervosos e isso é totalmente normal. — Quíron falava como um sargento e isso incutia disciplina em mim. Sempre o temi.
Besteira? Você debocha de mim na minha cara. Os trogloditas me arrastaram até aqui. Vão me enforcar quando amanhecer. — Declamei e massageei as têmporas para aliviar a pressão.
Você vai voltar lá, descobrir o que aconteceu e vai explicar tudo. Eu curto o teatro mas o seu drama vai ter que parar. Quero a verdade, pra limpar seu nome e a minha barra. Esses adolescentes cheio de hormônios, me olhando torto por não te prender na mesma hora.
Merda. Uma situação de merda para um semideus de merda. Como eu vou resolver isso?
Investigue, questione e procure. Vou esperar seu pronunciamento durante o café da manhã. Saiba que já tenho filhos de Atena procurando uma ligação entre você e a vítima.
Mas eu nem sei o nome dele!
Gibbs. Lamar Gibbs.

...

Primeiro ponto: eu nunca nem encontrei esse cara. Segundo ponto: ou ele foi envenenado ou isso foi um acidente. Terceiro ponto: se ele foi envenenado tenho que descobrir quem foi, se foi um acidente tenho que descobrir o que causou isso. Quarto ponto: — pensei enquanto olhava o relógio de pulso — tenho aproximadamente 4 horas até o café da manhã.

Se haviam filhos de Atena envolvidos na investigação de envenenamento não havia nada que eu pudesse acrescentar. Resolvi partir para a segunda hipótese e portanto precisaria de informações sobre o prontuário do paciente.
Os curandeiros do acampamento a priori se recusaram a me receber, mas após uma breve explicação sobre a ordem de Quíron deixaram que eu examinasse os pertences do enfermo. A camisa laranja do acampamento estava manchada na altura do peito e abdome, a taça de vinho havia sido recolhida apesar de ter sido esvaziada. Havia também um par de tênis  All Star azul claro com algumas manchas escuras no tecido.

Procurei novamente os curandeiros para tirar dúvidas sobre o quadro clínico de Lamar mas ninguém quis ajudar. Como vou convencer esse pessoal se eles já me tratam como culpado?. Recolhi os pertences do rapaz e levei pro meu Chalé, onde haveria mais espaço pra investigar as roupas.

Comecei a examinar a taça de vinho e percebi que ainda havia uma gota deslizando pelo fundo. Estiquei a língua para fora como um cachorro e fiz com que a gota caísse nela. Saboreei aquela gota, bochechei minha saliva e engoli. Após o procedimento introduzi o nariz na taça vazia para tentar captar o máximo possível do aroma restante. Deliberei lentamente antes de concluir o resultado.
Branco… Fermentado em madeira... Fresco... Chardonnay… É o Finca Villatuerta Blanco.  
Os poucos que provaram dos vinhos oferecidos beberam todas as garrafas dele, por isso descartei a possibilidade de ser o vinho. Comecei a examinar a camisa e imediatamente me toquei de que o vinho branco não deixaria manchas tão escuras na camiseta. Farejei as manchas e constatei que era Coca Cola.

Os drinks mais pedidos foram o Eros Coke e a Batida de Hades, que leva suco de laranja ao invés do Coca. Beleza então, ele tomou vinho branco e Eros Coke.

Peguei o par de tênis e fui investigar a mancha, tentando captar o cheiro do produto. Não consegui identificar e por isso tomei a decisão desesperada de experimentar o sabor da mancha. Tinha gosto de terra e por isso descartei o tênis enquanto cuspia.

Enfim fui para o bar da festa, que ainda estava montado dado todo o alvoroço da situação. Encontrei uma garrafa descartada do Finca  em que havia o suficiente para encher duas taças. Enchi uma e preparei um Eros Coke para o experimento. Despejei o Eros Coke dentro da taça com 1 dedo de vinho e percebi imediatamente uma reação química. O volume do líquido começou a diversas vezes e bolas de espuma preta eram expelidas para o ar como se a taça fosse um vulcão. Peguei um punhado de Nachos que restava esquecido na bancada do bar e joguei na taça, sendo surpreendido por uma combustão de cor verde que desintegrou o aperitivo.

Não sei se aquilo provocou o “envenenamento” do rapaz, mas resolvi arriscar a sorte e por isso às 7 da manhã compareci ao refeitório para realizar minha demonstração. Esperei até o lugar encher e quando Quíron acenou positivamente iniciei o discurso.

Todos aqui sabem do meu talento e dedicação incondicional para fazer os drinks temáticos. Todos aqui já tomaram e aproveitaram durante as tardes de bobeira e as festinhas a noite. Fui acusado na noite de ontem de tentar matar um colega. — Nesse momento usei minhas habilidades divinas para atingir uma boa performance. — Eu assumo a minha falha! — E um burburinho começou a se espalhar mas com um movimento de mão Quíron calou a todos. — Eu assumo que falhei, mas não envenenei ninguém. Eu falhei em não testar meus drinks, os seus efeitos, quando misturados. Trago a vocês a causa da enfermidade. Ó, coisa horrível, afetar de forma tão negativa alguém que contava comigo para se divertir. Vejam o que acontece ao misturar o vinho branco servido ao pobre Lamar com o meu drink Eros Coke!

Repeti o procedimento experimentado com um zelo religioso. Os gritos de surpresa quando lancei os Nachos cravaram que eu havia feito um espetáculo. O discurso teve efeito.

Não causei o mal de propósito, mas o fiz por acidente. Foi apenas um acidente.

Quíron se levantou e resolveu dar o discurso final.

Está resolvida a questão. Isso prova tudo. Curandeiros, levem o jovem Bruce para descobrir o melhor tratamento possível. Pelo menos sabemos que foi um acidente. Ninguém merece ser punido por acidentes.

Extras:
PODERES
Passivo
[nível 2] Treinamento cênico I: tendo um talento intuitivo com a arte da encenação, você sabe dissimular os sinais de suas emoções, não expressando o que está sentindo ou conseguindo se controlar melhor. Você ainda é afetado normalmente pelos poderes, mas consegue dissimular, o que pode lhe dar certa vantagem, dependendo do contexto (a critério do avaliador). Contudo, personagens treinados em captar mentiras ainda podem descobri-lo se forem de nível igual ou maior, ou se tiverem outros métodos (ver a aura, por exemplo). Adicionalmente, você sabe assumir a postura adequada para a situação - entonação de voz, posição corporal - para passar determinada mensagem, sentimento ou emoção, tornando as pessoas mais influenciáveis. O efeito tende a ser melhor em pessoas comuns, e semideuses ainda contam com seus poderes e se baseiam na interpretação e na avaliação para determinar até que ponto vai a influência - quanto melhor a descrição, maiores as chances de ser bem sucedido.
Bruce Harrison
George Dickinson
George Dickinson
Filhos de DionísioAcampamento Meio-Sangue

Mensagens :
101

Localização :
Acampamento Meio Sangue para jovens desajustados

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MIOP — A suspeita número 1! // MISSÃO ABERTA

Mensagem por Melinoe em Sex 07 Fev 2020, 21:58


avaliação


Desculpa pela demora, primeiramente. Imagino que, com todo o alvoroço do evento, o post tenha se perdido em meio a tantos outros. Enfim: uma missão realmente interessante! Pequena, devo dizer, mas que conseguiu cumprir todos os pontos obrigatórios. Não encontrei grandes erros, nem falhas na coerência, e os diálogos e a sequência de pensamentos do personagem são bastante intrigantes. Me prendeu, do início ao fim!

A única coisa que quero ressaltar é o uso da palavra nachos com letra inicial maiúscula. Imagino que não haja nenhum motivo para isso, visto que não é um nome próprio. Fora isso, parabéns!

Resultado

— Coerência: 50 de 50 possíveis
— Coesão, estrutura e fluidez: 25 de 25 possíveis
— Objetividade e adequação à proposta: 15 de 15 possíveis
— Organização e ortografia: 9 de 10 possíveis

Subtotal: 99 pontos (multiplicador = 3): 297 xp + 29 dracmas + item

— {Thorn} Anel [Anel totalmente de prata, com uma pedra de granito afiada em cima. Duas vezes por missão, a pedra é capaz de liberar uma certa quantidade de veneno, de modo que envenenará quem for espetado pela ponta. O envenenamento causa a perda de 20% da capacidade de defesa e ataque, além de causar uma pequena perda de HP. Dura 2 turnos.] {Prata e granito} (Nível Mínimo: 15) {Não Controla Nenhum Elemento} [Recebimento: missão "a suspeita número 1!", avaliada por Melinoe.]

Descontos

-20 HP
-20 MP

Atualizado.


Melinoe
Melinoe
AdministradoresPercy Jackson RPG BR

Mensagens :
323

Localização :
Tártaro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MIOP — A suspeita número 1! // MISSÃO ABERTA

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
:: Topsites Zonkos - [Zks] ::